Arquivo da Categoria ‘Números’

Goianiense, um imenso campeão

sábado, 12 de novembro de 2016

Neste sábado, em Goiânia, no reformado Olímpico Pedro Ludovico, com capacidade pra 13.500 espectadores, definiu-se o terceiro campeão brasileiro de 2016.

Antes, Volta Redonda, na D, e Boa, na C, já haviam comemorado acesso e título. Desta vez, foi o Goianiense, que bateu o Tupi, em jogo melhor do que qualquer um dos 340 já disputados na Série A.

Foram duas viradas. Tupi, saindo de 1-2 pra 3-2 e o Goianiense, do 2-3 pro 5-3 final. Espetacular!

Em 2017, o Dragão goiano, vai querer continuar no pequeno e central estádio. O regulamento, contudo, prevê um mínimo de 20 mil lugares pra sediar jogos da Séria A.

Mas cuma?! Vila Belmiro só comporta 16 mil, Ressacada e Vila Capanema, 17 mil, Lucarelli e Scarpelli, 19 mil. Tem um trem errado nesse regulamento.

  • GOIANIENSE 5×3 TUPI, 12nov16sab19h30, 36ª BR Série B 16, Olímpico (13 mil), Goiânia, 11.589 pag, R$183.190, Gilsinho 14, Hiroshi, 27, Marlon 43, Serrato, 57, Hiroshi, 61, Luiz Fernando, 67, Jorginho, 78, Carvalho, 86. Árbitros: Luiz César Magalhães, Marciane Ribeiro, Armando Sousa (CE). Amarelos: Jorginho, Magno, Henrique, Serrato, Recife. GOIANIENSE: Klever; Matheus Ribeiro, Marlon, Ricardo Silva, Romário; Bruno Barra, Michel, Magno Cruz, Jorginho (Silva); Gilsinho (Luiz Fernando), Alison (Matheus Carvalho). T: Marcelo Cabo. TUPI: Rafael Santos; Henrique, Gabriel Santos, Bruno Costa, Luiz Paulo; Recife (Vinícius Kiss), Renan Teixeira, Jonathan, Serrato, Hiroshi (Sávio); Giancarlo (Rubens). T: Júlio Cirico.

Maior de Minas, a começar por BH

sábado, 5 de novembro de 2016

MARCOS PINHEIRO

Ano passado foi publicada uma pesquisa realizada pelo instituto MDA, realizada com o propósito de saber em qual estádio de BH o atleticano prefere ver jogos. Foram colhidas amostras somente das classes A, B e C, provavelmente porque as classes D e E não v!ao frequentam estádios

Apesar da evidente limitação da pesquisam seus resultados foram divulgados com destaque pela imprensa esportiva de BH. Na verdade, os órgãos de imprensa (des)informaram que os atleticanos seriam maioria na Capital.

Agora, na esteira de uma eleição com evidente correlação entre voto e time de futebol, dois institutos publicam pesquisas informando o tamanho das torcidas no eleitorado de BH.

A única restrição dessas pesquisa é que o morador de BH que vota no interior está excluído da amostra, o que certamente reduz os percentuais cruzeirenses, pois os moradores da capital vindos do interior tendem a ser majoritariamente cruzeirenses.

O destaque dessas pesquisas na imprensa esportiva belorizontina foi nenhum! Foram poucas linhas no noticiário político e com tanto disfarce, que poucos notaram.

Além dos resultados do Instituto Giga, já publicados aqui no PHD, soubemos, em 26Out, dos resultados da pesquisa do Datafolha, que entrevistou 1.119 eleitores um dia antes, com margem de erro de 3%:

  1. Cruzeiro – 40%
  2. Atlético – 38%
  3. América – 2%
  4. Flamengo – 1%
  5. Outros – 2%
  6. Nenhum – 17%

A maior vantagem cruzeirense ocorreu nas classes D e E, justamente as excluídas da amostragem feita pelo Instituto MDA no ano passado.

Síndrome de Estocolmo?

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

MARCOS PINHEIRO

ESTADO DE MINAS publicou, em 27set16, pesquisa feita entre 23 e 25Set pelo Instituto Giga com 600 eleitores de Belo Horizonte. As perguntas foram em quem o eleitor iria votar no 1º turno e por qual time torcia.

O Instituto esclareceu que foram feitos pesquisados apenas moradores de BH que votavam em BH. Além dos que votam em outras cidades, também ficaram de fora pessoas de 16 e 17 anos sem título de eleitor.

A margem de erro foi de 4%. Entre os pesquisados, o Cruzeiro é o time com maior torcida:

  1. Cruzeiro: 36%
  2. AtléticoMG: 33%
  3. Nenhum ou não gostam de futebol: 23%
  4. Outros: 5%
  5. América: 2%
  6. Não sabem ou não responderam: 1%

Até aí nenhuma surpresa. A vantagem cruzeirense poderia ser até maior se a pesquisa levasse em conta o morador de BH que vota no interior ou jovens com menos de 16 anos.

Também nenhuma surpresa ser Kalil o preferido dos atleticanos.

Surpresa foi encontrar 16% de cruzeirenses manifestando intenção de votar em quem já disse ter o objetivo de destruir o Cruzeiro, e que sonha ser juiz de futebol pra “roubar o Cruzeiro escandalosamente”.

Bom saber que 84% dos cruzeirenses parecem ter a cabeça no lugar. Quanto a esses 16% de eleitores do Kalil, estariam eles sofrendo da Síndrome de Estocolmo?

Quantas medalhas?

sábado, 6 de agosto de 2016

Quais as chances de ouro para o Brasil na Rio 2016?

Minhas apostas:

  • Maratona Aquática (Ana Maria Cunha) —– Futebol Masculino —– Boxe (Robson Conceição, 60 Kg) —– Vôlei Masculino —– Judô (Mayra Aguiar, 78 Kg) —– Vôlei Feminino —– Ginástica (Arthur Zanetti, argolas) —– Vôlei de Praia (Larissa & Talita e Alisson & Bruno) —– Vela (Robert Sheidt).

Outras apostas para pódio:

  • Handebol Feminino —– Canoagem (Isaquias Queiroz) —– Vela (Fernanda Oliveira & Ana Barbachan na 470 e Martine Grael & Kahena Kunze na 49) —– Maratona Aquática (Poliana Okimoto) —– Atletismo (Fabiana Murer) —– Ginástica (equipes masculina e feminina, Diego Hypóllito e Flávia Saraiva) —– Natação (Bruno Fratus) —– Futebol Feminino —– Judô (Maria Suelen, Victor Penalber) —– Vôlei de Praia (Ágatha & Bárbara e Evandro & Pedro Solberg) —– Tênis (Marcelo Melo & Bruno Soares) —– Tiro (Felipe Wu) —– Luta (Aline Silva), Polo Aquático Masculino.

Entre 1 e 30 medalhas, pois.

Questão de competência

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Frangas gastaram R$196 milhões com o futebol profissional em 2015. E foram campeãs mineiras e vice brasileiras.

Cruzeiro gastou R$306 milhões com o futebol profissional em 2015. E só ganhou experiência.

Conclusão: Daniel administra melhor que Gilvan.Ou tem outra explicação? Tem Thiago Scuro?

PS: Me disseram que a diferença tem a ver com a forma de pagamento dos salários. O Cruzeiro paga tudo dentro da lei, com recolhimento dos direitos trabalhistas, enquanto as frangas pagam mixaria de salário e   contratos de direitos de imagem por fora. Se for verdade, Gilvan, além de mais competente, é também mais decente. A conferir.

Eleitorado futebolístico brasileiro

terça-feira, 12 de abril de 2016

PARANÁ PESQUISAS perguntou a 4.066 brasileiros com mais de 16 anos, entre março e abril deste ano, em 214 municípios de 24 estados:

  • “Para qual time você torce?” e “Qual é o time que você mais odeia?”

O grau de confiança da amostra é de 95% pra uma margem de erro de 1,5%.

Eis a divisão do bolo futebolístico brasileiros, em %:

  1. Alheios ao futebol, 19,4
  2. Flamenguistas, 16,5
  3. Corintianos, 13,6
  4. Tricolores paulistas 7,9
  5. Palmeirenses, 5,6
  6. Vascaínos, 4,5
  7. Cruzeirenses, 4,0
  8. Tricolores gaúchos, 3,3
  9. Santistas, 3,2
  10. Frangas, 2,8
  11. Colorados, 2,6
  12. Tricolores baianos, 1,8
  13. Botafoguenses, 1,8
  14. Tricolores cariocas, 1,6
  15. Rubronegros pernambucanos, 1,5
  16. Outristas, 10,0

Minas Arena cobra, Cruzeiro nega dívida

quinta-feira, 17 de março de 2016

Condenado de matéria do GloboEsporte, nesta quita, 17mar16:

MINAS ARENA acionou o Cruzeiro na Justiça, requerendo pagamentos atrasados de gastos com funcionários, suporte, segurança, água e luz.

A empresa avisou que entraria com uma ação, pleiteando os valores não pagos, mas o Cruzeiro afirma que está se valendo dos mesmos benefícios concedidos ao AtléticoMG na decisão da Libertadores de 2013, quando o alvinegro foi isentado de tais despesas.

Até meados de 2015, os valores devidos somavam R$5,5 Mi. O débito está inscrito no balanço de 2014 do Cruzeiro e será mantido no de 2015.

Segundo a diretoria celeste, há uma cláusula no contrato com a Minas Arena garantindo ao Cruzeiro todo benefício dado a outros clubes, como foi dado o AtléticoMG. A Minas Arena discorda e decidiu entrar na Justiça, após insucesso de uma tentativa de acordo o verbal com o clube azul.

O imbróglio começou quando o governo de Minas –que tem direito a utilizar o Mineirão em algumas datas– reservou o estádio pra final da Libertadores 2013. A Secopa (Secretaria de Estado Extraordinária da Copa do Mundo), órgão já extinto, confirmou isto na época.

O presidente do AtléticoMG naquela decisão, negou que a data tinha sido reservada pelo Governo e que o benefício foi concedido diretamente a seu clube. Desde então, o Cruzeiro deixou de pagar os custos em questão, baseada na cláusula de seu contrato com a administradora do estádio.

Apesar da disputa, o Cruzeiro informou que não deixará de mandar seus jogos no Mineirão.

Será que GPT sabe o que está fazendo? E terá guardado dinheiro para o caso de perder a briga?

Metade do Araguari, pra futebol tá nem aí

sábado, 13 de fevereiro de 2016

ARAGUARI, 116 mil habitantes, no Triângulo Mineiro, a 670 Km de Belo Horizonte, não é propriamente uma terra de fanáticos por futebol.

Entre 29abr/02mai12, o Instituto CP2 perguntou a 500 moradores da cidade por qual time torciam. Eis o resultado, com 4,3% de margem de erro:

  1. Nenhum, 47%
  2. Flamengo, 18%
  3. Corintiãs, 9%
  4. Vasco, 6%
  5. São Paulo, Palmeiras, 5%
  6. Cruzeiro, 4%
  7. Santos, Fluminense, AtléticoMG e Botafogo, 1%
  8. Outros, 2%.

Sabem aquela história de País do Futebol? Pois é…

Agronegócio

sábado, 30 de janeiro de 2016

Deu na VEJA (condensado):

ESTADUAIS começam neste fim de semana cercados pelas corriqueiras críticas sobre calendário, nível técnico e importância. No entanto, as cotas de televisão e premiações por conquistas fazem esses torneios se tornarem interessantes. O Paulista pagará R$17 Mi a cada um dos grandes. A Libertadores 2015 pagou R$15,8 Mi aos finalistas. O faturamento com o Paulista ainda pode aumentar, com a premiação de R$4 Mi para o campeão e R1,5 Mi ao vice. No Rio, os grandes recebem R$7 Mi cada. A premiação é de R$4,5 para o campeão, R$1,8 Mi pro vice, R$250 mil para os semifinalistas e R$1,2 Mi pro campeão da Taça Guanabara. No Rio Grande do Sul, Grêmio e Inter receberão R$7 MI cada um. Pra efeito de comparação, cada participante da SulMinasRiro será de R$417 mil.

Rural uma ova! Isto é agronegócio!

Cruzeiro desbanca Fla e assume liderança em Varginha

sábado, 23 de janeiro de 2016

O INSTITUTO REDE pesquisou as preferências clubísticas do povo de Varginha.

Foram 800 entrevistas, em Out15, com margem de erro de 3,5%.

O resultado foi publicado pela Gazeta de Varginha.

  1. Cruzeiro e Corinthians, 13,6% (109 escolhas)
  2. Flamengo, 11,1% (89)
  3. Cocota, 8,5% (68)
  4. São Paulo, 8,1% (65)
  5. Palmeiras, 5,5 (44)%
  6. Nenhum, 26,8% (214)
  7. Outros, 10,5% (84)
  8. Não responderam, 2,3% (18)

VARGINHA, no Sul de Minas, tem 132 mil habitantes e dista 320 Km de Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro.

Quem pesquisou e enviou a informação foi o MARCOS PINHEIRO, maior expert em pesquisa esportiva de Minas.