Arquivo da Categoria ‘BRASILEIRO’

24bra19: Cruzeiro em 18º

sexta-feira, 11 de outubro de 2019

24ª RODADA do Brasileiro 2019:

  • Botafogo 3-1 Goiás 09out19qua19h15 Engenhão
  • Alagoano 1-0 Internacional 09out19qua19h15 Reipelé
  • Fortaleza 2-0 Chapecoense 09out19qua20h30 Castelão
  • Grêmio 2-1 Ceará 09out19qua21h Centenário
  • Bahia 0-0 São Paulo 09out19qua21h Fontenova
  • Cruzeiro 0-0 Fluminense 09out19qua21h30 Mineirão
  • Santos 2-0 Palmeiras 09out19qua21h Vilabelmiro
  • Corinthians 2-2 Paranaense 10out19qui19h15 Itaquera
  • Avaí 0-0 Vasco 10out19qui19h15 Ressacada
  • Flamengo 3-1 Mineiro 10out19qui20h Maracanã

Cruzeiro foi roubado e se manteve na antepenúltima colocação. Flamengo passou por mais um, com o pé nas costas, Palmeiras saiu da raia, perdendo pro Santos.

Alagoano bateu o Inter e derrubou o técnico colorado, Odair Hellman. Corinthians e Paranaense empataram em Itaquera e ficaram onde estavam.

Avaí e Vasco empataram e também não saíram do lugar. Ceará perdeu pro Grêmi na Serra Gaúcha e entrou na zona. Welington Paulista decidiu na vitória do Fortaleza sobre a Chape. Bahia e São Paulo fiaram no zero.

Itair caiu

quinta-feira, 10 de outubro de 2019

ITAIR MACHADO caiu. Demitido, após acordo, com previsão de pagamento de multa. Para o público externo, contido, terá sido uma renúncia.

Ele esteve à frente do futebol do clube por 22 meses, tempo suficiente pra conquistar três títulos: dois mineiros e uma Copa do Brasil.

Resumo da opera:

Zezé Perrella assumirá o comando do futebol. Wagner Pires seguirá como presidente, até a convocação de novas eleições, marcadas para Jan20. Além de Pires, os vices Hermínio Lemos e Ronaldo Granata renunciarão a seus cargos. A eleição terá candidato único, a ser eleito por aclamação. Havia consenso entre as várias correntes de que a permanência de Itair estava inviabilizando as tentativas de solucionar a crise administrativa e financeira. Perrella e aliados costuraram um acordo com Wagner para a permanência dele como presidente, enquanto um comitê liderado pelo ex-senador vai passar a gerir o clube. A reunião do Conselho convocada para 21Out, que iria decidir o afastamento de Wagner foi cancelada.

Edílson, Henrique e Dedé, os melhores

quinta-feira, 10 de outubro de 2019

ATUAÇÕES dos protagonistas do CRUZEIRO 0x0 FLUMINENSE, no Mineirão, Belo Horizonte, 09out19qua21h30, pela 24ª rodada do Brasileiro 2019:

TORCIDA CELESTE compareceu em bom número e apoiou seu time, sem esmorecimentos.

FÁBIO quase não teve trabalho. As poucas bolas que chegaram, neutralizou, sem esforço.

EDÍLSON apoiou e defendeu bem, teve calma na saída de bola, finalizou bem, inclusive com um tirambaço no travessão. Foi inteligente até no amarelo que tomou ao matar um contra-ataque tricolor. Baita partida! (Bruno Setelagoas)

DEDÉ, no coração, anulou o ataque tricolor. Sem condições físicas, sentindo dores no joelho, esteve longe de brilhar, mas ainda assim foi um ponto de segurança num Cruzeiro que viu a bola queimar no pé pela grande pressão por conta da má posição na tabela. Não deu chances para Yony González e João Pedro, vencendo a maioria das disputas. (Uol Esporte)

FABRUNO, seguro, com bom tempo de bola aérea defensiva (precisa melhorar a bola ofensiva) e boa velocidade na recuperação, foi um dos melhores do jogo. (Bruno Setelagoas).

EGÍDIO apoiou o tempo todo, fez a jogada do gol mal anulado e ainda deu conta de marcar as subidas de Gilberto.

HENRIQUE, com um time cheio de atacantes, teve de se desdobrar para marcar o meio de campo do Fluminense, sempre com dois jogadores a mais. Deu conta do recado e ainda encontrou forças para ir ao ataque. Desta vez, contou com a ajuda de Jadson na marcação e nas coberturas, o que deu mais tranquilidade aos laterais para agirem o ataque.

JADSON fez uma partida ok. Recebeu vaias que não merecia. Perdeu boa chance de abrir o placar no 1º tempo quando deu um peteleco para o gol após boa jogada de pivô do Fred. (Bruno Setelagoas)

ROBINHO lutou muito, jogou fora de sua posição habitual, deslocado para a esquerda na etapa final, fez a jogada do gol mal anulado e saiu mais cedo, amarelado e cansado.

MAURÍCIO entrou a trinta minutos do fim, para jogar na meia esquerda, mas não conseguiu produzir jogadas perigosas contra o ferrolho tricolor.

DAVID, forte e impetuoso, tentou jogadas individuais, sem acabamento adequado. Saiu no intervalo e o time sentiu sua falta, perdendo pegada ofensiva.

M GABRIEL entrou na etapa final para jogar pela direita, provavelmente, para cortar para o meio e arrematar de canhota. Acabou que cruzou, nem chutou. Foi uma invenção do técnico que não funcionou.

SASSÁ resumiu sua apreciação em força e raça. Foi mais escudeiro do Fred do que centroavante. Na etapa inicial, teve boa oportunidade, mas ao invés de tocar com tranquilidade e convicção, quis enfiar goleiro, bola e beque para dentro do arco e desperdiçou boa chance de gol. Anda muito ansioso, mas continua sendo necessário neste momento. (Bruno Setelagoas)

POPÓ jogou a meia hora final, sem brilho. Sem ter como aturar como o nove tradicional que é na base, muitas vezes, distante da área não ameaçou o arco tricolor.

FRED jogou bem durante uma hora, com bons passes, finalização perfeita no lance do gol e mobilidade. Daí em diante, perdeu gás, embora tenha se mantido alerta à espera de uma bola que nunca chegava em condição de ser arrematada.

ABEL escalou o time com dois centroavantes, trocou David por M Gabriel, no intervalo, e piorou o time. Na etapa final, inverteu as posições de Robinho, que foi para a esquerda, e M Gabriel, que foi para a direita, e não conseguiu nenhum resultado com essa invenção, e colocou os garotos Popó e Maurício, que tampouco resolveram os problemas ofensivo do time. Seu mérito foi buscar alternativas para um time que tem imensa dificuldade para marcar gol. Além disto, mandando seu time atacar, mobilizou a torcida. O saldo [poderia ter sido a vitória, mas isto a arbitragem gasificas do combo gaúcho não permitiu.

CRUZEIRO começou pressionando a saída de bola tricolor, mas não teve calma para definir as jogadas. Dominou o jogo todo, mandou bola na baliza, teve gol mal anulado, correu bastante, mas colhei apenas um ponto, embora merecesse os três.

FLUMINENSE armou uma retranca apostando nos contratareis com Yoni Gonzáles, que foi contido por Dedé. fez cera, contou com muita ajuda da arbitragem e conseguiu o empate sonhado. O beque Nino e o volante Daniel foram os melhores.

ÁRBITROS mexeram no placar, anulado um gol legítimo do Cruzeiro. O juiz de campo abusou do direito de proteger o Fluminense marcando faltas inexistentes, não dando vantagem ao Cruzeiro e até “desespulsando” o tricolor Iuri, que agrediu jadson com um coice. Foram tantos os erros absurdos, que eles podem muito bem serem promovidos a sacanagem. 

MelhorDoJogo => EDÍLSON [[[11]]] Borges, Fernandão, Wagner, Palmeira, Setelagoas, Hugo, Igor, Bastos, Araujo, Velloso, Síndico —– HENRIQUE [[[8]]] Rezende, Clemenceau, Burian, Guidugli, Athiê, Ianni, Sobrinho, Barnabé —– DEDÉ [[[7]]] Uol, Castelões, Hiram, Klauss, Nem, Vanda, Patrícia —– FABRUNO [[[6]]] Sá, Seisaum, Ramos, Bitencourt, Chaves, Galvão —– EGÍDIO [[[3]]] Mateus, Schrier, Dudu —– FRED [[[3]]] King, Lauanda, Romarol —– JADSON [[[2]]] Efeagá, Pedro —– ABEL [[[1]]] Caolho —– TORCIDA [[[4]]] Albertim, Azevedo, Emerson, Figueiredo —– MARCÃO [[[1]]] Pimentel…

Cruzeiro 0x0 Fluminense: juiz impediu a vitória

quarta-feira, 9 de outubro de 2019

CRUZEIRO contra Fluminense, neste 09out19qua21h30, no Mineirão, Belo Horizonte, 24º rodada do Brasileiro 2019.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 2º, com 15.822 pontos; Fluminense é o 13º, com 10.034.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro está em 18º lugar, com 20 pontos; Fluminense é o 15º, com 25.

TEMPO nublado, temperatura 24º, vento 18 Km/h, umidade 70%.

TRANSMISSÃO: Globo para RJ, MG, ES, PI, PB e RN, com narração de Luiz Carlos Júnior, comentários de Roger Flores, Bob Faria e Sálvio Spinola. Premiere, com narração de Rogério Corrêa e comentários de Henrique Fernandes.

ARBITRAGEM: Jean Pierre Gonçalves Lima, Leirson Peng Martins, Michael Stanislau (RS). VAR: Jonathan Benkenstein Pinheiro (RS).

CRUZEIRO: Fábio — Edílson, Dedé, Fabruno, Egídio — Henrique, Jadson — Robinho, David — Sassá, Fred. T: Abel Braga.

BANCO: Rafael, Eudes, Weverton, Edu, Rafael Santos, Adriano, Cabral, Maurício, Popó, Ezequiel, Joel.

AUSENTES: Neves, Cacá (suspensos), Orejuela (seleção colombiana), Dodô (mistério), Rocha, Ederson, Leo, Rodriguinho (lesionados).

PENDURADOS: Cabral, David, Dedé, Ederson, Fábio, Fabruno, M Gabriel, Orejuela, Robinho e Rodriguinho..

FLUMINENSE: Muriel — Gilberto, Nino, Frazan, Orinho — Yuri Lima, Daniel, Ganso, Nenê — Yoni Gonzáles, João Pedro. T: Marcão.

BANCO: Agenor G, Igor Julião L, Luccas Claro B, Airton V, Dodi V, Miguel M, Guilherme M, Lucão A, Ewandro A, Evanílson A, Lucas Barcelos A.

AUSENTES: Digão (emprestado pelo Cruzeiro), Mascarenhas (cirurgia joelho esquerdo), Matheus Ferraz (cirurgia joelho direito), Pablo Dyego (lesão coxa esquerda), Wellington Nem (pancada joelho esquerdo); Allan e Caio Henrique (Brasil Sub23); Marcos Paulo (Portugal Sub9).

PENDURADOS: Allan, Daniel, Ganso, Guilherme, Yuri.

CRUZEIRO 0x0 FLUMINENSE, 09ouy19qua21h30. TEMPO nublado, temperatura 25º, vento 10 Km/h, umidade 70%. LOCAL: Mineirão (62 mil), Belo Horizonte. MOTIVO: 24ª rodada, Brasileiro 2019. TRANSMISSÃO: Globo e Premiere. PÚBLICO: 31.995 pagantes, 38.133 presentes, R$374.558, média R$12. ARBITRAGEM: Jean Pierre Goncalves, Leirson Peng, Michael Stanislau (RS). VAR: Jonathan Benkenstein (RS). AMARELOS: Fred, Robinho, Egídio, Edilson, J Pedro, Yuri, Ganso. CRUZEIRO: Fábio; Edilson, Dedé, Fabruno, Egídio; Henrique, Jadson; Robinho (Mauricio, 76), David (M Gabriel, 46); Sassá (Popó, 66), Fred. T: Abel Braga. FLUMINENSE: Muriel; Gilberto, Nino, Frazan, Orinho (Julião, 73); Yuri, Daniel (Dodi, 60), Ganso (Ewandro, 86); Nenê, Yony, João Pedro. T: Marcão.

HISTÓRICO: 83 jogos. Cruzeiro venceu 26, empatou 22, perdeu 35, marcou 114 gols, levou 128. Pelos campeonatos brasileiros, desde 1959, foram 66 partidas. Cruzeiro venceu 24, empatou 18 e perdeu 24, marcou 90, sofreu 90. Os dois clubes jamais decidiram uma competição entre si, mas chegaram próximos no Brasileiro 2010, quando o Flu campeonou com 2 pontos a mais.

DESEMPENHO do Cruzeiro na história do Brasileiro: 58 participações em 63 campeonatos, 1.465 jogos, 633 vitórias, 396 empates, 437 derrotas, 2.121 gols marcados, 1.662 sofridos. Aproveitamento de 53%. Nos pontos corridos: 650 jogos, 290 vitórias, 145 empates, 215 derrotas, 968 gols marcados, 800 sofridos, aproveitamento de 53%.

Devastados

terça-feira, 8 de outubro de 2019

DEVASTADOS, americanamente falando, é como se sentem muitos cruzeirenses, incomodados com a má fase de seu time. 

Afoitos, esses caboclos se esquecem de que faltam 15 rodadas para o fim do Brasileiro.  Tempo suficiente para o Cruzeiro conseguir uma sequência positiva, como as que já experimentaram Vasco, Goiás e Fluminense. 

Mas se tal não ocorrer e o Cruzeiro for rebaixado, esses devastados vão ter vários de seus desejos atendidos. Na segunda divisão, o time celeste não terá jogadores experientes, nem medalhões, tampouco técnicos famosos. Será tudo bem básicão. 

E o melhor, no arranca-rabo da segundona, não haverá necessidade de táticas, estratégias e outros requintes que tanto incomodam os devastados voluntarista deprimidos. Vamos ter overdose de futebol indígena!

Romarol: “Importante é que a torcida acordou”

segunda-feira, 7 de outubro de 2019

PITACOS acerca do CRUZEIRO 1-1 INTERNACIONAL, Mineirão, Belo Horizonte, 23ª rodada do Brasileiro 2019:

ABEL BRAGA: Eu disse para eles: ‘Tem que ser melhor que na segunda contra o Goiás’ e foi até melhor do que eu esperava e pensava, pois sofremos o gol cedo. (…) O torcedor não gostou do gol tomado, claro. Mas não nos abalamos, começamos a atacar, fomos subindo no campo. Portanto, essa identidade é fundamental neste momento. Esperamos que nesta quarta-feira possamos conseguir o resultado positivo. Estou extremamente contente, principalmente porque o torcedor entendeu e eu disse para eles (jogadores): “Está vendo como é fácil criar identidade com o torcedor? ”, pois eles sabem quem jogou bem, quem não jogou bem, não importa, o que vale é que todo mundo que esteve lá dentro deu a vida e isso foi fundamental para nós”.O resultado não foi o que nós queríamos, mas era o que merecíamos. No primeiro tempo, mesmo tomando o gol, passamos 59% de posse de bola no campo ofensivo. Hoje criou-se novamente uma identidade com o torcedor. Foi algo fantástico. Eles viram a luta do time jogando com oito jogadores no campo de ataque. Às vezes o Inter chegou por erros nossos, o que é normal. Mas sufocar o adversário no campo de ataque trouxe nosso torcedor. Que na quarta-feira a gente possa conseguir o resultado positivo.

ROBINHO: “O torcedor reconhece quando você se dedica. Tentamos de todas as formas. O time do Internacional é muito bom, porém atacamos mais. Demos a vida, agora é trabalhar. Se tivemos esse mesmo empenho e união, sairemos desta situação.”

CLEMENCEAU CHIABI: A torcida hoje matou a pau. Apoiou o tempo todo e aplaudiu o time no final. Gritou forte após o gol do inter, motivando o time a continuar tentando. Vaias apenas para David e Neves quando saíram.

M RIZZI: Ederson jogou muito adiantado sobrecarregou Jadson e expondo a zaga. Esteve longe de ser o melhor em campo. Meu voto vai pro Robinho.

JOTA DIAS: No cenário atual, fizemos bom jogo, com resultado aceitável. Concordo com Abel: estamos jogando mais que os resultados mostram. Se o time pegar confiança tiver sorte, é possível uma arrancada pra sair da zona.

FERNADÃO ÁVILA: Abel foi mal nas substituições. Depois da mexida dupla, ficamos mais perto ds perder do que de vencer. Maurício parece que ainda não tem corpo pra jogar no profissional. Não deu sequência em nenhuma jogada. Sem o Henrique, o time teve dificuldade de iniciar as jogadas. Até por isso, não acho que o Neves esteve mal. Ele voltou muito pra fazer a saída de bola.

ROMAROL: O importante neste jogo que a torcida acordou! Somente ela para dar ânimo a instituição.

SÍNDICO: MÉDIA DE IDADE do time do Cruzeiro que começou o jogo contra o Inter: 28 anos. Média do time que terminou o jogo: 26 anos.

ROSAN AMARAL: Três observações: Henrique fez falta. Depois do gol time recuperou parte da confiança. Rodriguinho é uma esperança.

23bra19: Cruzeiro em 18º

domingo, 6 de outubro de 2019

23ª RODADA do Brasileiro 2019:

  • São Paulo 2–1 Fortaleza 05out19sab17h Pacamebu
  • Vasco 0–1 Santos 05out19sab17h Saunjanuário
  • Grêmio 0–0 Corinthians 05out19sab19h Humaitá
  • Bahia 1–2 Paranaense 05out19sab17h Fontenova
  • Cruzeiro 1–1 Internacional 05out19sab21h Mineirão
  • Chapecoense 0–1 Flamengo 06out19dom11h Condá
  • Ceará 0–1 Goiás 06out19dom16h Castelão
  • Palmeiras 1–1 Mineiro 06out19dom16h Allianz
  • Botafogo 0–1 Fluminense 06out19dom16h Engenhão
  • Alagoano 3–1 Avaí 06out19dom19h Reipelé

Palmeiras tropeçou em casa e a torcida xingou a diretoria. Flamengo venceu em Cha[ecó e abriu 5 pontos sobre a Sep.

Flu vencei o Bota e respirou. Técnico do alvinegro caiu. Vasco apanhou em casa do santos e continua perto da confusão.

Alagoano venceu o Avaí e ultrapassou o Cruzeiro, que teve de suar muito pra não apanhar pela quarta vez para o Inter na temporada.

Grêmio de Corintiãs empataram, Paranense venceu o bahia fora de casa e o Goiás vencdu o Ceará em Fortaleza e xontinua com 100∞ de aproveitamento no retorno.

Robinho e Ederson, os melhores no empate

domingo, 6 de outubro de 2019

ATUAÇÕES dos protagonistas do CRUZEIRO 1-1 INTERNACIONAL, Mineirão, Belo Horizonte, 23ª rodada do Brasileiro 2019:

TORCIDA CELESTE compareceu em número regular, mas apoiou o time o tempo todo, Só pisou na bola ao vaiar David e neves, sem justificativa, nem necessidade.

FÁBIO não teve muito trabalho, nem uma no gol. As bolas que chegaram, defendeu sem problemas.

OREJUELA jogou como sempre, com muita disposição, boa marcação, avanços constantes, mas pouca eficiência nos passes finais. Sofreu o pênalti do gol de empate.

CACÁ venceu o duelo com Guerrero, quase não cometeu erros e levou um cartão amarelo injusto, que vai tira-lo do jogo decisivo contra o Fluminense.

FABRUNO não deu oportunidades aos atacantes colorados, jogando com firmeza, apesar de ter levando um cartão amarelo logo no início do jogo.

EGÍDIO, seguro na defesa, apoiou bastante o ataque, com vários cruzamentos.

JADSON marcou bem, mas não foi efetivo no apoio. saiu antes do fim quando Abel partiu para o tudo ou nada, com quatro atacantes.

EDERSON correu bastante e, desta vez, sem pedir para sair antes do fim. Enfrentando um meio de campo mais povoados, pouco avançou para ajudar seu ataque.

ROBINHO começou armando o jogo pelo lado direito, terminou como volante, lutando e criando jogadas. Errou alguns passes, nada de anormal considerando-se a força e o bom posicionamento de volantes e defensores colorados. Foi o melhor do jogo.

MAURÍCIO entrou na reta final, ora jogar aberto na ponta direita. Conseguiu uma boa jogada, que resultou num corner. Mas sofreu coma falta de boas bolas, pois àquela altura o meio de campo celeste estava desmontado e não municiava mais o ataque.

NEVES correu, buscou o jogo, tabelou pelo meio, chutou, mas não conseguiu o mais importante, que era fazer o gol.

DAVID dedicou-se muito, desperdiçou uma chance de gol, correu, usou a força física contra a forte defesa colorada, mas foi sacado na parte final. Saiu sob vaias injustas da banda termocéfala da torcida.

EZEQUIEL entrou na reta final, com ordens de jogar aberto, aproveitando as subidas de Heitor. Obedeceu ao treinador, mas n

FRED marcou gol, cobrando pênalti com perfeição, arrematou com perigo e buscou jogo longe da área. E foi até o apito final, mesmo cansado nos últimos 15 minutos.

SASSÁ entrou no fim do jogo, correu muito, mas não teve chance de marcar o gol de desempate.

ABEL não inventou na escalação, mandando a campo os melhores jogadores à dissipação. Na parte final, foi para o tudo ou nada, enfraquecendo o meio de campo para reforçar o ataque com quatro jogadores. O time sofreu na defesa, mas também teve chance de desempatar.

CRUZEIRO levou um gol no primeiro chute do Inter, mas não se desesperou e lutou até arrancar o empate. O ponto fraco foi a volância, que perdeu o meio de campo para o Inter, com mais jogadores e mais entrosamento no setor. A defesa segurou a onda e o ataque martelou o tempo todo trazendo a torcida para o jogo.

INTERNACIONAL foi um time forte do goleiro aos meio-campistas, mas dispersivo no ataque. No fim, acabou escapando das derrotas pelas boas defesas de seu goleiro.

ÁRBITROS apitaram corretamente. O Inter reclama do pênalti de Patrick em Orejuela. Em outros tempos seria até possível discuti-lo. Nestes tempos de Var, não. O Juiz não pode “desver” o calço do colorado no cruzeirense, nem tem como medir a força aplicada. É bola na cal e segue o jogo!

MelhorDoJogo => ROBINHO [[[12]]] Domênico, Morato, Rizzi, Vanda, Bastos, Penido, Nem, Araujo, Amaral, Síndico, Patricia, Dudu —– EDERSON [[[11]]] Caolho, Ramos, Evandro, Bitencourt, Gil, Schrier, Walterson, Velame, Pinheiro, Romarol, França —– FRED [[[4]]] Ge, Zuloobas, Celeste, Barnabé —–NEVES [[[1]]] Orozimbo —– FABRUNO [[[1]]] Dourado —– EGÍDIO [[[1]]] Rosan —– MAURÍCIO [[[1]]] Pedro —– OREJUELA [[[1]]] Lulu —– [[[1]]] LOMBA [[[1]]] Zerora —– NICO [[[1]]] Uol —– TORCIDA CELESTE [[[3]]] Wagner, Walery, Clemenceau… 

Cruzeiro 1×1 Internacional: não faltou luta

sábado, 5 de outubro de 2019

CRUZEIRO contra Internacional, neste 05out19qua21h, Mineirão, Belo Horizonte, 23ª rodada, Brasileiro 2019.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro é o 17º, com 19 pontos; Internacional, o 5º, com 37 pontos.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 2º, com 15.822 pontos, Internacional, o 9º, com 10.902.

TRANSMISSÃO:  Premiere e Premiere Internacional, com narração de Rogério Corrêa, comentários de Carlos Eduardo Lino e Grafite.

TEMPO nublado, temperatura 25º, vento 14 Km/h, umidade 50%.

ARBITRAGEM: Wagner do Nascimento Magalhães (Fifa, RJ),9Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa, SP), Carlos Henrique Alves de Lima Filho (RJ). VAR: Pathrice Wallace Corrêa Maia (RJ).

CRUZEIRO: Fábio — Orejuela, Cacá, Fabruno, Egídio — Ederson, Jadson — Robinho, Neves, David — Fred. T: Abel Braga.

BANCO: Rafael, Edílson, Edu, Rafael Santos, Adriano, Cabral, Maurício, M Gabriel, Sassá, Popó, Ezequiel.

AUSENTES: Dedé, Leo, Rocha (lesionados), Rodriguinho, Weverton (preparação física), Henrique (suspenso).

PENDURADOS: Cabral, Cacá, David, Dedé, Fábio, M Gabriel, Orejuela, Robinho, Rodriguinho, Neves.

INTERNACIONAL: Lomba — Heitor, Fuchs, Cuesta, Uendel — Edenilson, Lindoso, Patrick – Nico López, Nonato – Guerrero. T: Odair Hellmann.

BANCO: Danilo Fernandes G, Bruno L, Zeca L, Emerson Santos B, Klaus B, Rithely V, Bruno Silva V, Sarrafiore M, D’Alessandro M, Neilton M, Guilherme Parede A, Wellington Silva A.

AUSENTES: Rodrigo Moledo, Rodrigo Dourado, Matheus Galdezani, Rafael Sobis, William Pottker (lesionados).

PENDURADOS: Natanael, Víctor Cuesta, Patrick, Guilherme Parede, Nonato.

CRUZEIRO 1×1 INTERNACIONAL, 05out19sab21h. TEMPO nublado, temperatura 25º, vento 14 Km/h, umidade 50%. LOCAL: Mineirão (62 mil), Belo Horizonte. MOTIVO: 23ª rodada, Brasileiro 2019. TRANSMISSÃO: Premiere. PÚBLICO: 18.222 pagantes, 22.561 presentes, R$224.780, média R$. ARBITRAGEM: Wagner Magalhães (RJ), Marcelo Van Gasse (SP), Carlos Henrique Alves (RJ). VAR: Pathrice Wallace Maia (RJ). AMARELOS: Uendel, Edenílson, Nonato, Fabruno, Neves, Cacá, Ederson, Sassá. GOLS: Nonato, 9, Fred, 62 (p) . CRUZEIRO: Fábio; Orejuela, Cacá, Fabruno, Egídio; Jadson (Maurício, 72), Ederson; Robinho, Neves (Sassá, 78), David (Ezequiel, 72); Fred. T: Abel Braga. INTERNACIONAL: Lomba; Heitor (Bruno, 92), Fuchs, Cuesta, Uendel; Lindoso, Edenílson, Nonato (Neílton, 63), Nico López (D´Alessandro, 46), Patrick; Guerrero. T: Odair Hellmann.

HISTÓRICO: 85 jogos, com 29 vitórias do Cruzeiro, 32 do Inter e 24 empates. O Cruzeiro marcou 106 gols e sofreu 110. Pelo Brasileiro, desde 1962, foram 72 partidas. O Cruzeiro venceu 25, empatou 21, perdeu 25, marcou 89 gols e sofreu 87. Os dois clubes decidiram o Brasileiro de 1975, com vitória do Inter na final por 1×0, no BeiraRio.

DESEMPENHO do Cruzeiro na história do Brasileiro: 58 participações em 63 campeonatos, 1.464 jogos, 633 vitórias, 395 empates, 437 derrotas, 2.121 gols marcados, 1.662 sofridos. Aproveitamento de 53%. Nos pontos corridos: 649 jogos, 290 vitórias, 144 empates, 215 derrotas, 968 gols marcados,800 sofridos, aproveitamento de 53%.

Fernandão: “Está na hora do sal grosso”

quarta-feira, 2 de outubro de 2019

PITACOS acerca do GOIÁS 1-0 CRUZEIRO, Serra Dourada, Goiânia, 30set19seg20h, 22ª rodada, brasileiro 2019:

ABEL BRAGA: Nós nos colocamos nessa situação e nós vamos sair dela. O torcedor não está contente com o resultado, mas está contente com a postura da equipe. Eu vi que para um dia, que nós fizemos um trabalho tático, que foi ontem, a maneira como os jogadores assimilaram me deu uma esperança muito grande de que logo, logo, vamos sair dessa situação, deste momento. A recuperação vem somente com o resultado. O Cruzeiro não jogou menos que o Goiás, o jogo foi igual. No 1º tempo, tivemos boa saída de bola, mas tivemos muitos erros a partir da intermediária, proporcionamos alguns contra-ataques. Neutralizamos o contra-ataque com o Michael. Mas a produção anima. E nós entendemos aquilo que necessitamos. O Goiás tem um contra-ataque muito rápido, e o Orejuela é um jogador muito agudo, muito participativo. Muito bom jogador, mas hoje estava num dia infeliz. Nós, jogando fora de casa, proporcionamos alguns contra-ataques. Ele estava num dia ruim e houve a substituição. Edilson entrou naturalmente bem. Marquinhos entrou cumprindo. O menino entrou muito bem, o Ezequiel. David foi para dentro do campo. Começamos a ter que encostar um lateral nos zagueiros para ter a sobra, e o Ezequiel começou a ir no mano. É um início. Não gostei do resultado, mas gostei daquilo que se produziu.

THIAGO NEVES: Estávamos bem. No momento perguntei ao David e ele também achou que estava impedido. Saímos de cabeça erguida, pois teremos que lutar até o final para tirar o Cruzeiro desta situação.

DOUGLAS VELLOSO: Depois do gol anulado, o Cruzeiro entrou no modo passivo e deu a vitória ao Goiás. No momento do gol afirmei ser injusto o gol, mas vendo a reação dos jogadores e o andamento da partida, o Goiás mereceu. Hoje faltou vergonha, além de futebol. Alguém precisava assumir as responsabilidades, pois não se entrega o resultado sem lutar até o fim.

FERNANDÃO ÁVILA: Pãozinho com a manteiga pra baixo. O Impedimento do David deve ter sido de 2 cm, e melhoraria o que já era bom. O jogo foi a síntese da temporada. Boa posse de bola, mas dificuldade no último passe, chances criadas e desperdiçadas, falta de concentração defensiva, falta de fôlego para suportar o ímpeto final dos adversários e uma certa dose de depressão quando as coisas não andam. Está na hora do sal grosso, das promessas e de fechar a casinha, pois o que tem sido um parto para fazer, está sendo mole tomar.

WAGNER CPM: O jogo era nosso. Um gol anulado e tudo foi por água abaixo. Depois Michael deu um chute despretensioso e encontra o Ruschel na cara do gol. A sorte uma hora tem de virar. Não é possível que vai ser assim até o final. Lamentável. Nem tem mais o que dizer, só aguardar.

ZULOOBAS: Cruzeiro vinha bem, Robinho perdeu gol sem goleiro, Sassá e David t ambém tiveram chances. O gol do Goiás foi uma falha ridícula da defesa. Abel mexeu mal, mas os jogadores tiveram mais boa vontade com ele do que com Rogério Ceni, isso foi notório.

JOTA DIAS: O time celeste até que jogou o suficiente para ter um resultado melhor, mas como a fase não ajuda, tem gol anulado e toma um gol bobo. Vai ser difícil não cair.

MARCUS OLIVEIRA: Posse de bola, finalizações, oportunidades perdidas e gol do adversário! Roteiro comum neste ano e que alimenta a falsa percepção de bom jogo, resultado injusto e elenco qualificado. Hora de entender as limitações e fazer o simples: quem não leva gol, pontua!