Arquivo da Categoria ‘COPA DO BRASIL’

Mano: “Queríamos mais, mas esta vantagem é importante”

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

PITACOS acerca do CRUZEIRO 1-0 CORINTHIANS, Mineirão, Belo Horizonte, 10out18qua21h45, ida das finais da Copa do Brasil 2018:

MANO MENEZES: Vínhamos de uma eliminação da Libertadores, tínhamos que ter postura pra buscar uma vitória em casa. Não havíamos vencido como mandante sna Copa do Brasil. A equipe teve controle do jogo. O resultado foi bom! Queríamos vencer de mais, mas foi um bom resultado, toda vantagem é importante, porque muda a postura do adversário no segundo jogo. Fábio não fez uma defesa. Agora eles vão ter que nos atacar, como nós tivemos que nos expor e atacar hoje. E atacamos bem. Soubemos atacar. Não demos nenhuma chance a um adversário que sabe jogar. O Cruzeiro entendeu o jogo e construiu a vantagem. O Corinthians não conseguiu fazer noque pretendia por méritos do Cruzeiro, não por uma escolha. Queria que atacássemos de maneira errada, pois tinham dois velocistas, um de cada lado, e o Jadson, que é inteligente,  flutuando no meio. Eu disse que se a gente atacasse de forma errada, íamos levar contra-ataques.  

THIAGO NEVES: Feliz pelo gol. A bola desviou e entrou no alto. A vantagem ‘r pequena  mas importante. Nossa preocupação era recuperar o ânimo, após a eliminação na Libertadores. A gente não estava com clima de final, a gente sabia que ia ser mais defensivo, mas o time fez uma partida equilibrada, tranquilo. Dominamos o jogo e tivemos chance de fazer uns dois ou três. Surpreendeu a todo mundo. Mano jogada pela esquerda, queria ultrapassagens por ali. O Romero e o Lucas são fortes na marcação, mas são destros. A gente teria marcação, mas não teria a saída pelo lado esquerdo. Ele conversou com os três. Treinou com o Romero, depois com o Lucas, mas surpreendeu a todo mundo escalando Cabral, que jogou bem, fez uma partida tranquila.

DOUGLAS VELLOSO: O Cruzeiro fez um jogo muito seguro, criou oportunidades, fez boas jogadas laterais, segurou a bola no ataque quando teve fôlego e entregou a bola ao Corinthians quando foi preciso. Foi uma demonstração clara de experiência. O resultado poderia ter sido mais elástico. O time celeste está entrando no limite da concentração na Copa do Brasil e criará dificuldades para o Corinthians em taquera. Na defesa, todo mundo jogou bem. Henrique e Cabral cumpriram à risca suas funções. Neves estava a fim de jogo. Rafinha venceu a desconfiança de seus críticos jogando bem.

EDUARDO ARREGUY: Egídio defendeu muito bem, e com a bola no pé, quando partia para cima da defesa adversária, chamava a marcação de três adversários para impedir sua progressão. Daí fazer falta no segundo jogo.

ROSAN AMARAL: Vencer o Corinthians numa partida de inal de campeonato não é pouco. Falar que o time jogou só pelo 1×0 é alienação. O Cruzeiro criou chances pra fazer 3×0. O melhor do Corinthians foi o goleiro Cássio. Fábio, por outro lado, só pegou um cruzamento, com bola nas mãos. Parabéns, jogadores!  Parabéns, Mano!

SOUZA: Neves jogou muito, assim como Henrique e Cabral. Este foi uma surpresa. Eu havia imaginado que seria o jogo do Lucas fazer o gol de fora da área, pra furar retranca. Mas Cabral esteve muito bem. 

ROMAROL: o comentarista Grafite disse que, da forma que joga o Corinthians, 1 a 0 não é placar mínimo, é como se fosse 2 a 0.

JOTA DIAS: Manobol raiz! Goleada de 1×0, sem sustos. Mais um jogo assim e conquistamos o hexa.

Neves, Rafinha e Henrique, os melhores do primeiro round?

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

ATUAÇÕES dos protagonistas do CRUZEIRO 1-0 CORINTHIANS, Mineirão, Belo Horizonte, 10out18qua21h45, ida das finais da Copa do Brasil 2018:

TORCIDA CELESTE cumpriu seu papel: compareceu e apoiou seu time durante cem minutos.

FÁBIO não teve que fazer defesas difíceis. Nas fáceis, não se complicou. E fez boas ligações diretas.

EDÍLSON marcou bem, apoiou moderadamente, enfim, uma atuação segura. 

DEDÉ, perfeito na defesa, quase fez um gol em bola de corner. Jogou coma raça de sempre e venceu todas as disputas no mano a mano.

LEO fez boa cobertura da lateral esquerda, venceu os combates diretos e foi ao ataque nas cobranças de escanteio, levando perigo à defesa corintiana.

EGÍDIO jogou bem na defesa e também quando foi à área adversária, inclusive com passe para gol. Venceu as disputas individuais e fez ótima cobertura da lateral esquerda.

HENRIQUE controlou seu setor, apesar da superpovoarão de meias e volantes do Corinthians. Marcou, ocupou espaços, fez as saídas de bola com qualidade e quase marcou um gol, obrigando Cássio a uma defesaça.

CABRAL marcou, ocupou espaços, ajudou na marcação pela esquerda, deu bons passes. E fez o que pediu o técnico apoiando o ataque, criando jogadas com Egídio e Neves.

ROBINHO participou pouco do jogo, pois o time concentrou esforços do esquerdo. Fez o básico bem feito, com bons passes e marcação. 

NEVES marcou gol, chutou bola na baliza, fez tabelas, cansou, saiu um pouco mais cedo e faturou todos os motorádios. 

RAFINHA jogou com intensidade, criando dificuldades e obrigando Fagner a ficar na defesa. Criou boas jogadas individuais e também em combinações com Egídio, Cabral e Neves.

BARCOS teve uma chance de gol, não marcou, mas manteve a defesa corintiano ocupada, deixando espaços pra Neves jogar.

RANIEL tentou jogadas coletivas, individuais, errou passes, armou contrataque adversário, recompôs, movimentou-se, só não teve chance de gol. 

DAVID jogou pouco tempo, mas com empenho, especialmente, na recomposição.

SOBIS jogou menos de dez minutos, com boa vontade, mas sem chance de fazer a diferença, ou seja, o segundo gol.

MANO escalou o melhor time à disposição e fez alterações corretas. Seu time criou muitas chances e não concedeu uma sequer ao adversário. Bom trabalho.

CRUZEIRO dominou o jogo do começo ao gim, criou muitas chances de gols, mas só conseguiu converter uma. Neves, Egídio e Henrique foram os melhores. E ninguém esteve mal.

CORINTHIANS jogou para não tomar gols. Tomou um e continuou e defendendo para não tomar outro. Com muitos meio-campistas e sem centroavante, passou o tempo à espera de que seus dois pontas conseguissem contratacar, o que não aconteceu. Cássio salvou três gols e foi o melhor do time.

ÁRBITROS não cometeram erros significativos, nem se enrolaram com o var, o que já é elogiável.

MelhorDoJogo => NEVES [[[44]]] Cbf, Lance, Athos, Cássio, Soares, Gabriel, Bitencourt, Paulo, Fabrício, Romarol, Wagner, Bruno, Fivestars, Reis, Chaves, Palmeira, Milani, Leo, Gil, Soalheiro, Burian, Ivana, Bastos, Jotapê, Chiabi, Dias, Álvaro, Rezende, Morato, Avelar, Ernesto, Anchieta, Klauss, Setelagoas, Alberto, Julim, Chaves, Walfrido, Freire, Mariana, Celeste, Patrícia, Dudu —– RAFINHA [[[15]]] Sá, Evandro, Nanayoski, Zuloobas, King, Andrade, Viana, Clodoália, Guibreis, Felipe, Samuel, Emerson, Velloso, Rocha, Marilu —– HENRIQUE [[[8]]] Maurício, Rosan, Gellis, Macaco, Clodoália, Galvão, França, Barnabé —– EGÍDIO [[[4]]] Arreguy, Wallace, Schrier, Penido —– DEDÉ [[[2]]] Monica, Síndico —– TORCIDA [[[1]]] Tate —– CÁSSIO [[[2]]] Dourado, Jottar.

Cruzeiro 1×0 Corinthians: oito chances, um gol

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

CRUZEIRO contra Corinthians, neste 10out18qua21h45h, no Mineirão (62 mil), Belo Horizonte, ida das finais da Copa do Brasil 2018.

RANKING de clubes da CBF 2016: Cruzeiro é o 1º, com 15.288; Corinthians é o 6º, com 14.076.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro passou pelo Paranaense (2×1, 1×1), Santos (1×0, 1/3×2/0) e Palmeiras (1×0, 1×1). Corinthians passou por Vitória (0x0, 3×1), Chapecoense (1×0, 1×0), Flamengo (0x0, 2×1).

CRUZEIRO: Fábio — Edilson, Leo, Dedé, Egídio — Henrique, Cabral — Robinho, Neves, Rafinha — Barcos. T: Mano Menezes.

BANCO: Rafael, Eudes, Ezequiel, Manoel, Murilo, Hermes, Brey, Romero, Bruno, Lucas, Mancuello, Raniel, David, Sobis.

AUSENTES: Arrascaeta (Seleção Uruguaia), Sassá (suspenso).

PENDURADOS: Edílson, Egídio, Raniel.

ARBITRAGEM: Anderson Daronco (RS), Alessandro Álvaro Rocha de Matos (BA), Fabricio Vilarinho da Silva (GO). Var: Wilton Pereira Sampaio (GO). Todos do quadro da Fifa.

CORINTHIANS: Cássio — Fagner, Leo Santos, Henrique, Avelar — Gabriel, Ralf — Jadson — Vital, Romero, Clayson. T: Jair Ventura.

BANCO: Walter G, Caike G, Carlos L, Mantuan L, Paulo Roberto L, Vílson B, Marllon B, Pedro Henrique B, Thiaguinho M, Pedrinho M, Araos M, Danilo A, Jonathas A, Diaz A, Sheik A.

AUSENTES: Matheus Matias, Rodrigo Figueiredo, Roger (sem inscrição no torneio), Douglas (suspenso), Renê Júnior (lesão no joelho esquerdo), Paulo Roberto (inflamação na coxa esquerda).

PENDURADOS: Ninguém.

ADVERSÁRIO: Fundado em 02set12, o alvinegro Sport Club Corinthians Paulista, dono da 2ª maior torcida do País, tem 2 mundiais, 1 Libertadores, 6 brasileiros, 3 copas do Brasil, 5 RioSP, 28 paulistas e 1 Brasileiro da Série B.

TRANSMISSÃO: Globo, com Luís Roberto, Caio Ribeiro, Bob Faria e Paulo César Oliveira. Sportv, com Milton Leite, Mauricio Noriega e Muricy Ramalho.

TEMPO claro, temperatura 30º, vento 8 Km/h, umidade 37%, às 15h.

CRUZEIRO 1×0 CORINTHIANS, 10out18qua21h45. TEMPO limpo,  temperatura 25º, vento 10 Km/h, umidade 50%. LOCAL: Mineirão (62 mil), Belo Horizonte. MOTIVO: ida das finais da Copa do Brasil 2018. TRANSMISSÃO: Globo, Sportv. PÚBLICO: 46.308 pagantes, 53.368 presentes; R$4.169.227, média R$90. ARBITRAGEM: Anderson Daronco (RS), Alessandro Matos (BA), Fabricio Vilarinho (GO). Var: Wilton Sampaio (GO). AMARELOS: Henrique, Egídio, Neves, Santos, Jadson, Araos VERMELHO: Araos, 92. GOL: Neves, 45+1.  CRUZEIRO: Fábio; Edilson, Dedé, Leo, Egídio; Henrique, Cabral; Robinho, Neves (David, 81), Rafinha (Sobis, 88); Barcos (Raniel, 74). T: Mano Menezes. CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Leo Santos, Henrique, Avelar; Gabriel, Ralf; Jadson (Sheik, 80); Vital (Araos, 67), Romero, Clayson (Pedrinho, 60). T: Jair Ventura.

HISTÓRICO: 86 jogos. Cruzeiro venceu 27, empatou 21, perdeu 38, marcou 97 gols, levou 115. Pelo Brasileiro, desde 1967, foram 66 jogos. O Cruzeiro venceu 22, empatou 17, perdeu 27, marcou 63 gols, levou 75. Os dois já decidiram dois títulos brasileiros. Em 1969, no Mineirão, Cruzeiro 2×1, mas o título ficou com o Palmeiras que fez um gol a mais, na mesma tarde, sobre o Botafogo. Em 1998, o Corinthians campeonou, com 2×2 no Mineirão, 1×1 e 2×0 no Morumbi. Foram disputados 5 pleiofes na história da Copa do Brasil. Corinthians levou a melhor nas oitavas de 1991 (3×1 e 1×0) e nas oitavas de 2002 (2×2 e 3×2). Cruzeiro, nas quartas de 1996 (4×0 e 2×3), nas oitavas de 1998 (3×1 e 1×1) e nas quartas de 2016 (1×2 e 4×2).

A fórmula de outras decisões

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

CRUZEIRO já bateu Santos, Palmeiras e São Paulo em finais. A que disputou contra o Corinthians, perdeu.

Histórico do Cruzeiro contra o Corinthians é negativo. Bem mais derrotas que vitórias.

Em Itaquera, o Cruzeiro ainda não venceu o Corinthians que, vira e mexe, vence o Cruzeiro no Mineirão.

No momento, os times se equivalem. Cruzeiro tem mais etiquetas, Corinthians, mais fôlego.

Por tudo isto, o Corinthians é favorito na decisão da Copa do Brasil. E o Cruzeiro terá uma oportunidade única de devolver tantas desvantagens.

Não tenho expectava. Nem boa, nem ruim. Apenas torço pra que o time celeste jogue com firmeza técnica, tática e anímica, e tenha sorte, o pacote que lhe rendeu os títulos de 1996 e 2000.

Lucas, Henrique, Sassá e Leo, os destaques

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

ATUAÇÕES dos protagonistas do CRUZEIRO 1-1 PALMEIRAS, Mineirão, Belo Horizonte, 26set18qua21h45, volta das semifinais da Copa do Brasil?

TORCIDA CELESTE ocupou 75% dos lugares –38 mil pagando, 7 mil na faixa– e apoiou o time o tempo todo. Bom trabalho. (Síndico)

FÁBIO fez duas defesas, deu aula de golearem, com segurança e precisão em todas as intervenções. Tudo com uma tranquilidade de cozinheiro de hospício. (Síndico)

(mais…)

Cruzeiro 1×1 Palmeiras: na final, pela oitava vez

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

CRUZEIRO contra Palmeiras, neste 26set18qua21h45, no Mineirão (62 mil), Belo Horizonte, volta das semifinais da Copa do Brasil 2018.

RANKING da CBF: Cruzeiro e Palmeiras são os lideres, com 15.288 pontos.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro eliminou Paranaense (2×1 e 1×1) e Santos (1×0 e 1×2). Palmeiras eliminou América (2×1 e 1×1) e Bahia (0x0 e 1×0).

CRUZEIRO: Fábio — Romero, Dedé, Leo, Egídio — Henrique, Lucas — Robinho, Neves, Rafinha — Barcos. T: Mano Menezes.

BANCO: Rafael, Ezequiel, Manoel, Hermes, Brey, Bruno, Cabral, Mancuello, Raniel, Sassá, Sobis, David.

(mais…)

Fábio, Dedé e Leo, intransponíveis

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

ATUAǘOES dos protagonistas do PALMEIRAS 0-1 CRUZEIRO, no Allianz, São Paulo, 12set18qua21h45, ida das semifinais da Copa do Brasil 2018:

TORCIDA CELESTE cantou sem parar. Formada por torcedores “desorganizados”, já que nenhuma das organizadas esteve presente, não parou de incentivar o time e provocar, de forma sadia, os palmeirenses que a cercavam. No lance mais tenso, aquela bola que o Egídio mandou contra o arco celeste, a torcida imediatamente começou a gritar o nome do lateral, para apoiá-lo. Torcida nota 10. O ponto negativo foi o policiamento deixar todo mundo em pé durante uma hora, nos corredores do estádio, antes de liberar a saída. (Gil Campos)

FÁBIO fez três defesaças neutralizando as três chances de gol do adversário. (Síndico)

EDÍLSON estava muito bem, até perder a cabeça e quase colocar a vitória em risco, a obrigando seu time a jogar 18 minutos com um a menos. (Bruno Setelagoas). —– Foi bem. O lance não foi pra amarelo e um xingamento de costas não deveria servir nem para desabafar. Juiz foi sacana demais. (Renato Engenheiro)

DEDÉ rebateu 17 bolas, fez 3 desarmes e não deu nenhum passe errado. Tudo isto, 24 horas após jogar pela Seleção e enfrentar 12 horas de voo. (Walfrido Nascimento)

LEO, no panteão dos grandes da história do Cruzeiro. Está jogando demais. (Renato Engenheiro)

EGÍDIO venceu a maioria dos duelos contra Dudu e quem mais apareceu no seu setor. No fim, quase meteu gol contra, que Fábio evitou. (Síndico)

HENRIQUE Jogou muito. Defensivamente, foi um monstro. Errou alguns passes bobos o que não comprometeu em absolutamente nada. (Bruno Setelagoas)

LUCAS segurou demais a bola, que perdeu ao menos três vezes. (Claudinei Vilela)

ROBINHO deu o passe para o gol e participou de outras boas no ataque. Saiu mais cedo, acreditando que ainda tinha gás para seguir em campo. (Síndico)

NEVES, o melhor do jogo, foi o principal motor das jogadas de ataque, participando do gol com um lindo passe em profundidade pra Robinho e criando outras chances perigosas. De quebra, ajudou muito na marcação, auxiliando os volantes no combate ao meio-campo do Palmeiras, especialmente no segundo tempo. (Uol Esporte)

ARRASCAETA nitidamente sem saúde, poupou-se. (Renato Engenheiro)

BARCOS além do gol, marcou a saída de bola. Mais não pôde fazer devido à inoperância do time na criação. (MM Rizzi)

RAFINHA substituiu o lesionado Arrascaeta e foi um lutador. Ofensivamente, nada criou, mas atrapalhou bastante os adversários que entraram em seu raio de ação. (Síndico)

BRUNO tinha obrigação de fechar o lado direito e por lá nada mais foi criado, a partir de sua entrada. (Bruno Setelagoas)

RANIEL entrou na etapa final e não teve muito o que fazer, pois a bola já não chegava muito ao ataque. (Síndico)

MANO escalou o que tinha que escalar e mudou o que tinha que mudar. (Bruno Setelagoas) —– Devia ter colocado o David no jogo. Seria um grande teste para o garoto. (João Costa)

CRUZEIRO fez um gol logo de cara e soube se defender. Criou uma segunda chance ainda na etapa inicial e, daí para a frente, só se defendeu. O que fez bem. (Síndico)

PALMEIRAS criou três chances de gol, embora tenha ficado a maior parte do tempo no campo de defesa do Cruzeiro. Na etapa inicial, foi pouco criativo, na final, coma entrada de Lucas Lima, trabalhou melhor as jogadas, mas não o suficiente para vencer o goleiro Fábio. Antônio Carlos, Mayke e Barbosa foram seus melhores jogadores. Dudu, o mais chato, tanto para a defesa celeste, quanto para o trio de arbitragem. (Síndico)

ÁRBITROS acertaram tudo, inclusive a falta de Dracena sobre Fábio, aos 92, que gerou muita discussão. O que no funcionou bem foi a sincronia Juiz-Var. O jogo foi paralisado excessivamente pra pitacos desnecessária dos caras da cabine. (Síndico)

MelhorDoJogo => FÁBIO [[[34]]] Itamar, Rizzi, Soares, Magalhães, Bitencourt, Dulce, Klauss, Rezende, Zuloobas, Moniquete, Romarol, Chaves, Ronaldo, Luizanton, Velame, Beth, Avelar, Olivieri, Wagner, Milani, Fonseca, Maury, Polaco, Penido, Clodoália, Nem, Vasconcelos, Sobrinho, Celeste, Monica, Marilu, Patrícia, Dudu, Pedro —– DEDÉ [[[11]]] Walterson, Arreguy, Walfrido, Rossi, Schrier, Borroló, França, Alex, Bastos, Burian, Anchieta —– LEO [[[5]]] Wallace, Viana, Gil, Romeu, Julim —– HENRIQUE [[[3]]] André, Seixas, Barnabé —– NEVES [[[3]]] Uol, Jotapê, Síndico —– EGÍDIO [[[3]]] Soalheiro, Setelagoas, Marcoalex —– BARCOS [[[1]]] Nanayoski —– LUCAS [[[1]]]] Evandro —– MANO [[[5]]] Vilela, Hiram, Morato, Lucielena, Thais.

(mais…)

Palmeiras 0x1 Cruzeiro: Sangue, suor e gol

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

CRUZEIRO contra Palmeiras, neste 12set18qua21h45, no Allianz (43 mil), São Paulo, ida das semifinais da Copa do Brasil 2018.

RANKING da CBF: Cruzeiro e Palmeiras são os lideres, com 15.288 pontos.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro eliminou Paranaense (2×1 e 1×1) e Santos (1×0 e 1×2). Palmeiras eliminou América (2×1 e 1×1) e Bahia (0x0 e 1×0).

CRUZEIRO: Fábio — Edílson, Dedé, Leo, Egídio — Henrique, Lucas — Robinho, Neves, Arrascaeta — Barcos. T: Mano Menezes.

BANCO: Rafael, Manoel, Murilo, Hermes, Romero, Bruno, Cabral, Mancuello, Rafinha, Raniel, Sobis, David.

AUSENTES: Fred, Sassá (transição).

PENDURADO: Raniel.

ARBITRAGEM: Wagner Reway (Fifa-MT), Alessandro Álvaro Rocha de Matos (Fifa-BA), Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa-GO).

PALMEIRAS: Weverton — Mayke, Antônio Carlos, Dracena, Barbosa — Thiago Santos, Bruno Henrique, Moisés — Willian, Borja, Dudu. T: Luiz Felipe Scolari.

BANCO: Prass (G), Jailson (G), Rocha (L), Jean (L), Luan (B), Gabriel Furtado (V), Victor Luis (L), Vitinho (M), Lucas Lima (M), Hyoran (M), Artur (A), Papagaio (A).

AUSENTES: Scarpa (inflamação no calcanhar), Deyverson e Felipe Melo (suspensos).

PENDURADOS: Ninguém.

TEMPO nublado, temperatura 17º, vento 26 Km/h, umidade 77%.

TRANSMISSÃO: Globo para Varginha, Araxá, Coronel Fabriciano, Montes Claros e Belo Horizonte (com Rogério Corrêa, Bob Faria e Marcio Rezende Freitas); Sportv 2 e Premiere Internacional (com Jota Jr. e Wagner Vilaron).

PALMEIRAS 0x1 CRUZEIRO, 12set18qua21h45. TEMPO, temperatura 16º, vento 20 Km/h, umidade 60%. LOCAL: Allianz (43 mil), São Paulo. MOTIVO: ida das semifinais da Copa do Brasil 2018. TRANSMISSÃO: Globo e Sportv. PÚBLICO: 31.960 pagantes, R$2.732.381, média R$85. ARBITRAGEM: Wagner Reway (MT), Alessandro Rocha Matos (BA), Fabrício Vilarinho (GO).. AMARELOS: Dudu, Santos, Fábio , Leo. VERMELHO: Edilson, 80. GOL: Barcos, 4. CRUZEIRO: Fábio; Edilson, Dedé, Leo, Egídio; Henrique, Lucas, Robinho (Bruno, 61), Neves, Arrascaeta (Rafinha, 45); Barcos (Raniel, 79). T: Mano Menezes. PALMEIRAS: Weverton; Mayke, Antônio Carlos, Dracena, Barbosa; Thiago Santos (Lucas Lima, 46), Bruno Henrique (Rocha, 83), Moisés; Willian, Borja (Artur, 78), Dudu. T: Luiz Felipe Scolari.

HISTÓRICO: 93 jogos, Cruzeiro venceu 35, empatou 27, perdeu 31, marcou 134 gols, sofreu 137. Pelo Brasileiro, desde 1967, foram 61 partidas. Cruzeiro venceu 24, empatou 19, perdeu 18. Em Minas, 43 jogos. Cruzeiro venceu 23, empatou 12, perdeu, 8. No Independência, 3 jogos, 3 vitórias do Cruzeiro (2×1, 1975, 2×0, 1991, 2×1, 2012). Foram 3 decisões: Em 1996, Cruzeiro venceu a Copa do Brasil (1×1, Mineirão, 2×1, Parque Antártica). Em 1998, Palmeiras venceu a Copa do Brasil (0×1, Mineirão, 2×0, Parque Antártica). Em 1998, Palmeiras venceu a Mercosul (1×2, Mineirão, 3×1 e 1×0, Parque Antártica.

A má fé de sempre

domingo, 19 de agosto de 2018

GLOBO sendo parcial, como sempre. No Esporte Espetacular, um repórter criticou o Juiz por ter encerrado o jogo Cruzeiro vs Santos dois segundos antes do tempo e se calou sobre a falta clara recebida por David na origem do contra-ataque do Peixe. Má fé. E só.

Jota Dias: “A Deus toda a glória!”

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

PITACOS acerca do CRUZEIRO 1/3-2/0 SANTOS, Mineirão, Belo Horizonte, 15ago18qua19h30, jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil 2018:

MANO MENEZES: O Santos jogou bem, até melhor do que lá. Trabalhou com dois extremas, teve hora que jogou com dois atacantes em cima da nossa zaga e igualou a posse. Tivemos mais chances, fizemos um 2º tempo muito bom, que poderia nos ter dado vantagem. O adversário teve posse, trabalhou e incomodou. Quando isso conte e, o tome de fora tira um pouco a confiança do nosso torcedor. Mas jogos como esse, é que engrandecem, que preparam pra coisas maiores, como as que teremos daqui pra frente na Copa do Brasil. Pedi calma ao tome no fim. Técnico sempre pede calma ao time. Faltando cinco minutos não é hora de errar uma saída de bola por dentro. Um erro faz o adversário entrar no jogo, como entrou. Se vira 1×1 é outra situação. Se vira 1×0, o adversário teria que fazer dois gols no 2º tempo. A gente sempre acha que não vai ter problema, mas uma bolinha boba, que você perde, toma gol que não precisava tomar. Mas isso vai deixando o time preparado. É nessas horas que o erro bobo custa caro. Mas a verdade é que o Santos teve muita qualidade.

(mais…)