Henrique jogou futebol total

Por Jorge Angrisano Santana | Em 13 de fevereiro de 2011

Atuações dos celestes e seus adversários no Cruzeiro 3×4 Atlético-MG, na Arena do Jacaré, Sete Lagoas, pela 3ª rodadas do Campeonato Mineiro 2011, em 12fev11.

  • Cuca – Até agora, o sistema com dois meias não deu certo. Montillo caiu de produção, entre outras coisas, porque não sendo craque, precisa de espaço pra se movimentar e escapar dos marcadores. Como está, ele perde uma boa fatia de campo ocupada pelo inerte Gilberto. Escalar Leandro Guerreiro sem bom condicionamento foi uma temeridade. Insistir com WP tem sido outra. E as substituições não resolveram. A seu favor, registre-se que as opções no elenco não eram boas no jogo de ontem. Outro aspecto que deve ser observado foi o lamentável estado físico do time nos derradeiros 15 minutos. E, pra finalizar, pisou na bola ao repisar velhos chororôs e a culpar alguns jogadores pelas falhas da equipe.
  • Torcida – Só metade do espaço da Arena ocupado foi um vexame. O apoio ao time também não foi lá essas coisas. Está levando a sério demais os tolos que insistem em desqualificar o Campeonato Mineiro.

  • Fábio – Salvou um gol e sofreu quatro. Se tivesse uma defesa difícil, mas não impossível no 3º gol da C  oocota, teria mudado o panorama do jogo.
  • Pablo – Segura na marcação e um belo passe para o gol de Henrique.
  • Leo Simões – Fez sua pior partida com a azul-estrelada. Perdeu o duelo contra Magno Alves. Boa parte de suas dificuldades, contudo, pode ser debitada à falta de proteção do meio de campo bequeira.
  • Edcarlos – Confuso, complicou-se em quase todas as jogadas. Numa delas, permitiu o arremate que deu origem ao 3º gol emplumado.
  • Gil – Disposição, chutão, empurrão e até um golão de centroavante. Razoável.
  • Diego Renan – Subiu pouco ao ataque e nada conseguiu nessas ocasiões, a não ser levar bolas nas costas.
  • Leandro Guerreiro – Lento e sem inspiração na saída de bola, frouxo na proteção à bequeira, inepto no apoio ao ataque. Fraco.
  • Henrique – Desdobrou-se para marcar e atacar. Marcou um gol e acertou o poste em outra jogada de perigo. O melhor em campo.
  • Montillo – Esforçou-se, correu, chutou a gol, bateu faltas e escanteios, participou dos lances que originaram dois gols, mas não encontrou com quem jogar. WP não é de bola, Gilberto está divorciado da gorduchinha e Thiago Ribeiro jogou mal.
  • Gilberto – Teve uma chance de gol, que não sobe aproveitar. Está jogando mal e não é de hoje.
  • Roger Galera – Substituiu Gilberto com alguma vantagem. Fica mais atrás, na linha média do campo, esperando a chance de fazer algum lançamento. Muito pouco para um cara obrigado a criar jogadas. Corre dez vezes menos do que Montillo e não termina o jogo 100% cansado com exige Cuca.
  • Thiago Ribeiro – Não encontrou espaços pra jogar. Nem teve inspiração -ou seria autorização?- pra buscá-los. De positivo, uma falta bem batida.
  • Wellington Paulista – Marcou um gol e mandou uma bola no poste. Como não sabe jogar futebol, nada mais se pode exigir dele.
  • Wallyson – Pouco apareceu como ala. Faltaram tempo, espaço e parceiros pra jogar.Juiz & Bandeiras – O juiz pecou ao não marcar um pênalti de Serginho sobre Roger Galera e ao permitir a cera descarada do goleiro e do artilheiro maquiado. Com relação ao pênalti, como não vi a jogada, nem no estádio, nem na internet, vou acreditar em sua marcação, pois ele estava em cima do lance. O segundo bandeira também falhou ao marcar um impedimento inexistente quando Berola marcaria um gol.
  • Arena do Jacaré – Gramado espetacular. Para quem se anima a ficar exposto ao sol de rachar mamona, a visão do gramado é excelente. Quem prefere ficar na sombra se lasca no quesito visão do campo.
  • Torcida de beira de estrada – Na ida e na volta, os torcedores celestes de Matozinhos e Prudente de Morais tomaram as calçadas com suas camisas e bandeiras azuis animado os viajantes estrelados de Beagá e outras plagas.
  • Itatiaia e Minas – Ouvi a Itatiaia no 1º tempo e no pós-jogo. No 2º tempo, sintonizei uma emissora de Divinópolis, pra não ter de ouvir o tosco Mário Henrique, na rádia. O melhor foi o trabalho do Tiago Reis, que entrevistou torcedores inteligentes no Seu Nome Seu Bairro. O resto da jornada, foi tempo perdido. Parece que o calor atrapalhou cérebros e gogós.
  • Atlético-MG – O nome do jogo foi, sem dúvida, o artilheiro maquiado. Mas o time rosado mostrou consistência, principalmente, quando esteve em vantagem e soube se trancar e criar espaços para o contra-ataque. Mérito do treinador Dorival Júnior. Jackson, Leonardo Silva, Ricardinho, Serginho e Berola também mostraram jogo.

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.