Dançando com a sogra

Por SÍNDICO | Em 12 de julho de 2010

A Espanha foi campeã. Mas existe Espanha? Galegos, bascos, valencianos e catalães responderão sim. 

E que é um país vizinho pelo qual não sentem a menor simpatia.

E este país campeão tem mais jogadores do Barcelona do que de seus clubes tradicionais. Joga à moda de um time estrangeiro, portanto.

Um time que, de tão rico, pode contratar os melhores jogadores do mundo pra fazer rodinha de bobo, a preferência dos ricos e perdulários catalães.

A Espanha não joga nem deixa jogar. Ao longo da Copa, fez um gol a cada 82,5 minutos. Um porre.

Dançar com a sogra em bodas de ouro é mais excitante.

A seu modo, os holandeses aceitaram a proposta barcelonista. Desceram a borduna em quem não queria jogar.

Resultado disto foi a final com maior número de cartões e passes errados da história.

Com a obrigação de vender o peixe dos patrocinadores, os mesa-redondistas disseram que o produto oferecido foi legal, bacana, joinha, mesmo!

Eu digo que foi uma pelada. A maior de todas as finais de Copa.

Os revanchistas dirão que a de 94 também foi insossa. Concordo. Mas foi disputada no verão, ao meio dia, e no deserto.

Antes de oferecer espetáculo, italianos e brasileiros tinham de sobreviver à insolação. 

Por isto, se arrastaram até à emocionante disputa de pênaltis. Algo que poderia ter salvado a final na fria noite de Joanesburgo. Mas nem isto os espanhóis permitiram.

A final de 90 também não foi lá essas coisas. Mas, a bem da verdade, mesmo entre a capenga Argentina a dura Alemanha, houve um mínimo de jogo vertical, em busca do gol.

Ontem, meus amigos, cada time chegou ao arco adversário duas vezes. Em 120 minutos!

Roda de capoeira é mais emocionante. Principalmente se o De Jong for chamado pra dançar.

Interessante também foi perceber as hienas, que torciam para o Cruzeiro perder a fim de derrubar seu treinador com a legação de que ele escalava três volantes, aceitarem até cinco no time delbosquiano.

E como nada pode ser tão ruim que não possa ser piorado, Vasconcelos, Carmona e Rizek defederam esse futebol como o ideal a ser adotado pelos clubes brasileiros nos próximos anos.

Ainda bem que fecharam o Mineirão. Quando ele for reaberto, tomara que essa febre malsã tenha passado.

Enquanto isto, vou apreciar outras rodas. A de capoeiristas esvoaçantes e a de sambistas com pandeiro, caixa de fósforos e cabrochas dançando miudinho.

92 comentários para “Dançando com a sogra”

  1. Sobrinho disse:

    Deve ser chato mesmo torcer contra a Espanha, ela não deixa o adversário jogar, na verdade o adverário nem vê a cor da bola. E o jeito de impedir a dinamica do jogo espanhol é só na pancada mesmo. Nem a decantada alemanha viu a cor da bola. Mas o amante do futebol do Gattuso diz que a Espanha não quer jogar, que é telecoteco. É demais né!

  2. Claudinei Vilela disse:

    Jotaéssi, vc tá muito azedo!

  3. Celeste disse:

    Eu assisti o jogo com meus familiares e torcemos pela Espanha. Foi bom para lembrar dos tempos em que eu acompanhava o Barça só para ver o Fenômeno jogar. O jogo foi bom. A Fúria toca bem a bola. O técnico parecia um paizão lá no banco e sempre se mostrou muito equilibrado durante todo o torneio. Teve um bom banco de reservas e colocou os melhores em campo. Quem imaginava qe Fábregas seria reserva? Todo time campeão deixa algum legado que deve ser aproveitado.

  4. OT – Prestação de contas 1 semestre Confraria Rio http://confraria-rio.cruzeiro.org/?p=149

  5. Mauro França disse:

    É bom lembrar que se fez poucos gols, a Espanha sofreu apenas dois. Em toda a Copa! Passou invicta pelo mata-mata, algo inédito em Mundial. Conquistou a Euro-08 e agora a Copa, algo que apenas a Alemanha havia conquistado antes. Os mesas-redondistas veem espetáculo, outros só veem teleco-teco. Paciência. Nem um extremo nem outro. Eu vejo um time equlibrado, consistente, com muitos jogadores tecnicos, que tem a sua maior virtude no toque de bola envolvente e na movimentação constante.

    • Jorge Santana disse:

      “Passou invicta pelo mata-mata, algo inédito em Mundial” Uai, vc conhece algum time que tenha passado com derrota pelo mata-mata?

      • Elias disse:

        O esporte na Espanha, de modo geral, evoluiu muito: Nadal, Alonso…

      • claudio(xina)lemos disse:

        Uai como assim Mauro? O Brasil de 70 perdeu para quem? Ganhou de Peru e Uruguai. E o Brasil de 2002? Belgica, Inglaterra, Turquia e Alemanha, Não estou te entendendo?

      • Sobrinho disse:

        Não tomou nenhum gol. Vocês estão com séria dificuldade de compreensão de textos.

      • claudio(xina)lemos disse:

        Invicto para mim é quem não perde e não quem não toma gols.

  6. Eduardo Louback disse:

    Não achei o jogo um porre como todos acharam e como achar isso se os times criaram chances – vendo os melhores momentos, aos 4′, 10′, 11′, 36′, 46′, 61′, 69′, 76′, 82′, 95′, 96′, 100′, 116′.

  7. Mauro França disse:

    Curioso também é ver quem sempre considerou altitude, temperatura e fatores externos ao jogo como desculpa esfarrapada, usar o mesmo argumento pra justificar uma final de Copa (94) em que não foi criada sequer uma chance de gol em 120 minutos.

    • Jorge Santana disse:

      Vc faz confusão. Fatores externos não são desculpa pra derrotas, posto que valem para os dois lados. Mas. obviamente, os times têm dese adaptar a eles. Percebeu a diferença?

    • França,
      A final de 94 teve chances de gol sim. E cristalinas. Romário perdeu sem goleiro após um cruzamento de Cafú da direita… Mauro Silva chutou e o goleiro italiano deixou a bola escapar de suas mãos e depois foi beijar a trave como agradecimento (um gesto marcante de Pagliuca)…
      Bebeto entrou sozinho e tremeu na hora de fazer o gol.
      A Itália só chegou um vez, com um chute em cima do Taffarel que pôs a córner a bola de Massaro, que enetrou relativamente livre.
      Mas, o jogo de ontem foi mesmo muito melhor que o de 94, sem sombra de dúvidas.

  8. matheus t penido disse:

    Como disse o Mauro, nem tanto ao céu nem tanto a Terra. Não é o timaço que alguns mesa-redondistas querem fantasiar mas tem mtos méritos sim e pra mim o título foi merecido. Ou Piqué, Xavi, Iniesta, Fabregas e outros não estão entre o que há de melhor no atual futebol mundial?
    Daí a querer falar em vitória do futebol arte e outras baboseiras que tem se repetido nas mesas redondas vai uma distância muito grande. Mas aí o problema é dos mesa-redondistas e não dos campeões mundiais.

  9. matheus t penido disse:

    Sobre a final realmente foi bem fraca. A Holanda abriu a caixa de ferramentas logo de cara e a Espanha ( que tb deu suas porretadas ) manteve o toque de bola mtas vezes sem objetividade e pouco se arriscou. Evidentemente os mesa redondistas mudarão a história e vão dizer que a Espanha encarou de peito aberto, deu espetáculo, etc, mas isso não tira os méritos dos espenhóis que jogaram na sua e ganharam com méritos.

    • Leo Vidigal disse:

      A Espanha se assustou com a violência laranja e a co.vardia do árbitro. A Holanda só foi tentar realmente ganhar o jogo mais pro final do jogo. Antes a Espanha teve várias chances de gol. O jogo foi emocionante na prorrogação, pena que não saíram mais gols.

      • Jorge Santana disse:

        Assustou coisa nenhuma. Ramos, Puyol e Iniesta tb baixaram o sarrafo. Não com a elegância de um De Jong ou de um Van Bommel, porque isto é impossível. E o Heitinga, por duas faltas quase femininas, foi expulso. Puta injustiça, meu!

  10. Leo Vidigal disse:

    O time da Espanha sofreu pra caramba para chegar a essa final, encarando dois times que tinham razões históricas, se somando às futebolísticas, para querer tirá-los do Mundial (Portugal e Paraguai) e outro bastante confiante, que havia esmagado os adversários anteriores (Alemanha). A falta de gols se deveu também a esse empenho extra dos adversários. O time da Espanha joga sim e com muita qualidade.

    • Jorge Santana disse:

      “Razões históricas”, era só o que faltava! Desculpa antológica!

      • Leo Vidigal disse:

        Desculpa, não. Faz parte das circunstâncias do jogo. Espanha x Portugal é clássico. E em clássico não tem A nem B, Bem nem Mal, já dizia o saudoso Ênio Andrade. Só não é pior do que seria um Espanha x País Basco. Eles estão com os espanhóis entalados na garganta, pois só ganharam cinco vezes deles, contra dezesseis da Fúria. Mas na última vez em que se enfrentaram, na Eurocopa de 2004, Portugal se aproveitou de estar jogando em casa e ganhou, ajudando a eliminá-los. De quanto? 1 x 0. É um resultado normal entre eles. Mas as razões históricas mesmo também contam. Tanto o povo de Portugal quanto o do Paraguai pegaram em armas para se separar da Espanha. Foi há muito tempo, mas sempre que o time brasileiro joga com Portugal se fala no tempo da colonização. Não dá para ignorar este fato.

    • Leo Vidigal disse:

      E este é o time que representa a Espanha, não outro. Mas a regalia do Reino Unido de ter representantes de todas as regiões autônomas, como o País de Gales, Escócia etc, poderia bem ser estendida a outros países. Portugal conseguiu porque foi perseverante em se separar da Espanha e ainda contava com a padeira de Aljubarrota (http://pt.wikipedia.org/wiki/Brites_de_Almeida)…

  11. Jorge Santana disse:

    Em tempo: este post é dedicado ao Hugo e à sogra dele.

  12. Romarol disse:

    Eu posso até não concordar com o JS, mas acho muito interessante o pensamento divergente. Às vezes, com a opinião oposta, enxergamos o lado que não estávamos acostumados a ver. O título do post é de muito bom humor. Este negócio de sonífero espanhol é hilário também e faz sentido. Eles ficam tocando bola pra lá, pra cá, pra lá, pra cá, e quando o adversário acha que não vai dá em nada, diminui a marcação e a Espanha faz seu único gol no 2º tempo regulamentar.

    • Sobrinho disse:

      Acho interessante ver o pessoal criticando o estilo do campeão. Como o objetivo é vencer eu pensava que devia-se criticar a eficiencia do estilo dos perdedores, mas isso nunca acontece. Agora, quem defendia o estilo de 94 porque venceu, critica o estilo 2010, mesmo sendo vencedor. Mas o que não dá mesmo é para elogiar estilo perdedor como algumas hienas fazem.

      • Romarol disse:

        Só quero deixar claro que não estou defendendo nem o estilo vencedor e nem o perdedor. Acho importante é o debate. Mas para deixar claro o meu posicionamento, achei interessante o estilo espanhol desta Copa. O Cruzeiro do Adilson Batista tentava ter muita posse de bola e não era necessário, assim, se defender enquanto a gorduchinha estava no seu domínio. E para ter posse de bola elevada tem que ter muita técnica e qualidade. O estilo retranqueiro e sair em alta velocidade nos contra-ataques, vertical e objetivo também acho interessante. Na verdade há gostos e gostos e estilos e estilos. O debate seria outro hoje caso o Robben tivesse feito o gol ontem. É por isso que o futebol é fascinante. Não há uma só forma de vencer.

  13. Dylan disse:

    essa Copa foi especialmente ruim para quem não gosta de jornalistas especializados. A seleção favorita deles venceu a Copa. A Itália detestada por tdos dançou na primeira fase. Todos os problemas da seleção brasileira anunciados com meses de antecedencia ficaram evidentes em apenas 45 minutos. Quanto ao resto do post não dá nem pra comentar. O pior é que tem gente que acha mesmo que o meio campo do Cruzeiro jogava igual ao da Espanha. A discussão já para na qualidade individual pois a comparação nesse nível so pode existir no terreno da galhofa. P.atético.

  14. Dylan disse:

    é meu comentário já foi recolhido pra censura prévia..isso que é rapidez.

    • Jorge Santana disse:

      Engano seu. Tirante os comentários do Velho Damas, que é um sujeito decente, todos posts de atleticanos têm dificuldades com o antispam. Mas ainada assim, o PHD é melhor do que o site da sua ONG, que não permite comentários.

  15. claudio(xina)lemos disse:

    A espanha ganhou esta copa porque foi guiada pela catalunha, onde nasceram a maioria dos seus jogadores, foi a redenção quase esmagados por Franco, foi a vitoria da democracia. Pique, Puyol, Xavi, Iniesta, Cesc Fabregas, Busquets, são todos da Catalunha, todos feitos nas canteiras do Barça. E, o Gol, passe do Cesc para o Iniesta.

  16. Rogério disse:

    Penso parecido com o post, foi uma final sofrível, das piores que já vi, a Espanha realmente toca bem a bola, mas falta MUITA objetividade, acabou ganhando a Copa o time “menos ruim”, não dá nem para dizer que ganhou o “melhorzinho”. Acho que nem cabe comparação com o a final de 94, já que aquela seleção brasileira, que já não era lá estas coisas, ganharia facilmente desta seleção Espanhola.

    • Sobrinho disse:

      Nossa Rogério. Aquele time do Brasil não veria nem a cor da bola como todos os times dessa copa e provavelmente perderia de um a zero com um gol no segundo tempo. Esse negócio de diminuir a qualidade do campeão é mais velho que o futebol. O blog em 94 teria comentários iguais e falando que a seleção de 82 ganharia fácil e todo o blablabla que não precisamos de blogs para ouvir durante anos.

      • Rogério disse:

        Estamos com opiniões bem divergentes neste assunto, o time de 94 tinha um jogador bem melhor que qualquer jogador desta Copa da África e que ainda estava em uma fase maravilhosa que era o Romário e ainda tinha o Bebeto em boa fase, na minha opinião, este jogo sem objetividade não teria chances com o time do Brasil de 94.

      • Sobrinho,
        Creio que você está redondamente enganado. O time de 94 tinha jogadores muito bem dotados fisicamente e vários craques.
        Taffarel era um ótimo goleiro e estava em plena forma.
        Jorginho marcava e apoiava com eficiência. Cruzava com muita categoria e sabia jogar.
        Aldair era um zagueiro muito veloz, bom nos jogo aéreo e de grandes recursos.
        Márcio Santos que entrou no time após as contusões de Ricardo Rocha e Ricardo Gomes, não fez feio na Copa. Era regular.
        Branco dispensa comentários, substituiu a leonardo que fez uma tremenda besteira no jogo das 4as de Finais contra os EUA e fez o memorável gol da vitória contra a Holanda (3 x 2) de falta.
        Uma defesa de muito boa qualidade.

      • Walterson disse:

        Taffarel era um tremendo frangueiro e a zaga só atuou porque a titular se contundiu.

      • Hugo 5erel0 disse:

        Taffarel era um grande goleiro, sobretudo na Seleção. Aldair foi um dos maiores zagueiros que vi. Bom posicionamento, impulsão, habilidoso e dava até lançamento. Um beque completo.

      • O meio-campo tinha Mauro Silva e Dunga nas ações mais defensivas dando o suporte para o apoio dos laterais, normalmente alternado. Considero o Mauro Silva um dos melhores volantes que vi jogar nos últimos 30 anos. Marcava bem, fazia poucas fortes, não perdia divididas e dava os passes certos, mesmo que fossem sempre de curta distância.
        Dunga era um 2° volante que marcava muito e saía para o jogo. Fazia preferencialmente o corredor direito, enquanto Raí foi escalado. Depois da queda de produção do jogador do São Paulo, com a entrada de Mazinho se posicionou diferente, mais em linha com Mauro Silva. Dunga marcava muito, transmitia garra incomum e era uma referência para os colegas. Deu vários passes que resultaram em gols.

      • Com Rái, em campo Zinho se posicionava mais atrás, como um armador pelo corredor esquerdo. E era eficaz nas tabelas com Branco ou Leonardo e Bebeto ou Romário. Também penetrava pela esquerda cdomo um autêntico ponta quando a situação permitia. Fez gols e deu várias assistências. E era um jogador precioso taticamente, raramente deixava quem caísse pelo seu setor atuar confortavelmente.
        O volante centralizado Mauro Silva e os 2 armadores, um de cada lado, faziam o encaixe defensivo com perfeição. Prova disto é que nenhum time criou chances de gol em profusão contra o Brasil.
        rai era o “must” no São Paulo, mas, o fato é que (do mesmo jeito que Kaká), decepcionou na seleção brasileira na Copa de 94. Atuou tão mal que Zagalo improvisou.

      • Walterson disse:

        Raí não jogou nada e Zinho só encerava.

      • Hugo 5erel0 disse:

        De fato, do mesmo jeito que Kaká. Boa pinta, marketing, bom pra dar entrevista, arrebenta no clube, mas na Seleção.. Putz!

      • E Zagallo lançou Mazinho convocado para a lateral direita na reserva de Jorginho para fazer um dueto com Zinho na armação.
        Mazinho tinha boa visão de jogo e fazia o “overlapping” perfeito com Jorginho repetindo o que faziam Zinho e Branco do outro lado. E foi deste jeito que o Brasil venceu retrancas fortes no Mundial de 94.
        O time pouco permitia aos adversários, mas, há que se ressaltar que os adversários quando vinham nos enfrentar colocavam pelo menos 8 caras atrás da linha da bola;
        E na frente o Brasil tinha uma dupla leve, entrosada e de grande futebol em Bebeto e Romário…
        Romário não era só um gênio da grande área. Fez de tudo naquela Copa. Dribles, canetas, passes, gol de cabeça. Imarcável. Golaços…

      • Não Sobrinho… este time da Espanha não dava para a saída contra o Brasil de 94…

    • Frede disse:

      Não dá para comparar. Outros tempos. O time de 94 era bom sim. Foi o melhor no seu tempo, assim como A espanha atual. Zéfini.

      • claudio(xina)lemos disse:

        Só que o Brasil tinha um fora de série que a Espanha não tem. Romário fazia toda a diferença. Com Romário a espanha não teria ganho só de 1×0. E gostaria de ver o Muller jogando contra a Espanha para ver se a Espanha teria ganho de 1×0.

    • Bruno Pontes disse:

      Acho essa Espanha um bom time sim. Mas o Brasil de 94 a engoliria.

  17. Alguém sabe a quanto tempo um Uruguaio não é o melhor da copa?

    Acho que desde a copa de 50.

  18. Naldo disse:

    O Brasil é um pouco pior que a Espanha. Paulistas, Cariocas, Gauchos, Mineiros e os outros. E o povo brasileiro não tem a qualidade de vida que tem o espanhol. Vou elogiar a conquista do título. A Espanha já tentou de várias maneiras, mas só jogando assim foi feliz. Já foi prejudicada em outra jornadas. Em 1962 e 1986 contra o Brasil e por aí afora… Espanha 1 x 0 Portugal, Espanha 1 x 0 Paraguai, Espanha 1 x 0 Alemanha, Espanha 1 x 0 Holanda. De degrau em degrau foi campeã. Nao desejo isto para o meu Cruzeiro, mas se acontecer no Brasileirão, vou comemorar como os espanhois.

  19. Hugo 5erel0 disse:

    Dançar com a sogra em bodas de ouro não é porre. Aliás, ontem eu estive em Abaeté na festa da mãe da minha sogra que completou 60 anos de casamento! Nem sei que boda é, mas é muito tempo. O casal de velhinhos é uma gracinha.

  20. Elias disse:

    Poderiam matar o polvo de fome? É só colocar duas bandeirinhas do maior time da RMBH…

  21. Hugo 5erel0 disse:

    A desculpa mais engraçada pra justificar a pelada de ontem foi dizer que a bola atrapalhou. Êta bola difícil, sô! Mais de 200 passes errados num jogo de final de Copa do Mundo.

  22. Emilio disse:

    off: nós vamos aceitar esta diretoria amadora dispensar o Marquinos Paraná sem fazer nada?
    Volante bom tá facim-facim de arrumar, né ?

  23. mariana disse:

    Num achei pelada a final não. Ao contrário da maioria do blog, só vi as finas a partir de 94 (rs), e não vi essa ruindadade toda descrita pelo JS. Claro que poderia ser melhor, mas a copa ficou em boas mãos. E a Holanda se tornou a seleção mais enjoada da copa. Num sei porque, mas impliquei com a Holanda. Torci MTO pela Espanha, mais pq não queria ver a Holanda campeã. Será que Freud explica?!

    • Ricardo Malafaia disse:

      Há várias personalidades que não apreciaram a derrota da Holanda: os Gracie, Hugo Chavez, Jorge Santana, Simeone & Dagoberto, Marlon Brando…

  24. mariana disse:

    Foto em homenagem a Forlán e seu tanquinho. Tá de parabéns! Viva o Uruguai!!!hehehe

  25. Dylan disse:

    segundo o Cruiff a Holanda ontem foi “”feia, vulgar, dura, pouco vistosa e carente de futebol”. Como discordar?

  26. Matheus Reis disse:

    Gostei muito da vitória espanhola. Confesso que foi mais pela violência holandesa que propriamente pelo futebol espanhol.

    Admiro o jeito deles jogarem. É o Barcelona sem Messi (o LL argentino, como diria o JS) e sem Ibra. Por isso, a escassez de gol. O Barcelona foi pra Copa de Mundo sem ter quem colocasse a bola pra dentro.

    Acho que se um jogador tipo o Fred fosse espanhol, ele seria artilheiro da Copa com uns 18 gols. Mas o Barcelona tinha um não-sei-o-quê em chutar a bola pro gol que agoniava.

  27. ACRossi disse:

    E o Cruzeiro não pode inscrever os “reforços” por causa da pendencia com o Goytacaz. O advogado Fabiano de Oliveira Costa está acompanhando o caso…Outro Oliveira Costa? Seria nepotismo?….

  28. Gustavo Martins disse:

    Quanta mágoa com a Espanha… E o time dela de hoje venceria fácil o Brasil de 94.

  29. reinaldo disse:

    Jorge,
    Discordo do início ao fim. A Espanha pratica o melhor futebol do mundo desde a Euro 2008. Gostaria sim, que o futuro treinador brasileiro a tivesse como modelo!

  30. Mauro França disse:

    Até parece que o Brasil de 94 era uma maquina de fazer gols… 1×0 sobre os EUA, 1×0 sobre a Suécia, 0x0 em 120 minutos contra a Itália, empate de 1×1 com a Suécia na primeira fase

    • Hugo 5erel0 disse:

      3×0 sobre Camarões, 2×0 na Rússia e 3×2 na Holanda. Não era “máquina de fazer gols”. Mas também não fez só a mixaria da Espanha 2010.

  31. o_Lucas disse:

    Eu tenho uma duvidas:
    – quem queria morrer de emoções não deveria deixar para o Morrinhão ou para o Topeirão?
    – “cada time chegou ao arco adversário duas vezes”. Acho que eu assisti outro jogo!!!
    []’s
    Lucas

    • Jorge Santana disse:

      assistiu, sim, podicrê. casillas fez duas defesas difíceis, sketelemburg, uma, heitinga tirou outra bola complicada. o resto foi puro lescolesco.