Arquivo da Categoria ‘Copa do Brasil 2015’

Manoel e Rafael, os melhores no jogo contra o Juiz

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

ATUAÇÕES dos protagonistas do VITÓRIA 1-1 CRUZEIRO, no Barradas, Salvador, neste 05ago18dom16h, pela 17ª rodada do Brasileiro 2018:

TORCIDA CELESTE compareceu em bom número e se fez ouvir algumas vezes. Boa participação.

RAFAEL fez duas defesas e não cometeu erros nos demais lances.

EZEQUIEL marcou bem e não atacou. Não brilhou, nem comprometeu.

MANOEL foi o nome do jogo. Esperto na defesa, eficiente no ataque, com dois gols (um deles mal anulado) fez a diferença e foi o maior responsável pelo ponto durante conquistado.

MURILO estava numa vibe negativa. Na etapa inicial atrasou mal uma bola, obrigando Rafael se virar para evitar gol de Bou. Na etapa final, cometeu falta fora da área, que o Juiz transformou em pênalti. Nas demais intervenções, se houve bem.

HERMES esteve melhor na defesa do que no apoio. Na média, boa partida.

ROMERO deu passes de lado, para trás, para a frente, diagonais, tudo o que se espera de um volante, mas exatamente o contrário do que imaginam seu fã clube. No ataque, fez uma única, mas ótima jogada. Na defesa, cometeu um erro grave de passe, que os colegas contornaram. De resto, o entusiasmo juvenil de sempre. Provou, pela enésima vez, que é um bom jogador, mas não é o Beckenbauer que alguns aloprados imaginam ser. Um reserva confiável.

CABRAL jogou como sempre, posicionando-se adequadamente na defesa e dando bons passes na saída de bola.

BRUNO perdeu um gol na pequena área, o que irritou seus desafetos. Deu pancada desnecessária e levou amarelo, o que irritou seus apoiadores. Mas lutou, sendo bastante útil na contenção.

MANCUELLO jogou um pouco na meu esquerda, um pouco na pontesquerda, sem brilho, sem comprometer, sem se fazer notar.

DAVID deu entrada para cartão vermelho logo no começo, foi perdoado pelo Juiz e baixou o ritmo depois. Jogou um pouco na pontesquerda, outro pouco na meia central, sempre sem criatividade. O jeito foi dar lugar a outro.

SOBIS fez excelente partida, mandando duas bolas na baliza, correndo e facilitando as jogadas para os companheiros. Saiu mais cedo, com dores no tornozelo.

RANIEL entrou na etapa final, mas não alterou o panorama do jogo. Estava sem inspiração.

RANIEL entrou na etapa final, mas não alterou o panorama do jogo. Estava sem inspiração.

RAFINHA correu bastante e só.

ARRASCAETA cobrou a falta do gol de empate e tentou algumas jogadas que não deram certo.

MANO escalou o time reserva e quase consegue uma vitória para justificar as escolhas da Libertadores e da Copa do Brasil como prioridades. Seu time manteve um duelo equilibrado com os donos da casa e só não venceu por conta de dois erros de arbitragem. Taticamente, nada mudou. Jogou no 4-2-3-1, apenas trocando David e Mancuello de posição no decorrer da partida. As substituições foram acertadas e deram bons resultados.

CRUZEIRO alternou momentos de domínio, com outros de sufoco. Foi prejudicado duas vezes pela arbitragem, com um pênalti ml marcado e um gol mal anulado. Foi beneficiado, com o perdão a David, que merecia ser expulso logo aos seis. Mandou duas e levou uma bola na baliza. O pior, porém, foi a dificuldade de criação.

VITÓRIA foi um time esforçado, que criou boas oportunidades, mas só fez um gol com ajuda da arbitragem. Neilton foi o melhor. Yago, Jefferson, Meli e Bou lutaram muito.

ÁRBITROS mexeram no placar, marcando pênalti em falta fora da área e anulando gol legítimo. Duas decisões que prejudicaram o Cruzeiro. Geladeira para eles!

MelhorDoJogo => MANOEL [[[19]]] Gabriel, Nanasyoski, João, Velloso, Penido, Schrier, Morato, Klauss, Olivieri, Rosan, Bitencourt, Gil, Zuloobas, Milani, Walery, França, Romarol, Pedro, Síndico —– RAFAEL [[[15]] Gabriel, Bastos, Amaral, Seixas, Hiram, Vasconcelos, Chiabi, Walterson, Dinho, Tate, Sá, Soares, Viana, Rezende, Fivestars —– SOBIS [[[4]]] Gabriel, Gonçalves, Jotapê, Barnabé —– ARRASCAETA [[[3]]] Gabriel, Jottar, Vanda —– CABRAL [[[3]]] Gabriel, Clemenceau, Velame —– ROMERO [[[2]]] Gabriel, Barreto —– NEÍLTON [[[2]]] Gabriel, Uol —– MANO [[[2]]] Gabriel, Bufão.

Quem foi o melhor no jogo dos torpedos?

quinta-feira, 17 de maio de 2018

ATUAÇÕES dos protagonistas do PARANAENSE 1×2 CRUZEIRO, neste 17mai18qua21h45, na Baixada, Curitiba, ida das oitavas da Copa do Brasil 2018:

TORCIDA CELESTE rebelou-se contra a intolerância do cartola-dono do Paranaense, o autoritarismo do Ministério Público e, mesmo proibida, compareceu, juntou-se num canto do estádio e soltou o verbo apoiando seu time. A resistência contra a insanidade dos simões-bacamartes do MP foi saudável, exemplar e deveria ser seguida por todas as torcidas. Chega de interferência do estado na vida do cidadão! Nota Dez! Senti-me orgulhoso de pertencer a uma torcida que, sem violência, desafiou o autoritarismo das autoridades. Esses caras que foram à Baixada ontem me representam. Tenho dito.

(mais…)

AtléticoPR 1×2 Cruzeiro: Melhor que a encomenda

quarta-feira, 16 de maio de 2018

CRUZEIRO contra AtléticoPR, neste 16mai18qua21h45, na Baixada (45 mil), Curitiba, jogo de da das oitavas de final da Copa do Brasil 2018.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 1º, com 15.282 pontos; AtléticoPR é o 9º, com 11.718.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro está estreando no torneio, Paranaense já passou por Caxias, Tubarão, Ceará e São Paulo.

(mais…)

Abuso de autoridade

sexta-feira, 11 de maio de 2018

TORCIDA CELESTE não poderá assistir Paranaense x Cruzeiro, na Baixada, Curitiba, jogo de ida das oitavas da Copa do Brasil. A decisão é do Ministério Público do Paraná, que não quer mais nenhum jogo com duas torcidas em Curitiba.

(mais…)

Cruzeiro contra Furacão

sexta-feira, 20 de abril de 2018

CRUZEIRO jogará contra o Paranaense nas oitavas de final da Copa do Brasil. Fosse hoje, o campeão mineiro estaria desclassificado. Perderia na intensidade.

Como será mais à frente o jogo, Mano poderá tirar algum coelho da cartola. Quem sabe arranjando um nove e ensinando o time a criar jogadas pra ele finalizar?

(mais…)

Noite de Copas

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Noite de Copas.

O Coritiba arrancou um empate de 1×1 contra o Parnahyba, em Teresina, com um gol aos 97.  O Sport passou pelo Santos – do Amapá- por 2×1.

Mas o que interessa mesmo é a Libertadores. Chape vai tentar vencer o Nacional em Montevidéu e o Vasco vai cumprir tabela contra o Concepción, no Rio.

Liberta e Copabras

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Bola rolando na Libertadores:

No Atahualpa, Quito, Del Valle x Banfield. Primeiro jogo, em Lomas de zamora, 1×1.

No El Campin, em Bogotá, Santa Fé x Táchira. No jogo de ida, em San Cristóbal, santa Fé 3×2.

Pra quem não curte libertadores, tem Copa do Brasil. No Mané Garrincha, acabou Brasiliense 1×1 Oeste.

Em Aparecida de Goiás, começo de segundo tempo, Aparecidense 1×1 Botafogo.

Hoje não tem espetáculo…

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Bola rolando nesta quinta.

tem Copa do Brasil na telinha. Em Patos de Minas, a Urt meteu um gol –golaço de Ewerthon Maradona– aos 5 e vence o Paraná.  Às 21h30, o Novo Hamburgo, campeão gaúcho, recebe o Paysandu.

Ãs 20h30, tem Libertadores: Táchira x Santa Fé. O aurinegro venezuelano desclassificou o Macará, do Equador, com empates de 1×1 e 0x0, na primeira eliminatória. O time colombiano conquistou, no domingo, o quadrangular que disputou com Deportivo e América, de Cali, e o Millionarios.

Às 22h30, Oriente Petrolero x Jorge Wilsterman começam a decidir quem veio encarar o vasco em busca de uma vaga no grupo do Cruzeiro.

No Defensores del Chaco, Olimpia x Junior Barranquilla. Vai sair faísca.

No front interno, teve proposta do Benfica pelo goleiro Vítor Eudes, recém-promovido do Sub20 celeste.

PS: Os resultados dos jogos estão na área de comentários.

Jogos perdíveis?

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Conquista x Boa, em Vitória da Conquista, pela Copa do Brasil. Carabobo x Guarani, em Merida, pela Libertadores.

Não dá pra não ver, O jeito é zapear. E mais tarde tem outros jogos imperdíveis… Ou seriam perdíveis?

Segundo tempo da noitada tem Caxias x Paranaense, Banfield x Del valle e Santiago Wanderers x Melgar.

A saga do penta

terça-feira, 17 de outubro de 2017

CLAUDINEI VILELA

A 29ª Copa do Brasil começou em 08fev17 e terminou em 27set17 perante 61 mil espectadores, recorde do novo Mineirão. Foi disputada por 91 clubes, teve 120 partidas e 282 gols foram marcados até encontrar seu dono, o Maior de Minas.

Gigante incontestado em seu pentacampeonato, o Cruzeiro não teve vida fácil. De cara, enfrentou o Volta Redonda, campeão da série D, invicto em seu estádio há mais de um. Decisão em partida única. que o Cruzeiro venceu por 2×1, desprezando a vantagem do empate.

Na segunda fase, ainda em partida única, o Cruzeiro goleou o São Francisco por 6×0 no Mineirão, o maior placar desta edição da Copa. Nesta segunda fase, Coxa, Bahia e Ponte,  da séria A, fi[oram desclassificados, enquanto o  Corinthians só eliminou o pequeno Brusque nos pênaltis.

Na terceira fase, já com partidas de ida e volta, Cruzeiro bateu o Murici, que havia passado pelo América mineiro, com vitórias de 2×0, em Alagoas, e 3×0, em Minas.

Separados os fortes dos fracos, a 4ª fase veio com os clássicos e o São Paulo foi a pedra no caminho celeste. O time paulista tem imensa vantagem no confronto direto em jogos do Brasileiro, mas não na Copa do Brasil. E o Cabuloso passou, vencendo em Sampa por 2×0 e perdendo no Mineirão, por 2×1, fechando a ´serie com 3×2 no placar agregado.

Nas oitavas de final entraram os times que estavam na Libertadores? Ok! O destino nos reservou a Chapecoense, a  “queridinha do Brasil”. E foi uma guerra. Vitória magrinha de 1×0 no Mineirão e empate sofrido, por 0x0 na Condá, com pancadaria no pós-jogo;

Quartas de final teve duelo contra o Palestras, atual campeão Brasileiro, clube que investiu mais de R$100 milhões em 2017, tido como favorito em todos os torneios da temporada.

No jog de ida em São Paulo, o time celeste abriu vantagem de 3×0 na etapa inicial, mas os verdes buscaram o empate na fase derradeira do jogo. Na volta, o Palmeiras fez o 4º gol no agregado e o Cruzeiro só conseguiu a classificação com Diogo Barbosa aos 84, com uma cabeçada na entrada da pequena ãrea porcina. 

O lateral se disse “no lugar errado, mas na hora na hora certa”. Cuca, técnico do Palmeiras atribuiu o gol à inciativa que o jogador celeste teve na busca pelo empate. Iniciativa de quem não se conforma quando só a tática não está resolvendo. 

Se Diogo era o cara errado na hora certa, não se pode dizer que o Cruzeiro estaria no lugar errado em uma semifinal de Copa do Brasil, afinal, está foi a 9ª vez do clube nesse lugar privilegiado nas 21 vezes em que disputou o torneio.

Grêmio, o adversário, era o bicho-papão, o melhor time brasileiro, segundo opinião generalizada de torcedores e cronistas esportivos.  E o tricolor fez valer o mando, vencendo por 1×0 em Porto Alegre. Pouco pra quem teria que visitar o Mineirão.  Muito pouco contra um Cruzeiro que possui 71% de aproveitamento como mandante na história do torneio. E foi Hudson, de cabeça, no início da etapa final, quem devolveu o 1×0 e levou o jogo para os pênaltis.

Nas cobranças alternadas, Fábio defendeu chute de Luan, o jogador mais caro em atividade no país. Do resto, cuidaram as balizas do Mineirão, que cercaram mais dois petardos dos gaúchos.

Veio a decisão contra o marrento Flamengo, que teve receita de R$510 milhões contra R$240 milhões do Cruzeiro em 2016. Nas arquibancadas seis mil cruzeirenses calaram 50 mil flamengos várias vezes, pra espanto de quem via o jogo in loco ou na televisão. E, na cancha, ao contrário dos departamentos contábeis, os valores ficaram iguais, com placares de 1×1 no Rio e 0x0 em Beagá.

A final remetia à de 2003 entre os dois clubes, que terminou também com o caneco indo pro Barro Preto. Arrascaeta, voltando de lesão, ainda não estava pronto pra 90 minutos de uma decisão, mas teve que substituir o lesionado Raniel logo aos 5.  Foi um jogo travado em seu tempo regular, com uma disputa de pênaltis de arrepiar.

Fábio, masis uma vez, foi decisivo, defendendo a cobrança de Diego Ribas, o astro do elenco rubronegro. e Thiago Neves, mesmo escorregando, meteu a bola decisiva no ângulo! Gol, gol, gol, gol, gol, gritou Alberto Rodrigues. É penta, é penta, é penta, é penta, é penta, teria dito Galvão Bueno, não fosse seu coração rubronegro.

Ao Voltaço, ao São Francisco, ao Murici, aquele abraço! Ao bicho-papão São Paulo e ao Índio Condá, aquele abraço! |Ao primo rico, o  Palestra paulista, e ao Copeiro Grêmio, aquele abraço! E à torcida do Flamengo, aquele abraço!!! Pentacampeão incontestável, com todos os méritos, depois de disputar todas as fases da competição.

E não há dor de cotovelo de mesaredondista, nem torcedor secador, que desmereça essa saga do Maior de Minas rumo a seu 9º título nacional. Até 2018!