Arquivo da Categoria ‘Copa América 2015’

Chile, bicampeão das Américas

domingo, 26 de junho de 2016

Chile empata com Argentina por 0x0 em Nova Jersey e fatura o bicampeonato da Copa América, vencendo por 4×2 nos pênaltis.

Vidal, Messi e Bilia perderam pênaltis. Lionel se desesperou. Certamente, será crucificado. Vida de craque não é tão fácil quanto se imagina.

Torcedores e jornalistas são incapazes de compreender os mistérios do esporte. A lista dos heróis nacionais sem títulos da Copa América é extensa.

  • ARGENTINA (2)0x0(4) CHILE, 26jun16dom22h, decisão da Copa América Centenário, MetLife (90 mil), East Rutherford, Nova Jersey, Estados Unidos, 82 mil espectadores. Árbitros Heber Roberto Lopes (brasileiros). Amarelos: Mascherano, Messi, Kraneviter, Beausejour, Aránguiz, Vidal. Vermelhos: Rojo, Díaz. ARGENTINA: Romero — Mercado, Otamendi, Funes Mori, Rojo — Mascherano, Banega (Lamela), Biglia — Di María (Kranevitter) — Higuaín (Agüero), Messi. T: Gerardo Martino. CHILE: Bravo — Isla, Medel, Jara, Beausejour — Díaz, Aránguiz, Vidal — Fuenzalida (Puch), Vargas (Castillo), Sánchez (Francisco Silva). T: Juan Antonio Pizzi.

O melhor das copas está do lado de cá

sexta-feira, 17 de junho de 2016

A Copa América é muito melhor do que a Eurocopa. Em tudo! Os jogos são mais bonitos e emocionantes. Os jogadores do lado de cá do Atlântico são mais técnicos. A segurança é maior e a festa das torcidas mais  empolgante. ESTADOS UNIDOS 7×1 FRANÇA.

Brasil 0x1 Peru: La mano de Diaz

domingo, 12 de junho de 2016

BRASIL contra o Peru, em busca de vaga nas quartas de final da Copa América Centenário.

ZERO HORA contou como foi o jogo.

O início da partida foi truncado, com encontrões, bola mascada e muitas saídas de bola. Quando os jogadores brasileiros abriam caminho até o gol peruano, encontravam um defensor adversário pronto para o embate corpo a corpo, e vários deles caíram em lances dentro da área, como Daniel Alves, aos quatro minutos, Gabriel, aos seis, e Willian aos nove, Philippe Coutinho aos 18.

Em todas, o juiz mandou o jogo seguir. Tanta trombada não demoraria a gerar polêmica: aos 23 minutos, Lucas Lima se adiantou para roubar a bola do peruano Ramos, que, atrasado no lance, derrubou o jogador brasileiro dentro da área. Pênalti que o juiz não marcou.

Apesar da marcação, o Brasil conseguiu se infiltrar na área do adversário criando boas chances, em especial com a movimentação de Filipe Luís, Willian e Gabriel. Em todas elas, o Brasil parou nas mãos do goleiro Gallese, em dia de excelente atuação. O primeiro tempo se encerrou com o árbitro Andrés Cunha equiparando o jogo dos pênaltis não marcados, ao não assinalar uma falta de Renato Augusto sobre Flores em uma dividida dentro da área.

No segundo tempo, o Peru voltou com Yotún no lugar de Balbin, e ganhou consistência ofensiva. Logo aos dois minutos, o peruano sofreu falta do capitão Miranda, a centímetros da área brasileira. Flores cobrou por cima da barreira, no canto esquerdo de Alisson, e esta foi, a rigor, a primeira defesa do goleiro.

O jogo prosseguiu com o Peru concentrando o jogo na esquerda da intermediária brasileira. A Seleção pareceu ter cansado, e, embora ainda jogasse bem, se contentava com avanços esporádicos. Gareca fez então outra substituição, esta determinante, colocando Ruidíaz no lugar de Flores.

Quando a superioridade do Brasil de novo se fazia sentir, o recém-chegado Ruidíaz recebeu um cruzamento de Polo e mandou a bola para o gol com a mão, aos 29 minutos do segundo tempo. Com as reclamações do time brasileiro, o árbitro paralisou o jogo por cinco minutos minutos enquanto decidia, em conferência com seus assistentes e (aparentemente) com alguém fora de campo acionado por rádio. Finalmente, após muita espera, validou o gol.

A partir daí, o Peru se encerrou em seu campo e o Brasil aumentou a pressão, mas sem sucesso.

BRASIL 0x1 PERU, 12jun16dom21h30. TEMPO nublado, temperatura 14º, vento 21Km/h, umidade 55%. LOCAL: Gillette Stadium, Foxborough, Massachusetys, Estados Unidos. TRANSMISSÃO: Globo e SporTV.  ARBITRAGEM: Andrés Cunha, Nicolás Tarán e Richard Trinidad, uruguaios. AMARELOS: Lucas Lima, Renato Augusto, Yotún. GOL: Ruidiaz, 74. BRASIL: Alisson; Daniel Alves, Miranda, Gil, Filipe Luís; Elias, Renato Augusto, Willian, Lucas Lima, Philippe Coutinho; Gabriel (Hulk). T: Dunga.  PERU: Gallese; Corzo, Ramos, Rodríguez, Trauco; Vílchez, Balbín (Yotún), Polo, Flores (Ruidíaz); Cueva (Tapia), Guerrero. T: Ricardo Gareca.

Brasil 7×1 Haiti: Desta vez, a favor

quarta-feira, 8 de junho de 2016

VEJA contou:

Apesar da enorme diferença técnica entre as duas seleções, o Brasil teve méritos na goleada. A equipe comandada por Dunga arriscou tabelas, investiu em jogadas pelas laterais e sempre buscou o ataque.

Phillipe Coutinho marcou o primeiro ao avançar pela intermediária e acertar um chute forte de fora da área. Pouco depois, Jonas recebeu na pequena área e foi generoso: rolou para Coutinho anotar, sem goleiro, o segundo.

A fragilidade do empolgado Haiti ficou evidente no lance do 3×0. Depois de uma boa defesa, o goleiro Placide repôs a bola nos pés de Daniel Alves, que cruzou pra Renato Augusto fazer de cabeça.

Apagado apesar da goleada, Jonas saiu no intervalo para a entrada de Gabigol. Em boa fase, o atacante santista mostrou estrela e marcou o seu aos 58, depois de receber em velocidade e tocar no canto. De cabeça, Lucas Lima -que havia entrado no lugar de Casemiro- fez o quinto.

Aos 69, o Haiti descontou. Alisson deu rebote em chute defensável de Nazon e Marcelin balançou as redes, pra festa da barulhenta torcida do Haiti, em grande número no Citrus Bowl.

Mesmo com o ritmo da partida diminuindo, o Brasil fez mais dois. Renato Augusto ampliou em jogada individual aos 85 e, aos 96, Philippe Coutinho acertou outro bonito chute de longe e decretou o 7×1.

BRASIL 7×1 HAITI, 08jun16qua20h30. TEMPO ensolarado, temperatura 28º, vento 16 Km/h, umidade 69%. LOCAL: Citrus Bowl (65 mil), Orlando, Florida, USA. MOTIVO: 2ª rodada, Copa América 2016. TRANSMISSÃO: Globo e SporTV. PÚBLICO: 28.241. ARBITRAGEM: Mark Geiger (Estados Unidos), Joseph Fletcher (Canadá), Charles Morgante (Estados Unidos). AMARELOS: Goreau, Casemiro. GOLS: Phillipe Coutinho, 13 e 28, Renato Augusto, 34, Gabigol, 58, Lucas Lima, 67, Marcelin, 69, Renato Augusto, 85, Phillipe Coutinho, 91. BRASIL: Alisson — Daniel Alves, Marquinhos , Gil,  Filipe Luís — Casemiro (Lucas Lima), Elias (Wallace) — Renato Augusto,  Phillipe Coutinho — Willian, Jonas (Gabigol). T: Dunga.  HAITI: Johny Placid — Reginald Goreux, Romain Genovois, Mechack Jerome — Alcénat (Maurice), James Marcelin, Jean Alexandre (Hilaire), Kevin Lafrance, Kim Jaggy — Jeff Louis — Belfort (Nazon). T: Patrice Neveu.

Brasil 0x0 Equador: Estreia sem graça

sábado, 4 de junho de 2016

Brasil estreou na Copa América 2016 empatando como Equador em 0x0.

Site da VEJA contou como como foi.

No primeiro jogo sem titulares dos 7×1 contra a Alemanha, a seleção brasileira empatou em 0x0 neste sábado com o Equador, no Rose Browl, na Califórnia.

Apesar da maior posse de bola durante os 90 minutos e do relativo domínio no jogo, faltou à seleção transformar a grande quantidade de toques em oportunidades objetivas de gol.

A noite de estreia só não foi pior porque a arbitragem anulou um gol legítimo do Equador aos 66 minutos. Em lance bisonho, o goleiro brasileiro Alisson deixou a bola entrar nas redes após cruzamento de Miller Bolaños. Sua sorte foi o bandeirinha ter imaginado que a bola havia saído antes pela linha de fundo.

As melhores oportunidades brasileiras aconteceram no 1º tempo pelos pés dos meiatacantes William e Coutinho, que comandaram as ações do timeoutno início do jogo.

Aos 5, William fez jogada pela direta, cruzou pra Coutinho, que só não marcou por conta da boa defesa de Dreer. Outra boa oportunidade foi aos 25, quando Elias errou na finalização após bom passe de Jonas.

Na volta do intervalo, o Brasil continuou com o domínio de bola, mas as oportunidades ficaram ainda mais escassas. Pra tentar melhorar o poder ofensivo, Dunga trocou Jonas por Gabriel. e depois Willian por Lucas Moura.

A única chance boa do 2º tempo viria dos pés de Lucas. Aos 83 minutos, o atacante cabeceou uma bola, que balançou as redes, mas pelo lado de fora.

A equipe de Dunga saiu vaiada do Rose Bowl. O próximo jogo da seleção brasileira será na quarta, contra o Haiti, às 20h30. (texto condensado)

BRASIL 0x0 EQUADOR, 04jun16sab23h. TEMPO: Céu limpo, temperatura 24º, vento 14 Km/h, umidade 48%. LOCAL: Rose Bowl (92 mil), Pasadena, California, USA. MOTIVO: 1º Copa América 16. TRANSMISSÃO: Globo e SporTV. PÚBLICO: 53.158. ARBITRAGEM: Julio Bascuñán, Carlos Astroza, Christian Schiemann, chilenos. AMARELOS: Casemiro, Elias, Gil, Paredes, Enner, Amovi. BRASIL: Alisson — Daniel Alves, Gil, Marquinhos, Filipe Luis — Casemiro, Elias (Lucas Lima, 86), Renato Augusto — Willian (Lucas Moura, 75), Coutinho — Jonas (Gabigol, 61). T: Dunga. EQUADOR: Esteban Dreer — Juan Carlos Paredes, Arturo Mina, Walter Ayoví, Gabriel Achilier — Jefferson Montero (Fidel Martìnez, 81), Carlos Gruezo, Christian Noboa, Antonio Valencia — Miller Bolaños (Fernando Gaibor, 91), Enner Valencia (Jaime Ayoví, 81). T: Gustavo Quinteros.

Copa América, Chile 0 (4) x (1) Quebrou o lacre!

sábado, 4 de julho de 2015

CHILE, campeão da Copa América 2015.

O Chile iniciou pressionando e criando boas oportunidades nos primeiros 20 minutos. Aos 8, podia finalizar, mas preferiu passar e a bequeira chilena limpou a área. Em seguida, Sánchez chutou, a Demichelis afastou mal e bola ficou com Vidal, que chutou forte. Romero defendeu. A primeira oportunidade da Argentina aconteceu aos 20. Messi cobrou falta, Agüero apareceu no meio da área pra desviar, mas Bravo fez grande defesa. Aos 32, Sánchez perdeu outra oportunidade, após baterrebate na área argentina. Ais 37, Lavezzi criou a melhor chance argentina. Ele passou pela defesa chilena e finalizou forte, Bravo salvou o Chile, com uma defesaça.

O ritmo caiu na etapa final. O Chile continuou melhor enquanto a Argentina padecia do apagão de Messi. Aos 80, o Chile desperdiçou grande oportunidade. Isla lançou Sánchez, que chutou de prima. . A bola passou perto do arco argentino, assustando Romero, mas acabou indo para fora. Aos 88, Messi puxou contrataque e serviu Lavezzi, que passou a Higuaín. O centroavante concluiu a jogada com chute forte, mas sem direção.

A prorrogação foram de muito respeito e poucas oportunidades. A melhor chance surgiu aos 15, quando Mascherano falhou, Sánchez ficou na cara do gol, mas chutou pra fora.

A disputa foi pros pênaltis. Matías Fernandes soltou a bomba, Chile 1×0. Messi empatou. Argentina 1×1. Vidal cobrou, Romero tocou na bola, mas ela entrou fazendo Chile 2×1. Higuaín isolou. Argentina 1×2. Aranguiz chutou forte. Chile 3×1. Banega cobrou,denedeu. Argentina 1×3. Sánchez, de cavadinha, fechou a Copa. Chile 4×1.

CHILE x ARGENTINA, 29jun15seg20h30, tempo bom, temperatura 17º, vento 10 Km/h, umidade 45%, final da Copa América 2015, Nacional Julio Martínez (55 mil), Santiago, Chile, 46.000 espectadores. Árbitros: Wilmar Roldán, Alexander Guzmán e Cristian de la Cruz, colombianos. Amatelos: Silva, Medel, Díaz, Aránguiz (C), Rojo, Mascherano, Banega (A) CHILE : Claudio Bravo, Mauricio Isla, Gary Medel, Francisco Silva e Jean Beausejour; Marcelo Díaz, Charles Aránguiz, Arturo Vidal e Jorge Valdivia (Matías Fernandez, 73); Eduardo Vargas (Henriquez, 4/P) e Alexis Sánchez. T: Jorge Sampaoli. ARGENTINA: Sergio Romero, Pablo Zabaleta, Nicolás Otamendi, Demichelis e Marcos Rojo; Javier Mascherano, Lucas Biglia e Javier Pastore (Banega, 80); Lionel Messi, Ángel Di María (Lavezzi, 28) e Sergio Agüero (Higuaín (73). T: Gerardo Martino.

O Peru ficou com o 3º lugar, vencendo o Paraguai.

PERU 2×0 PARAGUAI, 03jul15sex20h30, tempo bom, temperatura 11º, vento 10 Km/h, umidade 80%, decisão do 3º lugar da Copa América 2015, Alcaldesa Ester Roa Rebolledo (Municipal de Collao, 30 mil), Concepción, 15.000 espectadores. Árbitros: Raúl Orosco, Javier Bustillos, Juan Montaño, bolivianos. Amarelos: Yotún (Per); Samudio (Par). Gols: Carrillo, 47, Guerrero, 90. PERU : Gallese; Advíncula, Christian Ramos, Ascues e Vargas; Lobatón (Yotún), Ballón, Carrillo (Hurtado), Cueva e Reyna (Sánchez); Guerrero. T: Ricardo Gareca. PARAGUAI : Justo Villar; Marcos Cáceres, Paulo da Silva, Pablo Aguilar e Samudio; Ortigoza (Richard Ortiz), Victor Cáceres (Aranda) e Osvaldo Martínez (Benítez); Bobadilla, Lucas Barrios e Óscar Romero. T: Ramón Díaz.

Copa América: Argentina 6×1 Paraguai

terça-feira, 30 de junho de 2015

Em Concepción, Chile, a Argentina goleou o Paraguai e vai decidir a Copa América contra o Chile.

Argentina chegou pela 27ª vez à final da Copa América, após vencer o Paraguai por 6×1, em Concepcion. A decisão, Chile x Argentina será no sábado, às 17h, no estádio Nacional, em Santiago. Na sexta, às 20h30, em Concepción, Peru e Paraguai decidem o 3º lugar.

A Argentina abriu o placar aos 14. Messi cobrou falta na esquerda, a bola pererecou na área paraguaia. e Marcos Rojo só teve o trabalho de empurrá-lar pra rede. Aos 26, Argentina fez 2xo. Messi recebeu na intermediária e lançou Pastore, que avançou e chutou rasteiro, cruzado sem chance pra Villar. O Paraguai diminuiu aos 41. Saída errada da defesa argentina, Valdez recuperou a bola e tocou de cabeça pra Lucas Barrios, que avançou e chutou forte, pra fazer Paraguai 1×2.

A Argentina voltou com tudo na etapa final. Aos 48, contrataque com Pastore, que acionou Di Maria na cara do gol. O atacante do ManU deu um toque no canto direito de Villar: 3×1. Aos 51, Messi pegou a bola na intermediária, passou por Cáceres, canetou Valdez e serviu Pastore: 4×1. Aos, 79, Messi passou a Di María, que cruzou pra Agüero cabecear: 5×1. Aos 82,  Messi deixou Higuaín na cara do gol: Argentina 6×1.

ARGENTINA 6×1 PARAGUAI, 30jun15ter20h30, tempo bom, temperatura 10º, vento 10 Km/h, umidade 87%, semifinais da Copa América 2015, Alcaldesa Ester Roa Rebolledo (Municipal de Collao, 30 mil), Concepción, 29.205 espectadores, gols de Rojo, 14, Pastore, 26, Barrios, 42, Di Maria, 48 e 51, Aguero, 79, Higuaín, 82. Árbitros: Sandro Meira Ricci, Emerson Augusto de Carvalho, Fábio Pereira, brasileiros. Amarelos: Cáceres, Paulo da Silva (P); Biglia, Rojo (A). ARGENTINA: Romero, Zabaleta, Demichelis, Otamendi e Marcos Rojo; Mascherano (Gago), Biglia e Pastore (Banega); Di María, Messi e Agüero (Higuaín). T: Gerardo Martino. PARAGUAI: Villar, Bruno Valdez, Paulo Da Silva, Aguilar e Piris; Victor Cáceres, Ortiz, González (Bobadilla) e Benítez; Haedo Valdez (Romero) e Santa Cruz (Lucas Barrios). T: Ramón Díaz.

Copa América: Chile 2×1 Peru

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Chile venceu o Peru, em Santiago, e disputará a final da Copa América 2015, no próximo domingo, contra Paraguai ou Argentina.

CHILE 2×1 PERU,  29jun15seg20h30, tempo bom, temperatura 14º, vento 10 Km/h, umidade 47%, Nacional Julio Martínez (55 mil), Santiago, Chile, 55.000 espectadores, gols de Vargas, Medel, contra, Vargas. Árbitros: José Argote,  Jorge Urrego, e Byron Romero, venezuelanos. Amarelo: Zambrano (P). Vermelho: Zambrano (P). CHILE: Claudio Bravo; Mauricio Isla, José Rojas, Gary Medel e Albornoz (Eugenio Mena) e Francisco Silva; Marcelo Díaz (David Pizarro), Charles Aránguiz, Arturo Vidal e Jorge Valdivia (Felipe Gutiérrez); Alexis Sánchez e Eduardo Vargas. T: Jorge Sampaoli. PERU: Pedro Gallese; Luis Advíncula, Carlos Zambrano, Carlos Ascues e Juan Vargas; Carlos Lobatón, Josepmir Ballón (Yotún), Christian Cueva (Christian Ramos) e André Carrillo (Claudio Pizarro); Jefferson Farfán e Paolo Guerrero. T: Ricardo Gareca.

Copa América: Brasil 1(3)x(4)1 Paraguai

sábado, 27 de junho de 2015

BRASIL contra Paraguai, às 18h30 deste sábado, 27jun15, em Concepción. O vencedor jogará contra a Argentina, nas semifinais da Copa América 2015.

Classificação merecida do Paraguai, que teve mais disposição, se empenhou mais e bateu pênaltis como manda o manual: com chutes fortes.

JEFFERSON tudo o que era possível. DANIEL ALVES deu muito espaço na marcação e atacou sem a menor inspiração. MIRANDA, o melhor do time. THIAGO SILVA espirrou na farofa cometendo um pênalti infantil. FILIPE LUIS, bem na marcação, mas pouco efetivo no ataque.

FERNANDINHO foi apenas marcador. ELIAS, tímido, não jogou com a desenvoltura com que faz no Corinthians. COUTINHO teve poucos lampejos do craque que aparenta ser no Liverpool.

WIILIAN mostrou imperdoável desinteresse. ROBINHO fez excelente 1º tempo, mas sumiu no 2º. FIRMINO, TARDELLI e DOUGLAS COSTA foram inúteis. EVERTON RIBEIRO entrou animado, mas bateu pênalti como um cabeça de bagre.

Ficou no ar uma pergunta: por que as putaveias de seleção Daniel Alves, Thiago Silva, Filipe Luis e Tardelli não se apresentaram pra cobrar pênaltis?

BRASIL 1(3)x(4)1 PARAGUAI, 27jun15sab18h39, tempo bom, temperatura 14º, ventos 16 Km/h, umidade 77%, quartas de final da Copa América 2915, Alcaldesa Ester Roa Rebolledo (Municipal de Collao, 30 mil), Concepción, espectadores, gols de Robinho, 14, Benitez, pênalti, 71. Árbitros: Andrés Cunha, Mauricio Espinosa, Carlos Pastorino, uruguaios. Amarelos: Alves, Coutinho (B); Valdez, Aguilar, Martínez (P). BRASIL: Jefferson; Daniel Alves, Thiago Silva, Miranda e Filipe Luís; Fernandinho, Elias, Willian, Philippe Coutinho e Robinho; Roberto Firmino. T: Dunga. PARAGUAI: Justo Villar; Bruno Valdez, Paulo da Silva, Pablo Aguilar e Iván Piris; Derlis González, Eduardo Aranda (Osvaldo Martínez), Víctor Cáceres e Édgar Benítez (Óscar Romero); Roque Santa Cruz e Nelson Haedo Valdez (Raul Bobadilla). T: Ramón Díaz.

Copa América: Argentina, nos pênaltis

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Argentina venceu a Colômbia na disputa de pênaltis, em Viña Del Mar, e enfrentará, nas semifinais, o vencedor de Brasil x Paraguai.

ARGENTINA 0(5)x(4)0 COLÔMBIA, 26jun15sex20h30, tempo bom, temperatura 16º, vento 8 Km/h, umidade 55%, Sausalito (23 mil), Viña Del Mar, quartas de final da Copa América 2015, 21.508 espectadores, gols na disputa de pênaltis de Messi, Garay, Banega, Lavezzi, Tevez (A), James Rodríguez, Falcao García, Cuadrado, Cardona (C). Perderam pênaltis: Garay, Rojo (A), Muriel, Zuñiga, Murillo (C). Árbitros: Roberto Garcia, José Luis Camargo e Martin Torrentera, mexicanos. Amarelos: Mascherano, Aguero (A), Rodríguez, Cuadrado, Arias, Mejía (C). ARGENTINA: Sergio Romero, Pablo Zabaleta, Nicolás Otamendi, Ezequiel Garay e Marcos Rojo; Javier Mascherano, Lucas Biglia e Javier Pastore (Banega); Lionel Messi, Ángel Di María (Lavezzi) e Sergio Agüero (Carlito Tevez). T: Gerardo Martino. COLÔMBIA: David Ospina, Arias, Cristian Zapata, Jeison Murillo e Camilo Zuñuga; Alexander Mejía, Juan Cuadrado, Víctor Ibarbo (Muriel) e James Rodríguez; Jackson Martínez (Falcao García) e Teófilo Gutiérrez (Cardona). T: José Pekerman.