Arquivo da Categoria ‘Mineiro’

Dois dias antes da decisão

quinta-feira, 18 de abril de 2019

DOIS DIAS antes do RapoCota decisivo:

  1. Juiz gaúcho Jean Pierre Gonçalves Dias sentiu dores na panturrilha, ontem, no GreNal decisivo e foi substituído. Conspiradões estão enxergando armação da FMF na troca.
  2. O paulista Leandro Bizzio Marinho será o substituto de Kean Pierre, no comando da arbitragem.
  3. Após quatro dias de pressão fás grandes e de jornalistas, o Cruzeiro responde, com Marcelo Djian, apontando erros da arbitragem \ que prejudicaram o Cruzeiro no clássico passado.
  4. M Gabriel não quer saber de conversa, nem de polêmica, quer é jogo. Está certíssimo.
  5. Depois do clássico, Cruzeiro anunciará mais dois patrocinadores, que vão expor seus jogos no uniforme cceleste. Ainda tem espaço?
  6. Neste sábado, Mano vai repetir o time pela primeira vez na temporada.
  7. Dedé completa seis anos de Cruzeiro e diz que se recorda de tudo com alegria e gratidão. 
  8. Sub20 do Cruzeiro empata por 0x0 com o Corinthians, no Parque São Jorge e avança na Copa do Brasil. Próximo adversário será o Flamengo. 

Por ora, é só. Mais tarde, tem mais.

Galileu: “dopo tutto, abbiamo vinto”

terça-feira, 16 de abril de 2019

PITACOS acerca do CRUZEIRO 2-1 A MINEIRO, no Mineirão, Belo Horizonte, 14abr19dom16h, ida das finais do Mineiro 2019:

MANO MENEZES: Eu esperava exatamente um jogo assim. Ppodíamos ter rendido mais. Em alguns momentos fizemos escolhas apressadas, principalmente no 1º tempo. No 2º, voltamos um pouco mais tranquilos. Não tínhamos nenhuma ilusão sobre as dificuldades que teríamos diante de um adversário tradicional. Podemos trabalhar uma semana com base nessa realidade, com as escolhas do adversário, com postura do adversário, com jeito de poder encontrar soluções que precisamos pra confirmar essa condição. As escolhas são dos jogadores dentro do campo. Tem dias que fazem escolhas melhores e as vezes nem tanto. Então você não pode deixar pra esse lance a responsabilidade do gol que você sofreu. O gol é uma série de detalhes que acontecem e que faz com que a gente fosse batido numa hora que o adversário tinha dificuldades pra construir. É aquela coisa: estávamos partindo pro contra-ataque, tínhamos outros dois jogadores, mas nenhum velocista. Com isso você não corre, você se aproxima. Então faltou um pouco de voltar pra fazer o pivô. O adversário toma a bola que não pode tomar, porque aí é o contrataque do contrataque. E aí pegou a nossa defesa um pouco desposicionada. É um bom exemplo. Insistimos muito com jogadas de Marquinhos Gabriel no primeiro tempo. Bola longa, sem qualidade de trabalho. Entra uma, entra duas, e na terceira o adversário sabe o que você está fazendo e neutraliza. Podemos melhorar no posicionamento, fazer uma variação pra criar uma dúvida no adversário na linha de marcação. O adversário marcou bem e temos que criar soluções para nos livrarmos dessa marcação.

RED: A vantagem passou pro nosso lado, mas é mínima. Temos que jogar pra vencer, como sempre fazemos.

MÁRCIO REZENDE DE FREITAS; Houve pênalti do Dedé no Rabello. Se quiser, o Juiz pode mandar cobrar, antes de começar o segundo tempo.

SÍNDICO: Caros Eugênio Simon ensinou que a nova regra da Fifa sobre bola na mão ou mão na bola (intencionalidade) só valerá a partir do início da nova temporada européia. Ainda não vale. Por isto, o gol do Fred foi legal.

J R GALVÃO: O resultado foi muito bom, mas o time não jogou bem como nas ultimas partidas. Rodriguinho, Robinho e Dedé erraram mais que o normal. Leo foi o melhor. E, gostem ou não, o tal do var inventou mão do Fred no gol anulado. De resto, é deixar a radia e seus teleguiados chorarem à vontade,

MIGUEL TOLENTINO: joguinho preguiçoso e mequetrefe do Cruzeiro, que sempre se escora na vantagem mínima.

BRUNO BARROS: Mano sempre mexe errado, é impressionante. Ele carrega uma invencibilidade nesse quesito que já dura anos.

VANDA ARAUJO: Quando se trata de Vitória contra as frangas, parabenizo a todos, mas hoje destaco LEO e M. Gabriel. Não posso dizer o mesmo do meu ídolo Dedé, porque ele tem me deixado meio preocupada.

LEONARDO MATARELLI: Nem Freud teria a ousadia de explicar. Boa parte da torcida cruzeirense se lamentando pela “pequena” vitória, e a cachorrada fazendo cera, mesmo perdendo, comemorando e se dizendo aliviada. Pela perda da vantagem?

KLAUSS MOURÃO: Mano deve ser sogro do Cabral, num pode, vai gostar do cara assim. Enquanto isso, o Lucas mofa no banco, que tristeza!!!

GALILEU GALILEI: Dopo tutto, abbiamo vinto.

Leo e M Gabriel desequilibraram o RapoCota

segunda-feira, 15 de abril de 2019

ATUAÇÕES dos protagonistas do CRUZEIRO 2-1 A MINEIRO, no Mineirão, Belo Horizonte, 14abr19dom16h, ida das finais do Mineiro 2019:

TORCIDA CELESTE ocupou todo o espaço que lhe foi concedido e fez muito barulho o tempo todo.

FÁBIO fez uma grande defesa em chute de Luan e foi perfeito nas demais intervenções.

EDÍLSON marcou bem, apoiou com segurança, sem deixar espaços.

DEDÉ só foi vencido no lance do gol emplumado. Nos demais, atuação perfeita.

LEO marcou gol, cortou um monte de bolas, venceu duelos individuais e fez excelente cobertura na esquerda.

EGÍDIO apoiou bastante e controlou bem seu setor. Só sofreu, no fim, quando Geuvânio entrou com fôlego zerado e deu bastante trabalho para a defesa celeste.

ROMERO levou cartão amarelo, por um carrinho desnecessário e teve de ser substituído no decorrer da etapa final. De resto, a garra de sempre e a pouca efetividade na saída de bola e na seleção de jogadas.

HENRIQUE marcou bem, mas não foi bem-sucedido no apoio, como de costume.

CABRAL jogou pouco tempo e tratou bem a bola. Não complicou, nem foi espetaculoso, como pede a galera.

ROBINHO jogou pela direita, armando e tentando criar jogadas de ataque. Não conseguiu muita coisa, devido à concentração defensiva do adversário.

RAFINHA marcou, incomodou os adversários, carimbou, reclamou e foi expulso. Tudo isto nos 15 minutos em que esteve em campo.

RODRIGUINHO não conseguiu jogar. O adversário se fechou, evitando 1ue ele tivesse espaços para a tabelar ou se infiltrar, saiu mais cedo.

MARQUINHOS fez gol e foi o atacante celeste que mais abriu brechas no muro defensivo das frangas.

FRED serviu para o primeiro gol, fez o seu, anulado pelo var, deu bons passes, incomodou demais a bequeira emplumada.

ROCHA conseguiu uma única arrancada nos 33 minutos em que esteve em campo. Estreia apagada, provavelmente, pela falta de ritmo de quem estava fazendo sua segunda partida no ano.

MANO escalou e substituiu corretamente. Seu time buscou a vitória e, no fim, tratou de segurá-la, algo incompreensível para os termocéfalos, adeptos do futebol indígena.

CRUZEIRO propôs o jogo, correu trás da vitória, conseguiu furar o bloqueio das frangas, com três gols (um anulado pelo var), mas também ofereceu mais espaços do que comumente o faz, levando um gol e, por pouco, não levando outro.

 MINEIRO apostou na defesa, na catimba e na cera. Até o goleiro levou cartão amarelo, mesmo com o time perdendo! Mas teve inteligência para explorar as oportunidades concedidas pelo sistema defensivo do Cruzeiro e criou duas excelentes chances de gol, uma delas aproveitada.

ÁRBITROS foram escravos do var. Comeram tempo de jogo, sem a menos cerimônia, demorando para analisar os lances polêmicos. No gol anulado, viram a bola tocar no braço do Fred, mas não viram a falta cometida por Leonardo, antes. Na parte disciplinar, nada a criticar. Quem pediu, levou cartão.

MelhorDoJogo => LEO [[[23]]] Seisaum, Penido, Souza, Pinheiro, Rizzi, Braga, Barros, Filipe, Talentim, Olivieri, Rosan, Rocha, Walterson, Vanda, Nazaré, Walery, Rezende, Reis, Anchieta, França, Síndico, Dudu, Lulu —– MARQUINHOS [[[20]]] Ge, Uol, Guibreis, Pyxis, Gonçalves, Zuloobas, Soares, Gesoco, Ramos, Clemenceau, Nanayoski, Burian, Marcoalex, Júnior, Klauss, Romarol, Leo, Samuel, Emerson, Pedro —– FRED [[[7]]] Gil, Bitencourt, Campos, Morato, Cloadoália, Ivana, Lauanda —– HENRIQUE [[[3]]] Galvão, Bastos, Barnabé —– ROMERO [[[1]]] Patrícia —– EGÍDIO [[[1]]] Schrier —– FÁBIO [[[1]]] Arreguy —– LEONARDO [[[3]]] Álvaro, Mário, Ricardo…

Cruzeiro 2×1 AtléticoMG: vantagem revertida

domingo, 14 de abril de 2019

CRUZEIRO contra AtléticoMG neste 14abr19dom16h, no Mineirão, Belo Horizonte, ida das finais do Mineiro 2019.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 2º, com 15.822 pontos; Mineiro, o 7º, com 13.352.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro terminou a 1ª fase em 2º lugar e depois passou por Patrocinense e América. Mineiro terminou a 1ª fase em 1º lugar e depois passou por Tupynambás e Boa.

TEMPO nublado, temperatura 26º, vento 10 Km/h, umidade 56%.

TRANSMISSÃO: Globo (menos pra região de Juiz de Fora), com narração de Rogério Corrêa, comentários de Bob Faria e Márcio Rezende de Freitas. Premiere, com narração de Jayme Jr, comentários de Henrique Fernandes e reportagens de Pedro Augusto Correia e Vinícius Eulálio.

ARBITRAGEM: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ), Rodrigo Figueiredo Henrique Corrêa (RJ), Michael Corrêa (RJ). VAR: Bruno Arleu de Araújo (RJ),

CRUZEIRO: Fábio — Edílson, Dedé, Leo, Egídio — Henrique, Romero — Robinho, Rodriguinho, M Gabriel — Fred. T: Mano Menezes.

BANCO: Rafael, Orejuela, Fabruno, Murilo, Dodô, Lucas, Jadson, Cabral, Rafinha, Sassá, P Rocha, David.

AUSENTES: Thiago Neves, Raniel (poupados).

PENDURADOS: Orejuela, Robinho.

MINEIRO: Victor — Guga, Leonardo, Rabello, Santos — Adílson, Elias — Luan, Cazares, Chará — Ricardo. T: Rodrigo Santana.

BANCO: Michael G, Cleiton G, Patric L, Hulk L, Maidana B, Zé Welison V, Jair V, Nathan V, Vinícius M, Bolt A, Alerrandro A, Geuvânio A.

AUSENTES: Réver, Uilson, Carlos César, Gustavo Blanco (lesionados)..

PENDURADOS: Igor Rabello, Matheus Mancini, Renan Guedes, Réver, Vinícius Góes.

CRUZEIRO 2×1 ATLÉTICO-MG, 14abr19dom16h. TEMPO nublado, temperatura 27º, 10 Km/h, umidade 56%. LOCAL: Mineirão (62 mil), Belo Horizonte. MOTIVO: ida das finais do Mineiro 2019. TRANSMISSÃO: Globo e Premiere. PÚBLICO: 51.032 pagantes, 44.650 presentes, R$1.952.976, média R$. ARBITRAGEM: Wagner Nascimento Magalhães, Rodrigo Figueiredo Corrêa,  Michael Corrêa. VAR: Bruno Arleu Araújo (RJ), AMARELOS: Luan, Ricardo, Bolt, Adílson, Santos, Victor, Fred, Henrique, Romero, Rafinha. VERMELHOS: Rafinha, Adílson. GOLS: M Gabriel, 45, Ricardo, 55, Leo, 60. CRUZEIRO: Fábio; Edílson, Dedé, Leo, Egídio; Henrique, Romero (Cabral, 72), Robinho (Rafinha, 76), Rodriguinho (P Rocha, 67), M Gabriel; Fred. T: Mano Menezes. ATLÉTICO-MG: Victor; Guga, Leonardo, Rabello, Santos; Adílson, Elias; Luan (Bolt, 46), Cazares (Vinicius, 63) . Chará, Ricardo (Geuvânio, 86) T: Rodrigo Santana.

HISTÓRICO: 469 jogos. O Cruzeiro venceu 160, empatou 127 e perdeu 182, com 602 gols a favor e 656 contra. Pelo Brasileiro, foram 66 jogos. O Cruzeiro venceu 22, empatou 21, perdeu 23, marcou 89 gols, sofreu 84. Os dois clubes já se enfrentaram em 23 decisões do Mineiro. O Cruzeiro venceu 12 (40, 67, 72, 77, 87, 90, 98, 04, 08, 09, 11, 14, 18), perdeu 9 (31, 54, 62, 76, 85, 00, 07, 13, 17) e empatou uma (56). Na Copa dos Campeões Mineiros 1999, a vitória foi do Cruzeiro. Em fases preliminares, o Cruzeiro foi eliminado pelo rival nas quartas do Brasileiro de 1999 e o eliminou nas semifinais da SulMinas de 2001 e 2002, do Mineiro de 2005 e 2006, da Copa Montevidéu 2009 e foi eliminado nas semifinais do Mineiro 2015. Na Copa do Brasil, o Cruzeiro perdeu a final de 2014. Foram 241 clássicos no Mineirão. O Cruzeiro venceu 87, empatou 78, perdeu 75, marcou 281 gols, sofreu 257. Pelo Mineiro, foram 272 jogos, com 93 vitórias do Cruzeiro, 70 empates, 109 derrotas, 296 gols a favor, 343 contra. Pela Primeira Liga, 1 jogo, 1 vitória do Cruzeiro que fez 1 gol e não sofreu nenhum.

Edílson: “mantenho nível, não vou muito abaixo”

segunda-feira, 8 de abril de 2019

PITACOS acerca do CRUZEIRO 3-0 AMÉRICA, no Mineirão, Belo Horizonte, 06abr19sab19h, volta das semifinais do Mineiro 2019:

MANO MENEZES: Não poderia ser diferente em termos de postura,  respeito e entrega, encontrando um Mineirão lotado num sábado à noite. O torcedor veio com a família. Nós tínhamos todos os motivos pra nos entregar. As dificuldades apareceram em função da viagem a Guayaquil, antes do jogo contra um adversário que ficou descansando. Em alguns momentos, tivemos que nos resguardar um pouco e deixar o adversário ficar com a bola pra não nos expormos muito, porque nos últimos minutos poderíamos pagar um preço alto, não quanto ao resultado, mas por um desgaste excessivo e uma lesão, tudo que a gente não quer. Fizemos um bom jogo contra um adversário de qualidade, que jogou bem. A diferença é que na hora do vamos ver nós temos mais jogadores decisivos e acostumados com esses momentos, que aproveitam oportunidades. Saímos felizes, atingimos o objetivo de chegar à final. Fizemos a nossa obrigação. Agora vamos preparar e lutar pelo bicampeonato. Ainda tivemos forças pra fazer o 3×0 e quase fizemos o 4×0, mas seria exagerado. O América fez um bom jogo e 4×0 ia mascara isto. Eu imaginava o América tentando diminuir a vantagem e quase conseguiu. Fez o gol que o var anulou, numa jogada que é o forte deles. O América jogou dois clássicos e fez quatro gols de bola parada. Não é à toa que essas coisas acontecem. Eles têm bons batedores, têm boa movimentação, têm confiança e isso ajuda. Fizemos modificações em função do primeiro jogo, fizemos uma marcação mais no fundo. A gente vai adaptando algumas coisas pra sair com o resultado positivo, mas importante é que a equipe se comportou bem.

RANIEL: Tenho que me cobrar por essas oportunidades que perco. Não posso achar normal, pra não virar costume. Tem que acostumar é a finalizar e fazer gol. Infelizmente, não peguei do jeito que queria na bola. É a falta de ritmo, estou voltando agora. Mas isso não é desculpa. Perdi o gol. Dava pra ter batido melhor na bola. Faz parte. Agora, é melhorar.

EDÍLSON: Sempre mantenho o nível, nunca vou muito abaixo. Em jogos grandes, a gente costuma dar o melhor e estar muito concentrado pra decidir. Hoje, ajudei com um bom passe no 1º tempo. Agora, é descansar, porque está muito corrido. Prezo por isso, pra estar em decisões. É pra isso que todo jogador é contratado, pra estar nas decisões e jogando bem

M RIZZI: Ótimo resultado principalmente se considerarmos o desgaste da sequência dos jogos e ainda com um voo longo. O time celeste aproveitou o baque sofrido pelo adversário com a anulação do gol e guardou dois que desanimariam qualquer time. Porém, o América não desistiu e com uma ótima atuação do Matheusinho conseguiu quatro ótimas finalizações exigindo elasticidade do Fábio. No minuto final, o Rafinha teve a oportunidade de guardar o dele. Parabéns ao Cruzeiro e América por essa intensa e prazerosa semifinal.

MAURO FRANÇA: O Cruzeiro precisou de 20 minutos pra definir o jogo e a série. Daí pra frente, administrou com competência. Nos últimos 9 jogos, tomou apenas 2 gols e marcou 23. É a “retranca” do Mano funcionando… O time tem mantido regularidade e consistência de forma impressionante. Não tem futebol bonito, tem competitividade, inteligência tática, objetividade e aplicação fora do comum. 

GUSTAVO MILANI: Este Cruzeiro do Mano, que já era um time chato, agora, além e chato, ficou mais cascudo. É o mais decisivo do País, no momento.

SOUZA: Cruzeiro administrou bem o 2º tempo. Poupou-se, mas ainda criou três chances claras de gol.

GIL CAMPOS: Lucas provou que merece um lugar no time. Henrique e Romero não nasceram pra jogarem juntos. Um dos dois tem que dar lugar ao Lucas.

SILVÉRIO CÂNDICO: Lucas e Cabral sabem sair jogando. Romero e Henrique são bons de contenção, mas não sabem sair jogando.

Lucas e Leo deram aula no clássico

domingo, 7 de abril de 2019

ATUAÇÕES dos protagonistas do CRUZEIRO 3-0 AMÉRICA, no Mineirão, Belo Horizonte, 06abr19sab19h, volta das semifinais do Mineiro 2019:

TORCIDA CELESTE quebrou o recorde de público do ano, em Minas, mas só porque 20 mil mulheres e crianças entraram na faixa. Importante é que a festa foi animada e sobrou homenagem até pra Thiago Neves, que estava no banco e teve seu nome gritado incessantemente. (Síndico)

FÁBIO fez três defesaças e foi correto nas demais intervenções. (Síndico) —– Perfeito como sempre. (Celeste Campos)

EDÍLSON marcou bem e foi ao ataque, com qualidade. O segundo gol, marcado por Fred, foi marcado após cruzamento preciso que ele fez. (Síndico)

DEDÉ venceu todas as disputas pelo alto e por baixo. Atuação perfeita. (Síndico)

LEO defendeu demais, fez o gol que abriu a porteira e completou 350 jogos w 20 gols honrando as cores do Cabuloso. (Clemenceau Chiabi) —– Jogou muito, como sempre. (Celeste Campos)

EGÍDIO marcou corretamente e foi ao ataque, com segurança. Ótima atuação. (Síndico)

ROMERO foi um cabeça de área incansável na marcação. Não foi efetivo no apoio. (Síndico)

LUCAS organizou e deu qualidade na articulação ofensiva e ainda fez a assistência para o primeiro gol. Foi o melhor do jogo. (Mauro França) —– Já alcançou o patamar do jogador que entra em campo sabendo exatamente o que fazer. E ainda tem boa leitura do jogo, tanto que apareceu no ataque para dar o passe para o gol do Leo. (Celeste Campos).

JADSON jogou pouco tempo, mas deixou sua marca, com uma bela assistência, que Raniel desperdiçou. (Síndico)

ROBINHO armou o jogo pela direita e produziu bons lances, tanto no ataque quanto na defesa, em parceria com Edílson. (Síndico)

RODRIGUINHO fez algumas boas jogadas, mas esteve bem abaixo do que tem feito desde que entrou no time. No fim, cansou e saiu mais cedo. (Síndico)

CABRAL jogou cinco minutos, sem ter muito o que fazer, pois o jogo estava decidido. (Síndico)

RAFINHA foi o lutador de sempre, marcando incansavelmente. O prêmio foi o gol, no fim da partida. Que, diga-se, começou e terminou com o trabalho de seus pés. (Síndico)

FRED fez gol, incomodou a defesa americana, tomou uma pancada no tornozelo, voltou em marcha lenta na etapa final e foi substituído mais cedo. (Síndico)

RANIEL jogou quase meia hora, com entusiasmo, mas sem brilho. No fim, perdeu gol após receber passe preciso de Jadson. (Síndico)

MANO fez tudo certo, desde a escalação ate as mexidas. E ainda ficou, tal qual um maestro, ditando o ritmo na beira da cancha, para não permitir que os atletas se esfalfassem sem necessidade. (Síndico) —– Mano começou o ano rodando bem o elenco, que é mais equilibrado do que o ano passado. E justificando as trocas pela postura do adversário e pela condição do elenco. O jogo contra o América foi leve, controlado, seguro. Mais um excelente jogo. (Douglas Velloso)

CRUZEIRO foi atacado o tempo todo, mas soube fazer os gols em jogadas trabalhadas e se defender, impedindo que o América fizesse o mesmo. Seus gols foram inapeláveis, as chances do Coelho foram em tiros de gora da área. Isto explica o jogo. (Síndico)

AMÉRICA atacou o tempo todo, foi um time valente, mas sem criatividade para romper as linhas de defesa do Cruzeiro. Para no perder viagem nos ataques, chutou inúmeras bolas de fora da área, que serviu pra Fábio homenagear a torcida celeste, com defesas plasticamente preciosas. Os dois laterais e os dois volantes foram os melhores. boreal, a arma secreta, deu chabu. (Síndico)

ÁRBITROS acertaram em todos os lances, mas demoraram uma eternidade quando chamados pelo Va para revisar lances polêmicos. (Síndico)

MelhorDoJogo => LUCAS [[[15]]] Gil, Beth, Bitencourt, Drummond, Velame, Romarol, Talentim, Milani, Gesoco, Walery, Celeste, Silvercan, França, Vítor, Barnabé —– LEO [[[10]]] Chaves, Velloso, Marcoalex, Clemenceau, Lauanda, Vanda, Nanayoski, Anchieta, Patrícia, Dudu —– ROBINHO [[[5]]] Rizzi, Luizanton, Souza, Klauss, Ulhôa —– EDÍLSON [[[4]]] Itatiaia, Rezende, Bastos, Síndico —– FÁBIO [[[2]]] Domênico, Walfrido —– DEDÉ [[[1]]] Zuloobas —– EGÍDIO [[[1]]] Campos —– ROMERO [[[1]]] Arreguy —– MANO [[[1]]] Maura.

Cruzeiro 3×0 América: na final, com sobras

sábado, 6 de abril de 2019

CRUZEIRO contra América, 06abr19sab19h, Mineirão, Belo Horizonte, volta das semifinais do Mineiro 2019.

CLASSIFICAÇÃO: nas quartas, Cruzeiro 5×0 Patrocinense e América 2×0 Caldense.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 2º, com 15.822 pontos, América, o 19º, com 7.522.

TEMPO parcialmente nublado, temperatura 23º, vento 5 Km/h, umidade 73%.

TRANSMISSÃO: Sportv (menos pra MG) e Premiere, com narração de Rogério Corrêa, comentários de Bob Faria, reportagens deGuto Rabelo e Pedro Correia.

ARBITRAGEM: Leandro Pedro Vuaden (RS), Celso Luiz da Silva (MG), Anderson José de Moraes Coelho (SP). VAR: Marcelo de Lima Henrique (RJ).

CRUZEIRO: Fábio — Edílson, Dedé, Leo, Egídio — Romero, Lucas — Robinho, Rodriguinho, Rafinha — Fred. T: Mano Menezes.

BANCO: Rafael, Orejuela, Fabruno, Murilo, Dodô, Henrique, Cabral, Jadson, Neves, Raniel, Sassá, David.

AUSENTES: Ninguém.

PENDURADOS: Orejuela, Robinho.

AMÉRICA: Fernando Leal — Leandro Silva, Paulão, Diego Jussani, João Paulo — Zé Ricardo, Christian — Felipe Azevedo, Toscano, Matheusinho — Júnior Viçosa. T: Givanildo Oliveira.

BANCO: Glauco (G), Ronaldo (L), João Cubas, (B), Pedrão (B), Sabino (B), Sávio (L), Morelli (V), Emiliano (M), Berola (A), Ademir (A), França (A), Belusso (A).

AUSENTES: Juninho (lesionado).

PENDURADOS: Juninho, Júnior Viçosa e Paulão.

CRUZEIRO 3×0 AMÉRICA, 06abr19sab19h. TEMPO parcialmente nublado, temperatura 23º, vento 5 Km/h, umidade 73%. LOCAL: Mineirão (62 mil), Belo Horizonte. MOTIVO: volta das semifinais do Mineiro 2019. TRANSMISSÃO: Sportv e Premiere. PÚBLICO: 51.525 presentes, 31.796 pagantes, R$602.177, média R$19. ARBITRAGEM: Leandro Vuaden (RS), Celso Luiz Silva (MG), Anderson Moraes Coelho (SP). VAR: Marcelo Lima Henrique (RJ). AMARELOS: Azevedo, ZéRicardo. GOLS: Leo, 14, Fred, 19, Rafinha, 88. CRUZEIRO: FábioEdílson, Dedé, Leo, EgídioRomero, Lucas (Cabral, 81) — Robinho, Rodriguinho (Jadson, 74), RafinhaFred (Raniel, 58). T: Mano Menezes. AMÉRICA: Leal — Leandro, Paulão, Jussani, João Paulo — Zé Ricardo, Christian — Azevedo (França, 78), Toscano (Berola, 70), Matheusinho — Viçosa (Belusso, 79). T: Givanildo Oliveira.

HISTÓRICO: 369 jogos, 156 vitórias do Cruzeiro, 102 vitórias do América, 111 empates. Cruzeiro marcou 657 gols e sofreu 525.

Anatnas: Berola fez espuma, Egídio decidiu

terça-feira, 2 de abril de 2019

PITACOS acerca do AMÉRICA 2-3 CRUZEIRO, no Independência, Belo Horizonte, 31mar19dom16h, ida das semifinais do Mineiro 2019:

MANO MENEZES: Saio satisfeito. Temos que entender que às vezes o adversário também faz gols. Sei que não estamos acostumamos. Há seis jogos não tomávamos gols, então o pessoal desacostuma. Mas gol a gente toma também. Temos que reconhecer o mérito do adversário, talvez acompanhado de pequenas falhas nossas, mas eles também falharam quando recuperamos uma bola e fizemos um gol importante. Jogamos fora de casa contra um adversário forte, que fez campanha próxima da nossa em pontuação na fase de classificação. Jogamos como o Cruzeiro está acostumado, ambicionou a vitória e fizemos gols pra construí-la. Nos últimos minutos, o América pressionou porque estava perdendo em casa e nós não tínhamos a mesma força física em função de termos jogado na quarta e adversário não.

FRED: A gente esperava essas dificuldades. No intervalo, falei que dava pra perceber que nossa equipe havia jogado no meio de semana, pelo desgaste. Mas, no 2º tempo, nos soltamos mais, porque talvez o calor estivesse menor.

JOÃO CHIABI: Gostei do jogo do Cruzeiro, dos 3 gols de Fred com participação das duplas Rafinha / Egídio, M Gabriel / Robinho e Dedé / M Gabriel na construção das jogadas e nos passes precisos pro Fred, que continua sendo o melhor centroavante do Brasil. Vacilamos ao deixar Jussani cabecear em disputa com Leo e Egídio, no primeiro gol do América, e deixando Belusso se antecipar pra desviar de cabeça no segundo. Ainda bem que as falhas aconteceram hoje e Mano vai poder corrigi-las pra sequência dos torneios em curso.

ZULOOBAS: Egídio cumpriu seu papel, Orejuela estava jogando pra si mesmo. Romero participou bastante. Marquinhos jogou com inteligência. Rafinha foi tático. Robinho, fundamental pra dinâmica da equipe.  Fred foi letal. Sassá está devendo, Quem se enrola com a bola, não deve ficar toda hora querendo fazer jogada individual.

LUIZ ANTÔNIO: Esse Egídio continua picando fumo. Cruzeiro merece um lateral melhor.

M RIZZI: Dois gols bobos. Berola desequilibrou, Egídio procurá-lo até o ano que vem.

LUÍS VIANA: Com Rafinha e Romero, o time corre demais e pensa de menos.

JAMES FIVESTARS: They are using the video referee to interfere with the field referee’s interpretation. They should only use the electronic resource in objective throws: offside, to know if a foul happened inside or outside the area, and to determine if the ball exceeded the goal line, that is, clear bids, with no margin for interpretation. As it stands, the video referee does not fulfill his purpose, as was proposed by those who invented it.

VERMELHO ANATNAS: Berola fez espuma, Egídio decidiu. Egídio venceu e perdeu disputas com Berola. Mas serviu pra um gol e venceu o jogo. O americano, descansado, fez muita espuma, mas foi derrotado.

Fred, o dono do triplex, quase uma unanimidade

segunda-feira, 1 de abril de 2019

ATUAÇÕES dos protagonistas do AMÉRICA 2-3 CRUZEIRO, no Independência, Belo Horizonte, 31mar19dom16h, ida das semifinais do Mineiro 2019:

TORCIDA CELESTE ocupou o espaço que lhe foi destinado –2.200 lugares– e fez muito barulho no apoio ao seu time.

FÁBIO, sem culpa nos gols, defendeu as demais bolas, sem complicações.

OREJUELA foi bem na defesa e no ataque. Está tão confiante que resolver decidir sozinho suas duas melhores jogadas ao invés de servir os colegas e se deu mal. Os cornetas é claro, se horrorizaram.

DEDÉ venceu todas as disputas, anulou Matheusinho e Viçosa e ainda deu um esticão, que teve de ser reclassificado e passou à categoria de lançamento precioso, no lance do terceiro gol.

LEO, seguro, defendeu bem sua área e fez a cobertura do lado esquerdo. Quando boreal venceu Egídio, perdeu para ele, sem meu pé me dói.

EGÍDIO serviu para o primeiro gol e tomou um drible. Os redialistas só viram o drible. Mas o lateral foi bem na defesa e no apoio, o resto é nhenhenhém de torcedor que fica na tocaia.

ROMERO foi um protetor da bequeira, típico cabeça de área.

HENRIQUE movimentou-se bem entre as duas intermediárias marcando e apoiando.

ROBINHO fez boas jogadas na direita e no meio dei ataque. Na melhor, serviu Fred para o segundo gol.

MARQUINHOS começou pelo meio da linha de meiatacantes, mas circulou por todo o ataque. Na jogada em que serviu Fred para o terceiro gol foi um pontesquerda das antigas, com velocidade e cruzamento perfeito.

RAFINHA marcou e criou boas jogadas, sempre com seu estilo simples, mas dinâmico.

FRED construiu um triplex. O resto é o excedente dispensável. Foi o nome do domingo no País.

JADSON teve pouco tempo para mostrar mais do que disposição para marcar.

POPÓ entrou tarde, quando o time estava mais [reocupado em se defender do que em atacar.

SASSÁ teve poucos minutos e não recebeu bolas para jogar.

MANO poupou e escalou bem, mas demorou a trocar os mais cansados e quando o fez as alterações não deram resultado. Recusou-se a puxar a orelha de Orejuela, quando instado a fazê-lo na coletiva. argumentou, com razão, que não se deve minar a autoconfiança de um atleta.

CRUZEIRO foi o dono do jogo e poderia ter vencido com um placar mais folgado, mas sofreu dois gols de bolas aéreas, mais por mérito do adversário do que por falhas suas. O preço pela semana com dois jogos até que não foi alto. A maioria dos atletas teve fôlego para suportar os quase cem minutos de jogo.

AMÉRICA foi um time bem organizado e lutador, mas inferior tecnicamente. Foi recompensado pelo esforço, com dois gols que o mantêm na disputa pela final do campeonato. Jussani e João Paulo foram os melhores. boreal fez alguma espuma na etapa final. Matheusinho sumiu. Ronaldo sofreu em sua estreia em clássicos e Zé Ricardo deu bobeira e perdeu uma bola que resultou em gol. Os demais não comprometeram.

ÁRBITROS acertaram, com ou sem ajuda do Var, em todas as decisões.

MelhorDoJogo => FRED [[[49]]] Sá, Uol, Itatiaia, Seisaum, Marcoalex, Celeste, Vilela, Arreguy, Talentim, Viana, Bitencourt, Arcanjo, Gil, Dulce, Klauss, Bastos, Olivieri, Walfrido. Anchieta, Domênico, Palmeira, Vasconcelos, Jotapê, Ulhôa, Zuloobas, Morato, Schrier, Fernandão, Rosan, Romarol, Clemenceau, Rezende, Walterson, Beth, Silvercan, Setelagoas, Milani, Dourado, Pinheiro, França, Chiabi, Nanayoski, Penido, Romeu, Morato, Nem, Paiva, Vítor, Marilu —–MARQUINHOS [[[3]]] Ianni, Fonseca, Síndico —– ROMERO [[[2]]] Wallace, Márcio —– HENRIQUE [[[1]]] Barnabé.

América 2×3 Cruzeiro: triplex decisivo de Fred

domingo, 31 de março de 2019

CRUZEIRO contra América, 31mar19dom16h, Independência, Belo Horizonte, ida das semifinais do Mineiro 2019.

CLASSIFICAÇÃO: nas quartas, Cruzeiro 5×0 Patrocinense e América 2×0 Caldense.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 2º, com 15.822 pontos, América, o 19º, com 7.522.

TEMPO parcialmente nublado, temperatura 27º, vento 8 Km/h, umidade 43%.

TRANSMISSÃO: Globo pra MG (menos para a região de Juiz de Fora), com Rogério Corrêa, Bob Faria e Márcio Rezende Freitas; Premiere, com Jaime Júnior e Henrique Fernandes, Maurício Paulucci.

ARBITRAGEM: Marcelo de Lima Henrique (RJ), Bruno Boschilia (PR), Felipe Alan Costa (MG). Ricardo Marques Ribeiro (MG), VAR: Wagner Nascimento Magalhães (RJ).

CRUZEIRO: Fábio — Orejuela, Dedé, Leo, Egídio — Romero, Henrique — Robinho, M Gabriel, Rafinha — Gred. T: Mano Menezes.

BANCO: Rafael, Edílson, Fabruno, Murilo, Dodô, Lucas, Cabral, Jadson, Raniel, Popó.

AUSENTES: Neves (preparação física).

PENDURADOS: Ninguém.

AMÉRICA: Fernando Leal — Ronaldo, Paulão, Diego Jussani, João Paulo — Zé Ricardo, Christian — Felipe Azevedo, Toscano, Matheusinho — Júnior Viçosa. T: Givanildo Oliveira.

BANCO: Glauco (G), Ynalã (L), Pedrão (B), Sabino (B), Sávio (L), Morelli (V), Emiiano (M), Berola (A), Ademir (A), França (A), Jonatas Belusso (A).

AUSENTES: Juninho e Leandro Silva (lesionados).

PENDURADOS: Juninho, Júnior Viçosa e Paulão.

AMÉRICA 2×3 CRUZEIRO, 31mar19dom16h. TEMPO parcialmente nublado, temperatura 27º, vento 8 Km/h, umidade 43%. LOCAL: Independência (23 mil), Belo Horizonte. MOTIVO: ida das semifinais do Mineiro 2019. TRANSMISSÃO: Globo e Sportv. PÚBLICO: 6.746 presentes, R$99.035, média R$15. ARBITRAGEM: Marcelo de Lima Henrique (RJ), Bruno Boschilia (PR), Felipe Alan Costa (MG). Ricardo Marques Ribeiro (MG). VAR: Wagner Nascimento Magalhães (RJ). AMARELOS: Robinho, Egídio, Orejuela, França. GOLS: Fred, 17 e 51, Jussani, 56, Fred, 70, Belusso, 83. CRUZEIRO: Fábio; Orejuela, Dedé, Leo, Egídio; Henrique, Romero; Robinho, M Gabriel (Jadson, 77), Rafinha (Popó, 84); Fred (Sassá, 80). T: Mano Menezes. AMÉRICA: Leal; Ronaldo, Jussani, Paulão, João Paulo; Zé Ricardo, Christian; Matheusinho (França, 69); Toscano (Belusso, 76), Azevedo (Berola, 46), Viçosa. T: Givanildo Oliveira.

HISTÓRICO: 368 jogos, 155 vitórias do Cruzeiro, 102 vitórias do América, 111 empates. Cruzeiro marcou 654 gols e sofreu 525.