Arquivo da Categoria ‘Mundo’

Com um serial killer no corpo

quinta-feira, 25 de maio de 2017

SERIAL KILLER, homofóbico e racista, o comunista Ernesto Guevara é cultuado por diversos profissionais do futebol.

Rede TV mostrou fotos de alguns usuários de estampas e tatoos do assassino argentino: Maradona, Veron, Prass, Neto e Egidio são alguns deles.

O site não mostra, mas temos também nossa cota de imbecilidade, com a idolatria dos cérebros de galinha da Máfia Azul pelo escroque nascido em Rosario.

E vc, caro leitor, também já tatuou a imagem do Ché em suas nádegas?

E o Cruzeirão Exportação?

quarta-feira, 10 de maio de 2017

O Ceies Football Observatory informa, em seu 25º relatório mensal, o número de estrangeiros em 137 ligas de 93 federações nacionais. São 12.051 estrangeiros atuando em 174 países.

  • EXPORTADORES: Brasil (1.202), França 781, Argentina (753) Sérvia (460), Inglaterra (451), Espanha (362), Alemanha (335), Croácia (323), Nigéria (292), Uruguai (288), Itália (71), Japão (54), Turquia (46), Espanha (43), México (34), Grécia (33), Tailândia (30), Coreia Sul (30) e Hong Kong (29).

Portugal, com 221 jogadores, é o país que mais recebe brasileiros.

O Cruzeiro, precisando pagar os clubes estrangeiros nos quais está dando calote, precisa exportar?

Quem deveria ser passado nos cobres, na opinião do caro leitor?

Séries

sábado, 29 de abril de 2017

Pra relaxar antes do RapoCota:

  1. Alfa, Beta, ______, Delta e Épsilon.
  2. Barone, Mendes, Cruz, ______ e Oliveira.
  3. Felix, Carlos, ______, Wilson e Everaldo.
  4. Humberto, ______, Emílio, Ernesto e João.
  5. Guaicurus, Caetés, Tupinambás, Carijós e _____.
  6. Oscar, Marcel, Israel, Gerson e ______.
  7. Laimbeer, Edwards, Rodman, Dumars e ______.
  8. Jagger, Richards, Jones, ______ e Watts.
  9. Portela, ______, Salgueiro, Mangueira e Grande Rio.
  10. ______, Tombense, Uberlândia, Joinville e São Paulo.

Completem pra cada serie ficar perfeita.

O vencedor receberá um prêmio virtual.

Goleiros

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Hoje é o dia do goleiro. Besteira. Mas vamos aproveitar a data pra escolher:

  1. Quem foi o melhor goleiro que vc viu jogar?
  2. Quem é o melhor goleiro brasileiro da atualidade (atuando aqui e alhures)?
  3. Quem foi o melhor goleiro da historia do Cruzeiro?

Meus votos: Buffon, Danilo e Fábio.

Este pontinho será importante lá na frente…

sexta-feira, 10 de março de 2017

O duelo Paris-Barcelona continua dando o que falar. Um bateu de 4, outro de 6. E tome repercussão!

Fosse no Morrinhão, não daria tanto falatório. Seriam dois zero a zero, sob as benção de técnicos conservadores.

Técnicos que diriam, nas coletivas pós-jogo: “Foi um pontinho importante, que pode fazer a diferença lá na frente”.

Entenderam por que é Morrinhão?

Van Basten prenhe de propostas

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Marco VAN BASTEN, agora diretor da Fifa quer mudar o futebol.  Sugestões

  1. Fim do impedimento
  2. Fim das prorrogações
  3. Fim das disputas por pênaltis
  4. Cartão laranja pra tirar botineiro de campo por dez minutos
  5. Mano a mano entre goleiro e ahogador de linha pra decidir jogos empatados
  6. Aumento do número de substituições.
  7. Jogo dividido em 4 tempos
  8. Cronômetro parado nos últimos 10 minutos pra evitar perda de tempo nas bolas paradas
  9. Só capitão podendo conversar com o juiz
  10. Limite de 60 jogos por ano para os atletas.

Apoio as propostas 2, 6, 9 e 10.

Oliú ou Futebol?

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

MERYL STREEP chamou de idiotas os fãs de futebol e de lutas. Ela só aprecia quem gosta da subcultura de Oliú. Além de puxa-saco e superestimada, pretensiosa.

Eu não troco jogo do Cruzeiro por nenhuma dessas historietas oliudianas. Vc troca, caro leitor? Tem mais: prefiro a Glória Pires falando de cinema do que a Meryl Streep.

Bravo, Cabañas!

sábado, 7 de janeiro de 2017

CABAÑAS, ex-centroavante do América do México e da Seleção Paraguaia:

  • “Não guardo rancor à pessoa que me deu o tiro. Me aconteceram muitas coisas, mas o que mais falta me faz é jogar futebol, defender as cores do América e da minha seleção. A verdade é que, com o tiro, me dei conta de que minha ex-mulher só me queria pelo meu dinheiro. Me roubou tudo, enquanto eu estava lutando pra viver. Eu não tenho amigos, porque quando o dinheiro acabou, se foram os que diziam ser meus amigos. Cada dia que levanto, agradeço a Deus por estar vivo, por perceber que o dinheiro não é tudo na vida e com orgulho digo que vendo pão e ajudo meus pais com as despesas”.

Cabañas virou padeiro e vive no Paraguai.

Isso dá pra fazer?

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

JR GALVÃO não quer saber de chororô por conta do calendário:

  • Este ano, o Nacional de Medellin disputou tudo nas cabeças, conquistando Libertadores e Copa da Colombia E ainda chegou à final da Sulamerican, está na semifinal do Colombiano e vai disputar o Mundial. Tudo isto sem o técnico Reinaldo Rueda se queixar do calendário. Ele entrou em todas as competições pra ganhar. Deveria servir de exemplo, já que por aqui é uma choradeira só. Se o time disputa dois títulos, parece ser impossível tentar ganhar ambos. Mais um belo exemplo dos colombianos, em quem os brasileiros deveriam mirar neste momento.

Sua opinião, por favor, caro leitor!

Um sobrevivente falou

domingo, 4 de dezembro de 2016

ERWIN TUMIRI, técnico aeronáutico, sobrevivente da queda do avião da Lamia, contou ao Fantástico:

  • Avisaram que iríamos pousar, pouso normal. Eu não disse nada à imprensa sobre ter cumprido os protocolos pra situação de risco. Ninguém percebeu que ia cair. Estavam todos prontos pra pousar normalmente. Em nenhum momento, fiquei na posição fetal. A preparação era pra pouso normal.
  • O técnico Caio Júnior estava me ensinando a falar português. Quando disseram “afivelem os cintos, vamos pousar”, todos voltaram a suas poltronas. As luzes se apagaram e começou a vibrar. Pensei que era do pouso, mas não foi. S;o ouvi o barulho, não me lembro de mais nada. Depois me levantei do chão.
  • Foi como num pesadelo, eu nem acreditava. Acordei e pensei: “O que aconteceu aqui?”. O que fiz foi pegar minha lanterna, iluminar e gritar por socorro. Comecei a piscar a lanterna pra que me vissem. Ximena estava a cinco metros de mim, eu estava com o rosto no chão e levantei assustado. Levantei e corri em direção a ela. Ela estava presa e gritando. Quando me viu foi se acalmando e eu disse: “Vamos embora”. Estava no mato, tudo escuro, pensei em ir em direção ao aeroporto. Vi muitos corpos espalhados, mas não tinha o que fazer. Não via sinais de vida e, além disso, me preocupava se o avião fosse explodir e se desmanchar. Por isso, fui me afastando com Ximena.
  • Nós, técnicos, fazemos o pré-voo. Temos uma lista de checagem de tudo que é preciso fazer no avião. A Lamia tem seu gerente, seu pessoal, é outra coisa. Eu faço meu trabalho. Sei tudo o que me ensinaram sobre o avião. Fiz o relatório informando que íamos até Cobija. Na decolagem, voltei a perguntar sobre a escala e o piloto disse: “Não, vamos pra Medellín”.
  • Cálculo de autonomia e carga quem faz é o despachante de voo. É responsabilidade da Lamia. Eles sabiam o peso e o combustível correspondente. Eles me diziam qual era o combustível necessário pra abastecer. Supus que sabiam o que faziam. Acho que pode não ter sido uma boa ideia do piloto ou da pessoa responsável na Lamia ter tomado essa decisão.
  • Poderia me fazer ouvir pelo piloto: “É assim que tem ser e vai ser assim”. Essas decisões não deferiam ser tomadas de maneira tão individual, Deveriam nos comunicar pra onde vamos, o que vamos fazer. A tripulação teria que saber. Eu diria que faltou um pouco mais de liderança ao piloto pra se por de acordo com toda a tripulação.
  • Vou continuar com meu trabalho, continuar me preparando pra não deixar de voar. Quero terminar meu curso de pilotagem, quero ser piloto comercial.
  • Um dia quero ir a Chapecó, conhecer a cidade. Às vezes, sinto como se tivesse sido salvo por eles. Como se eles tivessem dado sua vida pela minha. Por isso, quero conhecer essa cidade.