Arquivo da Categoria ‘Libertadores 2015’

Henrique salvou-se no naufrágio

quinta-feira, 11 de maio de 2017

ATUAÇÕES dos protagonistas de NACIONAL/Paraguai 2/3 x1/2 CRUZEIRO, neste 10mai17qua19h15, Defensores Del Chaco, Assunção, volta 1ª fase da Sulamericana:

TORCIDA CELESTE compareceu. Ou melhor, a Mafia Azul compareceu. E cantou, alentou o time, pediu a entrada de Dedé etc. A recompensa pelo esforço, porém, não veio.

RAFAEL não atrapalhou, nem ajudou. Nos penaltis, mudou de tática escolhendo o canto, o invés de esperar a decisão do cobrador. E errou todas as escolhas.

MAYKE não conseguiu dominar a bola no gol de empate dos locais, foi crucificado pelo comentarista do SporTV e, por extensão, pela torcida. De qualquer forma, mostrou personalidade e jogou bem até o fim, marcando corretamente e apoiando quando possível.

LEO foi o melhor da defesa. Cortou o que foi possível. Mas levou dois cartões amarelos, um deles mal aplicado, e foi expulso a 15 minutos do fim.

CAICEDO deu várias bobeiras, uma delas infantil e fatal, ao vacilar na escolha de uma jogada, erro que culminou com bola atravessada na defesa e o gol da derrota.

BARBOSA, seguro na defesa, tímido no apoio e , saiu mais cedo pra dar chance a Fabricio de cobrar –e perder– pênalti.

HUDSON dedicou-se à marcação e pouco ajudou na armação.

HENRIQUE marcou, trabalhou bem na saída de jogo e tentou ajudar na marcação.

NEVES marcou um gol e desapareceu.

ARRASCAETA tentou criar jogadas ofensivas, mas sem apoio dos demais dianteiros, não obteve bons resultados, Na cobrança de penaltis, bateu mal, com um peteleco, que o goleiro defendeu, se problemas.

RAFINHA foi mais um lutador, num time cheio deles. Jogar, que é bom, nada.

ÁBILA brigou sozinho contra a defesa paraguaia. Saiu mais cedo pra recomposição da defesa, após a expulsão de Leo.

FABRÍCIO não acrescentou nada ao time e ainda perdeu um pênalti.

ALISSON tentou algumas jogadas agudas, mas destacou-se mesmo foi na recomposição. Sua cobrança de pênalti foi lamentável.

DEDÉ substituiu Abila, a 15 minutos do fim, deu passe errado, cortou bolas e foi ao ataque, com perigo. Está longe de sua melhor forma.

MANO não quis correr riscos, seu time preocupou-se mais com o bloqueio do que coma criação de jogadas. Deu ruim.

CRUZEIRO fez sua pior partida no ano. Começou marcando um gol e ampliando sua vantagem, mas ficou nisto. Com erros individuais e uma estratégia conservadora, deixou a decisão ir pros penaltis e, ai, acabou de entornar caldo.

NACIONAL foi um time lutador, mas sem imaginação. Aproveitou-se de dois erros individuais da defesa celeste pra levar o jogo aos penaltis, quando contou coma incompetência dos cobradores celestes pra avançar na competição.

ÁRBITROS trabalharam mal. Se juiz usa seu cartão de credito, como usa o amarelo, terá problemas na velhice, por falta de grana. Leo foi expulso pelos excessos do juiz, que lhe mostrou dois amarelos, um deles injustificado.

  • HENRIQUE [[[11]]] Marcoalex, Galvão, Freitas, Carneiro, Viana, Klauss, Velloso, França, Frede, Barnabé, Síndico —– HUDSON [[[6]]] Wallace, Bittencourt, Schrier, Chiabi, Rocha, Penido —– DEDÉ [[[4]]] Walterson, Drumond, Procópio, João —– RAFINHA [[[3]]] Ge, Renato, Ernesto —– ÁBILA [[[2]]] Milani, Martins —– ALISSON [[[2]]] Ccc, Fernandão —– CAICEDO [[[1]]] Alexandre —– TORCIDA CELESTE [[[2]]] Maury, Celeste —– ROJAS [[[1]]] Morato —– BAREIRO [[[1]]] Setelagoas —– TIBURÓN [[[1]]] Vanda.

Liberta 15: River campeona, Boca foi otário

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

RIVER PLATE venceu o Tigres por 3×0 no jogo de volta das finais da Libertadores 2015, no Monumental, em Buenos Aires e conquistou seu terceiro título da competição continental.

O melhor da conquista, para os millionarios, sem dúvida, foi a mãozinha recebida da torcida bostera, que com sua peculiar estupidez interrompeu a batalha das oitavas de final.

Depois de eliminar Rival citadino, dono da melhor campanha da fase de grupos, o River passou por Cruzeiro, Guarani e Tigres, e ficou com a taça, mesmo tendo feito a pior campanha da fase de grupos

  • RIVER PLATE 3×0 TIGRES, 05ago15qua22h, Monumental de Núñez, Buenos Aires, jogo de volta das finais da Libertadores 2015. Árbitros: Darío Ubriaco, Mauricio Espinosa, Nicolás Tarán, uruguaios. Amarelos: Alario, Cavenaghi, Mori, Sánchez (R); Jiménez, Juninho, Rivas, Gignac, Torres (T). Gols: Alario (cabeça), 44; Sánchez (pênalti), 73, Funes Mori (cabeça), 78. RIVER PLATE: Marcelo Barovero; Camilo Mayada, Jonatan Maidana, Ramiro Funes Mori e Leonel Vangioni; Carlos Sánchez, Leonardo Ponzio, Matías Kranevitter (Lucho González) e Nicolás Bertolo; Fernando Cavenaghi (Pisculichi) e Lucas Alario (Driussi). T: Marcelo Gallardo. TIGRES: Nahuel Guzmán; Israel Jiménez (Guerrón), Juninho, José Rivas e Jorge Torres Nilo; Arévalo Ríos (Jesús Dueñas), Guido Pizarro, Jürgen Damm e Javier Aquino; Rafael Sobis e André-Pierre Gignac. T: Ricardo “Tuca” Ferretti.

A partida final teve uma etapa inicial equilibrada, ataque aos 44 Vangioni canetou um mexicano e cruzou a la Egídio. Alario se antecipou à marcação e meteu a bola, de cabeça, pra rede.

A etapa final foi tranquila pro time argentino, que jogou com frieza e aproveitou as duas chances que apareceram. Por outro lado, os mexicanos faziam sua pior partida no torneio.

Eliminados por inferioridade técnica. E só.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Para os times brasileiros, a Libertadores 2015 acabou-se nesta quarta.

Nas oitavas:

  • Frangas cairam tomando de 5×3 do Inter, Sumpaulo levando 5×4 do Cruzeiro, Gambás de 3×0 do Guarani,

Nas quartas:

  • Cruzeiro perdeu de 3×1 pro River.

Nas semifinais:

  • Inter apanhou de 4×3 do Tigres. Por sorte, pois tinha caixa pra bem mais.

Agora, começa aquele dramalhão de sempre em busca de explicações e justificativas.

Não consigo encontrar nenhuma. Venceu quem jogou mais bola em cada série.

Mas enquanto houver tolo precisando compreender o que os olhos viram, haverá quem gaste trololó na TV buscando explicações fantasiosas.

GPT: “O elenco do Cruzeiro é bom”

sábado, 30 de maio de 2015

Gilvan de Pinho Tavares, em coletiva, ontem, na TocaII:

  1. EXPERIÊNCIA. Tenho 60 anos de Cruzeiro. Alguma experiência devo ter. Não vou me deixar levar por um resultado negativo, porque conhecemos bem a tendência de parte da imprensa. Quando o clube ganha, enaltece o time. Quando perde, time e diretoria não valem nada. Não vou me deixar abalar por uma derrota.
  2. JOGO. Tínhamos chance de passar à semifinal. O time teve chance claríssima de gol logo no início. O ‘se’ não joga, mas tínhamos resultado positivo da Argentina e se tivéssemos feito o gol, a história poderia ser outra. Mas o time estava nervoso. Vimos coisas que não tínhamos visto esse ano. No primeiro gol, a defesa errou três vezes a cobrança de uma falta. Quando nosso time saiu pro ataque, entregamos uma bola na defesa e o atacante entrou livre. Essas coisas costumam acontecer. O Real perdeu pra Juventus. O Inter venceu um título mundial contra o Barcelona.
  3. REFORÇOS. Não aceito dizer que o elenco e comissão técnica não prestam. Andaram dizendo que contratamos errado. Mencionam Breno, Gilson e Riascos. Gilson já era atleta do Cruzeiro. Breno, quando contratamos, tínhamos dois laterais contundidos. Riascos foi uma aposta pelo que vinha jogando.
  4. EQUÍVOCOS. Vocês alegam que contratamos Fabiano… Esses jogadores foram contratados pelo diretor de futebol do ano passado.
  5. FÉRIAS. Disseram que tirei férias em momento importante. Fui pra uma obra minha. Saí na quinta e voltei no domingo. Não tirei férias. É absurdo o que fazem depois de derrota, pra criar crise. Mas não vão criar.
  6. ELENCO. É bom. Ganhamos do São Paulo. Ganhamos do River na Argentina.
  7. IMPRENSA. A torcida está aceitando mais o resultado negativo do que os repórteres. Não vamos deixar de correr atrás de um ou dois jogadores, pra melhoramos esse time. Na fase anterior, nosso rival tomou de três. A imprensa elogiou o time. Com a gente, querem que mude tudo. É preciso que a imprensa colabore. Se não fosse tantos títulos do Cruzeiro, duvido que a imprensa mineira teria crescido.
  8. DIRETOR DE FUTEBOL.  Tenho pavor de coisa errada e esse cargo dá muitas oportunidades pra se fazer coisa errada. Não contratarei alguém que não tenha confiança. Como fiz com o outro, procurei um menino que estava no América. Ouvi a diretoria do América, que avalizou a contratação dele. Não é por pressão da imprensa que vou contratar qualquer um.
  9. TREINADOR. Não trarei qualquer treinador pra tirar o emprego do nosso, que ganhou dois títulos brasileiros seguidos.
  10. LUXEMBURGO. É a maior mentira. Nunca procurei o Vanderlei. Não sei como colocam isso na imprensa.
  11. PALPITE. Ano passado, fomos eliminados por um time pior que este do River. Não sou profeta, mas vejo o River como favorito. Não vi nada de futebol no Guarani contra o Racing. Já vi jogos do Tigres e ele não tem mais time que o Inter. Acho que a decisão será River contra Inter.
  12. MEIA. Não existe esse jogador no futebol brasileiro. Não vejo esse meia. Os clubes têm, não soltam. A janela está fechada. Todo mundo sabe do empenho que o Cruzeiro fez pra contratar o Lucas Lima, mas foi um obstáculo o Santos ter segurado, na expectativa de vendê-lo pro futebol estrangeiro.
  13. CRISE. O torcedor brasileiro deixará de ir a campo. Passaremos apertos no Brasil. Não podemos ter falta de juízo. Somos um dos poucos clubes que pagam em dia e na carteira. Não pagamos direito de imagem.
  14. DESCLASSIFICAÇÕES. Contra o Flamengo foi em 2013, ano em que o time foi campeão com pé nas costas. Não se pode falar de empenho do time que perdeu pro Flamengo. Na Copa do Brasil do ano passado, o Cruzeiro estava empenhado em outras competições e chegamos à última partida mais frágeis que nosso adversário. Tivemos de enfrentar o Santos três vezes, sendo duas em São Paulo. Tivemos de passar pelo Grêmio também em dia de chuva. Enfrentamos a última partida que nos deu o título brasileiro num dia em que o Mineirão ficou inundado, o que exigiu muito dos jogadores. O time não teve perna pra se manter no 2º tempo contra o AtléticoMG. Vi isso no Racing contra o Guaraní. A gente sabe que, num certo momento, o jogador não consegue mais fazer esforço. Não se pode atribuir má vontade aosnossos jogadore.

Acajus

sexta-feira, 29 de maio de 2015

O repórter Vitor Guedes do jornal Agora São Paulo apostou na vitória do Cruzeiro contra o River. E prometeu pintar o cabelo de acaju, que nem o José Maria Marin, se errasse o prognóstico.

Errou e vai aparecer no SporTV qualquer dia desses com sua tintura nova. Além do Marins, ficará parecido com o Chico Pinheiro, franga que apresenta um telejornal da Globo pela manhã.

E, por falar em franga e Marin, Nicolás Leoz, ex-presidente da Conmebol, também está sendo procurado pelos americanos. Se for preso e abrir o bico, tem time que se arrisca a perder sua única Libertadores.

Cortina de fumaça

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Após a derrota por 3×0 para o River, as avaliações dos cruzeirenses foram as de praxe neste tipo de situação:

  • Faltou pegada, sugeriu Marcelo Oliveira.
  • Faltou atitude, garantiu Fábio
  • Faltou raça, escancarou Marquinhos.

Negativo. Faltou mesmo foi bola. E sobrou incompetência tática e, principalmente, técnica.

O River jogou como não fazia desde o ano passado e como não fez em nenhuma partida desta Libertadores.

Contou com a sorte de não levar um gol logo aos 3 e, daí em diante, se impôs com muita categoria.

Cercou Mayke, acabando com a única opção de apoio pelos lados, trocou passes envolventes na intermediária celeste, abrindo enormes espaços e deixando exposta a bequeira azul.

O Cruzeiro acusou o golpe. Percebeu que era inferior e se apavorou. Pressionados, seus beques erraram como nunca.

Sem ajuda do dorminhoco Arrascaeta, os volantes não viram a cor da bola.

E Damião foi entregue à própria sorte, sem bolas pra mostrar seu jogo.

Marcelo Oliveira vacilou. Se trocasse Arrascaeta por Xavier, logo após o gol de Sanchez, poderia ter tirado o River do conforto.

Mas ele esperou o intervalo e deu tempo aos argentinos de liquidarem a fatura.

As desculpas do técnico e dos jogadores apenas criam uma cortina de fumaça tentando esconder a diferença de qualidade entre os dois times.

Admitir que joga menos bola que o adversário deve ser doloroso pra qualquer profissional, mas foi esta a conclusão inevitável de quem assistiu ao jogo com atenção.

Eu preferia ter ouvido que o time foi além de sua competência, deixando pelo caminho outras equipes mais fortes, como Boca, Corintiãs, Sumpaulo e Franga.

Olhando por este ângulo, o resultado fica mais aceitável. Mais realista. Mais animador na volta ao Campeonato Brasileiro.

E, pra encerrar, algo de bom: nenhum cruzeirense perderá o sono, de hoje até dezembro, pensando num hipotético confronto com Barça o Juve.

Riascos se foi, fiascos ficaram

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Atuações dos celestes e seus adversários no CRUZEIRO 0×3 RIVER PLATE, no Mineirão, Belo Horizonte, às 22h de 27mai15, jogo de volta das quartas de final da Libertadores 2015.

TORCIDA CELESTE compareceu em grande número, fez muita festa, empurrou o time após cada gol, mas não conseguiu tirar leite de pedra. Nem podia, pois só na imaginação dos tontos é que torcida joga.

FÁBIO fez o que podia. As bolas que entraram eram indefensáveis. As demais, ele catou.

MAYKE foi pressionado ainda no campo de defesa e não encontrou alternativas pra jogar. Ninguém apareceu pra desafogá-lo, nem meia, nem volante. Sua neutralização foi o maior mérito de Marcelo Gallardo.

MANOEL fez lambança atrás de lambança e deu chutões. Lamentável.

BRUNO RODRIGO errou muito, mas ainda assim foi um talento comparado ao colega de bequeira.

MENA fez seu jogo habitual de lateral-lateral, marcando muito e atacando pouco.

WILLIANS correu muito, mas não jogou. Quando tem a bola, faz lançamento pra tudo quanto é lado. Parece que baixa nele o espírito do Gerson Canhotinha. Esse estilo encanta arquibaldos e geraldinos, mas não ajuda o time a jogar. Henrique, que joga a seu lado, por exemplo, vai acabar tendo torcicolo de tanto acompanhar as bolas altas e longas do parceiro. Alguém podia mostrar a ele vídeos de Zé Carlos, Piazza, Douglas, Nílton e Lucas Silva e outros volantes jogadores de bola.

HENRIQUE não perdeu a calma, nem o estilo. No meio da mediocridade geral e cercado de riveristas por todos os lados, pôs a bola no chão e tentou jogar. Mas os cabeçudos de orelha seca preferem o volante heroico, carrinhista, puxador de camisas e que divide com o pé na caneleira do adversário do adversário. Isto ele não faz, daí as injustas críticas que vem recebendo.

MARQUINHOS não apareceu. Nem correu o tanto que costuma correr. E quando teve a bola faltou inspiração.

ARRASCAETA teve mais uma atuação inexplicável tática, técnica e animicamente.  Não dá nem pra comentar.

GABRIEL XAVIER fez o que pôde pra animar um time derrotado, mas pregou no deserto. No fim, cometeu falta pra evitar um gol, foi expulso e teve o nome gritado pela torcida.

WILLIAN correu, correu, correu, cansou e saiu mais cedo, sem deixar herança.

ALISSON fez suas jogadas individuais de sempre e chegou a carimbar a baliza de Barovero. Mas também não conseguiu melhorar o jogo coletivo de um time sem imaginação.

LEANDRO DAMIÃO buscou jogo, tentou armar jogadas, mas o principal que é centroavantar não fez. Em parte porque maidana não deixou, em parte porque o restante do time não ajudou.

JOEL fez o que sabe: correu. Mas sem qualquer vínculo com o restante do time e aí não tem jogo.

MARCELO OLIVEIRA preparou adequadamente o time, mas os erros individuais e o sumiço de Arrascaeta foram fatais. Podia ter sacado o uruguaio logo depois do gol pra incomodar os argentinos, mas agiu conservadoramente e viu o time voltar pros vestiários aniquilado e sem moral pra reagir. As substituições foram corretas, mas tardias.

CRUZEIRO não conseguiu se safar da pressão inicial e, pra piorar, cometeu erros individuais além do tolerável. Com Arrascaeta desmobilizado e Marquinhos muito aberto na ponta, perdeu completamente o meiocampo. Pra arrematar a coisa teve Mayke bloqueado e, além de não criar pelo meio, ainda ficou sem jogadas agudas pela direita. Deu tudo errado e nem as entradas providenciais de Alisson e Xavier conseguiram remediar o drama.

RIVER PLATE jogou como campeão e vice argentino de 2014 e campeão da Supercopa. Com personalidade, marcando adiantado e forçando erros da defesa celeste. Os meiocampistas estraçaiaram, em parte por seus méritos, em parte pela supremacia numérica no setor e deram o ritmo da partida. Ponzio e Sanchez foram os destaques.

ÁRBITROS fizeram a coisa certa não mexendo no placar.

OS CARAS, Gilvan, Bené e Valdir, oscilaram, não foram consistentes, caíram de rendimento e tolices afins, ontem, na abalizada opinião dos termocéfalos.

MDJ => Alisson [14], Torcida Celeste [7], Marcelo Gallardo [6], Bruno Rodrigo [3], Henrique, Gabriel Xavier, Gutierrez [2], Mena, Sanchez [1].

Roger Galera: “Pressenti um cenário tenebroso, desde o primeiro minuto”

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Pitacos de blogueiros e protagonistas acerca do CRUZEIRO 0x3 RIVER PLATE, no Mineirão, Belo Horizonte, às 22h de 27mai15, jogo de volta das quartas de final da Libertadores 2015.

MARCELO OLIVEIRA, técnico do Cruzeiro: Foi uma noite infeliz do Cruzeiro, com uma combinação de aspectos ruins. O River fez um grande jogo e nos envolveu. O time esteve muito nervoso, desde o início. Estávamos com a vantagem e com a torcida fazendo seu papel. Esse time precisa competir muito. Cobrei isto no intervalo, pois todas as bolas rebatidas caíam nos pés dos argentinos. Fiz o que podia: abri o time. Mas não foi suficiente. A gente lamenta e pede desculpas à torcida.

WILLIANS, volante do Cruzeiro: Tentamos fazer a mesma coisa que fizemos contra o São Paulo, mas não conseguimos.

MARQUINHOS, meiatacante do Cruzeiro: Hoje, fomos um time sem vontade e sem raça.

FÁBIO, goleiro do Cruzeiro: Achamos que as coisas iam se resolver de forma natural, e não é dessa forma. Se não disputar todas as bolas, o adversário cresce, e foi isso que aconteceu. O River Plate tomou conta da partida.

ROGER GALERA FLORES, comentarista do SporTV: Pressenti um cenário tenebroso, desde o primeiro minuto. O River assustou com três minutos, com falhas claras do setor defensivo do Cruzeiro. E isso foi se confirmando durante a partida. Erros individuais definiram o placar. Um que errou nos três gols foi o Manuel, muito abaixo do que pode produzir.

LÉDIO CARMONA, comentarista do SporTV: O Cruzeiro perdeu todas as divididas, todas as segundas bolas, errou demais coletiva e individualmente e o River teve atuação perfeita, jogando nos erros individuais do Cruzeiro. Um time do tamanho do Cruzeiro, jogando uma partida como essa, com casa cheia, entrar desmobilizado.

RAPOSA MATUTA, no PHD: Três a zero é imperativo. Não há como procurar erros individuais.

MARINA RESENDE, no PHD: Por que deixaram o River entrar em campo com 15 jogadores?

JAS, no Fb: Bicadas de galinhas argentinas e de frangas brasileiras: vai ser longa essa terríver quinta-feira.

Cruzeiro 0x3 River: Juve e Barça aliviados

quarta-feira, 27 de maio de 2015

CRUZEIRO contra River Plate, jogo de volta das quartas de final da Libertadores 2015, no Mineirão, em Belo Horizonte, às 22h, desta quarta-feira, 27mai15.

CLASSIFICAÇÃO: Nas oitavas, o Cruzeiro passou pelo São Paulo, com 0×1, 1×0 e 4×3 nos pênaltis; o River passou pelo Boca, com 1×0 e 0×0.

BANCO do Cruzeiro: Rafael Monteiro (G), Pará (L), Leo Simões (B), Charles (V), Gabriel Xavier (M), Alisson (A), Joel (A).

AUSENTES no Cruzeiro: Willian Farias, com dores no púbis.

PENDURADOS no Cruzeiro: Ninguém.

BANCO do River Plate: Julio Chiarini (G), Germán Pezzella (B), Camilo Mayada (M), Pity Martínez (M), Leonardo Pisculichi (M), Fernando Cavenaghi (A), Lucas Boyé (A).

AUSENTES no River Plate: Driussi, com infecção viral. Gio Simeone, treinando com a Sub20 pro Mundial, na Nova Zelândia.

PENDURADO no River Plate: Ponzio (V)

TEMPO em Belo Horizonte: bom, temperatura 23º, sem vento, umidade 50%.

TRANSMISSÃO: Globo, para MG e RS, com narração de Rogério Corrêa, comentários de Bob Faria e Márcio Rezende Freiras; SporTV, para todo o país, com narração de Milton Leite, comentários de Lédio Carmona e Roger Flores e reportagens de Luciana Machado, Pedro Augusto Correia e Eudes Júnior. Fox, para todo o país, com narração de Nivaldo Prieto, comentários de Paulo Vinícius Coelho e Carlos Eugenio Simon, reportagens de Fernando Caetano e André Fernandes.

O JOGO

21h53 TIMES em campo, com uniformes tradicionais.

21h55 TEMPO bom, temperatura 22º, sem vento, umidade 50%.

21h58 UM MINUTO DE SILÊNCIO pela memória de Dona Luiza, mãe do técnico Marcelo Oliveira, falecida nesta segunda.

22h COMEÇA o jogo. Cruzeiro, à direita das tribunas, River dá a saída.

00’30” Leandro Damião disputa bola no ataque, mas comete falta.

01 Bola na área do Cruzeiro, Bruno Rodrigo corta.

02 ORGANIZADAS: Rapozama, China Azul, Pavilhão, Sangue Azul, Nação Azul de Varginha, FanatiCruz, Força Atuante de Lavras, Cachazeiros, Motozeiros, Metalzeiros, Jovem, Jovem Itatiaiuçu, Comando Rasta, Máfia Azul, Geral Celeste e Mancha Azul.

03 PERDEU. Leandro Damião devia de cabeça, bola fica com Willian, que passa pelo marcador e enche o pé. Bola passa por cima do travessão.

03’30” Bola na área celeste, Manoel chuta pra longe.

04 Sánchez é lançado no ataque, mas está impedido.

05 Henrique é derrubado por Kranevitter na meiuca.

06 Mena cruza da esquerda, Willian disputa bola com a defesa, Barovero fica com ela, no alto.

07 Carlos Sánchez apanha rebote da defesa, após escanteio, e enche o pé. Fábio encaixa.

08 River Plate troca passes, Cruzeiro cuida de seu campo de defesa.

09 Mercado comete falta em Willian no campo de ataque do River.

10 Willian puxa vontrataque, perde a bola pra Mercado, pede falta, Wilmar Roldán manda seguir o jogo.

11 Willians cruza da esquerda, bola bate em Ponzio e vai para lateral.

12 Willians cruza de novo, da esquerda, Arrascaeta cabeceia de costas para o gol, bola passa por cima do travessão.

13 Leandro Damião chuta, Barovero cata.

14 Ponzio cobra corner, Fábio corta trajetória da bola com um soco.

15 Arrascaeta tenta driblar Funes Mori na direita, mas é parado com falta.

16 Marquinhos cruza da direita, Bruno Rodrigo cabeceia, Barovero defende.

17 Henrique comete falta em Rojas, pelo lado esquerdo do ataque do River.

18 Ponzio cobra falta, mandando a bola na área celeste. Tiro de meta.

19 Willian passa a Arrascaeta, que tenta o acionar Willians, defesa corta.

20 GOL. Mora puxa contrataque pela esquerda, passa a Gutiérrez, que aciona Sánchez na área. O meia ajeita e chuta rasteiro, sem chance pra Fábio. RIVER PLATE 1×0.

21 FINALIZAÇÕES: 4×4.

22 POSSE DE BOLA: River, 60%.

22 Primeiro gol que o Cruzeiro levou no MIneirão nesta Libertadores.

23 Arrascaeta chuta fraco, de fora da área, Barovero encaixa.

24 Arrascaeta cai na área do River e pede pênalti. Roldán manda seguir.

25 PERIGO. Sánchez cruza da direita pra esquerda, Mora não alcança, bola passa por todo mundo e fica com Mayke. Se chega um argentino na área, seria o segundo gol.

26 Mena cruza, Barovero corta de soco.

27 Arrascaeta recebe lançamento na entrada da área e tenta encobrir Barovero, bola sai pela linha de fundo.

28 Mena cruza de pé direito, Barovero cata a bola.

28’30” Torcida celste resmungo, após cruzamento ruim de Mena.

29 Marquinhos cruza da direita, Arrascaeta desvia a bola, que fica com a defesa argentina.

30 Ariel Rojas cai, Médio em campo.

31 Marquinhos é parado com falta, na meiuca, por Funes Mori.

32 Téo Gutierrez cai. Médico em campo.

33 Gutierrez reclama de dores no ombro.

33 EXPULSÃO. Massagista do River Plate faz cera e é mandado pro vestiário por Wilmar Roldán.

34 Mena disputa com Mercado na lateral e sofre falta violenta do argentino.

34 Mena recebe outra falta.

35 Marquinhos tenta um passe longo pra Mayke, na direita, Rojas intercepta a bola.

35 Mayke cruza, Maidana tira de cabeça.

35’30” Cruzeiro pressiona. Mena chuta de fora da área, erra o alvo, bola passa longe do gol.

36 Vangionicai. Médico na cancha.

37 FINALIZAÇÕES: Cruzeiro 7×4. Arrascaeta finalizou 3 vezes, River não finalizou depois do gol.

37 AMARELO. Barovero, por demorar a repor a bola.

38 Vangioni volta ao campo.

39 Falta de Willians em Ponzio, na meiuca.

39 Mercado reclama uma falta pelo lado direito e a arbitragem marca.

40 Ponzio cobra a falta, manda para a área, mas a bola passa por todo mundo e se perde pela linha de fundo.

41 Marquinhos faz a jogada pela direita, tenta o cruzamento para a área, mas a bola bate em Vangioni, no próprio Marquinhos e sai pela lateral.

42 AMARELO. Mena. Mercado recebe a bola no ataque e é parado com falta pelo chileno Mena.

43 Gutiérrez dá ótimo passe para Ponzio, que entra na área e bate rasteiro, mas manda para fora. Grande chance perdida!

44 O River alça a bola para a área do Cruzeiro, tranquila para a defesa, mas Bruno Rodrigo cabeceia e cede escanteio.

45 GOL. Ponzio cobra escanteio do lado esquerdo, Maidana cabeceia, sem chances para Fábio. RIVER PLATE 2×0.

45+1 Cruzeiro ataca, mas para na boa marcação do River.

45+2 AMARELO. Willian, por reclamação.

45+3 FIM do 1º tempo.

DAMIÃO: “O time está nervoso. No vestiário falamos pra ter a mesma atitude do primeiro jogo, mas não fizemos isso e os caras estão tendo tranquilidade. Tivemos a oportunidade no início do jogo, na bola do Willian, mas não fizemos. Agora tem que reverter isso”.

INTERVALO

23h03 TIMES voltam a campo. Cruzeiro, com uma alteração.

23h04. TROCA: Arrascaeta x Gabriel Xavier.

23h05. COMEÇA o 2º tempo. Cruzeiro dá a saída.

46 AMARELO. Mercado, por falta em Xavier.

47 Ponzio comete falta em Willians.

48 Mena tenta a jogada pela esquerda, bola bate no adversário e sai pela lateral, mas o juiz dá a favor do River.

49 Mora cruza da esquerda, fraco, Fábio pega firme.

50 Cruzeiro tem dificuldades pra sair da defesa, River prende a bola na frente.

51 GOL. Mora ganha de cabeça, a bola fica com Téo Gutiérrez, que passa fácil por Bruno Rodrigo, invade a área e bate de curva, no canto esquerdo de Fábio. RIVER PLATE 3×0.

52 Mena cruza, Marquinhos tenta ajeitar com o peito, mas erra e é desarmado.

53 Marcelo Oliveira dá instruções a Alisson.

54 TORCIDA CELESTE continua apoiando o time.

55 TROCA: Willian x Alisson.

56 Alisson será pontesquerda e terá a missão de abrir a defesa portenha com seus dribles.

57 Mena recebe na esquerda e cruza. Bola vai forte demais e passa por todo mundo.

58 Mena tenta outro cruzamento, mas acerta o adversário.

59 Mercado fica caído no gramado, com a mão na coxa e pede substituição.

60 Carromaca leva Mercado pra fora da cancha.

61 TROCA: Mercado x Pezzella.

62 Cruzeiro troca passes no ataque, mas não encontra espaços pra chegar à área do River.

63 QUE DESAGRADÁVEL! Marquinhos chuta em gol, a bola sai pela lateral.

64 QUASE. Sánchez chuta de canhota, bola passa rente ao arco celeste.

65 RIVER faz sua melhor partida desde a decisão da Copa Sulamericana, ano passado.

66 Jogo sob controle do River, torcida cruzeirense não desiste e permanece no estádio.

67 Willians lança Mayke, bola corre demais e se perde pela lateral.

68 MAYKE é jogador mais bloqueado pelo time do River. Sem ele, não tem jogada ofensiva pelas pontas.

69 Marquinhos cruza da direita, buscando Damião, bola sai pela linha de fundo.

70 Alisson faz boa jogada pela esquerda e cruza, Barovero pega.

71 Marquinhos cruza da direita, bola sai pela linha de fundo.

72  TROCA: Willians x Joel.

73 TROCA: Ponzio x Camilo Mayada.

74 Joel faz boa jogada individual pela direita, finta um adversário e toca pra Xavier, que chuta de fora da área. Bola sai por cima do travessão.

75 BALIZA. Damião recebe passe, protege a bola e chuta rasteiro. Ela pega no pé do poste, antes de sair.

76 BALIZA. Alisson recebe na esquerda, corta pro meio e chuta. Bola bate no travessão e no pot esquerdo. Joel pega o rebote, mas chuta pra fora.

77 Cruzeiro pressiona, mas a bola se recusa a beijar as redes argentinas.

78 TROCA: Teófilo Gutiérrez x Gonzalo Martínez.

79 Gabriel Xavier tenta mais um chute de longe, frontal ao gol de Barovero. O meia manda a bola rasteira, e o goleiro encaixa.

80 Cruzeiro abandona precauções defensivas e parte pra cima, River espera na defesa, com tranquilidade.

81 PÚBLICO: 54.898 pagantes, 55.951 presentes, R$3.646.216, média R$66.

82 Gabriel Xavier recebe falta frontal ao gol do River Plate.

83 Alisson e Gabriel Xavier colocados pra cobrança. Alison cobra, bola bate na barreira e sai. Escanteio.

84 Torcida celeste começa a ir embora.

85 Gonzalo Martínez arranca com a bola, marcado de perto apenas por Gabriel Xavier, que segura o adversário pela camisa perto da grande área do Cruzeiro. Falta!

86 VERMELHO. Gabriel Xavier, pela falta em Martínez.

87 Mora cobra a falta, mas manda a bola longe do arco celeste.

88 Torcida celeste aplaude e grita o nome de Gabriel Xavier.

89 AMARELO. Joel, por falta em Funes Mori.

90 TRÊS minutos de acréscimo.

91 River toca bola e sua torcida grita “Olé!”

92 Adversário do River na semifinal sairá do Racing x Guarani, A outra semifinal será entre Tigres e Internacional.

93 FIM de jogo.

MDJ => Alisson [14], Torcida Celeste [7], Marcelo Gallardo [6], Bruno Rodrigo [3], Henrique, Gabriel Xavier, Gutierrez [2], Mena, Sanchez [1].

MARQUINHOS: “Time que não entra com vontade, e JOGA sem raça, não tem como ganhar. E foi isso hoje, um time sem vontade e sem raça”.

FÁBIO: “Infelizmente, não entramos com a postura necessária pra um jogo tão importante. Achamos que as coisas iam se resolver naturalmente e não é dessa forma. Se não disputar todas as bolas, o adversário cresce, e foi isso que aconteceu, com o River tomando conta da partida”.

GUTIERREZ: “O Mineirão é um bom lugar pra jogar. A gente sabia que poderia vencer o Cruzeiro aqui. Fizemos um grande jogo e conseguimos a classificação”.

DAMIÃO: “Não desrespeitamos o River. Sabíamos que seria um jogo duro, eu mesmo falei que não tinha nada ganho. Faltou jogar como jogamos na Argentina. Minha família veio me apoiar, queria dar a classificação a eles e pro Marcelo, que está passando por uma situação difícil, mas não deu”.

CRUZEIRO 0x3 RIVER PLATE, quarta-feira, 27mai15, 22h. TEMPO bom, temperatura 22º, sem vento, umidade 50%. LOCAL: MIneIrão (61 mil), Belo Horizonte. MOTIVO: jogo de volta das quartas de final da Libertadores 2015. TRANSMISSÃO: Globo, SporTV e Fox. PÚBLICO: 54.898 pagantes, 55.951 presentes, R$3.646.216, média R$66. ARBITRAGEM: Wilmar Roldán, Wilson Berrio e Alexander Guzman, colombianos.. AMARELOS: Mena, Willian, Joel (C); Barovero, Mercado (R). VERMELHO:  Gabriel Xavier, 86. GOLS: Sanchez, 20, Maidana, 45, Gutierrez, 51. RIVER PLATE: Marcelo Barovero; Gabriel Mercado (Guzmán Pezzela, Jonatan Maidana, Funes Mori e Leonel Vangioni; Carlos Sánchez, Matías Kranevitter, Leonardo Ponzio (Camilo Mayada, 72) e Rojas; Rodrigo Mora e Teófilo Gutiérrez (Martinez, 78). T: Marcelo Gallardo. CRUZEIRO: Fábio; Mayke, Manoel, Bruno Rodrigo e Mena; Willians (Joel, 71) e Henrique, Marquinhos, Arrascaeta (Gabriel Xavier, intervalo) e Willian (Alisson, 55); Leandro Damião. T: Marcelo Oliveira. HISTÓRICO. Foi o 14º Cruzeiro x River, com 10 vitórias do Cruzeiro, 4 do River, 24 gols do Cruzeiro, 13 do River. Os dois decidiram a Libertadores 1976, o torneio 2o Anos do Mineirão 1985, a Supercopa 1991 e a Recopa 1998, sempre com vantagem do Cruzeiro.

Liberta 2015: Tigres, primeiro semifinalista

terça-feira, 26 de maio de 2015

Jogos de volta das quartas de final da Libertadores 2015:

  1. Em San Nicolás, subúrbio de Monterey, no Universitário (42 mil), TIGRES 2×0 EMELEC, gols de Sóbis, aos 5, Rivas, 79.
  2. Em Porto Alegre, no Beira Rio (50 mil), INTERNACIONAL x SANTA FÉ,
  3. Em Belo Horizonte, no Mineirão (61 mil), CRUZEIRO  x RIVER PLATE,
  4. Em Avellaneda, subúrbio de Buenos Aires, no El Cilindro (50 mil), RACING  x GUARANI,

Divirtam-se com as transmissões da Globo e da Fox.