Arquivo da Categoria ‘Números’

Até que 2016 não foi tão ruim

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Este foi o desempenho do Cruzeiro em 2016:

  • APROVEITAMENTO de 56% em 66 jogos, com 32 vitórias, 15 empates, 19 derrotas, 94 gols marcados, 74 sofridos e 111 pontos.
  • JOGOS: 2×0 RioBranco — 1×1 Criciúma — 0x0 Urt — 2×1 Tombense — 1×0 Tupi — 3×4 Fluminense — 1×0 Tricordiano — 1×1 América — 1×0 Caldense — 2×1 Paranaense — 3×0 Uberlândia — 3×2 Villa1×0 Franga — 2×0 Guarani — 3×2 Boa — 0x2 América — 0x0 Campinense — 0x0 América — 3×2 Campinense — 2×0 Londrina — 0x1 Coritiba — 2×2 Figueira — 1×4 Santa — 1×1 América — 1×0 Botafogo — 0x1 Sumpaulo — 3×2 Franga — 0x1 Flamengo — 0x2 Grêmio — 4×0 Ponte2×1 Palmeiras — 2×3 Chape — 2×2 Vitória — 2×1 Vitória — 0x3 Paranaense — 0x2 Fluminense — 2×1 Vitória — 1×2 Sport — 0x2 Santos — 4×2 Inter — 1×1 Corintiãs — 2×2 Coritiba — 2×1 Figueira — 2×0 Santa — 5×2 Botafogo — 2×0 América — 0x2 Botafogo — 0x1 Sumpaulo — 1×1 Franga — 1×0 Botafogo — 1×2 Flamengo — 1×2 Corintiãs — 1×0 Grêmio — 2×0 Ponte — 0x0 Palmeiras — 0x0 Chape — 4×2 Corintiãs — 1×0 Vitória — 0x2 Grêmio — 0x1 Paranaense — 0x0 Grêmio — 4×2 Fluminense — 1×0 Sport — 2×2 Santos — 0x1 Inter — 3×2 Corintiãs.
  • PERFORMANCES: Mineiro: 3º lugar, apesar de ter feito a maior pontuação — Primaliga: desclassificado na fase de grupos — Copa do Brasil: desclassificado nas semifinais — Brasileiro: 12º lugar — RapoCota: 2 vitórias e 1 empate.

Não foi de todo ruim. Ou muito me engano, caro leitor?

O preço dos estaduais

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

CÁSSIO ZIRPOLI publicou no Diário de Pernambuco os valores que a TV pagará pra mostrar os principais certames estaduais em 2017.

  • PAULISTA. Alcance da TV aberta: 43,8 mi de telespectadores —– Contrato: Globo SP (2016-19), inclui Sportv e PPV, R$160 mi (16 clubes; 12 a 18 jogos dos grandes) —– R$17 mi pra Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Santos. R$5 mi pra Ponte. R$3,3 mi pros outros 11 clubes, R$5 mi pro campeão, R$1,65 mi pro vice, R$1,1 mi pro 3º lugar.
  • CARIOCA. Alcance da TV aberta: 56,8 mi de telespectadores. —– Contrato: Globo Rio (2017-24), inclui PPV, R$120 mi (16 clubes, 11 a 18 jogos dos grandes —– R$15 mi pra Flamengo (a confirmar), Vasco, Fluminense e Botafogo —– R$3,2 mi pra Bangu, Madureira, Volta Redonda e Boavista. R$2,1 mi pros 9 outros clubes, R$4 mi pro campeão, R$1,8 mi pro vice. R$250 mil pros semifinalistas.
  • MINEIRO. Alcance da TV aberta: 20,6 milhões de telespectadores —– Contrato: Globo Minas (2017-21) inclui PPV, R$36 mi (12 clubes; 11 a 15 jogos dos grandes) —– R$12 mi pra Cruzeiro e AtléticoMG, R$2,8 mi pro América, R$850 mil pros demais 9 clubes.
  • GAÚCHO. Alcance da TV aberta: 11,1 mi de telespectadores —– Contrato: RBS TV (2017), inclui PPV, R$ 33,8 mi (12 clubes; 11 a 17 jogos dos  grandes) —– R$11 mi pra Grêmio e Inter, R$1,5 mi pra Juventude e Brasil, R$1,1 mi pros outros 8 clubes.
  • PERNAMBUCANO. Alcance da TV aberta: 9,6 mi de telespectadores —– Contrato: Globo Nordeste (2015-18), inclui PPV, R$3,84 mi (12 clubes, 10 a 14 jogos dos grandes) —– R$950 mil pra Náutico, Santa e Sport, R$110 mil pros 9 outros clubes.
  • BAIANO. Alcance da TV aberta: 14,4 mi de telespectadores. —– Contrato: Rede Bahia (2016-2020), inclui PPV, R$2,71 mi (11 clubes, 10 a 14 jogos dos grandes) —– R$850 mil pra Bahia e Vitória, R$113 mil pros outros 9 clubes.
  • CEARENSE. Alcance da TV aberta: 8,7 mi de telespectadores —– Contrato: Verdes Mares (2016-19), Esporte Interativo (2017-18), R$2,56 milhões (10 clubes, 9 a 15 jogos dos grandes —– R$800 mil pra Ceará e Fortaleza, R$120 mil pros outros 8 clubes.
  • PARANAENSE. Alcance da TV aberta: 10,7 mi de telespectadores —– Contrato em negociação: RPC (12 clubes, 11 a 17 jogos dos grandes).

A margem de errro

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Jorge Santana,

Há um tempo atrás você publicou um post meu explicando como se calcula a margem de erro de pesquisa de opinião neste LINK.

Pois bem, fiz uma análise com base no erro esperado para o percentual estimado pela Paraná Pesquisas para cada time. Os resultados nacionais foram:

time            %            ME            LS            LI
nenhum 19,5 0,8 20,3 18,7
1 Flamengo 16,2 0,7 16,9 15,5
2 Corinthians 13,7 0,7 14,4 13,0
3 São Paulo 7,4 0,5 7,9 6,9
4 Palmeiras 5,8 0,4 6,2 5,4
5 Vasco 4,6 0,4 5,0 4,2
6 Cruzeiro 4 0,4 4,4 3,6
7 Grêmio 3,5 0,4 3,9 3,1
8 Santos 3,1 0,3 3,4 2,8
9 Atl-MG 2,8 0,3 3,1 2,5
10 Internacional 2,7 0,3 3,0 2,4
11 Bahia 2 0,3 2,3 1,7
12 Botafogo 1,7 0,2 1,9 1,5
13 Fluminense 1,6 0,2 1,8 1,4
14 Sport 1,3 0,2 1,5 1,1
15 Ceará 1,1 0,2 1,3 0,9
16 AtléticoPR 0,8 0,2 1,0 0,6
17 Fortaleza 0,8 0,2 1,0 0,6
18 Vitória 0,8 0,2 1,0 0,6
19 Coritiba 0,7 0,2 0,9 0,5
20 Santa Cruz 0,7 0,2 0,9 0,5
outros 5,1 0,4 5,5 4,7
  • ME: margem de erro para o percentual estimado
    LS: limite superior do percentual estimado, considerando a ME
    LI: limite inferior do percentual estimado, considerando a ME

Podemos tirar algumas conclusões:

  1. Não há empate técnico entre o cinco primeiros colocados;
  2. Há empate técnico entre o Vasco (5º colocado, com intervalo de torcida de 4,2 a 5,0%) e Cruzeiro (com intervalo de torcida de 3,6 a 4,4%);
  3. Também há empate técnico entre Cruzeiro e Grêmio, ou seja, o Cruzeiro tanto pode ter a 5ª maior torcida, à frente do Vasco, quanto pode ter a 7ª, atrás do Grêmio.

Em linguagem estatística, pelo resultados da pesquisa, pode-se afirmar, com 95% de certeza, que as quatro maiores torcidas do País são, nessa ordem, Flamengo, Corinthians, São Paulo e Palmeiras. Também se pode afirmar, com 95% de certeza, que a 5ª maior torcida do País é Vasco ou Cruzeiro.

Fiz a mesma tabela de margens de erro para as torcidas na região Sudeste. Os resultados foram:

time  %            ME            LS             LI
nenhum 18,9 1,1 20,0 17,8
1 Corinthians 18 1,1 19,1 16,9
2 Flamengo 13,8 1,0 14,8 12,8
3 São Paulo 10 0,9 10,9 9,1
4 Cruzeiro 8,8 0,8 9,6 8,0
5 Palmeiras 7,2 0,8 8,0 6,4
6 Atl-MG 5,7 0,7 6,4 5,0
7 Vasco 5 0,6 5,6 4,4
8 Santos 4,5 0,6 5,1 3,9
9 Fluminense 2,5 0,5 3,0 2,0
10 Botafogo 2,2 0,4 2,6 1,8
outros 3,4 0,5 3,9 2,9

Aqui também não há empate técnico entre os três primeiros colocados, mas há empate técnico entre o 3º colocado (São Paulo, com 9,1 a 10,9%) e o 4º colocado (Cruzeiro, com 8,0 a 9,6%). No limite da margem de erro, também há um empate técnico entre o Cruzeiro e o Palmeiras (5º colocado, com 6,4 a 8,0%).

Infelizmente, não foram publicados os resultados por sexo, idade, renda, escolaridade e estado. Estou lhe enviando meus comentários por e-mail, porque se fosse incluir no blog eu extrapolaria o número de caracteres máximo.

Abs,
Marcos Pinheiro

Gigante no Sudeste

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Eis o percentual de cada torcida no SUDESTE brasileiro:

1. Corinthians, 18% —– 2. Flamengo, 13,8% —– 3. São Paulo, 10% —– 4. Cruzeiro, 8,8% —– 5. Palmeiras, 7,2% —– 6. Alt. Mineiro, 5,7% —– 7. Vasco, 5% —– 8. Santos, 4,5% —– 9. Fluminense, 2,5% —– 10. Botafogo, 2,2% —– Outros, 3,4% —– Nenhum, 18,9%.

A Torcida Celeste está concentrada na área de influência de BH.

No interior mineiro, ela briga pela hegemonia com as torcidas do Eixo.

Será que a diretoria do Cruzeiro tem feito alguma coisa para agregar novos torcedores nessa área?

O que vc faria, caro leitor, pra ampliar o contingente celeste?

Maior Off Eixo

domingo, 25 de dezembro de 2016

MAIORES TORCIDAS, segundo o Paraná Pesquisa, que entrevistou 10.500 pessoas em todos os estados e no DF: 1. Flamengo, 16,2% — Corinthians, 13,7% — São Paulo, 7,4% — Palmeiras, 5,8% — Vasco, 4,6% — Cruzeiro, 4% — Grêmio, 3,5% — Santos, 3,1% — Alt Mineiro, 2,8% — Internacional, 2,7% — Bahia, 2% — Botafogo, 1,7% — Fluminense, 1,6% — Sport, 1,3% — Ceará, 1,1% — AtléticoPR, 0,8% — Fortaleza, 0,8% — Vitória, 0,8% — Coritiba, 0,7% — Santa Cruz, 0,7% — Outros, 5,1% — Sem time, 19,1%. (Globo Esporte, 25dez16)

A preferência dos torcedores

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

PÚBLICO médio do Brasileiro 2016, por dia horário:

  • sábado, à tarde, 19.390.
  • domingo, à tarde, 17.724.
  • domingo, pela manhã, 17.331.
  • quinta, à noite, 16.538.
  • quinta, começo da noite, 15.857.
  • sábado, começo da noite, 14.456.
  • sexta, à noite, 13.076.
  • sábado, à noite, 12.003.
  • quarta, à noite, 11.535.
  • domingo, começo da noite, 10.466.
  • quarta, começo da noite, 10.305.

Meus horários preferidos são os de sábados e domingo, no começo da note, e o da manhã de domingo.

E o seu horário preferido, caro leitor?

Arrascaeta em números

sábado, 17 de dezembro de 2016

ARRASCAETA em 2016:

  • Jogos: 53
  • Gols: 14 (9 no Brasileiro)
  • Assistências: 18
  • Gols de falta: 2 (contra Campinense e Santa Cruz)
  • Pênaltis sofridos: 2
  • Desarmes: 47 (Henrique, 81; Romero, 68)
  • Premiação: Melhor estrangeiro no Brasileiro, segundo a Agência Efe e Melhor meiatacante de Minas no Troféu Guará.
  • Carreira no Cruzeiro: 96 jogos, 22 gols e 23 assistências.

Apesar destes excelentes números, ele andou frequentando o vasco de reservas do Cruzeiro. 

Tem base? 

Goianiense, um imenso campeão

sábado, 12 de novembro de 2016

Neste sábado, em Goiânia, no reformado Olímpico Pedro Ludovico, com capacidade pra 13.500 espectadores, definiu-se o terceiro campeão brasileiro de 2016.

Antes, Volta Redonda, na D, e Boa, na C, já haviam comemorado acesso e título. Desta vez, foi o Goianiense, que bateu o Tupi, em jogo melhor do que qualquer um dos 340 já disputados na Série A.

Foram duas viradas. Tupi, saindo de 1-2 pra 3-2 e o Goianiense, do 2-3 pro 5-3 final. Espetacular!

Em 2017, o Dragão goiano, vai querer continuar no pequeno e central estádio. O regulamento, contudo, prevê um mínimo de 20 mil lugares pra sediar jogos da Séria A.

Mas cuma?! Vila Belmiro só comporta 16 mil, Ressacada e Vila Capanema, 17 mil, Lucarelli e Scarpelli, 19 mil. Tem um trem errado nesse regulamento.

  • GOIANIENSE 5×3 TUPI, 12nov16sab19h30, 36ª BR Série B 16, Olímpico (13 mil), Goiânia, 11.589 pag, R$183.190, Gilsinho 14, Hiroshi, 27, Marlon 43, Serrato, 57, Hiroshi, 61, Luiz Fernando, 67, Jorginho, 78, Carvalho, 86. Árbitros: Luiz César Magalhães, Marciane Ribeiro, Armando Sousa (CE). Amarelos: Jorginho, Magno, Henrique, Serrato, Recife. GOIANIENSE: Klever; Matheus Ribeiro, Marlon, Ricardo Silva, Romário; Bruno Barra, Michel, Magno Cruz, Jorginho (Silva); Gilsinho (Luiz Fernando), Alison (Matheus Carvalho). T: Marcelo Cabo. TUPI: Rafael Santos; Henrique, Gabriel Santos, Bruno Costa, Luiz Paulo; Recife (Vinícius Kiss), Renan Teixeira, Jonathan, Serrato, Hiroshi (Sávio); Giancarlo (Rubens). T: Júlio Cirico.

Maior de Minas, a começar por BH

sábado, 5 de novembro de 2016

MARCOS PINHEIRO

Ano passado foi publicada uma pesquisa realizada pelo instituto MDA, realizada com o propósito de saber em qual estádio de BH o atleticano prefere ver jogos. Foram colhidas amostras somente das classes A, B e C, provavelmente porque as classes D e E não v!ao frequentam estádios

Apesar da evidente limitação da pesquisam seus resultados foram divulgados com destaque pela imprensa esportiva de BH. Na verdade, os órgãos de imprensa (des)informaram que os atleticanos seriam maioria na Capital.

Agora, na esteira de uma eleição com evidente correlação entre voto e time de futebol, dois institutos publicam pesquisas informando o tamanho das torcidas no eleitorado de BH.

A única restrição dessas pesquisa é que o morador de BH que vota no interior está excluído da amostra, o que certamente reduz os percentuais cruzeirenses, pois os moradores da capital vindos do interior tendem a ser majoritariamente cruzeirenses.

O destaque dessas pesquisas na imprensa esportiva belorizontina foi nenhum! Foram poucas linhas no noticiário político e com tanto disfarce, que poucos notaram.

Além dos resultados do Instituto Giga, já publicados aqui no PHD, soubemos, em 26Out, dos resultados da pesquisa do Datafolha, que entrevistou 1.119 eleitores um dia antes, com margem de erro de 3%:

  1. Cruzeiro – 40%
  2. Atlético – 38%
  3. América – 2%
  4. Flamengo – 1%
  5. Outros – 2%
  6. Nenhum – 17%

A maior vantagem cruzeirense ocorreu nas classes D e E, justamente as excluídas da amostragem feita pelo Instituto MDA no ano passado.

Síndrome de Estocolmo?

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

MARCOS PINHEIRO

ESTADO DE MINAS publicou, em 27set16, pesquisa feita entre 23 e 25Set pelo Instituto Giga com 600 eleitores de Belo Horizonte. As perguntas foram em quem o eleitor iria votar no 1º turno e por qual time torcia.

O Instituto esclareceu que foram feitos pesquisados apenas moradores de BH que votavam em BH. Além dos que votam em outras cidades, também ficaram de fora pessoas de 16 e 17 anos sem título de eleitor.

A margem de erro foi de 4%. Entre os pesquisados, o Cruzeiro é o time com maior torcida:

  1. Cruzeiro: 36%
  2. AtléticoMG: 33%
  3. Nenhum ou não gostam de futebol: 23%
  4. Outros: 5%
  5. América: 2%
  6. Não sabem ou não responderam: 1%

Até aí nenhuma surpresa. A vantagem cruzeirense poderia ser até maior se a pesquisa levasse em conta o morador de BH que vota no interior ou jovens com menos de 16 anos.

Também nenhuma surpresa ser Kalil o preferido dos atleticanos.

Surpresa foi encontrar 16% de cruzeirenses manifestando intenção de votar em quem já disse ter o objetivo de destruir o Cruzeiro, e que sonha ser juiz de futebol pra “roubar o Cruzeiro escandalosamente”.

Bom saber que 84% dos cruzeirenses parecem ter a cabeça no lugar. Quanto a esses 16% de eleitores do Kalil, estariam eles sofrendo da Síndrome de Estocolmo?