Dunga pediu desculpas ao distinto público

Por SÍNDICO | Em 25 de junho de 2010

Dunga agiu bem ao pedir desculpas à torcida pelo destempero verbal contra Alex Escobar ao final do Brasil 3×1 Costa do Marfim.

Se ele não gosta do repórter ou da rede de televisão, deveria ter resolvido pessoalmente suas desavenças sem recorrer a palavrões em meio a uma entrevista.

A Globo, goste-se ou não e de seus profissionais, está certa ao tentar entrevistas exclusivas.

O que se espera do jornalista é que corra atrás da notícia, não que aceite os comunicados oficiais das autoridades como fonte.

Ontem, o Olé publicou foto de um aparente desentendimento entre Luisão e Júlio César. Se o ambiente na Seleção fosse de liberdade, os atletas seriam abordados por repórteres, em algum horário livre, pra se explicarem.

Mas como vivem em regime de reclusão absoluta, quem fala por eles é o assessor de imprensa da CBF e o treinador. E o torcedor fica desinformado.

Muitos brasileiros, adeptos de regimes autoritários, de empastelamento de jornais e de cassação de concessões de rádios e televisões, aprovam o jornalismo oficial e se aproveitam da situação para criticar a imprensa livre.

Nessas questões, fico com João Saldanha que, embora fosse comunista, tinha cérebro e defendia, ao menos no ambiente da ditadura militar, a busca de informações.

Pra ele, “a imprensa ou é de oposição ou é balcão de armazém de secos e molhados”.

E sobre essa concentração total, essa reclusão imposta aos jogadores, ele repetia à exaustão: “se concentração ganhasse jogo, o time da penitenciária seria imbatível”.

Se é pra resolver pendengas com palavrões, Dunga deveria poupar bilhões de telespectadores que acompanham suas coletivas.

Se é pra conquistar a Copa, ele deve treinar o time e confiar no discernimento dos atletas, que deveriam ter folgas após as partidas. Com direito, inclusive, de conversar com jornalistas. Como cidadãos livres.

Caso contrário, eles deixarão a África do Sul sem terem participado de verdade do evento, posto que só lhes restarão lembranças de hotéis, ônibus e estádios.

Sobre a festa dos povos nas ruas, só ficarão sabendo se ligarem a TV. Se é que isto também não está proibido na concentração total.

Dunga fez bem bem ao revelar, na coletiva do mea culpa, a matriz de seu patriotism e a dor que sente pelos problemas de saúde do pai. E foi humano ao expressar sua solidariedade ao povo nordestino, que enfrenta o flagelo de inundações.

Mas fez melhor ainda ao se desculpar com o público. Errou, pediu desculpas e bola pra frente. Não leva o Troféu Domenech, o maluco treinador francês que não entendeu o espírito desportivo da competição.

Agora, falta Dunga abrir algumas janelas para o contato entre atletas e público. Como as demais seleções fazem.

N.B.: Se Dunga quer mesmo “boxear” com jornalistas, que venha treinar o Cruzeiro. Aqui, só tem peso pesado. Em Minas, Alex Escobar seria peso mosca.

37 comentários para “Dunga pediu desculpas ao distinto público”

  1. Mauro França disse:

    Irretocável!

    • Jorge Santana disse:

      Oba, 1×0 pro Síndico! Mas suspeito que o placar final será 20×5 contra ele.

      • Mauro França disse:

        Com as diatribes de sempre contra a Globo…

      • Danilo_VIX disse:

        Como pode perder por esse placar se você bateu e afagou com a mesma mão? Só se for por conta do comentário sobre a imprensa livre….

      • Jorge Santana disse:

        Critiquei o Dunga logo após a entrevista. Ele estava na coletiva pra falar com o mundo, não pra sair no tapa com um jornalista. Critico tb essa coisa de concentração total. E estou elogiando a titude do treinador de pedir desculpas ao público pela baixaria. Complicado demais? Sobre o placar, vc está certo. Quem defende televisões governamentais e censura à imprensa, não vai mesmo gostar.

      • Danilo_VIX disse:

        Viu? Até o seu maior crítico se juntou à você na causa…. E olha que o assunto é liberdade de imprensa!!! Estou pasmo!

      • Jorge Santana disse:

        É um prazer ser criticado por quem apóia regimes autoritários.

  2. Dylan disse:

    na verdade,e ssa é uma briga em que não dá pra simpatizar com nenhum dos dois lados. O que a globo fazia anteriormente nada tinha a ver com jornalismo. Simplesmente usava a imagem dos jogadores pra alavancar a audiência dos seus programas com trololó ufanista. E não conseguia isso por meios jornalisticos mas jogando o peso do seu nome e da sua influencia. Jornalismo ela teria que fazer nesse atual regime, de apuração, de consulta as fontes, de buscar informação de bastidores. A opinião pública se posicionou majoritariamente a favor do Dunga nesse imbroglio,mas ele também só merece elogios por ter cortados os privilégios da Globo. No mais,se coloca de forma autoritária e intolerante as criticas, levando esse negócio de grupo fechado e reclusão a um extremo quase b.izarro.

  3. Dylan disse:

    na verdade, essa é uma b.riga em que não dá pra simpatizar com nenhum dos dois lados. O que a globo fazia anteriormente nada tinha a ver com jornalismo. Simplesmente usava a imagem dos jogadores pra alavancar a audiência dos seus programas com trololó ufanista. E não conseguia isso por meios jornalisticos mas jogando o peso do seu nome e da sua influencia. Jornalismo ela teria que fazer nesse atual regime, de apuração, de consulta as fontes, de buscar informação de bastidores. A opinião pública se posicionou majoritariamente a favor do Dunga nesse imbroglio,mas ele também só merece elogios por ter cortados os privilégios da G.lobo. No mais,se coloca de forma autoritária e intolerante as criticas, levando esse negócio de grupo fechado e reclusão a um extremo quase b.i.zarro.

  4. Ernesto Araujo disse:

    Depois de lerem o Jorge Santanta aqui, leiam a crônica do Tostão sobre o assunto no Superesportes.

  5. Elias disse:

    Eu entendi a situação do Dunga, mesmo sem saber de detalhes. Não sabia de seus problemas familiares nem tampouco do problema com Da. Fátima Bernardes. Que só reforçou o que pensei sobre o episódio. O Dunga ganhou mais pontos comigo, ao pedir perdão AOS TELESPECTADORES. Nada citou sobre pedir perdão ao jornalista. Ou seja, muito extintor prá pouco fogo…

    • Jorge Santana disse:

      Muita gente só compra o pacote fechado. Ou o cara é Deus ou é Diabo. Eu penso que cada atitude deve ser analisada de per si. O mesmo cidadão pode cometer erros brutais ou acertar espetacularmente. Agora, a liberdade de imprensa tem de ser preservada. Querer demonizar a mídia por ter patrocinadores é coisa de quem a quer atrelada a governos, que é o pior dos mundos.

  6. Jorge Santana disse:

    “Dunga, mesmo sem nunca ter sido treinador de clubes, é um precoce e excepcional técnico.” (Tostão) Vamos aguarrrdarrrr. Se o Brasil campeonar, Tostão estará certo. Caso contrário, Dunga será chamado de burro. Vencendo até Marco Aurélio, Maradona e Pinheiro fazem história.

    • simone b de castro disse:

      E o que falarão do Tostão?

    • mariana disse:

      JS, sem querer ser chata ou parecer que estou te patrulhando. Fui lá conferir a coluna do Tostão, e vc esqueceu de colocar uma parte da frase, que muda o sentido da mesma:” Isso não significa que Dunga, mesmo sem nunca ter sido treinador de clubes, é um precoce e excepcional técnico.”

  7. Amácio Gattuno disse:

    Comparar a forma de trabalho do treinador com regimes ditatoriais é um exagero. Dizem que a virtude é o equilíbrio, o caminho do meio. Mas não acho prudente confiar no discernimento de alguns atletas da seleção. Em 2006, criticaram o excesso de “alegria” na Alemanha. Hoje, detonam a disciplina, a seriedade e o compromisso. Torcer pelo sucesso da seleção brasileira de futebol não deveria dividir uma nação. Acho tudo isso uma grandíssima chatice.

    • Jorge Santana disse:

      Eu não detono coisa alguma. Critico a falta de liberdade de informação e de locomoção.

      • Amácio Gattuno disse:

        Não me referi a você, blogueiro. Me desculpe se não me fiz entender corretamente. A poucos minutos escutei o Galvão elogiando o treinador. Bandeira branca. Aplausos.

      • Elias disse:

        Pois é….tempestade em copo d´água. Temos coisas muito mais importantes prá polemizar,,,

  8. Celeste disse:

    O que a Globo fez com a seleção nas copas anteriores nunca foi jornalismo.
    Se o Dunga desse liberdade para a TV trabalhar mais direto com o grupo poderíamos ter: Kaká logo de manhã no Sagrado, Júlio César no programa da Ana Maria preparando uma massa, o Ramires no Jornal Hoje falando de corrida, a Fátima mostrando o dia a dia do craque na concentração e o Galvão no Jornal da Globo fazendo um bate bola com o jogador e seu paizão. A Globo presta um desserviço ao futebol brasileiro e gostaria que os dirigentes tivessem a mesma coragem do Dunga e encará-la.

    • Jorge Santana disse:

      Qual é a receita de jornalismo, Celeste? E se vc e eu poderíamos, como cidadãos livres, participar de todos estes programas, por que os jogadores não podem? Por que têm de ser tutelados? Pior, enclasurados. Jogador se expõe porque quer. Nenhum é criança. E quem desaprova a Globo tem opções. O que não pode é prender jogadores e impedir o trabalho da impreensa.

      • Celeste disse:

        Jorge é óbvio que também discordo da maneira de agir do Dunga no que tange ao trabalho da imprensa e a prisão dos jogadores. Só que sou contra o privilégio Global. Sem essa de exclusivas. Toda a imprensa tem direito de trabalhar. Quando acabou o jogo de domingo passado, a Globo colocou o Faustão no ar e a Bandeirantes ficou mostrando as entrevistas dos jogadores na saída do vestiário. Ou seja ela não abre mão de sua grade e depois quer as exclusivas.

  9. Jorge Santana disse:

    Tem mais: se aprisionar jogadores desse resultado, a Coréia Comunista seria pentacampeã mundial.

    • Amácio Gattuno disse:

      De qualquer forma, acho melhor pecar pelo excesso do que pela omissão.

  10. Arthur disse:

    JS datavegna não concordo! explico, não se cer.ceia a LIBER.DADE DE IMPRENSA, vendendo informação ou criando-se liber.dade de um só. A liber.dade de imprensa existe, quando TODOS podem participar. Isso se chama demo.cracia. E quando vc cria uma EXCEÇÃO, vc cria um est.ado que viola o direi.to igual, para um favor.ecimento PARTI.CULAR. Se isso é feito pelo ($$$) vulgo “dita.dura” de direi.ta ou se é feito por ar.mas, vulgo “dita.dura” de esq.uerda, não mudou o fato básico: é DITA.DURA, do mesmo jeito. Todos os reporteres tem direito as mesmas informações e fatos, sair fora disso para beneficair quem quer que seja, é APE.NAS tão somente reconhecer privil.égios (a força que destrói coisas belas…)

  11. Leo Vidigal disse:

    Dunga agiu com o discernimento que faltou a ele na coletiva. Tomara que tenha aprendido a lição. E qualquer governo deve ter o direito de apresentar a sua versão dos fatos. Não pode é impedir ou regular o que faz a imprensa. Isso é papel do Judiciário e talvez de uma agência reguladora. No mais, a TV comercial e a TV pública deveriam conviver sem problemas, em um modelo como o da BBC inglesa, onde a TV pública é independente do governo. O problema é que tentaram impedir que houvesse uma TV pública e o bombardeio foi tão grande que essa TV, que deveria ser uma alternativa às comerciais, realmente se acomodou na mediocridade e dispensou as pessoas criativas, para não ferir suscetibilidades em um ano eleitoral. Enfim, conseguiram o objetivo de deixar tudo como antes no quartel de Abrantes.

    • Jorge Santana disse:

      não confunda tv pública com tv governamental ou tv da companheirada. e é inadmissível cassar licenças por delitios de opinião e empastelar jornais como fazem os ditadores latinoamericanos. que, por sinal, foram conmenados pela internacional socialista.

      • Jorge Santana disse:

        e os governos cucarachas têm acesso privilegiado aos canais de comunicação, seja por cadeias de tv obrigatórias, seja pela força da grana de suas empresas estatais. e esta coisa de agência reguladora da opinião alheia é mais uma idéia fascista. das muitas defendidas pelos pelegos tabajaras.

    • Leo Vidigal disse:

      Jorge, você tem a sua opinião e eu tenho a minha, peço apenas que não coloque palavras na minha tecla. Também acho anadmissível a cassação de direitos etc, sem que haja condenação na Justiça. Essa questão da agência reguladora é complicada e pede um debate mais profundo e informado, que não tenho condições de fazer agora. Mas você bem sabe que a maioria das concessões de rádio e TV estão nas mãos de políticos ou naranjas, então uma agência reguladora, desde que igualmente independente, pode ser algo saudável. E o que penso é que ter uma TV pública independente é uma condição para a democracia, mas nem isso querem deixar.

      • Jorge Santana disse:

        TV pública sempre existiu no Brasil. TV governamental é o que a pelegada quer arrumar agora pra descolar boquinhas. Filme antigo. Em repare bem, quem defende governos que casssam licenças de TV e empastelam jornais são os mesmos que defendem a tv governamental brasileira. Seria mera coincidência? Posto isto, tranquilize-se, não quero mudar sua opinião, mas apenas estabelecer diferenças de pontos de vista quanto à liberdade de opinião e de imprensa.

  12. Claudinei Vilela disse:

    O Dunga ser ignorante é uma coisa.
    A Globo ser manipuladora e querer ditar as regras é outra coisa.
    O limite de um, termina quando começa o do outro.
    Atender e falar ao telefone em uma coletiva é outra coisa.
    Bater boca com jornalista por isso é outríssima coisa.

    Impossivel generalizar e analisar a situação dentro de um contexto.
    Quem faz isso é má intencionado, a Globo fez e quis mostrar para o país do “seu ponto de vista”, pra sorte nossa e azar dela, as redes de comunicação se globalizaram, logo as “mentiras” podem ser contadas de formas diferentes.

    Em meio a isso tudo, o futebol brasileiro classifica com um futebol burocrático, porem respeitado.
    O técnico ostenta sua fama de durão-sensivel, mas mostra pra quem quiser ver que tem s.aco roxo e que não leva desaforo pra casa.

  13. mariana disse:

    Ótimo post JS! Sempre achei Dunga mal educado, mas sua atitude foi ótima, pra colocar uma pedra sobre este assunto. O relacionamento dele com a imprensa podia ser um pouco mais brando, ele sempre ataca, parece sempre estar com pedras nas mãos. Ele faz um ótimo trabalho à frente da seleção, quer melhor resposta que esta. Ele ceder um pouco a esta altura, duvido. Mas faria bem a seleção.

  14. Naldo disse:

    Saber pedir desculpas, é uma virtude.