Escrete adjetivado e apodado

Por SÍNDICO | Em 30 de dezembro de 2009

Caro JS,

Alguns jogadores ficaram conhecidos por adjetivos que os eternizaram.

Outros por apelidos que remetem a alguma característica fisionômica ou comportamental marcante.

Montei um timaço só com esses codinomes amosos. Confiram:

  • Muralha, Canhão da Toca, Xerifão, Enciclopédia e Capacete; Rei de Roma e Canhotinha de Ouro; Anjo das Pernas Tortas, Fenômeno, Rei do Futebol e Bailarino da Toca

Traduzindo:

  • Dida, Nelinho, Moisés, Nílton Santos e Junior, Falcão e Gerson; Garrincha, Ronaldo, Pelé e Joãozinho.

Dizem que a muralha era o Manga, mas pra mim é o  Dida.

Meu banco também é de luxo:

  • Mestre Zelão, Príncipe, Marechal, Violino, Imperador, Fabuloso, Clássico, Bigode, Pavilhão, Santo Milagreiro, Diamente Negro, Galinho de Quintino e Eterno Capitão.

No popular:

  • Zé Carlos, Dirceu Lopes, Perfumo, Carlinhos, Adriano, Luizinho, Luís Fabiano, Cerezo, Aírton, Marcos, Leônidas da Silva, Zico e Piazza.

Ficou muito ofensivo com este 4-2-4 clássico, não é mesmo? Mas achei muito divertido convocar estes caras pro meu escrete.

Abraço,

Agnaldo Morato

63 comentários para “Escrete adjetivado e apodado”

  1. Claudinei Vilela disse:

    Alberto Rodrigues, mestre em batizar estes apelidos……

    Em tempo, Tostão passou ser nome própio?

    • Naldo disse:

      Tostão tambem era o Príncipe, já que o Pelé era o Rei.

      • Naldo disse:

        Eu não vi o Tostão jogar, mas o pouco que vi em vídeo me faz crer que foi um dos jogadores mais inteligente em campo. Gênio.

    • Alberto Rodrigues colocou apelidos em jogadores do Cruzeiro e quase nenhum deles consta da lista do Naldo.
      Tostão era “Mineirinho de Ouro”.
      Alguns apelidos são do domínio somente dos torcedores do próprio time, o que, na minha opinião, invalida alguns dos citados.
      Embora discorde, tá valendo…
      Agora, Canhotinha de Ouro, Rei, Fenômeno, Diamante Negro, Enciclopédia, Galinho de Quintino, Aranha Negra, Kaiser, Rei de Roma e outros, são substantivos-adjetivos conhecidos no Brasil inteiro e até fora do Brasil.
      E que não devemos confundir com os apodos dados a cada um deles como Tostão, Garrincha, Pepe, Didi (aliás Didi tinha um adjetivo que esqueci).

      • Naldo disse:

        Evandro a idéia era esta. O Bailrino da Toca eu ouvi muito tambem. O tema é justamente os nomes consagrados pelo público em geral.

  2. silverio candido disse:

    Faltou um: PEREBA do SÉCULO (T.HELENO)

    • Naldo disse:

      Silvério: Eu evitei colocar no time jogadores como, Mão de Quiabo, Cone, Poste, Perna-de-Pau e congêneres.

  3. Mauro França disse:

    Naldo, Moisés nesse timaço? Com Piazza no banco?

    • Naldo disse:

      França: O Piazza é titular em qualquer time, só que na minha linha de raciocínio foi o Moisés que mais encarnou o o apodo de Xerifão. Ele e o Moraes.

      • Moisés não chegou aos pés de Brito e Fontana.
        O narrador Januário de Oliveira, se não me engano, era o mestre em apelidos para estes jogadores. COmo tinha uma rede de TV nacional para falar dos jogadores, alguns do Rio tinham privilégios… COmo disse, discordo, enormemente, da relação do Naldo.

      • Naldo,
        Se os apodos eram tão famosos, porque você os “traduziu”???
        Se ficassem somente os apelidos poucos torcedores iriam associar muitos deles.

      • Naldo disse:

        Evandro: eu mandei para o JS para que entendesse o espírito da coisa e ele achou por bem publicar. Não vi problema não.

      • Naldo disse:

        E no time titular: talvez, o pessoal tivesse dúvidas nsa muralha e no xerifão. Os demais, matariam sem problema.

  4. Eduardo Arreguy Campos disse:

    Passando agora no sportv Cruzeiro x são paulo, final da copa brasil de 2000.

    • Paulo disse:

      Este vt passou ontem a noite. Eu vi o Geovane jogando e me lembrei do Bernardo. O Geovane foi queimado pelo Levir em 98 e 99. Com o Marco Aurélio ele jogou muita bola e nos deu o título da Copa do Brasil. O Bernardo foi queimado pelo Adilson, talvez com outro treinador ele conseguiria se firmar.

      • Eduardo Arreguy Campos disse:

        Geovane tinha alguns problemas, não engrenava. Foi emprestado ao américa mineiro, voltou e comeu a bola, jogando ao lado do Oséias. De repente é o que falta ao Bernardo.

      • Mario Lucio Vaz disse:

        O Bernardo foi queimado por ele mesmo.

      • Mario Lucio Vaz disse:

        Se é que ele queimou.

      • Naldo disse:

        Paulo: o Bernardo precisa se decidir se quer levar a sério a carreira ou não. Ele é um grande jogador, mas tá longe ser um Messi. Portanto tem que trabalhar e mostrar serviço.

      • Paulo disse:

        Eu não sei nada da vida particular do Bernardo. Mas, todo jogador jovem que não é ajudado pelo treinador acaba sendo rotulado como problemático. Isto aconteceu com o Geovani quando era treinado pelo Levir Culpi. Só os jovens fora de serie como Ronaldo conseguem fazer a transição com facilidade. Se o Dudu não conseguir se enquadrar no esquema do Adilson provavelmente também será rotulado como problemático.

      • Vinicius Cabral disse:

        Acredito que foi muito mais difícil para o Diego Renan se adaptar na direita do que o Bernardo fazer sua função no meio. Então qual é a diferença entre um e outro? Será que todo treinador tem que colocar o time jogando em função de uma promessa para não “queimá-lo”? Eu particularmente acho que não. Jogador tem que ser versátil e acima de tudo tem que querer jogar bola.

      • Paulo,
        Muito fácil e conveniente dizer que “não sabe da vida do jogador”, dizer que “o que o jogador faz fora dos gramados é problema dele” e deixar para o técnico administrar egos, superegos e altergos.
        Só queria que você fizesse a comparaçào daquilo que você sabe sobre TRÊS jogadores e seus técnicos. Se não quiser fazer, basta dizer que não quer, mas certamente você tem capacidade de fazer.
        Vamos lá… compare Joãozinho, Kerlon e Bernardo e o que fizeram cada um dos técnicos que teve a oportunidade de ajudá-los conforme SEU conceito. Se quiser colocar o Geovanni, esteja à vontade.

      • Vinicius Cabral disse:

        O ano nem começou e já temos bla bla bla de treinador queimar jogador mimado… Depois o Serelo reclama de mim… hehe

  5. Olivieri disse:

    Eu tiraria o Fênomeno e colocaria o Baixinho. Moisés só conheço um, que é aquele que passou pelo Cruzeiro há uns 3 anos atrás. E como esse era uma lástima, tiro esse Moisés escalado pelo Naldo (que eu não vi jogar) e coloco o Piazza, que não era beque mas arrebentou por ali na Copa de 1970.

  6. Marc3lo disse:

    Torcida pedindo raça nesse jogo, olha o que eu tenho que aguentar.

    • Olivieri disse:

      Ricardinho jogou um absurdo de bola nesse jogo. Um leão!

      • Celeste disse:

        Eu também acompanhei ontem esse VT. Emocionante. Comparando os elencos, 10 anos depois, os jogadores do tricolor fizeram mais história. Quando vejo o Paulo Baier, Pet, Yarlei e outros jogando bem eu pergunto: Será que o Fábio Júnior ainda poderia ser útil?
        Sobre os apelidos, o Vibrante, nos bons tempos, sempre nos brindou com alguns interessantes: Talento Azul, Mosquitinho Azul, Artilheiro Arretado e etc..

    • Mauro França disse:

      O que mostra que o hábito de cornetar é antigo. Esse negócio de pedir raça é a coisa mais sem noção do mundo. E sempre lembro que esse time foi vaiado nas quartas de final, depois de vencer o Atl-PR, e criticado por ter feito “apenas” 2×1.

      • Celeste disse:

        Mauro, tem torcedor que repete o que fala a imprensa. É a turma do radinho. Em 2003, na reta final do campeonato, cansei de escutar imprensa paulista falar que o Cruzeiro estava apenas seis pontos na frente do Santos.

    • Naldo disse:

      Pedir raça virou chavão.

  7. Mario Lucio Vaz disse:

    Mosquitinho Azul , o colecionador de títulos…

  8. Mario Lucio Vaz disse:

    OT: Agora querem o titular OBINA.

    E Zezé Perrella está em Búzius. Vai aproveitar para rezar para aparecer comprador. Ele quer vender um atacante. Kléber ou W. Paulista.

  9. Arthur disse:

    Bem, pros que gostam de “retranca”, M.AURÉLIO fzia uma ferrenha. Porém, após o 0x1 SP, a obrigação passou a ser nossa, 1 gol não bastava. Entendo agora por que MARCELINHO APRAIBA joga tatno (hoje) contra nós, jamais se perdoou os 2 gols que perdeu. Se o M.A. tirou 2 laterais e expos a nossa defesa ao ataque do SP, pior fez o L.CULPI: tirou os 2 atacantes, e povoou o meio de VOLANTES… O contra golpe rapidissomo de MILLER, colocou FÁBIO JR pra marcar. E uma bobeada no meio, o mosquitinho usa a enorme velocidade do GEOVANI (repare ele sai de 2 passos a trás e já estava 1 a frente quando é engravatado. Na batida, MILLER grita pro GEOVANI (chuta baixo!) Ele já tinha encomendado o empurrão na barreira!

    • Arthur disse:

      Jogo inesquecível! Incrível ver SORIN de fora, e M.PAULO de lateral direito. Se tiram hoje o D.RENAN e põe o ELI CARLOS na direita, será que não haveria o coro de BURRO??? Será que o nosso vibrante teria esculachado o MARCO AURÉLIO, como ele faz com o ADILSON??? A velocidade do REICARDINHO, do GEOVANI, do FÁBIO JR; destoa tatno com a dos mesmos jogadores em 2007…que pena, viu! Essa virada foisimplesemnte sensacional, inda mais que tinha cocota na área no Blevedere, fazendo festa peo tricolor, e dizendo qeu a gente ia fazer qeu nem eles na época do Heleno. Quando acabou o jogo, passei na padaria, e a figurinha tinha sumido, mas aluguei ele mesmo assim depois, ai veio com o papo “foi sorte…” Ganhamos e fim! deixei ele lá perdedor é asim mesmo! ABS/ART

      • Naldo disse:

        A sorte acompanha os vencedores.

      • Arthur disse:

        Ehehehe Naldo, sem dúvida! mas, tem que ter a RAÇA que a toricida pediu! A pegda de bola do FÁBIO JR, e colcoar no meio mostra a que veio o time: vamos ganhar! Me desculpe, mas não vi isso contra o ESTUDIIANTES, vi já “ganhou”… uma enorme diferença! Nossa atitude de vibrar “muito” com 1 só gol, se voltou contra nós… Aí, há de se perguntar, faltou “sorte” ao T.RIBEIRO? talvez a mesma do MARCELO PARAYBA… Meu amigo virtual, receba um feliz 2010 pra vc e todo seu pessoal. ABS/ART

      • Naldo disse:

        Arthur, fica a interrogação. Tívessemos nós perdido em La – Plata teríamos uma outra postura? Nunca saberemos.

      • Naldo,
        Nunca saberemos, mas aS experiênciaS passadaS me fazer crer que PREFIRO o time jogando para vencer e precisando vencer.
        Dois exemplos perfeitos.
        A Copa João Havelange, quando obtivemos um resultado hipoteticamente positivo, em São Januário, após a entrada do Alex Mineiro pensei comigo: “nossa esperança é o alex MIneiro. Estamos FUDIDOS.
        Quando empatamos contra o Santa Cruz pela CopaBr em 1997 e um empate 0 a 0 nos classificava no Mineirão deu no que deu.
        Sem falar em Union Espanhola e outros…
        Perdemos de 3 a 0 para a Portuguesa e o time foi outro. Perdemos de 7 para o Palmeiras e foi outra coisa.
        Perdemos de 2 para o River e campeonamos.
        SE NÃO EXISTE, mas as experiências estão aí

  10. Naldo disse:

    http://blogs.jovempan.uol.com.br/fernandosampaio/geral/cruzeiro-x-bayern-de-munique/
    Será este o maior Cruzeiro de todos os tempos. O de 1966 é páreo duro.

  11. Marc3lo disse:

    O time de 1966 é melhor que o de 1976.

    • Naldo disse:

      Até porque tinha o príncipe Tostão.

    • Independente da presença de Tostão, na minha opinIão, o time de 1966 tinha melhores valores individuais que o de 1976.
      Tivesse o time de 1966 a experiência do time de 1976 teria feito história no futebol mundial no final de década de 60 e início de 70.

  12. Victor disse:

    Vou tentar lembrar alguns:

    Bufalo Gil -> Gil (Flu)
    Furacão da Copa -> Jairzinho (Bota e Seleção)
    Peito de Aço -> Vavá (Vasco e Seleção)
    Príncipe Etíope -> Didi (Bota, Flu e Seleção)
    Gilda -> Heleno de Freitas (Bota)
    Divino -> Ademir da Guia (Bangu e Palmeiras)
    Pé de Anjo -> Marcelinho Carioca (Flamengo e Corinthians)

    • Victor disse:

      Coração Valente -> Washington (Atlético-PR, Flu e São Paulo)
      Casal 20 -> Assis e Washington (Atlético-PR e Flu)
      Bruxa -> Marinho Chagas (Bota e Flu)
      Animal -> Edmundo (Palmeiras e Vasco)
      Capetinha -> Edilson (Palmeiras e Corinthians)

      • Celso disse:

        Os jogadores que você citou jogaram por outros clubes tão importantes quanto os que você citou. Por exemplo, Edilson jogou no CRUZEIRO e foi campeão! Inclusive o Cruzeiro foi o último time dele, antes de ser campeão do mundo. Atualiza aê!

      • Victor disse:

        Se fosse colocar cada clube que cada jogador jogou, não teria espaço.
        Mas da listinha que eu me lembre no Cruzeiro, tem Edilson e Edmundo.
        A Wikipedia me ajudou a ver que Jairzinho jogou no Cruzeiro (e fez bastante gol)

      • Celso disse:

        Ok! Você lembrou dos times que lhe convém!

      • Victor,
        Precisar do Wikipedia para saber que Jairzinho jogou no Cruzeiro é O FIM DOS TEMPOS!

      • Celso disse:

        Desculpe-me, mas o nome blablagol é por causa da falta de informação?

      • Victor disse:

        Celso, você sabe meu background.
        Eu citei os times que me trazem à lembrança desses jogadores, mas deixei quem quisesse se aprofundar com a faca e o queijo na mão.
        Está lá, em cada nome, o link para alguma informação.

        Você considera isso falta de informação?

        ****
        A ideia por trás do blablagol é pensar e não informar. Ainda assim, prezamos pela boa informação para embasar o pensamento, tanto é que dei o devido valor a ela com os links 🙂
        Quem quiser que vá à fundo, ou complemente com informação, como aliás, você fez.

        ****
        Tem jogador na listinha que jogou no meu time, e eu não citei.

      • Hugo 5erel0 disse:

        O Victor listou os principais clubes dos atletas e onde tiveram passagens marcantes. Quer comparar os 6 meses do Edílson no Cruzeiro com sua relação com os times de SP, uai?

    • Pra mim, adjetivação é do tipo que fica “pregado” no nome ou ao falar o apelido, todos na mídia esportiva/futebolistica nacional sabem.
      Rei Pelé
      Fenômeno
      Canhotinha de Ouro
      Capitão, Capita, ou Capitão do Tri
      Garoto do Parque
      O Divino
      A Enciclopédia
      Galinho de Quintino
      Rei de Roma
      Doutor
      Canhão da Vila
      Diamante Negro
      Furacão
      Fio de Esperança
      Cambalhota
      Maravilha
      falo dos ORIGINAIS… apelidos esquisitos e réplicas mal acabadas tem aos montes!!!
      Agora é moda apodar o jogador com o nome da cidade ou estado ou gentílico… Recife, Paraná, Dracena, Batatais, Marabá, Carioca, Paulista, Mineiro, Maranhão, Cearense.
      é…. o futebol brasileiro mudou muito!

      • Naldo disse:

        Evandro: tive dúvidas em Garoto do Parque, Canhão da Vila, Fio de Esperança, Cambalhota e Maravilha. Seriam eles: Rivelino, Ailton Lira, Túlio… ?… os demais não lembro.

    • Victor disse:

      Dinamite -> Roberto (Vasco)
      Chevrolet -> Luis Pereira (Palmeiras)

  13. Vinicius Cabral disse:

    Off: Ano que vem podemos ter o Grêmio Prudentino disputando a série A do brasileirão.
    http://espnbrasil.terra.com.br/barueri/noticia/93962_BARUERI+DEVERA+SEGUIR+PARA+PRESIDENTE+PRUDENTE

  14. Marcelo P. disse:

    Totalmente off: Notícias de BsAs. Até agora, no placar frio, Cruzeiro 2×2 Atlético; no placar moral, 1000×0 pra nós. Explico: passeando pela cidade vi duas cocotas orgulhosas com suas camisas zebradas. Também vi duas pessoas com a camisa do Cruzeiro. Uma delas era um argentino. A outra, quando bati o olho disse: é brasileiro. Tinha cara de cearense, estava puxando um carrinho similar aqueles dos catadores de papel de BH… Chamei ele, e não é que o cara era argentino?! Conversei um pouco com ele, perguntei sobre a camisa e porque ele estava com ela, ele simplesmente me respondeu que admirava muito o Cruzeiro. É um grande time, ele me disse. Simples assim. Buenas ondas a toda a nação azul! La Copa 2010 és azul.

  15. Hugo 5erel0 disse:

    Juninho Seleção, Ruy Cabeção, Espinoza Panda, Reginaldo Cachorrão, Leandro Chinelinho; Daniel Tijolo, Beto Cachaça; Wando Mistura de Garrincha com Robinho, Soares Maravilha e Marques Pipoqueiro. Téc: El Loco Bielsa.