Arquivo da Categoria ‘Números’

Cruzeiro tem o elenco mais valioso do Brasil

domingo, 12 de março de 2017

TRANSFERMARKT, site alemão especializado em negócios do futebol, precificou os elencos dos times da Série A do Brasileiro, Eis os valores, em milhões de reais:

  • 1. Cruzeiro, 253 —– 2. Sumpaulo, 231 —– 3. Franga, 228 —– 4. Palmeiras, 208 —– 5. Fla, 188 —– 6. Grêmio, 178 —–  7. Corintiãs, 161 —– 8. Santos, 155 —– 9. Flu, 144 —– 10. Paranaense, 123 —– 11. Vasco, 115 —– 12 Sport, 110 —– 13. Bota, 96 —– 14. Bahia, 91 —– 15. Vitória, 91 —– 16. Coxa, 88 —– 17. Chape, 73 —– 18. Ponte, 66 —– 19. Avaí, 30 —– 20. Goianiense, 29.

Como se vê, são os times participantes do próximo Brasileiro. Cruzeiro, o mais caro de 2016, continua assim em 2017.

E, agora, vamos ter que disputar os torneios ou é melhor pegar os canecos por antecipação?

Sem limites

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

RODRIGO CAPELO, na revista Época, em 10fev17:

O FUTEBOL SEM LIMITES

A primeira grande contratação do Cruzeiro em 2017 foi Thiago Neves. De volta ao Brasil após três temporadas no Oriente Médio, badalado pelas boas campanhas que fez no Fluminense e no Flamengo na última década, o atleta, como você pode supor, não é dos mais baratos do país. O clube não teve de desembolsar para comprar os direitos econômicos do meia, visto que ele se desligou do ex-time Al Jazira e alegou ter levado um calote, mas a remuneração dele está em torno de R$ 800 mil por mês. As finanças do clube celeste vão dar conta? A realidade é que ninguém pode cravar essa resposta com segurança. O Cruzeiro não trabalha com orçamentos.

Montar um orçamento é uma das práticas mais básicas de um departamento financeiro – até no futebol. Os responsáveis projetam quanto vão arrecadar com cada fonte de receita, entre televisão, patrocinadores e estádio, e calculam quanto vão gastar. Aí entram salários e gastos administrativos. Tudo o que sai do caixa. No fim do cálculo ainda aparecem as despesas financeiras com juros, impostos não pagos, acordos, enfim, os custos com dívidas acumuladas no passado. Se o resultado ficar azul, ótimo, haverá dinheiro para investir. Se ficar vermelho, empréstimos terão de ser tomados ou atletas terão de ser vendidos. O Cruzeiro não tem ideia de nada disso.

ÉPOCA procurou os clubes mais populares do país e pediu a eles os orçamentos para 2017. O Cruzeiro, por meio de sua diretoria de comunicação, afirmou que o clube “não divulga os números de orçamentos”. No Brasil há clubes que publicaram os documentos espontaneamente em seus sites oficiais – Flamengo, Internacional, Grêmio. Há clubes que, após o contato da reportagem, enviaram os números sem colocar restrições – Palmeiras, Atlético-MG, Botafogo. Já o Cruzeiro alegou que por “normas” da casa não abre o orçamento, na íntegra ou parcialmente. Não é verdade. ÉPOCA ouviu de dois interlocutores da direção que o time mineiro nem sequer tem um.

Não que a existência de um orçamento blinde o clube de problemas nas finanças. Na verdade, os brasileiros têm uma série de vícios: superestimar receitas, subestimar despesas, apostar que dezenas de milhões de reais entrarão com transferências de atletas. Mas um planejamento é ao menos um parâmetro. Uma base. Na hora em que o empresário trouxer uma proposta para que o clube pague R$ 800 mil por mês a, digamos, Thiago Neves, os departamentos financeiro e de futebol terão uma noção do impacto que a contratação e os salários causariam nas contas do time. Some a isso os fatos de o Cruzeiro ter uma das folhas salariais mais altas do futebol brasileiro e uma dívida que mais do que dobrou em cinco anos, e o resultado da falta de planejamento pode ser catastrófico.

Pra mim, nenhuma novidade. Há 5 anos, venho repetindo essa ladainha da falta de planejamento e de rumos do Cruzeiro.

Se o Cruzeiro conseguir chegar vivo a 2019, o próximo presidente terá de ser um bombeiro. E por muito tempo.

Qual é o seu time na NFL?

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

LIGA DOS 32 fez um enquete entre seus leitores a fim de apurar o tamanho das torcidas da NFL no Brasil.

  • Packers, Seahawks, 49ers, Patriots (entre 12,6% e 10%) —— Cowboys (5,8%) ——- Eagles, Ravens, Giants, Broncos, Colts, Cardinals, Saints, Steelers, Vikings (entre 4,5% e 3,3%) —— Bills, Jets (2,2% e 2%) ——- Bears, Panthers, Dolphins, Redskins, Chargers, Raiders, Lions (entre 1,1% e 0,5%) —— Rams. Hawks, Browns, Titans, Bengals, Buccaneers, Texans, Chiefs, Jaguars (entre 0,4% e 0,2%).

E o seu time, comentarista do PHD, qual é? O meu é o Packers.

Até que 2016 não foi tão ruim

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Este foi o desempenho do Cruzeiro em 2016:

  • APROVEITAMENTO de 56% em 66 jogos, com 32 vitórias, 15 empates, 19 derrotas, 94 gols marcados, 74 sofridos e 111 pontos.
  • JOGOS: 2×0 RioBranco — 1×1 Criciúma — 0x0 Urt — 2×1 Tombense — 1×0 Tupi — 3×4 Fluminense — 1×0 Tricordiano — 1×1 América — 1×0 Caldense — 2×1 Paranaense — 3×0 Uberlândia — 3×2 Villa1×0 Franga — 2×0 Guarani — 3×2 Boa — 0x2 América — 0x0 Campinense — 0x0 América — 3×2 Campinense — 2×0 Londrina — 0x1 Coritiba — 2×2 Figueira — 1×4 Santa — 1×1 América — 1×0 Botafogo — 0x1 Sumpaulo — 3×2 Franga — 0x1 Flamengo — 0x2 Grêmio — 4×0 Ponte2×1 Palmeiras — 2×3 Chape — 2×2 Vitória — 2×1 Vitória — 0x3 Paranaense — 0x2 Fluminense — 2×1 Vitória — 1×2 Sport — 0x2 Santos — 4×2 Inter — 1×1 Corintiãs — 2×2 Coritiba — 2×1 Figueira — 2×0 Santa — 5×2 Botafogo — 2×0 América — 0x2 Botafogo — 0x1 Sumpaulo — 1×1 Franga — 1×0 Botafogo — 1×2 Flamengo — 1×2 Corintiãs — 1×0 Grêmio — 2×0 Ponte — 0x0 Palmeiras — 0x0 Chape — 4×2 Corintiãs — 1×0 Vitória — 0x2 Grêmio — 0x1 Paranaense — 0x0 Grêmio — 4×2 Fluminense — 1×0 Sport — 2×2 Santos — 0x1 Inter — 3×2 Corintiãs.
  • PERFORMANCES: Mineiro: 3º lugar, apesar de ter feito a maior pontuação — Primaliga: desclassificado na fase de grupos — Copa do Brasil: desclassificado nas semifinais — Brasileiro: 12º lugar — RapoCota: 2 vitórias e 1 empate.

Não foi de todo ruim. Ou muito me engano, caro leitor?

O preço dos estaduais

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

CÁSSIO ZIRPOLI publicou no Diário de Pernambuco os valores que a TV pagará pra mostrar os principais certames estaduais em 2017.

  • PAULISTA. Alcance da TV aberta: 43,8 mi de telespectadores —– Contrato: Globo SP (2016-19), inclui Sportv e PPV, R$160 mi (16 clubes; 12 a 18 jogos dos grandes) —– R$17 mi pra Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Santos. R$5 mi pra Ponte. R$3,3 mi pros outros 11 clubes, R$5 mi pro campeão, R$1,65 mi pro vice, R$1,1 mi pro 3º lugar.
  • CARIOCA. Alcance da TV aberta: 56,8 mi de telespectadores. —– Contrato: Globo Rio (2017-24), inclui PPV, R$120 mi (16 clubes, 11 a 18 jogos dos grandes —– R$15 mi pra Flamengo (a confirmar), Vasco, Fluminense e Botafogo —– R$3,2 mi pra Bangu, Madureira, Volta Redonda e Boavista. R$2,1 mi pros 9 outros clubes, R$4 mi pro campeão, R$1,8 mi pro vice. R$250 mil pros semifinalistas.
  • MINEIRO. Alcance da TV aberta: 20,6 milhões de telespectadores —– Contrato: Globo Minas (2017-21) inclui PPV, R$36 mi (12 clubes; 11 a 15 jogos dos grandes) —– R$12 mi pra Cruzeiro e AtléticoMG, R$2,8 mi pro América, R$850 mil pros demais 9 clubes.
  • GAÚCHO. Alcance da TV aberta: 11,1 mi de telespectadores —– Contrato: RBS TV (2017), inclui PPV, R$ 33,8 mi (12 clubes; 11 a 17 jogos dos  grandes) —– R$11 mi pra Grêmio e Inter, R$1,5 mi pra Juventude e Brasil, R$1,1 mi pros outros 8 clubes.
  • PERNAMBUCANO. Alcance da TV aberta: 9,6 mi de telespectadores —– Contrato: Globo Nordeste (2015-18), inclui PPV, R$3,84 mi (12 clubes, 10 a 14 jogos dos grandes) —– R$950 mil pra Náutico, Santa e Sport, R$110 mil pros 9 outros clubes.
  • BAIANO. Alcance da TV aberta: 14,4 mi de telespectadores. —– Contrato: Rede Bahia (2016-2020), inclui PPV, R$2,71 mi (11 clubes, 10 a 14 jogos dos grandes) —– R$850 mil pra Bahia e Vitória, R$113 mil pros outros 9 clubes.
  • CEARENSE. Alcance da TV aberta: 8,7 mi de telespectadores —– Contrato: Verdes Mares (2016-19), Esporte Interativo (2017-18), R$2,56 milhões (10 clubes, 9 a 15 jogos dos grandes —– R$800 mil pra Ceará e Fortaleza, R$120 mil pros outros 8 clubes.
  • PARANAENSE. Alcance da TV aberta: 10,7 mi de telespectadores —– Contrato em negociação: RPC (12 clubes, 11 a 17 jogos dos grandes).

A margem de errro

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Jorge Santana,

Há um tempo atrás você publicou um post meu explicando como se calcula a margem de erro de pesquisa de opinião neste LINK.

Pois bem, fiz uma análise com base no erro esperado para o percentual estimado pela Paraná Pesquisas para cada time. Os resultados nacionais foram:

time            %            ME            LS            LI
nenhum 19,5 0,8 20,3 18,7
1 Flamengo 16,2 0,7 16,9 15,5
2 Corinthians 13,7 0,7 14,4 13,0
3 São Paulo 7,4 0,5 7,9 6,9
4 Palmeiras 5,8 0,4 6,2 5,4
5 Vasco 4,6 0,4 5,0 4,2
6 Cruzeiro 4 0,4 4,4 3,6
7 Grêmio 3,5 0,4 3,9 3,1
8 Santos 3,1 0,3 3,4 2,8
9 Atl-MG 2,8 0,3 3,1 2,5
10 Internacional 2,7 0,3 3,0 2,4
11 Bahia 2 0,3 2,3 1,7
12 Botafogo 1,7 0,2 1,9 1,5
13 Fluminense 1,6 0,2 1,8 1,4
14 Sport 1,3 0,2 1,5 1,1
15 Ceará 1,1 0,2 1,3 0,9
16 AtléticoPR 0,8 0,2 1,0 0,6
17 Fortaleza 0,8 0,2 1,0 0,6
18 Vitória 0,8 0,2 1,0 0,6
19 Coritiba 0,7 0,2 0,9 0,5
20 Santa Cruz 0,7 0,2 0,9 0,5
outros 5,1 0,4 5,5 4,7
  • ME: margem de erro para o percentual estimado
    LS: limite superior do percentual estimado, considerando a ME
    LI: limite inferior do percentual estimado, considerando a ME

Podemos tirar algumas conclusões:

  1. Não há empate técnico entre o cinco primeiros colocados;
  2. Há empate técnico entre o Vasco (5º colocado, com intervalo de torcida de 4,2 a 5,0%) e Cruzeiro (com intervalo de torcida de 3,6 a 4,4%);
  3. Também há empate técnico entre Cruzeiro e Grêmio, ou seja, o Cruzeiro tanto pode ter a 5ª maior torcida, à frente do Vasco, quanto pode ter a 7ª, atrás do Grêmio.

Em linguagem estatística, pelo resultados da pesquisa, pode-se afirmar, com 95% de certeza, que as quatro maiores torcidas do País são, nessa ordem, Flamengo, Corinthians, São Paulo e Palmeiras. Também se pode afirmar, com 95% de certeza, que a 5ª maior torcida do País é Vasco ou Cruzeiro.

Fiz a mesma tabela de margens de erro para as torcidas na região Sudeste. Os resultados foram:

time  %            ME            LS             LI
nenhum 18,9 1,1 20,0 17,8
1 Corinthians 18 1,1 19,1 16,9
2 Flamengo 13,8 1,0 14,8 12,8
3 São Paulo 10 0,9 10,9 9,1
4 Cruzeiro 8,8 0,8 9,6 8,0
5 Palmeiras 7,2 0,8 8,0 6,4
6 Atl-MG 5,7 0,7 6,4 5,0
7 Vasco 5 0,6 5,6 4,4
8 Santos 4,5 0,6 5,1 3,9
9 Fluminense 2,5 0,5 3,0 2,0
10 Botafogo 2,2 0,4 2,6 1,8
outros 3,4 0,5 3,9 2,9

Aqui também não há empate técnico entre os três primeiros colocados, mas há empate técnico entre o 3º colocado (São Paulo, com 9,1 a 10,9%) e o 4º colocado (Cruzeiro, com 8,0 a 9,6%). No limite da margem de erro, também há um empate técnico entre o Cruzeiro e o Palmeiras (5º colocado, com 6,4 a 8,0%).

Infelizmente, não foram publicados os resultados por sexo, idade, renda, escolaridade e estado. Estou lhe enviando meus comentários por e-mail, porque se fosse incluir no blog eu extrapolaria o número de caracteres máximo.

Abs,
Marcos Pinheiro

Gigante no Sudeste

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Eis o percentual de cada torcida no SUDESTE brasileiro:

1. Corinthians, 18% —– 2. Flamengo, 13,8% —– 3. São Paulo, 10% —– 4. Cruzeiro, 8,8% —– 5. Palmeiras, 7,2% —– 6. Alt. Mineiro, 5,7% —– 7. Vasco, 5% —– 8. Santos, 4,5% —– 9. Fluminense, 2,5% —– 10. Botafogo, 2,2% —– Outros, 3,4% —– Nenhum, 18,9%.

A Torcida Celeste está concentrada na área de influência de BH.

No interior mineiro, ela briga pela hegemonia com as torcidas do Eixo.

Será que a diretoria do Cruzeiro tem feito alguma coisa para agregar novos torcedores nessa área?

O que vc faria, caro leitor, pra ampliar o contingente celeste?

Maior Off Eixo

domingo, 25 de dezembro de 2016

MAIORES TORCIDAS, segundo o Paraná Pesquisa, que entrevistou 10.500 pessoas em todos os estados e no DF: 1. Flamengo, 16,2% — Corinthians, 13,7% — São Paulo, 7,4% — Palmeiras, 5,8% — Vasco, 4,6% — Cruzeiro, 4% — Grêmio, 3,5% — Santos, 3,1% — Alt Mineiro, 2,8% — Internacional, 2,7% — Bahia, 2% — Botafogo, 1,7% — Fluminense, 1,6% — Sport, 1,3% — Ceará, 1,1% — AtléticoPR, 0,8% — Fortaleza, 0,8% — Vitória, 0,8% — Coritiba, 0,7% — Santa Cruz, 0,7% — Outros, 5,1% — Sem time, 19,1%. (Globo Esporte, 25dez16)

A preferência dos torcedores

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

PÚBLICO médio do Brasileiro 2016, por dia horário:

  • sábado, à tarde, 19.390.
  • domingo, à tarde, 17.724.
  • domingo, pela manhã, 17.331.
  • quinta, à noite, 16.538.
  • quinta, começo da noite, 15.857.
  • sábado, começo da noite, 14.456.
  • sexta, à noite, 13.076.
  • sábado, à noite, 12.003.
  • quarta, à noite, 11.535.
  • domingo, começo da noite, 10.466.
  • quarta, começo da noite, 10.305.

Meus horários preferidos são os de sábados e domingo, no começo da note, e o da manhã de domingo.

E o seu horário preferido, caro leitor?

Arrascaeta em números

sábado, 17 de dezembro de 2016

ARRASCAETA em 2016:

  • Jogos: 53
  • Gols: 14 (9 no Brasileiro)
  • Assistências: 18
  • Gols de falta: 2 (contra Campinense e Santa Cruz)
  • Pênaltis sofridos: 2
  • Desarmes: 47 (Henrique, 81; Romero, 68)
  • Premiação: Melhor estrangeiro no Brasileiro, segundo a Agência Efe e Melhor meiatacante de Minas no Troféu Guará.
  • Carreira no Cruzeiro: 96 jogos, 22 gols e 23 assistências.

Apesar destes excelentes números, ele andou frequentando o vasco de reservas do Cruzeiro. 

Tem base?