Arquivo da Categoria ‘Campeonatos’

Jogos perdíveis?

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Conquista x Boa, em Vitória da Conquista, pela Copa do Brasil. Carabobo x Guarani, em Merida, pela Libertadores.

Não dá pra não ver, O jeito é zapear. E mais tarde tem outros jogos imperdíveis… Ou seriam perdíveis?

Segundo tempo da noitada tem Caxias x Paranaense, Banfield x Del valle e Santiago Wanderers x Melgar.

Zebraria 2018

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Apenas cinco times da Série A ainda não apanharam ou empataram com times de outras séries nestes primeiros dias de temporada: Fla, Sep, Cap, Inter e Chape.

  • ZEBRARIA: Cruzeiro: 0x0 Caldense —– Franga: 0x0 Boa ——- América: 0x Urt —– Bota: 2×2 Portuguesa ——– Ceará: 1×2 Iguatu —– Flu: 1×3 Boavista —– Vasco: 0x2 Bangu ——- Saumpaulo: 0x2 São Bento, 0x0 Novorizontino ——- Corintiãs: 0x1 Ponte ——- Bahia: 0x1 BotaBelo ——-Grêmio 1×1 Saunluiz, 3×5 Caxias —– Sport: 0x0 FlaArcoverde —– Vitória: 2×2 Juazeirense —– Santos: 0x1 Bragantino —– Paraná: 1×2 União.

Pergunto ao atento leitor: Algum deles chegará ao Brasileiro sem tropeçar? Quem vai deixar mais pontos contra os times menos abonados?

E o mais importante: O Cruzeiro vai tropeçar de novo no Mineiro? E vai campeonar?

Cruzeiro 0x1 São Paulo: Venceu o melhor

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

O Cruzeiro começou dando susto no tricolor. Aos 2, Marcelo soltou uma bomba, da meia lua, o goleiro Júnior espalmou e ele bateu no travessão e quicou na pequena área. O São Paulo respondeu logo. Toró puxou a bola da pontesquerda pro meio da área e chutou cruzado. Brazão fez uma defesaça.

Daí em diante, o São Paulo tomou conta do jogo, com um grande repertório de jogadas criadas por seu meio campo. O Cruzeiro, com o beque Cacá improvisado na volância ao lado do batalhador Márcio, defendeu-se bem, mas só tinha uma jogada ofensiva: os esticões da defesa procurando ponta Vitinho.

Na volta do intervalo, porém, Marcelo repetiu o que fez no princípio da primeira etapa e incomodou o São Paulo outra vez. O atacante do Cruzeiro aplicou um belo chapéu sobre Walce e correu em direção à área aos quatro minutos. A finalização, contudo, foi por cima da meta.

A etapa final começou com o Cruzeiro tentando atacar mais, saindo do pressão constante. mas foi justamente quando time celeste começava a ter volume de jogo, que tomou o gol. Aos 13, Liziero lançou Igor nas costas da bqueira. O meia só teve o trabalho de tirar a bola do alcance do goleiro celeste pra fazer o gol decisivo.

O Cruzeiro tentou reagir, com as entradas de Zé Gabriel, João Diogo e João Luiz, mas só molestou a defesa paulista, no fim da partida, quando Marcelo fez bela jogada pela esquerda e cruzou rasteiro pra finalização de João Diogo e defesa de Júnior.

CRUZEIRO 0x1 SÃO PAULO, 15jan18seg20h. TEMPO nublado, temperatura 26º, vento 11 Km/h, umidade 71%. LOCAL: Santa Cruz (35 mil), Ribeirão Preto. TRANSMISSÃO: Sportv e Espn, às 20h. PÚBLICO: 8.000 (estimativa). ARBITRAGEM: Rodrigo Domingues, Fabio Baesteiro, Ademilson Cipriano. AMARELOS: Cacá, 57, Zé Gabriel, 92. GOLS: Igor, 58. CRUZEIRO: Brazão — Lucas Soares, Rissi, Edu (Zé Gabriel, 69), Raphinha — Cacá, Márcio — Cesinha, Alesson (João Luiz, 69) — Vitinho (João Diogo, 74), Marcelo. T: Emerson Ávila. SÃO PAULO: Júnior — Tuta, Walce, Rodrigo, Liziero — Cássio, Luan — Antony (Helinho, 46), Igor (Oliveira, 83), Antony, Toró — Gabriel Novaes (Fabinho, 58). T: André Jardine.

Cruzeiro 1-6×1-5 Paraná: Avançou!

sábado, 13 de janeiro de 2018

O Cruzeiro avançou para a 4ª etapa na Copa São Paulo de Futebol Júnior eliminando o Paraná por 6×5 nos pênaltis, após empate de 1×1 no tempo regular, no José Lancha Filho, em Franca.

O campeão brasileiro começou melhor, com muito volume de jogo no ataque. Cacá teve a primeira grande chance cabeceando bola e escanteio de Marcelo, que obrigou o goleiro Guilherme a fazer uma defesaça. Aos 12, aconteceu o gol. Vitinho driblou o marcador na direita e cruzou de pé trocado, Alesson cabeceou forte e marcou. A partir daí, o Paraná cresceu, pressionou bastante, fez o Cruzeiro se manter na defesa, mas não aproveitou três boas oportunidades pra empatar.

O time celeste voltou melhor na etapa final, amarrando o Paraná, que não conseguia mais encontrar caminhos pra chegar ao ataque. Oportunidades surgiram e foram desperdiçadas. Na reta final, o técnico Luciano Simm, da Gralha, trocou até beque por atacante e partiu pra cima criando várias chances de empatar. Uma delas, Brazão salvou. Outra, Keslley chutou pra fora. A recompensa pela ousadia veio aos 87. Birigui cruzou da direita, Paulinho não conseguiu cortar e Sene ficou livre pra ajeitar e fuzilar. Brazão chegou a desviar a bola, mas ela foi pra rede. Aos 92, Brazão teve que intervir novamente, em finalização à queima-roupa de Andrey, mantendo o Cruzeiro vivo na competição.

Na disputa de pênaltis, cada time cobrou sete. O Cruzeiro perdeu um e o Paraná dois. Foram duas bolas no no poste, uma de cada time, e uma do Paraná pra fora. E o Cruzeiro avançou pra jogar contra São Paulo ou Botafogo de Ribeirão Preto na próxima rodada.

CRUZEIRO 1×1 PARANÁ, 13jan17sab11h, TEMPO nublado, temperatura 25º, vento  12 Km/h, umidade 61%. LOCAL: Lancha Filho (14 mil), Franca. TRANSMISSÃO: Sportv. PÚBLICO: 2.000 (estimativa). ARBITRAGEM: José Araujo Ribeiro, Gilberto Romachelli, Nilton Correia (SP). AMARELOS: Bruno, 53, Thawan, 56, Andrey, 66. GOLS: Alesson, 12, Sene, 87. PÊNALTIS: Para o Cruzeiro, Marcelo, Cesinha, Márcio, Vander, Paulinho, Raphinha acertaram, João Luiz perdeu. . Para o Paraná, Birigui, Rian, Allexson, Andrey, Sene marcaram, Marcelo perdeu. CRUZEIRO: Brazão — Paulinho, Cacá, Rissi (Edu, 83), Raphinha — Márcio, Vander — Vitinho (Tiago Reis, 93), Alesson (Cesinha, 55), Marcelo — João Diogo (João Luiz, 66). T: Emerson Ávila. PARANÁ: Guilherme — Thawan (Birigui, 84), Gaevicz, Paulo Fales (Keslley, 84), Marcelo Claus — Bruno, Matheus Silva, Allexson,  Warley (Rian, 76)– Andrey, Rodrigo Carioca (Lucas Sene, 37). T: Luciano Simm.

Cruzeiro 1-3×1-1 Rio Branco (Americana): Passou!

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Globo Esporte contou:

Mais uma vez, o Cruzeiro teve dificuldades na Copa São Paulo. Porém, conseguiu se superar e, com Brazão inspirado, venceu o Rio Branco nas penalidades máximas. No tempo normal, Vitinho marcou para o time celeste, ainda no primeiro tempo, enquanto Thiago Junior empatou para a equipe paulista na etapa final. Agora, a Raposa vai enfrentar o Paraná, pela terceira fase da competição.

Errando muitos passes, o Cruzeiro pouco criou no primeiro tempo. Aos 17, Marcelo cobrou escanteio, a zaga do Rio Branco furou, tentou afastar, mas a bola sobrou nos pés de Vitinho, que fuzilou para abrir o placar. Vitinho, inclusive, foi o destaque do time mineiro na partida. Se movimentou, apareceu para o jogo e arriscou chutes de fora da área.

A etapa final também foi equilibrada. Em busca de dar mais movimentação à equipe, o técnico do Rio Branco colocou Thiago Junior em campo, que precisou de menos de um minuto para sofrer um pênalti – cometido por Márcio – e marcar o gol, após a cobrança, aos 13. A partir desse momento, ambos os times tiveram chances de balançar a rede, mas sem sucesso.

Com o empate por 1 a 1 no tempo normal, a decisão da segunda fase foi para as penalidades máximas. Gabriel Brazão, um dos destaques do Cruzeiro, brilhou e defendeu duas cobranças na vitória por 3 a 1 nos pênaltis. Pelo lado celeste, Marcelo, João Luiz e Márcio converteram, enquanto Samuel Andrade foi o único do time paulista que marcou.

CRUZEIRO 1-3×1-1 RIO BRANCO (Americana), 11jan17qui17h, TEMPO chuvoso, temperatura 21º, vento 11 Km/h, umidade 90%. LOCAL: Sócrates Stamato (15 mil), Bebedouro. TRANSMISSÃO: Sportv. PÚBLICO: 1.000 (estimativa). ARBITRAGEM: Ricardo Bittencourt, Marcelo Zamian, Gabriel Fleming (SP). AMARELOS:  Samuel, 41, Soares, 43, Nunes, 52. GOLS: Vitinho, 16, Júnior, 59 (p). PÊNALTIS: Marcelo, João, Márcio (marcaram), Cesinha (perdeu). Andrade (marcou), Pavanelli, Menghini, Nunes (perderam). CRUZEIRO: Brazão — Lucas Soares, Cacá, Rissi, Raphinha — Márcio, Vander — Vitinho, Alesson (Cesinha, 70), Marcelo — João Diogo (João Luiz, 82). T: Emerson Ávila. RIO BRANCO: Rafael — Pavanelli, Higor, Tiago Nunes, Caio Cesar, Menghini — Samuel (Tiago Jr, 57), Vitinho, Ricardo (Alex, 70) — Lucas, Leo (Andrade, 73). T: Diolei Cândido.

Inter Bebedouro 1×3 Cruzeiro: Classificado

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

A Inter começou melhor e desperdiçou boa chance, com Fernandinho arrematando pra fora, aos 5, quando só havia o goleiro Brazão pela frente. Mas o Cruzeiro adiantou a marcação, imprimiu velocidade com Marcelo e Vitinho e abriu o placar aos 20. com Alesson aproveitoando vacilo do goleiro Givaldo, que tentou driblá-lo dentro da área.

Dois minutos depois, Vitinho fez jogada individual pela direita, cruzou, Givaldo espalmou e Marcelo mandou a bola pra rede. A Inter sentiu o golpe e o campeão brasileiro continuou martelando até fazer o terceiro gol, em jogada individual de Lucas Soares, aos 45.

Tão logo recomeçou o jogo recomeçou na etapa final, a Inter foi pra cima e, aos 4, Ferrarinho foi derrubado por Zé Gabriel na área celeste. Pênalti que Fernandinho cobrou, Brazão espalmou, mas bola entrou. Entusiasmados os garotos do Lobo mantiveram a pressão e o Cruzeiro ficou na defesa.

A partida só voltou a fica equilibrada por volta dos 70, quando o time vermelho começou a perder gás. Daí em diante, com Rissi de volta à zaga, Marcelo sacado por estar nervoso, e Cacá na volância, o time celeste controlou a partida encaminhando a classificação sem sofrer demasiadamente.

INTERNACIONAL (Bebedouro) 1×3 CRUZEIRO, 09jan17ter16h, TEMPO chuvoso, temperatura 22º, vento 11 Km/h, umidade 82%. LOCAL: Sócrates Stamato (15 mil), Bebedouro. TRANSMISSÃO: Sportv. PÚBLICO: 2.000 (estimativa). ARBITRAGEM: Rafael Felix, Miguel Cataneo, Samuel Paião (SP). AMARELOS: Marcelo, Diogo, Edu. GOLS: Alesson, 20, Marcelo, 22, Soares, 43, Fernandinho, 50 (p). CRUZEIRO: Brazão — Lucas Soares, Cacá, Edu, Raphinha — Márcio (Zé Gabriel, 46), Vander (Rissi, 75) — Alesson (Cesinha, 79), Vitinho (João Luiz, 79), Marcelo (João Diogo, 64) — Tiago Reis. T: Emerson Ávila. INTER BEBEDOURO: Givaldo — João Cleber, João Marcos, Daniel, Bruno Franco — Iago, Nilton (Vitor Hugo) — Ferrarinho (Patric, 75), Jean Carlos (Felipe, 46), Lucas (Geison, 46) — Fernandinho. T: João Daniel Polezzi.

Cruzeiro x Nova Iguaçu: Derreteu na chuva

domingo, 7 de janeiro de 2018

O Cruzeiro começou a partida jogando em seu estilo de toque de bola, movimentação e sem um centroavante fixo. O Nova Iguaçu, com uma defesa sólida, um meio de campo ágil e um centroavante de ofício, adaptou-se melhor à cancha molhada pela forte chuva e foi mais incisivo.

Sem criatividade, nem força, o Cruzeiro não conseguia controlar a partida e, gradativamente, o time da Baixada Fluminense foi ganhando confiança, adiantando a marcação e criando oportunidades de gol. Na melhor delas, aos 45, Gustavo acertou uma bolada no poste direito da baliza celeste. Bem colocado na área, o meiocampista Vitor Félix aproveitou a sobra e cabeceou pra rede.

Na volta do intervalo, o Nova Iguaçu apostou na marcação alta, mantendo o time celeste acuado e incapaz de criar jogadas perigosas. Dominado, o time azul escapou de tomar o segundo gol em jogada do centroavante Nael.

Emerson Ávila colocou o meia Alesson, que não conseguiu criar nenhuma jogada útil. O jeito, então, foi partir pro abafa, com bolas cruzadas. Mas sem um atacante alto, nada de relevante aconteceu.

Aos 90, finalmente, uma boa chance de empate. O beque Ronald rebateu mal e carimbou a baliza de seu time. Dois minutos depois, João Luiz chutou em direção ao gol do time laranja, mas faltou um goleador pra empurrar a bola pra rede.

Na terça, o campeão brasileiro terá de vencer o Inter de Bebedouro pra se classificar. Se empatar, terá de torcer por vitória ou empate do Nova Iguaçu contra o batatais. Se perder, volta pra Beagá, antes do previsto.

CRUZEIRO 0x1 NOVA IGUAÇU, 07jan17dom19h, TEMPO chuvoso, temperatura 22º, vento 11 Km/h, umidade 82%. LOCAL: Sócrates Stamato (15 mil), Bebedouro. TRANSMISSÃO: Sportv. PÚBLICO: 1.000 (estimativa). ARBITRAGEM: Cristiano Lazzari, Leonardo Marchiori, Rafael Carvalho (SP). AMARELOS: Gustavo, Edu. GOLS: Felix, 45. CRUZEIRO: Brazão; Lucas Soares, Cacá, Edu, Raphinha; Márcio, Vander (Zé Gabriel, 86); Cesinha (Alesson, 54), Vitinho (João Luiz, 71), Marcelo; João Diogo (Tiago Reis, 54). T: Emerson Ávila. NOVA IGUAÇU: Miranda, Formiga (Vitor, 75), Natan, Ronald, Menezes (França, 75); Wellington, Patrick (Claudino, 65), Gustavo (Elias, 75), Vitor Félix (Juan, 75), Pedrinho (Andrey, 71); Nael. T: Jefter Percy.

É pra rir ou pra jogar?

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

COPA SP de Futebol Júnior começou. E o festival de nomes esquisitos também:

Jhonkaermeson, Amichael (Votuporanguense), Clayvert Simeone, Pitbull (Goianiense), Gullitt (Estanciano), Agabo, Cego (Crystal), Jheikson, Playboy, Trinca (Pinheiro), Dhieury (Paraná), Branquelo, Ka Ka, Mingau (São Raimundo), Carlosed, Avatar, Espeto (Cruzeiro/DF), Mocorongo, Negresco (Paraense), Adrian Sander (Novorizontino), Bam Bam, 6D, Bodão, Motor (Voltaço), Konga, Manrique (Ricanato), Linnick (Vasco), Farinha (Vitória), Gasolina (Riopreto), Mito, Dimaria, Jacaré (Teixeira), Bombado (Fast), Favela (Linense), Madruga (Joinville), Cabecinha (Sete), Montanha, Aleluia, Bisneto (Abc), Cacimbinha (Fortaleza), Barba (Riobranco/ES), Lutador, Ganso (Timon), Mãozinha (Lagarto), Pitoco, Parrudo (Comercial/MS), Jheymmisson (Remo), Macarrão (Araxá), Broca, Negueba (Atlântico), Balotelli (XV Jaú), Caboco, Limão (Riobranco/AC), Pelé (Mirassol), Pelezinho, Catatau (Chape), Gibi (Manthiqueira), Pato (Fernandópolis), Barata, Ramildo (América/PE), Pezão, Klevis, Odivan (Juventude), Klaidher (Brasil), Abdiomário (Palmeiras), Wellves (JiParaná), Rusevel (Boavista), Ihordam (América/RN), Walce (São Paulo).

Pergunto ao caro leitor: Dá pra levar a diante uma carreira carregando nos como esses?

Pelé passou por cima da esquisitice de seus apelidos (antes era Gasolina) com um futebol de outro mundo. Jhonkaermeson também conseguirá?

Libertadores: Cruzeiro num grupo de iguais

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Sorteio colocou Cruzeiro no Grupo 5 da Libertadores 2018, com Universidad de Chile, Racing e o G3 (Petrolero, Universitário, Wilstermann, Vasco ou Concecpion).

Não dá pra cravar nem passaporte pra Sula (3º lugar), quanto mais vaga nas oitavas.

A torcida, aérea como sempre, vai achar moleza e adiará sua entrada na competição pra 2ª fase.

Se 2ª fase houver, é claro. E, pra haver, o negócio é faturar 9 pontos no Mineirão.

Com o apoio das raposas pingadas que comparecerem aos jogos.

Cristiano salvou o plameta

sábado, 16 de dezembro de 2017

MADRID passeou em Abu Dhabi e se tornou hexacampeão mundial com gol de falta de Cristiano Ronaldo. Grêmio tinha caixa pra cinco e deve estar aliviado com o 1×0.

A promessa tricolor de acabar com o planeta não passou e bravata. E aquele papo de Portallupi ou Ronaldo, fui… Aquele ouro de Portaluppi ou Zidane, também pfui…

Fala aí, Bressânio!

  • MADRID 1×0 GRÊMIO, 16dez17sab15h. TEMPO limpo, temperatura 22º, vento 12 Km/h, umidade 70%. LOCAL: Zayed Soccer City (49 mil), Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos. MOTIVO: Decisão do Mundial de Clubes. TRANSMISSAO: Gobo, GloboNews, Fox. PÚBLICO: 49.000 espectadores. ÁRBITROS: César Ramos, Marvin Torrentera, Miguel Hernández (México), AMARELO: Casemiro. GOL: Cristiano, 52. GRÊMIO: Grohe; Edílson, Geromel, Kannemann, Cortez; Michel (Maicon), Jailson, Ramiro (Everton), Luan, Fernandinho; Barrios (Jael). T: Portaluppi, MADRID: Navas; Carvajal, Varane, Ramos, Marcelo; Casemiro, Modric, Kroos, Isco (Vázquez); Cristiano Ronaldo, Benzema (Bale). T: Zidane.