Edenílson Marra: “Vesti a 7 de 92 e o jogo virou”

Por SÍNDICO | Em 7 de setembro de 2010

Pitacos de protagonistas e blogueiros acerca do Palmeiras 2×3 Cruzeiro, no Pacaembu, São Paulo, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2010, em 05set10:

  1. Rafael Belattini, no blog do Juca Kfouri: O Pacaembu recebeu o duelo entre os dois ex-Palestras. O jogo teve dois tempos bastante distintos com o alviverde comemorando no primeiro e o celeste fazendo a festa no segundo. O Palmeiras começou brigando mais no ataque, mas foi o goleiro Marcos quem teve que fazer a primeira defesa difícil, aos 12 minutos, em cobrança de falta de Montillo. Tudo mudou aos 33, quando Fabrício foi puxado dentro da área por Wellington Paulista. O árbitro Héber Roberto Lopes marcou pênalti, que Kléber cobrou forte para marcar o primeiro gol do Palmeiras na tarde e seu centésimo na carreira. Aos 37, Fábio teve que se esticar para evitar um golaço no chute de longe de Edinho. Mas todo o trabalho só adiou o 2 a 0. Isso porque no minuto seguinte, na cobrança do escanteio originado pelo lance anterior, Maurício Ramos subiu de cabeça no primeiro pau para ampliar o placar. Para o segundo tempo, o técnico Cuca mandou o Cruzeiro para o ataque e mudou o jogo. O meia Roger entrou no lugar de Gil e Farías estreou substituindo Wellington Paulista. A tarde, até então, de felicidades para o palmeirense, começou a mudar pouco antes dos 10 minutos da etapa final. Primeiro porque o goleiro Marcos, que já havia reclamado de dor, chocou-se com Farías e teve que sair de campo com mais uma lesão, dessa vez no joelho esquerdo. O substituto Deola não entrou com muita sorte. Aos 14, Roger chutou de fora da área e Pierre desviou matando o goleiro. 2 a 1. Cinco minutos depois, Roger deu um belo passe para Montillo invadir a área em liberdade e empatar o jogo. Após o gol, Felipão colocou Tinga no lugar de Valdivia que se mostrava sem ritmo, sem condicionamento e longe de fazer valer todo o investimento e esforço para trazê-lo. A última substituição alviverde foi para por Éwerthon no lugar de Rivaldo. A tarde terminou com Cuca brilhando como o estrelado Cruzeiro. Porque aos 39 minutos, Roger tocou para Thiago Ribeiro que cruzou na medida para Farías, em posição legal, virar o placar. Cruzeiro 3 a 2.
  2. Marcelo Bechler, no blog do Lédio Carmona: Em 2003, Cuca assumiu o Goiás que vinha mal sob o comando de Candinho. Tentou mudar o time e, sem sucesso nos primeiros jogos, recebeu um telefonema: era Luís Felipe Scolari, seu treinador no Juventude e Grêmio. Felipão aconselhou o ex-meia: “sua primeira preocupação deve ser parar de perder. Coloque quatro zagueiros, quatro volantes. Empate. Depois veja o que dá para ser feito”. O que Luís Felipe tem tentado fazer é exatamente isso. Escala três zagueiros, cinco volantes e aposta ou em jogadas individuais de Kléber e Valdívia, ou em bolas paradas de Marcos Assunção. E foi assim que o Palestra Paulista saiu na frente. Começou pensando em não perder e isso passava por não deixar Montillo jogar. Missão cumprida com maestria por Pierre na etapa inicial. O primeiro gol saiu em pênalti infantil de Wellington Paulista que Kléber convertou. Três minutos depois, Maurício Ramos ampliou. Para mudar o jogo, Cuca sacou Gil para colocar Roger e tirar de Montillo o peso solitário da armação. Tirou Wellington Paulista – que não marca há cinco jogos – e promoveu Farias. O time de Scolari voltou ainda mais recuado, armando o bote, mas não assustava em nenhum contragolpe. A contusão de Marcos aos 10 minutos e o gol de Roger aos 14 fez o Palmeiras acusar o momento. Montillo se aproveitou e em assistência perfeita de Roger empatou cinco minutos depois. Roger ditava o ritmo e o Cruzeiro evitava faltas próximas à área. Neutralizou assim um Palmeiras que não possui a miníma inspiração. Em bola recuperada no campo de ataque, Thiago Ribeiro encontrou Farias para virar o jogo. Primeira vez no campeonato que o Cruzeiro marcou três gols. Quarta vitória fora de casa do terceiro melhor visitante do campeonato. Enquanto isso, o Palmeiras não acontece. Felipão tenta não perder. Pode ser pouco, mas é o que é possível no momento. O Cruzeiro pode mais. Pode vencer fora de casa e encurtar a diferença do líder para sete pontos. Ano passado, ao final do primeiro turno, o Flamengo tinha oito de desvantagem para o líder. Precisou fazer 38 pontos na segunda metade do campeonato para ser campeão. Se o Palestra mineiro quiser sonhar mais alto, a conta é essa.
  3. Marcos Guiotti, em seu blog: O Cruzeiro foi ao Pacaembu e depois de um primeiro tempo ruim, massacrou o Palmeiras nos 45 minutos finais. As alterações do técnico Cuca deram certo e o time jogou muito. Velocidade, toque de bola, jogadas individuais e uma vontade muito grande. Roger entrou muito bem. Se jogasse sempre assim… Farias mostrou que tem o faro do gol, Motillo joga muito. Jonathan estão voltando a jogar bem. O time cresce de produção em um momento importante do campeonato. Acho que o torcedor cruzeirense pode acreditar nesse time que vem sendo bem comandado pelo Cuca. O espírito vencedor está tomando conta do grupo.
  4. Mário Marra, em seu blog: O Cruzeiro sempre teve mais posse de bola, mas, no primeiro tempo, o time não sabia o que fazer com a bola. O Palmeiras marcava e forçava o erro. Felipão tem utilizado o mesmo sistema. Ele sabe que o time é limitado e joga para enfeiar a partida e talvez vencer. No primeiro tempo deu Palmeiras. O Cruzeiro errou no posicionamento defensivo e não teve organização no meio. Montillo esteve ilhado e os laterais não ajudavam tanto. Fabrício fez falta. Cuca sentiu o drama e foi decisivo. Não teve medo de sofrer uma goleada e abriu mão de um zagueiro. Roger em campo. Brilhante! Roger foi muito bem. Se ele jogar como jogou contra o Palmeiras, vai ter que ser titular. Montillo já não ficou ilhado, tinha alguém criativo a seu lado. Emocionalmente a saída de Marcos também pesou. Não que Deola tenha falhado, mas o Palmeiras não subia tanto e o Cruzeiro acreditava ainda mais. E Thiago Ribeiro facilitou o jogo. Fez uma bela jogada pela direita e cruzou. Na sobra da defesa, Roger bateu e contou com o desvio na defesa. Gol! O volume de jogo do Cruzeiro era maior e o Palmeiras parou de jogar. O segundo gol saiu mais uma boa participação de Roger, que lutou pela bola e achou Montillo em situação clara de definição. Montillo bateu cruzado e fez o gol de empate. Felipão fez Tinga entrar e depois Ewerthon – não adiantou nada. Roger e Thiago desequilibravam e o atacante achou Farías na cara de Deola. Era a virada! O Palmeiras acreditava ter achado o melhor esquema, mas encontrou um time que tem recursos. O Cruzeiro chegou a perder os três pontos e buscou a vitória de volta. Foi muito bem o técnico Cuca, que agora talvez tenha visto soluções. Farías é mais jogador que W. Paulista. Léo é mais zagueiro que seus companheiros e Roger faz Montillo crescer.
  5. Fábio, goleiro do Cruzeiro: Cuca foi muito feliz. Perdendo por 2×0, tínhamos que buscar pelo menos o empate. Com o empenho e as alterações, jogamos muito bem e conseguimos a vitória.
  6. Leo Simões, beque do Cruzeiro: No 1º tempo, eles conseguiram dois gols de bola parada. Na 2ª etapa, dominamos, criamos as melhores oportunidades, marcamos os gols e não demos espaço atrás para o Palmeiras. Basta ver que eles praticamente não chutaram ao gol do Fábio. Estávamos precisando de um resultado como esse.
  7. Edcarlos, beque do Cruzeiro: Entramos um pouco apáticos e felizmente conseguimos mudar a postura no 2º tempo. As mudanças do Cuca também decidiram, a entrada do Roger deu uma qualidade maior no meio-campo e conseguimos o resultado.
  8. Roger Galera, meia do Cruzeiro: Não teve sacudida. O Cuca é mais na conversa. Mudou o esquema tático, colocou um meia. Montillo estava sobrecarregado com a marcação individual. Com o segundo meia, eles se perderam na marcação. Deu para fazer um gol e participar dos outos dois. O que importa é que vencemos.
  9. Walter Montillo, meia do Cruzeiro: Foi importante conseguirmos a virada. Não fomos bem no 1º tempo, eles foram superiores. Mas no futebol nem tudo está dito e por sorte nós voltamos com outra mentalidade e convertemos as situações que criamos.
  10. Ernesto Farías, atacante do Cruzeiro: Estou contente. Por sorte ganhamos um jogo importante, para brigar pelo título. Creio que o Cruzeiro jogou um bom 2º tempo e temos que seguir com esse ritmo.
  11. Thiago Ribeiro, atacante do Cruzeiro: Esse 2º tempo foi o Cruzeiro que todo mundo gosta de ver. O placar de 3 a 2 ficou até barato para o Palmeiras. Poderíamos ter feito quatro, cinco gols. Agora, no último lance da partida, certamente faríamos mais um gol, mas o juiz encerrou a partida. Foi uma grande vitória.
  12. Cuca, treinador do Cruzeiro: As mexidas só são boas quando o jogador entra bem. Se ele entra mal, não tem mexida boa. O mérito é do Farías, do Roger, do Fabinho. Mas, principalmente pela mudança de atitude que o time teve no segundo tempo, que foi geral. Não é porque você tirou e colocou dois ou três que o time vai jogar bem. Mudou a atitude. A gente mudou o sistema, ajudamos no que pudemos, mas no geral o mérito é todo dos jogadores. A penalidade máxima é muito questionável. Segura daqui e de lá, empurra. Rigor, pressão e ali o jogo estava muito equilibrado.
  13. Maurício Ramos, beque do Palmeiras: Ninguém esperava tomar 3×2 dentro de casa. Não tivemos concentração total no 2º tempo e acabamos derrotados.
  14. Fabrício, defensor do Palmeiras: O Cruzeiro veio pra cima com tudo no 2º tempo. Foram erros gerais, a gente não conseguiu encaixar a marcação. O Cruzeiro voltou com dois meias e aí o Roger jogou.
  15. Ewerthon, atacante do Palmeiras: O Cuca abriu o time deles no 2º tempo. Colocou mais um atacante e um meia, o Roger, que é um jogador de muita qualidade. Agora temos que trabalhar mais para fazer muito melhor no 2º turno.
  16. Luiz Felipe Scolari, treinador do Palmeiras: O 1º tempo que fizemos foi 2º do Cruzeiro. Foi espetacular e mandou no jogo. Tivemos falhas no sistema defensivo. Foram momentos de desatenção, que o Cruzeiro aproveitou bem. Tivemos erros principalmente do meio para a defesa que oportunizaram os gols e eles tiveram qualidade Disse para os jogadores que nosso time é uma no cravo e outra na ferradura. Nunca temos uma situação para estabilizar a equipe. Agora vamos buscar soluções, mostrar onde teve erro e valorizar o que foi feito de bom para buscar vitórias no futuro, algo que nos deixe em um ponto do campeonato, menos na zona difícil de sair, que é na parte final É angustiante. Você tem de passar algo (aos jogadores) e não consegue. Chama um e explica. É uma série de detalhes que técnico quer participar e não consegue. Rebatemos uma bola que não era para ser rebatida. No segundo gol, dois jogadores têm a bola no alto, mas perdemos no meio. No terceiro tivemos a bola nos nossos pés, mas batia (em alguém do Cruzeiro) e eles fizeram a jogada. É sentir e depois analisar com o grupo. Técnico, naquele momento, não pode fazer mais nada, a não ser ficar angustiado. Não peço para a torcida ter paciência todos os dias até porque eu mesmo não tenho. A torcida tem de estar impaciente e sentida com os resultados. Por ter passado bons anos aqui, tenho sido respeitado mais que o normal e meu time também. Mas temos vergonha, ficamos chateados e sabemos que se a torcida vaia é porque estamos merecendo. Estamos tentando fazer o possível e o impossível para mudar isso, mas estamos também entendendo as vaias. Vamos ter de nos organizar. Temos de estudar neste segundo turno porque também temos a Sul-Americana. Pelo retrospecto e a inconstância do time, será difícil chegar entre os quatro primeiros.
  17. Edenílson Marra, no PHD: Vocês têm que me dar os parabéns, Quando terminou o 1º tempo, notei que não estava com minha camisa da sorte. Foi então que coloquei a 7 da Coca-Cola, aquela de 1992, e o jogo virou…
  18. Simone Castro, no PHD: Parabéns, Marra!!! Você foi o responsável por tudo isso! hehehe
  19. Eduardo Arreguy, no PHD: Se o time estava meio indefinido quanto ao que fazer no campeonato, o jogo de hoje serve de conclusão. A vitória foi de time que disputa o título. E vamos mostrando que, ao contrário do que pensávamos, o Cruzeiro tem elenco. Deve ter mais de 10 jogos que não conseguimos repetir o mesmo time, principalmente na zaga, mas mesmo assim o time vem se saindo bem.
  20. Marco Soalheiro, no PHD: O Cruzeiro tem elenco agora, com as 12 contratações pós Adilson. Antes não tinha.

Pesquisa: Romarol

84 comentários para “Edenílson Marra: “Vesti a 7 de 92 e o jogo virou””

  1. Jorge Santana disse:

    Isso é que é cartear marra, o resto é bobagem. Edenílson é o cara!

  2. Jorge Santana disse:

    Edenílson, o Marrentinho d’après Bussunda.

  3. Matheus Reis disse:

    Não sabia dessa… Obrigado, Edenílson! Espero que a 7 – coincidentemente a camisa do Paraná – esteja pronta pra amanhã.

  4. Algumas conclusões são lapidares…
    “…E vamos mostrando que, ao contrário do que pensávamos, o Cruzeiro tem elenco…”
    Quem pensava que não tinha elenco, baseava-se no elenco que existia. QUantas contratações foram feitas? quantas dispensas foram feitas? COncluir que tinha elenco, AGORA, depois de quase uma dúzia de contratações é forçar demais a barra ou menosprezar a inteligência mínima alheia.

  5. Daniel Carvalho - Porto Alegre disse:

    Vitória é que dá confiança, ainda mais da forma com foi – de virada. Estamos conseguindo resultados em cima dos grandes, agora temos de qualquer fazer os pontos em cima dos ditos times mais fracos(se é que tem time fraco). Amanhã contra o colorado, mais uma oportunidade para firmarmos e confirmarmos a fase ascendente do time. Que venha o Campeão de Tudo e mais um pouco.

  6. Eduardo disse:

    Cruzeiro tem elenco. Já pode se dar ao luxo de ter um zagueiro no banco de reservas – coisa que muitas vezes o AB não pode ter – ou até mesmo trocar o lateral esquerdo por outro lateral esquerdo. Resta saber se esse elenco é bom o suficiente pra fazer mais 42 pontos e ser campeão brasileiro; ou 30 pra ir pra libertadores.

    • Sobrinho disse:

      30 pontos é quase certeza. Agora os 42 são outros 500. Com relação ao elenco, hoje no meio temos 6 titulares para 4 vagas (Fabricio, Henrique, MParana, Roger, Montillo, Gilberto), acho que nenhum time tem essa qualidade no meio. Qual o meio ideal?

      • Eduardo disse:

        Pra mim: F5, Henrique VIII, MP e Montillo. Gilberto seria minha primeira opção em um esquema com dois meias.

      • Matheus Reis disse:

        Há jogos e jogos, Sobrinho. Acho que o Cuca precisa ter a sabedoria em armar o time da melhor forma de acordo com o adversário. Vai ter jogo pra todo mundo jogar. De cara, meu meio seria com o trio de volância e Montillo.

        Quando todos estiverem à disposição, a história será outra. E pode até ser que fechemos o campeonato com poucas rodadas em que todos estarão à disposição. Contusões e suspensões acontecem.

      • Sobrinho disse:

        Eu acho que eu iria de Gilberto e Montillo no meio. Agora não sei qual dos volantes eu tiraria não.

      • Eduardo disse:

        Com esses dois meias eu tiraria o MP. Henrique, que tem mais força, ficaria encarregado do trabalho pesado. Fabrício e os dois laterais se alternariam no apoio ao ataque.

      • Mauro França disse:

        Meu meio de campo ideal seria o mesmo seu, mas se fosse pra colocar mais um meia eu tiraria o Fabricio ou o Henrique.

      • Vinicius Cabral disse:

        O meu também seria Henrique, Paraná, Fabrício e Montillo. O Roger larga na frente do Gilberto como opção, pelo que tem feito quando entra. Se bem que o Gilberto deixou o time por contusão e, segundo os critérios do próprio Roger, ele teria que recuperar a posição dele… hehe

      • walfrido disse:

        Põe Henrique, F5 e MP + Montillo, e mete o Gilberto na lateral esquerda. Mas pra isso tem que esperar o Gilberto estar na ponta dos cascos de novo, se não vai expô-lo demais.

      • Dylan disse:

        com qualquer dois dos tres volantes o Cruzeiro tá bem servido. Nennhum deles tem capacidade pra mudar a história de um jogo como já ficou amplamente demonstrado, mas sao eficientes, eficazes e sabem chegar na frente. Quando o Roger estiver 100% acho que o Cuca vai investir no perfeito entedimento que ele mostrou ter com o Montillo. Com dois meias criativos e um bloco de proteção atras, o Cruzeiro vai virar serio candidato ao titulo.

      • Vinicius Cabral disse:

        Quer que eu coloque novamente aquela pancada de links com assistências e gols dos volantes? Eu até acho que o Roger está muito bem, mas quando joga uma partida inteira ele se poupa muito. Não tem condições físicas para aguentar um jogo inteiro. Acredito que o Gilberto também não terá.

      • Sobrinho disse:

        Vinicius, mexe com isso não. A moda agora é pegar texto do Tostão para desconstruir o discurso do Dylan.

      • Eduardo disse:

        Quando o Roger estará 100%?

      • Naldo disse:

        Eu ainda prefiro o Gilberto, ele é mais regular que o Roger e é capaz de decidir uma partida.

      • Naldo disse:

        De qualquer forma, briga boa.

      • Eduardo disse:

        O corintians tb tem um meio campo muito forte.

      • Sobrinho disse:

        Jucilei, Ralf, Elias, Bruno Cesar, Danilo e Defederico? É forte, mas nem se compara.

      • Eduardo disse:

        É um meio campo forte e com o faro de gol do Elias e do Tevez Sertanejo. Mas, quando se enfrentaram deu Cruzeiro.

      • Dylan disse:

        Cabral, o dia que um dos volantes fizer o que o Roger fez domingo eu vou ser o primeiro a defender a escalação dos tres.

      • Sobrinho disse:

        Quem lê isso acha que o Roger fez algo sobrenatual domingo.

      • Jorge Santana disse:

        Se um volante do Cruzeiro jogasse bem a cada 20 partidas que nem o Roger já estaria ardendo na laje do inferno.

      • Vinicius Cabral disse:

        O dia em que um dos volantes fizer o que o Roger fez no domingo, ou você estará enfiado em um congresso ou não terá visto o jogo por algum motivo. Será assim. Como sempre foi. Ps: Roger é o melhor jogador do futebol brasileiro dos últimos 10 anos.

      • Dylan disse:

        o problema é que o Roger é um jogador diferenciado e a cobrança sobre ele sempre será maior. MP, Henrique e Fabricio são bons jogadores, mas comuns portanto qualquer coisa que façma ganha uma dimensão muito maior do que a realidade.

  7. Matheus Reis disse:

    E gostei da fala do Ribeiro, me pareceu coisa de quem tá doido pra cepar – a palavra da moda – uma goleada em alguém.

  8. Matheus Reis disse:

    OT: Será que a rádia vai repercutir a declaração do Kalil “liberando” o sarrafo nos jogadores? http://bit.ly/afw4Ov

    • Eduardo disse:

      Segundo o Guiotti ele disse isso “enquanto torcedor”.

    • simone b de castro disse:

      Esse cara tem problema, tô avisando…”pode virar a mesa, chamar a polícia”…”Tomar um cacete na madrugada não faz mal nenhum”…E o luxilique, onde fica nisso tudo? Declaração infeliz, como tudo o que sai da boca desse $#@*&^%$#*, além de um tremendo tiro no pé.

    • Vinicius Cabral disse:

      Eu acho bom esse tipo de declaração, porque não ajuda o time. Só deixa o jogador com raiva.

      • walfrido disse:

        Eu queria ver se fosse no CEC, já imagino as perguntas do escroto do Arthur Morais pros jogadores: “O que vc achou da declaração do ZZP de deixar o c.a.c.e.t.e comer em quem estiver na night?” E tome lenha na fogueira. Mas como é do lado dos queridinhos da Radio Cancer de Minas vai passar como mais uma declaração engraçada, no máximo polêmica, da Rainha de Vespasiano.

      • Cuné disse:

        É isso mesmo Walfrido, e o Kalil sempre morre pela boca, é um pobre coitado. Já vi o pessoal da definhante dizendo que não terá como fazer filho torcer pra cocota, outro falando que estão no caminho do Mequinha, ou seja, dá pra rir muito!!!!
        Agora, que jogo foi aquele meu Deus, é esse tipo de atitude que queremos. Vamos pra cima do Inter e pegar nosso lugar no G4 na quarta feira mesmo.

      • walfrido disse:

        Sem contar que essa noticia já está sendo repercutida em todos os sites do país e nada no Supercocotas ainda. Será que vão fingir que o Kanil não falou nada?

  9. Eduardo Arreguy Campos disse:

    Vai começar.

  10. Naldo disse:

    “Farías é mais jogador que W. Paulista. Léo é mais zagueiro que seus companheiros e Roger faz Montillo crescer.” Mário Marra. Completando: o Marquinhos Paraná joga fácil na meiuca defensiva e dificulta a vida dos adversários.

  11. Naldo disse:

    Parabens Marra! Continue nesta toada.

  12. Naldo disse:

    “Jamais direi que perdi o melhor jogo do Cruzeiro em 2010 pois tenho certeza que o melhor será o próximo.”

  13. Naldo disse:

    Temos elenco, méritos da diretoria. Trouxe, zagueiros, meias, lateral e atacantes. E jogadores de qualidade que fortaleceram de verdade o elenco.

  14. Naldo disse:

    Lembram daquele atacante uruguaio que jogava no Náutico, ( esqueci o nome ), que preferiu o Corinthians ao Cruzeiro? Ele esta atualmente, no Brasiliense. Nem sabia, mas o vi em uma matéria hoje no GE.

  15. Bruno Pontes disse:

    Acho que o maior mérito do Cuca até agora foi não ter sido cabeça dura. Olhando as escalações desde que ele chegou fica claro que o treinador está testando todos os jogadores, e formando seu time baseado em desempenho, e não em nome. Exemplos claros são as situações de Everton e Paraná, um contratado pra ser titular e o outro que foi pro banco com a chegada do Cuca, agora em situações inversas. Bom também é que o Cuca está tendo muito mais tranquilidade que o seu antecessor para poder fazer os testes no elenco.

  16. Eduardo Arreguy Campos disse:

    Acho que começou.

  17. claudio(xina)lemos disse:

    Brasil x Argentina. Jogaço de basquete pelas oitavas de final do Mundial. Imperdível.

  18. Jorge Santana disse:

    Essa canalhice do kartola já foi repercutida no domingo pelo merchan. Edmundo Animal perguntou se valia tb pra cartola incompetente.

  19. Fabrício disse:

    JS, esta declaração infeliz já foi repercutida nos blogs do Marra, Lédio Carmona, Cosme Rímoli etc. No Superesportes? Entrou na primeira página nos últimos 20 minutos. Olha o título: “Kalil se diz favorável à patrulha da torcida sobre jogadores”. Imagina se fosse uma declaração do ZZP?

    • walfrido disse:

      É o que escrevi lá em cima. 2 pesos e 2 medidas já admitido pela imprensinha mixuruca (isso pode ser questionável) e tendenciosa (isso não se questiona mais).

  20. Raf Lima disse:

    OT: Grande jogo de basketball, entre brasileiros e hermanos. Fim de 1ºQ, 25 a 25..

  21. Walterson disse:

    Onde que o Guiotti viu que “o Johnatan estão voltando a jogar bem”? Não deve ter visto o jogo e escreveu de oreiada.

  22. Jorge…meu nome não tem acento.

  23. Pessoal, prá quem não entendeu foi apenas uma brincadeira que fiz após o jogo.