Arquivo da Categoria ‘NFL e NBA’

Depois do SuperBowl

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Encerrado o 49º SuperBowl, o panteão dos maiores atletas de todos os tempos ganha nova personagem:

  • Top 5 virou Top 6. Pelé, Cassius Clay, Michael Jordan, Roger Federer e Wellington Paulista recebem Tom Brady de braços abertos.

Importante é que o Cruzeiro está dentro.

SuperBowl: Seahawks 24×28 Patriots

domingo, 1 de fevereiro de 2015

A temporada da NFL atinge seu ponto culminante.

MAURO FRANÇA

SEATTLE SEAHAWKS e NEW ENGLAND PATRIOTS decidem neste domingo o SUPER BOWL 49 no University of Phoenix Stadium, em Glendale, Arizona. O jogo começa às 21:30 h, com transmissão ao vivo da ESPN. O tradicional show do intervalo terá Kate Perry e Lenny Kravitz.

Tem tudo para ser um grande jogo, na melhor tradição do Super Bowl. Afinal, estarão em ação as equipes que fizeram as melhores campanhas na temporada regular, confirmadas com vitórias categóricas nos playoffs e o título das conferências. Dois gigantes que se enfrentam em pé de igualdade, com poder de fogo suficiente para conquistar o título, sem favoritismo declarado de um ou outro, em um confronto absolutamente imprevisível.

Depois de massacrar o Denver Broncos na final do ano passado, o Seahawks sonha agora com o bicampeonato, façanha que apenas sete equipes conseguiram desde que o Super Bowl passou a ser disputado em 1967. Seus pilares são Russell Wilson, Marshawn Lynch e a defesa, a melhor da Liga.

Wilson foi do inferno ao céu contra o Packers na final da NFC. Atuou mal na maior parte do jogo, sofreu quatro interceptações, pior marca de sua carreira, até se recuperar e comandar uma virada improvável nos dois minutos finais, sacramentada na prorrogação com lançamentos preciosos. Marshawn Lynch é um running back agressivo, difícil de ser parado, que fez do ataque o melhor da Liga no jogo corrido com arrancadas impressionantes. Já o ataque aéreo deixou a desejar na temporada regular, sendo apenas o 27º em jardas conquistadas.

A defesa foi a melhor da Liga pela segunda temporada consecutiva, a que menos cedeu pontos e jardas aos adversários. A linha secundária, conhecida como Legião do Boom, é implacável, não dá trégua ao ataque adversário e costuma decidir partidas. A escolha do linebacker Malcolm Smith como MVP do Super Bowl 48 é um exemplo da intensidade do jogo defensivo da equipe. As contusões recentes de Richard Sherman (cotovelo), Earl Thomas (ombro) e Kam Chancellor (joelho) podem ser um problema para o desempenho da defesa.

Na sua oitava participação em Super Bowl, o Patriots tenta seu quarto título, façanha que apenas cinco equipes conseguiram desde 1967. Bill Belichick e Tom Brady mantém uma das mais duradouras e vitoriosas parcerias da Liga. Juntos conquistaram três títulos nas cinco primeiras temporadas e desde então voltaram aos playoffs em nove de dez temporadas, sem o mesmo sucesso. Nas duas vezes em que chegaram até o Super Bowl, em 2007 e 2011, foram derrotados pelo Giants. Eles tem agora a terceira chance, que pode ser a derradeira.

O jogo aéreo é o ponto forte da equipe, que conta com um bom grupo de recebedores. O tight end Rob Gronkowski é a peça chave do ataque e está em plena forma, ao contrário das duas decisões perdidas. Os wide receivers Julian Edelman e Brandon LaFell conquistaram, cada um, mais de 900 jardas em recepções. O ataque corrido foi apenas o 18º na temporada regular, mas foi um fator decisivo nas vitórias sobre Ravens e Colts, impulsionado por LeGarrett Blount. Embora a defesa tenha melhorado bastante em relação à temporada passada, pulando da 26ª para a 13ª colocação, o desempenho é sofrível contra o jogo corrido, justamente o ponto forte do adversário.

Atuando em conferências diferentes, Seahawks e Patriots fizeram poucos confrontos, sendo este o primeiro em pós-temporada. Desde 1977, foram apenas 16 jogos, com 8 vitórias para cada um. O último, na Semana 6 de 2012, terminou com vitória do Seahawks, 24×23, em Seattle. Foi a única vez que Brady e Wilson se enfrentaram.

  • SEATTLE SEAHAWKS
  • Campanha: Temporada regular: 12-4 (7-1 casa, 5-3 fora), campeão da Divisão Oeste da NFC, 1º na Conferência. Venceu o Carolina Panthers, 31×17, no Divisional Round, e o Green Bay Packers, 28×22, na final da Conferência.

  • Fundação: 1976, em Seattle. Títulos de Divisão: 9, 3 nas últimas 5 temporadas. Classificação aos playoffs: 14, 3ª consecutiva, 4ª nas últimas 5 temporadas. Finais de Conferência: 4, 3-1. Super Bowl: 2, 1-1. Perdeu em 05 e venceu em 13. Histórico: Em temporada regular: 612 jogos, 305-307. Em playoffs: 26 jogos, 14-12.

  • Posição nos rankings: defesa – 1º, 267.1 jardas cedidas por jogo, 3ª contra corridas, 1ª contra passes; ataque – 9º, 375.8 jardas conquistadas por jogo, 27º no jogo aéreo e 1º no corrido; pontos marcados – 10º (24.6); pontos cedidos – 1º (15.9).

  • Destaques: Russell Wilson, QB, 26 anos, 3ª temporada, 20 TD, 7 INT, 3.475 jardas lançadas (15º), 849 jardas corridas (16º, 1º QB) / Marshawn Lynch, RB, 28 anos, 9ª temporada – 5ª na equipe, 280 corridas – 1.306 jardas (4º), 13 TD (1º) / Doug Baldwin, WR, 26 anos, 4ª temporada, 66 recepções – 825, 3 TD / K.J. Wright, OLB, 25 anos, 4ª temporada, 107 tackles, 2.0 sacks / Richard Sherman, CB, 26 anos, 4ª temporada, 57 tackles, 4 INT / Earl Thomas, FS, 25 anos, 5ª temporada, 97 tackles, 3 fumbles, 1 INT.

  • Técnico: Pete Carroll, 63 anos, 9ª temporada – 5ª na equipe, 4 classificações para playoffs, 3ª consecutiva. Temporada regular: 83-61. Playoffs: 8-4.
  • NEW ENGLAND PATRIOTS
  • Campanha: Temporada regular: 12-4 (7-1 casa, 5-3 fora). Campeão da Divisão Leste da AFC, 1º na Conferência. Venceu o Baltimore Ravens, 35-31, no Divisional Round e o Indianapolis Colts, 45×7, na Final da Conferência.

  • Fundação: 1960 em Boston, mudou para Foxborough em 1971, adotando o nome atual. Títulos de Divisão: 17, 6 consecutivos desde 2009. Classificação aos playoffs: 21, 6ª consecutiva, 12ª nas últimas 14 temporadas. Finais de Conferência: 11, 8-3. Super Bowl: 7, 3-4. Venceu em 01, 03, 04 e perdeu em 85, 96, 07, 11. Histórico: Em temporada regular: 827 jogos, 450-377. Em pós-temporada: 45 jogos, 27-18.

  • Posição nos rankings temporada regular: defesa – 13º, 344.1 jardas cedidas, 17ª contra jogo aéreo, 9ª contra corridas; ataque – 11º, 365.5 jardas, 9º nos passes e 18º em corridas; pontos marcados – 4º (29.2); pontos cedidos – 8º (19.6).

  • Destaques: Tom Brady, QB, 37 anos, 15ª temporada, 33 TD (5º), 9 INT, 4.109 jardas lançadas (10º) / LeGarrett Blount, RB, 25 anos, 6ª temporada – 2ª na equipe, 125 corridas – 547 jardas, 5 TD / Rob Gronkowski, TE, 25 anos, 5ª temporada, 82 recepções – 1.124 jardas (15º), 12 TD (4º) / Julian Edelman, WR, 28 anos, 6ª temporada, 92 recepções – 972 jardas, 4 TD / Brandon LaFell, WR, 28 anos, 5ª temporada – 1ª na equipe, 74 recepções – 953 jardas, 7 TD / Jamie Collins, OLB, 25 anos, 2ª temporada, 116 tackles (13º), 4.0 sacks.

  • Técnico: Bill Belichick, 62 anos, 20ª temporada – 15ª na equipe, 12 classificações para playoffs, 6ª consecutiva. Temporada regular: 211-109. Playoffs: 21-9.

NÚMEROS E RECORDES

  • Russell Wilson tem 10-0 contra QB que conquistaram Super Bowl, 1-0 contra Tom Brady.
  • Seahawks venceu seus últimos 8 jogos, incluindo 2 nos playoffs. A última equipe que venceu o Super Bowl com uma sequência de cinco ou mais vitórias foi o Patriots em 2003.
  • Marshawn Lynch correu para mais de 1.000 jardas e 10 TD pela 4ª temporada consecutiva. Nesta temporada marcou 17 TD, melhor marca de um RB.
  • Russell Wilson tem o maior número de vitórias de um QB nas suas primeiras 3 temporadas. Ele e Joe Flacco são os únicos QB com pelo menos uma vitória em playoffs nas primeiras três temporadas como titular.
  • Pete Carroll pode se tornar o 7º técnico a levar sua equipe a dois títulos de Super Bowl. Já é o 2º mais velho a vencer o Super Bowl e um dos 3 que conquistaram ou títulos no futebol universitário e no Super Bowl.
  • Com Tom Brady de QB, Bill Belichick tem o recorde de 180-55. Sem ele, 52-63. Belichick é o recordista em vitórias em pós-temporadas, com 21, e em participações em Super Bowl como técnico ou assistente técnico, com 9.
  • Tom Brady tem 7 jogos de pós-temporada com 3 ou mais passes para TD, 2ª melhor marca da Liga, atrás apenas do lendário Joe Montana, que conseguiu o feito em 9 jogos. Se vencer, Brady iguala Montana em número de títulos. Ele ainda tem os recordes de jogos de um QB em playoffs, 28; vitórias, 20; passes para TD, 49; tentativas de passes, 197; passes completados, 127; e jardas conquistadas, 1.277.
  • Bill Belichick é o 3º técnico que enfrenta seu predecessor no cargo em Super Bowl. Pete Carroll treinou o Patriots entre 1997/99.
  • Rob Gronkowski tem o recorde de TD para um TE nas suas 5 primeiras temporadas, com 55.

SUPER BOWL

  • Pelo 2º ano consecutivo, os líderes das conferências chegam à decisão. Desde 1975, quando a classificação das equipes na temporada regular passou a valer vantagem nos playoffs, é apenas a 11ª vez que isto acontece. Nos 10 anteriores, os líderes da NFC venceram 8. A última vitória de um líder da AFC aconteceu em 1983.
  • Os líderes da NFC chegaram ao Super Bowl em 23 oportunidades, vencendo 15, a última vez com o Seahawks no ano passado. Os da AFC disputaram 21 títulos e apenas 6 foram campeões, o último deles justamente o Patriots, em 2003.
  • Desde 1990, quando o formato atual de playoffs passou a vigorar, apenas 10 líderes na temporada regular, independente da Conferência, foram campeões.
  • Em 48 Super Bowl, equipes da NFC levam vantagem de 26-22.
  • Equipes bicampeãs: Green Bay Packers (Super Bowl 1 e 2), Miami Dolphins (7-8), Pittsburgh Steelers (9-10 e 13-14), San Francisco 49ers (23-24), Dallas Cowboys (27-28), Denver Broncos (32-33), New England Patriots (38-39).
  • Recordistas em participações: Steelers, Cowboys e Patriots, 8.
  • Recordista em participações consecutivas: Buffalo Bills, 4.
  • Recordistas em títulos: Steelers, com 6.
  • Equipes com 4 ou mais títulos: Steelers, 6; Cowboys e 49ers, 5; Packers e Giants, 4.
  • Equipes que nunca disputaram um Super Bowl: Cleveland Browns, Detroit Lions, Jacksonville Jaguars e Houston Texans.
  • Equipes sem vitórias: San Diego Chargers, Atlanta Falcons, Tennessee Titans, Carolina Panthers e Arizona Cardinals (0-1); Philadelphia Eagles e Cincinnati Bengals (0-2); Minnesota Vikings e Buffalo Bills (0-4)
  • Maior número de derrotas: Denver Broncos, 5, em 7 participações.
  • Maior número de derrotas consecutivas: Buffalo Bills, 4.
  • Equipes sem derrotas: New York Jets, Tampa Bay Buccaneers e New Orleans Saints (1-0); Baltimore Ravens (2-0)

RECORDES

  • Indicações para MVP: Joe Montana, QB do 49ers, com 3.
  • Títulos: Charles Haley, linebacker, 5, 2 com o 49ers e 3 com o Cowboys.
  • Títulos consecutivos: Ken Norton Jr, linebacker, 3, 2 com o Cowboys e 1 com o 49ers.
  • Jogos como técnico principal: 6, Bill Belichick pelo Patriots e Don Shula com Colts e Dolphins.
  • Títulos como técnico principal: Chuck Noll, Steelers, 4.
  • Jogos de um QB: 5, John Elway, pelo Broncos, e Tom Brady, pelo Patriots.
  • Títulos de um QB: 4, Terry Bradshaw, pelo Steelers, e Joe Montana, pelo 49ers.
  • Pontos anotados (geral): Jerry Rice, wide receiver, 48, com 49ers e Raiders.
  • TD em recepções (geral): 8, Jerry Rice, em 4 jogos por 49ers e Raiders.
  • TD em recepções em um único jogo: 3, Jerry Rice, duas vezes, pelo 49ers.
  • Passes para TD (geral): 11, Joe Montana, em 4 jogos pelo 49ers.
  • Passes para TD em um jogo: 6, Steve Young, pelo 49ers.
  • TD de corridas (geral): Emmit Smith, 5, em 3 jogos com o Cowboys.
  • TD de corridas em um jogo: 3, Terrell Davis, pelo Broncos.
  • Interceptações (geral): 3, Chuck Howley, Cowboys e Rod Martin, Raiders, em 2 jogos; Larry Brown, Cowboys, em 3 jogos.
  • Interceptações em um jogo: 3, Rod Martin, Raiders.
  • Pontos anotados em um jogo: 55, pelo 49ers no Super Bowl 24.
  • TD (geral): 26, Cowboys, em 8 jogos.
  • TD em um jogo: 10, 49ers (7) x Chargers (3), Super Bowl 29.
  • Interceptações em um jogo: 5, Buccaneers, Super Bowl 37.
  • Audiência: 111,5 milhões, Seahawks x Broncos, Super Bowl 48.
  • Público em estádio: 103.985, Rams x Steelers, Super Bowl 14.

MVP da temporada

  • Aaron Rodgers, QB do Green Bay Packers

O caso das bolas murchas

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Lama na NFL. Deu no site da Veja:

O 49º Super Bowl foi abalado por denúncia de trapaça. Investigação da NFL concluiu que 11 das 12 bolas usadas pelo New England Patriots na vitória de 45×7 sobre o Indianapolis Colts estavam murchas. O resultado garantiu a equipe de Tom Brady na final do campeonato. A liga confirmou a denúncia à ESPN americana. Segundo o inquérito, as bolas estavam cerca de 2 libras mais leves do que deveriam, o que facilitaria lançamentos e recepções. A NFL está investigando os motivos para as bolas estarem murchas. Cada equipe usa suas próprias bolas quando está no ataque, mas os árbitros devem averiguar a condição do material 2 horas antes da partida. A suspeita é de que as bolas tenham sido esvaziadas depois da inspeção. As investigações devem durar mais 2 ou 3 dias. O New England afirma que está cooperando com o inquérito e seu técnico Bill Belichick diz estar à disposição da NFL pra conversar sobre o ocorrido. Tom Brady riu das denúncias em declaração à rádio WEEI, de Boston. “Isso é ridículo. Já ouvi de tudo, mas esta é a menor das minhas preocupações, nem quero responder a este tipo de coisa”. De acordo com o Newsday, de Indianapolis, o Colts teria notado que as bolas estavam murchas após uma interceptação de D’Qwell Jackson. Ele teria avisado seu treinador, que denunciou o fato à NFL. Não é a primeira vez que o Patriots se envolve em trapaça. Em 2007, seu treinador, Bill Belichick, culpado de espionagem contra o NY Jets, pagou US$500 mil de multa por ter gravado conversas do técnico rival com seus jogadores. O New England Patriots também foi multado em US$250 mil e perdeu uma escolha da 1ª rodada do draft  seguinte.

Não foi à toa que Samuel Johnson cunhou sua celebre frase “O patriotismo é o último refúgio dos canalhas”.

NFL: Seahawks x Packers, Patriots x Colts

domingo, 18 de janeiro de 2015

Clima de decisão na NFL. Neste domingo serão disputados os Conference Championships, as Finais das Conferências AFC e NFC. Vale título e, mais importante, garante aos vencedores presença no Super Bowl 49, que será disputado em 01fev em Glendale, Arizona.

É briga de gigantes. Das quatro equipes que entram em campo logo mais, apenas o INDIANAPOLIS COLTS não se classificou entre os dois melhores da temporada regular. Quarto colocado, se credenciou ao eliminar o Denver Broncos, segundo, no Divisional Round e agora enfrenta o NEW ENGLAND PATRIOTS, primeiro, pelo título da AFC. Pela NFC, nenhuma surpresa. SEATTLE SEAHAWKS, primeiro, e GREEN BAY PACKERS, segundo, duelam em Seattle.

A ESPN anuncia a transmissão das duas partidas ao vivo.

SEATTLE SEAHAWKS x GREEN BAY PACKERS, 18:00 (horário de Brasília), CenturyLink Field (67.000), Seattle, Washington.

Comandado por Aaron Rodgers, o ataque do Packers liderou a Liga em média de pontos por partida e marcou 30 ou mais em 8 dos 16 jogos da temporada regular. Já a defesa foi apenas a 23ª contra o jogo corrido, uma das especialidades do adversário. O Packers venceu 8 dos últimos 9 jogos. O problema é que Rodgers, 3º maior anotador de touchdowns de passes, sofre com uma contusão na panturrilha. Contra o Cowboys, mesmo com os movimentos limitados, sacou da cartola alguns passes geniais e decidiu a partida. Não terá vida fácil contra uma defesa que pressiona bastante o quarterback. Eddie Lacy, principal running back da equipe, tem problema no joelho. Sem os dois em forma, o poder de fogo do Packers fica seriamente comprometido. Afinal, do outro lado estará a melhor, e certamente a mais feroz, defesa da Liga, capaz de decidir partidas. Foi que a menos cedeu pontos e jardas em jogadas aéreas e 3ª contra jogo corrido. Russell Wilson comanda o ataque líder em jardas e touchdowns conquistados em corridas, a maioria anotados por Marshawn Lynch, 4º running back em jardas conquistadas. O próprio Wilson foi o segundo melhor corredor da equipe, o QB que mais conquistou jardas em corridas na Liga. Fraco na temporada regular, quando foi apenas o 27º, o jogo aéreo funcionou contra o Panthers. Conquistou mais jardas aéreas do que corridas e Wilson lançou para 3 touchdowns de diferentes recebedores. Na luta para conquistar o segundo Super Bowl consecutivo, o que não acontece desde o bicampeonato do Patriots em 2003/04, o Seahawks venceu seus últimos 7 jogos; nos últimos 11, perdeu apenas um. Em casa, com Wilson de titular, desde 2012, o retrospecto é de 25-2.

Em playoffs: 2 jogos, Packers 2-0. Histórico: 17 jogos, Packers 10-7. Último jogo: Seattle 36×13, Semana 1 de 2014. Últimos 3 jogos: Seahawks, 3-0.

  • SEATTLE SEAHAWKS
  • Campanha: 12-4 (7-1 casa, 5-3 fora). Campeão da Divisão Oeste da NFC, 1º na Conferência. No Divisional Round venceu o Carolina Panthers, 31×17.
  • Histórico: Fundado em 1976, em Seattle. Títulos de Divisão: 9, 3 nas últimas 5 temporadas. Classificação aos playoffs: 14, 3ª consecutiva, 4ª nas últimas 5 temporadas. Finais de Conferência: 3, 2-1. Super Bowl: 2, 1-1. Perdeu em 05 e venceu em 13. Em playoffs: 25 jogos, 13-12.
  • Posição nos rankings: defesa – 1º, 267.1 jardas cedidas por jogo, 3ª contra corridas, 1ª contra passes; ataque – 9º, 375.8 jardas conquistadas por jogo, 27º no jogo aéreo e 1º no corrido; pontos marcados – 10º (24.6); pontos cedidos – 1º (15.9).
  • Destaques: Russell Wilson, QB, 26 anos, 3ª temporada, 20 TD, 7 INT, 3.475 jardas lançadas (15º), 849 jardas corridas (16º, 1º QB) / Marshawn Lynch, RB, 28 anos, 9ª temporada – 5ª na equipe, 280 corridas – 1.306 jardas (4º), 13 TD (1º) / Doug Baldwin, WR, 26 anos, 4ª temporada, 66 recepções – 825, 3 TD / K.J. Wright, OLB, 25 anos, 4ª temporada, 107 tackles, 2.0 sacks / Richard Sherman, CB, 26 anos, 4ª temporada, 57 tackles, 4 INT.
  • Contra o Panthers: Russell Wilson: 15-22 passes, 268 jardas, 3TD / Marshawn Lynch: 14 corridas, 59 jardas / Jermaine Kearse: 3 recepções, 129 jardas, 1 TD / Kam Chancellor e Earl Thomas: 11 tackles.
  • Técnico: Pete Carroll, 63 anos, 9ª temporada – 5ª na equipe, 4 classificações para playoffs, 3ª consecutiva. Temporada regular: 83-61. Playoffs: 7-4.
  • GREEN BAY PACKERS

  • Campanha: 12-4 (8-0 casa, 4-4 fora). Campeão da Divisão Norte da NFC, 2º na Conferência. No Divisional Round, venceu o Dallas Cowboys, 26×21.
  • Histórico: Uma das mais antigas franquias da NFL, fundada em 1919. Títulos de Divisão: 11, desde 1970. Classificação aos playoffs: 19, 6ª consecutiva. Finais de Conferência: 5, 3-2. Super Bowl: 3, 2-1. Venceu em 96 e 10 e perdeu em 97. Recorde em pós-temporadas (desde 1970): 35 jogos, 19-16.
  • Posição nos rankings: defesa – 15º, 346.4 jardas cedidas, 10ª contra passes, 23ª contra corridas; ataque – 6º, 386.1 jardas conquistadas, 8º no jogo aéreo e 11º no corrido; pontos marcados – 1º (30.4); pontos cedidos – 14º (21.8).
  • Destaques: Aaron Rodgers, QB, 31 anos, 10ª temporada, 38 TD (3º), 5 INT, 4.381 jardas lançadas (7º) / Eddie Lacy, RB, 24 anos, 2ª temporada, 246 corridas – 1.139 (7º), 9 TD (3º) / Jordy Nelson, WR, 29 anos, 7ª temporada, 98 recepções – 1.519 jardas (4º), 13 TD (2º) / Randall Cobb, WR, 24 anos, 4ª temporada, 91 recepções – 1.287 jardas (11º), 12 TD (4º) / Clay Matthews, OLB, 28 anos, 6ª temporada, 61 tackles, 11.0 sacks (12º).
  • Contra o Cowboys: Aaron Rodgers: 24-35 passes, 316 jardas, 3 TD / Eddie Lacy: 19 corridas, 101 jardas / Randall Cobb: 8 recepções, 116 jardas / Davante Adams: 7 recepções, 117 jardas, 1 TD / Julius Peppers: 6 tackles, 1.0 sacks.
  • Técnico: Mike McCarthy, 51 anos, 9ª temporada, 7 classificações para playoffs, 6ª consecutiva. Temporada regular: 94-49. Playoffs: 7-5. Um título de Super Bowl (10).

NEW ENGLAND PATRIOTS x INDIANAPOLIS COLTS, 21:30 (horário de Brasília), Gillette Stadium (68.756), Foxborough, Massachusetts.

Não é raro uma equipe sair do Wild Card, desbancar os favoritos e conquistar o Super Bowl. Foi o que fizeram Giants em 2007/11, Packers em 2010 e Ravens em 2012. O Colts sonha repetir esse roteiro. Já venceu Bengals e Broncos, com atuações convincentes, e agora tem pela frente o gigantesco desafio de bater o Patriots em território inimigo. Suas chances de vitória dependem de mais uma atuação brilhante de Andrew Luck. Quarterback com maior número de touchdowns e 3º melhor em jardas conquistadas com passes, Luck tem tido atuações decisivas, se apresentando no melhor de sua forma. Impulsiona um ataque especialista no jogo aéreo, o de maior número de jardas conquistadas com passes, que conta com boas e variadas opções de recebedores. Jogando com energia, o Colts venceu 7 de seus últimos 8 jogos.  Um fator negativo é o desempenho recente contra o Patriots, com três derrotas acachapantes por margens de 20 ou mais pontos e mais de 40 pontos sofridos, a última na Semana 11 desta temporada.  Mesmo que não se leve em conta esse histórico, o Patriots aparece como grande favorito. Vem de vitória épica sobre o Ravens, a maior virada em playoffs da história da franquia. Tom Brady foi espetacular, acionando com sucesso seis recebedores, e Bill Belichick utilizou estratégias surpreendentes, que selaram a vitória. Brady tem histórico de 60-7 nos últimos 67 jogos em casa e em pós temporada detém os recordes de jogos entre quarterbacks, de vitórias e passes para touchdown. Bellichick pode se tornar o recordista isolado em vitórias em playoffs. Depois de conquistar três Super Bowl nas suas quatro temporadas iniciais, Brady e Belichick fazem sua nona tentativa de repetir o feito. Nas oito anteriores, perderam 3 finais de conferência, dois Super Bowl e não foram além do Divisional Round nas demais. Se jogar como jogou no segundo tempo contra o Ravens, as chances de sucesso aumentam consideravelmente.

Em playoffs: 4 jogos, Patriots 3-1. Em duas Finais de Conferência, 1-1. Histórico: 78 jogos, Patriots, 49-29. Último jogo: Patriots 42×20, em Indianapolis, Semana 11 de 2014. Últimos 3 jogos: Patriots: 3-0.

  • NEW ENGLAND PATRIOTS
  • Campanha: 12-4 (7-1 casa, 5-3 fora). Campeão da Divisão Leste da AFC, 1º na Conferência. No Divisional Round, venceu o Baltimore Ravens, 35-31.
  • Histórico: Fundado em 1960 em Boston, mudou para Foxborough em 1971, adotando o nome atual. Títulos de Divisão: 17, 6 consecutivos desde 2009. Classificação aos playoffs: 21, 6ª consecutiva, 12ª nas últimas 14 temporadas. Finais de Conferência: 10, 7-3. Super Bowl: 7, 3-4. Venceu em 01, 03, 04 e perdeu em 85, 96, 07, 11. Histórico em pós-temporada: 44 jogos, 26-18.
  • Posição nos rankings temporada regular: defesa – 13º, 344.1 jardas cedidas, 17ª contra jogo aéreo, 9ª contra corridas; ataque – 11º, 365.5 jardas, 9º nos passes e 18º em corridas; pontos marcados – 4º (29.2); pontos cedidos – 8º (19.6).
  • Destaques: Tom Brady, QB, 37 anos, 15ª temporada, 33 TD (5º), 9 INT, 4.109 jardas lançadas (10º) / Jonas Gray, RB, 25 anos, 1ª temporada, 89 corridas – 412 jardas, 5 TD / Rob Gronkowski, TE, 25 anos, 5ª temporada, 82 recepções – 1.124 jardas (15º), 12 TD (4º) / Julian Edelman, WR, 28 anos, 6ª temporada, 92 recepções – 972 jardas, 4 TD / Brandon LaFell, WR, 28 anos, 5ª temporada – 1ª na equipe, 74 recepções – 953 jardas, 7 TD / Jamie Collins, OLB, 25 anos, 2ª temporada, 116 tackles (13º), 4.0 sacks.
  • Contra o Ravens: Tom Brady, 33-50 passes, 367 jardas, 3 TD / Rob Gronkowski, 7 recepções – 108 jardas, 1 TD / Julian Edelman, 8 recepções – 74 jardas / Danny Amendola, 5 recepções – 81 jardas, 2 TD / Jamie Collins, 11 tackles.
  • Técnico: Bill Belichick, 62 anos, 20ª temporada – 15ª na equipe, 12 classificações para playoffs, 6ª consecutiva. Temporada regular: 211-109. Playoffs: 20-9.

  • INDIANAPOLIS COLTS

  • Campanha: 11-5 (6-2 em casa, 5-3 fora). Campeão da Divisão Sul da AFC, 4º na Conferência. Venceu Cincinnati Bengals no Wild Card, 26×10, e Denver Broncos no Divisional Round, 24×13.
  • Histórico: Fundado como Baltimore Colts em 1953, mudou para Indianapolis em 1984. Títulos de Divisão: 15, 2º consecutivo. Classificações aos playoffs: 22, 3ª consecutiva. Finais de Conferência: 6, com 3-3. Super Bowl: 3, com 2-1. Venceu em 70 e 06 e perdeu em 09. Histórico em pós-temporada: 44 jogos, com 22-22.
  • Posição nos rankings: defesa – 11º, 342.7 jardas cedidas, 12ª contra passes, 18ª contra corridas; ataque – 3º, 406.6 jardas conquistadas; 1 º no jogo aéreo, 22º no jogo corrido; pontos marcados – 6º (28.6); pontos cedidos – 19º (23.1).
  • Destaques: Andrew Luck, QB, 25 anos, 3ª temporada, 40 TD (1º), 16 INT, 4.761 jardas lançadas (3º) / Trent Richardson, RB, 24 anos, 4ª temporada – 2ª na equipe, 159 corridas – 519 jardas, 3 TD / Coby Fleener, TE, 26 anos, 3ª temporada, 51 recepções – 774 jardas, 8 TD / T. Y. Hilton, WR, 25 anos, 3ª temporada, 82 recepções – 1.345 jardas (6º), 7 TD / D´Qwell Jackson, ILB, 31 anos, 9ª temporada – 1ª na equipe, 140 tackles (6º), 4.0 sacks.
  • Nos playoffs: Andrew Luck:  58-87 passes, 641 jardas, 3 TD / Dan Herron: 35 corridas – 119 jardas, 2 TD, 18 recepções – 117 jardas / T. Y. Hilton, 10 recepções – 175 jardas / Jerrell Freeman: 22 tackles, 1.5 sacks.
  • Técnico: Chuck Pagano, 54 anos, 3ª temporada, 3ª classificação para playoffs. Temporada regular: 33-15. Playoffs: 3-2.

NFL: Patriots 35×31 Ravens, Seahawks 31×17 Panthers

sábado, 10 de janeiro de 2015

Os playoffs da NFL esquentam ainda mais com a disputa do Divisional Round, as semifinais das Conferências. Com as oito melhores equipes da Liga em ação, a expectativa é por jogos acirrados, intensos e imprevisíveis.

BALTIMORE RAVENS, CAROLINA PANTHERS, DALLAS COWBOYS e INDIANAPOLIS COLTS, sobreviventes do Wild Card, enfrentam agora, pela ordem, NEW ENGLAND PATRIOTS, SEATTLE SEAHAWKS, GREEN BAY PACKERS e DENVER BRONCOS, donos das melhores campanhas na temporada regular, que folgaram na semana passada e tem a vantagem do mando de campo.

Apenas o Ravens não ficou entre os quatro melhores na classificação. Por outro lado, foi o único que venceu fora de casa no Wild Card, desbancando o Pittsburgh Steelers, terceiro colocado. O Panthers é o único que ainda não tem um título de Super Bowl. Os demais, somados, tem 19 troféus – 5 do Cowboys, 4 do Packers, 3 do Patriots, 2 de Ravens, Broncos e Colts e 1 do Seahawks.

No formato de playoffs com 12 equipes, a vantagem de jogar em casa no Divisional Round é significativa. Desde 1990, os times da casa tem retrospecto de 70-26, aproveitamento de 72.8%. Números de temporadas recentes, no entanto, servem de alento às equipes que jogarão fora. Três dos últimos quatro campeões do Super Bowl jogaram no Wild Card. Das 36 equipes que asseguraram as duas primeiras colocações nas Conferências desde 2005, 15 perderam no Divisional Round. E nas últimas nove temporadas, apenas dois venceram o Super Bowl.

Todos os jogos da rodada terão transmissão ao vivo da ESPN.

JOGOS DE SÁBADO

NEW ENGLAND PATRIOTS x BALTIMORE RAVENS, 19:30 (horário de Brasília), Gillette Stadium (68.756), Foxborough, Massachusetts.

Enquanto ostenta um retrospecto de 11-1 contra os demais oponentes no playoff da AFC, o Patriots tem desvantagem de 1-2 no confronto, mesmo jogando todas no Gillette Stadium, desde 2009. A derrota para o Ravens na final da Conferência em 2012 ainda assombra seus torcedores. Retrospecto, no entanto, não garante nada. Passados dois anos, as equipes mudaram, o momento de cada uma é outro. O Ravens, em especial, não é mais o mesmo time que naquele ano fez uma pós-temporada épica e arrebatou o Super Bowl saindo da sexta colocação na Conferência. De 53 jogadores, restaram apenas 17, entre eles Joe Flacco, quarterback de estilo agressivo. De todo modo, reposições importantes foram feitas e a vitória sobre o Steelers na semana passada mostrou que o time tem forças suficientes para avançar. Do outro lado, o Patriots tem mais uma chance para superar os fracassos que coleciona nos playoffs desde 2004, quando conquistou seu terceiro título em quatro temporadas sob o comando de Bill Belichick e Tom Brady. Desde então, eles avançaram aos playoffs em 9 de 10 temporadas, mas os resultados não apareceram. Perderam dois Super Bowl e três finais de Conferência, duas delas nas últimas duas temporadas, fora as eliminações nas rodadas iniciais.

Em playoffs: 3 jogos no Foxborough, duas vitórias do Ravens (09, 12) e uma do Patriots (11). Histórico: 11 jogos, Patriots, 8-3. Último jogo: Patriots 41×7, em Baltimore, Semana 16 de 2013.

  • NEW ENGLAND PATRIOTS
  • Campanha: 12-4 (7-1 casa, 5-3 fora). Campeão da Divisão Leste da AFC, 1º na Conferência. Fez 2-2 nos 4 primeiros jogos, depois venceu 7 seguidas entre as Semanas 5 e 12 e sacramentou a classificação com mais 3 vitórias seguidas em dezembro. Últimos 5 jogos: 3-2.
  • Histórico: Fundado em 1960 em Boston, mudou para Foxborough em 1971, adotando o nome atual. Títulos de Divisão: 17, 6 consecutivos desde 2009. Classificação aos playoffs: 21, 6ª consecutiva, 12ª nas últimas 14 temporadas. Finais de Conferência: 10, 7-3. Super Bowl: 7, 3-4. Venceu em 01, 03, 04 e perdeu em 85, 96, 07, 11. Histórico em pós-temporada: 43 jogos, 25-18.
  • Posição nos rankings temporada regular: defesa – 13º; ataque – 11º; passes – 9º; corridas – 18º; pontos – 4º (29.2)
  • Destaques: Tom Brady, QB, 37 anos, 15ª temporada, 33 TD (5º), 9 INT, 4.109 jardas lançadas (10º) / Jonas Gray, RB, 25 anos, 1ª temporada, 89 corridas – 412 jardas, 5 TD / Rob Gronkowski, TE, 25 anos, 5ª temporada, 82 recepções – 1.124 jardas (15º), 12 TD (4º) / Jamie Collins, OLB, 25 anos, 2ª temporada, 116 tackles (13º), 4.0 sacks.
  • Técnico: Bill Belichick, 62 anos, 20ª temporada – 15ª na equipe, 12 classificações para playoffs, 6ª consecutiva. Temporada regular: 175-65. Playoffs: 18-8.

  • BALTIMORE RAVENS

  • Campanha: 10-6 (6-2 em casa, 4-4 fora). 3º na Divisão Norte da AFC, 6º na Conferência. Últimos 5 jogos: 3-2. No Wild Card, venceu o Pittsburgh Steelers, 30×17, fora de casa.
  • Histórico: Fundado em 1996, em Baltimore. Títulos de Divisão: 4. Classificações aos playoffs: 10, 6 nas últimas 7 temporadas. Finais de Conferência: 4, 2-2. Super Bowl: 2, 2-0 (00, 12). Histórico em pós-temporada: 22 jogos, 15-7.
  • Posição nos rankings: defesa – 8º; ataque – 12º; passes – 13º; corridas – 8º; pontos – 8º (25.6).
  • Destaques: Joe Flacco, QB, 29 anos, 7ª temporada, 27 TD, 12 INT, 3.986 jardas (12º) / Justin Forsett, RB, 29 anos, 8ª temporada – 1ª na equipe, 235 corridas – 1.266 jardas (5º), 8 TD / Steve Smith, WR, 35 anos, 14ª temporada – 1ª na equipe, 79 recepções – 1.065 jardas, 6 TD / Elvis Dumervil, OLB, 30 anos, 9ª temporada – 2ª na equipe, 37 tackles, 17.0 sacks (3º)
  • Contra o Steelers:  Joe Flacco: 259 jardas (5º), 2 TD / Steve Smith: 5 recepções – 101 jardas (3º) / Justin Forsett: 16 corridas – 36 jardas (8º) / Elvis Dumervil: 2.0 sacks (1º)
  • Técnico: John Harbaugh, 52 anos, 7ª temporada, 6ª classificação para playoffs. Temporada regular: 72-40. Playoffs: 10-4. Super Bowl: 1 disputado e conquistado (2012).

SEATTLE SEAHAWKS x CAROLINA PANTHERS, 23:00 (horário de Brasília), CenturyLink Field (67.000), Seattle, Washington.

Atual campeão do Super Bowl, o Seahawks busca o feito de chegar em duas finais consecutivas, o que não acontece desde 2004. Desde então, nenhum campeão sequer conseguiu vencer nos playoffs da temporada seguinte. Quatro nem chegaram a pós-temporada e cinco perderam logo no primeiro jogo. Para mudar a sina, o Seahawks conta com Russell Wilson, QB de estilo agressivo e muita mobilidade em campo. De todo modo, o papel decisivo no confrontos caberá às defesas. A do Seattle foi a número um da temporada regular, primeira contra o jogo aéreo e terceira contra o corrido. Desde a Semana 14, foi a que menos cedeu pontos aos adversários, tendo sofrido apenas três touchdowns nos últimos seis jogos. No mesmo período, a defensiva do Panthers foi a segunda melhor, o que explica a recuperação da equipe, que perdeu seis jogos seguidos até embalar em dezembro e enfileirar cinco vitórias consecutivas. Os três últimos confrontos foram vencidos pelo Seattle, e nenhum dos times marcou mais do que 16 pontos em cada. Desde que Russell Wilson assumiu o posto em 2012, o Seattle tem o retrospecto de 24-2 jogando em casa, o que dá a dimensão do desafio do Panthers.

Em playoffs: Um jogo, vitória do Seahawks, 34×14, final de conferência de 2005. Histórico: 8 jogos, Seattle 6-2. Último jogo: Seattle 13×9, rodada 8 de 2014.

  • SEATTLE SEAHAWKS
  • Campanha: 12-4 (7-1 casa, 5-3 fora). Campeão da Divisão Oeste da NFC, 1º na Conferência. Até a rodada 7, tinha 3-3. Depois venceu 3 seguidas entre as rodadas 8 e 10 e 6 nas últimas 6, incluindo duas vitórias sobre o 49ers (19×3 fora, 17×7 casa) e duas sobre o Cardinals (19×3 casa, 35×6 fora), rivais diretos na Divisão. Últimos 5 jogos: 5-0.
  • Histórico: Fundado em 1976, em Seattle. Títulos de Divisão: 9, 3 nas últimas 5 temporadas. Classificação aos playoffs: 14, 3ª consecutiva, 4ª nas últimas 5 temporadas. Finais de Conferência: 3, 2-1. Super Bowl: 2, 1-1. Perdeu em 05 e venceu em 13. Histórico em playoffs: 24 jogos, 12-12.
  • Posição nos rankings: defesa – 1º; ataque – 9º; passes – 27º; corridas – 1º; pontos – 10º (24.6)
  • Destaques: Russell Wilson, QB, 26 anos, 3ª temporada, 20 TD, 7 INT, 3.475 jardas lançadas (15º), 849 jardas corridas (16º, 1º QB) / Marshawn Lynch, RB, 28 anos, 9ª temporada – 5ª na equipe, 280 corridas – 1.306 jardas (4º), 13 TD (1º) / Doug Baldwin, WR, 26 anos, 4ª temporada, 66 recepções – 825, 3 TD / K.J. Wright, OLB, 25 anos, 4ª temporada, 107 tackles, 2.0 sacks.
  • Técnico: Pete Carroll, 63 anos, 9ª temporada – 5ª na equipe, 4 classificações para playoffs, 3ª consecutiva. Temporada regular: 50-30. Playoffs: 5-2.
  • CAROLINA PANTHERS

  • Campanha: 7-8-1 (4-4 em casa, 3-4-1 fora). Campeão da Divisão Sul da NFC, 4º na Conferência. Últimos 5 jogos: 4-1. No Wild Card, venceu o Arizona Cardinals, 27×16, em casa.
  • Histórico: Fundado em 1993, em Charlotte. Títulos de Divisão: 5, 2 consecutivos. Classificação aos playoffs: 6, 2ª consecutiva depois de quatro temporadas ausente. Finais de Conferência: 3, 1-2. Super Bowl: 1, 0-1 (03). Histórico em playoffs: 12 jogos, 7-5.
  • Posição nos rankings: defesa – 10º; ataque – 16º; passes – 19º; corridas – 7º; pontos – 19º (21.2)
  • Destaques: Cam Newton, QB, 25 anos, 4ª temporada, 18 TD, 12 INT, 3.127 jardas lançadas (21º), 539 corridas / Jonathan Stewart, RB, 27 anos, 7ª temporada, 175 corridas – 809 jardas, 3 TD / Greg Olsen, TE, 29 anos, 8ª temporada – 4ª na equipe, 84 recepções – 1.008 jardas, 6 TD / Luke Kuechly, MLB, 3ª temporada, 153 tackles (1º), 3.0 sacks.
  • Contra o Cardinals: Cam Newton: 198 jardas, 2 TD / Jonathan Stewart: 24 corridas – 123 jardas (1º), 1 TD / Greg Olsen: 3 recepções – 37 jardas / Luke Kuechly: 10 tackles (3º), 1 interceptação
  • Técnico: Ron Rivera, 52 anos, 4ª temporada, 2 classificações para playoffs, consecutivas. Temporada regular: 32-31-1. Playoffs: 1-1.

NFL: Colts 26×10 Bengals, Cowboys 24×20 Lions

domingo, 4 de janeiro de 2015

A primeira rodada dos playoffs da NFL segue neste domingo com mais dois jogos, com transmissão ao vivo da ESPN.

INDIANAPOLIS COLTS x CINCINNATI BENGALS, 16h00 (horário de Brasília), Lucas Oil Stadium (67.000), Indianapolis, Indiana.

  • Confrontos – Temporada regular 2014: 1 jogo, vitória do Colts, 27×0, rodada 7. Histórico:  28 jogos, 18 vitórias do Colts e 10 do Bengals. Playoffs: 1 jogo, Colts 17×0, 2ª rodada, 1970.

  • INDIANAPOLIS COLTS
    • Campanha: 11-5 (6-2 em casa, 5-3 fora). Campeão da Divisão Sul da AFC, 4º na Conferência. Depois de perder os 2 primeiros jogos, venceu 5 seguidos. Nos últimos 9, venceu 6, classificando-se por antecipação. Últimos 5 jogos: 4-1.
    • Histórico: Fundado como Baltimore Colts em 1953, mudou para Indianapolis em 1984. Desde 1970, 22ª classificação, 3ª seguida. Nas últimas 20 temporadas, ficou de fora apenas 4 vezes. Nos playoffs, 35 jogos, 16-19. Disputou 3 Super Bowl, com dois títulos (1970 e 2006) e uma derrota (2009).
    • Posição nos rankings: defesa – 11º; ataque – 3º; passes – 1º; corridas – 22º; pontos – 6º (28.6).
    • Destaques: Andrew Luck, QB, 25 anos, 3ª temporada, 40 TD, 16 INT, 4.761 jardas lançadas (3º) / Trent Richardson, RB, 24 anos, 4ª temporada – 2ª na equipe, 159 corridas – 519 jardas, 3 TD / T. Y. Hilton, WR, 25 anos, 3ª temporada, 82 recepções – 1.345 jardas (6º), 7 TD / D´Qwell Jackson, ILB, 31 anos, 9ª temporada – 1ª na equipe, 140 tackles (6º), 4.0 sacks.
    • Técnico: Chuck Pagano, 54 anos, 3ª temporada, 3ª classificação para playoffs. Temporada regular: 33-15. Playoffs: 1-2.

  • CINCINNATI BENGALS
    • Campanha: 10-5-1 (5-2-1 em casa, 5-3 fora). 2º na Divisão Norte da AFC, 5º na Conferência. Venceu os 3 primeiros jogos, depois alternou series de duas e três vitórias, mas perdeu o título da divisão em confronto direto com o Steelers, na última rodada. Últimos 5 jogos: 3-2.
    • Histórico: Fundado em 1968, disputa os playoffs pela 13ª vez, a 4ª consecutiva. Nas 3 anteriores, foi eliminado ainda no wild card. Em playoffs, 17 jogos, 5-12. A última vitória aconteceu em 1990. Disputou e perdeu 2 Super Bowl (1981 e 88)
    • Posição nos rankings: defesa – 22º; ataque – 15º; passes – 21º; corridas – 6º; pontos – 15º (22.8).
    • Destaques: Andy Dalton, QB, 27 anos, 4ª temporada, 19 TD, 17 INT, 3.398 jardas (16º) / Jeremy Hill, RB, 22 anos, calouro, 222 corridas – 1.124 jardas (8º), 9 TD / A. J. Green, WR, 26 anos, 4ª temporada, 69 recepções – 1.041 jardas, 6 TD / Vincent Rey, OLB, 27 anos, 5ª temporada, 121 tackles.
    • Técnico: Marvin Lewis, 56 anos, 12ª temporada, 6ª classificação para playoffs, 4ª consecutiva. Temporada regular: 100-90-2. Playoffs: 0-5.

DALLAS COWBOYS x DETROIT LIONS, 19h:30 (horário de Brasília), AT&T Stadium (80.000), Arlington, Texas.

  • Confrontos – Temporada regular 2014: Nenhum jogo. Histórico:  25 jogos, 13 vitórias do Cowboys e 12 do Lions. Playoffs: 2 jogos, uma vitória para cada (Cowboys 5×0, 1970; Lions, 38×6, 1991). Último jogo:  Lions 31×30, 2013.
  • DALLAS COWBOYS
    • Campanha: 12-4 (4-4 em casa, 8-0 fora). Campeão da Divisão Leste da NFC, 3º na Conferência. Venceu 6 dos 7 primeiros jogos. Depois tropeçou em casa, 1-3, e atropelou fora, 5-0. Única equipe a vencer todos os jogos fora de casa. Últimos 5 jogos: 4-1.
    • Histórico: Fundado em 1960. Pós 1970, 27 classificações para os playoffs, 1ª desde 2009. Em playoffs, 52 jogos, 32-20. Disputou 8 Super Bowl, com 5 títulos (1971, 77, 92, 93, 95) e 3 derrotas (1970, 75, 78).
    • Posição nos rankings: defesa – 19º; ataque – 7º; passes – 16º; corridas – 2º; pontos – 5º (29.2).
    • Destaques: Tony Romo, QB, 34 anos, 12ª temporada, 24 TD, 9 INT, 3.705 jardas (14º) / DeMarco Murray, RB, 26 anos, 4ª temporada, 392 corridas – 1.845 jardas (1º), 13 TD (1º) / Dez Bryant, WR, 26 anos, 5ª temporada, 88 recepções – 1.320 jardas (8º), 16 TD (1º) / Bruce Carter, OLB, 26 anos, 68 tackles, 5 interceptações (4º).
    • Técnico: Jason Garrett, 48 anos, 5ª temporada, 1ª classificação para playoffs. Temporada regular: 41-31. Playoffs: 0-0.

  • DETROIT LIONS
    • Campanha: 11-5 (7-1 em casa, 4-4 fora). 2º da Divisão Norte da NFC, 6º na Conferência. Conseguiu duas séries de 4 vitória, entre as rodadas 6 e 10 e 13 e 16. Disputou o título em confronto direto com o Packers na última rodada, sendo derrotado. Últimos 5 jogos: 4-1.
    • Histórico: Fundado em 1930 como Portsmouth Spartans, mudou para Detroit em 1934, com o nome de Lions. Desde 1970, 12 classificações para os playoffs, 1ª desde 2011, 2ª em 15 temporadas. Em playoffs, 11 jogos, 1-10. Única vitória aconteceu em 1991, sobre o Cowboys.
    • Posição nos rankings: defesa – 2º; ataque – 19º; passes – 12º; corridas – 28º; pontos – 22º (20.1).
    • Destaques: Matthew Stafford, QB, 26 anos, 6ª temporada, 22 TD, 12 INT, 4.257 jardas (9º) / Joique Bell, RB, 28 anos, 6ª temporada – 4ª na equipe, 223 corridas – 860 jardas, 7 TD / Golden Tate, WR, 26 anos, 5ª temporada – 1ª na equipe, 99 recepções – 1.331 jardas (7º), 4 TD / DeAndre Levy, OLB, 27 anos, 6ª temporada, 151 tackles (2º), 2.5 sacks.
    • Técnico: Jim Caldwell, 59 anos, 4ª temporada – 1ª na equipe, 1ª classificação com o Lions, duas com o Colts. Temporada regular: 37-27. Playoffs: 0-2 (com o Colts).

NFL: Panthers 27×16 Cardinals, Steelers 30×17 Ravens

sábado, 3 de janeiro de 2015

MAURO FRANÇA

O melhor da temporada da NFL começa agora. Neste sábado acontece a largada dos playoffs, com a disputa do wild card, rodada que confronta as equipes classificadas entre o 3º e 6º em cada Conferência. As duas melhores de cada ficam de bye.

Jogos eliminatórios, expectativa de batalhas acirradas em busca do título das Conferências e, mais importante, das vagas no Super Bowl 49, que será disputado em Phoenix no início de fevereiro. Um prato cheio para fanáticos e iniciantes do esporte da bola oval.

Na AFC, classificaram-se New England Patriots (1º), Denver Broncos (2º), Pittsburgh Steelers (3º), Indianapolis Colts (4º), Cincinnati Bengals (5º) e Baltimore Ravens (6º). Em relação à temporada passada, Steelers e Ravens são as novidades, tomando os lugares de Kansas City Chiefs e San Diego Chargers. Como em 2013, Patriots e Broncos foram os líderes da temporada regular, apenas trocando de posição entre si.

Na NFC, os classificados foram Seattle Seahawks (1º), Green Bay Packers (2º), Dallas Cowboys (3º), Carolina Panthers (4º), Arizona Cardinals (5º) e Detroit Lions (6º).  Em relação à 2013, San Francisco 49ers, New Orleans Saints e Philadelphia Eagles são os ausentes, substituídos por Cowboys, Cardinals e Lions. O Seahawks, atual campeão do Super Bowl, liderou a Conferência pela segunda vez consecutiva.

A ESPN anuncia a transmissão ao vivo de todos os jogos dos playoffs. Confira.

JOGOS DE SÁBADO

CAROLINA PANTHERS x ARIZONA CARDINALS, 19h20 (horário de Brasília), Bank of America Stadium (73.298), Charlotte, Carolina do Norte.

  • Confrontos – Temporada regular 2014: nenhum jogo. Histórico: 13 jogos, 5 vitórias do Cardinals e 8 do Panthers. Playoffs: 1 jogo, Cardinals 33×13, 2ª rodada, 2009. Último jogo: Cardinals 22×6, em casa, 2013.

  • CAROLINA PANTHERS
    • Campanha: 7-8-1 (4-4 em casa, 3-4-1 fora). Campeão da Divisão Sul da NFC, 4º na Conferência. Ficou 7 rodadas sem vencer (1 empate e 6 derrotas entre as rodadas 6 e 13, se recuperou e  venceu os últimos 4 jogos, incluindo o 34×3 sobre o Falcons na rodada 17, em confronto direto pelo título da divisão, fora de casa. Últimos 5 jogos: 4-1.
    • Histórico: Fundado em 1995, chega aos playoffs pela 6ª vez, 2ª consecutiva. Em 11 jogos, tem 6-5. Disputou 1 Super Bowl e perdeu (2003). Disputou 3 finais de Conferência, com 1-2. Em 2013, foi eliminado na 1ª rodada.
    • Posição nos rankings: defesa – 10º; ataque – 16º; passes – 19º; corridas – 7º; pontos – 19º (21.2)
    • Destaques: Cam Newton, QB, 25 anos, 4ª temporada, 18 TD, 12 INT, 3.127 jardas lançadas (21º), 539 corridas / Jonathan Stewart, RB, 27 anos, 7ª temporada, 175 corridas – 809 jardas, 3 TD / Greg Olsen, TE, 29 anos, 8ª temporada – 4ª na equipe, 84 recepções – 1.008 jardas, 6 TD / Luke Kuechly, MLB, 3ª temporada, 153 tackles (1º), 3.0 sacks.
    • Técnico: Ron Rivera, 52 anos, 4ª temporada, 2 classificações para playoffs, consecutivas. Temporada regular: 32-31-1. Playoffs: 0-1.
  • ARIZONA CARDINALS
    • Campanha: 11-5 (7-1 em casa, 4-4 fora). 2º na Divisão Oeste da NFC, 5º na Conferência. Até a rodada 11, somou 9 vitórias, 6 seguidas, e uma derrota. Nas 6 seguintes, venceu 2 e perdeu 4. Já classificado, perdeu os últimos dois jogos. Últimos 5 jogos: 2-3.
    • Histórico: Fundado em Chicago em 1920. Em 1960 mudou para Saint Louis; em 1987, para o Arizona, como Phoenix Cardinals até 1993 e desde então com o nome atual. 4ª classificação aos playoffs, 1ª desde 2009. Em 8 jogos, soma 5-3. Disputou 1 Super Bowl e perdeu (2008). Duas vezes foi eliminado na segunda rodada.
    • Posição nos rankings: defesa – 24º; ataque – 24º; passes – 14º; corridas – 31º; pontos – 24º (19.4)
    • Destaques: Ryan Lindley, QB, 25 anos, 3ª temporada, 3º reserva, atuou nas duas últimas rodadas pelas contusões dos titulares / Andre Ellington, RB, 25 anos, 2ª temporada, 201 corridas – 660 jardas, 3 TD / Michael Floyd, WR, 25 anos, 3ª temporada, 47 recepções – 841 jardas, 6 TD / Larry Fitzgerald, WR, 31 anos, 11ª temporada, 63 recepções – 784 jardas, 2 TD.
    • Técnico: Bruce Arians, 62 anos, 2ª temporada, 1ª classificação para playoffs. Temporada regular: 21-11.

PITTSBURGH STEELERS x BALTIMORE RAVENS, 23h15 (horário de Brasília), Heinz Field (65.500), Pittsburgh, Pennsylvania.

  • Confrontos – Temporada regular 2014: 2 jogos, uma vitória para cada (Ravens 26×6 na rodada 2, em casa; Steelers 43×23 na rodada 9, também em casa). Histórico:  41 jogos, 24 vitórias do Steelers e 17 do Ravens. Playoffs: 3 jogos, Steelers 3-0, incluindo vitória na decisão da Conferência em 2008.

  • PITTSBURGH STEELERS
    • Campanha: 11-5 (6-2 em casa, 5-3 fora). Campeão da Divisão Norte da AFC, 3º na Conferência. Irregular até a rodada 6, com 3-3, venceu 8 dos 10 jogos seguintes, incluindo 4 seguidas em dezembro, duas delas sobre o Bengals, rival direto pelo título da divisão. Últimos 5 jogos: 4-1.
    • Histórico: Fundada como Pittsburgh Pirates em 1933, mudou o nome para Steelers em 1940. Desde 1970, 26ª classificação aos playoffs, 1ª desde 2011. Em playoffs, 54 jogos, 33-21. Disputou 8 Super Bowl, conquistou 6 títulos (1974,75,78, 79, 2005, 08) e perdeu 2 (1995,2010).
    • Posição nos rankings: defesa – 18º; ataque – 2º; passes – 2º; corridas – 16º; pontos – 7º (27.2).
    • Principais jogadores: Ben Roethlisberger, QB, 32 anos, 11ª temporada, 32 TD, 9 INT, 4.952 jardas lançadas (1º) / Le’Veon Bell, RB, 22 anos, 2ª temporada, 290 corridas – 1.361 jardas (2º), 83 recepções – 854 jardas, 8 TD / Antonio Brown, WR, 26 anos, 5ª temporada, 129 recepções – 1.698 jardas (1º), 13 TD (2º) / Lawrence Timmons, ILB, 28 anos, 8ª temporada, 132 tackles (8º), 2.0 sacks.
    • Técnico: Mike Tomlin, 42 anos, 8ª temporada, 4ª classificação para playoffs. Temporada regular: 82-46. Playoffs: 5-3. Super Bowl: 2, 1 título (2008).

  • BALTIMORE RAVENS
    • Campanha: 10-6 (6-2 em casa, 4-4 fora). 3º na Divisão Norte da AFC, 6º na Conferência. Irregular durante a temporada, ficou com a última vaga com uma vitória de 20×10 sobre o Cleveland Browns, em casa, e derrotas dos oponentes. Últimos 5 jogos: 3-2.
    • Histórico: Fundado em 1996, chega aos playoffs pela 10ª vez. Nas últimas 7 temporadas, só ficou de fora em 2013, um ano depois de conquistar o Super Bowl 47. Nos playoffs, tem 14-7. Disputou e venceu 2 Super Bowl (2000 e 2012).
    • Posição nos rankings: defesa – 8º; ataque – 12º; passes – 13º; corridas – 8º; pontos – 8º (25.6).
    • Principais jogadores: Joe Flacco, QB, 29 anos, 7ª temporada, 27 TD, 12 INT, 3.986 jardas (12º) / Justin Forsett, RB, 29 anos, 8ª temporada – 1ª na equipe, 235 corridas – 1.266 jardas (5º), 8 TD / Steve Smith, WR, 35 anos, 14ª temporada – 1ª na equipe, 79 recepções – 1.065 jardas, 6 TD / Elvis Dumervil, OLB, 30 anos, 9ª temporada – 2ª na equipe, 37 tackles, 17.0 sacks (3º)
    • Técnico: John Harbaugh, 52 anos, 7ª temporada, 6ª classificação para playoffs. Temporada regular: 72-40. Playoffs: 9-4. Super Bowl: 1 disputado e conquistado (2012).

Nem com reza brava

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Domingo, depois da tamancada no Morumbi, desliguei a TV.

Ler e ouvir música são mais passatempos mais agradáveis do que o blablablá de mesarredondistas.

Quando, passada a chateação, liguei TV estava rolando 49ers x Bears.

Nada animador. O time de San Francisco enfiou 17×0 logo de cara e virou com 20×6.

Nessa altura, meio mundo foi dormir. E eu fui caminhar.

Na volta, me dei conta de que o panorama havia mudado. Após uma saraivada de TDs de um grandão, tipo NBA, Chicago estava na frente, com 28×20.

Era um jogo especial para o SF49ers, que inaugurava seu terceiro estádio, o Levi’s, em Santa Clara, Norte da California.

Inaugurar com derrota é soda. Mas não pro SF, que inaugurou seus outros dois, o Kezar, em 1946, e o Candlestick Park, 1971, também levando sovas.

Depois da urucubaca do Cruzeiro contra o Sumpaulo, a ziquizira dos 49ers em mais uma inauguração de estádio.

Certas escritas nem com reza brava.

Estados Unidos 95×78 Brasil, em Chicago

sábado, 16 de agosto de 2014

No United Center, Chicago, amistoso entre Estados Unidos e Brasil.

Americanos fizeram 29×15, no 1º quarto. Brasil fez 22×16, no segundo e 26×23, no terceiro. No 4º quarto, USA 27×15.

Derrick Rose foi o melhor da partida. O Brasil tem média de 29 anos de idade, os Estados Unidos, 24.

Trecho da reportagem de FÁBIO LEME, do GloboEsporte:

Os primeiros minutos deram a falsa impressão de um quarto inicial parelho. A boa atuação de Splitter no garrafão era pouco diante da intensidade dos americanos, que pressionavam muito Marcelinho Huertas na armação, principalmente depois das entradas de Klay Thompson e Kyrie Irving, dois dos melhores marcadores da NBA. Os brasileiros perdiam bolas – foram sete erros no quarto – e mal conseguiam penetrar na área pintada. Quando o faziam, paravam nos tocos dos EUA – foram três em 10 minutos. Stephen Curry, com duas cestas de três e uma de dois, contribuía para o show americano, que teve como ápice a ponte-aérea de Thompson para Anthony Davis. Com 6 pontos de Splitter e 4 de Nenê, o Brasil foi para o 2º quarto perdendo por 29×15.

Magnano cobrou, e seus comandados voltaram impondo uma defesa mais forte, que passou a incomodar. O aproveitamento dos EUA nos arremessos caiu. Os contrataques surgiram para o Brasil, e a diferença diminuiu. Uma bandeja de Splitter, depois de superar Anthony Davis no um contra um, fez o Brasil ficar só 2 pontos atrás. O pivô campeão da NBA era o destaque da seleção brasileira. Coach K pediu tempo e devolveu à quadra a dupla Thompson-Irving. Os EUA cresceram novamente, e a diferença, também, terminando o 2º quarto em 8 pontos com uma linda jogada individual do “dono da festa” Derrick Rose, ídolo dos Bulls, pra cima de Guilherme Giovannoni.

O jogo coletivo do Brasil contra o individual dos EUA ficou evidente no 3º quarto. Enquanto os brasileiros faziam bem a rotação e chutavam equilibrados para três pontos –foram 4 bolas no período, duas de Raulzinho e outras duas de Hettsheimeir-, os donos da casa usavam e abusavam do um contra um. Em uma delas, Derrick Rose sambou pa cima do jovem armador brasileiro, que vinha bem no jogo, e fez um jump shot (arremesso no ar) na frente de Varejão, que levantou milhares de fãs de pé no United Center -o mesmo Rose que, no período anterior, errara feio uma enterrada completamente livre. Leandrinho se desdobrava pra se desvencilhar da marcação de Klay Thompson, mas diferentemente dos outros períodos, o brasileiro superou seu rival na maioria das vezes. A vantagem que era de 8 no intervalo caía pra cinco: 68 a 63.

Substituto do lesionado DeMarcus Cousins no garrafão americano, Anthony Davis deu show no começo do último quarto. Ele salvou bola perdida, indo parar na segunda fileira da arquibancada, deu toco sensacional em Larry Taylor, completou uma ponte-aérea sobre os pivôs brasileiros e acertou bola de três. Sua atuação nos 10 minutos finais retratou o espírito da jovem seleção americana na partida. Sem deixar o Brasil respirar e muito intensa, a equipe voltou a abrir vantagem rapidamente. Antes da metade do quarto, a diferença já era a maior de todo o duelo -o Brasil só conseguira marcar cinco pontos (84 a 67).

Mesmo com o jogo definido, os EUA não afrouxaram e continuaram a impor sua forte marcação. O Brasil se abateu. No fim, a derrota por 95 a 78 ficou pior do que se anunciava. Já o torcedor americano teve uma amostra, apenas no primeiro amistoso contra um time classificado ao Mundial, do que pode esperar da sua equipe na competição.

Super Bowl 48; Broncos x Seahawks

sábado, 1 de fevereiro de 2014

MAURO FRANÇA

É hora do show!

Denver Broncos e Seattle Seahawks disputam neste domingo o Super Bowl 48, no MetLife Stadium (82.566), East Rutherford, Nova Jersey. A ESPN anuncia o Abre o Jogo às 19:30 e a transmissão da partida a partir das 21:00 horas.

Não poderia haver confronto mais interessante para os aficionados do futebol americano. Broncos e Seahawks já figuravam entre os favoritos antes mesmo do início da temporada. Confirmaram o favoritismo com as melhores campanhas na temporada regular e o título de suas conferências. Portanto, será uma decisão entre duas grandes equipes, no auge de suas forças. (mais…)