Lédio Carmona: “Faltou invenção”

Por Jorge Angrisano Santana | Em 11 de agosto de 2010

Pitacos de protagonistas e blogueiros sobre o Cruzeiro 0x0 Grêmio Prudente, no Ipatingão, pela 13ª rodada do Campeoanto Brasileiro, em 08ago10:

  1. Lédio Carmona, em seu blog: Cuca foi muito prudente, poderia ter inventado mais: O Cruzeiro que entrou em campo para enfrentar o Grêmio Prudente não contava com Gilberto, Roger e Thiago Ribeiro. Três peças importantes no sistema ofensivo e sem substitutos de características parecidas. Some-se a isso o bom desempenho da equipe paulista contra as mais tradicionais: empate com Palmeiras, Fluminense, São Paulo e Corinthians, além de vitória sobre Atlético-MG e Grêmio. Pronto. Estava claro o cenário do jogo em Ipatinga: o Cruzeiro sem forças para agredir e o Prudente com cara de zebra. A rigor, o time mineiro criou uma jogada, com Marquinhos Paraná lançando Jonathan e este passando para Wellington Paulista finalizar para fora, aos 15 minutos do primeiro tempo. Muito pouco para quem poderia ter chegado à terceira colocação caso tivesse vencido a partida. O Prudente, mesmo com a dupla de zaga e o lateral-esquerdo reserva, se defendeu sem dificuldades e ainda arriscou contragolpes com Wesley e Rafael Martins no segundo tempo. O time já se mostra diferente da equipe antes comandada por Adílson. Embora estivesse sem peças, Cuca poderia ter criado alternativas: Henrique finaliza bem de longe, Fabrício tem boa arrancada, Everton aparece como elemento surpresa e Jonathan entra bem em diagonal para finalizar. Saber aproveitar as características dos jogadores que tem à  disposição ainda não passa pelo repertório do novo técnico até por não conhecer o grupo. Tivesse o treinador Gilberto, Roger, Thiago Ribeiro ou até mesmo o recém-chegado Montillo à disposição, o jogo em Ipatinga poderia ter sido totalmente diferente do remédio para insônia que se tornou. Sem os jogadores ideais para as posições, faltou para Cuca o que Adilson tanto fazia: faltou inventar.
  2. André Kfouri, em seu blog: O Cruzeiro empatou pela quarta vez como mandante. Só o Botafogo empatou mais.
  3. Mauro Beting, em seu blog: Sem Gilberto, recuperando a forma, sem Roger, ainda sem o estreante Montillo, o Cruzeiro tentou criar e atacar com o que tinha contra um Prudente que honrou o nome, também lutou como Grêmio, e jogou pelo empate enfim conquistado. Ipatinga merecia melhor jogo. As equipes não mereciam melhor sorte.
  4. Leandro Mattos, em seu blog: O Cruzeiro não conseguiu sair de um empate sem gols diante do Grêmio Prudente. A falta de armadores no time tornou ainda mais difícil o objetivo de vencer a retranca paulista e deixar marcas na rede do goleiro Giovanni. O empate foi ingrato, pois um triunfo teria colocado os estrelados entre os quatro primeiros da tabela.
  5. Cláudio Caçapa, beque do Cruzeiro: Tentamos desenhar a vitória no início, mas infelizmente não conseguimos. Era uma vitória que nos colocaria no G4, mas o futebol tem dessas coisas. O time jogou bem, criou algumas oportunidades, mas não conseguiu fazer o gol. Agora é buscar os pontos contra o São Paulo. Temos que jogar com quem nós temos agora. Infelizmente o Roger e o Gilberto estão machucados e hoje não conseguimos marcar o gol que nos daria a vitória. Agora é trabalhar, não ficar dependendo só desse camisa 10, porque quando não tem um, às vezes, ficva complicado. Foi um jogo difícil, contra uma equipe bem postada atrás.
  6. Francisco Everton, volante do Cruzeiro: Conheço vários jogadores do Prudente, cheguei a falar com o Cuca, mas não conseguimos vencer. Eles vieram na retranca, tentando apenas os contra-ataques. Não foi à toa que eles conseguiram chegar às semifinais do Campeonato Paulista. E na quarta-feira, acredito que o Atlético-MG não vai ter nenhuma facilidade. Acho que o Prudente vai ganhar de 1×0 e se classificar.
  7. Diego Renan, lateral-esquerdo do Cruzeiro: A gente sente um pouco a falta de um articulador. Já ganhamos com essa formação, mas infelizmente hoje o gol não saiu. A gente tentou criar, mas infelizmente o Grêmio Prudente estava muito fechado, dificultando nossa movimentação. Campeonato Brasileiro é difícil, não tem jogo fácil.
  8. Wellington Paulista, atacante do Cruzeiro: A gente está vivendo só de cruzamento porque não tem esse 10. Mas o Montillo está chegando e os que estão fora estão se recuperando. Tem jogos que não dá para ir na qualidade. Tentamos da melhor maneira possível, mas não conseguimos. Menos mal que empatamos.
  9. Cuca, treinador do Cruzeiro: Faltou uma armação melhor de jogadas, uma qualidade de ceder o passe para deixar alguém em condição de fazer o gol. A gente tentou uma ou outra alternativa, com três atacantes, depois com dois de novo. Com quatro no meio, com três. Enfim, não deu pra vencer. Foi como a gente imaginava. O Grêmio Pudente tem a proposta de marcação forte, passam oito, nove jogadores da linha da bola e ficam dois rápidos para o contra-ataque. Além de tudo, se você não estiver bem posicionado, acaba tomando o gol e fica pior ainda. O Prudente é um time que se supera, defende bem, é bem armado. Pra ganhar um jogo assim, tem que ter qualidade individual, bola parada e fazer o primeiro gol, que muda toda a história. Não tivemos a ocasião, a bola bateu nas duas traves e voltou na mão do goleiro. Soma-se um ponto, ainda que seja em casa, e agora é preparar bem a semana. Tem jogadores importantes pra estrear e pra voltar. A equipe ganha em qualidade técnica, sem dúvida nenhuma. Vamos buscar esses pontos perdidos contra o São Paulo.
  10. Paulo César, lateral do Prudente: Acho que temos que ter a nossa cabeça sempre com o pensamento de entrar pra vencer, mas o empate nesse caso está de bom tamanho. Até porque encontramos uma dificuldade muito grande frente ao adversário.
  11. Marco Soalheiro, no PHD: O resultado da partida e a atuação refletiram a fraca qualidade do elenco que o treinador tinha à disposição para o jogo. Não dá para esperar algo diferente de Robert, Everton ou Rômulo como armadores (são bons lateral e volante), Pedro Ken etc… Tinha cinco ou seis jogadores fora que, em condições normais, estariam na relação e pelo menos três (Gilberto, Montillo e Tiago Ribeiro) podem acrescentar muito ao que se viu em campo hoje. Mas sigo com o pensamento de que não temos time para brigar nas cabeças, sonhar com título. Vamos ver o que nos dizem as próximas rodadas.
  12. Elias Guimarães, no PHD: Jogo muito pegado, mas ruim de assistir. Pecado de bola, aquela que bateu nas duas e cismou em não entrar. Segundo tempo deletável, onde as modificações não funcionaram, o que prova que temos um bom time e um elenco ruinzinho de doer. Não existiram e não existem peças de reposição à altura. Um banco lotado de jrs e jogadores sem continuidade de atuação. Da mesma forma que nunca critiquei o AB não posso criticar o Cuca, pois está se virando com o que tem. Uma pena popis essa vitória viria pra dar moral pras próximas rodadas, onde teremos embates muito complicados. Vamos lá, ver quando os contundidos voltam e se os reforços já podem estrear nas próximas rodadas…
  13. Jorge Schulman, no PHD: Tive que conformar-me com o calo nos olhos do horror de hoje. Resultado justo, pela incompetência para finalizar do Grêmio, e pela falta de futebol do Cruzeiro, além dos inventeishion do Cuca: tirar Marquinhos Paraná e tentar “engordar” o Robert, deixar em campo Jonathan e mandar para o descanso o Everton.
  14. Walterson Almeida, no PHD: O WP é um mala e reclama pacas! Mas tem de inocentá-lo um pouco, pois o juizinho era bem fraquinho. Teve um lance em que o zagueirão segurou claramente o WP matando o contra-ataque, na frente do juiz, e nem amarelo levou. O animal que pisou no DR sem bola, também na frente do juizão, somente foi amarelado depois que o jogo foi paralisado e ele viu que tinha sido grave. Na hora da reclamação não tinha sido falta, mas os caras abusaram daquelas faltas o tempo todo, segurando, cutucando, e nada do juiz agir.
  15. Matheus Reis, no PHD: Caçapa jogou muito bem. Foi seguro em todos os lances e segurou a onda quando o Diego Renan não deu conta. Com a saída do Paraná o Cruzeiro perdeu o meio e o Grêmio Itinerante controlou a partida. Robert tá devendo, e muito! Brigou com a bola e não acertou praticamente nada. Wellington Paulista deu azar no lance da trave dupla. Mas continuou com o cai-cai e as lágrimas para a arbitragem. Levou um amarelo estúpido. Cuca tentou fazer o que podia com o que tinha em mãos. Não tiraria o Paraná, mas o Everton para entrar com Sebá. Tnha muito o que fazer… Agora é esperar os 3 meias que podem acabar com a burocracia do time.
  16. Raul Miranda Penna, no PHD: Não entendi as substituições do Cuca. Rômulo no meio? Era preferível o Jonathan. A saída para esse jogo era jogar com dois atacantes abertos (um deles seria o TR e o outro poderia ser o Sebá, que joga dessa forma no júnior, só que pela direita).
  17. Maurício Sangue Azul, no PHD: Cuca errou ao tirar o Marquinhos Paraná. Ele estava muito bem na partida, distribuindo e girando bem as bolas. Perdemos o meio com a saída dele que foi compensado em parte com a entrada do Pedro Ken. Em 20 minutos,  Sebá mostrou muito mais objetivo do que o horroroso Robert, que não deveria nem ter sido contratado. Será que o treinador não percebe isso? Jonatham esteve muito mal na partida. Fez um péssimo 1º tempo. No 2º, segundo melhorou um pouco, mas não está apresentando o mesmo futebol do ano passado.

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.