Arquivo da Categoria ‘COPA DO BRASIL’

Neves: “Eu sou iluminado!”

sexta-feira, 7 de junho de 2019

PITACOS acerca do CRUZEIRO 2(3×1)2 FLUMINENSE, Mineirão, Belo Horizonte, 05jun19qua19h15, oitavas da Copa do Brasil 2019:

MANO MENEZES: Estudamos o jogo no primeiro tempo, qual era a proposta, o que estavam tentando executar. Hoje tinham dois ou três jogadores diferentes dos que estiveram no duelo de ida. O segundo tempo foi melhor, um pênalti, uma virada, um pênalti perdido. Precisávamos, de novo, voltar a jogar bem. E aí ser merecedor de passar. Futebol é tão duro que poderíamos ter sido eliminados com dois gols nos últimos dois minutos. No Maracanã e aqu. O torcedor foi brilhante no momento de dificuldade e isso é o que sustenta uma equipe. Levamos essa classificação nos pênaltis, foi até muito parecido do jogo contra o Grêmio, o que tornou tudo ainda mais tenso. Mas fico contente. O Cruzeiro está de volta. Eu já disse no domingo. Agora, confirmamos num jogo de mata-mata, a gente volta a render bem num momento crucial. Esse era o jogo mais importante do semestre. Das metas todas que traçamos, só estamos devendo no Brasileiro.

THIAGO NEVES: Eu sou iluminado. Só tenho a agradecer a Deus por tudo que ele me proporciona dentro de campo. Trabalhei bem, mas tive um começo de ano difícil. Agora voltei em um momento difícil do clube e do time. E é neste momento que os torcedores precisam do camisa 10, precisam dos grandes jogadores. Fui feliz mais uma vez, brilhei, ajudei meu time que é com o que eu mais me preocupo.  Pênalti não é meu forte, mas o Mano pediu para eu assumir a responsabilidade e fui feliz.

SOUZA: O Cruzeiro jogou no limite. Os jogadores correram o máximo que aguentam. E mesmo assim o Fluminense sobrou no final. Não dá mais para fechar os olhos e não começar a mesclar o time com jovens e experientes. 

WAGNER LUCAS: Qual é a grandeza do Fábio no Cruzeiro? Existe alguém que ainda conteste o que ele representou e representa para o clube? Outros jogadores terão a história e as conquistas que o Fábio tem e ainda vai ter pelo Cruzeiro? Seus detratores devem ser perdoados?

MATHEUS PENIDO: Esse time do Flu tem seus limites, mas é extremamente focado, para usar uma palavra da moda. O sistema do Diniz requer muita concentração e fôlego, e os garotos estão dando conta do recado, além de não desistirem nunca. Até o complicado Ganso está jogando com obstinação.

FERNANDÃO ÁVILA: Neves foi o melhor. Não tem jeito. Destaco também o esforço do Henrique, que marcou por dois e tentou tirar o time da roda. Ganhou duas bolas no campo de ataque, que é a melhor chance contra times como o Flu. E menção honrosa para mim, que acometido de dengue, larguei o leito e fui para o Mineirão.

Neves e Fábio foram decisivos

quinta-feira, 6 de junho de 2019

ATUAÇÕES dos protagonistas do CRUZEIRO 2-3×1-2 FLUMINENSE, Mineirão, Belo Horizonte, 05jun19qua19h15, oitavas da Copa do Brasil 2019”

TORCIDA CELESTE decidiu o jogo, no grito. Foi ela quem decifrou a charada do Diniz. Se não dá na bola, no grito se resolve. Um espetáculo. Parecia jogo do Celtic.

FÁBIO fez duas defesas e catou pênalti cobrado por João Pedro. Desempenho fundamental para a classificação.

ROMERO começou mal, batido com frequência por Caio Henrique e Brenner. Melhorou com o passar do tempo e sofreu o pênalti do segundo gol. No fim, se perdeu novamente, com Mascarenhas, João Pedro e Miguel criando jogadas por seu lado, inclusive a do gol de empate. A dedicação, como sempre, foi o posto alto de sua atuação.

DEDÉ cometeu um pênalti que, em tempos de Var, costuma não passar em branco. Mas também rebateu bolas e fez a cobertura da lateral direita, com afinco.

LEO não deixou João Pedro se criar em seu setor, ajudou Dodô na marcação do lado esquerdo e rebateu bolas importantes.

DODÔ dedicou-se a marcar e saiu-se razoavelmente.

HENRIQUE não se desesperou coma troca de passes dos tricolores comandada por Ganso. Marcou, apoiou e segurou a defesa quando o time se mandou em busca do empate na etapa final, abrindo mão do bloqueio defensivo costumeira.

CABRAL marcou, armou e serviu para gol. Fez ótima partida para quem gosta de futebol moderno. Os adoradores de cabeças de área, adeptos do futebol de fazendo, obviamente, não gostaram. Normal, devido à diversidade de visões do jogo que existe na torcida. Os mais conservadores, aquela turma que aplaude carrinho e botinadas não aceitam que a bola corra mais que o jogador e reclamam que ele insta em privilegiar o passe à trombada.

ROBINHO não brilho, como jogos recentes. Dedicou-se muito a cercar a garotada tricolor e criou pouco. Mas, no todo, não comprometeu.

MARQUINHOS jogou apenas o primeiro tempo e não se destacou na sua especialidade, a jogada individual seguida de cruzamento certeiro buscando o centroavante.

NEVES fez dois gols no tempo regular e acertou a cobrança da classificação nas cobranças de pênalti. Dentre suas várias jogadas, destaca-se a caneta em Ganso, seguida por lançamento previsto pra Rocha no lance do pênalti desperdiçado por Sassá.

FRED jogou pouco tempo, sofreu lesão muscular e saiu, sem deixar marca relevante.

ROCHA jogou apenas a etapa final. Fez jogadas individuais, sendo a mais importante a do pênalti cometido por Gilberto.

LUCAS entrou no fim do jogo e se manteve na defesa tentando impedir a criação de jogadas dos meias tricolores, no que foi parcialmente bem-sucedido.

MANO escalou o melhor time possível, fez as retificações necessárias com boas substituições e conseguiu fazer o time jogar na etapa final o futebol que faltou na inicial.

SASSÁ substituiu Fred no começo da partida e incomodou a defesa tricolor, com muita correria. Perdeu um pênalti com um chute fraco no tempo normal, mas converteu outro nas cobranças decisivas. Sua melhor jogada foi um serviço que quase resultou em gol de Neves.

CRUZEIRO tentou pressionar a saída de bola do Fulmines no começo do jogo e não se deu bem. Na etapa final, em desvantagem, se soltou e pressionou até virar o placar. No fim, aceitou a pressão, apostando na vantagem, e sofre empate na prorrogação da prorrogação. Classificou-se, nos pênaltis porque o Flu foi mais incompetente nas cobranças e por que Fábio fez a sua defesa de praxe.

FLUMINENSE fez um primeiro tempo envolvente, escapando da marcação alta do time celeste, com facilidade e criando boas jogadas de ataque. Na etapa final, sucumbiu ao grito da torcida e à pressão do adversário. No fim, após trocar beques por atacantes, pressionou até conseguir um empate no minuto extra conhecido pelo juiz aos seis de acréscimo originais. Agenor defendeu pênalti, os laterais fizeram bom jogo ofensivo, João Pedro fez gol de bicicleta e os caras da armação tiveram bom desempenho liderados por Ganso.

ÁRBITROS acertaram nos pênaltis sobre Brenner e Romero, mas se esqueceram de marcar um em Marquinhos Gabriel. Sem motivo algum, pois a regra do futebol não pode mudar durante um jogo. Quando muda, a Fifa dá um prazo de carência.

MelhorDoJogo => NEVES [[[41]]] Uol, Sá, Gil, Setelagoas, Cláudio, Bitencourt, Motta, Burian, Anchieta, Jotapê, Zuloobas, Domênico, Pontes, Velloso, Rosan, Marcoalex, França, Nanayoski, Morato, Milani, Walfrido, Fonseca, Alba, Palmeira, Rezende, Klauss, Schrier, Diogo, Bastos, Clemenceau, Rizzi, Vítor, Ianni, Alex, Romeu, Gonçalves, Tadeu, Penido, Romarol, Fernandão —– FÁBIO [[[17]]] Seisaum, Dourado, Pirata, Fivestars, Ramos, Wagner, Walterson, Walery, Zezinho, Rocha, Pinheiro, Furletti, Monica, Dulce, Celeste, Nem, Lulu —– ROMERO [[[2]]] Velame, Maury —– HENRIQUE [[[2]]] Uruguayo, Pinduca —– CABRAL [[[2]]] Viana, Barnabé —– SASSÁ [[[1]]] Lauanda —– MANO [[[2]]] Ernesto, Anderson —– TORCIDA [[[2]]] Baiano, Síndico.

Cruzeiro 2(3×1)2 Fluminense: no grito da torcida

quarta-feira, 5 de junho de 2019

CRUZEIRO contra Fluminense, neste 05jun19qua19h15, no Mineirão, Belo Horizonte, jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil 2019.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 2º, com 15.822 pontos; Fluminense é o 13º, com 10.034.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro estreia na competição; Fluminense passou por River Teresina (0x5), Ypiranga Erechim (3×0), Luverdense (0x0 e 2×0) e Santa Cruz (2×0 e 0x2).

TEMPO limpo, temperatura 16º, vento 12 Km/h, umidade 70%.

TRANSMISSÃO: SporTV, menos MG, com narração de Rogério Corrêa, comentários de Henrique Fernandes e Grafite.

ARBITRAGEM: Rafael Traci (SC), Fabricio Vilarinho da Silva (Fifa-GO), Carlos Berkenbrock (SC). VAR:  Rodrigo D’alonso Ferreira (SC).

CRUZEIRO: Fábio — Romero, Dedé, Leo, Dodô — Henrique, Cabral — Robinho, Neves, M Gabriel, Fred. T: Mano Menezes.

BANCO: Rafael, Weverton, Cacá, Fabruno, Ederson, Jadson, Lucas, Rodriguinho, Raniel, Sassá, David, Rocha.

AUSENTES: Edílson e Orejuela (lesionados), Egídio (doente), Murilo (seleção olímpica).

PENDURADOS: ninguém.

FLUMINENSE: Agenor — Gilberto, Nino, Frazan, Caio Henrique — Allan, Daniel, Ganso — Brenner, João Pedro, Luciano. T: Fernando Diniz.

BANCO: Rodolfo G, Igor Julião L, Luan B, Mascarenhas L, Caio Vinícius V, Miguel Silveira M, Leo Arthur, Kelvin A, Ewandro A, Pablo Dyego A.

AUSENTES: Yoni González. Dodi, Leo Santos, Matheus Ferraz, Airton, Bruno Silva, Digão (lesionados), Guilherme (jogou pelo Bahia), Yuri (jogou pelo Santos), Marcos Paulo (seleção olímpica portuguesa), Pedro (seleção olímpica brasileira).

PENDURADOS: ninguém.

CRUZEIRO 2×2 FLUMINENSE (Cruzeiro 3×1, nos pênaltis), 05jun19qua19h15. TEMPO limpo, temperatura 18º, vento 10 Km/h, umidade 70%. LOCAL: Mineirão (62 mil), Belo Horizonte. MOTIVO: volta das oitavas de final da Copa do Brasil 2019. TRANSMISSÃO: Sportv e Premiere. PÚBLICO: 47.460 presentes, 40.056 pagantes, R$546.961, média R$14. ARBITRAGEM: Rafael Traci (SC), Fabricio Vilarinho, (GO), Carlos Berkenbrock (SC). VAR: Rodrigo D’alonso Ferreira (SC). AMARELOS: Henrique, Sassá, Robinho, Luciano, Daniel.  GOLS: Ganso, 13 (p); Neves, 58 e 79 (p), JoãoPedro, 91. PÊNALTIS: Rocha, Sassá, Neves, Allan, converteram. Romero, Lucas, João, Ganso, Gilberto perderam. CRUZEIRO: Fábio; Romero, Dedé, Leo, Dodô; Henrique, Cabral (Lucas, 84), Robinho, Neves, M Gabriel (Rocha, 46); Fred (Sassá, 72). T: Mano Menezes. FLUMINENSE: Agenor; Gilberto, Nino (Miguel, 89), Frazan (Mascarenhas, 83), Caio Henrique; Allan, Daniel, Ganso; Luciano, Brenner (Ewandro, 82), João Pedro. T: Fernando Diniz.

HISTÓRICO: 82 jogos. Cruzeiro venceu 26, empatou 21, perdeu 35, marcou 114 gols, levou 128. Pelos campeonatos brasileiros, desde 1959, foram 65 partidas. Cruzeiro venceu 24, empatou 17 e perdeu 24, marcou 90, sofreu 90. Os dois clubes jamais decidiram uma competição entre si, mas chegaram próximos no Brasileiro 2010, quando o Flu campeonou com 2 pontos a mais.

Os melhores elencos deztepaiz

sexta-feira, 24 de maio de 2019

Concluídos os estaduais, decorridas 5 rodadas do Brasileiro, encerrada a fase de grupos da Libertadores e realizados os jogos de ida das oitavas da Copa do Brasil, já é possível [assar da teoria prática na avaliação dos elencos dos grandes clubes de futebol brasileiros. Eis o meu ranking:

  1. PALMEIRAS. Tem dois times de ótima qualidade e bons reservas pra eles. Mesmo coma perda de Goulart.
  2. INTER. Não tem jogador fraco, é homogêneo, todo mundo com ótimo condicionamento f;isco e se presta a mudanças táticas a critério do técnico.
  3. FLAMENGO. Tem muitos talentos e etiquetas. O problemas é que nem sempre são competitivos. Mas se o técnico precisar recorrer aos reservas eles não metem medo do torcedor.
  4. SÃO PAULO tem uma penca de jogadores experientes e de ótimo técnica e mais um bando e garotos promissores e interessados em jogar na Europa. Permite variações táticas e não perde ritmo durante os jogos.
  5. SANTOS tem ótimos jogadores em todos os setores, reservas de bom nível, fôlego de sobra. E surpresas que saem do banco e têm capacidade de colocar em cheque s adversários.
  6. CORINTHIANS tem jogadores de seleção, opções de excelente qualidade pra cada titular, jogadores taticamente4 disciplinados e com fôlego.
  7. PARANAENSE é o mais homogêneo e o que tem menos etiquetas. A capacidade de jogar com intensidade é o tempo todo é um diferencial importante.
  8. GRÊMIO tem jogadores de seleções, garoto promissores e reservas testados e aprovados. O maior problema será perda do astro Cebolinha na próxima janela e a demora de algumas etiquetas pr entrar em forma.
  9. FLUMINENSE tem deficiência em algumas posições, nenhuma etiqueta, mas muitos atletas com  bastante fôlego, garotos letais no banco e a mina inesgotável em Xerém, capaz de fornecer reposição a qualquer momento.
  10. CRUZEIRO tem jogadores experientes, etiquetas em todos os setores, mas pouca condição de e impor pela intensidade e alta chance de ser engolido por times de correria. Há opções pra remoçar o elenco, mas a torcida vaia garotos e o técnico não tem paciência com eles.
  11. MINEIRO tem jogadores experientes e jovens promissores sendo lançados. Faltam jogadores capazes de desequilibrar uma partida.
  12. BOTAFOGO é um conjunto modesto, sem craques, mas com jogadores raçudos.
  13. VASCO é uma pedreira desafiando o escultor Luxemburgo. Há excesso de jogadores fracos e nenhum capaz de ser decisivo. Montar um time forte, com o conjunto de inscritos é tarefa pra um Michelangelo.

Mano: “futebol não é o quanto se põe de dinheiro”

sexta-feira, 17 de maio de 2019

PITACOS acerca do FLUMINENSE 1×1 CRUZEIRO, no Maracanã, Rio de Janeiro, 15mai19qua21h30, ida das oitavas da Copa do Brasil:

MANO MENEZES: Foi um bom resultado. Obviamente, a vitória seria melhor e nós quase a alcançamos. Mas pela produção das equipes, não seria justa. O Cruzeiro teve poucas oportunidades, uma ou duas bolas durante os 90 minutos, mesmo pra mim, que sou acusado de gostar do jogo assim, é pouco. Tivemos dificuldades de segurar a bola, dificuldades de saída, dificuldades pra aproveitar espaços. Mas defendemos muito bem. Temos que apresentar mais. Mas Copa do Brasil é isso mesmo, uma competição que nos abre a possibilidade de levar pro nosso estádio, num ambiente mais favorável, num momento talvez mais favorável. Acabei de falar que me incomoda. Não está bom, não estamos satisfeitos, mas temos que passar por momentos assim. O futebol não é o quanto você põe de dinheiro, não é sempre assim tão objetivo. Já fizemos jogos melhores, jogamos um futebol melhor, mas estamos atravessando este momento e temos de ter sabedoria pra atravessá-lo.

PEDRO ROCHA: A gente sabia da dificuldade pela característica do Fluminense. A gente tentou, consegui fazer o gol, mas tínhamos que ficar concentrados até o final.

FERNANDÃO ÁVILA: A escolha o Mano ia dando certo, em que pese o jogo ruim de vários caras. Não sei porque a reclamação em relação ao técnico. Contra um time que tem qualidade no passe mas finaliza mal, deixa eles rodarem a bola e forçnado-os a finalizar de longe ou levantar a bola, já que eles não tinha o Pedro. E os alas deles consagraram o Dedé. O que deu errado foi a transição ofensiva num dia em que o Rocha estava sempre mal posicionado (exceto no lance do gol), longe do Fred para as tabelas. Que o Fred não reteve uma bola com qualidade, que o Egídio esteve tímido, talvez acuado pelo Gilberto que é muito bom, e que principalmente o Rodriguinho não deu sequência aos lances.

LEONARDO MATARELLI: Mano disse que pra jogar contra times assim, o antídoto mais eficaz é marcar pressão, com linhas altas. Mas como não tinha atletas assim, resolveu recuar as linhas. Não seria o caso de por em campo quem pudesse cumprir o que tinha que ser feito? Ou esses caras sequer estão no elenco?

BRUNO SETELAGOAS: A zaga dava um esticão, o Rocha começava a correr atrás da bola e já vinha a ordem pra parar no meio campo e manter a linha baixa. Ele chegava a freiar a corrida. Mano é um medroso.

MATHEUS CHAVES: Não havia chance de ficar buscando o Flu no campo de defesa deles. Temos ao menos 4 jogadores que não aguentariam mais do que 5 minutos dessa marcação por pressão. E olha que fizemos isso por alguns minutos no segundo tempo, correndo um risco grande. Por outro lado, não faz sentido ter o Rodriguinho sem participar do jogo de meio-campo, sua principal qualidade. Também foi um erro ter dois atacantes lentos (Fred e Rodriguinho) quando o que mais tivemos foi campo pra correr. Tivesse ido de Deivid e Sassá e a fatura seria liqüidada a nosso favor no primeiro tempo.

GENIBALDO LUCENA: Robinho foi o único do ataque que errou passes, porque os outros não conseguiram dominar nenhuma bola pra depois errar um passe. Rodriguinho só de canela. Rocha afobado errou tudo. Fred ficou sozinho com a bequeira tricolor e foi engolido. Mano fez o correto, só não contava com a inoperância total de seus comandados. Egídio mal, Orejuela, péssimo. Romero, nem se fala, só botinada, como sempre. Henrique teve que se virar ali no meio e o fez muito bem, mesmo que sozinho. Dedé e Leo impecáveis. Fábio sempre seguro. Fluminense é um time bem treinado, estava até desfalcado e não é a mosca morta que pintaram aqui. Prevejo um novo empate no Mineirão e decisão por pênaltis.

MATHEUS PENIDO: Não se ganha jogo com nome. De que adianta ter Rodriguinho se ele não acerta um lance, mata mais da metade das jogadas de ataque do time? Rocha, apesar do gol, ainda não se acertou. Fred é ótimo quando abastecido, isolado é um peso morto. Culpá-lo quando a bola não chega é sacanagem. Robinho estava sozinho tentando criar jogadas. Sorte que temos um grande goleiro e dois ótimos beques.

Dedé, o melhor de uma noite sem emoções

quinta-feira, 16 de maio de 2019

ATUAÇÕES dos protagonistas do FLUMINENSE 1×1 CRUZEIRO, no Maracanã, Rio de Janeiro, 15mai19qua21h30, ida das oitavas da Copa do Brasil:

CELESTE compareceu em bom número e incentivou bastante seu time. Em alguns momentos, superou, no grito, galera tricolor. Essa turma carioca do Cruzeiro jamais nega fogo!

FÁBIO fez ótimas defesas e não teve culpa no gol.

OREJUELA, bem na defesa, foi pouco ao ataque. Sofreu câimbras, mas deu conta de ir até o fim, na base da garra e do compromisso com os companheiros.

DEDÉ venceu dezenas de disputas. Só perdeu uma, a do gol tricolor. A maré celeste não está mesmo para peixe.

FERRAZ está fazendo uma temporada perfeita, mas alguns cruzeirenses pouco atentos o avaliam não pelo que tem jogado, mas por ter jogado do rebaixado América. Falta de atenção é o vestíbulo da burrice.

LEO cortou um monte de bolas cruzadas, fez excelente cobertura na esquerda, foi um dos esteios do time.

EGÍDIO venceu e perdeu duelos contra Gilberto. Fez boas coberturas da bequeira e não perdeu ânimo em momento algum. Saldo positivo.

HENRIQUE foi o volante mais marcador e deu boa proteção à defesa. Outro que jamais arriou a mochila, que não perdeu fôlego, nem se desanimou.

ROMERO jogou com a vibração usual, deu algumas patadas no Ganso, levou amarelo, mas cumpriu vem sua obrigação de proteger a defesa. Nas poucas vezes em que atravessou a linha da meiuca, não teve com quem jogar. Desta vez, jogou bem, apagando a má impressão deixada contra o Inter.

ROBINHO foi o mais lúcido do meio para a frente. A assistência para o gol foi magistral.

RODRIGUINHO esteve ausente, mesmo estando presente. Avacalhou o esquema ao não conseguir segurar a bola, não acertar tabelas, não chutar e outros nãos. Foi o pior do time.

ROCHA fez o gol e algumas coisinhas mais: uma ou outra jogada ofensiva, uma ou outra ajudinha ao Egídio.

FRED, novamente, isolado, sem receber bolas, sem ter com quem trabalhar, anulado pela bequeira tricolor.

JADSON não comprometeu. Tratou de ajudar a fechar espaços, pois atacar não estava sendo possível

DAVID entrou num time sem perspectivas ofensivas e não teve como mostrar seu jogo.

SASSÁ jogou ou o tempo e não recebeu bolas. Serviu apenas para manter dois jogadores do Flu fora das ações ofensivas.

MANO vive dizendo que seu elenco é muito bom, mas conhece bem as limitações da rapaziada. Neste jogo, optou pelas linhas baixar ao invés de pressionar a saída de bola tricolor e matar de cansaço Fred, Rodriguinho, Rocha e Robinho. Quase deu certo. Faltou os meiatacantes fazerem algo de útil quando tinham a bola. Mas não fizeram e o time foi inofensivo.

CRUZEIRO marcou em seu campo, obrigou o Fluminense a chutar de fora da área e quase passa os 96 minutos da partida sem conceder chances de gol. Por outro lado, só conseguiu criar uma chance, a que resultou no gol de Rocha. Pros termocéfalos foi o fim do mundo. Muitos devem ter cortado os pulsos. Não sem antes teclarem os impropérios de sempre nas redes.

FLUMINENSE teve 65% de posse de bola, alugou o campo de defesa do Cruzeiro, chutou 20 vezes a gol, mas só criou uma chance. Os beques, o v volante Allan e os garotos Marcos Paulo e João Pedro foram os melhores. Ganso fez algumas jogadas de classe, mas foi pouco incisivo e decisivo.

ÁRBITROS acertaram tudo. Ou quase. Ótima atuação.

MelhorDoJogo => DEDÉ [[[23]]] Itatiaia, Seisaum, Hiram, Zuloobas, Maury, Burian, Walterson, Bitencourt, Ramos, Klauss, Viana, Gesoco, Morato, Rezende, Milani, Anchieta, Walery, Diogo, Bastos, Penido, Ianni, França, Guilherme —– ROCHA [[[5]]] Ge, Uol, Palmeira, Gil, Ulhôa —– ROBINHO [[[3]]] Fivestars, Rizzi, Velloso —– LEO [[[2]]] Romarol, Síndico —– HENRIQUE [[[2]]] Vilela, Barnab;e —– FÁBIO [[[2]]] Carneiro, Lulu —– MANO [[[2]]] Fernandão, Velame — M PAULO [[[1]]] Pimentel…

Fluminense 1×1 Cruzeiro: castigo no fim

quarta-feira, 15 de maio de 2019

CRUZEIRO contra Fluminense, neste 15mai19qua21h15, no Maracanã, Rio de Janeiro, jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil 2019.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 2º, com 15.822 pontos; Fluminense é o 13º, com 10.034.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro estreia na competição; Fluminense passou por River Teresina (0x5), Ypiranga Erechim (3×0), Luverdense (0x0 e 2×0) e Santa Cruz (2×0 e 0x2).

TEMPO nublado, temperatura 23º, vento 5 Km/h, umidade 93%.

TRANSMISSÃO de Cruzeiro x Fluminense, nesta quarta, 21h: Globo pra BH (com Jaime Júnior, Bob Faria e Márcio Rezende Freitas) e Sportv e Premiere Internacional (com Luiz Carlos Júnior, Alex Escobar e Roger Flores).

ARBITRAGEM: Luiz Flavio de Oliveira, Emerson Augusto de Carvalho, Neuza Inês Back (SP), VAR: Jose Claudio Rocha Filho (SP).

CRUZEIRO: Fábio — Orejuela, Dedé, Leo, Egídio — Henrique, Lucas — Robinho, Rodriguinho, Rocha — Fred. T: Mano Menezes.

BANCO: Rafael, Edílson, Fabruno, Murilo, Dodô, Cabral, Romero, Jadson, Sassá, David.

AUSENTES: M Gabriel (lesionado), Raniel (transição), Neves (doente).

PENDURADOS: ninguém.

FLUMINENSE: Rodolfo — Gilberto, Nino, Matheus Ferraz, Caio Henrique — Allan, Dodi, Ganso — Daniel, Luciano, Yoni González. T: Fernando Diniz.

BANCO: Agenor, Igor Julião L, Frazan B, Caio V, Leo Arthur V, Miguel M, Kelvin Am João Pedro, Marcos Paulo, Ewandro A, Pablo Dyego A.

AUSENTES: Leo Santos, Mascarenhas, Pedro, Airton, Bruno Silva, Digão (lesionados), Guilherme (jogou pelo Bahia), Yuri (jogou pelo Santos)

PENDURADOS: ninguém.

FLUMINENSE 1×1 CRUZEIRO, 15mai19qua21h30. TEMPO nublado, temperatura 23º, vento 5 Km/h, umidade 93%. LOCAL: Maracanã (78 mil), Rio de Janeiro. MOTIVO: ida das oitavas de final da Copa do Brasil 2019. TRANSMISSÃO: Globo Minas, Sportv, Premiere. PÚBLICO: 16.80 presentes, 15.912 pagantes, R$398.635, média R$25. ARBITRAGEM: Luiz Flavio Oliveira, Emerson Carvalho, Neuza Back (SP), VAR: Jose Claudio Rocha Filho (SP). AMARELOS: Ganso, Nino, Rodriguinho, Romero. GOLS: Rocha, 57, JoãoPedro, 93. FLUMINENSE: Rodolfo; Gilberto, Nino, Matheus Ferraz, Caio Henrique; Allan, Daniel (Ewandro, 68), Leo Artur (Marcos Paulo, 76), Ganso; González, Luciano (João Pedro, 83). T: Fernando Diniz. CRUZEIRO: Fábio, Orejuela, Dedé, Leo, Egídio; Henrique, Romero, Robinho, Rodriguinho (Jadson, 67), Rocha (David, 77); Fred (Sassá, 81). T: Mano Menezes.

HISTÓRICO: 80 jogos. Cruzeiro venceu 26, empatou 20, perdeu 34, marcou 111 gols, levou 122. Pelos campeonatos brasileiros, desde 1959, foram 64 partidas. Cruzeiro venceu 24, empatou 17 e perdeu 23, marcou 89, sofreu 86 gols. Os dois clubes jamais decidiram uma competição entre si, mas chegaram próximos no Brasileiro 2010, quando o Flu campeonou com 2 pontos a mais.

Cruzeiro terá asa negra nas oitavas da C Brasil

quinta-feira, 2 de maio de 2019

OITAVAS  da Copa do Brasil 2019 sorteadas. 

  • Internacional x Paysandu
  • Corinthians x Flamengo
  • Mineiro x Santos
  • Juventude ou Vila Nova x Grêmio
  • Sampaio Corrêa x Palmeiras
  • Fortaleza x Paranaense
  • Fluminense x Cruzeiro
  • São Paulo x Bahia

Inter, Grêmio, Palmeiras e São Paulo são favoritos. Nos demais confrontos, equilíbrio absoluto.

O Cruzeiro leva a pior no histórico contra Corinthians, São Paulo, Mineiro e Fluminense. 

E agora? Prevalece o histórico ou a imaginação fértil do torcedor? 

Zebras brincam nas copas

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Zebras dão um tempo nos estaduais e passeiam nas copas:

  • DESCLASSIFICADOS na Libertadores: São Paulo, Universidad Chile, Strongest, Barcelona, Delfin, Danubio. Independiente Medellin, Nacional Paraguai, Bolivar, Garcilaso, Guaira…
  • DESCLASSIFICADOS na Copa do Brasil: Sport, Ponte, Guarani, Coritiba…
  • SURPRESAS nas Copas: Tombense, Urt, Aparecidense, Melgar, Avenida…
  • JOGOS 2ª FSE LIBERTADORES: Defensor x A Mineiro, Libertad, Nacional Medellín, Talleres x Palestino, Melgar x Caracas.
  • FINAL TAÇA GUANABARA: Fluminense x Vasco.

Assustado, caro leitor? Melhor não ficar de gracinhas com huracán, Emelec e Lara…

Ranking PHD dos campeões

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

O Palmeiras venceu o principal torneio de 2018. Mas o Cruzeiro conquistou duas taças.

Sampaio foi rebaixado da B pra C, mas faturou a Lampions. Flamengo, Saumpaulo, Franga, Vasco, Flu, Santos e Inter ficaram no “Ora, vejam!”.

E, então, quem  foi o maior campeão? PHD propõe um ranking:

  • Estadual, 1 ponto;
  • Copa estadual, 1 ponto;
  • Estadual com time da Série C;
  • Estadual com times da Série B, 3 pontos;
  • Estadual com times da Série A, 5 pontos;
  • Estadual, com times da A e da B, 8 pontos;
  • Regional, 2 pontos;
  • Regional com times da Série B, 4 pontos;
  • Regional com times da Série B, 6 pontos;
  • Regionals com times da A e da B, 9 pontos;
  • Recopa Sul-americana, 5 pontos;
  • Sul-americana, 10 pontos;
  • Libertadores, 20 pontos;
  • Mundial, 25 pontos;
  • Copa do Brasil, 12 pontos;
  • Brasileiro D, 5 pontos;
  • Brasileiro C 7 pontos;
  • Brasileiro B, 10 pontos;
  • Brasileiro A, 17 pontos.

Às contas, moçada!