Arquivo da Categoria ‘LIBERTADORES!’

Deu River no sorteio: joga com alma, ou cai fora

segunda-feira, 13 de maio de 2019

OITAVAS DE FINAL final da Libertadores:

  • River x Cruzeiro
  • Godoy x Palmeiras
  • Emelec x Flamengo
  • Ldu x Olimpia
  • Paranaense x Boca
  • Nacional x Internacional
  • Grêmio x Libertad
  • San Lorenzo x Cerro Porteño

Aquele joguinho preguiçoso dos segundos tempos contra Fla e Inter e do primeiro contra o Emelec não traz a decisão pra Beagá. Tudo se resolve em Baires.

Premeditando as oitavas

sábado, 11 de maio de 2019

POSSÍVEIS ADVERSÁRIOS do Cruzeiro nas oitavas da Libertadores:

  • Paranaense, Grêmio, River, Emelec, Godoy, Ldu, Nacional, San Lorenzo.

Escolho o River. Ou vai ou racha! Ou vence e se candidata ao titulo, ou vai cuidar dos outros torneios.

Os demais confrontos, se dependesse de mim, seriam: Palmeiras x Grêmio, Flamengo x Paranaense, Inter x San Lorenzo, Boca x Nacional, Libertad x Ldu, Cerro x Godoy, Olimpia x Emelec.  

E vc, caro leitor, que adversário prefere que o fabuloso encare nas oitavas? Por quê?

Neves: “estamos jogando mal e isto nos abala”

sexta-feira, 10 de maio de 2019

PITACOS acerca do CRUZEIRO 1×2 EMELEC, Mineirão, Belo Horizonte, 08mai19qua18h45, 6ª rodada, grupo 6, Libertadores 2019:

MANO MENEZES: Fizemos dois tempos bem distintos. O primeiro abaixo, com mais dificuldades pra criar. Mesmo assim, tivemos uma pênalti no Sassá, que o árbitro não marcou e que nos daria vantagem. Fiz duas alterações no intervalo, um falto raro pra nós. Mas era necessário, pelo que tinha visto. A equipe ganhou força, mais jogadores se juntaram ao Sassá pra ter criação, chegamos ao empate, fizemos mais um gol legal, que o bandeira anulou. Seria o gol da virada. Mas cometemos um pecadinho nos últimos minutos, quando buscamos a vitória e tomamos um gol de um pênalti em contra-ataque, o que não podia acontecer naquela hora. O empate já nos dava a melhor campanha. Então, a gente poderia ter administrado um pouquinho diferente essa última parte. Mas criamos o suficiente pra vencer. 

THIAGO NEVES: Não sei se a gente chega às oitavas com moral. Estaremos entre os primeiros, mas por estarmos jogando mal, isso abala um pouco. Precisa melhorar muita coisa. Mata-mata é diferente, é um jogo que não pode errar, senão você é eliminado num minuto. A atenção tem que ser dobrada. Hoje jogamos muito abaixo do normal e abaixo do que pode o elenco. Na Libertadores, quando se dá uma relaxada, acontece o que aconteceu hoje.

CLAUDINEI VILELA: Com Jadson de um lado e Rafinha do outro o time celeste ficou sem jogada em profundidade.

LEONARDO MATARELLI: Perder pro fraquíssimo Emelec, em casa, deixar a primeira colocação geral na mão dos outros, na última hora, e ter uma derrota em casa, na fase de grupos, após 22 anos (última aconteceu em 1997), agora me parece secundário. A questão é que há um bom tempo o time não vem rendendo. Não vimos a bola contra o Flamengo, e tivemos muitas dificuldades contra Ceará e Goiás, em casa. Nas palavras do próprio Neves após a partida, “o time não vem jogando bem”. 

FÁBIO VELAME: A torcida que gosta quando um jogador dá chapéu ou caneta mesmo que a jogada não dê em nada. Neste jogo teve muito disto. No lance do primeiro gol do Emelec, o Cruzeiro estava com a bola, o Egídio deu um corte no cara do lado esquerdo (a torcida vibrou) e tocou pra Rodriguinho, que dormiu, perdeu a bola e na sequência veio o gol.

MATHEUS PENIDO: Henrique manteve a boa regularidade. Cabral esteve mis ou menos. De bom, o belíssimo chute. Jadson foi péssimo como meia e razoável como volante. Rafinha não jogou nada. Rodriguinho foi o pior em campo. Sassá foi quem mais lutou, sofreu um pênalti não marcado e acabou recompensado pelo gol.

O fracasso da torcida celeste

quinta-feira, 9 de maio de 2019

THIAGO CINCO ESTRELAS

URGE repensar essa questão de ingressos. Infelizmente, o Cruzeiro está cada vez mais distante dos times do Eixo, e comparado aos gaúchos, perde de lavada também. Eis os 10 dez clubes com maiores arrecadações na bilheteria em 2019 (média de público, arrecadação em milhões, ticket médio)

  1. Corinthians 33.351 — R$22.3 — R$49
  2. Flamengo 44.048 — R$20.2 — R$35
  3. Palmeiras 28.496 — R$19.4 — R$56
  4. São Paulo 25.775 — R$17.2 — R$55
  5. Inter 24.956 — R$13.3 — R$44
  6. Grêmio 22.139 — R$11.9 — R$44
  7. Vasco 14.862 — R$8.9 –  R$40
  8. Mineiro 21.252 — R$8.6 — R$27
  9. Cruzeiro 21.120 — R$6.3 — R$27
  10. Bahia 20.912 — R$6.2 — R$19

Inter e Grêmio, que a esra altura da temporada, têm o mesmo calendário que o Cruzeiro, arrecadaram o dobro em bilheteria. No Brasileiro, enquanto o ticket médio de Inter e Grêmio é de R$48 e R$42, o do Cruzeiro é de R$14. E, mesmo assim, os gaúchos têm o dobro de média de público na competição.

Sassá e Robinho, os melhores na derrota

quinta-feira, 9 de maio de 2019

ATUAÇÕES dos protagonistas do CRUZEIRO 1×2 EMELEC, Mineirão, Belo Horizonte, 08mai19qua18h45, 6ª rodada, grupo 6, Libertadores 2019:

TORCIDA CELESTE compareceu em baixo número. Menos mal que o setor laranja, o da pechincha de R$10, lotou. O preço médio do ingresso foi de R$22 e a renda não chegou aos R$400 mil. Se persistir essa falta de apoio, o Cruzeiro vai se tornar insolvente, em breve. O desempenho dos apoiadores que compareceram foi bom. Não faltou estímulo ao time.

FÁBIO fez três boas defesas, em bolas com potencial pra causar complicações, quase defendeu o pênalti e tomou um gol espírita. Essa conversa de que estava adiantado é papo furado de quem prefere recorrer ao um chavão do que analisar o jogo. Bola bater no travessão acertar o goleiro e entrar não é inusitado. Está previsto nas leis da Física.

EDÍLSON disputava ótima partida, marcando e apoiando bem, até receber o santo do Romero e dar o carrinho que resultou no pênalti do segundo gol equatoriano. 

FABRUNO cometeu uma falha em recuo de bola, teve alguma difculdade de posicionamento, mas acertou a maior parte das jogadas. E ainda cabeceou uma nbola, que por pouco não resulta em gol celeste. 

LEO esteve bem na defesa, levou perigo ao goleiro adversário ao menos duas vezes e ajeitou a bola pra Sassá fuzilar Dreer no gol celeste. 

EGÍDIO alternou bons e maus momentos, mas batalhou muito em busca da vitória. Com ele não esse negócio de arriar mochila antes do apito final. 

HENRIQUE foi o único marcador de verdade no meio de campo. No fim do jogo, ficou sozinho, quando todos se mandaram em busca do desempate. Em seu melhor momento, ajeitou uma bola, que Cabral quase transforma em gol. 

CABRAL foi bem em alguns lances, como na patada de prima numa bola ajeitada por Henrique e em passes verticais, mas também esteve desatento na marcação. Não foi um dos piores. Muito menos, um dos melhores.

JADSON começou aberto pela direita, sem sucesso. Batalhou, mas não mostrou talento pra armar o time, nem pra fazer jogadas de ponta. Na etapa final, foi deslocado pro meio, antes de ser sacado no esforço de Mano pra conseguir a vitória. Perdeu pontos em sua busca por um lugar no time. 

ROBINHO entrou na etapa final e clareou a armação, com bons passes e excelente visão de jogo. Mostrou que é insubstituível na sua função. 

RODRIGUINHO não conseguiu sucesso nas jogadas individuais, pois não havia espaços na defesa eléctrica. Algo que não soube criar, com deslocamentos. 

NEVES entrou na reta final, após ser insistentemente pedido pela torcida e não fez nada de relevante.

RAFINHA fez uma de suas piores partidas coma camisa celeste. Nervoso, trocou empurrões com um adversário. Sem imaginação, não criou nada de útil. Saiu no intervalo.

DAVID melhorou o ataque, com arrancadas e jogadas individuais, nada espetaculares, mas um avanço em relação à pasmaceira de rafinha. E fez mum gol, equivocadamente anulado.

SASSÁ lutou bravamente contra a forte e pesada defesa electrica. Sofreu pênalti não marcado, fez gol e incomodou o tempo todo. Foi o melhor da partida. 

MANO fez a coisa certa ao poupar alguns atletas, mas apostou mal em Rafinha e Jadson nas pontas. O time foi um fiasco na etapa inicial e Sassá não recebeu bolas pra arrematar. Na parte final, consertou a lambança, com as entradas de David e Robinho, e só não venceu porque a rapaziada se empolgou e tomou contra-ataque desnecessário, coroado por uma carrinho besta.

CRUZEIRO jogou muito mal na etapa inicial, sem criatividade , nem contundência. Na parte final, tomou conta do jogo, criou chances, marcou, teve gol mais anulado, mas vacilou ao dar campo ao adversário pra um contra-ataque feroz. Leo, Henrique, Sassá, os mais sérios, foram bem. Edílson jogava bem até carrinha que nem um juvenil. Rodriguinho, Neves, rafinha e Jadson desfalcaram o time, embora tenham entrado em campo.

EMELEC fez o básico pra tentar arrancar o pontinho de que precisava: defendeu-se bem, sem conceder espaços. Teria perdido, mesmo assim, xe o juiz colombiano não o tivesse favorecido em dois lances capitais. Mas a noite era electrica e deu tudo certo, do chute de longe ao contra-ataque fatal.

ÁRBITROS mexeram no placar, deixando de marcar um pênalti em Sassá e anulando gol legítimo de David. No pênalti contra o Cruzeiro, acertaram. Mas, por favor, sem conspiracionices!, foram erros de trabalho, Iguais aos que vcs e eu cometemos várias vezes na vida.

MelhorDoJogo => SASSÁ [[[17]]] Seisaum, King, Jottar, Ramos, Viana, Rizzi, Bitencourt, Soares, Morato, Anchieta, Walfrido, Celeste, Rocha, Velame, Setelagoas, Fernandão, Síndico —– ROBINHO [[[11]]] Jotapê, Soalheiro, Emerson, Velloso, Chiabi, Reis, Cadu, Bastos, França, Samuel, Dudu —– LEO [[[4]]] Barros, Beth, Romarol, Lulu —– HENRIQUE [[[3]]] Maury, Martins, Barnabé —– EDÍLSON [[[1]]] Klauss —– RODRIGUINHO [[[1]]] Rezende —– MANO [[[2]]] Guiotti, Ulhôa —– ANGULO [[[1]]] Uol…

Cruzeiro 1×2 Emelec: limitações expostas

quarta-feira, 8 de maio de 2019

CRUZEIRO contra Emelec, neste 09mai19qua19h15, no Mineirão, Belo Horizonte, 6ª rodada, Grupo B, Libertadores 2019.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro, 15 pontos, Emelec, 5, Lara, 4, Huracán, 1.

TRANSMISSÃO: Fox, com narração de João Guilherme e comentários de Zinho.

TEMPO chuvoso, temperatura 23º, vento 10 Km/h, umidade 80%.

ARBITRAGEM: Andrés Rojas, Wilmar Navarro, John Alexander Leon (Colômbia).

CRUZEIRO: Fábio — Edílson, Fabruno, Leo, Egídio — Henrique, Cabral — Jadson, Rodriguinho, Rafinha — Sassá. T: Mano Menezes.

BANCO: Rafael G, Murilo B, Dodô L, Rafael Santos L, Romero V, Lucas V, Robinho M, Neves M, David A.

AUSENTES: M Gabriel, Raniel (lesionados), Dedé, Fred (poupados), Pedro Rocha (sem inscrição).

PENDURADOS: Dedé.

EMELEC: Dreer — Paredes, Mejía, Vega, Estácio — Godoy, Queiroz, Matamoros — Rojas, Brayan Angulo, Guerrero T: Ismael Recalvo.

BANCO: Bone G, Johnson L, Jaime B, Bagui L, Pedro Quiñonez V, Arroyo M, López, M, Cortez M, Caicedo M, Cabezas A, Mondaini A,  Daniel Angulo A.

AUSENTES: Billy Arce (punido por indisciplina).

PENDURADOS: Joel López Pissano e Jordan Jaime.

CRUZEIRO 1×2 EMELEC, 08mai19qua19h15. TEMPO chuvoso, temperatura 23º, vento 10 Km/h, umidade 85%. LOCAL: Mineirão (62 mil), Belo Horizonte. MOTIVO: 6ª rodada, Grupo B, Libertadores 2019. TRANSMISSÃO: Fox. PÚBLICO: 18.083 pagantes, 24.417 presentes, R$393.347, média R$22. ARBITRAGEM: Andre Rojas, Wilmar Navarro, John Alexander Leon (Colômbia). AMARELOS: Rodriguinho, Vega, Guerrero, Dreer. GOLS: Rojas, 40, Sassá, 66, Angulo, 89 (p). CRUZEIRO: Fábio; Edilson, Fabruno, Leo, Egídio; Henrique, Cabral (Robinho, 46); Jadson (Neves, 64), Rodriguinho, Rafinha (David, 46), Sassá. T: Mano Menezes. EMELEC: Dreer; Paredes, Mejía, Vega, Estácio (Johnson, 70), Godoy, Queiroz (Arroyo, 77), Matamoros (Caicedo, 57), Rojas, Brayan Angulo, Guerrero. T: Ismael Rescalvo.

HISTÓRICO: 4 jogos, 2 vitórias do Cruzeiro, 1 empate, 1 vitória do Emelec, 4 gols do Cruzeiro, 2 do Emelec.

Cruzeiro na Venezuela

sexta-feira, 3 de maio de 2019

MANO MENEZES relata experiência na viagem do Cruzeiro à Venezuela:

  • “O futebol funciona como um ilha fora da realidade. Ficamos num hotel, com gerador próprio, pra não faltar eletricidade. Em volta, era um escuro absoluto, sem iluminação pública, nem nas casas. Vimos isso quando fomos treinar e voltamos um pouco mais tarde. A cidade estava deserta, quase não se via gente na sua. Muita gente foi embora da cidade. Só no departamento de Lara, segundo informações que recebemos, 400 mil pessoas mudaram-se pra outros países, fugindo das dificuldades. Estão passando muitas dificuldades, inclusive os próprios funcionários do hotel. A gente fez uma campanha interna pra ajudar um pouco, dentro das condições que a gente podia. A remuneração deles é de cinco dólares mensais. É o salário mínimo. O que é praticamente nada, e eles só se alimentam uma vez por dia”.

E é exatamente isto que a esquerda brazuca quer fazer com o Brasil. 

A segunda em casa

sexta-feira, 26 de abril de 2019

TORCEDOR CELESTE anda eufórica porque o seu time jogará a segunda partida dos pleiofes da Libertadores em casa. 

Isto já aconteceu em disputas com Portuguesa, Paranaense, Inter, Paulista, Racing, Boca, América, River, Mineiro, San Lorenzo, Once Caldas, Palmeiras, Española, Estudiantes, Santa Cruz e Ipatinga, com resultados decepcionantes.

Claro, aconteceram também ótimos resultados em partidas de volta. Mas fica o registro: jogar a segunda em casa e nada é a mesma coisa

Lucas: “a gente comenta: que time bom é esse?”

quinta-feira, 25 de abril de 2019

PITACOS acerca de LARA 0-2 CRUZEIRO, Metropolitano, Cabudare, Venezuela, 23abr19ter17h, 5ª rodada, Grupo B, Libertadores 2019:

MANO MENEZES: Tivemos dificuldades logísticas, com duas viagens longas, em condições adversas. O nível técnico do adversário talvez seja baixo, mas nossa pontuação é elogiável. Outros clubes brasileiros também têm adversários fracos em seus grupos e não conseguiram a pontuação que estamos fazendo. Isso aumenta nossa confiança, mas sempre com pés no chão. É só a primeira fase da Libertadores. Estamos nos preparando pra chegar bem nas oitavas, resolvendo os problemas que estamos enfrentando. Aqui, esperávamos dificuldade em função de tudo o que estamos vivendo nos últimos dias, com período de recuperação curto. Mas a equipe já tem experiência e maturidade pra saber se comportar diante das dificuldades. Nossos jogadores são experientes, já viveram situações como esta, se adaptam ao adversário, às condições do campo, que hoje estava muito pesado. A cada jogo, vamos encontrando soluções, como encontramos hoje. Tivemos mais liberdade pelo centro do campo, na primeira parte, e utilizamos bem a projeção de Neves, Rafinha e Lucas. Levamos vantagem, construímos nossa vitória, que foi consolidada no 2º tempo.

FRED: Tem que estar preparado pra quando surgir a oportunidade. Foi uma bola trabalhada, o Thiago jogou por dentro, ameaçou tabelar, eu ameacei tabelar, virei, chutei. acertei. Estou feliz pelo gol, mais ainda pela vitória.

LUCAS SILVA: De início, a gente cria aquela expectativa, mas já sabendo que o time vai corresponder. Depois, no vestiário, a gente comenta: que time bom é esse? Sai um jogador, entra outro e todo mundo corresponde. É o entrosamento. Por mais que não saia jogando como titular constantemente, já sabe como é o estilo de jogo, o comportamento que o treinador gosta, a filosofia de trabalho. Organização é algo que o Mano ressalta. A disputa interna é muito boa e isso aumenta nosso nível e competitividade.

LANCE: O Cruzeiro teve menos dificuldades pra vencer o Lara fora de casa do que no Mineirão, quando a equipe venezuelana se mostrou mais competitiva que o adversário. A marcação do Lara foi tão frouxa que não recebeu nenhum amarelo por tentar parar o time estrelado.

FÁBIO VELAME: O Cruzeiro fez uma partida segura, dominando desde o início. No 1º tempo, fez 1×0 com o Fred e teve um pênalti não marcado. No 2º, deu uma relaxada, mas ainda fez outro gol com Sassá. Rafinha destoou do resto do time, mesmo num jogo fácil, nada produzindo.

LEONARDO MATARELLI: No decorrer do segundo tempo, Bob Faria disse que o Cruzeiro estava preguiçoso. Adílson Batista mandou um recado, via Paulo Nunes, dizendo: “Lembra o Bob, que não é preguiça não, é ressaca da comemoração do título sobre o Atlético”. Fantástico! Kkkkkkkkk…

JOÃO CHIABI: Mano foi correçto na montagem do time e na escolha dos atletas que iriam revezar nesta partida, dando o descanso aos que mais precisavam. Sé errou ao demorar demais pra tirar o Rafinha do jogo.

M RIZZI: Os chutes de curta e média distância do Lucas me fizeram entender o posicionamento do Real em relação à volta dele.

EVANS DRAWN: One of several retarders and sonos wrote that the Cruzeiro was impeccable. Mentally weak talk! The truth is that the team faced a very weak opponent, and yet some celestial players, Little Mark Gabriel, Little Ralph, Egyptian and Anderson Vital cases made terrible individual mistakes. If these mistakes were made against better quality teams, our house would fall. And still idiots appear to say that the team was impeccable…

Fred fez golaço e foi eleito o melhor do jogo

quarta-feira, 24 de abril de 2019

ATUAÇÕES dos protagonistas de LARA 0-2 CRUZEIRO, Metropolitano, Cabudare, Venezuela, 23abr19ter17h, 5ª rodada, Grupo B, Libertadores 2019:

TORCIDA CELESTE foi poupada de visitar a perigosa Venezuela, porque o jogo foi com portões fechados. Nas redes, o resumindo de sempre por conta do jogo sem correria, tão ao gosto dos redealistas. (Síndico)

FÁBIO, sem muito trabalho, foi mero expectador. (Claudinei Vilela)

OREJUELA atacou, defendeu, mas se desentendeu muitas vezes com Rafinha. (Claudinei Vilela)

DEDÉ, perfeito na bateria antiaérea e sóbrio nas ações terrestres. (Claudinei Vilela)

LEO espanou tudo que veio pela frente. Quando o time está em perigo, se a mãe passar na frente corre o risco de levar uma bicuda. (Claudinei Vilela)

EGÍDIO foi o mais exigido da defesa celeste. Venezuelanos caíram pelo seu lado e forçaram as jogadas por ali. Teve bons momentos no ataque, mas teve também cochilo na defesa. (Claudinei Vilela)

LUCAS foi um cão de guarda! Correu o campo todo, arriscou alguns bons chutes de fora da área e outros nem tão bons assim. Com certeza, sua missão era chutar de longe. (Claudinei Vilela)

HENRIQUE jogou muito, com ênfase na contenção. Ditou o ritmo na segunda linha, contra um adversário que jogou atrás, especulando nos contrataques. (Claudinei Vilela)

NEVES movimentou-se, tentou tabelas, mas estava desentrosado com o restante do ataque. Seu momento de brilho foi o toque que matou o sistema defensivo venezuelano deixando Fred em condições de marca o primeiro gol. (Claudinei Vilela)

RAFINHA transpirou bastante, mas foi pouco criativo. Errou muitos passes, alguns até fáceis. Taticamente importante, esteve mal no trato coma bola. (Claudinei Vilela)

MARQUINHOS foi bastante incisivo na esquerda, mas ficou devendo nas jogadas individuais de linha de fundo, uma das jogadas de seu repertório. No meio, fez boas jogadas e ajudou Egídio, que sofria com o lado direito do time venezuelano. (Claudinei Vilela)

FRED foi o melhor do jogo! Movimentou-se, ajudou a defesa, fez pivô deixando Marquinhos na frente do goleiro e ainda fez um belo gol. Com seu gol o 18º na Libertadores, superou Pele, havia marcado 17 vezes. (Claudinei Vilela)

SASSÁ entrou com disposição, mas com a bola rolando não conseguiu nada. Na bola parada, fez um gol de pênalti, com paradinha e goleiro deslocado. (Claudinei Vilela)

JADSON entrou para fechar o meio pela direita e ajudar os volantes, que estavam desgastados. Errou uma saída de bola, mas compensou a falha sofrendo o pênalti do segundo gol. (Claudinei Vilela)

DAVID sentiu um incômodo durante o aquecimento, mas foi para o jogo. Só que por pouco tempo. Insuficiente para fazer algo de relevante. (Claudinei Vilela)

MANO, comemorando mil dias à frente do time celeste, escalou gente mais descansada e encarou um Lara na retranca. Seu time deu mostras que sabia muito bem o que fazia e que poderia dar cabo do jogo a qualquer momento. Para quem assiste pela televisão, em certos momentos fica a sensação de um certo desinteresse do time. Mas a verdade é que a maturidade do elenco faz com que se gaste apenas o cartucho necessário para cada jogo. Ao final, colheu a vitória, se manteve invicto e sem levar gol na competição. (Claudinei Vilela)

LARA deu mais aperto jogando fora do que em casa. Talvez porque havia feijão tropeiro para comer em Beagá no primeiro jogo. (Claudinei Vilela)

ÁRBITROS complicaram. O juiz deixou de marcar um pênalti claro em Orejuela, aplicou a lei da vantagem em lance em que o ataque celeste só colheu desvantagem, trocando uma falta perto da área, por uma bola recuada. Na parte disciplinar, saiu-se bem, elevando o jogo a bom termo, em aplicar cartões. (Síndico)

MelhorDoJogo => FRED [[[23]]] Gil, Beth, Chiabi, Bitencourt, Velame, Vilela, Anchieta, Espigão, Bastos, Alex, Figueiredo, Barros, Klauss, Rezende, Emerson, Wallace, Morato, Walery, Samuel, Clemenceau, Celeste, Walfrido, Nanayoski —– HENRIQUE [[[3]]] Galvão, Olivieri, Síndico —– LUCAS [[[2]]] Gesoco, Romarol —– DEDÉ [[[2]]] Seisaum, Vanda —– NEVES [[[2]]] Uol, Barnabé —– LEO [[[1]]] Rocha —– M GABRIEL [[[1]]] Schrier —– MANO [[[1]]] Setelagoas…