Chaves: “O time está ficando malandro”

Por SÍNDICO | Em 14 de setembro de 2010

Pitacos de blogueiros e protagonistas do Avaí 1×2 Cruzeiro, na Ressacada, Florianópolis, pela 22ª rodada do Campeoanto Brasileiro de 2010, em 12set10:

  1. André Kfouri, em seu blog: Botafoguenses e cruzeirenses, sejam bem-vindos à disputa do título do BR-10. A quarta vitória seguida colocou o Cruzeiro na área-vip. O Avaí não vence há 7 rodadas.
  2. Décio Lopes, em seu blog: Cruzeiro e Botafogo são os times do momento no Brasileirão 2010. Os líderes tropeçam, Santos e Inter perdem chances importantes de chegarem mais perto do topo… E, enquanto isso, Cruzeiro e Botafogo jogam um futebol convicente, competitivo e, sim, já começam a sonhar com título. Claro que ainda não está fácil. Ainda faltam muitas rodadas, muitas semanas dos altos e baixos de uma competição tão longa. Mas a verdade é que NESTE MOMENTO os times de Cuca e Joel levantam voo na competição. O Cruzeiro tinha um desafio difícil em Florianópolis e foi a campo pronto para isso, no espírito de quem sonha alto nesta competição. A sorte normalmente ajuda quem trabalha e, em dois lances típicos desta fase “pé quente”, o jogo foi resolvido: o pênalti inconsequente de Caio (bem batido por Roger) e o chute mágico de Thiago Ribeiro, que bateu na trave, nas costas de Renan e voltou para o gol. A determinação tática, principalmente na defesa, e a entrega total (típica dos grupos liderados Cuca) seguraram o desespero dos donos da casa, que precisavam muito do resultado mas não mostravam organização para chegar lá. Mesmo levando um golzinho, o Cruzeiro faturou a quarta vitória seguida e os 37 pontos na tabela. (…) Botafogo e Cruzeiro são, sem dúvida, os times do momento. Mas eu que não me arrisco a tentar prever nada mais (até porque no sábado que vem eles se enfrentam e alguém vai perder pontos dramáticos). Só tenho certeza de uma coisa: graças à arrancada espetacular destas duas equipes teremos uma reta final ainda mais emocionante e bonita no Brasileirão 2010. Oba!
  3. Juca Kfouri, em seu blog: Pronto! Botafogo e Cruzeiro chegaram: Na pior das hipóteses para ambos, isto é, se o Corinthians ganhar os três pontos que ainda tem a disputar no primeiro turno, Botafogo e Cruzeiro estão a apenas quatro pontos dos dois líderes do Brasileirão. De fato, ficaram a quatro do Flu e a apenas um do Corinthians depois de suas importantes, e justas, vitórias na tarde deste domingo. (…) Sem ter o investimento de seus concorrentes, fato é que o Botafogo está aí, na disputa do título. Como o Cruzeiro, que passou pelo Avaí sem maiores dificuldades na Ressacada, embora tenha passado por uma certa pressão depois que o time da casa diminuiu a vantagem do visitante que era de 2 a 0. Roger fizera 1 a 0, de pênalti, desnecessário de Caio em Fabrício, mas muito bem dado, e Thiago Ribeiro ampliara, em bola que bateu na trave e nas costas do goleiro Renan, um gol em cada tempo. Aos 34, Laércio diminuiu e deu esperança ao Avaí que, na verdade, em todo o jogo só tinha exigido uma defesa realmente difícil de Fábio: 2 a 1. Não foi das melhores atuações do Cruzeiro, mas foi o suficiente para arrancar mais uma vitória fora de casa, o que faz a diferença neste campeonato. Além do mais, não se pode esquecer, Marquinhos foi expulso logo no começo do segunto tempo. As duas vitórias, no Engenhão e na Ressacada, foram indiscutíveis.
  4. Vinícius Grissi, no blog do Lédio Carmona: Depois de ver os dois primeiros colocados tropeçarem no sábado, não havia outro pensamento para o Cruzeiro senão buscar a quarta vitória consecutiva mesmo muito desfalcado e jogando fora de casa. O adversário era um Avaí em crise, sem vencer há seis partidas, num carregado gramado em Santa Catarina. Logo, os mineiros tomaram a iniciativa do jogo desde o apito inicial. O Cruzeiro tinha a posse de bola, mas não era contundente ofensivamente, muito pela pouca participação de Roger e Thiago Ribeiro. O Avaí sem sua dupla de ataque titular, apostava em Sávio, que ainda sem ritmo de jogo não conseguia dar seqüência às jogadas, obrigando o time a apelar seguidamente para a ligação direta. O fraco primeiro tempo só não passou sem nenhuma nota que merecesse destaque por dois motivos. O primeiro, o gol do Cruzeiro, marcado por Roger em cobrança de pênalti aos 24 minutos, após o único lance de perigo da etapa inicial. O segundo, pela confusa arbitragem do goiano André Luiz de Freitas Castro, que errou a dose nos cartões, deixou de marcar faltas claras e acabou conseguindo desagradar os dois times. No segundo tempo, o Avaí voltou com Leandro Bonfim para melhorar o passe no meio-campo e tentar ficar mais tempo com a bola. O Cruzeiro, com quatro jogadores amarelados voltou com o mesmo time. E não demorou para perder Marquinhos Paraná, expulso. Com um a mais, o Avaí exercia uma falsa pressão. Tinha a bola mas pouco ameaçava o gol de Fábio. Quando tentou abafar o adversário, com as entradas de Laércio e Jéferson, acabou vendo o Cruzeiro praticamente definir o jogo após contra-ataque que começou com a roubada de bola e a saída em velocidade de Fabrício e o passe para Thiago Ribeiro contar com a sorte para marcar. Aos 34 minutos, Laércio diminuiu para os catarinenses, que esboçaram uma pressão mas não tiveram fôlego para buscar o empate. Enquanto os avaianos amargam uma crise e já estão apenas três pontos acima da zona da degola, o Cruzeiro aproveita os tropeços e aos poucos se candidata a brigar pelo título. Das 10 vitórias da Raposa no Brasileirão, nove foram com a diferença mínima no placar. Parece pouco. Mas é mais que suficiente para respeitar o time de Cuca na luta pela ponta.
  5. Leandro Mattos, em seu blog: O Cruzeiro foi sinônimo de valentia neste domingo e cravou sua quarta vitória seguida no Brasileirão 2010, nos últimos seis jogos, dos quais a Raposa não perdeu nenhum. Já são 540 minutos de invencibilidade. O triunfo em terras catarinenses teve paladar ainda mais saboroso com os tropeços de Corinthians (vice-líder) e Fluminense (líder), na abertura da 21ª rodada, ainda no sábado. Com a vitória sobre os 11 de Antônio Lopes, o time de Cuca diminuiu para quatro pontos a distância em relação à ponta da tabela e para um ponto a distância para o Corinthians. Após a partida, o comandante estrelado elogiou a postura azul na Ressacada e o afago foi merecido. Jogando com um homem a menos desde a expulsão de Marquinhos Paraná, aos oito minutos da etapa complementar, a Raposa soube controlar o jogo, ainda marcou mais um gol, mesmo com 10 em campo, e conseguiu segurar a pressão do Avaí, que sufocou depois da metade do segundo tempo. O time segue em quarto lugar no Nacional, empatado com o Botafogo no número de pontos, mas com menos seis gols de saldo. O ponto negativo foi a constatação definitiva de que o recém-chegado Walter Montillo é daqueles jogadores que realmente fazem falta a uma equipe. O time sentiu muito a falta de criatividade do argentino ali na ‘meiuca’. Faltou a boa ligação entre o meio-campo e o ataque, o que levou o time a rifar bolas e precisar do jogo aéreo em muitos momentos, com bolas alçadas e longos lançamentos. A troca de passes ficou prejudicada. Mas o que importou mesmo, segundo Cuca, foram os três pontos e a aproximação com os líderes. Segundo o treinador, um triunfo diante do Guarani, nesta quarta, colocará o Cruzeiro definitivamente na briga pela taça.
  6. Fábio, goleiro do Cruzeiro: A gente jogou com bastante concentração e, com muita dedicação, conseguimos sair daqui com a vitória. Conquistamos mais três importantes pontos, que deixa o time cada vez mais confiante.
  7. Jonathan, lateral-direito do Cruzeiro: O Campeonato Brasileiro é muito longo e em muitos lances é necessário parar uma jogada e tomar o cartão. Mesmo de fora, tentarei ajudar o grupo, seja dando força ou nos treinos. O Cruzeiro tem um excelente elenco e boas peças de reposição. Nosso foco é o título e estamos caminhando bem para isso.
  8. Leo Simões, beque do Cruzeiro: Tudo mundo se empenhou, desde o ataque, o meio-de-campo, a defesa. Tivemos um jogador a menos em campo, levamos o gol, mas o time suportou bem e está de parabéns pela vitória.
  9. Diego Renan, lateral-esquerdo do Cruzeiro: Infelizmente levei o amarelo, em um lance em que eu achei que não merecia. Mas isso acontece. Contra o Guarani, não estarei em campo, mas ficarei na torcida com meus companheiros, ajudando da mesma forma.
  10. Fabrício, volante do Cruzeiro: Estou feliz de estar jogando e nosso time esta aí, com objetivo grande e a gente sabe que a luta é maior ainda. Todo mundo está se dedicando, a gente perdeu um jogador importante hoje, é um jogador que a gente tem um carinho muito grande e por isso nos doamos ainda mais e também dedicamos esta vitória ao nosso auxiliar técnico Cuquinha. Tem de ser assim, jogar contra o Leão da Ilha tem de ser um leão também, tem de se dedicar, porque jogar contra o Avaí aqui é muito difícil, tem de se entregar, eles não estão em uma fase muito boa, mas é um time forte em casa. Graças a Deus, as coisas deram certas pra mim e pro Cruzeiro. Estamos chegando, estamos encostando, mas deixa as coisas assim como estão, vamos ficar quietos.
  11. Henrique, volante do Cruzeiro: Claro que, com um homem a menos, ficou difícil, tivemos que correr a mais durante grande parte do 2º tempo. Mas a equipe se portou bem, teve maturidade para sair com o resultado.
  12. Roger Galera, meia do Cruzeiro: Tentei atrasar o máximo minha passada na cobrança do pênalti para confundir o goleiro, e ele caiu, não ficou no meio e escolheu um canto. Então eu puder chutar no outro para abrir caminho para nossa vitória. Acho que são os jogos assim que colocam a gente em condições de brigar pelo título, o comprometimento do grupo. Cuca hoje me pediu para fazer uma função diferente e eu me doei bastante para tentar fazer o melhor papel tático naquilo que foi me solicitado. Lamento, mas são coisas que acontecem. Não sei quem vai voltar, mas que possa suprir a ausência da mesma maneira dos que estão. Acho que é assim que se forma um grupo campeão, com todos jogadores de qualidade e uns substituindo as ausências de outros, dentro de suas características e em prol do coletivo.
  13. Thiago Ribeiro, atacante do Cruzeiro: Fabrício roubou a bola, parti em diagonal, recebi em profundidade, consegui arrumar um espaço entre os zagueiros pra chutar. A bola já merecia ter entrado na primeira, acabou batendo na trave, contei bastante com a sorte também que pegou na cabeça do goleiro e entrou. No mínimo espaço que consegui, chutei bem a gol. Fui competente e contei com a sorte também para a bola entrar.
  14. Cuca, treinador do Cruzeiro: Não foi no final com um jogador a menos, isso aconteceu durante 42 minutos, o Marquinhos Paraná foi expulso aos 8 e o jogo foi até 50, então jogamos 42 minutos com um jogador a menos. O adversário com cinco atacantes, a torcida fazendo uma pressão enorme, é normal que você se defenda, mas não passamos assim grande susto. A posse de bola lógica que era do Avaí, depois com a expulsão e a saída do Farias o plano era o contra-ataque com o Thiago, mas demos uma relaxadinha, tomamos o gol e foi perigoso, pois colocou o Avaí de novo na partida e ai deu emoção até o final. Mas o pessoal está de parabéns, pela luta, entrega enorme, aliada a disposição e técnica deles. O adversário ficou todo projetado à frente com a expulsão. Eles não tinham mais nada a perder, mas nos tivemos dois bons contra-ataques um com o Fabrício, que o goleiro pegou e o gol com o Thiago que deu um desafogo. Depois tivemos uma desatenção e sofremos o gol e até o final ficamos no perigo de tomar a qualquer momento um gol, mas a gente fica muito contente por isso. Aqui é complicado jogar. O Avaí é rápido, envolvente, e se você der velocidade para eles, você dança. Fizemos um jogo bom, em todos os aspectos. O Cruzeiro é uma equipe madura, sabe se portar bem em campo e sabe passar por momentos difíceis, jogou com 42 minutos com um jogador a menos. Foi um jogo de superação, soubemos jogar pelo resultado e foi a nossa quarta vitória seguida.
  15. Octacílio da Matta, médico do Cruzeiro: Luxação, na verdade, é uma desarticulação. Só que isso aconteceu no quinto dedo, ou seja, o dedo menos importante da mão esquerda. Fizemos uma redução de imediato. Imobilizamos parcialmente e ele conseguiu completar o jogo. Agora, já entramos com o tratamento em definitivo e acredito que vai evoluir tudo bem. O Montillo já treina normalmente, fazendo praticamente todas as atividades, e as possibilidades são muito boas para o retorno dele no meio de semana. Já o Wellington Paulista a gente vai aguardar mais um pouco para dar um posição definitiva.
  16. Eltinho, lateral-esquerdo do Avaí: A fase não está boa. A bola bate na trave, no Renan e entra. Precisamos do apoio da torcida, vamos tentar vencer na próxima rodada.
  17. Sávio, atacante do Avaí: O momento realmente preocupa e é ruim, mas também é um momento de não baixar a cabeça. Sabemos que temos condições de superar, pois temos um grupo de muita qualidade e demonstramos isso ao longo da competição. Não adianta desesperar nesta fase, o apoio de todos é fundamental e essa união que nós temos precisamos de ainda mais. Quando há momentos assim temos que trabalhar, pois só nós podemos reverter esse quadro.
  18. Antônio Lopes, treinador do Avaí: O negócio é trabalhar, nós da comissão técnica e os jogadores é quem precisamos reverter essa situação. Não podemos desanimar, não pode ‘baixar a guarda’ tem que prosseguir buscando a mudança desta fase. Aliado a isso nós estamos com um problema de falta de sorte, isso fica claro no segundo gol que nós tomamos, a bola bateu na trave, nas costas do goleiro e entrou. É um momento horrível que nós estamos vivendo, uma fase ruim. A gente sabe que este é um campeonato difícil, longo que esses períodos aparecem na maioria dos clubes que estão disputando, ficar um número exagerado de jogos sem vencer. Isso é fruto da competição longa e da ausência de jogadores ditadas por contusão, cartões, a gente já sabe que isso acontece sem dúvida nenhuma.
  19. Chaves, no PHD: Gostei muito do jogo hoje, pois foi uma vitória motivada pela organização tática do time no 1º tempo e a superação e raça dos jogadores no segundo tempo. E o time está tendo a malandragem pra segurar resultados que faltaram em outras ocasiões. No 2º tempo, bola no pé do Roger, ele conseguia gastar o tempo. Jonathan também está bem malandro pra segurar resultado. A torcida do Avaí tava pra entrar em campo de tanto que o Cruzeiro amarrou o jogo.
  20. Elias Guimarães, no PHD: Muito bom. Início cauteloso, saindo devagarinho, administrando os nervos da equipe e torcida do Avai. Ai, uma blitz sensacional. com um penalti incontestável. O Avai bateu muito, o Cruzeiro também, mas parecia que V. Exa., o árbitro, só via falta dos visitantes. Complicadinho, o camarada. Ai um mortal contra-ataque, com a sorte nos sorrindo. Um vacilo natural, uma catimba pontual e estamos a 4 pontinhos do líder.

72 comentários para “Chaves: “O time está ficando malandro””

  1. DALMIR FERNANDES disse:

    É importante vencer e estar na ponta da tabela, mas os jogadores tem de continuar com a mesma pegada e não ficar de salto alto.
    A mídia toda só fala no cruzeiro, temos que ter cuidado.

    • Rogério disse:

      Concordo, esta badalação da mídia geralmente nos faz mal.

    • walfrido disse:

      É complicado. Eu encho o saco da midia pq não divulgam o Cruzeiro devidamente. E quando eles começam a badalar o Cruzeiro eu tb fico com esse frio na barriga desses malas sem alça zicarem nosso time. Fora o tanto que os outros times vão analisar cada vez mais com lupa nosso time. ehehehehee

    • Naldo disse:

      Inevitável. O time esta em grande ascensão e jogando com muita competência. Esta na briga pelo título. Faz parte do pacote. Os jogadores e demais profissionais que trabalham na Toca, bem como a torcida tem que saber lidar com isto. Estamos bem na fita.

  2. Elias disse:

    “Alegriiiaa geraaaal no mundo azuuuul”…frase do saudoso Carlos Cesar Pinguim.

  3. Lamparina Acesa disse:

    É aquela idéia do Cuca: jogar mal ou não jogar tão bem e vencer, é o que importa. Não adianta jogar bem e perder. Se se pudesse jogar bem e ganhar – é o céu estrelado. Mas diante dos desfalques(contusão, cartões etc) não há como jogar 100%. Vamos em busca do título. Somos o Maior de Minas e como tal temos de nos valer da nossa força. O grupo tá fechado entorno de um ideal de superação sob comando do Cuca. Temos de comer o bugre amanhã. Ainda que a torcida não tenha se interessado muito pelo jogo, temos de comer o bugre, pra no final-de-semana, encarar o bota com o regulamento na mão.

    • walfrido disse:

      É isso aí. Não tem desculpa pra torcida de BH, 7 Lagoas e região não esgotarem os parcos 18 mil ingressos. E mais, não é só comparecer. É jogar junto. Ferver o caldeirão. Atropelar esse Bugre. Imaginem como seria excelente psicologicamente (e pq não “tabelisticamente”) uma goleadinha amanhã??? Mas se vier mais uma goleada Cuquiana de 1 a 0 eu vou ficar feliz da vida também…

      • Rogério disse:

        Jogo 19:30 fica complicado para muita gente de BH comparecer, a maioria trabalha até as 18:00h., 19:30 até no Mineirão é complicado de chegar.

      • walfrido disse:

        E se for as 21 ou 22hs fica tarde pra voltar, né? Ou seja, as desculpas já estão todas engatilhadas. Não to falando de vc, Rogerio. Mas não entra na minha cabeça o fato de não conseguirmos arrumar 20 mil pessoas numa região de quase 4 milhões pra ver o Cruzeiro em anscensão (num é assim que escreve, é?) após várias semanas longe do time. Vou dizer: torcida de simpatizantes!

      • Rogério disse:

        A questão neste caso é tempo, é impossível sair de BH 18:00hs e chegar na Arena as 19:30hs., no meu caso específico é o único motivo que me tira deste jogo.

  4. OT – PHDs de Brasilia
    Amanhã e Quinta estarei no DF a trabalho, espero conhecer a turma na Embaixada Azul, estarei la assistindo a partida.
    Dylan aparece por la também
    Abraços

  5. Amácio Gattuno disse:

    Montilho, meia do Cruzeiro: “Tem que ter os pés no chão e ser humilde, porque ainda falta muito, não conquistamos nada.”

    • Ernesto Araujo disse:

      Não convivo de perto com esse trio argentino e talvez seja muito cedo para se dizer algo a respeito da personalidade deles MAS, aparentemente, eles são humildes. O Montillo parece ser introvertido e de poucas palavras, até pela dificuldade no idioma. O Farias e o Prediguer mais ou menos na mesma linha. Melhor assim. A última coisa que o Cruzeiro precisa agora é de jogador mascarado, seja ele de onde for.

  6. 5.400 ingressos até o final desta tarde, para o jogo contra o Guarani.

    • walfrido disse:

      Pouco. Não acredito que venderão o dobro amanhã. Mas vou aguardar antes de criticar.

      • Geniba disse:

        Mais 5 eu garanto amanhã!

        Mas, Walfrido, esse tipo de jogo, em Sete Lagoas, nêgo só compra na hora, porque não tem certeza se vai, se conseguirá chegar a tempo, etc. Eu vou compra antecipado porque só vou sair daqui às 17h. Se fosse sair às 16h, deixaria pra comprar lá.

      • walfrido disse:

        Não entendo nossa torcida em alguns momentos. Qual a desculpa? Tb acho que mais 5 mil vende amanha, o que será MUITO pouco. Tomara que vc esteja certo e o povo apareça de ultima hora. Mas eu desanimo.

      • Rogério disse:

        Tá fraco mesmo, esperava muito mais gente, mas vamos aguardar, tem muito tempo ainda até o jogo.

    • Arísio disse:

      Amanhã vou receber o cuuunhado do Sangue Azul a cá! Quem mais estiver vindo para o jogo e for chegar mais cedo, entre em contato.

  7. Geniba disse:

    Malandra é a vaca, que já nasce malhada para não fazer academia.
    Malandro é o camelo, que nasceu com as duas bolas nas costas pra não tomar chute no saco.
    Malandro é o pato, que já nasce com os dedos colados para não usar aliança.
    Malandro é o carangueijo, que anda de lado para tirar o c* da reta.
    Malandro é o gato, que nasce de bigode e mora no telhado para não pagar aluguel.
    Malandro é o peixe boi, que finge de peixe para não virar churrasco.
    Malandro é o Mario, que tira moeda ate de tijolo.
    Malandro é o sapo que casa e leva a mulher pra morar no brejo.
    Malandro é o cavalo-marinho, que finge de peixe para não puxar carroça.
    Malandro é o adão, que nasceu primeiro para não ter sogra.
    Malandro é o dono da sauna.. que ganha dinheiro com o suor dos outros.

  8. Amácio Gattuno disse:

    O possível fracasso de público no jogo de amanhã deveria fazer o clube esclarecer suas prioridades.

  9. Binho disse:

    E continuamos com sucessivas declarações dos jogadores que vamos ser campeões brasileiros. Me irrita muito essa falta de humildade. O time de 2003 jamais deu esse tipo de declaração, que eu me lembre. Agora, nem na liderança chegamos e todo mundo vai a imprensa dizer isso. Muito chato.

    • Mauro França disse:

      Não li nenhum site hoje, mas quais foram os jogadores que deram estas sucessivas declarações? A declaração do Montillo vai justamente na contramão do oba-oba.

    • Walterson disse:

      Concordo. Uma coisa é focar nesta meta e deixar a torcida fazer o oba-oba; outra muito diferente é sair falando que vai ser campeão.

  10. Walterson disse:

    Que coisa, nenhum comentarista falou sobre a fantástica partida do Roger.

    • Mauro França disse:

      Marcinho, Henrique…. Arrumou outro, hein, Walterson? Ninguem falou da fantastica partida do Roger porque ele não fez uma partida fantastica. Simples assim. Foi bem, cumpriu uma função tatica, mostrou vontade. Se continuar assim, tá bom. E olha que eu sempre fui um dos criticos mais ferrenhos do Roger na sua fase maria-mole. Mas se o cara corresponde, temos que reconhecer.

      • Sobrinho disse:

        Acho que sei o que o Walterson quer dizer. O Roger fez um ótima partida, no nível de uma ótima partida do Everton, jogando na posição do Everton. Para fazer a função que o Roger fez contra o Avai talvez fosse melhor entrar de Everton mesmo. Roger tem que fazer a diferença é no ataque, para cobrir lateral tem jogador no elenco mais qualificado para isso. Mas também não acho que essa opção do Cuca deva ser questionada. Não importa se ele gosta de colocar centroavante de lateral ou meia de assistente de lateral, o importante é o resultado aparecer, independente do gosto do treinador.

      • Ernesto Araujo disse:

        Concordo com Sobrinho. Roger precisa fazer a diferença é no ataque. Mas se ele teve a humildade de cumprir a determinação do treinador e o fez com competencia, temos que reconhecer. E, no esquema “cada jogo é uma decisão”, o importante são os 3 pontos.

      • Walterson disse:

        Valeu, Sobrinho. Tentei dizer isto um monte de vezes mas parece que sempre soou como perseguição ao jovem mancebo. Não discuto a boa atuação do Roger mas prefiro que ele resolva lá na frente. Afinal, este negócio de só ganhar no limite dá nos nervos.

      • Mauro França disse:

        Mas o Everton não podia jogar…

      • Mauro França disse:

        E eu não quero ver o Roger de lateral. Desci o malho quando ele cobrou titularidade pela imprensa. Mas não posso deixar de reconhecer que ele melhorou bastante nos últimos jogos. Isso não é falar que ele teve uma atuação fantastica, é?

      • Sobrinho disse:

        Não usaram o termo fantastico aqui, mas usaram termo similar. Mauro, o Everton foi apenas um exemplo de um jogador que poderia fazer a mesma funçao de fomar mais eficiente.

  11. Naldo disse:

    Discordo totalmente do Leandro Mattos. Qualquer time brasileiro que contratar um jogador do nipe do Montillo irá sentir a sua ausência em campo. Até o Barcelona sente a falta do Messi. Onde esta o ponto negativo deste fato? O Cruzeiro deveria ter um outro Montillo no banco? Impossível e inviável. Nada de negativo, apenas normal.

  12. Naldo disse:

    Charles, eu não diria malandragem, e sim sabedoria, maturidade. O Cruzeiro tem buscado sempre marcar primeiro, e quando o faz é muito difícil o adversário conseguir o empate. A defesa esta bem postada e firme, e o contrataque é sempre muito rápido e perigoso. E às vezes funciona. No jogo em que saímos perdendo que foi para a SEP, tivemos força, equilíbrio e capacidade para virar o jogo. O time tem cara e jeito de campeão.

    • Walterson disse:

      Então, será que é tão difícil fazer o time jogar assim? Se tivemos forças pra buscar 3 gols, não temos pra abrir uns 3 gols de diferença? Das 10 vitórias, 9 foram pela diferença mínima. Veja bem, não estou reclamando mas é duro ver que temos condição de fazer um placar elástico e sempre ficamos no quase. Eu queria pelo menos uma goleada de 2×0.

      • Geniba disse:

        é impressionante como conseguem reclamar até nas vitórias!!! que chatice!!!

      • Walterson disse:

        Genibaldo, leia aí que “… não estou reclamando…”.

      • Naldo disse:

        Walterson, o time não sobra, mas tambem não falta. Cada partida é uma decisão e o time tem jogado para ganhar e tem conseguido. Goleada pode acontecer naturalmente quando menos esperarmos, dependerá das cricunstância, num daqueles dias em que bola teimar em acertar o barbante. Neste dia, até o MP fará gol.

  13. Arísio disse:

    Fui lá ver o treino na Arena. Cheguei tarde e peguei apenas rodas de bobinho, alongamentos e entrevistas. O Cuca deu uma brecha perto de onde eu estava e cutuquei sobre o gramado. Disse que “estava melhorando”. Ambiente bem descontraído entre os jogadores, Montillo e Henrique esbanjando simpatia com os torcedores, Farias de cara fechada e WP bem tranquilo. Sei não, podemos ter a volta dele com a 9 amanhã. Capítulo a parte pro Fábio. Deviam ter umas 150 pessoas assistindo o treino e gritando o nome do goleiro a todo o momento. Quando apareceu foi uma loucura. E tem muita noção da idolatria da torcida com ele. Muito solícito e paciente com todos que queriam fotos e autógrafos. Todos mesmo, crianças, jovens e idosos.

    • Amácio Gattuno disse:

      O gramado voltou a receber críticas. Que dureza.

      • Arísio disse:

        AG, te garanto que o gramado é o menor dos problemas da Arena, para os jogadores. A proximidade do torcedor com o campo tem dado mais dores de cabeça. Mas assumir isso não pega bem…

      • Amácio Gattuno disse:

        Então o clube podia solicitar a CBF uma autorização para jogar o restante das partidas somente como visitante. Um problema a menos para todos.

      • Arísio disse:

        Melhor é a torcida parar de ciclotimias durante as partidas e parar de apupar o time a qualquer lance errado. O caldeirão tem que funcionar a favor do Cruzeiro e não, do adversário.

      • Amácio Gattuno disse:

        É inegável que a torcida do Cruzeiro vive, essencialmente, a reboque do time. O caldeirão vai funcionar muito mais pela postura do time em campo. Do contrário, escutaremos o mesmo discurso batido sobre os cornetas, tropeiristas, anticruzeirenses, etc, etc, etc…

    • Arísio
      Estou precisando de um hotel de amanhã pra quinta , apto para casal?

    • Arísio disse:

      Ainda sobre o gramado, amigo meu estava dentro do campo e acompanhou de perto as entrevistas. Ressalto uma entrevista do Benecy comentando que, em MG, o gramado só perde para o do Parque do Sabiá. Tem todas as condições para a prática de um bom futebol. Outra observação é sobre uma equipe de reportagem que enfiou a câmera numa pequena falha da grama próxima a bandeira de escanteio. Não deu pra identificar mas, como a ideia é levantar polêmica, chuto que é a turma do AE.

      • Arísio disse:

        Ah! E já ia me esquecendo de comentar que quando cheguei já bati o olho no dedo machucado do Fábio. Sem problemas para amanhã. Está usando uma pequena proteção que, ao que parece, não impede os movimentos normais da mão.

  14. Amácio Gattuno disse:

    A filosofia minimalista de resultados já virou polêmica?

  15. Kimbundo disse:

    21. Kimbundo, no PhD: Alguma coisa temos que ganhar em 2010, nem que sejam votos de prosperidade para 2011.

  16. Lamparina Acesa disse:

    Andrade – boa sorte. Ainda que tenha ganho o brasileirão pelo Flamengo, ele não ganhou credibilidade. Mas de qualquer forma no Ipatinga ele tem a chance de mostrar trabalho. Mas tirar esse Ipatinga do fundo do poço será uma tarefa inglória. E olha que esse ano o que já passou de técnico nesse time.