Cruzeiro 4×2 Guarani: Vacilo, sufoco e reação

Por SÍNDICO | Em 16 de setembro de 2010

Mauro França

Desfalques já não é novidade. Para enfrentar o Guarani, de volta a Sete Lagoas, o Cruzeiro vai a campo sem Fábio, contundido; Paraná, suspenso e contundido; Roger, Jonathan e Diego Renan, suspensos. Para compensar, Cuca conta com as voltas de Everton, Montillo e Wellington Paulista. Rômulo e Pablo entram nas laterais e Rafael ganha uma rara chance no gol.

1º TEMPO

O jogo começou bastante movimentado. Rômulo deu uma amostra da estratégia celeste com duas boas arrancadas pela direita, que resultaram em dois escanteios nos primeiros 2 minutos. Com amplo domínio territorial, o Cruzeiro imprimia velocidade nas jogadas de ataque, com muita movimentação para fugir da marcação.

Algumas boas jogadas foram criadas, desperdiçadas por falhas no último passe ou interceptadas pela marcação bugrina, atenta nos minutos iniciais. O primeiro chute a gol foi aos 6, quando Fabrício arriscou de fora da área. A  bola saiu à esquerda do gol com certo perigo.

O Guarani saia para o jogo timidamente. A correria de Apodi era sua principal válvula de escape. Encaixou um bom contra-ataque aos 4, quando Mazola aproveitou um escorregão de Leo no meio de campo para chegar na área celeste e cavar um escanteio. Aos 9, Fabão cobrou uma falta na intermediária e Rafael defendeu no meio do gol.

Na resposta celeste, aos 10, Wellington Paulista penetrou pela esquerda, bateu cruzado, rasteiro, à esquerda do gol e caiu sentindo a coxa. Sem ter como continuar, foi substituído no minuto seguinte por Wallyson.

Em um lance quase isolado, o Guarani chegou com perigo aos 21. Mazola ganhou de Edcarlos, foi ao fundo e rolou para Apodi que, da entrada da área, bateu forte para grande defesa de Rafael.

Montillo não encontrava espaço e participava pouco do jogo. Thiago Ribeiro era a principal arma ofensiva, buscando as jogadas de fundo pelos dois lados do campo. Depois de algumas tentativas frustradas, aos 26 ele driblou seu marcador, foi ao fundo pela esquerda e cruzou na medida para Rômulo escorar de cabeça para o fundo do gol. Cruzeiro, 1×0.

Vagner Mancini foi expulso aos 28 por reclamação. O Guarani tentou sair um pouco mais para o jogo. Sem muita força de ataque, pouco conseguiu. Mazola fez boa jogada pela direita e cruzou para a batida de Mário Lúcio, defendida por Rafael, aos 31. E ficou nisso.

Sem perder o controle da partida, o Cruzeiro diminuiu o ritmo e passou a trabalhar mais a posse de bola.  Depois de uma troca de passes no campo de ataque, Rômulo, aos 39, fez belo lançamento para Montillo, que penetrou por trás da zaga, pela direita, e com um lindo toque de primeira deixou Wallyson de frente para o gol vazio. Aí foi só empurrar para o fundo das redes. Cruzeiro, 2×0.

Os jogadores do Guarani se enervaram. Quiseram briga depois de uma disputa de bola no meio de campo entre Wallyson e Mazola, aos 40. E seguiram reclamando. Aos 43, depois de cometer uma falta de ataque próximo à linha de fundo, Mazola deixou o pé para atingir Leo, sem muita força. O juiz, num arroubo de rigor, lhe aplicou o cartão vermelho.

Nos minutos derradeiros o jogo deu uma esfriada. O Cruzeiro apenas tocou a bola esperando pelo intervalo.

2º TEMPO

Fabrício reclamou de cansaço e foi substituído por Fabinho. O Guarani trocou Aislan e Baiano por Fabiano e Geovane.

Com menos de um minuto de jogo, o Guarani chegou com perigo. Márcio Careca cruzou da esquerda e Mário Lúcio, de frente para o gol, errou a cabeçada e jogou pela linha de fundo.

Depois disto, só deu Cruzeiro, que se fartou de criar e desperdiçar oportunidades para ampliar o marcador. Aos 4, Rômulo desceu para a direita e cruzou para o peixinho de Thiago Ribeiro.  Douglas desviou de leve, Fabão e Apodi se chocaram na tentativa de cortar e a bola entrou. O juiz viu falta de Wallyson em Fabão e anulou o gol.

Aos 9, Montillo cruzou da esquerda, Thiago Ribeiro não alcançou e Douglas, esperto, desviou com a ponta dos dedos para escanteio. No rebote da cobrança, Fabinho dominou na entrada da área e, livre de marcação, isolou por cima do gol.

O Guarani assistia o Cruzeiro jogar. Agora com liberdade, Montillo comandava o time e aparecia por todos os lados, distribuindo o jogo com categoria e toques rápidos. Aos 12, Rômulo arriscou de fora e acertou o travessão.  No rebote, Wallyson chutou duas vezes, à queima-roupa, e Douglas fez duas grandes defesas.

Aos 15, Wallyson recebeu lançamento pela esquerda, levou até a área e tocou para o gol na saída de Douglas. O bandeira anulou o lance marcando, com acerto, impedimento. Dois minutos depois, depois de jogada de Thiago Ribeiro pela direita, Rômulo bateu forte da entrada da área para outra defesa salvadora de Douglas.

Aos 18, Cuca trocou Henrique por Farias, com a intenção de deixar o time mais ofensivo, além de poupar o volante. Não funcionou. A alteração desmantelou o sistema defensivo celeste. Mesmo com um a menos, o Guarani ganhou o meio de campo e passou a chegar ao ataque sempre com perigo.

Aos 24, Mário Lúcio aproveitou um erro na saída de bola, avançou e lançou para Geovane, que penetrou pela área, cortou Leo e bateu cruzado, rasteiro, no canto esquerdo de Rafael. Guarani, 1×2.

O jogo ficou dramático. Com Fabinho na lateral e Rômulo, Everton e Pablo no meio, a marcação desapareceu.  Aos 29, Paulo Roberto invadiu a área pela esquerda, passou no meio de três marcadores e soltou uma bomba no ângulo direito de Rafael. Guarani, 2×2.

Menos mal que a reação não tardou. Aos 30, Montillo cobrou escanteio da esquerda, houve um desvio no primeiro pau e Fabinho apareceu do outro lado para cabecear para o gol.  Cruzeiro, 3×2.

Apesar do gol, o sufoco continuou. O Guarani não desistiu e seguiu criando situações de perigo. Aos 32, Fabão cobrou falta na intermediária e Rafael se esticou todo para desviar a escanteio, em grande defesa. Aos 37, em lance que começou com outro erro da zaga, Paulo Roberto cruzou, Edcarlos desviou contra sua própria meta, Rafael salvou e, no rebote, Geovane isolou por cima do travessão.

Depois do sufoco, o Cruzeiro voltou a marcar presença no ataque com jogadas de Thiago Ribeiro. Aos 38, ele conseguiu um escanteio pela direita. Na cobrança, Farias dominou no meio da área e foi travado na hora do chute.

Aos 40, Thiago Ribeiro recebeu na área pela esquerda, cortou para o meio e bateu para o gol. Douglas fez a defesa e cedeu escanteio. Depois da cobrança curta de Montillo, Thiago Ribeiro lançou para a área e Farias apareceu do outro lado para, de cabeça, empurrar para as redes. Cruzeiro, 4×2.

Na reta final, o Cruzeiro ainda perdeu duas boas chances para ampliar em jogadas de contra-ataque, com Wallyson, aos 45, e Rômulo, aos 48.

O Cruzeiro quase complica um jogo que estava praticamente decidido. Não aproveitou as oportunidades criadas na primeira metade do 2º do segundo tempo e, depois da substituição equivocada de Cuca, tomou sufoco e sofreu o empate. Depois, mostrou poder de reação e confirmou a vitória, que no final das contas é o que importa. Mas fica o alerta: Qualquer vacilo pode custar caro.

Mauro França, 47, cruzeirense, economiário, historiador, nasceu em Sete Lagoas, mora em Belo Horizonte.

63 comentários para “Cruzeiro 4×2 Guarani: Vacilo, sufoco e reação”

  1. Kimbundo disse:

    Grande resenha, Mauro! O poder de reação por você citado será importante na caminhada rumo ao título.

  2. BrunoBarros disse:

    Mauro, ótima resenha, só chamar a atenção pro lance do suposto impedimento do Wallyson. Não estava impedido não, de jeito nenhum. O engraçado é que na transmissão, o Mário Marra comentou que o bandeira havia acertado, muito bem no lance, que bastava observar as sombras dos jogadores que dava pra ver a posição irregular. Mas é justamente pela sombra que a gente consegue ver com clareza que tanto o Fabão que estava próximo ao Wallison, quanto o jogador do Guarani que estava mais centralizado, acho que o Aílson, têm as suas sombras mais a frente, mais próximas do gol do que a sombra do Wallyson, e não é pouca coisa não, principalmente o jogador mais centralizado. Posição legal e gol muito mal anulado. Até porque o bandeira tava na linha do lance, diferentemente do ângulo da câmera.

    • Mauro França disse:

      Bruno, a TV não mostrou o lance de um bom ângulo. Em meio aos comentários pós-jogo, alguem (não me lembro quem e já me desculpo) postou que o site da Globo comprovou o impedimento, por questão de centimetros. De todo modo, era um lance dificil. Achei mais grave a anulação do primeiro gol.

  3. Chaves disse:

    Rômulo foi muito bem. Henrique foi um monstro, desarmando tudo. Montillo joga muito e o Thiago Ribeiro voltou a jogar demais, como no primeiro semestre. Que partidaça do Ribeiro. A jogada do primeiro gol foi fantástica. Tomamos o empate, pois o time não conseguia nem sair jogando mais. Os zagueiros sentiram a falta da trinca de volantes. O Roger disse esses dias que a bola não quima no pé dos caras (Henrique, Fabrício e Paraná). E ontem queimou nos pés dos zagueiros e laterais, quando eles tinham a bola na defesea, olhavam pra frente e não viam Paraná, Hqneique e Fabrício. Mas, depois do susto, Montillo e Ribeiro voltaram a decidir.

  4. Amácio Gattuno disse:

    Como é bacana ouvir as entrevistas do Cuca: “- Fiz m…, mas consertamos!”. Ao contrário de outros treinadores, suas entrevistas são claras e convincentes. É impressionante como o WPaulista sempre arruma um jeito de não jogar contra o Botafogo. Mais impressionante ainda foi o Montilho: o cidadão recebe um lançamento de trocentos metros e, percebendo a infiltração do atacante, faz uma perfeita “matada+passe” de primeira. Fazia muito tempo que essa camisa 10 não era tão bem tratada.

    • Rogério disse:

      Também achei muito legal a humildade do Cuca em assumir o erro, são poucas pessoas que tem esta capacidade.

      • Sobrinho disse:

        Nota 5 pro Cuca: 10 pela humildade e por ter mostrado que aprendeu com o erro e 0 pela opção equivocada e que deu muito errado.

      • Rogério disse:

        Voce está muito rigoroso, daria um 6 só para ele ficar na média para passar de ano.

      • Dylan disse:

        nota 8 pro Cuca por ter comandado um time que enfiou 4 no adversário, por ter mandado a campo tres jogadores que marcaram gols e nota 9 no geral por dirigir um time que não se abala quando leva um empate e parte pra decidir com frieza cirurgica. Tenho certeza que até o final do ano com o titulo brasileiro essa nota subirá pra 10.

      • Sobrinho disse:

        Se não ganhar o brasileiro se transforma em fracassado e a nota vai ser 0. Rogerio, no colegio que estudei com 5 você passava de ano.

      • Dylan disse:

        tá explicado então…

      • Sobrinho disse:

        Dy, leia a resenha, só para você lembrar como foi o jogo. Você esta fazendo papel de bobo. De novo.

      • Sobrinho disse:

        Dy, coloca seu filho lá. O colégio é bom. Inscrições estão abertas http://www.cmbh.eb.mil.br/

      • Pedro disse:

        Colégio Militar pra esse aí? Mata o adorador do Fidel de raiva.

  5. Henrique Augusto disse:

    O segundo gol do Cruzeiro foi uma pintura!
    O belo lançamento do Romulo e o toque sensacional do Montillo, “matô”a zaga e o goleiro do Guarani, deixando Wallyson sozinho!!!

    E o Thiago Ribeiro hein, deixou o lado matador do primeiro semestre um pouco de lado e virou um garçom de mão cheia!

  6. BrunoBarros disse:

    Soberbas atuações de Rômulo, Henrique, fantástico, T. Ribeiro. Fabrício muito bem novamente, Montillo, mesmo em um dia em que perdeu muitas bolas, errou passes que não costuma errar, dá um passe de gênio, simples como deve ser, e ainda cruzou as duas bolas dos gols decisivos. É o cara. Quando voltar o Gilberto vai ficar bonito de se ver. Léo e Edcarlos foram bem, alguns erros, mas nada que comprometeu. Caçapa quando voltar tem vaga. pelo que tava jogando, jogando demais é a verdade.

  7. BrunoBarros disse:

    Cuca errou, e acertou ao admitir o erro. Tirou o Henrique, muito também pela questão de estar pendurado, e com isso o meio campo ficou perdido. Achou que o jogo estava decidido e não estava. Mas que bom que serviu como lição, técnico também é gente, que evolui e aprende a cada dia. Basta querer e ter humildade pra isso, e pelo que temos visto, isso tudo o Cuca tem. Talvez esse seja o segredo de sua competência.

    • BrunoBarros disse:

      Só um adendo, durante o jogo pensei em um saída do Montillo, pra entrada do Farias, ou até mesmo do Pablo, que já tinha amarelo, colocando o Everton na lateral. Acho que qulquer uma dessas substiutições não deixariam o time tão bagunçado quanto ficou. Mas se o Montillo tivesse saído quem cruzaria aquelas bolas se fosse preciso? E se o Henrique leva o terceiro amarelo, com a contusão do Paraná, não iria complicar pro jogo de 1000 pontos, final de Copa do Mundo, contra o Botafogo? Então entendo perfeitamente as razões que levaram o Cuca a mexer do jeito que pensou certo. Só acho que ele esqueceu de uma premissa básica do futebol. O jogo só acaba quando termina. 3 a 0, com um a mais “terminaria” o jogo, mas como dizem muitos, 2 a 0 é um resultado perigoso, hehehe. Vida que segue.

  8. silverio candido disse:

    Pra mim o MELHOR DA RESENHA DO JOGO DE ONTEM foi a humildade do CUCA ao reconhecer que errou nas substituições. Outros treinadores sustentariam que a mexida foi pra “corrigir, bla bla bla, bla, bla…”. MEXEU mal sim, mas reconheceu o erro e, certamente, aprenderá com ele. Sábado estaremos no ENGENHÃO buscando apoiar o time rumo à liderança do MORRINHÃO. Depois do jogo, golo, golo, golo e partir pra comer aquele camarão ESPETACULAR do Shirley no Leme, (sem dúvida o melhor do Rio), Vamos Cruzeiro…Avante!!!

  9. BrunoBarros disse:

    Não podemos esquecer da ótima atuação do Rafael. A defesa na falta cobrada pelo Fabão, logo após o terceiro gol, foi decisiva e dificílima. Foi uma bola forte que caiu de repente e iria no gol, mas o Rafael foi rápido e preciso no lance, fazendo uma defezaça fundamental. Sem contar outras durante o jogo. Muito bem o garoto.

  10. Naldo disse:

    Gols: Rômulo, Wallyson, Fabinho e Farias e no gol com grande atuação o Rafael. Nenhum deles é considerado titular. O time tem banco e isto faz muita diferença.

  11. ACRossi disse:

    Perfeita a resenha Mauro, como sempre. Minha opinião sobre as atuações:
    Rafael: Estamos bem servidos. Tranquilo e preciso. 8
    Romulo: Otima atuação ofensiva. Na defesa ainda teve umas falhas. 8
    Leo: Um escorregão no primeiro tempo que quase me mata do coração. No segundo ficou desprotegido com a saída dos volantes. 6
    Ed Carlos: Inseguro, principalmente depois da saída do Henrique. 6
    Pablo: Não foi brilhante, teve muito trabalho com o corre-corre do Apodi, mas pode somar para o elenco. 7
    Fabricio: Bem, armando e chegando com precisão. 7
    Henrique: Para mim o melhor, tem corrido demais e filtra bem as bolas que vão chegar em nossa defesa. 9
    Everton: Bem no primeiro tempo, caiu quando teve que marcar. 6
    Montillo: É cobra, o que fez no segundo gol é brincadeira. 8

  12. ACRossi disse:

    TR: Muito bem. Rodou bem demais e foi importante para o time. 8
    WP: Jogou pouco.
    Fabinho: Entrou mal, salvou pelo gol. 6
    Wallyson: Mexeu demais, mas perdeu gols na mesma proporção. 6
    Farias: Tem faro. sabe jogar ali na área. 7

  13. Binho disse:

    Fabinho é uma baba. Por mim já teria vazado daqui a muito tempo.

  14. Binho disse:

    Pablo e Edcarlos destoaram do time. Ambos jogaram mais ou menos. Ambos fracos.

  15. claudio(xina)lemos disse:

    Não lembro que escreveu, mas escreveu muito bem, a matada-passe do Montilho no gol foi uma coisa do outro mundo, muito, muito tempo que não via um jogada daquela o cidadão joga demais da conta sô.

    • Walterson disse:

      Ontem escrevi que o goleiro morreu duas vezes, a primeira matada foi do TR e a segunda do Montijo.

  16. Romarol disse:

    É chover no molhado: mais uma ótima resenha do Mauro.

  17. Zedocanada disse:

    Nao entendo o porque de muitas pessoas acharem tao importante o cara reconhecer um erro no microfone. O que acontece com os erros que nao sao reconhecidos publicamente?

    • Elias disse:

      E deu uma repercussão danada, em todos os canais esportivos nos programas das 12:00 h. Mais que a vitória, o “mea culpa” do Cuca em público deu um tremendo de um Ibope.
      Deu prá perceber tb que as alucinadas galinhas da mídia esportiva estão sem ninho devido o fato da franga.rosa habitar a zona da degola. Luxa altamente questionado. O outrora “bam bam bam” Melo tb. As grandes contratações, os bombásticos craques, de uma hora prá outra, viraram perne.tas…

  18. Amácio Gattuno disse:

    Rafael, Rômulo, Henrique, Montillo e Thiago Ribeiro estiveram muitíssimo bem. O jovem goleiro tem um futuro brilhante no clube. O lateral-sombra já incomoda o titular. O volante-grill assumiu a capitania do time com inabalável categoria. O gringo é craque, diferenciado mesmo. Enverga a lendária camisa 10 celeste com talento incomum. E o artilheiro das Américas é insubstituível. Dá canseira em qualquer zaga adversária, faz lançamentos, finaliza com perigo e – precisando – ainda pressiona a saída de bola.

    • Sobrinho disse:

      Volante-grill foi boa.

    • Walterson disse:

      O Rafael teve uma atuação estupenda mas ainda acho que o primeiro gol o Fabio pegaria. E ainda é referência quando a zaga é pressionada. Ontem se viu a falta de confiança quando o Leo tocou uma bola pra lateral, que nem chegou a sair, mas não recuou para o Rafael.
      O Pablo não inspira confiança. Tomou uma canseira do I-pod-i e ficou perdido no meio dos cansados bugrinos. Péssima atuação.
      Outra péssima atuação foi do Ed Carlos que, não sei porque cargas d’água, cismou que era o Gerson. E tome lançamento para ninguem ou para o adversário.

      • claudio(xina)lemos disse:

        Lançamento???????????? Que isto filho da água, era chutão mesmo. O time precisando de segurar a bola e ele dava chutão pra frente. Burn baby burn.

      • Elias disse:

        Comentei ontem. Não sei se com as saídas do Henrique e Fabricio a coisa degringolou lá atrás. Na conta do Edcarlos, duas atravessadas de bola estilo Junior´s. Na primeira tomamos o gol. Na segunda, quase. Sei lá… com todo o atabalhoadamento, o Gil estava mais firme.

      • claudio(xina)lemos disse:

        O problema é que ai ia ter que mudar o posicionamento do léo pois o gil torto é meio perigoso como contra o inter. Mas mesmo assim acho ele melhor que o Ed Carlos.

      • Pedro disse:

        Gil >>>>> Léo >>>>>>>>> Caçapa >>>>>>>>>>>>>>> Edcarlos.

  19. Azul Celeste disse:

    Um OT mas eu tenho que postar. Melhor que ouvir o SNSB é ler os comentários da torcida cor-de-rosa no blog da globo. Vejam o que um cidadão falou do Luxa: “O Galo pode, quem sabe, entrar para o livro dos recordes como o time que tem a maior comissão técnica do mundo. (Dois Técnicos, Nutricionista, Arbitrologista, Astronomo, Ubandista, Padre, Pastor, Santa Pintada, Gramadologista, Paisagista, Terapeuta Ocupacional, Professor de Poker, Ropeiro, Chapeleiro, Coveiro, Colocador de Luvas, Genro, Sogra, Sogro, e Amigo de Sogra)”.

  20. Azul Celeste disse:

    Um OT. : Melhor que ouvir o SNSB é ler os comentarios do blog da cor de rosas no globo. Um cidadão desesperado escreveu: “O Galo pode, quem sabe, entrar para o livro dos recordes como o time que tem a maior comissão técnica do mundo. (Dois Técnicos, Nutricionista, Arbitrologista, Astronomo, Ubandista, Padre, Pastor, Santa Pintada, Gramadologista, Paisagista, Terapeuta Ocupacional, Professor de Poker, Ropeiro, Chapeleiro, Coveiro, Colocador de Luvas, Genro, Sogra, Sogro, e Amigo de Sogra).”

  21. joao novaes disse:

    E Jorge!!!!! ta rindo atoa!!!!!!!!!! os seus 45 pts vao chegar rapidinho

    • Elias disse:

      É mesmo…ninguém mais fala na tal cota 45…

      • Eu falei… estou esperando a Cota 45 para resolver a pensar no título…
        Aliás fiz uma pequena provocação, especialmente para certos cruzeirenses (???) que escreveram aqui e alhures que tínhamos que preocupar com rebaixamento e bla bla bla…
        Mas já sei qual é a resposta deles… mudamos o tecnico e os jogadores, por isto melhoramos e não precisamos preocupar com rebaixamento.

  22. Daniel Carvalho - Porto Alegre disse:

    Todos os times passam por dificuldades no campeonato. Somos um time em formação. Encarar o Botafogo: jogar pra cima e marcar bem. Sem apagão. Cruzeiro Sempre.

  23. Arísio disse:

    Fiquei muito satisfeito com o que vi na Arena ontem. Um time com gana de vencer e que partiu pra cima do adversário com boas jogadas pelas laterais, já que o meio estava congestionado. Um erro de avaliação, reconhecido pelo técnico, e a casa quase cai. Mas o time mostrou poder de reação e contou com o terceiro gol bem rápido pra evitar um desastre maior. É que o caldeirão funciona bem quando se está ganhando. A torcida não teve muito tempo pra demonstrar sua ira com o empate bugrino. Valeu o resultado e valeu o ocorrido quanto às substituições para que todos, jogadores e comissão técnica, tenham mais atenção nos próximos jogos.

    • Chaves disse:

      E no próximo jogo o ingresso será 10 reais. O Caldeirão vai ferver!

    • Arísio disse:

      Depois dizem que futebol é fácil. Ontem fiquei muito satisfeito com a atuação individual do Rômulo. Nem tanto com sua participação tática após as substituições. Era o momento de ter percebido (ou ter sido orientado) a cobrir mais a defesa após a entrada do Farias. Ficamos com o Wallisson aberto na esquerda, Farias centralizado e com Ribeiro e Rômulo desembestados pela direita. O Fabinho se deslocou pra cobrir a direita e, neste momento, começamos a perder espaço no meio para o bugre pois tinhamos apenas o Everton e o Montillo (já cansado) pra fazer o combate na meia cancha. De forma tal que, foi um bom exemplo de um mesmo atleta, Rômulo no caso, acertar em muitas jogadas individuais e errar muito na composição tática do time.

      • Arísio disse:

        E tiro o chapéu pro futebol que vem jogando o Henrique. Logo após o terceiro gol, quando já havia sido substituído, ele me sai do banco de reservas, descalço, e vai até a beira do campo pra orientar, junto com o Cuca, o posicionamento defensivo do time. Se já não virou, está na beira de se tornar um dos líderes desta equipe.

      • Arísio disse:

        Por último, é uma pena que, dificilmente, veremos este grupo atuar num Mineirão lotado de cruzeirenses. Pelo futebol que estão apresentando, mereciam marcar presença na memória dos torcedores com atuações no gigante da pampulha.

  24. Alex Martins AMC disse:

    O grande fator deste vitoria foi o elenco, os quatro gols foram de jogadores considerados reservas,antes quando o antigo treinador olhava para o banco não tinha ninguem , agora o Cuca tem a oportunidade de errar , mas o erro lhe deu frutos, pois ele tirou o Henrique(que partida)para colocar o Farias abriu o time , tomou os gols ,mas o farias fez a sua parte e guardu o dele.

  25. Matheus Reis disse:

    Estive na arena e abri mão de ver o jogo “direito” pra curtir o alambrado. Deu pra perceber algumas coisas… O Cuca está certo quando diz que fez merd@. A entrada do Fabinho deu o meio campo para o Guarani.

    Fabinho, aliás, que entrou MUITO mal. Estava disputando tudo, menos uma partida de futebol. O lance do gol do Guarani saiu de uma imbecil bola cruzada. Erro de jogador do infantil… Se redimiu com o gol.

    O jogo serviu pra mostrar que time ofensivo não significa 53 atacantes e 29 meias. A gente estava com um a mais, dois gols de vantagem e ainda tomamos sufoco. A lição foi aprendida.

    Wallyson precisa se ligar que tem a chance de ouro da carreira. Estava numa preguiça de dar raiva. E quando o time perdeu o meio, devia ter ajudado a marcar. É bom abrir o olho…