Arquivo da Categoria ‘LIBERTADORES!’

Bateu, levou!

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

CONMEBOL tomou medidas visando aumentar a segurança e o conforto nos estádios que sediarão jogos de suas competições.

O Corinthians não gostou e mandou carta à entidade dizendo que ela estaria indo contra o DNA do futebol.

Resposta fulminante:  “É pra se evitar episódios como o que levou à morte o jovem Kevin Espada, em Oruro”.  Morto por corintianos, como se sabe.

Sanchez poderia muito bem ter passado sem essa ferrada, mas foi fazer média com suas organizadas e tomou uma tremenda invertida.

Processo civilizatório chega ao futebol

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

CONMEBOL não permitirá, em suas competições, a partir deste ano, bandeiras com mais de um metro de largura por um metro e meio de comprimento, nos estádios.

A partir de 2021, todos os ingressos terão de ser vendidos pela internet e com lugares marcados escolhidos na hora da compra.

Vai exigir que os estádios tenham cadeiras pra 100% dos espectadores e wi-fi pra uso de torcedores, jornalistas e autoridades.

Medidas excelentes, um passo adiante no processo civilizatório do futebol. Agora é a vez da Cbf também acabe coma baderna em seus jogos.

Agenda

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

JOGOS do rupo B da Libertadores 2019: 

07mar19qui19h Huracán x Cruzeiro B Aires
07mar19qui23h Lara x Emelec Cabudare
13mar19qua19h15 Cruzeiro x Lara Beagá
14mar19qui23h Emelec x Huracán Guayaquil
27mar19qua21h30 Lara x Huracán Cabudare
27mar19qua21h30 Emelec x Cruzeiro Guayaquil
09abr19ter19h15 Cruzeiro x Huracán Beagá
11abr19qui23h Emelec x Lara Guayaquil
23abr19ter19h15 Huracán x Emelec b Aires
23abr19ter21h30 Lara x Cruzeiro Cabudare
08mai19qua19h15 Huracán x Lara B Aires
08mai19qua19h15 Cruzeiro x Emelec Beagá

Conmebol não conhece Beagá. Ou quer apenas esculhambar mais ainda o trânsito na hora do rush.

E, agora, pergunto ao assíduo leitor:

  1. Vc conseguirá ir aos jogos no Mineirão às 19h30?
  2. Vai a Buenos Aires?
  3. Vai a Guayaquil?
  4. Vai a Cabudare?
  5. Vai pagar a mensalidade do Sócio do Futebol só porque tem jogo da Libertadores?

Minhas respostas: Sim. Sim. Não. Nem que a vaca tussa! Não. Pago só porque sou Cruzeiro.

Libertadores: Cruzeiro vs Lara, Emelec, Huracán

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

A => River, Inter, Alianza, (São Paulo, Talleres, Palestino, Independiente Medellín)

B => CRUZEIRO, Emelec, Huracán, Lara.

C => Olimpia, Cristal, Godoy, Concepción.

D => Peñarol, Flamengo, Ldu, Bolívia 2.

E => Nacional, Cerro, Zamora, (Danubio, Mineiro, Barcelona, Defensor)

F => Palmeiras, San Lorenzo, Junior, (LaU, Melgar, Caracas, Nacional Assunção, Delfin)

G => Boca, Paranaense, Wilstermann, Tolima.

H => Gremio, Catolica, Rosario, (Libertad, Bolivia 3, Nacional Medellín, La Guaira, Garcilaso)

Decisões continentais

domingo, 9 de dezembro de 2018

LIBERTADORES 2018 finalmente foi decidida. Depois da arruaça de uma dúzia de torcedores do River, que jogaram pedras e garrafas no ônibus do Boca, dando motivo pros xeneizes fugirem de uma decisão no campo do rival, o jogo foi disputao no Santiago Bernabeu, em Madrid. E deu River, que fez 3×1 de virada.

SULAMERICANA 2018, até aqui disputada honestamente, terminará nesta quarta, na Baixada, Curitiba, com Paranaense e Junior jogando pela vitória.  Em caso de empate, prorrogação e pênaltis. Se vencer, o rubro-negro será o segundo time braseiro a faturar dois títulos na temporada, O outro, como se sabe, é treinado por um retranqueiro…

Ranking PHD dos campeões

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

O Palmeiras venceu o principal torneio de 2018. Mas o Cruzeiro conquistou duas taças.

Sampaio foi rebaixado da B pra C, mas faturou a Lampions. Flamengo, Saumpaulo, Franga, Vasco, Flu, Santos e Inter ficaram no “Ora, vejam!”.

E, então, quem  foi o maior campeão? PHD propõe um ranking:

  • Estadual, 1 ponto;
  • Copa estadual, 1 ponto;
  • Estadual com time da Série C;
  • Estadual com times da Série B, 3 pontos;
  • Estadual com times da Série A, 5 pontos;
  • Estadual, com times da A e da B, 8 pontos;
  • Regional, 2 pontos;
  • Regional com times da Série B, 4 pontos;
  • Regional com times da Série B, 6 pontos;
  • Regionals com times da A e da B, 9 pontos;
  • Recopa Sul-americana, 5 pontos;
  • Sul-americana, 10 pontos;
  • Libertadores, 20 pontos;
  • Mundial, 25 pontos;
  • Copa do Brasil, 12 pontos;
  • Brasileiro D, 5 pontos;
  • Brasileiro C 7 pontos;
  • Brasileiro B, 10 pontos;
  • Brasileiro A, 17 pontos.

Às contas, moçada!

A melhor seleção da temporada

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Desconheço as seleções da temporada ou de cada torneio formadas pela Iespien, Ishportiv, Fóquish e Cbf. Certamente, são tendenciosas. 

A minha seleção de 2018, levando em consideração os torneios estaduais, brasileiros e sul-americanos é a melhor, a mais justa, a mais inteligente. Confiram:

  • Fábio — Fagner, Dedé, Leo, Lodi — Patrick, Henrique, Bruno Henrique, Paquetá — Pedro, Arrascaeta. 
  • Técnico: Lisca.
  • Craque: Bruno Henrique.
  • Revelação: Lodi.
  • Juiz: Ricardo Marques Ribeiro.
  • Time: Palmeiras.
  • Torcida: Fortaleza.
  • Jogo: Vasco 1×1 Botafogo, decisão do Carioca. 
  • Cartola: Rafael Tenório.
  • Comentarista: Henrique Fernandes.
  • Narrador: Milton Leite.
  • Repórter: Pedro Correia.
  • Cássio — Mayke, Messias, Thiago Heleno, Egídio — Cuéllar, Richardson — Dudu, Luan, Cebolinha — Gabigol. 

Não acredito que alguém tenha coragem de fazer reparos. Mas se tiver, que o faça, sem medo ser criticado. No máximo, vou deplorar a ignorância do desembasado palpiteiro. 

El tango de los locos

sábado, 24 de novembro de 2018

Boca e River deveriam decidir a Libertadores às 17h. às 20h30, decidiu-se adiar o jogo pra esta segunda, às 18h.

Aconteceu o de sempre: pedras e garrafadas no ônibus do Boca, a alguns quarteirões do Monumental, catimba do xeneizes, jogo adiado.

Mais do mesmo. Uma palhaçada sem fim. Não é a primeira vez, nem será última. Torcidas do vasco, do Corinthians, do Flamengo, do Boca e do River já estragaram outros jogos e nada aconteceu.

Enquanto não se afastar os clubes que causam problemas por alguns anos das competições, nada mudará. Dá preguiça.

Final portenha na Libertadores

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

River passou pelo Grêmio: 0x1 e 2×1. Boca passou pelo Palmeiras: 2×0 e 2×2. Libertadores terá final argentina. E final inédita.

E não me venham com esse nhenhenhém de Conmebol, var e juízes que “hablan castellano”. Foi tudo resolvido no campo.

Destaque pras coletivas pós-jogo. Scolari, bem, Portaluppi, mal, chorando feito criança.

Grohe e Luan também foram corretos. Saíram da cartilha do boleiro e falaram coisa com coisa.

Marc: “2/3 dos gols, após expulsões do Dedé”

sábado, 6 de outubro de 2018

PITACOS acerca do CRUZEIRO 1-1 BOCA, Mineirão, Belo Horizonte, 04out18qui21h45, volta das quartas da Libertadores 2018:

MANO MENEZES: Quando nos tocou enfrentar o Boca nas quartas, sabíamos que seriam jogos grandes, difíceis pela qualidade do adversário, mas que tínhamos condição de passar. Eu só gostaria que o jogo fosse apenas dentro de campo que se determinasse o vencedor. Porque aí estaríamos parabenizando o adversário como sempre fizemos em todas as situações em que perdemos. Mas não foi isso que vimos nos 180 minutos. O fato foi tão absurdo que, numa decisão inusitada, a Conmebol liberou o Dedé pro segundo jogo. Isso é assumir o erro grosseiro que aconteceu lá. O jogo naquele momento quando Eber Aquino expulsou Dedé na Bombonera era 1×0 pro adversário, já era um placar diferente em relação ao que seria aqui, aí acabamos tomando o segundo gol. Viemos aqui pra um jogo de superação, pois reverter 2x 0 contra uma grande equipe é difícil. Nós nos entregamos, fizemos um jogo não de muitas oportunidades, mas de oportunidades pra vencer. Mas, pra nossa surpresa, desde o início houve faltinhas aqui, condescendência com paralisações, e na minha opinião fizemos um gol legal no 1ª tempo. Um gol mal anulado. E saímos dessa forma. É isso que me deixa chateado. Não tenho nada que reclamar da equipe, a equipe se entregou, tem suas limitações porque todos tempos. Mas mesmo tendo essas limitações, poderíamos ter passado do adversário se as coisas tivessem transcorrido dentro da normalidade. Mas vamos tocar a vida depois disso. Sempre falta algo, senão teríamos passado. Mas hoje poderíamos ter feito mais que não teríamos passado. O problema está aí. Não se pode tirar coisas tão graves em 180 minutos pra fazer de conta que elas não aconteceram e discutir parte técnica. Temos que discutir parte técnica quando as coisas forem normais e elas não foram normais. O torcedor do Cruzeiro foi brilhante, não temos nada a reclamar, somente elogiar. Ele nos ajudou muito e até entendeu as dificuldades. E a entrega dos jogadores foi na mesma proporção. Foi por isso que ele aplaudiu a equipe na final. O torcedor não comemorou, porque quando se perde, time grande não comemora. Mas aquilo ali foi um gesto de carinho. E esse gesto vai nos dar força no primeiro jogo da final da Copa do Brasil pra tentarmos fazer o resultado em casa”.

OLÉ: No final do 1º tempo, um cruzamento chegou à área, e Dedé levantou a perna, mas não pareceu intervir no campo de ação de Rossi. O goleiro do Boca errou, deixando a bola flutuando. O Cruzeiro marcou o gol, mas o árbitro alegou falta de Dedé. Eles queriam devorá-lo. Erro do juiz.

DEDÉ: Não foi lance pra expulsão, nem pra cartão amarelo. Lance normal. Infelizmente, a gente vê que muitas coisas não acontecem só dentro de campo. Acho que fiquei marcado. Sofri falta em toda jogada que eu fiz, de bola na área. Teve uma jogada em que o goleiro errou o tempo de bola e o zagueiro puxou minha cabeça. Precisei abaixar a cabeça. Nesse lance, eu não consegui arrematar por ter sido puxado. Eu falei com o juiz pra ele prestar atenção em mim. Ele disse que a próxima vez que eu fosse na área ele ia me advertir. Aí no lance seguinte o goleiro socou, eu trombei de ombro a ombro, ele me deu amarelo. O goleiro se jogou, simulou que eu tinha dado a mesma cabeçada sem querer no goleiro do jogo de ida, fez o drama dele, e o juiz me deu amarelo.

EDÍLSO: Choro do Thiago Neves foi de decepção por não conseguirmos fazer o que planejamos. Jogamos muito bem, nos doamos ao máximo, mas infelizmente não conseguimos. A torcida nos apoiou, está de parabéns, só temos a elogiar. O sentimento é de decepção por não fazermos o que planejamos.

CLAUDINEI VILELA: Teve um gol anulado, um pênalti desmarcado e um jogador expulso. Neves teve chances de marcar e errou, Menso com uma menos, o time criou chances, Raniel perdeu uma na cara do gol. O Boca fez o jogo dele, depois de conseguir um 2×0 na mão grande em casa. O juiz foi condescendente com a cera. Dó “perigo de gol” deve ter marcado uns trinta. Arbitragem péssima nos 180 minutos! Mesmo assim Cruzeiro jogou o suficiente pra vencer, Não deu e a vida segue.

MARC BSB: O Cruzeiro tomou dois a dos três gols, após as expulsões do Dedé. O Boca não é melhor e nem foi melhor. Levou a classificação por conta dos erros de arbitragem.

BRUNO SETELAGOAS:  O Juiz cozinhou o jogo. O time celeste lutou, foi no coração, mas faltou bola. Valeu!

MOEMA FOX: Zeeeiiiroooo, na alegria e na tristeza!  ó a transmissão, não posso opinar quanto ao impacto da arbitragem. Era missão difícil, poderíamos ter vencido, não fizemos os gols, uma pena. Cruzeiro sempre, independentemente, do resultado.

JOTA DIAS: O time celeste não jogou bem, mas lutou e teve chance de pelo menos levar para os pênaltis.

SÍNDICO: Se o Dedé marcasse um gol cobrando tiro de meta, o juiz anularia. Dedé, na opinião dele não devia estar em campo, então, qualquer participação dele seria ilegal. Não houve arbitragem, mas sim uma tremenda sacanagem.