Arquivo da Categoria ‘Comentários’

Um cara pra morder e esticar!

sábado, 28 de julho de 2018

O Cruzeiro tem três culpados universais pelas derrotas: Fábio, Leo e Henrique.

Fábio nem precisa falhar, basta levar gol. Nem de pênalti, pode. Leo, idem. Henrique é culpado por não morder, não agarrar, não carrinhar, não lançar, marcar com os olhos, ser avoado e sei lá mais o quê. É o caso mais grave.

Mais grave, porém de solução mais fácil. No elenco, tem o Romero. Espalhados por aí, o General Donizete e o Pierre, duas paixões recolhidas dos torcedores celestes amantes dos velhos cabeças de área.

Mas o cara que melhor atenderia ao anseio da galera é o Willians. Morde tornozelos e estica bolas o tempo todo! Um cara que encantaria o velho Osvaldo Faria e os seguidores dele.

Atualmente, Willians defende o glorioso Cerrebê, na Série B. Já disputou 10 partidas na temporada: 5 no Alagoano, 2 na Copa do Brasil, 1 na Copa do Nordeste e 2 no Brasileiro. Deve estar descansado. É chegar, vestir a camisa e ir pro jogo.

Thales: “Jogamos três pontos no lixo”

sexta-feira, 27 de julho de 2018

PITACOS acerca do CORINTHIANS 2-0 CRUZEIRO, em Itaquera, São Paulo, 25jul18qua21h45, 15ª rodada do Brasileiro 2018:

MANO MENEZES: O sentimento é de frustração, porque não se pode perder um jogo com aquilo que se jogou. Tomamos os gols e não fizemos os que criamos. Mas o jogo em si, a proposta, a ideia do que queríamos, conseguimos fazer quase que na totalidade. Taticamente, o time foi bem. Mas no futebol tem que matar. Quando se cria oportunidades, tem que fazer. Tomamos o primeiro gol com muita facilidade, uma bola que veio lá de trás, que ficou no setor durante 20 segundos e não pressionamos. Depois criamos três chances claríssimas, que nossos jogadores não costumam errar. Mas hoje erraram, e por isso estamos saindo com a derrota. Não sofremos a derrota porque retiramos jogadores. Perdemos porque não fizemos o que podíamos ter feito. Barcos teve, pelo menos, duas chances de gol. E também não acho que Neves tenha sido o problema do time. Estou aqui pra ser justo e vou ser, mas determinadas coisas temos que ver agora.

SETELAGOAS: Jogo na casa dos gambás sempre foi complicado, por isto, o Mano deveria ter aproveitado o contexto (técnico inexperiente, adversário desfalcado, desmanche recente etc) e ir com tudo pra buscar os três pontos. Mas, novamente, o time despertou pra vida somente após tomar gol. Antes disso, esteve até melhor, mas sem ambição de vencer.

VELLOSO: O meio de campo esteve pouco povoado após a saída de Lucas, com Bruno e Henrique fazendo pouco pra marcação na frente da zaga. Além disto, sem ambição, o time celeste não propôs marcação mais alta contra um time com visível dificuldade de sair pro jogo. Faltou sede de vitória. Com a escalação proposta, faltou repertório no primeiro tempo e tranquilidade no segundo. Rafinha errou quase tudo, Bruno não teve o arranque necessário e Neves pouco fez. Os destaques foram Romero, Manoel e Barcos.

THALES: Este jogo foi um tapa na cara do torcedor. Perder pra um time claramente mais fraco é inaceitável. neves, Bruno e Rafinha ajudaram bastante na estratégia do treinador de abrir mão do Brasileiro. Foi uma vergonha, depois de 30 dias sem jogos, o time mostrar sinais de cansaço. Jogamos três pontos no lixo.

JOTA DIAS: Cruzeiro teve oportunidade para marcar e não conseguiu. Corinthians fez os dois golos que dava pra fazer. O segundo, com a parceria de sempre com a arbitragem.  

FABRÍCIO: Temos um novo time titular, pois o Mano disse que ninguém foi poupado. Preocupante. 

Semana 29: bom futebol, ótimos resultados

quarta-feira, 25 de julho de 2018

Notícias do Cruzeiro na SEMANA 29 de 2018, por MAURO FRANÇA:

SEGUNDA, 16JUL18. CRUZEIRO 1×1 PARANAENSE, Copa do Brasil, volta oitavas, Mineirão, BH, 39.784 pag, R$638.477. Gols: Arrascaeta, 85, Bergson, 90. Cruzeiro: Fábio, Edilson, Dedé, Leo, Egídio, Henrique, Lucas; Rafinha (Robinho), Neves (Raniel), Arrascaeta; Sobis (David). T: Mano. Paranaense: Santos; Jonathan (Bergson), Paulo André, Thiago Heleno, Lodi; Guimarães, Gonzalez (Marcinho); Rossetto; Nikão, Veiga (Guilherme); Pablo. T: Tiago Nunes. /// MANO: “O Cruzeiro foi bem. O jogo era perigosíssimo pelo adversário e pelas circunstâncias. Por isto, saio satisfeito com o resultado e o rendimento da equipe. O time fez um jogo equilibrado, maduro, consciente. Foi apertando até marcar seu gol e só não saiu com a vitória por causa de detalhes. Mas não precisávamos da vitória e sim da classificação”. /// RAFINHA recebeu placa pelos 100 jogos com a camisa celeste. /// MARCONE BARBOSA, assessor de imprensa, assumirá a Gerência de Futebol, vaga desde a saída de Tinga. /// ARRASCAETA, segundo inglês The Sun, interessa ao Newcastle e ao Celtic.

TERÇA, 17JUL18. REAPRESENTAÇÃO: regenerativo pra titulares, treino técnico pros demais, incluindo Barcos. /// MANCUELLO treinou normalmente. /// CRUZEIRO 7×0 PORTO VITÓRIA (ES). Taça BH Sub17, 1ª rodada Grupo E, Toca I. Gols: Jesus (2), Caio (2), Popó, Vitinho, Samuel. Cruzeiro: Denivys; Rian (Júlio César), César, Alysson, Ruan; Murilo (Ageu), Bicalho (Alexandre), Vitinho (Heitor), Caio (Samuel), Jesus; Popó (Alejandro). T: Pacheco.

QUARTA, 18JUL18. TREINO fechado. /// BARCOS regularizado. /// SIMON, central cubano, contratado pelo Lube Civitanova. Sada Cruzeiro recorrerá à Fivb.

QUINTA, 19JUL18. CRUZEIRO 3×1 AMÉRICA. Brasileiro, 13ª rodada, Mineirão, BH, 13.282 pag, R$294.127. Gols: Christian, 31, Arrascaeta, 34, Robinho, 59, Raniel, 64.  Cruzeiro: Fábio; Edilson; Dedé, Leo; Egídio; Henrique, Cabral; Robinho, Neves (Mancuello), Arrascaeta (Rafinha), Barcos (Raniel). T: Mano. América: João Ricardo; Norberto (Ademir), Ferraz, Messias, Giovanni; Juninho, Leandro (Ruy), Christian, Wesley (Capixaba), Aderlan, Moura. T: Drubscky. /// MANO: “O torcedor chamou a equipe, apoiou e cantou o nome do Dedé. Em poucos minutos, empatamos. Poderíamos virar o 1º tempo vencendo. No 2º tempo, viramos, jogando bem, e poderíamos ter feito um placar mais dilatado”. /// ROBINHO completou 100 jogos com a camisa celeste. /// CRUZEIRO 0x0 GOIANIENSE, Taça BH Sub17, 2ª rodada, Grupo E, Toca I. Cruzeiro: Denivys; Rian, César, Alysson, Ruan; Murilo (Ageu), Bicalho (Samuel), Vitinho (Alexandre), Caio, Jesus (Alejandro); Popó (Riquelmy). T: Pacheco. /// CRUZEIRO 1×0 VITÓRIA, Brasileiro Sub20, 3ª rodada, Grupo C, Mineirão. Gol: Ronaldo. Cruzeiro: Brazão; Luiz Gustavo, Ronaldo, Cacá, Rafael; Edu, Maktom, Alesson (Matheus), Michel (Cesinha), Laércio (Vinícius); Diego (Jonathan).

SEXTA, 20JUL18. REAPRESENTAÇÃO: regenerativo pra titulares, treino técnico pros demais. /// RANIEL interessa ao Sporting, segundo o português O Jogo.

SÁBADO, 21JUL18. TREINO fechado. /// CRUZEIRO 1×2 CRICIÚMA, Taça BH Sub17, 3ª rodada, Grupo C, Toca I. Gol: Caio. Cruzeiro: Denivys; Rian, César (Nardoci), Alysson, Ruan (Gianluca); Murilo (Alexandre), Vitinho, Alejandro (Samuel), Caio, Jesus (Bicalho); Popó (Riquelmy). T: Pacheco. Cruzeiro eliminado. /// CRUZEIRO 5×1 UNIÃO LUZIENSE, Mineiro Sub20, 10ª rodada, Toca I. Gols: Marcelo (3), Laércio, Ruam. Cruzeiro: Braz; Votorantim, Edu (Ronaldo), Rissi, Matheus; Jonathan, Marco Antônio, João Luiz (Laercio), Cesinha (Michel) (Makton), Marcelo (David); Vinícius (Ruam). /// ATLETISMO: Marcos Pereira e Mirian Franco venceram a 22ª Corrida de Santana de Caicó (RN). José Márcio Leão foi 2º.

DOMINGO, 22JUL18. CRUZEIRO 2×1 PARANAENSE, Brasileiro, 14ª rodada, Mineirão, BH, 12.129 pag, R$245.910. Gols: Guilherme, 39 (p), Arrascaeta, 65, Barcos, 80. Cruzeiro: Fábio; Edilson, Dedé, Leo, Hermes; Lucas (Rafinha), Romero, Robinho, Neves (Raniel), Arrascaeta; Barcos (Bruno). T: Mano. Paranaense: Santos; Jonathan, Paulo André, Wanderson, Nicolas; Guimarães (Rossetto), González, Guilherme (Cirino); Pablo, Nikão (Nazário); Bergson. T: Tiago Nunes. /// MANO: “Iniciamos mal, cadenciando demais, rodando bolas óbvias. O Paranaense criou problemas e poderíamos ter tomado gol antes do pênalti. Depois aceleramos o passe e fomos mais objetivos. No 2º tempo, fomos melhores. Tivemos mais qualidade pelos dois lados e criamos oportunidades para merecer a virada”. /// ARRASCAETA tornou-se artilheiro do novo Mineirão (29 gols) e igualou Moreno como maior artilheiro estrangeiro do clube (45). /// ROBINHO recebeu placa pelos 100 jogos. /// LEO já é 3º beque com mais partidas pelo clube (306), ultrapassando Zezinho Figueroa. /// ATLETISMO: Jair Silva venceu os 10 km da etapa de João Pessoa do 9º Circuito Farmácia Pague Menos, seguido por Gleison Santos. Mirian Franco foi 2ª. Cícero Vieira foi 2º na 1ª Meia Maratona de Maceió. Jair Silva venceu a 50ª Corrida Augusto Severo de Macaíba (RN), seguido por Marcos Pereira, Gleison Santos e José Márcio Leão. Mirian Franco foi 2ª. Em Ribeirão Preto, Gilmar Silvestre foi 3º na 4ª Corrida Internacional da Integração. Valério Fabiano venceu os 5 km da 8ª Rústica de Cardoso Moreira (RJ). Reginaldo Silva e Selma Flaviana foram os vencedores da 33ª Rústica de Santana do Barroso (MG). Fabiana Araújo foi 3ª. Ivamar Oliveira, 2º na Corrida da Associação Atlética de Vazante.

Seu nome, sua posição?

terça-feira, 24 de julho de 2018

SETELAGOAS anda absurdado com os pitacos desprovidos de noção dos comentaristas do PHD no que diz respeito (obrigado, Anta!) ao desempenho técnico táticos dos jogadores de futebol.

Desconfia ele que a acaboclada, por aqui, nunca chutou uma bola fora do mundo virtual. Por isto ele pergunta: “Seu nome, sua posição, por favor?”. 

Eu joguei em três posições na minha longa carreira de peladeiro: centroavante, ponta e beque.

Como beque, fui uma espécie de Caicedo. Centroavante, fui Ábila, Na ponta, jogava que nem o Jairzinho da Copa de 70: um furacão, que fazia o facão e marcava gol adoidado.

O cara a ser contratado

segunda-feira, 23 de julho de 2018

ITAIR, fosse mais inteligente, já teria esquecido Rocha e Goulart e contratado Arrascaeta. Ele está fazendo a diferença. Leva torcedor ao campo, garante vitórias, talvez, até sócios adimplentes.

Mesmo que o melhor momento pra venda no mercado europeu seja perdido, o craque ainda teria 4 anos de validade pro resto do Brasil, pro México e pra China. investimento com retorno garantido.

As causas da seca

quinta-feira, 19 de julho de 2018

CLAUDINEI VILELA debruçou-se sobre os problemas que levaram o Cruzeiro a ter um péssimo desempenho ofensivo nas 12 rodadas do Brasileiro antes da Copa. Eis o diagnóstico: 

  1. Ausências de seus principais jogadores de frente por devido a lesões (Fred, Sassá, Raniel, David, Rafinha).
  2. Convocação pra seleção (Arrascaeta).
  3. Desgaste físico (Neves, Robinho).
  4. Priorização de jogos mais importantes (Libertadores e Copa do Brasil), com a consequente escalação do time alternativo.
  5. Mesmo assim, o time manteve o padrão e criou muitas chances, que infelizmente não foram convertidas. O equilíbrio entre defesa e ataque foi o que manteve o Cruzeiro entre os melhores.

São problemas comuns a todos os times que disputam a Série A. Eu buscaria mais explicações, além destas. e vc, caro leitor?

As mais belas histórias de torcedores (I)

quarta-feira, 18 de julho de 2018

CORAÇÕES PARTIDOS é uma realidade no futebol. A partirdes hoje, num esforço de reportagem, o PHD vai contar algumas histórias de torcedores que sofrem por mais de um clubeo.

  • GENIBALDO LUCENA nasceu em Campina Grande, Paraíba, em 1946. Filho de um ex-presidente do Campinense, tornou-se, ainda criança, por via de consequência, um raposeiro fanático. Em 1965, contudo, mudou-se pra Beagá a fim de estudar Medicina (formou-se em otorrinolaringologia), trocou o forró pé-de-serra pelas canções do Clube da Esquina e adotou o Cruzeiro de Tostão e Dirceu como seu primeiro time. Mas o Campinense continua em seu coração, tanto que ha três anos, quando o rubrnegro abiscoitou a Copa do Nordeste, ele foi visto no Almeidão com uma camisa metade azul, metade vermelha-e-preta, acompanhado por duas bailarinas de um grupo de forró da cidade. 
  • EVANDRO OLIVEIRA nasceu em Esmeraldas, Minas Gerais, quando a cidade ainda se chamava Santa Quitéria.  De criança, era Campolina, por influência do pai, e América, por determinação materna. Suas brigas com o primo Silvercan, torcedor do Vasco local e do Cruzeiro, eram homéricas. Dividiam a cidadezinha em facções mais antagônicas do que as dos Capuletto e Montecchio, em Verona. Mas o nosso webmaster encontrou, ele também, seu caminho de São Paulo.  Nos anos 50, soldado do 12º RI, no Barro Preto,  levava o comandante do quartel pra todos os lados num side car acoplado à uma moto do Exército. O general vivia no estádio JK e foi lá que nosso amigo, influenciado pelos eternos Bengala e Souza, virou a casaca e tornou-se o equilibrado cruzeirense que vcs conhecem. 
  • TANCREDO NEVES nasceu em São João del Rei, Minas Gerais, em 1910. Foi jogador e torcedor do Minas de sua cidade. Mais tarde, influenciado pelo genro, Aécio Cunha, vice-preside te do Cruzeiro, aderiu ao Cabuloso. Mas teve que abrir o coração, quando governador de Minas, pra encaixar América e Atlético. Foi assim que começou o grande acordo mineiro que o levou a se eleger presidente da República. 

Tenho outras histórias. contá-las-ei, oportunamente. Por ora, serei todo ouvidos pra ouvir as comissões de vós outros.

Sorvete na testa

domingo, 15 de julho de 2018

TORCEDOR é burro que dói! As emissoras de TV e seus comentaristas têm muitos interesses comuns com a Fifa. Por isto, falam baixinho, quando o assunto é a esculhambação do Var, o veto da entidade às mulheres bonitas, a sonegação de imagens de lances polêmicos etc.

Mas, pra não dizer que não falaram de flores, amanhã vão perguntar ao Colina o que ele achou da arbitragem do Pitana. E venderão o peixe do ex-juiz italiano e do Infantino pra galera estúpida, que aceitará como bem-sucedia a pior arbitragem de uma final na história das copas.

Mas a verdade é só uma: a nanica Croácia foi tungada. E os tolos, pra não perder o costume, vão bater com o sorvete testa argumentando o contrário.

Compensação

segunda-feira, 9 de julho de 2018

MERRECA de salário, grana curta no banco, sem jatinho, comendo só bucho, não sabe jogar bola, morar em Paris não pode, autógrafo e selfie ninguém pede. Fracasso! Bate o desespero e o caboclo decide fazer análise. SUS não oferece. Resta escrachar o Neymar, jogador terapêutico.

Catimba: um ranking pra desasnar palpiteiros

domingo, 8 de julho de 2018

CATIMBA na Copa: um ranking pra desasnar mesa-redondistas e seus seguidores:

O FiveThirtyEight, site americano especializado em análise de dados e previsão de resultados, fez levantamento de quanto tempo cada seleção da Copa gasta pra atividades como tiro de meta e substituições quando está à frente no placar –a popular “cera”.

O resultado é surpreendente para aqueles que apontam o Brasil como o mais catimbeiro. A seleção de Tite chega a ser até mais rápida quando está em vantagem, com média de dois segundos a menos nas cinco situações de jogo analisadas: escanteios, faltas, tiros de meta, substituições e arremessos laterais.

O time que apresentou maior variação de tempo nessas situações foi o Peru –seis segundos a mais pra cada uma delas, lembrando que a seleção peruana só esteve em vantagem diante da Austrália, na última rodada da fase de grupos, quando já estava desclassificada.

A surpresa vem a seguir: quatro seleções europeias fecham o “top 5”. Sérvia e Suécia  (5,7 segundos a mais), França (5,6seg) e Inglaterra (4seg) estão entre as equipes que mais fizeram “cera”, de acordo com o levantamento.

“À medida em que analisamos os dados e mapeamos cada paralisação do jogo na Copa, pudemos ver claramente algumas tendências. O time que está vantagem leva mais tempo pra desempenhar até a mais simples das tarefas, como um tiro de meta”, diz o jornalista David Bunnell.

O México aparece em 7º no ranking, atrás do Senegal. No jogo que resultou na eliminação dos mexicanos, nas oitavas de final, o técnico Juan Carlos Osorio reclamou muito do “tempo gasto com um único jogador” do Brasil, numa referência clara a Neymar. O levantamento, contudo, mostra que mexicanos fizeram mais cera do que a seleção brasileira na Copa.

Mas houve também reclamação de uma seleção sul-americana (a Colômbia) contra uma europeia (a Inglaterra). O time colombiano reclamou muito da cera dos ingleses na etapa final do tempo normal do duelo válido pelas oitavas de final. Algo que o jornal The Times, um dos mais conceituados do Reino Unido, viu como algo positivo, destacando que a Inglaterra “aprendeu a ser malandra”.

RANKING da catimba: -5,6 Polônia … -2,0 Brasil … -1,4 Japão … +0,1 Bélgica … +0,5 Croácia … +1,2 Rússia … +1,7 Espanha … +1,9 Uruguai … +2,3 Portugal … +2,8 México … +3,7 Senegal … +4,0 Inglaterra … +5,0 França … +5,7 Suécia e Sérvia … +6,1 Peru.

GLOBO ESPORTE (condensado)