É guerra!

Por SÍNDICO | Em 3 de janeiro de 2014

Deu no Ex-blog do economista e político CÉSAR MAIA:

  • Guerra civil na Síria e no Brasil: 2013 foi o ano mais sangrento na guerra civil da Síria. Mais de 73 mil pessoas, 22 mil delas civis, morreram no ano. (G1, 01jan13). Dados divulgados esta semana mostram que os homicídios aumentaram no país. Só no passado mais de 50 mil pessoas foram assassinadas no Brasil. É o maior número registrado em cinco anos. (G1, 04jan13).

O SÍNDICO do PHD registra: O futebol contribuiu com algumas mortes em 2013, mas promete mais ação em 2014.

21 comentários para “É guerra!”

  1. É bom lembrar que o menino boliviano não entra na contabilidade brasileira.

  2. 2013 foi ano de ensaio pra Máfia e pra Pavilhão. Tomara que a PM não permita que elas ponham o bloco na rua em 2014.

  3. PHD pergunta: Cadê os 50 presos na brigalhada de 19nov13? Foram indiciados? Serão julgados? O que a imprensa bezontina tem a nos dizer?

  4. Polaco disse:

    Gostaria também de ver uma estatística de quantas morrem esperando atendimento ou vagas no SUSto.

  5. Pedrosa disse:

    As estatísticas mostram mais de 90% de não esclarecimento desses homicídios. Portanto, é pouco provável que o cenário se altere.

  6. Francys disse:

    Dos 50 mil, quantos são negros, pobres e envolvidos com venda de drogas? No chute, 45 mil atendem a no mínimo a um dos critérios. É pobre matando pobre, nas periferias. Por isso, “dão de ombros”, mesmo cheirando um pó e queimando uma erva, com gosto de sangue.

  7. sérgio Luiz disse:

    Com esses números ainda dá pra dizer que o Brasil é um país pacífico?

  8. Walterson disse:

    Eu diria que o César Maia tem alguma coisa a ver com o que ocorre por aí; afinal, metade destes assassinatos são na cidade dele.

  9. Francys disse:

    Em Minas, manipulam estatísticas de criminalidade. JJJeniais.

  10. wallacewfs disse:

    Números são, são simplesmente números. A Síria tem 1/5 da população do Brasil, então proporcionalmente… mas cada um usa os números da maneira que lhe convém.

  11. Polaco disse:

    Bolsa família sem contrapartida da população está criando uma geração de inúteis, e essas pessoas, que não tem educação nem perspectivas, que não tem esperança..são presas fáceis para o mundo do crime.

  12. Em dia de calor escaldante, com a sensação térmica de 50º, as praias da Zona Sul do Rio voltaram a ter confusão e assaltos. Pelo menos quatro adolescentes foram detidos por guardas municipais por roubar banhistas na praia do Arpoador e levados à 14ª DP, no Leblon. Outros quatro adolescentes foram detidos por roubarem um turista americano e levados para a Delegacia Especial de Atendimento ao Turista (DEAT), mas apenas dois foram reconhecidos pela vítima. Os roubos em sequência na areia, ou arrastões, começaram em novembro, com uma grande correria no feriado da Proclamação da República. Governo do Estado e prefeitura reagiram aos crimes com a promessa de reforçar o policiamento, pelo menos nos fins de semana, nas praias da cidade. Duas forças de elite foram escaladas para patrulhar a orla. Homens do Batalhão de Choque da PM (BPChoque) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), da Polícia Civil, passaram a circular pelo calçadão e pela faixa de areia entre o Leme e o Leblon. Também foi anunciada pela Polícia Civil uma “delegacia móvel” na orla, para acelerar o registro de crimes e a identificação de suspeitos. (Site da Veja, 03jan14)

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.