Arquivo da Categoria ‘BRASILEIRO’

Vasco 1×0 Cruzeiro: não faltou luta

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

CRUZEIRO contra Vasco, 02dez19seg20h, São Hanuárui *24 mil), Rio de Janeiro, 36ª rodada, Brasileiro 2019

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro é o 17º, com 36 pontos; Vasco, o 13º, com 44 pontos.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 2º, com 15.822 pontos; Vasco, o 14º, com 9.360.

TEMPO nublado, temperatura 22º, vento 16 Km/h, umidade 87%.

TRANSMISSÃO: Sportv e Premiere, com narração de Jader Rocha e comentários de Bob Faria e Pedrinho. As reportagens são de Eudes Júnior e Guto Rabelo.

ARBITRAGEM: Wilton Pereira Sampaio, Bruno Raphael Pires, Leone Carvalho Rocha (GO), VAR: André Luiz Freitas (GO).

CRUZEIRO: Fábio — Orejuela, Cacá, Leo, Egídio — Henrique, Ederson, Cabral — David, Joel, Rocha. T: Adílson Batista.

BANCO: Rafael G, Edílson L, Fabruno B, Dodô L, Jadson V, M Gabriel M, Robinho M, Sassá A, Ezequiel A, Fred A.

AUSENTES: Dedé, Rodriguinho (lesionados), Maurício (seleção sub20).

PENDURADOS: Cabral, Dedé, Dodô, Edilson, Egídio, Fábio, Henrique, Jadson, M Gabriel, Orejuela, Robinho, Rodriguinho, Neves.

VASCO: Fernando Miguel — Pikachu, Henriquez, Castán, Henrique — Richard,,  Andrey, Guarín —  Rossi, Ribamar, Marrony,  T: Vanderlei Luxemburgo.

BANCO: Sidão G, Raul Cáceres L, Danilo Barcelos L, Ricardo B, Werley B, Alexandre Melo L, Felipe Bastos V, Bruno Gomes V, Marquinho M, Felipe Ferreira M, Bruno César M, Tiago Reis A.

AUSENTES: Talles Magno (lesionado), Raul (suspenso), Gabriel Pec (seleção sub20), Marcos Jr (poupado).

PENDURADOS: Fernando Miguel, Henríquez, Ricardo, Henrique, Guarín, Andrey, Bruno César.

VASCO 1×0 CRUZEIRO, 02dez19seg20h. TEMPO nublado, temperatura 22º, vento 15 Km/h, umidade 87%. LOCAL: São Hanuárui (24 mil), Rio de Janeiro. MOTIVO: 36ª rodada, Brasileiro 2019. TRANSMISSÃO: Sporv e Premiere. PÚBLICO: 19.314 pagantes, 19.796 presentes, R$567.032, média R$29. ARBITRAGEM: Wilton Sampaio, Bruno Pires, Leone Rocha. VAR: André Castro (GO). AMARELOS: Richard, Rossi, Guarín, Ederson, M Gabriel, Fred. GOL: Guarín, 10. VASCO: Fernando Miguel; Pikachu, Henríquez, Castán, Henrique; Richard (Fellipe Bastos, 65), Guarín, Andrey; Rossi, Ribamar (Tiago Reis, 62), Marrony (Bruno Gomes, 78). T: Vanderlei Luxemburgo. CRUZEIRO: Fábio, Orejuela, Cacá, Leo, Egídio; Henrique, Ederson (M Gabriel, 46), Cabral; David, Rocha (Ezequiel, 70), Joel (Fred, 46). T: Adilson Batista.

HISTÓRICO: 99 jogos. Cruzeiro venceu 36, empatou 31, perdeu 32, marcou 147 gols e sofreu 127. Pelo Brasileiro, 60 partidas. Cruzeiro venceu 23, empatou 20, perdeu 18, marcou 90, levou 72 gols. Os dois clubes decidiram o Brasileiro de 1974, no Maracanã. O Vasco venceu por 2×1.

DESEMPENHO do Cruzeiro na história do Brasileiro: 58 participações em 63 campeonatos, 1.477 jogos, 636 vitórias, 402 empates, 440 derrotas, 2.130 gols marcados, 1.672 sofridos. Aproveitamento de 53%. Nos pontos corridos: 662 jogos, 293 vitórias, 151 empates, 218 derrotas, 977 gols marcados, 810 sofridos, aproveitamento de 53%.

A frescura que encanta incautos

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

É viadagem que não acaba mais esse papo vendido por mesa-redondistas aos incautos de “propor o jogo”, “joga bonito”,  futebol-arte, futebol faceirinho, tiki taka e afins.

Futebol é resultado. Se vence, se é campeão, treinador é fodão, se perde, burrão. Ou algum corintiano deixou de comemorar o titulo conquistado como Carille. Ou são-paulino se emputeceram com os títulos os do Muricy?

Na primeira metade do século passado, o Fluminense se notabilizou por campeonar com seus “timinhos”, como diziam os rivais. Importante é que estava sempre dando volta olímpica e seu torcedor tomando o chope do título.

O Cruzeiro quando tinha craques era Academia. Quando não tinha vencia usando a força bruta. Era o Cruzeiro Duro.

José Morinho já ensinou: “não existe uma única forma de se jogar futebol”. E eu completo: cafa técnico tem que escolher o esquema conforme o elenco que tem. Se não dá pra agradar os mesa-redondistas, e quase ninguém no Brasil pode se dar a esse luxo, o melhor é ser prático; Jogar feio é muito bonito quando dá bom resultado.

Tomara que o Adílson não queira fazer Joel, Rocha, Sassá e David jogarem como os atacantes flamengos. Seria entrar numa barca furada. Mais uma.

36bra19: Mais uma chance para o Cruzeiro

sábado, 30 de novembro de 2019

36ª RODADA do Brasileiro 2019

  • Ceará 1-1 Paranaense 30nov19sab19h Castelão
  • Botafogo 0-1 Internacional 30nov19sab19h Engenhão
  • Palmeiras 1-3 Flamengo 01dezq9dom16h Allianz
  • Avaí 1-1 Fluminense 01dez19dom16h Ressacada
  • Goiás 1-2 Fortaleza 01dez19dom16h Serradourada Reipelé
  • Mineiro 2-1 Corinthians 01dez19dom18h Independência
  • Alagoano 1-2 Bahia 01dez19dom18h Reipelé
  • Grêmio 3-0 São Paulo 01dez19dom19h Humaitá
  • Santos 2-0 Chapecoense 01dez19dom19h Vilabelmiro
  • Vasco – Cruzeiro 02dez10seg20h Saunjanuário

Paranaense, com time reserva, arrancou empate nos acréscimos contra o Ceará no Castelão. Se vencer o Vasco, Cruzeiro deixa a zona de rebaixamento.

Moema: “sofrimento em conta-gotas”

sábado, 30 de novembro de 2019

PITACOS acerca do CRUZEIRO 0-1 CSA, no Mineirão, Belo Horizonte, 28nov19qui21h30, pela 35º rodada do Brasileiro 2019:

VALDIR BARBOSA: O presidente Wagner e o gestor de futebol Zezé Perrella estavam no estádio e foram ao vestiário antes do jogo, mas após não. Eles sempre vão, mas talvez até por essa tumulto não foram. Não sei se hoje atingiu o hall principal também, mas sempre atinge. A segurança está um pouco duvidosa aqui no Mineirão, conforme se viu no clássico, com invasão de camarote, invasão do setor de imprensa, invasão do hall. Eles não foram ao vestiário após o jogo, apenas mantiveram contato por telefone, dando ciência daquilo que está acontecendo. Estão extremamente preocupados. Amanhã, a partir das 9h está todo mundo outra vez de pé, cada um em seus postos na sede e na Toca, e qualquer decisão que houver será mais tranquila, com a cabeça mais fria. Nós pensamos sim, e quem decide é a diretoria, junto com a comissão técnica. O torcedor não está sendo desrespeitado pela falta de entrevistas. Quem acompanha as redes sociais viu que o torcedor não se revoltou porque os jogadores não estavam dando entrevista. Eles querem é futebol. A palavra do jogador é importante, mas o mais importante é vencer os jogos. E isso nós não estamos conseguindo.

CACÁ: Temos três jogos, ainda não acabou. O Cruzeiro é time grande, nunca caiu e temos que defender esse título aí, de que nunca caiu. Tentando a gente está, está todo mundo trabalhando, no dia a dia dos treinos. Sempre ali tem oportunidade clara que aparece, a gente não consegue colocar a bola pra dentro.

THIAGO NEVES: Não sei nem se foi desconcentração na perda do pênalti. Tentamos de várias formas. Coloca a culpa em mim e peço desculpas. Porém ainda temos três jogos e temos que correr atrás. Agora é ir para o Rio e vencer.

GLOBO ESPORTE: Henrique é quem mais tem chamado a responsabilidade em meio ao momento ruim. Tecnicamente, pode deixar a desejar, mas é quem mais se entrega, física e taticamente. Com o Csa recuado, achou passes que dificultaram a marcação adversária. 

FERNANDÃO ÁVILA: O time celeste é só ímpeto. Dá um longo tratado descrever a transformação de um time competitivo nisso. O time é só ansiedade e tensão. Fez um jogo muito ruim, limitando-se a levantar dezenas de bolas na área.

MARCUS OLIVEIRA: Ataque letárgico e meio campo omisso. Os volantes não acham uma alma viva para o passe vertical. Daí ficam rodando o jogo com os laterais, que insistem em cruzamentos para o meio da área, sem objetividade alguma. Equipe cria poucas oportunidades reais e ainda peca na finalização e assim o hol só sai por obra do acaso.

ZÉ DO CANADÁ: Estamos com um pé na cova e o outro na casca de banana, mas ainda estamos vivos.

MOEMA FOX: Devastada, mais pelo sofrimento em conta-gotas.

Cacá, Henrique, Rocha, melhores do jogo trágico

sexta-feira, 29 de novembro de 2019

ATUAÇÕES dos protagonistas do CRUZEIRO 0-1 CSA, no Mineirão, Belo Horizonte, 28nov19qui21h30, pela 35º rodada do Brasileiro 2019:

TORCIDA CELESTE compareceu em bom número e apoiou o time o tempo quase todo. No fim, uma parte imbecilizada vaiou, outra atirou sinalizadores na cancha e criou tumulto. A maioria apenas sofreu calada. (Síndico)

FÁBIO fez um jogo protocolar, sem culpa no gol, aliás, operou um pequeno milagre no lance. (Fernando Henrique)

OREJUELA, pulmão e adrenalina a mil, mas sem tranquilidade pra arrematar assistências e tabelas. Garantiu bem a cobertura pelo seu flanco. (Fernando Henrique)

CACÁ não teve vida fácil, com Apodi mais insinuante pela esquerda. Mas se antecipou e venceu todas as disputas no mano-a-mano contra o velocista azulino. E ainda achou fôlego e criatividade para participar das construções ofensivas. (Fernando Henrique)

LEO, sem cometer erros, fez o básico, sem expor o time e o companheiro de zaga. (Fernando Henrique)

EGÍDIO tabelou, chutou, lançou incontáveis bolas na área mas não encontrou uma assistência preciosa que resultasse em gol. Previsibilidade do time pelo seu lado atrapalha seu estilo de jogo. (Fernando Henrique)

HENRIQUE foi o responsável direto pelo fato de o time não correr grandes riscos em contra-ataques. Garante todas as investidas da equipe. (Fernando Henrique)

EDERSON, pesadão, não é a dele jogar com a marcação dupla fungando no cangote o tempo inteiro. (Fernando Henrique)

EZEQUIEL, pouco efetivo e precipitado no primeiro tempo, foi sacado justamente quando encontrou espaços, fazia tabelas e parecia que ia desenrolar alguma coisa. (Fernando Henrique)

NEVES não precisava chamar tanta responsabilidade para si, bastaria ajudar o time. Excesso de preciosismo e autoconfiança é seu ponto fraco. (Fernando Henrique)

FRED jogou bem o primeiro tempo, fez duas boas jogadas de centroavante que quase resultaram em gol. Saiu porque o time ia precisar de correria absurda no segundo tempo. (Fernando Henrique)

ROCHA foi o melhor do jogo. Movimentou todo o ataque e foi responsável pelas jogadas mais contundentes do time. Cobrá-lo pelo escanteio que resultou no gol é estupidez. (Fernando Henrique)

ROBINHO, cerebral e voluntarioso, aproveitou muito bem o campo que teve para distribuir bolas e rodar o jogo deixando o ataque do time menos previsível e mais qualificado. (Fernando Henrique)

JOEL correu muito atrás de uma bola que nunca chegou, seja pelo desentrosamento ou pelo desespero que o time se meteu no segundo tempo. Poderia ter entrado mais perto do final da partida. (Fernando Henrique)

SASSÁ, participativo, encontrou espaços dentro e fora da área para levar perigo ao arco defendido pelos alagoanos, era o substituto natural de Fred. (Fernando Henrique)

ABEL fez uma boa mexida ao sacar Ederson e colocar Robinho. Segue o código de conduta dos jogadores e talvez por isso não tenha substituído Fred diretamente por Sassá, um erro, que o obrigou a sacar cedo Ezequiel em seu melhor momento no jogo. (Fernando Henrique)

CRUZEIRO tacou o tempo todo, encurralou o adversário, desperdiçou pênalti, perdeu gols e, por fim, parou nyma defesa que rebateu bolas e mais bolas. O resultado foi injusto, mas nada de se admiriar em futebol. (Síndico)

CSA atacou uma vez, fez um gol e acertou uma bola na baliza. No resto do tempo, se retrancou, contou coma sorte e a boa capacidade de seus defensores pra rebater bolas. (Síndico)

ÁRBITROS apitaram corretamente. Só faltou pulso pra expulsar o goleiro Jordi por excesso de cera. (Síndico)

MelhorDoJogo => CACÁ [[[10]]] Luizanton, Rocha, Bitencourt, Rizzi, Evandro, Setelagoas, Ramos, Soeiro, Velame, Orozimbo —– HENRIQUE [[[8]]] Ge, Fivestars, Olivieri, Artur, Fivestars, Jotapê, Anchieta, Barnabé —– ROCHA [[[5]]] Efeagá, King, Bastos, Romarol, Dudu —– EGÍDIO [[[3]]] Vanda, Marilise, Síndico —– EZEQUIEL [[[2]]] Chiabi, Rosan —– OREJUELA [[[1]]] Ianni —– ABEL [[[1]]] Morato —– JORDI [[[3]]] Uol, Zuloobas, Ferraz —– ALAN [[[1]]] Walterson —– APODI [[[1]]] Schrier… 

Cruzeiro 0x1 Csa: vítima do sobrenatural

quinta-feira, 28 de novembro de 2019

CRUZEIRO contra CSA, 28nov19qui21h30, Mineirão (62 mil), Belo Horizonte, 35ª rodada do Brasileiro 2019.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro é o 17º, com 36 pontos, Csa, o 18º, com 28.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 2º, com 15.822 pontos, CSA, o 45º, com 2.850 pontos.

TRANSMISSÃO: Sportv (menos MG) e Premiere, com narração de Rogério Corrêa e comentários de Bob Faria e Fábio Júnior.

TEMPO chuvoso, temperatura 24º, vento 10 Km/h, umidade 76%.

ARBITRAGEM: Vinícius Gonçalves Dias Araújo, Miguel Cataneo Ribeiro da Costa, Bruno Salgado Rizo (SP). VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP).

CRUZEIRO: Fábio — Orejuela, Cacá, Leo, Egídio — Henrique, Ederson — Ezequiel, Neves, Rocha — Fred. T: Abel Braga.

BANCO: Rafael, Edílson, Fabruno, Rafael Santos, Jadson, Cabral, Robinho, Marquinhos Gabriel, David, Joel, Sassá.

AUSENTES: Dedé, Rodriguinho. Dodô lesionados).                                

PENDURADOS: Robinho, Egídio, Neves, Henrique, Dodô, Jadson, Edilson, David, Fábio, Orejuela, M Gabriel, Dedé, Cabral e Rodriguinho.

CSA: Jordi — Dawhan, Alan Costa, Castán, Rafinha — Nílton, João Vítor, Jonatan Gomez, Euller — Apodi, Ricardo Bueno. T: Argel Fucks.

BANCO: João Carlos G, Fabrício G, Lucas Dias B, Ronaldo Alves B, Jean Cleber V, Warley L, Matheus Prado M, Bruno Alves M, Didira M, Safira A.

AUSENTES: Alecsandro, Bustamante, Cajuru, Pedroso, Naldo (lesionados).

PENDURADOS: Apodi, Alan Costa, Warley, Ricardo Bueno, Jonatan Gómez, Jean Cleber, Carlinhos e Naldo.

CRUZEIRO 0x1 CSA, 28nov19qui21h30. TEMPO chuvoso, temperatura 24º, vento 10 Km/h, umidade 76%. LOCAL: Mineirão (62 mil), Belo Horizonte. MOTIVO: 35ª rodada do Brasileiro 2019. TRANSMISSÃO Sportv e Premiere. PÚBLICO: 30.193 pagantes, 34.290 presentes, R$R$354.764, média R$12. ARBITRAGEM: Vinicius Gonçalves Dias, Miguel Cataneo, Bruno Rizo. VAR: Rodrigo Guarizo (SP). AMARELOS: Jordi, Euller, Gomez, J Vítor. GOL: Alan, 42. CRUZEIRO: Fábio; Orejuela, Cacá, Leo, Egídio; Henrique, Ederson (Robinho, 46), Ezequiel (Sassá, 68), Neves, Rocha; Fred (Joel, 46). T: Abel Braga. CSA: Jordi; Dawhan, Alan Costa, Castán, Rafinha; João Vítor, Nílton, Jonatan Gomez, Euller (Warley, 58); Apodi (Bruno Alves, 68), Ricardo Bueno. T: Argel Fucks.

HISTÓRICO: 9 jogos, 6 vitórias do Cruzeiro, 2 do Csa, 1 empate, 15 gols marcador pelo Cruzeiro, 5 pelo Csa.

DESEMPENHO do Cruzeiro na história do Brasileiro: 58 participações em 63 campeonatos, 1.476 jogos, 636 vitórias, 402 empates, 439 derrotas, 2.130 gols marcados, 1.671 sofridos. Aproveitamento de 53%. Nos pontos corridos: 661 jogos, 293 vitórias, 151 empates, 217 derrotas, 977 gols marcados, 809 sofridos, aproveitamento de 53%.

35bra19: Cruzeiro sai da zona, se vencer

quarta-feira, 27 de novembro de 2019

35ª RODADA do Brasileiro 2019

  • Internacional 1-2 Goiás 27nov19qua19h30 Beirarrio
  • Chapecoense 0-1 Botafogo 27nov19qua19h30 Condá
  • Bahia 1-1 Mineiro 27nov19qua21h Fontenova
  • Corinthians 3-0 Avaí 27nov19qua21h30 Itaquera
  • Flamengo 0-1 Ceará 27nov1 9qua21h30 Maracanã
  • Paranaense 2-0 Grêmio 27nov19qua21h30 Baixada
  • Fluminense 1-0 Palmeiras 28nov19qui19h30 Maracanã
  • Fortaleza 2-1 Santos 28nov19qui21h Castelão
  • São Paulo 1-0 Vasco 28nov19qui20h30 Morumbi
  • Cruzeiro 0-1 Alagoano 28nov19qui21h30 Mineirão

Marcus: “Caso é de miracolo, não de salvezza”

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

PITACOS acerca do SANTOS 4-1 CRUZEIRO, 23nov19sab21h, Vila Belmiro, Santos, pela 34ª rodada do Brasileiro 2019:

ABEL BRAGA: O que me agradou foi o início do segundo tempo, quando nós conseguimos neutralizar o problema maior que estávamos enfrentando, que era o posicionamento do Sánchez. Tivemos a chance do segundo gol, não fizemos. Tomamos o segundo e o terceiro, que eram possíveis de serem evitados. Mas a superioridade do Santos foi muito grande. Mais do que nunca teremos que encarar os jogos como decisões. São quatro, e é dessa maneira que vamos pensar no jogo contra o Csa. Eu não analiso os jogadores. Analisamos a parte técnica e tática entre nós. Mas nossa atuação foi muito abaixo. E eu sou o responsável, fui eu que escalei. A estratégia que usei talvez não tenha sido a melhor. Conseguimos fazer uma zero naquilo que esperávamos, o Santos atacando com muitos jogadores e nos dando a possibilidade do contra-ataque. Tomamos dois gols ou três em contra-ataques jogando fora de casa, isso é muito ruim.

THIAGO NEVES: Cometemos erros. São erros que vêm acontecendo várias vezes, erros de passe, a gente acaba entregando a bola e levando os gols. Não tem que lamentar, sabemos que temos que ganhar de qualquer maneira em casa na quinta.

DOUGLAS VELLOSO: Falta equilíbrio físico e mental ao time celeste, que está desestruturado, com jogadores distantes uns dos outros, valendo-se apenas intuição individual. O Santos foi superior todo o tempo e depois de achar o caminho fez naturalmente o resultado. Abel precisa repensar a formatação da equipe com urgência. E treinar saída de bola e passe. Aquela equipe concentrada ao extremo, que foi bicampeã da Copa do Brasil se perdeu, não existe mais.

MARCUS OLIVEIRA: O Santos foi muito superior desde o início. Primeiro tempo foi mais parelho porque Cruzeiro correu muito para preencher espaços. No segundo, jogadores estavam extenuados. Ederson sumiu e deixou Egídio sozinho na esquerda. Daí foi fácil achar o caminho do gol. Abel tem que evitar que os jogadores se distanciem tanto um do outro no segundo tempo. É muito espaço para erro de passe e movimentação adversária. Será quase missão impossível conquistar três vitórias. O caso agora é de miracolo, não mais de salvezza”

SÍNDICO: O mesmo torcedor que execrava o Marinho, agora execra o Egídio. É mais fácil escolher um bode expiatório do que pensar. Egídio encarou Marinho, Pará e Sanchez trabalhando em seu setor. Três caras que estão voando. E quem o ajudou? David não voltou, provavelmente, porque tinha a missão de segurar a bola na frente. Ederson não entrou em campo. Fabruno não tem a rapidez do Cacá pra fazer a cobertura. Egídio teve que descascar o abacaxi sozinho. Perdeu e venceu disputas, mas o torcedor só se lembra das que ele perdeu. O torcedor é o fodão, o cara que entende mais do que o técnico, mais do que qualquer profissional do futebol e é ele quem prolata a sentença.

JULIM SILVA: Cacá e Orejuela foram bem na direita. Assim, façamos como Salomão, vamos quebrar um Motoradio ao meio e presentear os dois…

Orejuela, o melhor, pela intensidade e pelo gol

domingo, 24 de novembro de 2019

ATUAÇÕES dos protagonistas do SANTOS 4-1 CRUZEIRO, 23nov19sab21h, Vila Belmiro, Santos, pela 34ª rodada do Brasileiro 2019?

TORCIDA CELESTE compareceu e apoiou o time. Nas redes, o besteirol de sempre.

FÁBIO fez duas grandes defesas e não teve culpa nos gols.

OREJUELA marcou um gol, quase fez o de empate na etapa final, correu muito, apoiou o ataque , coma ajuda de Cacá, se virou pra conter Soteldo. Não conseguiu por completo, porque o venezuelano está impagável nesta fase do campeonato.

CACÁ fazia uma partida impecável até chutar o balde depois do terceiro gol e se mandar pro ataque deixando espaços pro veloz ataque santista. 

FABRUNO cortou várias b0as cruzadas e tentou fazer a cobertura da lateral esquerda, sem muito sucesso.

EGÍDIO perdei o duelo com Marinho, Sanchez e Pará –como todos os laterais do campeonato nos últimas semanas– mas ainda assim encontrou disposição pra apoiar o ataque. Tem como atenuante a falta de ajuda de David e Ederson e as coberturas nem sempre eficientes de Fabruno.

HENRIQUE não jogou tão bemna dessa  como de costume e teve que cometer faltas (também sofreu várias) contra o excelente meio de campo santista. No ataque, construiu uma ótima jogada que Neves não conseguiu concluir. 

EDERSON fez sua pior partida, desde que virou titular. Desatento na defesa, deixou Egídio se virar sozinho contra três santistas. No ataque, também não conseguiu nada digno de nota. 

BOBINHO jogou mal. Foi engolido pelo meio de campo santista e não foi efetivo na criação, nem na contenção. demorou a ser safado.

NEVES deu passe para gol, movimentou-se, tentou articular jogadas, cobrou faltas e escanteios. Não se omitiu.

DAVID fez um grande jogada, que Robinho não conseguiu arrematar com sucesso. Correu, tentou tabelar, chutou, mas nada deu certo.

SASSÁ. combativo, buscou o jogo, se apresentou pra definir as gatas de ataque, mas nada deu certo e acabou substituído quando ainda faltava meia hora pro jogo terminar. 

M GABRIEL jogou pouco tempo e não viu a cor da bola.

EZEQUIEL não conseguiu mudar a cara feia do jogo. Ciscou, mas não foi efetivo. 

JOEL fez uma boa jogada, girando e chutando forte. De resto, ficou na torcida pra alguma bola caprichada aparecer na área. E nenhuma apareceu. 

ABEL mandou a campo o melhor time possível, conseguiu manter um duelo equilibrado por uma hora contra um time muito superior ao seu. Suas trocas não funcionaram e ele errou ao não colocar ninguém para ajudar Egídio na esquerda. Cabral teria resolvido o problema, mas ele só pensou em reforçar o ataque cin as substituições e o resultado foi uma goleada evitável. 

CRUZEIRO jogou com dois volantes, dois armadores, dois atacantes avançados, perdeu disputa no meio de campo e deixou as laterais desprotegidas. Ainda assim, resistiu bem durante uma hora até tomar o segundo gol. Depois, perdeu a chance de empatar, tomou o terceiro e partiu pro futebol indígena, que lhe custou a goleada. 

SANTOS mostrou uma defesa impecável, um meio de campo povoado por jogadores hábeis e dois pontas em fase excepcional. Mandou no jogo e construiu a vitória, com segurança, na medida em que o Cruzeiro perdia foco e força. 

ÁRBITROS apitaram corretamente. E com sobriedade.

MelhorDoJogo => OREJUELA [[[18]]] Ge, Dutra, Castelões, Ramos, Rizzi, Artur, Bitencourt, Ianni, Velloso, Klauss, Rezende, Schrier, Nem, Bastos, Penido, Romarol, Guidugli, Síndico —– CACÁ [[[4]]] Zuloobas, Julim, Orozimbo, Barnabé —- HENRIQUE [[[2]]] Zejoco, Clemenceau —– FABRUNO [[[1]]] Dudu —– FÁBIO [[[1]]] Galvão —– JOEL [[[1]]] André —– ABEL [[[1]]] Morato —– MARINHO [[[4]]] Uol, Olivieri, Walterson, Setelagoas —– VERÍSSIMO [[[1]]] Dourado —– SAMPAOLI [[[1]]] Nanayoski —– TORCIDA [[[1]]] Soalheiro…

Santos 4×1 Cruzeiro: um final de jogo medonho

sábado, 23 de novembro de 2019

CRUZEIRO contra Santos, 23nov19sab21h, Vila Belmiro, Santos, pela 34ª rodada do Brasileiro 2019.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro é o 16º, com 36 pontos; Santos, o 3º, com 65.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 2º, com 15.822 pontos; Santos, o 4º, com 14.682.

TEMPO chuvoso, temperatura 23º, vento 10 Km/h, umidade 90%.

TRANSMISSÃO: Premiere, com narração de Daniel Pereira e comentários de Mauricio Noriega.

ARBITRAGEM: Leandro Pedro Vuaden, José Eduardo Calza, Lúcio Beiersdorf Flor. VAR: Daniel Nobre Bins (RS).

CRUZEIRO: Fábio — Orejuela, Cacá, Fabruno, Egídio — Henrique, Ederson — Robinho, Neves, David — Sassá. T: Abel Braga.

BANCO: Rafael, Vinícius, Edilson, Leo, R Santos, Cabral, Jadson, M Gabriel, Maurício, Ezequiel, Fred, Joel.

AUSENTES: Rodriguinho, Dedé, Dodô (lesionados), Rocha (suspenso).

PENDURADOS: Henrique, Dodô, Jadson, Edilson, David, Fábio, Orejuela, M Gabriel, Dedé, Cabral, Rodriguinho.

SANTOS: Everson — Pará, Veríssimo, Gustavo Henrique, Felipe Jonatan; Alison, Sánchez, Evandro — Marinho, Sasha, Soteldo. T: Jorge Sampaoli.

BANCO: Vanderlei G, John G, Victor Ferraz L, Luan Peres B, Luiz Felipe B, Aguilar B, Pituca V, Jean Mota M, Sandry M, Derlis González A, Tailson A, Kaio Jorge A.

AUSENTES: ninguém.

PENDURADOS: Gustavo Henrique, Marinho, Jean Mota, Jobson e Luan Peres.

SANTOS 4×1 CRUZEIRO, 23nov19sab21h. TEMPO chuvoso, temperatura 23º, vento 10 Km/h, umidade 90%. LOCAL: Vila Belmiro,(16 mil), Santos. MOTIVO: 34ª rodada do Brasileiro 2019. TRANSMISSÃO: premiere. PÚBLICO: 7.905 pagantes, R$266.945, média R$34. ARBITRAGEM: :eandro Vuaden, Jose Eduardo Calza, Lucio Beiersdorf . VAR: Daniel Bins, Vinicius Amaral, Andre Bitencourt (RS). AMARELOS: Gustavo, Egídio. GOLS: Orejuela, 13, Sasha, 22, Marinho, 59, Soteldo , 67, Pituca, 91.SANTOS: Everson; Pará, Veríssimo, Gustavo Henrique, Felipe Jonatan (Luan Peres, 89); Alison, Sánchez, Evandro; Marinho, Sasha (Pituca, 75), Soteldo (Kaio Jorge, 87). T: Jorge Sampaoli. CRUZEIRO: Fábio; Orejuela, Cacá, Fabruno, Egídio; Henrique, Ederson; Robinho (Ezequiel, 73); Neves (M Gabriel, 84), David; Sassá (Joel, 61). T: Abel Braga.

HISTÓRICO: 82 jogos. Cruzeiro venceu 30, empatou 22, perdeu 30; marcou 119 gols e levou 132. Pelo Brasileiro, foram 63 partidas. Cruzeiro venceu 23, empatou 18, perdeu 22; marcou 85 gols e sofreu 91. Nas duas vezes em que decidiram um título brasileiro, o Cruzeiro levou a melhor. Em 1966, venceu por 6×2 no Mineirão e 3×2 no Pacaembu. Em 2003, colocou 13 pontos de frente sobre seu rival após vencer pro 3×0, no Mineirão, em uma espécie de final antecipada do primeiro Brasileiro de pontos corridos.

DESEMPENHO do Cruzeiro na história do Brasileiro: 58 participações em 63 campeonatos, 1.475 jogos, 636 vitórias, 402 empates, 438 derrotas, 2.130 gols marcados, 1.670 sofridos. Aproveitamento de 53%. Nos pontos corridos: 660 jogos, 293 vitórias, 151 empates, 216 derrotas, 977 gols marcados, 808 sofridos, aproveitamento de 53%.