Arquivo da Categoria ‘COPA DO BRASIL’

Um novo estilo de jogo

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

ROGÉRIO CENI já começou a implantar um novo estilo de jogo. Com ele, o time celeste vai sair jogando mais rapidamente e com menos ligações diretas. Vai pressionar a saída de bola e tentar chegar mais rapidamente à área adversária. 

Ficam algumas questões: 1. Quanto tempo o time precisará para se adaptar à nova forma de jogar? 2. Haverá necessidade de se trocar peças? 3. Quais? 4. A defesa celeste vai suportar a onda de contra-ataques quando a marcação alta falhar? 

E o mais importante: o torcedor será parceiro ou vai jogar contra, se o time demorar a engrenar?

Rogério Ceni, a próxima vítima

domingo, 11 de agosto de 2019

ROGÉRIO CENI despediu-se do Fortaleza. Nem vai dirigir o Tricolor nesta segunda contra o Alagoano. E amanhã, será anunciado como o novo técnico do Cruzeiro. 

Que tenha boa sorte, mas desde já sabendo que há milhões de torcedores celestes mais entendidos de futebol do que ele. É bom saber também, que sofrerá oposição dos que pediam a contratação de Abel ou Dorival.

Tem mais: será cornetado, vaiado e ofendido se não botar o time pra jogar bonito, praticar o tal futebol-arte, o jeito moleque de jogar, um estilo bem faceirinho, e outras baboseiras da lavra dos mesa-redondistas. 

Finalmente, deve se preparar pra um fim de trabalho melancólico, como já aconteceu, recentemente, com Adílson, Cuca, Marcelo e Mano, vaiados, execrados e humilhados pelos idiotas dos teclados e das arquibancadas.

Os dezoito jogos malditos

sábado, 10 de agosto de 2019

“UMA VITÓRIA EM 18 JOGOS!” bradam os apopléticos termocéfalos. É uma sequência ruim, mesmo. Mas não foi construída somente com péssimas apresentações, nem com o mesmo time.

Teve de tudo: prejuízo causado por más arbitragens, grandes exibições dos adversários, time recheado de estagiários etc. Como teve também jogos de péssima qualidade do time celeste. Enfim, a terra jamais foi plana nesses dezoito jogos.

  • 1×2 Emelec. Cruzeiro foi muito prejudicado pela arbitragem.
  • 1×3 Inter. Cruzeiro jogou um tempo bom, outro péssimo.
  • 1×1 Fluminense. Cruzeiro abriu vantagem, segurou o resultado, mas levou um gol irregular aos 95.
  • 1×4 Fluminense. Cruzeiro jogou mal e voltou a levar gol aos 95.
  • 1×2 Chapecoense. Cruzeiro jogou melhor que o adversário, mas perdeu.
  • 1×1 São Paulo. Cruzeiro jogou bem, mas o goleiro Volpi fehou o gol tricolor.
  • 2×2 Fluminense. Cruzeiro jogou bem, levou outro gol aos 95, mas venceu nos pênaltis.
  • 0x0 Corinthians. Cruzeiro jogou bem, mas o goleiro Walter fez milagres e salvou seu time.
  • 1×2 Fortaleza. Cruzeiro disputou uma péssima partida.
  • 3×0 Mineiro. Show de bola contra as frangas.
  • 0x0 Botafogo. Cruzeiro dominou, mas falhou nas conclusões.
  • 0x2 Mineiro. Cruzeiro fez uma partida conservadora, pra manter a vantagem e foi garfado.
  • 0x0 Bahia. Time de garotos disputou bela partida e criou mais chances do que o tricolor. 
  • 0x0 River. Cruzeiro fez um jogo estratégico e, por pouco não arranca uma vitória.
  • 0x2 Paranaense. Cruzeiro voltou a jogar com os garotos, mas desta vez muito mal.
  • 0/2×0/4 River. Cruzeiro criou mais chances de gol, foi pros pênaltis e perdeu.
  • 0x2 Mineiro. Cruzeiro teve mais posse, mas foi pouco criativo e tomou dois gols, um em cada acréscimo de tempo.
  • 0x1 Internacional. Cruzeiro dominou, mas não soube furar o bloqueio defensivo e acabou tomando um gol.

Os terraplanistas do futebol viram apenas péssimas exibições do time celeste. Alguns por burrice, outros por má fé. Há também o caso dos que nem viram todos os jogos, mas destamparam falatório cheio de lugares comuns e frases feitas.

That’s football.

Mano: “Algo precisa ser mudado”

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

PITACOS acerca do CRUZEIRO 0-1 INTERNACIONAL, no Mineirão, Belo Horizonte, 07ago19qua21h30, ida das semifinais da Copa do Brasil 2019:

MANO MENEZES: Pelo quórum, o pessoal está com o instinto bom. Gostaria juntamente com o Marcone e o Marcelo comunicar oficialmente que a gente interrompe o trabalho à frente do Cruzeiro nesta noite, porque a gente entendeu que era o momento de fazer isso, de que nós não poderíamos estender mais essa fase difícil. Muito mais que uma fase difícil que o Cruzeiro vem apresentando, porque são 18 jogos e uma vitória. A gente sabe que isso no futebol não se sustenta. A decisão parte da consciência de que as coisas podem piorar, e elas não podem piorar. Hoje, o torcedor teve uma reação que pra mim é fundamental pra com o técnico: o torcedor da gente não pode achar que a gente é burro, porque o burro vem aos 47 do segundo tempo hoje, amanhã ele vem aos 30, e isso vai numa continuidade afetar a equipe, e eu tenho muito respeito pelo Cruzeiro. Não vou permitir que isso atrapalhe ainda mais este momento difícil que o clube e a equipe vêm atravessando. A série de jogos, a maneira como a gente está perdendo, as coisas que acontecem como aconteceram hoje diz que algo precisa ser mudado. Então a conversa foi neste nível e nós entendemos que deveríamos vir aqui fazer este comunicado para o torcedor do Cruzeiro. E acho que não temos muito mais a falar a respeito disso.

DEDÉ: Obrigado Professor por todo esse tempo juntos, Foram 3 anos de muito aprendizado, trabalho, tristezas, mas muito mais alegrias, com 4 conquista juntos. Foram 2 bicampeonatos, você será lembrado pra sempre por nós e espero um dia ter novamente essa oportunidade de trabalhar contigo! Que Deus abençoe muito sua trajetória, desculpa pelos meus erros (que foram tentado acertar) e toda sorte do mundo pra você porque você merece! 

MATEUS CHAVES: O Cruzeiro jogou razoavelmente durante 70 minutos. Depois disso, com a crise e o relógio em no encalço, o time perdeu o controle do jogo devido à tentativa desorganizada de fabrir o placar. Passou, então, a sofrer com o ataque do Inter, que foi premiado com o gol num lance de felicidade do Guerrero e desatenção da zaga celeste. Daí em diante, o time não jogou mais futebol. A atual situação só retrata os erros cometidos em todas as instâncias do clube neste ano, do roupeiro ao torcedor, este último um incorrigível sonhador que se iludia com a chance de ser hepta sem jogar bola há pelo menos 4 meses.

DOUGLAS VELLOSO: O Cruzeiro fez um jogo razoável, com certo descontrole nos últimos trinta minutos. O primeiro tempo foi morno, com uma posse de bola inativa fo time celeste, que não incomodou Lomba. Na segunda etapa, o Cruzeiro apareceu melhor nos primeiros vinte minutos. Houve poucas jogadas de concatenação que realmente funcionaram. Faltaram passes de primeira, mais velocidade, soltar a bola com mais inteligência. Com as mudanças, o time se fragilizou e o Inter cresceu com o Wellington Silva sendo mais contundente. Para o Cruzeiro, fazer o gol virou algo não natural. De positivo, destaco Henrique iniciando bem as jogadas e a dupla de zaga firme como sempre. 

KLAUSS MOURÃO: A dificuldade desse time [ra marcar um mísero gol é irritante. Fábio foi o melhor. Os demais nada conseguiram fazer. Ficam todos ciscando pra la e pra cá e nada acontece.

FÁBIO SCHRIER: Fábio foi o melhor. O time jogou razoavelmente bem. Faltou, contudo, confiança dos atacantes. Parece que jogam de freio de mão puxado. Só o Rocha tentpu partir pra cima, mas ficou sem opção. O difícil é ter tomado o mesmo gol que tomou no jogo do Brasileiro, quando a partida se encaminhava pro zero a zero.

PEDRO GEISEL: O pior do Cruzeiro foi o Robinho, seguido pelo Neves. No Cruzeiro, gostei da movimentação e do empenho do Sassá. No Inter, Guerreio, que deu trabalho aos marcadores, mesmo jogando sozinho boa parte da partida, foi o melhor.

SÍNDICO: Cabaços vaiaram um técnico que salvou o clube do rebaixamento duas vezes e conquistou dois bicampeonatos, um estadual, outro nacional.

Fábio, Henrique, Orejuela, os melhores

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

ATUAÇÕES dos protagonistas do CRUZEIRO 0-1 INTERNACIONAL, no Mineirão, Belo Horizonte, 07ago19qua21h30, ida das semifinais da Copa do Brasil 2019?

TORCIDA CELESTE compareceu em quantidade abaixo o razoável, pela importância do jogo, mas apoiou o time. No fim, uma parte dela teve acesso de cabacice e vaiou um treinador que conquistou dois títulos nacionais, dois estaduais e tirou o time da zona de rebaixamento duas vezes. Coisa de beócios.

FÁBIO fez três grandes defesas e não teve culpa no gol.

OREJUELA, bom na defesa, incompetente no ataque.

DEDÉ, bem como quase sempre.

LEO fez outra partida perfeita.

DODÔ, bem na defesa, inútil no apoio.

HENRIQUE jogou o tempo todo, com intensidade máxima. Marcou, apoiou, chutou a gol, jamais desistiu de buscar o resultado.

CABRAL jogou bem marcando e apoiando, Mas cansou e acabou cometendo duas besteiras em sequência: um lançamento no vazio e um carrinho desnecessário, que resultou na falta que deu o gol da vitória ao Inter.

ROBINHO buscou o jogo, mas não conseguiu criar uma jogada decisiva.

NEVES não criou nada digno de nota.

SASSÁ foi o lutador de sempre, mas não recebeu bolas para decidir, nem teve talento para construir suas próprias jogadas, saiu antes do fim, para desagrado da maior parte da torcida.

ROCHA, sumido, sem inspiração, conseguiu apenas uma boa jogada, num chute de fora da área.

FRED entrou na reta final do jogo, foi vaiado antes de tocar na bola, tentou jogar, mas não recebeu bolas, nem encontrou espaços.

MAURÍCIO entrou quase no fim, correu, tentou jogadas individuais, mas não obteve sucesso.

M GABRIEL jogou pouco tempo e não conseguiu mudar os rumos da partida.

MANO escalou corretamente, optando por uma formação ofensiva, com três atacantes de ofício. Trocou quem precisava ser trocado, por baixo rendimento. Mas alguns jogadores não conseguiram cumprir bem seus papéis. Uns por não saberem fazer o que é necessário, alguns por intranquilidade e outros porque, ao menos por ora, não estão conseguindo jogar futebol. No fim, virou para-raios e pagou sozinho pelo fracasso coletivo.

CRUZEIRO foi um time ofensivo, mas ineficiente. Criou poucas jogadas perigosas no ataque, foi mal nos jogos pelas pontas e se limitou a chutes de fora da área, com Henrique, Neves e Rocha. Muito pouco para vencer. Na defesa, sofreu mais um gol em que os colorados se aproveitaram de um rebote, como já havia acontecido na partida pelo brasileiro.

INTERNACIONAL jogou na defesa, avisou da cera, mas conseguiu criar três oportunidades de gol, duas delas neutralizadas por Fábio. O volante Lindoso e os quatro defensores foram seus destaques.

ÁRBITROS erraram pouco. Boa atuação.

MelhorDoJogo => FÁBIO [[[20]]] Gil, Wagner, Ernesto, Ramos, Leandro, Olivieri, Palmeira, Hiram, Gonçalves, Ivana, Clemenceau, Ulhôa, Dinho, Rocha, Morato, Klauss, Schrier, Monica, Marilu, Lulu —– HENRIQUE [[[14]]] Soalheiro, Maury, Talentim, Chaves, Penido, Artur, Zuloobas, Alex, Juliana, Walery, Jotapê, Anchieta, Dudu, Síndico —– OREJUELA [[[8]]] Ianni, Gerson, Bastos, Nanayoski, Rezende, Serelo, Walterson, Bitencourt —– LEO [[[5]]] Velloso, Flávia, Marcos, Marcela. Taí —– DEDÉ [[[4]]] Chiabi, Nem, Vanda, Patrícia —–  SASSÁ [[[2]]] Burian, Setelagoas —– ROBINHO [[[2]]] Velame, Romarol —– CABRAL [[[1]]] Vasconcelos —– MANO [[[2]]] Eliane, Barnabé —– EDENÍLSON [[[2]]] Futiba, Tadeu —— CUESTA [[[1]]] Castelões —– ODAIR [[[1]]] Sanchotene.

Cruzeiro 0x1 Internacional: fase braba!

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

CRUZEIRO contra Internacional, neste 07jul19dom21h30, no Mineirão (62 mil), Belo Horizonte, ida das semifinais da Copa do Brasil 2109.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro passou por Fluminense e A Mineiro. Internacional, por Paysandu e Palmeiras.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 2º, com 15.822 pontos, Internacional, o 9º, com 10.902.

TRANSMISSÃO: Globo para todo o Brasil, com narração de Luís Roberto e comentários de Júnior e Casagrande. SporTV para todo o Brasil, com narração de Rogério Correa e comentários de Lédio Carmona e Grafite.

TEMPO nublado, temperatura 19º, vento 05 Km/h, umidade 80%.

ARBITRAGEM: Luiz Flávio de Oliveira, Marcelo Carvalho Van Gasse, Danilo Ricardo Simon Manis (SP). VAR: Braulio da Silva Machado, (SC).

CRUZEIRO: Fábio — Orejuela, Dedé, Leo, Dodô — Henrique, Cabral — Robinho, Neves, Rocha — Sassá. T: Mano Menezes.

BANCO: Rafael, Edílson, Weverton, Fabruno, Cacá, Egídio, Rafael Santos, Jadson, Maurício, Sassá, Fred, M Gabriel.

AUSENTES: Rodriguinho, (lesionado), David (suspenso).

PENDURADOS: Egídio e Robinho.

INTERNACIONAL: Lomba — Zeca, Moledo, Cuesta, Uendel — Lindoso, Edenilson, Patrick – Nico López, Guerrero, Sobis. T: Odair Hellmann.

BANCO: Danilo Fernandes G, Bruno L, Dudu L, Klaus B, Iago L, Rithely V, Sarrafiore M, Nonato M, Neilton M, Pottker A, Guilherme Parede A.

AUSENTES: Rodrigo Dourado, Matheus Galdezani, Emerson Santos, Roberto (lesionados), D’Alessandro (suspenso).

PENDURADOS: Nonato e Nico López.

CRUZEIRO 0x1 INTERNACIONAL, 07ago19qua21h30. TEMPO nublado, temperatura 19º, vento 05 Km/h, umidade 80%. LOCAL: Mineirão (62 mil), Belo Horizonte. MOTIVO: ida das quartas de final da Copa do Brasil 2019. TRANSMISSÃO: SporTv e Globo. PÚBLICO: 32.886 pagantes, R$905.798, média R$28. ARBITRAGEM: Luiz Flavio Oliveira, Marcelo Van Gasse, Danilo Manis (SP). VAR: Braulio Machado (SC). AMARELOS: Dedé, Sobis. GOL: Edenílson, 76. CRUZEIRO: Fábio; Orejuela, Dedé, Leo, Dodô; Henrique, Cabral (Maurício, 81); Robinho (M Gabriel, 72), Neves; Sassá (Fred, 67), Rocha. T: Mano Menezes. INTERNACIONAL: Lomba; Bruno, Moledo, Cuesta, Uendel; Lindoso, Edenilson (Nonato, 81), Patrick; Nico (Wellington, 59), Sobis (Sarrafiore, 86), Guerrero. T: Odair Hellmann.

HISTÓRICO: 83 jogos, com 29 vitórias do Cruzeiro, 31 do Inter e 23 empates. O Cruzeiro marcou 105 gols e sofreu 106. Pelo Brasileiro, desde 1962, foram 71 partidas. O Cruzeiro venceu 25, empatou 20, perdeu 25, marcou 88 gols e sofreu 86. Os dois clubes decidiram o Brasileiro de 1975, com vitória do Inter na final por 1×0, no BeiraRio.

Mano: “Fizemos valer a experiência”

sexta-feira, 19 de julho de 2019

PITACOS acerca do ATLÉTICO-MG 2-0 CRUZEIRO, no Independência, Belo Horizonte, 17jul19qua19h15, volta das quartas de final da Copa do Brasil 2019:

MANO MENEZES: Mais uma vez, fizemos valer a experiência por vivenciar situações assim com mais frequência. Ganhamos a nossa classificação no jogo anterior, quando não se esperava que não tivéssemos uma resposta daquelas pra dar. No futebol não se pode subestimar o adversário. Estamos levando a classificação porque jamais 0 subestimamos, mesmo tendo uma vantagem de 3×0. Ouvi hoje à tarde que tínhamos um favoritismo, de 90 a 10, Mas na prática não é bem assim. Aconteceram lances que poderiam nos fazer perder por 3×0 e ter que ir para as penalidades máximas. Nossa experiência nos faz entender que se passa sufoco mesmo e foi ela que nos fez levar essa classificação.

ROBINHO: Esse é o nosso estilo de jogo. Se você for ver no mata-mata, nosso estilo de jogo é mais defensivo. Até hoje a gente não tinha perdido no mata-mata, jogando assim, defendendo mais. Hoje pecamos nas finalizações, eu tive duas oportunidades, mas as duas caíram na perna esquerda, infelizmente. Fizemos o jogo que a gente faz, seguro. A gente sabia da vantagem que tínhamos. Não somos bobos de se atirar de qualquer jeito. A gente soube aproveitar a vantagem que conquistada no jogo de ida.

THIAGO FIVESTARS: Dedé foi o melhor do jogo. Fábio faz o impossível parecer fácil. Orejuela me surpreendeu. Quando vi sua escalação, achei que seria o mapa da mina, pelo tempo sem jogar, mas o garoto mostrou muita personalidade.

SÍNDICO: Os árbitros trabalharam mal. O Juiz paulista marcou falta inexistente a favor do A Mineiro, anulando gol do Cruzeiro de forma injusta. Ele estava a um metro do lance, que considerou normal. Depois de concluída a jogada do adversário e concretizada uma nova jogada pelo time celeste, que resultou em gol, o arrombado foi conferir o lance no monitor e, convenientemente, ajudou o time da casa, usando a traquitana eletrônica como biombo pra sua incompetência e covardia. Errou também nas expulsões de david e Alerrandro por uma troca de empurrões sem maiores consequências. Era algo a ser administrado, sem uma punição desproporcional.

MARC BSB: Bom demais eliminar a Franga! Mas não precisava de tanto sufoco. Dava pra tentar jogar mais futebol. Como esperado, jogadores acima da média e em grande forma física são os que acabam fazendo diferença: Rocha e Dedé. Fred tá osso de aguentar…

BRUNO SETELAGOAS: Caraca, que alivio! Nossa Senhora! Fábio, Henrique, Leo, Orejuela e sobretudo Dedé foram monstros. M Gabriel, muito dedicado. Egídio e Fred estiveram muito abaixo.

MAURO FRANÇA: Quarta classificação seguida para semifinais da Copa do Brasil. Não é pouca coisa.

CELESTE CAMPOS: Eu prefiro comemorar a classificação. Quem tem que resmungar e a torcida zebrada.

Dedé, Orejuela e Fábio estiveram perfeitos

quinta-feira, 18 de julho de 2019

ATUAÇÕES dos protagonistas do ATLÉTICO-MG 2-0 CRUZEIRO, no Independência, Belo Horizonte, 17jul19qua19h15, volta das quartas de final da Copa do Brasil 2019?

TORCIDA CELESTE comparecei ao La Pomponera e apoiou seu time. Nos minutos finais, tomou conta do ambiente, quando as frangas se calaram, percebendo da desclassificação iminente.

FÁBIO defendeu bolas dificílimas, difíceis, moderadas e despretensiosas. Só não catou, mesmo, as impossíveis.

OREJUELA voltou após quase dois meses tratando de uma lesão e jogou como se estivesse no auge da forma. Raça, firmeza e categoria marcaram seu desempenho.

DEDÉ, mais uma atuação gigantesca, cortando até pensamento. Uma muralha, um monstro, um lutador incansável.

LEO errou duas jogadas e acertou outras vinte. Junto com Dedé e Fábio trancou o arco celeste impedindo ao adversário, que teve volume de jogo avassalador, fazer os gols de que necessitava.

EGÍDIO sofreu uma barbaridade, com uma avalanche emplumada em seu setor. Patric, Chará, Elias e Geuvânio tentaram armar jogadas contra ele e Leo, que estava sempre disponível para a cobertura. Levou amarelo e, no fim, recebeu ajuda de Dodô para conter o fresquinho Geuvânio, que estava com gás para gastar à vontade.

DODÔ entro no fim para dobrar a marcação sobre Geuvânio, que estava fresquinho e serelepe, contra um Egídio já amarelado. Não parou, mas criou dificuldades para o emplumado.

HENRIQUE joga sempre, ou quase sempre, muito bem, Mas nos jogos decisivos consegue jogar ainda mais. Ótimo na marcação e nas coberturas, não fez besteira quando teve a bola nos pés, coisa rara num jogo em que seu time sofre pressão durante cem minutos. 

ROMERO não brilhou, mas também não comprometeu. Dedicou-se, como sempre, marcou bastante, só não conseguiu tomar conta da intermediária celeste, como seu colega mais experiente de volância.

JADSON entrou para ajudar a segurar a vantagem no agregado e não inventou: imitou-se a marcar, cercar, complicar a armação de jogadas das frangas.

ROBINHO teve uma chance de marcar gol e não conseguiu, na etapa inicial. No todo, contribuiu pouco coma marcação e quase não criou jogadas ofensivas. Saiu mais cedo, por conta do baixo desempenho.

M GABRIEL esteve bem na etapa inicial, inclusive com uma jogada que quase resulta em gol de Robinho. Na etapa final, foi pouco efetivo no ataque. Foi punido por uma falta em Santos, que não cometeu e que custou o gol de empate celeste.

ROCHA participou pouco do jogo, mas apareceu duas vezes na cara do gal. Na primeira, guardou a bola na rede, mas o gol foi injustamente anulado. Na segunda, estava impedido. No gol anulado, provocou a torcida adversária e causou o tumulto que terminou com duas expulsões e dois amarelos. No restante do tempo, ficou acomodado, sem criar problemas para o adversário, que no ataque, quer na recomposição defensiva.

DAVID entrou na etapa final, jogou pouco tempo, trocou empurrões com Alerrandro e foi expulso, devido ao excesso de zelo disciplinar do juiz.

FRED foi a surpresa da vez preparada por Mano Menezes ao entrar jogando no lugar de Thiago Neves. Não recebeu bolas para arrematar e saiu após uma hora de luta infrutífera contra os beques emplumados.

MANO montou um time surpreendente, com Fred no lugar de Neves e Orejuela no lugar de Cabral. Acertou com o colombiano, um dos destaques do jogo, mas não conseguiu nada com o centroavante, que não recebeu bolas. Suas substituições para reforçar a marcação (Jadson e Dodô) funcionaram. A que fez para facilitar o contra-ataque (David), não. No fim do jogo, contabilizou seu terceiro pleiofe seguido eliminando as frangas e o clube faturou Rˆ6,7 milhões. É muita chateação pra seus implacáveis perseguidores.

CRUZEIRO defendeu-se bem, mas atacou mal, seja pela falta de inspiração de seus meiatcantes, seja pela dificuldade de escapar da pressão ofensiva adversária. Ainda assim, conseguiu marcar um gol, em contrataque espetacular. Gol surrupiado pela arbitragem.

MINEIRO fez uma grande partida, apostando tudo numa pressão constante sobre a defesa celeste, em tempo integral. Jair, Cazares, Patric, Otero e Santos foram os estaques.

ÁRBITROS trabalharam mal. O Juiz paulista marcou falta inexistente a favor do A Mineiro, anulando gol do Cruzeiro de forma injusta. Ele estava a um metro do lance, que considerou normal. Depois de concluída a jogada do adversário e concretizada uma nova jogada pelo time celeste, que resultou em gol, o arrombado foi conferir o lance no monitor e, convenientemente, ajudou o time da casa, usando a traquitana eletrônica como biombo para sua incompetência e covardia. Errou também nas expulsões de David e Alerrandro por uma troca de empurrões sem maiores consequências. Era algo a ser administrado, sem uma punição desproporcional.

MelhorDoJogo => DEDÉ [[[38]]] Seisaum, Nanayoski, Ronaldo, Diogo, Soares, Fivestars, Barros, João, Bitencourt, Ramos, Evandro, Velloso, Setelagoas Palmeiras, Maduro, Wallace, Lopes, Castelões, Espigão, André, Milani, Maury, Ianni, Ivana, Chiabi, Romeu, Andrade, Morato, Velame, Pinheiro, Klauss, Bastos, Anchieta, Jotapê, Romarol, Vasconcelos, Vítor, Márcio —– FÁBIO [[[16]]] Ge, Galvão, Zuloobas, Matarelli, Davi, Hiram, Nem, Terenzi, Walery, Vanda, Rocha, Ulhôa, Cabral, Amaral, Tadeu, Lulu — OREJUELA [[[8]]] Sá, Walfrido, Monica, Matarelli, Guilherme, Taísa, Talentim, França, Síndico  —– HENRIQUE [[[3]]] Barnabé, Patrícia, Dudu —– MANO [[[2]] Rosan, Lauanda —– PATRIC [[[1]]] Schrier —– CAZARES [[[1]]] Loçanny —– JAIR [[[1]]]] Uol.

Atlético-MG 2×0 Cruzeiro: sofreu, mas avançou

quarta-feira, 17 de julho de 2019

CRUZEIRO contra Atlético-MG neste 17jul19qua19h15, no Independência, Belo Horizonte, volta das quartas de final da Copa do Brasil 2019.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 2º, com 15.822 pontos; A Mineiro, o 7º, com 13.352.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro eliminou o Fluminense nas oitavas, A Mineiro eliminou o Santos.

TEMPO limpo, temperatura 17º, vento 21 Km/h, umidade 55%.

TRANSMISSÃO: SporTV menos MG, Premiere e Premiere Internacional, com narração de Rogério Corrêa, comentários de Paulo Nunes e Bob Faria, reportagens de Rodrigo Franco e Roger Casé.

ARBITRAGEM: Flavio Rodrigues de Souza, Danilo Ricardo Simon Manis e Alex Ang Ribeiro, Vinicius Furlan (SP). VAR: Thiago Duarte Peixoto. (SP).

CRUZEIRO: Fábio — Romero, Dedé, Leo, Egídio — Henrique, Cabral — Robinho, M Gabriel, Rocha — Fred. T: Mano Menezes.

BANCO: Rafael G, Orejuela L, Weverton L, Fabruno B, Cacá B, Dodô L, Adriano V, Jadson V, Maurício A, Sassá A, Neves A, David, A.

AUSENTES: Edílson, Rodriguinho (lesionados).

PENDURADOS: ninguém

MINEIRO: Victor — Patric, Réver, Rabello, Santos — Jair, Elias — Chará, Cazares, Otero — Alerrandro. T: Rodrigo Santana.

BANCO: Cleiton G, Guga L, Leonardo Silva B, Maidana B, Hernandez L, Welison V, Vinícius M, Martínez M, Geuvânio A, Maicon Bolt A, Luan A, Ricardo Oliveira A.

AUSENTES: Gustavo Blanco, Uílson (lesionado).

PENDURADOS: José Welison.

ATLÉTICO-MG 2×0 CRUZEIRO, 17jul19qua19h15. TEMPO limpo, temperatura 17º, vento 21 Km/h, umidade 55%. LOCAL: Independência (23 mil), Belo Horizonte. MOTIVO: volta das quartas de final da Copa do Brasil 2019. TRANSMISSÃO: Sportv e Premiere. PÚBLICO: 22.145 presentes, R$1.352.396. média R$61. ARBITRAGEM: Flávio Rodrigues Souza, Danilo Manis, Alex Ang. VAR: Thiago Peixoto. (SP).. AMARELOS: Fábio, Egídio, Robinho, Rocha, David, Jair, Cazares. Luan, Ricardo. VERMELHOS: Alerrandro, David, 65. GOLS: Cazares, 34, Patric, 92. ATLÉTICO-MG: Victor; Patric, Réver, Rabello , Santos; Jair (Ricardo, 69), Elias (Luan, 56); Otero (Geuvânio, 63), Cazares, Chará ; Alerrandro. T: Rodrigo Santana. CRUZEIRO: Fábio; Orejuela, Dedé, Leo, Egídio; Henrique, Romero; Robinho (Jadson, 62), M Gabriel, Rocha (Dodô, 82), Fred (David, 58). T: Mano Menezes.

HISTÓRICO: 472\1 jogos. Cruzeiro venceu 161, empatou 128, perdeu 183, com 606 gols a favor e 659 contra. Pelo Brasileiro, foram 66 jogos. O Cruzeiro venceu 22, empatou 21, perdeu 23, marcou 89 gols, sofreu 84. Os dois clubes já se enfrentaram em 23 decisões do Mineiro. O Cruzeiro venceu 13 (40, 67, 72, 77, 87, 90, 98, 04, 08, 09, 11, 14, 18, 19), perdeu 9 (31, 54, 62, 76, 85, 00, 07, 13, 17) e empatou uma (56). Na Copa dos Campeões Mineiros 1999, a vitória foi do Cruzeiro. Em fases preliminares, o Cruzeiro foi eliminado pelo rival nas quartas do Brasileiro de 1999 e o eliminou nas semifinais da SulMinas de 2001 e 2002, do Mineiro de 2005 e 2006, da Copa Montevidéu 2009, da Copa do Brasil 2019 e foi eliminado nas semifinais do Mineiro 2015. Na Copa do Brasil, o Cruzeiro perdeu a final de 2014. Foram 242 clássicos no Mineirão. O Cruzeiro venceu 88, empatou 78, perdeu 75, marcou 284 gols, sofreu 257. Pelo Mineiro, foram 273 jogos, com 93 vitórias do Cruzeiro, 71 empates, 109 derrotas, 297 gols a favor, 344 contra. Pela Primeira Liga, 1 jogo, 1 vitória do Cruzeiro que fez 1 gol e não sofreu nenhum. Pela Copa do Brasil, 4 jogos, com 1 vitória do Cruzeiroe r3 do Atlético. Cruzeiro marcou 3 gols e sofreu 5.

Dedé: “Focamos 100% nos treinos e na teoria do professor”

sábado, 13 de julho de 2019

PITACOS acerca do CRUZEIRO 3-0 ATLÉTICO-MG, Mineirão, Belo Horizonte, 11jul19qui20h, ida das quartas de final da Copa do Brasil 2019:

MANO MENEZES: É uma noite especial depois de muito tempo. Voltamos a vencer, e vencer um jogo grande, um clássico, num momento importantíssimo pro time. Tínhamos que fazer algo diferente. Gosto de fazer isso quando o campo mostra, não gosto de inventar. O treinador não tem que ser o centro, isso é dos jogadores. E eles executaram muito bem o que a gente imaginou. A equipe voltou a ser segura, foi o primeiro passo. Tivemos um pouco mais de variação e movimentação. Colocamos o Rocha. A orientação era pra abrir espaços, fugindo da parte central. Ele fez um golaço, de perna esquerda, o primeiro. Depois roubou uma bola no meio-campo, quando o Atlético adiantou a sua equipe. Hoje, depois de bastante tempo, saímos na frente no placar. Tivemos espaços que não vínhamos tendo. Marcar o gol cedo dá uma condição diferente num jogo como este, contra um adversário que tem a mesma responsabilidade que a sua. Não nos precipitamos tanto. Na ânsia de resolver isso em outros jogos, demos os contra-ataques para os adversários. Hoje, tivemos tranquilidade, depois do primeiro gol , pra construir o resultado.

NEVES: Pela preparação, pela motivação de jogar o clássico em casa, foi bom. Pra conseguir a vantagem a gente teria que ser agressivo. Conseguimos uma bela vantagem, mas a classificação a gente só vai conseguir na quarta que vem.

ROBINHO: Quando o Marquinhos roubou a bola, eu chapei, ela bateu no Réver e voltou. Quando voltou, vi que o Victor estava no chão. Aí foi só chutar e comemorar. Feliz por acertar um chute, que não é fácil. Mais feliz ainda pela atuação da equipe. A gente perdeu a confiança num momento do ano. Os últimos dois meses foram difíceis, mas a gente tem um treinador espetacular, que soube nos devolver a confiança. A parada pra Copa América foi boa, porque concentramos, tivemos reuniões importantes pra colocar as coisas no lugar. Treinamos muito, e hoje deu resultado. A gente nem esperava um placar assim, pela dificuldade do clássico, pela grande equipe que tem o Atlético.

DEDÉ: Estava incomodando muito ficar muitos jogos sem vencer. Pra uma equipe qualificada de um clube muito respeitado no cenário mundial, isso incomodou bastante. Nosso time focou na parada pra Copa América, trabalhou e fez todas as tarefas pedidas pelo professor. E o mais importante foi os jogadores bateram no peito e assumirem a responsabilidade. Focamos 100% nos treinamentos, 100% na teoria do treinador, jogar bem. Queria citar também o árbitro Raphael Claus, que soube conduzir bem a partida, não ficou parando pro pedir ajuda ao var e quando foi consultar, viu rapidinho cada lance. Também não deu nenhum cartão amarelo, sabendo disciplinar as duas equipes. Fez o futebol ficar melhor.

FLÁVIO CARNEIRO: O melhor foi o apoio da torcida ao time, separando o jogo do que ocorre fora do campo, Foi bom também o desempenho da defesa do time, ponto forte do time, que estava falhado ultimamente. Registre-se também que o Mano voltou às suas origens e o time voltou a ser competitivo. E o Fred não tem espaço num time que se propõe a jogar em contra-ataque.

DOUGLAS VELLOSO: Belíssimo jogo, com o Cruzeiro colocando o adversário nas cordas. A linha ofensiva estava muito concentrada, sem um atacante fixo, mostrando variações de jogo, o que dificultou a saída de bola do adversário. Cazares e Luan, que costumam voltar na segunda linha pra iniciar jogadas, não tiveram esse privilégio. Os laterais celestes seguraram bem (e foram bem assessorados), principalmente quando o Cruzeiro deixava o rival ter a posse da bola. Rocha foi surpresa. Depois do primeiro gol, espaços foram criados e o segundo resumiu as propostas de cada equipe. Depois, com o adversário previsível, foi manter o padrão e ter como recompensa mais um belo gol.

M RIZZI: Deu tudo deu certo, bolas sobrando pros nossos atacantes, todos chutes acertando o alvo e o Mano, como sempre, chamando o adversário no segundo tempo.

FERNANDO HENRIQUE: Melhores do jogo: Patric, santos e Victor. Melhores do pós-jogo: Marra, Bob e Sormani.

CLAUDINEI VILELA: E nem adianta falar que o jogo foi comprado, porque nem dinheiro o Cruzeiro tem!