Fernandão: “Está na hora do sal grosso”

Por Jorge Angrisano Santana | Em 2 de outubro de 2019

PITACOS acerca do GOIÁS 1-0 CRUZEIRO, Serra Dourada, Goiânia, 30set19seg20h, 22ª rodada, brasileiro 2019:

ABEL BRAGA: Nós nos colocamos nessa situação e nós vamos sair dela. O torcedor não está contente com o resultado, mas está contente com a postura da equipe. Eu vi que para um dia, que nós fizemos um trabalho tático, que foi ontem, a maneira como os jogadores assimilaram me deu uma esperança muito grande de que logo, logo, vamos sair dessa situação, deste momento. A recuperação vem somente com o resultado. O Cruzeiro não jogou menos que o Goiás, o jogo foi igual. No 1º tempo, tivemos boa saída de bola, mas tivemos muitos erros a partir da intermediária, proporcionamos alguns contra-ataques. Neutralizamos o contra-ataque com o Michael. Mas a produção anima. E nós entendemos aquilo que necessitamos. O Goiás tem um contra-ataque muito rápido, e o Orejuela é um jogador muito agudo, muito participativo. Muito bom jogador, mas hoje estava num dia infeliz. Nós, jogando fora de casa, proporcionamos alguns contra-ataques. Ele estava num dia ruim e houve a substituição. Edilson entrou naturalmente bem. Marquinhos entrou cumprindo. O menino entrou muito bem, o Ezequiel. David foi para dentro do campo. Começamos a ter que encostar um lateral nos zagueiros para ter a sobra, e o Ezequiel começou a ir no mano. É um início. Não gostei do resultado, mas gostei daquilo que se produziu.

THIAGO NEVES: Estávamos bem. No momento perguntei ao David e ele também achou que estava impedido. Saímos de cabeça erguida, pois teremos que lutar até o final para tirar o Cruzeiro desta situação.

DOUGLAS VELLOSO: Depois do gol anulado, o Cruzeiro entrou no modo passivo e deu a vitória ao Goiás. No momento do gol afirmei ser injusto o gol, mas vendo a reação dos jogadores e o andamento da partida, o Goiás mereceu. Hoje faltou vergonha, além de futebol. Alguém precisava assumir as responsabilidades, pois não se entrega o resultado sem lutar até o fim.

FERNANDÃO ÁVILA: Pãozinho com a manteiga pra baixo. O Impedimento do David deve ter sido de 2 cm, e melhoraria o que já era bom. O jogo foi a síntese da temporada. Boa posse de bola, mas dificuldade no último passe, chances criadas e desperdiçadas, falta de concentração defensiva, falta de fôlego para suportar o ímpeto final dos adversários e uma certa dose de depressão quando as coisas não andam. Está na hora do sal grosso, das promessas e de fechar a casinha, pois o que tem sido um parto para fazer, está sendo mole tomar.

WAGNER CPM: O jogo era nosso. Um gol anulado e tudo foi por água abaixo. Depois Michael deu um chute despretensioso e encontra o Ruschel na cara do gol. A sorte uma hora tem de virar. Não é possível que vai ser assim até o final. Lamentável. Nem tem mais o que dizer, só aguardar.

ZULOOBAS: Cruzeiro vinha bem, Robinho perdeu gol sem goleiro, Sassá e David t ambém tiveram chances. O gol do Goiás foi uma falha ridícula da defesa. Abel mexeu mal, mas os jogadores tiveram mais boa vontade com ele do que com Rogério Ceni, isso foi notório.

JOTA DIAS: O time celeste até que jogou o suficiente para ter um resultado melhor, mas como a fase não ajuda, tem gol anulado e toma um gol bobo. Vai ser difícil não cair.

MARCUS OLIVEIRA: Posse de bola, finalizações, oportunidades perdidas e gol do adversário! Roteiro comum neste ano e que alimenta a falsa percepção de bom jogo, resultado injusto e elenco qualificado. Hora de entender as limitações e fazer o simples: quem não leva gol, pontua!

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.