Arquivo da Categoria ‘Comentários’

Sada Cruzeiro, eneacampeão mineiro

sábado, 13 de outubro de 2018

CRUZEIRO conquistou o Mineiro pela nova vez, neste sábado, já coma formação que disputará a superliga 

  • SADA CRUZEIRO 3×2 FIAT MINAS (33/31, 20/25, 25/19, 23/25, 15/12), 14out18sab20h, Poliesportivo Riacho, Contagem.  CRUZEIRO: Cachopa, Luan, Filipe, Rodriguinho, Isac, Le Roux, Serginho (L). Entraram Sandro, Evandro e Leozinho. T: Marcelo Mendez. MINAS: Marlon, Davy, Bob, Piá, Flávio, Cledenilson, Rogerinho (L). Entraram Honorato, Roque, Maique, Rafael e Carísio. T: Nery Tambeiro.

1º SET. Saques forçados dos dois lados. Melhor para o Minas que, graças à checagem de vídeo no desafio, abriu grande vantagem acertando aces e colocando 9 pontos de frente no placar. Na passagem do ponteiro Leo pelo saque, o Cruzeiro fez 6 pontos seguidos e encostou no marcador, empatando em 24/24 logo em seguida. Quando o placar estava em 27/26 para o Cruzeiro, Rodriguinho tocou na rede, em lance de ataque que seria o set point dos donos da casa. No entanto, apesar do desafio mostrar o toque, a arbitragem preferiu voltar o ponto, gerando reclamações dos dois lados. No ataque do oposto Luan, o Cruzeiro fez 33 a 31, fechando o set aos 42 minutos.

2º SET. Começou equilibrado. E teve outro lance polêmico, quando o ataque de Rodriguinho tocou no bloqueio adversário antes de a bola sair. Mesmo com o recurso da imagem, a arbitragem assinalou ponto do Minas. O técnico Marcelo Mendez reclamou bastante, recebeu cartão vermelho, configurando novo ponto da equipe rival. O Minas aproveitou a instabilidade cruzeirense, abriu vantagem significativa e, no ataque do ponteiro Bob, fechou em 25/20.

3º SET. O Cruzeiro dominou fazendo valer o bloqueio e abriu 4 pontos de vantagem. Com os centrais Isac e Le Roux sendo decisivos no ataque, o Cruzeiro fechou o set em 25/19, no saque pra fora do oposto Davy.

4º SET. Mesmo indo para o tudo ou nada, a estratégia do Minas foi deixar de forçar os saques e explorar o desentrosamento da nova equipe do Cruzeiro. Os times se alternaram na liderança do placar durante boa parte do set. Na reta final, o Minas conseguiu colocar 2 pontos de frente e garantiu os 25/23 pra levar a final ao tie-break.

5º SET. Começ5u com as equipes forçando o saque. Com Rodriguinho sacando, o Cruzeiro fez 4 pontos seguidos. Mesmo assim, o Minas não se abateu e seguiu na cola no marcador. No erro de Davy, o Cruzeiro chegou a 11/8. Após saque de Honorato, o líbero Serginho levantou a bola pra Luan fazer em 15/12, fechar o jogo em 3×2 e conquistar o Mineiro pela 9ª vez. Autor do ponto decisivo, Luan acabou se lesionando na comemoração e deixou a quadra amparado por um integrante da comissão técnica celeste.

Globo Esporte, 13out18, condensado.

A fórmula de outras decisões

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

CRUZEIRO já bateu Santos, Palmeiras e São Paulo em finais. A que disputou contra o Corinthians, perdeu.

Histórico do Cruzeiro contra o Corinthians é negativo. Bem mais derrotas que vitórias.

Em Itaquera, o Cruzeiro ainda não venceu o Corinthians que, vira e mexe, vence o Cruzeiro no Mineirão.

No momento, os times se equivalem. Cruzeiro tem mais etiquetas, Corinthians, mais fôlego.

Por tudo isto, o Corinthians é favorito na decisão da Copa do Brasil. E o Cruzeiro terá uma oportunidade única de devolver tantas desvantagens.

Não tenho expectava. Nem boa, nem ruim. Apenas torço pra que o time celeste jogue com firmeza técnica, tática e anímica, e tenha sorte, o pacote que lhe rendeu os títulos de 1996 e 2000.

Já fez o suficiente

terça-feira, 2 de outubro de 2018

CRUZEIRO já cumpriu sua missão em 2018, Título mineiro, finais da Copa do Brasil e quartas da Libertadores é bom desempenho. Se vier um G6 no Brasileiro, fica ainda melhor.

O clube gastou muita grana pra ter um excelente elenco, mas acabou com um apenas mediano.

(mais…)

Caso Dedé, uma decisão política

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

DEDÉ, anistiado pela Conmebol, jogará contra o Boca. Bom pra ele e pro Cruzeiro. Pro futebol, cada vez mais político, é ruim.

Essa obsessão por acabar com o erro vai levar o futebol dos gramados pras salas com ar condicionado.

Em breve, nenhuma partida de futebol acabará mais aos 90 ou 100 minutos. Ou 120 minutos, somadas as interrupções pra conferir lances no monitor.

No presente caso, a Conmebol fez política. Limpou sua barra com o futebol brasileiro, sua maior fonte de renda.

Referência em desonestidade

terça-feira, 11 de setembro de 2018

CRUZEIRO está se tornando uma referência em desonestidade. Não honra compromissos, torra dinheiro ao invés de quitar dívidas e, agora, resolveu rasgar unilateralmente contratos com seus sócios.

E como nada é tão ruim que não possa piorar, o clube vai torrar R$250 mil pra tirar Dedé da seleção antes da hora e colocá-lo em campo contra o Palmeiras. O jogador atua num dia, viaja dez horas no outro e vai pro jogo.

Danem-se os cofres do clube e a saúde do atleta. O dinheiro gasto nesta aventura equivale à mensalidade de 1.220 sócios do setor roxo, o mais caro do Mineirão. Cruzeiro virou uma zona!

É golpe!

terça-feira, 4 de setembro de 2018

O CRUZEIRO resolveu mudar, unilateralmente, os contratos dos sócios do futebol. Agora, todo mundo terá que comprar ingressos, mesmo os sócios cativos. Estes terão 100% de descontos, mas não se livrarão da amolação de fazer aquilo pelo que pagam caro pra terem de fazer. É golpe! 

O fiel Bruno Furletti não gostou: 

Achei estranha a mudança. Como sócio cativo, não gostei da ideia de ter que “comprar o ingresso” pra acompanhar o jogo. Ao invés de privilegiar os cativos, criam um empecilho –ter que adquirir o ingresso pra todos os jogos. Assim, o clube deixa pra trás a parte da torcida que vai à maioria dos jogos (fase inicial do Mineiro e da Copa do Brasil, sábado à noite ou quando o time está em 12º do Brasileiro e não luta por nada) e adula o torcedor que vai só às finais e jogos e importantes, ou seja, jogo da Rede Globo, nas quartas à noite.

Eu também não. Quando me venderam o pacote, as regras eram outras. Não foi isto que combinamos Sá Lopes!

Libertadores: o dilema do Peixe

terça-feira, 28 de agosto de 2018

Na primeira rodada da Libertadores, o Cruzeiro tirou Edílson e Leo do time algumas horas antes da partida contra o Racing, por suspeita de que estivessem suspensos. E estavam, segundo a Conmebol.

O Santos não teve o mesmo cuidado e escalou o uruguaio Carlos Sánchez, que tinha pena a cumprir desde seus tempos de River, contra o Independiente. Empatou por 0x0m, mas ficou com um 0x3 como castigo.

Pra tirar a diferença, terá que fazer 4×0 no jogo de volta. Ou 1×0, se o recurso que o clube apresentará à Fifa lhe for favorável. E agora? Vai com tudo pra construir uma goleada definitiva ou faz um e defende o placar? O que vc faria caro leitor?

Em tempo: essa história de ir montando o elenco durante as competições potencializa a já enorme propensão à calacice dos administradores do futebol. Melhor seria a entidade permitir 40 inscrições e nenhuma mudança ao longo do torneio. Garotos da base aprovariam, com certeza.

Fábio, Romero e Murilo, os mais destacados

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

ATUAÇÕES dos protagonistas do GRÊMIO 1-1 CRUZEIRO, neste 22ago18qua21h45, no Humaitá, Porto Alegre, pela 20ª rodada do Brasileiro 2018:

TORCIDA CELESTE esteve presente e apoiou o time. Uma centena de fanáticos, que as câmeras da televisão só mostraram durante comemoração do gol. O frio e o desinteresse do clube pelo campeonato explicam o baixo comparecimento.

EZEQUIEL encarou o atacante mais perigoso do campeonato e venceu a maior parte dos duelos. No que perdeu, o gremista fez o gol. No ataque, fez um bom cruzamento.

LEO levou uma entortada no lance do gol tricolor. Qualquer um levaria, nesta fase espetacular do Cebolinha. Com a bola dominada e partindo para cima, o ponteiro gremista só pode ser parado com um tiro. Afora esse lance, mesmo jogando do lado direito, uma atuação impecável, por terra e pelos ares.

MURILO, sempre bem posicionado, abortou vários ataques do Grêmio. Bom no confronto direto, fez cobertura impecável pela esquerda.

EGÍDIO cometeu um pênalti em Alisson, que já havia deixado Romero para trás. Lance complicado, um choque quase inevitável. De resto, muito bem na marcação e comedido no apoio.

ROMERO foi um ótimo cabeça de área, com oito desarmes e os inevitáveis carrinhos. Como volante, não existiu, pois não fez a bola girar em busca de alternativas de ataque. Também não se aproximou do ataque. Foi El Perro, stricto sensu.

CABRAL povoou o meio de campo, aparecendo nos lugares certos para dificultar o jogo de passes do Grêmio. Sabe o que faz. Contra um time que concentra seu jogo na intermediária do adversário, cercar e interceptar passes é o que mais conta. E isto ele faz, sem sujar o uniforme.

BRUNO fez um golaço e ajudou na marcação, ocupando espaços e dificultando a troca de passes dos criadores de jogadas adversários.

RAFINHA esforçou-se, como de costume, marcou bem, mas não criou boas jogadas de ataque e saiu no intervalo.

ARRASCAETA, mesmo sem produzir o melhor que pode, era quem melhor jogava do meio pra frente. Sua saída não foi boa pro time. 

BARCOS fez um excelente arremate obrigando Paulo Vítor a uma bela defesa e deu o passe para o golaço de Bruno. Buscou jogo, mas a bola não o buscou, pois, os meio-campistas não criaram jogadas e os laterais tiveram muito trabalho na contenção e apareceram pouco no ataque. Apesar de continuar longe das redes, desta vez, foi importante na conquista do ponto, que fez o time subir um degrau na classificação.

LUCAS ajudou a impedir as jogadas gremistas à frente da área celeste. E ficou nisto, pois não ajudou o time a atacar. 

NEVES jogou meia hora, quando o time já não conseguia sair da defesa, e não deu conta de mudar o quadro.

ROBINHO jogou pouco tempo e só fez cadenciar o jogo. 

MANO manteve-se fiel à sua estratégia de economizar a energia dos titulares para os jogos que valem mais no entendimento do clube e mandou a campo um time misto. A novidade foi escalar um cabeça de área para proteger a bequeira e um meio-campista com saúde para defender e atacar. Com isto, impediu que o Grêmio tirasse vantagem de sua habilidade para criar jogadas pelo meio. Deu campo e bola para o adversário, mas não concedeu muitas chances de arremate e, não fosse uma jogada individual do Cebolinha, teria colhido três pontos inesperados.

CRUZEIRO criou tantas chances de gol quanto o adversário, embora só tenha jogado bem na etapa inicial. Na parte final  só se defendeu e escapou da derrota porque Fábio defendeu mais um pênalti. 

GRÊMIO encontrou dificuldades em criar jogadas trabalhadas no meio do ataque e manteve a posse de bola sem saber bem o que fazer com ela. Marcou um gol, misto de talento e sorte do Cebolinha, mas desperdiçou um pênalti. No fim, Portaluppi reclamou da retranca do cruzeiro, sem se dar conta de que os adversários já perceberam o que têm de fazer pra segurar seu time. 

ÁRBITROS trabalharam bem. Ninguém se lembrou deles, depois do jogo.

MelhorDoJogo => FÁBIO [[[22]]] Alex, Paiva, Ianni, Burian, Morato, Olivieri, Avelar, Carvalho, Palmeira, Walterson, Dulce, Itamar, Viana, Ivana, Beth, Marcoalex, Anchieta, Nanayoski, Vanda, Romarol, Patrícia, Lulu —– ROMERO [[[16]]] Arreguy, Setelagoas, Emerre, Fivestars, Márcio, João, Fonseca, Bitencourt, Tadeu, Klauss, André, Schrier, França, Vasconcelos, Walfrido, Dudu —– MURILO [[[6]]] Barros, Bastos, Furletti, Zuloobas, Paulo, Luizanton —– LEO [[[2]]] Wallace, Penido —– EZEQUIEL [[[2]]] Rosan, Freitas —– EGÍDIO [[[1]]] Síndico —– BRUNO [[[1]]] Barnabé —– ARRASCAETA [[[1]]] Macaco —– CEBOLINHA [[[4]]] Uol, Geisel, Knijnik, Bohrer —– MANO [[[1]]] Guerra.

A má fé de sempre

domingo, 19 de agosto de 2018

GLOBO sendo parcial, como sempre. No Esporte Espetacular, um repórter criticou o Juiz por ter encerrado o jogo Cruzeiro vs Santos dois segundos antes do tempo e se calou sobre a falta clara recebida por David na origem do contra-ataque do Peixe. Má fé. E só.

Um cara pra morder e esticar!

sábado, 28 de julho de 2018

O Cruzeiro tem três culpados universais pelas derrotas: Fábio, Leo e Henrique.

Fábio nem precisa falhar, basta levar gol. Nem de pênalti, pode. Leo, idem. Henrique é culpado por não morder, não agarrar, não carrinhar, não lançar, marcar com os olhos, ser avoado e sei lá mais o quê. É o caso mais grave.

Mais grave, porém de solução mais fácil. No elenco, tem o Romero. Espalhados por aí, o General Donizete e o Pierre, duas paixões recolhidas dos torcedores celestes amantes dos velhos cabeças de área.

Mas o cara que melhor atenderia ao anseio da galera é o Willians. Morde tornozelos e estica bolas o tempo todo! Um cara que encantaria o velho Osvaldo Faria e os seguidores dele.

Atualmente, Willians defende o glorioso Cerrebê, na Série B. Já disputou 10 partidas na temporada: 5 no Alagoano, 2 na Copa do Brasil, 1 na Copa do Nordeste e 2 no Brasileiro. Deve estar descansado. É chegar, vestir a camisa e ir pro jogo.