Inglaterra 1×0 Eslovênia: A conta do chá

Por SÍNDICO | Em 23 de junho de 2010

Às 11h (Brasília), no Estádio Nelson Mandela Bay, em Porto Elizabeth, a Eslovênia joga por um empate pra se classificar e mandar a Inglaterra pra casa.

E promete atuar num 4-4-2 clássico. Ou será que, na hora da onça beber água, Kek não vai botar seu 11 jogadores na defesa pra tirar os espaços da turma de Fabio Capello?

O treinador italiano da Inglaterra, vai num 4-3-3- ultraofensivo, posto que dois de seus volantes, Gerrard e Lampard, também atacam com vontade.

Difícil será acordar o centroavante Wayne Rooney, que tem se arrastado em campo.

Outro problema é torcer pra que o goalkeeper quarentão, James, não desafine debaixo dos três paus.

É jogo pra deixar Sua Majestade com os cabelos em pé e tamborilando nervosamente no braço do trono.

Isto se ela não estiver caçando veados em sua casa de campo pra não se amolar com a malemolência dos súditos boleiros.

No apito, estará o alemão Wolfgang Stark. Que, dizem, é adepto de pelo menos meia hora de açougue em cada partida.

*****

Reportagem do Globo.Com>

Inglaterra vai às oitavas e Eslovênia perde a vaga no apito final do juiz

Gol dos EUA no fim do jogo contra a Argélia classifica os americanos, manda os elovenos para casa e põe a Alemanha no caminho dos britânicos

o jogo escalações No gramado do Nelson Mandela Bay, em Porto Elizabeth, o árbitro alemão Wolfgang Stark apita o fim do jogo. A vitória da Inglaterra sobre a Eslovênia por 1 a 0, gol de Defoe, caía como uma luva para as duas seleções, que avançavam abraçadas para as oitavas de final. No exato momento em que o juiz apontava o centro do campo, o pé direito de um americano, a 940km dali, fez um estrago na festa. Em Pretória, Donovan marcou para os Estados Unidos aos 45 minutos do segundo tempo contra a Argélia. No apagar das luzes, ele colocou seu time na próxima fase como líder do grupo, mandou os eslovenos para casa e derrubou os britânicos para o segundo lugar do grupo, criando o primeiro clássico das oitavas: Inglaterra x Alemanha.

A notícia do gol em Pretória demorou a chegar a Porto Elizabeth. Quando chegou, pegou todo mundo festejando, de joelhos no gramado, com abraços e sorrisos por todos os lados. Foi aí que os britânicos ficaram sabendo vão enfrentar não o segundo, mas o primeiro colocado do grupo D: a Alemanha, que bateu Gana por 1 a 0 e terminou como líder de sua chave. A Eslovênia, que tinha o passaporte na mão até o último instante, deu fim à comemoração de forma abrupta e agora volta para casa na companhia dos argelinos. O outro confronto na próxima fase será entre Estados Unidos e Gana.

Defoe (19) bate o goleito Handanovic e balança a rede da Eslovênia no primeiro tempo (Foto: Getty Images)Apesar de ter descido um degrau na reta final, a Inglaterra festeja não apenas a vaga assegurada, mas também sua primeira boa atuação na África do Sul. O English Team superou o início nervoso e mostrou boa atuação do trio de craques formado por Rooney (que enfim desencantou), Gerrard e Lampard. A equipe de Fabio Capello superou a pressão eslovena nos últimos minutos e, como manda o seu figurino, mostrou garra do início ao fim.

Ao contrário do usual, a Inglaterra abandonou o calção branco do segundo uniforme e entrou toda de vermelho – segundo a imprensa inglesa, por causa de uma superstição. Nas duas únicas vezes que jogou assim em Copas, o time não perdeu: 0 a 0 com a Bulgária em 1962 (resultado que classificou o time às oitavas de final) e 3 a 1 sobre a Bélgica em 1970.

Com Defoe e Rooney na frente e sem Joe Cole – pedido de John Terry que acarretou em um fim de semana repleto de boatos – o English Team começou a partida um tanto nervoso. Tendo pela frente uma Eslovênia cheia de confiança e bem postada na defesa, o time de Fabio Capello não conseguia criar jogadas de ataque e ainda errava muitos passes.

O adversário, por sua vez, saía rápido no contra-ataque com Birsa, responsável pela primeira finalização da partida, aos sete minutos. O veterano David James, de 40 anos, segurou firme. Nas arquibancadas, porém, a Inglaterra dominava. Sem parar de cantar um instante sequer de cantar, a torcida da Terra da Rainha tentava incentivar a equipe e conseguia uma proeza para poucos na Copa do Mundo: abafar em alguns momentos as barulhentas vuvuzelas.

Torcida desperta a equipe

Sob os gritos de “England, England, England”, os comandados Capello arremataram pela primeira vez aos 15 em uma falta rasteira de Lampard, bem defendida pelo goleiro Handanovic. O lance acordou a Inglaterra, que criou mais duas oportunidades seguidas com Rooney. Na primeira, ele chutou com perigo. Na outra, desviou de cabeça um escanteio cobrado por Barry.

Empolgada, a seleção inglesa abriu o placar em uma jogada desenhada por dois reservas. Aos 23, o meia James Milner, que substituiu Aaron Lennon, fez cruzamento preciso pela direita para Defoe. O atacante do Tottenham se antecipou à zaga e chutou sem chances para Handanovic.

Três minutos depois, Lampard teve a chance de ampliar após rebote do arqueiro do Udinese, mas chutou por cima do gol vazio.

Tranquila no início do jogo, a Eslovênia acusou o golpe e viu a Inglaterra abusar de perder gols. Aos 29, em dois lances seguidos, Gerrard e Defoe só não ampliaram o marcador porque Handanovic fez duas sensacionais intervenções.

Ingleses mantêm o ritmo na etapa final

No segundo tempo, os britânicos voltaram com a mesma intensidade da etapa inicial. Antes do primeiro minuto, Defoe, após cobrança de escanteio, ficou muito próximo de anotar o seu segundo gol na partida. Aos quatro, após linda troca de passes entre Ashley Cole, Lampard e Rooney, o camisa 19 até balançou as redes. Mas o árbitro anulou o lance marcando – corretamente – impedimento na jogada.

O capitão Gerrard teve boa atuação na partida desta quarta-feira, em Porto Elizabeth (Foto: Getty Images)Soberana, a Inglaterra continuava construindo lances de emoção. Aos 11, o zagueiro Terry subiu mais alto que toda defesa adversária e testou em cima de Handanovic. Dois minutos depois, Rooney, que era ovacionado pela torcida pelo seu espírito de luta (para ele, não existe bola perdida), carimbou a trave eslovena.

Aos 22, a Eslovênia chegou com perigo pela primeira vez depois de muito tempo. Novakovic carimbou a zaga no primeiro lance. No rebote, Dedic chutou rente à trave de David James. A jogada, porém, mostrou a entrega da Inglaterra. Na tentativa desesperada de evitar o chute adversário, Terry mergulhou de cabeça na direção da bola. Nos últimos minutos, os eslovenos pressionaram, mas a zaga inglesa deu conta do recado e fez a torcida respirar aliviada.

Quando o ábitro alemão Wolfgang Stark apitou o fim do jogo, a Eslovênia não podia imaginar que, no mesmo momento, os EUA marcavam contra a Argélia em Pretória. Ajoelhados no campo, os ingleses festejavam a vaga, mas ainda não sabiam que cairiam para o segundo lugar do grupo. Para os eslovenos, a decepção foi ainda maior: a seleção está fora da Copa.

eslovênia 0 x 1 inglaterra Handanovic, Brecko, Cesar, Suler e Jokic; Kirm (Matavz), Koren, Radosavjevic e Birsa; Ljubijankic (Dedic) e Novakovic James, Johnson, Upson, Terry e A. Cole; Barry, Milner, Lampard e Gerrard; Rooney (J. Cole) e Defoe (Heskey) Técnico: Matjaz Kek Técnico: Fabio Capello Gol: Defoe, aos 23 do primeiro tempo. Cartões amarelos: Jokic, aos 40 do primeiro tempo; Johnson, aos 2, Birsa, aos 34 do segundo. Estádio: Nelson Mandela Bay (em Porto Elizabeth). Data: 23/6/2010. Horário: 11h. Árbitro: Wolfgang Stark (Alemanha). Assistentes: Jan-Hendrik Salver (Alemanha) e Mike Pickel (Alemanha)

19 comentários para “Inglaterra 1×0 Eslovênia: A conta do chá”

  1. Romarol disse:

    Até na Inglaterra tem malemolência? Pensei que fosse coisa só do Brasil, principalmente na Toca II.

  2. Elias disse:

    Seria uma boa ver o time de etiquetinhas da IESSEPEENE dançar…

  3. Rogério disse:

    Vou torcer para a Eslovenia.

  4. Você trabalha numa empresa, você não recebe seus vencimentos em dia, pede demissão, ela não faz seu acerto de término de contrato, você tem que ir a Justiça do Trabalho pra receber.
    Passa-se alguns anos esta empresa te chama pra trabalhar de novo para ela? Você aceita?

    • E o pior é que tem gente que aceita, mesmo tendo outras oportunidades de emprego.

      • simone b de castro disse:

        Marra, estava pensando a mesma coisa! Medo de ousar? Acomodação? Para mim, ambas!

      • Rogério disse:

        No futebol, nem sempre as coisas fazem sentido.

      • simone b de castro disse:

        Bom, na minha cabeça, seria bem melhor aceitar um desafio, ousar, depois de 12 anos num mesmo lugar. Trabalhar com um técnico top, de nível internacional, em uma praça maior, com mais mídia, com mais possibilidades, e com um salário excelenteee!

      • Rogério disse:

        Na minha também Simone, mas não conhecemos a história a fundo, pode ter certeza que o Maluf não está rasgando dinheiro.

  5. Agora só falta o Kalil contratar o Alvmar Perrela.

  6. Elias disse:

    O próximo deve ser o Tita. Ou o Benecy. Ou o Valdir…ou quem sabe o Raposão.
    O problema é que o time rosado não tem estrelas. Aliás, tem a encardida de 1971. Ainda faltam quatro…

  7. Mauro França disse:

    A Inglaterra começa a espantar a zebra.

  8. Frede disse:

    God salvou os realeza boys.