Copa dos Sonhos: Pelé.

Por SÍNDICO | Em 21 de janeiro de 2007

Deu a lógica. Sem Piazza, Tostão e Dirceu Lopes na decisão, o Santos foi campeão dos sonhos na memorável copa promovida pelo Blog do Juca sem sequer precisar jogar.

Teria vencido o Cruzeiro também, nos sonhos, é claro, mas tendo que jogar pra chuchu! E perigava não fazer os dez a zero normais para as circunstâncias.

O 10 x 0 sobre o Mengo de Zico foi definitivo. Diz tudo. Ponto final. Mesmo com a mobilização dos flamengos (e a desmobilização dos desclassificados) que, entre os blogueiros, garantiu um 199 x 184 para os rubronegros.

Mesmo esperneando barbaridade, Calazans teve de se curvar. E o Guedes, pianinho, rendeu-se também a Pelé. Enfim, nem os mais dos bairristas cariocas tiveram peito de chutar a lógica e a história.

Crianças, eu vi o Rei jogar. Ninguém, mas ninguém mesmo, pode ser comparado a ele. Maradona? Bah…

Reagan estava certo quando, ao lado de Pelé, diante das câmeras, se apresentou: “Eu sou Ronald Reagan, o presidente dos Estados Unidos da América e este, bem, este dispensa apresentações, o mundo inteiro sabe quem ele é.”

  • Santos: Gilmar, Torres, Mauro, Alex e Léo; Zito e Clodoaldo; Robinho, Coutinho, Pelé e Pepe. Tec: Lula
  • Flamengo: Raul, Mozer, Aldair e Domingos da Guia; Leandro, Andrade, Adílio, Zizinho e Júnior; Zico e Nunes. Tec: Coutinho

“Dá Santos.” (Armando Nogueira)

“Santos 3 x 1 Flamengo” (Tostão)

“Dá Santos, Pelé mata a pau.” (José Trajano)

“Ganha o Santos de Pelé, claro.” (Alberto Helena Jr.)

“O Santos seria o grande campeão, pelo seu ataque irresistível e por Pelé.” (Márcio Guedes)

“Flamengo e Santos empatam num jogo magnífico, de quatro gols, chorado e irrepetível.” (Ruy Ostermann)

“Dá Santos, por detalhes. Por exemplo: com marcação forte de lado a lado, sobrariam Pelé e Zico para decidir o jogo numa jogada individual. E nesse caso sou mais o Pelé.” (Ugo Giorgetti)

“Já dizia o velho sábio chinês: ‘Quando não tiver palavras, não fale.’ Então não vou escrever nada sobre o jogo entre Santos e Flamengo, apenas o placar: Santos 10 x 9 Flamengo.” (José Roberto Torero)

“O Flamengo joga em casa, mas o Maracanã é casa também deste Santos, de Pelé, Coutinho, Gilmar, Carlos Alberto, Mauro e Pepe. E diga-se que Robinho, Alex e Léo também não faziam feio no Maraca, não. O Santos repete sua maior atuação no Maracanã. Em 1961, enfiou 7 x 1 no Flamengo, com quatro gols de Pelé e dois de Pepe. Com o Flamengo meteu 3 x 0 na única decisão nacional entre os dois, em 1983, o placar fica 6 x 3, com os quatro de Pelé, dois de Pepe. Como em 1983, Zico, Leandro e Adílio marcam para o Flamengo.” (PVC)

“No que teria de ser a grande decisão, o Santos de Pelé e o Fla de Zico protagonizam um clássico de sonhos, o maior de todos já realizados em todos os tempos. Ao final, o Rei do Futebol justifica a sua coroa e decide a favor da equipe santista, que vence por 5 a 3, uma partida cheia de alternativas no placar e com lances de arrancar aplausos das duas torcidas, de pé, ao mesmo tempo. Zico, em tarde soberba, só faltou fazer chover. Mas o Negão fez… E com direito até a gol de bicicleta, provou que, diante dele, todos os outros supercraques (Maradona, inclusive), no máximo, podem andar de velocípide. Longa vida ao Rei.” (Renato Maurício Prado)

“Agora o Flamengo vai perder, até porque sempre achei que o torneio fora preparado para o Santos ser campeão por causa, exclusivamente, da presença do maior gênio de todos, o Rei. Mas com meu protesto. Eu dera vitória ao Botafogo sobre o Santos — apesar da presença soberana de Pelé neste último time — na primeira fase da competição. E daria de novo. Porque, mesmo com Pelé, não posso admitir que um meio de campo com Zito e Clodoaldo (com todo o respeito aos dois) ganhe de um meio de campo com Didi e Gérson (e mais ainda o Paulo César Caju. Façam-me o favor! Por coincidência, os dois ótimos jogadores — Zito e Clodoaldo — foram os coadjuvantes dos supercraques (eis a diferença!) Didi e Gérson em três Copas conquistadas pelo Brasil (58/62/70). Pois foi exatamente numa crônica de exaltação a Zito (exaltação a Zito, repito) que Armando Nogueira o definiu como “o fiel parceiro de Didi nas contradanças de uma seleção bicampeã mundial”. Que honra para o Zito ser fiel parceiro de Didi!!! Zito merece. Pois é isso que foram os bravos Zito e Clodoaldo: fiéis parceiros de Didi e Gérson. Mas como o Fla nunca teve Didi, nem Nílton Santos, e muito menos Garrincha, vai ganhar o Santos de Zito e Clodoaldo.” (Fernando Calazans)

6 comentários para “Copa dos Sonhos: Pelé.”

  1. Evandro disse:

    Duvide-o-dó que se fosse o Cruzeiro tomaria de 10 a 0.

    Isso é para a cariocada aprender.

    Uma balaiada destas… que vexame!

    E olha que na Internet, nem eles se mobilizando como NUNCA, não conseguiram superar o número de votos que fizeram contra a gente (na recontagem do JKfouri é claro!).

    Ou seja, balaiamos eles na Internet e eles tiraram a nossa chance de fazer uma verdadeira disputa da Copa dos Sonhos.

    Mais uma vez, no regulamento…

  2. Ernesto Araujo disse:

    Mas a verdade é que NA REAL, deu 6-2 e 3-2 pra nós e é isso que a história contará.

    Vamos minha gente
    Vamos bem ligeiro
    Rapido e rasteiro
    Como o ataque do Cruzeiro

  3. No dia 29 de março de 1966 o Cruzeiro já havia vencido o Santos por 4 x3 e em 1967 venceu de 3 x 1 .

  4. Walterson disse:

    O RMP viajou, pra variar. Santos de Pelé e Flamengo de Zico seria o maior clássico de todos os tempos? Só em sonhos, mesmo.

  5. Ernesto Araujo disse:

    Pois é, Ianni… Pra eles ganharem de nós só em SONHOS !

  6. Danilo mazzi disse:

    os times cariocas chamados grandes quando sai do rio é um vexame e as vezesla também, inclusive contra o todo poderoso SA N T O S F C