Arquivo da Categoria ‘Mídia’

A recaída da “rádia”

segunda-feira, 9 de abril de 2018

ITATIAIA teve recaída de sua velha doença emplumada. Depois do jogo, cortou a coletiva do técnico campeão pra dar voz ao chororô do presidente e do técnico derrotados.

E arranjou um comentarista de arbitragem, que se estivesse em campo teria expulsado meia dúzia de jogadores do campeão. Estava atacado o palpiteiro!

Depois, durante a viagem de volta do estádio, ouvindo a “rádia”, cheguei a ter dúvidas sobre quem havia sido campeão, tamanho o tempo dedicado a elogiar e a justificaras as aves abatidas pouco antes.

Fernandão: “Juca, personagem paradoxal”

quinta-feira, 1 de março de 2018

FERNANDO ÁVILA, colunista do Cruzeiro.Org, enviou este comentário, por e-mail:

Juca kfouri tem no futebol brasileiro o seu ganha-pão. Seus leitores torcem pra Corinthians, Palmeiras, São Paulo e demais times brasileiros. Mas vejam vocês, como é um personagem paradoxal o nosso Juca, que muita gente tem como o supra-sumo da mídia brasileira.

  • É comunista, mas trabalha pra ESPN, uma multinacional americana.
  • É corintiano, mais só gosta da Champions,
  • É contra o Profut, mas nunca brigou com os refis em série do PT;
  • Quer qualidade no futebol brasileiro, mas acha que a sociedade deveria investir em outra coisa;
  • Foi anti-FMI na época do FHC, mas tudo bem ser um colonizado da bola.

Mas vamos ao que interessa! As últimas pérolas do grão-mestre mostram que ele parou de se importar com o ridículo. Exige que os brasileiros dominem a Libertadores, não levando em conta nem o fato de serem os atuais campeões. Tem de serem dominantes desde a primeira semana, quando cinco dos seis estreiam fora de casa. Não deu nem tempo de Palmeiras ou Santos voltarem com uma vitória, antes do fim da rodada. Catedrático, já decretou: “Mais que os resultados frustrantes, uma radiografia do desempenho do futebol dos clubes brasileiros, medíocre, incapaz de se impor contra quem quer que seja.”

E tome chibatada no lombo de quem quer fazer a bola girar. Gente que trabalha no futebol só merece impropérios desse e de outros da mesma estirpe que parecem querer o o fim do futbrasilis. Parece até que gostariam de ver todo mundo assistindo os campeonatos inglês, português, alemão, italiano, espanhol e outras merdas transmitidas pela ESPN.

A desonestidade intelectual para atacar o futebol brasileiro tem sido natural e corriqueira com comparações ridículas e “análises de informação”. O Brasil com seu calendário anual rejeitou a implantação do VAR no Brasileiro. Quer ver como funciona na Copa do Brasil a partir das quartas de final. O que o Juca disse? Deixo o link:

  • https://www.fsavi.com.br/l/clubes-deram-dois-passos-para-tras-juca-kfouri/

Pra ele a “Casa Bandida de Futebol” continua na vanguarda do atraso, mancha outro campeonato do atrasado e infame futebol brasileiro.

Pois esta semana a Uefa Champions League resolveu que não haverá VAR na temporada 18/19 argumentando com frases como “Vamos ver o que acontece na Copa pra  decidir”; “Não deveríamos apressar algo que ainda não é clara” e “Vejo muita confusão de tempos em tempos.”.

Uma pena que quem quiser ouvir a opinião do Juca sobre o assunto tenha de esperar sentado.

Está aberto o debate, caro leitor.

Santo Deus!!!

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

EDUARDO BISOTTO, jornalista, entra na briba Neymar Sr. vs Casagrande:

O caso Neymar segue rendendo. Após o pai e gestor da carreira do jogador, Neymar Sr. se manifestar nas redes sociais, chamando acertadamente gente como Casagrande de abutre, os jornalistas do SporTV deram um surto de mimimi. Segundo André Rizek, um rapaz que disse pro Felipão ir pra cima da Alemanha, já que o meio-campo deles não sabia marcar, a reposta de Neymar Pai comprovou que Neymar Jr. seria mimado. Conheço poucas profissões com tantos babacas quanto a minha.

Jornalista é aquele bicho que acha que tem um Direito Divino à opiniões sem ser criticado. Jornalista é um ser miserável que acha, realmente! (SANTO DEUS!), que é o quarto poder. Jornalista é aquele bicho que acha que é especialista em absolutamente tudo, mesmo que sua área de formação seja a do Espone: Especialista em Porra Nenhuma. Jornalista adora defender a liberdade de opinião, menos quando as opiniões expõe sua nudez.

Curiosamente, Muricy Ramalho, atuando no SporTV atualmente e ÚNICO no canal a ter trabalhado com futebol profissionalmente (de maneira hiper-bem sucedida), além de ter dirigido Neymar Jr., diz que o atleta é de um profissionalismo à toda prova.

É o que eu venho dizendo: os coleguinhas não cansam de passar vergonha. E eu, que também vivo desta bagaça, sinto por eles a vergonha que os próprios não conseguem ter, dada sua arrogante obtusidade sem limites.

O desabafo se justifica diante da reação corporativa da imprensa no caso.

Casão foi intempestivo e o pai do jogador não deixou por menos. Chumbo trocado.

O que não pode é demonstra a imprensa. Como instituição, e;a deve ser livre. E não pode sofrer, como sofre no Brasil, ameaça de políticos descontentes.

Briga de marido e mulher

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Em briga de marido e mulher não se mete colher, eu sei. Mas nesta dos Oswaldo com a Franga, vou meter.

Não há muito segredo. O vídeo da encrenca no vestiário da Arena da Floresta está disponível na internet.

Interesso-me mais pela repercussão do caso e a reação das corporações. Os treinadores foram unânimes em defender o Oswaldo. Os jornalistas, por outro lado, não deram muito apoio ao radialista.

Parece que, além dos iespiens, só o chargista Duke está na briga pelo colega, vendendo inclusive a versão de que o repórter falou trabalho e o Oswaldo ouviu caralho.

É ou não é do caralho essa versão do chargista? Nem vou comentar. Deixo a avaliação do fricote das frangas pro caro leitor.

Campeonato Brasileiro sem a frescura do Var

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Campeonato Brasileiro não terá Var, o tal árbitro de vídeo. Clubes se recusaram a gastar R$1 milhão cada um pela estrovenga.

Estão certos. O troço ainda nem mostrou serviço e os modinhas da imprensa batem o pé e fazem beicinho exigindo a coisa.

Os clubes deviam, além de descartar essa coisa, cortar pela metade o batalhão de árbitros que mama em suas tetas a cada partida.

Deviam dispensar também os dois vigias, o coordenador, o instrutor e quem mais fica morcegando na arbitragem.

Ah, dirão os teleguiados, “mas a Iespien e o Isportivi querem por que querem o Var”. Então que o paguem, caceta!

Torcida Celeste manda Iespien tomate cru

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

SÁ, o presidente do Cruzeiro, deu entrevista à 98 FM detalhando os arranjos com o BMG, o banco que irrigou o caixa do clube pra esse monte de contratações caras.

Disse que o parceiro terá percentual dos atletas celestes pra recuperar seu investimento no futuro.

A IESPIEN, aquela emissora de comunistas que trabalham pro Mickey e sentam no sofá com o Lula, caiu matando. Entrevistou até advogado pra dizer que o Cruzeiro está fora da lei.

Torcedores celestes, que sempre babsaram ovo dos mesarredondistas da emissora, se revoltaram e criaram a hashtag #VaiTomarNoCuESPN.

Bombou. Está liderando os trending topics do Twitter.

Dá pra encarar?

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Matéria do ILISP: 

Os homens dominarão os esportes femininos disfarçados de “mulheres trans”

Vanessa Rodrigues 

Em fevereiro de 2017, Tiffany Abreu, de 33 anos, foi a primeira “mulher trans” brasileira que conseguiu autorização da Federação Internacional de Volei para atuar em um time feminino. Tiffany atuava em um time da Itália, o Golem Volley, e em uma das partidas marcou 28 pontos, sendo “a” melhor “jogadora” em quadra. Agora, irá atuar na brasileira Superliga feminina de vôlei, no time de Bauru. Tiffany nasceu Rodrigo, sempre atuou em campeonatos masculinos, tem 1,94 metro de altura e “virou” Tiffany há um ano, quando atuava em um time da segunda divisão belga. Atento ao potencial de Tiffany jogando contra mulheres, o técnico da seleção brasileira de vôlei, José Roberto Guimarães, já admite que “ela” pode fazer parte do time nacional.

Em março deste ano, Laurel Hubbard, “mulher trans” de 39 anos, venceu uma competição de levantamento de peso feminino na Austrália. Laurel quebrou quatro recordes ao levantar 268 quilos, 19 quilos a mais do que a segunda colocada, na categoria para mulheres que pesam mais de 90 quilos. Oito meses depois, no Mundial de Halterofilismo, Laurel levantou 275 quilos e ganhou a medalha de prata. Laurel nasceu Gavin, competiu contra homens e chegou a bater o recorde júnior da Nova Zelândia (na categoria para atletas com mais de 105 quilos) levantando 300 quilos. Para não competir com Laurel, a melhor halterofilista neozelandesa, Tracey Lambrechs, perdeu 17 quilos a fim de competir na categoria até 90 quilos.

Em 2013, a “mulher trans” Fallon Fox lutou contra Alanah Jones por uma organização de MMA com menor expressão (Championship Fighting Alliance) e a venceu sem grandes dificuldades. A participação de Fallon Fox foi bastante criticada pelo público e por outras atletas do MMA como Ronda Rousey, Miesha Tate e a brasileira Bethe Correia. Para Ronda – que se negou a lutar contra Fallon – a “mulher trans” possuía uma vantagem injusta sobre as mulheres. O presidente do Ultimate Fighting Championship, principal organização de MMA, Dana White, concordou com Ronda: “A estrutura óssea é diferente, as mãos são maiores, a mandíbula é maior, tudo é maior. (…) Eu não acredito que alguém que ‘era um homem’ deveria lutar contra uma mulher”.

O assunto é alvo de debates inclusive entre as vertentes do próprio movimento feminista. Feministas “transativistas” chamam suas oponentes de “feministas radicais trans excludentes” e “transfóbicas”, chegando ao ponto de classificar como “transfobia” a afirmação “as verdadeiras mulheres menstruam” porque exclui “mulheres trans”. Por outro lado, feministas que consideram que as “mulheres trans” continuam sendo homens – com base na anatomia e na biologia –-acusam as “transativistas” de colocar “sentimentos de gênero de homens abusivos” acima das reais mulheres permitindo que ocupem “espaços exclusivos para mulheres” como um verdadeiro “Cavalo de Troia”.

A briga entre feministas por causa das “mulheres trans” chegou às páginas dos jornais quando feministas picharam o banheiro feminino da Unicamp com frases destinadas como “não deixe que os machos invadam nossos espaços”, “ser mulher não é calçar nossos sapatos” e “vou cortar sua pica”. Os argumentos das feministas continuaram online: “mulheres trans são estupradores em potencial porque têm pinto” foi um dos principais.

Independente dos argumentos sobre a “ideologia de gênero”, visto que não falamos de construções sociais mas de fatores puramente biológicos e genéticos, é justo que indivíduos que continuam sendo biologicamente homens disputem torneios e competições contra mulheres? Mesmo com tratamento de reposição hormonal para diminuir o nível de testosterona, Tiffany Abreu se destaca, Laurel Hubbard quebrou recordes e Fallon Fox tem uma carreira de vitórias no octógono. Dana White e Ronda Rousey parecem estar certos quando afirmam que há vantagens biológicas das “mulheres trans” sobre as mulheres.

Pelo visto nos próximos anos veremos ainda mais “mulheres trans” quebrando recordes, ganhando espaços em torneios internacionais femininos e ocupando o lugar originalmente destinado àquelas nascidas mulheres. É justo? Levando em conta as evidências que temos, está claro que não.

E aí, minha cara amiga leitora, dá pra encarar?

Goleada completa 70 anos; rebaixamento, 12

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

ESTADO DE MINAS está comemorando, hoje, os 70 anos da goleada do Athletico sobre o Palestra por 9×2.

Mas não está comemorando os 12 anos da queda das frangas pra segunda divisão.

E talvez não comemore, em 12out19, os 70 anos do Corinthians 11×2 Athletico, maior vexame da história do futebol mineiro.

Vexame que só não foi mais amplo porque, diante da ameaça dos mineiros de tirarem o time de campo, caso a maldade no tivesse fim, o juiz anulou seis gols seguidos dos paulistas.

Na bucha, o placar foi 17×2. Com desconto, apenas 11×2.

Sérgio tem a torcida; Wagner, o Conselho

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

HOJE EM DIA fez uma pesquisa eleitoral com os 473 conselheiros do Cruzeiro e descobriu que:

  • 35% não foram encontrados.
  • 21% votarão em Wagner Pires.
  • 15% votarão em Sérgio Rodrigues.
  • 13% não declararam voto.
  • 12% estão indecisos.
  • 4% anularão o voto. 

SUPERESPORTES fez um enquete com seus leitores (8.612 votaram) e descobriu que

  • 76% querem Sérgio Rodrigues como presidente.
  • 24% preferem Wagner Pires.

E vc, caro leitor, em quem votaria? Por quê?

A inspeção e o controle

sábado, 19 de agosto de 2017

Trecho de “A Insustentável Leveza do Ser”, de Milan Kundera:

NOS PAÍSES COMUNISTAS, a inspecção e o controle dos cidadãos são atividades sociais permanentes e essenciais. Um pintor, para ser autorizado a expor, um simples cidadão, para obter um visto para passar férias à beira-mar, um futebolista, para poder jogar na selecção nacional, têm primeiro que recolher os mais variados relatórios e certificados (da porteira, dos colegas, da polícia, da célula do partido, do comité da empresa), que depois são amontoados, sopesados, lidos e relidos por funcionários especialmente afeitos a essa tarefa.

O que vem escrito nos atestados não tem absolutamente nada a ver com a competência de um cidadão para pintar ou jogar à bola ou com um estado de saúde que exija uma estada à beira-mar. Só contêm informações a respeito de uma coisa que é o chamado perfil político” do cidadão (aquilo que o cidadão diz, aquilo que pensa, a maneira como se comporta, se vai ou não às reuniões e aos desfiles do 1º de Maio). Como tudo (vida quotidiana, empréstimos, férias) depende da forma como se é classificado, todos os cidadãos são obrigados (para poderem jogar na selecção nacional, expor os seus quadros ou passar férias à beira-mar) a comportar-se de maneira a serem bem classificados.

Comentários, por favor.