Arquivo da Categoria ‘Números’

Se o Itaú acertar, GPT terá que renunciar

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Deu no site da ESPN:

  • Segundo estudo do Itaú BBA, o banco de investimentos do grupo Itaú, a previsão para o fim de 2015 para o Cruzeiro é de um buraco de R$19 milhões (sempre lembrando que esse é o valor antes dos impostos), em uma análise que cita até a queda para a Série B. “Tradicionalmente, a gestão do Cruzeiro trabalha no limite da agressividade financeira. Usualmente apresenta geração de caixa negativa, muitos investimentos e a conta só fecha com entradas não operacionais”, diz trecho do estudo. O clube está longe de ter gestão financeira moderna que busca folga financeira, levando ao extrema a ideia de que clube de futebol não precisa de lucro, precisa de títulos. É verdade, mas no meio do caminho pode ter que lidar com alguma temporada na Série B, como quase aconteceu há alguns anos. É sempre um risco desnecessário”.

Isto depois de GPT ter reduzido a folha de pagamentos (sem encargos sociais) de R$14 milhões mensais pra R$7 milhões, de 2014 pra 2015.

E pensar que os doidivanas pensam o tempo todo em contratações bombásticas. Maior do que a burrice é a má fé mesmo.

O tamanho real das torcidas brasileiras

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Dois institutos de pesquisa de nomeada -DataSan e DataFolha- trabalharam juntos pra calcular o tamanho real das torcidas brasileiras.

O critério foi o de separar torcedores e simpatizantes. Torcedores são os que apoiam seus times nas boas e nas más, indo ao estádio.

Simpatizantes são os que só torcem se o presidente contratar etiquetas, se o time estiver no topo, se o ingresso der direito a um pão com mortadela acompanhado de suco Tang à vontade.

Eis o resultado, com margem de erro de 0,1%:

  1. Corintiãs, 15 mil torcedores (não são milhões, são milhares mesmo)
  2. Flamengo, 14 mil
  3. Palmeiras, 12 mil
  4. Cruzeiro, 11 mil
  5. Santa Cruz, Remo, 10 mil
  6. Fluminense, 9 mil
  7. São Paulo, Paysandu, 8 mil
  8. Grêmio, Sampaio Corrêa, 7 mil
  9. AtléticoMG, Botafogo, Sport, Bahia, Coritiba, Fortaleza, Brasil de Pelotas, 6 mil
  10. AtléticoPR, Vitória, Internacional, Vasco, Santos, Ceará, 5 mil
  11. Avaí, Chape, Joinville, Criciúma, Náutico, Pelotas, Vila Nova, Moto Club, 3 mil
  12. Figueira, Ponte, Guarani, ABC, CSA, AméricaRN, ASA, Campinense, Londrina, 2 mil
  13. AméricaMG, AtléticoGO, DemocrataGV, CRB, Treze, BotafogoPB, Juventude, Caxias, Pelotas, 1 mil
  14. Uberaba, Boa, São Caetano, NacionalAM, Maringá, Caldense, Villa Nova, BotafogoRP, Uberlândia, 500.
  15. Goiás, 200.

Esclarecimento: A torcida do Goiás foi contada exclusivamente pelo DataFolha.

Pesquisa enviesada

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Belo Horizonte, 2 de julho de 2015

Prezado Síndico do PHD:

Recentemente, o SUPERESPORTES publicou uma pesquisa feita pelo INSTITUTO MDA, apenas no município de Belo Horizonte, para saber o tamanho das torcidas da cidade.

Entre 13/17abr15, foram entrevistadas 1.004 pessoas, a partir de 16 anos de idade. Os resultados, com margem de erro de 3,1%, foram:

AtléticoMG     40,0%

Cruzeiro        37,5%

América           2,1%

Outro              3,7%

Nenhum        15,9%

NS/NR             0,7%

Pesquisas considerando apenas o município de BH são capciosas, afinal a capital mineira está conurbada com os municípios vizinhos e a torcida cruzeirense é muito maior em todos os demais municípios da RMBH.

Curioso, entrei no site desse instituto MDA e percebi algum muito importante, que me passou despercebido inicialmente: essa pesquisa feita pela MDA abrangeu apenas as classes A, B e C (com renda superior a R$1.576). Não foram consultadas pessoas das classes D e E.

Há também um ponto mal esclarecido: no site diz que a pesquisa é feita com “população acima de 18 anos”, enquanto os resultados da pesquisa trazem percentual para faixa etária de “16 a 24”. Provavelmente, só entrevistaram maiores de 18 anos nessa faixa “16 a 24”. O que seria outra distorção.

Atenciosamente,

MARCOS PINHEIRO

Engenheiro e Advogado

A bolha

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Desenha aí, Sérgio Luiz!

Números (em milhões) do endividamento do Cruzeiro, que confirmam o que disse GPT à Itatiaia:

  • 2008: R$93 mi, US$40 mi, R$139 mi, corrigido (IPCA até Jun15).
  • 2009: R$97 mi, US$56 mi, R$139 mi, corrigido (IPCA até Jun15).
  • 2010: R$111 mi, US$67 mi, R$150 mi, corrigido (IPCA até Jun15).
  • 2011: R$120 mi, US$65 mi, R$153 mi, corrigido (IPCA até Jun15).
  • 2012: R$143 mi, US$69 mil, R$171 mi, corrigido (IPCA até Jun15).
  • 2013: R$200 mi, US$84 mi, R$227 mi, corrigido (IPCA até Jun15).
  • 2014: R$253 mi, US$95 mi, R$270 mi, corrigido (IPCA até Jun15).

Entre 2008 e 2011, a dívida variou pouco, embota o SF fosse irrisório, as cotas de TV menores e os ingressos muito baratos.

A boa notícia, no momento, é que entre os 12 grandes o Cruzeiro carrega uma salutar lanterna. Por enquanto.

Cruzeirenses incondicionais se preocupam.

Os condicionais torcem pra que a bolha estoure. Eles querem é rosetar.

Time com Lima, time sem Lima

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Situação, no Brasileiro, de um time com Lucas Lima e de outro sem Lucas Lima.

  • 14º => CRUZEIRO, 3 vitórias, 1 empate, 6 derrotas, 9 gols marcados, 10 sofridos, aproveitamento de 33%
  • 16º => SANTOS, 2 Vitórias, 4 empates, 4 derrotas, 12 gols marcados, 14 sofridos, aproveitamento de 33%

A vantagem do time sem Lucas Lima é de R$23 milhões.

Os caras que seguram a barra dos times mineiros

terça-feira, 23 de junho de 2015

O TUPI, de Juiz de Fora, é o mais novo integrante do Movimento Por Um Futebol Melhor, criado pela AMBEV.

Os clubes mineiros já possuem 113.847 sócios, assim distribuídos (com a posição no ranking nacional):

  • 5º – Cruzeiro, 71.454
  • 9º – AtléticoMG, 40.833
  • 40º – AméricaMG, 1.256
  • 51º – AméricaTO, 158
  • 55º – Uberlândia, 105
  • 60º – DemocrataGV, 41

Vc já se associou ao Cruzeiro, sábio leitor?

Se já se associou, condiciona sua permanência aos resultados dos jogos?

Santos queimou um “neymar” de grana

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Deu nos sites da ESPN e da MSN e eu condensei:

LEANDRO DAMIÃO rescindiu seu contrato com o Santos na última quarta, em decisão da 4ª Vara do Trabalho de Santos. E, por enquanto, já que ainda cabe recurso, deixa o alvinegro com um “rombo” de R$55,767 mi, contando salários, aquisição, juros por calotes e comissões. Mais do que o recebido pela venda de Neymar ao Barcelona (R$50 mi). A Justiça decidiu que o clube deve pagar salários de setembro a janeiro, mais R$500 mil de multa por luvas de R$1mi não quitadas integralmente. Com isto, o Santos pagará, só em remunerações, R$10,467 mi ao atacante. Os gastos se somam aos R$42 mi prometidos à Doyen Sports pela contratação do atleta, no fim de 2013, que a gestão Odílio Rodrigues deixou pra gestão Modesto Roma Jr. Ainda se acrescenta, a todos estes valores, o pagamento de R$3 mi aos empresários do atleta a título de comissão pela transação com o Internacional. O agente Vinicius Prattes, por exemplo, cobra R$2,3 mi do clube na Justiça por calote de 2/3 do acordado.

Que sirva de alerta aos etiquetófilos sem controle emocional.

Outra: Marin não pega nem banco no time dos cartolas brasileiros.

Pra encerrar: que GPT tenha juízo, afinal, o Cruzeiro não é dele.

PS: Como a decisão foi em primeira instância, o Santos ainda pode recorrer.

Conte um conto

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Escreva sobre o que te der na telha. Mas nada que a assuste.

Escrete pra jogar no Almeidão

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Repórter do Estadão descobriu contratos secretos, segundo ele, da CBF com a promotora de jogos da Seleção.

E produziu uma reportagem investigativa, segundo critérios da imprensa esportiva brasileira.

Eu considero apenas patético o que os comentaristas dizem sobre o tal contrato.

Reclamam que o técnico do Brasil não pode convocar quem bem entender.

Pra receber US$3 milhões, a CBF tem de levar seus melhores jogadores. Caso contrário, só cata US$1,5 milhão.

Ficamos assim, então: com Neymar, o escrete canarinho ganha o dobro do que se o astro for o Yuri Mamute, o Henrique Dourado ou o Pimentinha.

Graças a Deus, alguém está atento e decidido a proteger a história da Seleção mais vezes campeão do mundo.

Salve a tal empresa, de cujo nome não me recordo.

Mas é importante observar que o repórter não cotejou o contrato maldito do Brasil com o de outras seleções.

Será que Portugal fatura a mesma cota, com ou sem Cristiano Ronaldo? Argentina, com ou sem Messi? Bélgica, com ou sem Hazard?

Se for, sugiro à CBF assinar com a empresa do Roni que pagou R$1 milhão ao Cruzeiro pelo jogo de Cuiabá e levou rasteira com a presença dos reservas, tomando prejuízo considerável.

Além dela, mais nenhuma empresa vai topar as condições dos comentaristas esportivos brasileiros.

E, pra quem exige liberdade completa pro treinador nacional, escalo um time desafiador:

  • Deola, Apodi, Réver, Edcarlos e Anderson Pico; Pierre e Donizete; Camilo e Ganso; Henrique Dourado e Yuri Mamute.

Numa boa: não lota nem o campo do Tombense, com seus minguados 3 mil lugares.

Irresponsabilidade é a norma

sábado, 9 de maio de 2015

BALANÇO DA BOLA ranqueou os 12 clubes brasileiros mais populares, conforme suas dívidas (em R$ milhões), segundo as contas de 2014:

  • 1. Bota, 848 /// 2. Fla, 698 /// 3. Vasco, 497 /// 4. Franga, 487 ///5. Flu 440 /// 6. Grêmio, 383 /// 7. Santos, 373 /// 8. Sumpaulo, 341 /// 9. Palmeiras, 333 /// 11. Corintiãs, 314 ///11. Inter, 280 /// 12. Cruzeiro, 253.

Considerando-se o incremento da dívida entre 2011 e 2014, este é o ranking (%):

  • 1. Sumpaulo, 115 /// 2. Cruzeiro, 110 /// 3. Grêmio, 93 /// 4. Corintiãs, 76 /// 5. Bota, 68 /// 6. Vasco, 51 /// 7. Inter, 42 /// 8. Palmeiras, 38 /// 9. Santos, 34 /// 10. Franga, 32 /// 11. Flu, 1 /// 12. Fla, -17.

Bota, Fla e Flu não incluem valores de contratos de longo prazo como arrecadação do ano de assinatura, e sim à medida que o dinheiro entra o caixa. Os demais contabilizam o ovo no * da galinha, o que mascara um pouco o tamanho da dívida.

Quanto ao Cruzeiro, o preocupante foi o acréscimo exponencial da dívida. ZZP deixou-a na casa de R$120 mi, GPT já a colocou em R$253 mi.

E os cornetas insaciáveis continuam a exigir etiquetas e mais etiquetas. Vai dar merda!