Arquivo da Categoria ‘BRASILEIRO’

08bra18 e 09bra19: Cruzeiro em 18º

sábado, 15 de junho de 2019

8ª RODADA

Vasco 2×1 Internacional 07jun19sex20h30 São Januário

Palmeiras 1×0 Paranaense 08jun19sab16h30 Allianz

Grêmio 1×0 Fortaleza 08jun19sab19h Centenário

Cruzeiro 0x0 Corinthians 08jun19sab19h Mineirão

Ceará 0x0 Bahia 08jun19sab19h30 Castelão

Avaí 0x0 São Paulo 08jun19sab21h Ressacada

Santos 3×1 Mineiro 09jun19dom19h VilaBelmiro

Fluminense 0x0 Flamengo 09jun19dom19h Maracanã

Csa 1×2 Botafogo 09jun19dom19h ReiPelé

Goiás 3×1 Chapecoense 10jun19seg20h

9ª RODADA

Botafogo 0-1Grêmio 12jun19qua19h5 Engenhão

Fortaleza 2-1 Cruzeiro 12jun19qua21h Castelão

Internacional 3-1 Bahia 12jun19qua21h30 BeiraRio

Santos 1-0 Corinthians 12jun19qua21h30 VilaBelmiro

Csa 0-2 Flamengo 12jun19qua21h30 Nacional

Vasco 1-0 Ceará 13jun19qui19h15 ãoJanuário

Mineiro 1-1 São Paulo 13jun19qui20h

Palmeiras 2-0 Avaí 13jun19qui20h Allianz

Chapecoense 1-1 Fluminense 13jun19qui20h Condá

Goiás 2-1 Paranaense13jun19qui20h SerraDourada

CRUZEIRO vai passar um mês na Zona. Palmeiras nada de braçada. Franga perde fôlego. Luca tirou Vasco da Zona. Ganso ficou na bronca coma torcida da Chape. Moro foi aplaudido no Mané Garrincha. Grêmio vence fora e sai do buraco. Inter continua um péssimo anfitrião, maltratando as visitas. E todo mundo cai curtir duas semanas de ferias, antes de voltar ao batente.

Mano: “Não tem muita explicação”

sexta-feira, 14 de junho de 2019

PITACOS acerca do FORTALEZA 2-1 CRUZEIRO, no Castelão, Fortaleza, 12jun19qua21h, 9ª rodada do Brasileiro 2019:

MANO MENEZES: A gente não tem muita explicação pra dar. Tem que assumir os fatos como eles são. Hoje, mais uma vez, jogamos um tempo só. Primeiro tempo muito ruim, erramos praticamente tudo, tomamos um gol com muita facilidade, depois tomamos outro no fim. Não podemos reclamar, porque a produção do Fortaleza foi maior. Correr atrás, aumenta o esforço, tivemos chances pra empatar, mas é mais difícil fazer o gol. Tivemos um momento de queda brusca, muito acentuada. Melhoramos em três ou quatro jogos. Hoje tornamos as coisas mais difíceis na primeira parte. Temos que trabalhar, reformular algumas coisas. Já não é mais uma fase. São coisas marcantes, temos que pensar mais à frente. A equipe rodou a bola, tentou encontrar o espaço. Faltou um pouco mais de lucidez nas escolhas. Puxamos dois ou três contra-ataques que podiam ter dado certo. Raniel conduziu até cair, tínha que ter procurado o Thiago e ele ter feito a inversão. Mas não dá pra transferir pros jogadores a responsabilidade que é do treinador.

PEDRO ROCHA: É difícil, cara, é difícil. Por mais que a gente lute, corra, se doe, as coisas, infelizmente, não estão dando certo como a gente imaginava. Nesses momentos difíceis a gente tem de botar a cabeça no lugar, trabalhar ainda mais pra que a situação mude. A gente é profissional, sabe do momento que tá vivendo e vai reverter isso o mais rápido possível.

WAGNER LUCAS: Henrique foi destaque entre os piores. Errou passes também, mas se dedicou ao máximo. Dedé, com seu jeitão atabalhoado, quase causa prejuízo, mas também quase marca um gol. No geral, também se destacou entre os piores. De resto, Leo saiu no lucro de não ter sido expulso, Mano fez mexidas protocolares, atacantes nada acrescentaram. Romero muito mal e Dodô neutro.

FERNANDÃO ÁVILA: Defesa desconjuntada e falta de solidariedade na marcação em alguns momentos levam àquelas especulações de corpo mole, time sem raça, esperando férias etc. Espero que tenha sido só impressão, mas é inegável a dificuldade do Mano pra motivar a equipe pra jogos que não são de mata-mata. Individualmente a atuação do Romero foi a coisa mais lamentável que eu vi desde nem lembro quando. Leo aparentemente saiu da boa fase, que durava uns três anos. Robinho e Neves, meu Deus!, que má vontade, pareciam o ataque do time dos casados depois da feijoada.

MATEUS PENIDO: Fábio salvou dois gols. Romero foi o péssimo dos péssimos. Dedé não aceita bovinamente as derrotas. Léo perdidaço. Dodô razoável na defesa e nulo no apoio. Henrique joga todas pra valer. Cabral discretíssimo. Robinho uma primadona. Neves outra primadona. Rocha uma grande jogada e só, precisa melhorar o domínio de bola. Sassá ao menos tenta ser agressivo. Jadson manteve o nível do Cabral. Raniel não fez nada. Marquinhos jogou pouco tempo, mas pelo menos teve vontade de atacar.

WALTERSON ALMEIDA: Sei não, com esse time vai ser muito difícil vencer o Liverpool.

Henrique, Dedé, Sassá e André, os destaques

quinta-feira, 13 de junho de 2019

ATUAÇÕES dos protagonistas do FORTALEZA 2-1 CRUZEIRO, no Castelão, Fortaleza, 12jun19qua21h, 9ª rodada do Brasileiro 2019:

TORCIDA CELESTE compareceu e apoiou o time. Destaque pra Natalzeiros, que levou faixa e entusiasmo ao Castelão.

FÁBIO não teve culpa nos gols e fez duas defesaças.

ROMERO aoiou mal, marcou pessimamente, participou dos gols do Fortaleza. Tem o direito de reclamar da falta de ajuda do Robinho, mas tem de agradecer de joelhos ao Dedé por não ter causado danos ao time maiores ainda do que os que causou.

DEDÉ jogou por si mesmo, por Romero e até por Raniel, nos minutos finais. Destacou-se pela raça e determinação na busca de um resultado melhor.

LEO teve que cobrir Dodô e também Dedé, quando o colega de bequeira ia dar combate na lateral direita. Não foi tão bem quanto de costume, nem tão mal quanto imaginam os termocéfalos.

DODÔ ocupou-se da marcação, sem rever ajuda de Rocha, quem também não ajudou no ataque. Saiu mais cedo numa tentativa de Mano para dar força ao ataque.

HENRIQUE, incansável, marcou, cobriu laterais, armou e se aproximou da área tricolor apoiando o ataque.

CABRAL marcou, apoiou, entrou duro em dividida, levou amarelo e saiu no intervalo. Sem comprometer, ao contrário do que disseram seus inimigos.

JADSON jogou o segundo tempo, sem comprometer, mas também se fazer a diferença.

ROBINHO, pouco inspirado, criou pouca coisa. Pouco disposto, quase não ajudou a marcar.

NEVES deu passo para o gol, chegou uma fração de segundo atrasado numa bola cruzada por Rocha e perdeu gol certo. Além disto, produziu pouca coisa mais.

ROCHA fez uma jogada excepcional no segundo tempo, que quase resulta em gol de Neves. E ficou nisto.

MARQUINHOS substituiu Dodô para jogar com Rocha pela esquerda e saiu-se melhor do que ambos, com dribles para quebrar a marcação e construindo boas jogadas de ataque.

SASSÁ marcou o gol celeste, porque não fica só pensando em fazer jogadas bonitas para o torcedor, nem se movimentar feito barata tonta para agradar o treinador. Ele quer e precisa fazer gols. E som isto supera a pouca técnica.

RANIEL teve mais de meia hora para mostrar serviço e não mostrou. Uma nulidade.

MANO mandou a campo o que tinha de melhor, fez uma substituição inusitada, de lateral por ponteiro, outra convencional de centroavante por centroavante e uma terceira, por segurança. de volante por volante, devido ao cartão amarelo recebido por Cabral. O time melhorou com as mexidas, mas desperdiçou três chances para empatar e apagar a má impressão de uma etapa inicial com futebol pífio.

CRUZEIRO começou mal, marcando sem pressão, e tomou logo um gol. Empatou, mas não se aprumou e levou outro gol. Na etapa final, cresceu, criou e desperdiçou oportunidades. A defesa, crucificada pelo torcedor, fez o que pôde, sem a ajuda dos meias, que não deram combate, facilitando a vida dos armadores tricolores. Foi um jogo para colocar em xeque alguns conceitos. E também algumas camisas titulares.

FORTALEZA esbanjou vitalidade. Foi superior até perder Nathan, expulso. Depois, se fechou, mas conseguiu alguns contra-ataques perigosos. André, Romarinho, Marcinho e Quintero jogaram muita bola. Carlinhos foi o melhor.

ÁRBITROS levaram bem o jogo. Erro mesmo só o cartão para o Robinho, por uma falta que ele não cometeu.

MelhorDoJogo => HENRIQUE [[[8]]] Rosan, Ulhôa, Penido, Rocha, Wagner, Anchieta, Síndico, Lulu —– DEDÉ [[[4]]] Ramos, Setelagoas, Jotapê, Romarol —– SASSÁ [[[3]]] Seisaum, Bitencourt, Viana —– FÁBIO [[[2]]] Rizzi, Zuloobas —– MARQUINHOS [[[1]]] Chiabi —– MANO [[[1]]] Márcio —– ANDRÉ [[[3]]] Uol, Renatinha, Bastos —– ROMARINHO [[[1]]] Roger —– CENI [[[3]]] Romeu, Jottar, Ianni.

Fortaleza 2×1 Cruzeiro: não competiu, perdeu

quarta-feira, 12 de junho de 2019

CRUZEIRO contra Fortaleza, 12jun19qua21h, no Castelão (63 mil), Fortaleza, pela 9ª rodada do Brasileiro 2019.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro é o 14º, com 8 pontos; Fortalexa, o 17º, com 7.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 2º, com 15.822 pontos; Fortaleza, o 33º, com 4.222.

TEMPO nublado, temperatura 28º, vento 22 Km/h, umidade 77%.

TRANSMISSÃO: Premiere, com Odinei Ribeiro e Ricardinho.

ARBITRAGEM: Heber Roberto Lopes, Alex dos Santos, Eder Alexandre (SC). VAR: Rafael Traci, Rodrigo D’alonso Ferreira (SC).

CRUZEIRO: Fábio — Romero, Dedé, Leo, Dodô – Henrique, Cabral — Robinho, Neves, Rochas — Sassá. T: Mano Menezes.

BANCO:, Eudes G, Rafael G, Weverton L, R Santos L, Fabruno B, Cacá B, Jadson V, Ederson V, Maurício M, Rocha A, David A,  Raniel A, M Gabriel A.

AUSENTES: Egídio (doente), Edilson, Lucas Silva, Rodriguinho, Fred (lesionados).

PENDURADOS: Romero, Robinho, Rodriguinho, Neves.

FORTALEZA: Felipe Alves — Gabriel Dias, Quintero, Nathan, Carlinhos — Felipe, Juninho, Dodô, Romarinho – Marcinho, André Luiz. T: Rogério Ceni.

BANCO: Marcelo Boeck G, Bruno Melo L, Patrick B, Diguinho B, Araruna V, Romero V, Tinga V, Paulo Roberto V, Derley V, Marlon, M, Júnior Santos A, Kieza A, Matheus Alessandro A.

AUSENTES: Edinho, Wellington Paulista, Roger Carvalho (lesionados), Osvaldo (suspenso).

PENDURADOS: Carlinhos, Felipe e Marcinho.

FORTALEZA 2×1 CRUZEIRO, 12jun19qua21h. TEMPO chuvoso, temperatura 25ª, vento 20 Km.h, umidade 95%, LOCAL: Castelão (63 mil), Fortaleza. MOTIVO: 9z rodada, Brasileiro 2019. TRANSMISSÃOL Premiere. PÚBLICO: 17.099 pagantes, R$947,000, média R$ ARBITRAGEM: Heber Roberto Lopes, Alex Santos, Eder Alexandrino (SC). VAR: Rafael Traci (SC). AMARELOS: Leo, Romero, Dedé, Dodô, Cabral, Robinho, Nathan. CERMELHO: Nathan, 64. Gols: André, 2, Sassá, 10, André, 45+1. FORTALEZA:Felipe Alves; Gabriel Dias, Quintero, Nathan, Carlinhos; Felipe, Juninho; Dodô, Romarinho (Derley, 74), Marcinho (Matheus Alessandro, 60), André Luís (Tinga, 60). T: Rogério Ceni. CRUZEIRO: Fábio; Romero, Dedé, Leo, Dodô (M Gabriel, 72); Henrique, Cabral (Jadson, 46); Robinho, Neves, Rocha; Sassá (Raniel, 63). T: Mano Menezes.

DESEMPENHO do Cruzeiro na história do Brasileiro: 58 participações em 63 campeonatos, 1.452 jogos, 631 vitórias, 390 empates, 431 derrotas, 2.113]2 gols marcados, 1.647 sofridos. Aproveitamento de 53%. Nos pontos corridos: 637 jogos, 288 vitórias, 138 empates, 211 derrotas, 960 gols marcados, 787 sofridos, aproveitamento de 53%.

Penido: “finalizaram a rodo e de forma variada”

segunda-feira, 10 de junho de 2019

PITACOS acerca do CRUZEIRO 0-0 CORINTHIANS, Mineirão, Belo Horizonte, 08jun19sab19h, 8ª rodada, Brasileiro 2019:

MANO MENEZES: Faltou o gol. A equipe jogou, mesmo com um dia a menos de recuperação que o Corinthians, mas imprimiu um ritmo muito forte no segundo tempo, quando criou com mais lucidez, com mais qualidade das jogadas. Teve bola no poste, duas, três defesas muito boas do Walter. Agora é continuar jogando bem, continuar trabalhando pra buscar a vitória. Tivemos 26 conclusões, não dá pra reclamar e dizer que o time não foi vertical. Vinte e seis é número de um time muito vertical. Não adianta querer furar um bloqueio de forma errada. O Corinthians se defende bem, todo mundo sabe. Tem que atacar como na maioria das vezes fizemos, rodar a bola. O Corinthians se fecha bem, em linha de quatro, por isso, tem que tentar entrar pelo lado, mas não adianta entrar pelos lados e jogar a bola na área, porque geralmente os centrais deles estão bem postados. Mesmo assim, tivemos 13 chances de gol em 26 conclusões, contra 6 do adversário. Demos um passo, fizemos um bom jogo, não tomamos gol, fazia muito tempo que não levávamos gol. Temos que ir de passo em passo, não é como todos gostariam, mas eu prefiro que continue assim. Fizemos ajustes táticos. No jogo contra um adversário que tinha um jogador a mais no meio campo, nós tivemos que ajustar pra ganhar o meio. Fizemos isso nos 20 minutos do primeiro tempo, equilibramos o jogo. Esses ajustes servem pra encaixar. Várias vezes, tentamos pressionar, mas os zagueiros tinham facilidade e tocavam a bola no Ralf. Não adianta fazer da forma errada, você se entrega igual, mas não vê o resultado. Entendo que um jogador de velocidade completa melhor a equipe. Já fizemos outros momentos em que o meia era destro, agora, voltamos com um meia canhoto, então dois canhotos puxando a bola pelo mesmo lado, o time tende a ficar torto. Nossa equipe já não tem uma profundidade pelo lado direito, porque o Robinho é armador. São escolhas, o Pedro já tinha entrado bem na quarta-feira, na substituição, optei por colocar outro jogador agudo, que é o David.

DODÔ: Nas psrtidas anteriores, tomamos muitos gols, mesmo fazendo gols. Hoje foi diferente. Na frente não conseguimos fazer, com a bola batendo na trave e não entrando. Passamos por um momento dificil, mas temos melhorado nos últimos jogos. 

SOUZA:  A lamentar só a perda de 2 pontos. No mais o time jogou bem e mereceu vencer. Se continuar assim, a vitória virá naturalmente.

THIAGO NEVES: A bola está batendo na trave e saindo. Falta um detalhezinho só pra a bola começar a entrar. O importante é a evolução do time nos últimos jogos. Isso está nítido. Está todo mundo satisfeito com nossa evolução. É ter paciência, pois quando as vitórias começarem a vir, todos ficarão contentes

LANCE: Henrique, o primeiro homem do meio-campo cruzeirense, marcou com firmeza e levou perigo pelo alto em jogadas de escanteio. Cabral teve atuação correta. Se dedicou à marcação pelo lado esquerdo e apareceu bem no campo de ataque. Jadson não ofereceu menos que Cabral, foi seguro nos passes e não merece nenhuma menção negativas. 

MATHEUS PENIDO: O time celeste fez um primeiro tempo burocrático, mas no segundo foi pra cima do Corinthians. Os jogadores se esforçaram bastante, finalizaram a rodo e de forma variada, mas não encontraram o gol redentor.

M RIZZI: Ótimo segundo tempo, talvez pela características do Corinthians, mais contido e quem em alguns momentos lembrou o estilo do Mano. Gostei da movimentação do trio Neves, Cabral e Robinho. Juntos fizeram um meio de campo envolvente.

ROSAN AMARAL: Henrique foi o cara do jogo (fez até um “raio X” concertando um erro de passe do Dodô na saída de bola, no primeiro tempo. Recebe nota 9,5 porque não fez o gol num portentoso chute de fora da área. Só por isto perdeu a nota 10).

ROGÉRIO BASTOS: Baixo comparecimento e desânimo da torcida, que vibrou poucas vezes.

Henrique, Walter, Neves e Romero, os melhores

domingo, 9 de junho de 2019

ATUAÇÕES dos protagonistas do CRUZEIRO 0-0 CORINTHIANS, Mineirão, Belo Horizonte, 08jun19sab19h, 8ª rodada, Brasileiro 2019:

Por MATHEUS PENIDO

TORCIDA CELESTE, depois de colocar fogo no Mineirão na quarta, teve participação discreta neste sábado. Ao menos essa foi a minha impressão vendo pela televisão. —– Baixo comparecimento e desânimo. Vibrou poucas vezes. (Rogério Bastos)

F;ABIO fez duas defesas complicadas na base do reflexo e, nos demais lances, não cometeu qualquer vacilo.

ROMERO foi bem na marcação a Clayson e depois a Everaldo. No apoio não conseguiu ser efetivo, apesar do esforço.

DEDÉ, seguro na defesa, seja nas jogadas de área ou nas coberturas da lateral direita. No ataque, conseguiu duas cabeçadas perigosas, ambas defendidas por Walter.

LEO travou duelo complicado contra Gustagol e, na maioria dos lances, levou a vantagem. Bom jogo.

DODÔ, saindo um poucas das suas características, apoiou de forma competência. Quase marcou entrando de carrinho num cruzamento e depois acertou um chutaço na trave.

HENRIQUE marcou, apoiou e até finalizou por duas vezes. Equilibrado e eficiente.

CAVRAL jogou bem. Marcou corretamente, deu bons passes e até finalizou a gol com perigo. Saiu por cansaço na reta final do jogo, o que tem sido uma tônica.

ROBINHO, mais apagado do que de costume. Num jogo em que o time teve tanto volume, esperava-se mais dele. Seria uma questão física?

NEVES foi participativo, buscou o gol de toda forma e foi quem mais finalizou. Faltou a bola entrar.

ROCHA não esteve numa boa noite. Nas poucas chances que teve de arrancar com a bola, não deu conta.

SASSÁ não recebeu uma bola boa sequer pra finalizar. Na única chance que teve de avançar com ela dominada, não teve o arranque necessário e precisou voltar a jogada com Neves.

DAVID entrou dando trabalho à defesa corintiana, mas novamente não foi feliz nas finalizações. Está precisando decidir um jogo pra ganhar confiança.

RANIEL voltou com desenvoltura, foi participativo, mas faltou finalizar com perigo.

JADSON jogou pouco tempo e de forma correta.

MANO escalou bem e fez trocas que melhoraram o ataque. Agora só falta levar o time até uma benzedeira.

CRUZEIRO fez um primeiro tempo mais burocrático e no segundo foi pra cima do Corinthians. Os jogadores se esforçaram bastante, finalizaram a rodo e de forma variada, mas não encontraram o gol redentor.

CORINTHIANS, desfalcado, não se abriu em momento algum e conquistou um ponto graças, sobretudo, ao goleiro Walter.

ÁRBITROS trabalharam bem sem dar margem a polêmi

MelhorDoJogo => HENRIQUE [[[10]]] Sá, Rosan, Anchieta, Artur, Amaral, Matheus, Rocha, Nem, Síndico, Lulu —– ROMERO [[[7]]] Romeu, Luizanton, Domênico, Marcoalex, Romarol, Marciocam, Nanayoski —– NEVES [[[7]]] Gil, Hiram, Evandro, Beth, Bastos, Rezende, Barnabé —– DEDÉ [[[3]]] Gilberto, Setelagoas, Ramos —– DODÔ [[[1]]] Reis —– CABRAL [[[1]]] Viana —– SASSÁ [[[1]]] Dourado —– MANO [[[1]]] Clemenceau —- WALTER [[[9]]] Ge, Uol, Lance, King, Schrier, Samuel, Walfrido, Júnior, Álvaro —– URSO [[[1]]] Futiba

Cruzeiro 0x0 Corinthians: parou no goleiro

sábado, 8 de junho de 2019

CRUZEIRO contra Corinthians, neste 08jun19sab19hh, no Mineirão, Belo Horizonte, 8ª rodada, Brasileiro 2019.

RANKING de clubes da CBF 2016: Cruzeiro é o 2º, com 15.822; Corinthians é o 5º, com 14.508.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro está e, 15º lugar, com 7 pontos, Corinthians é o 9º, com 11.

TEMPO nublado, temperatura 19º, vento 10 Km/h, umidade 70%.

TRANSMISSÃO: Premiere, com narração de Rogério Corrêa, comentários de Bob Faria e Ricardinho.

ARBITRAGEM: Marcelo Lima Henriques, Silbert Faria Sisquim, Carlos Henrique Alves Lima Filho (RJ). VAR: Rodrigo Carvalhaes Miranda (RJ).

CRUZEIRO: Fábio — Romero, Dedé, Leo, Dodô — Henrique, Cabral — Robinho, Neves,  Rocha — Sassá. T: Mano Menezes.

BANCO: Rafael, Fabruno, Rafael Santos,, Jadson, Ederson, Maurício, Raniel, David, M Gabriel.

AUSENTES: Edílson, Orejuela, Fred (lesionados), Egídio (doente), Murilo (seleção olímpica), Rodriguinho, Lucas Silva (poupados).

PENDURADOS: Romero, Neves, Rodriguinho.

CORINTHIANS: Walter – Michel, Marllon, Henrique Buss, Danilo Avelar – Ralf, Júnior Urso, Sornoza, Jadson — Gustagol, Clayson. T: Fábio Carille.

BANCO: Caíque França G, Bruno Mendez B, Pedro Henrique B, Carlos Augusto L, Matheus Jesus V, Gabriel V, Richard V, Ramiro M, Régis M, Boselli A,

AUSENTES: Cássio, Fagner (seleção brasileira), Matheus Vital, Pedrinho (seleção olímpica), Manoel (emprestado pelo Cruzeiro), Vagner Love (poupado)

PENDURADOS: Cássio, Jadson e Júnior Urso.

ADVERSÁRIO: Fundado em 02set12, o alvinegro Sport Club Corinthians Paulista, dono da 2ª maior torcida do País, tem 2 mundiais, 1 Libertadores, 6 brasileiros, 3 copas do Brasil, 5 RioSP, 29 paulistas e 1 Brasileiro Série B.

CRUZEIRO 0x0 CORINTHIANS, 08jun19sab19hh. TEMPO nublado, temperatura 19º, vento 6 Km/h, umidade 70%. LOCAL: Mineirão (62 mil), Belo Horizonte. MOTIVO: 8ª rodada, Brasileiro 2019. TRANSMISSÃO: Premiere. PÚBLICO: 16.120 pagantes, 21.370 presentes, R$353.230. R$22. ARBITRAGEM: Marcelo Lima Henriques, Silbert Sisquim, Carlos Henrique Alves (RJ). VAR: Rodrigo Carvalhaes (RJ). AMARELOS: Robinho, Marllon. CRUZEIRO: Fábio; Romero, Dedé, Leo, Dodô; Henrique, Cabral (Jadson, 75), Robinho, Neves; Rocha (David, 65); Sassá (Raniel, 64). T: Mano Menezes. CORINTHIANS: Walter; Michel (Méndez, 17), Marllon, Henrique, Avelar; Ralf, Urso (Richard, 80), Sornoza (Everaldo 70), Jadson, Clayson; Gustagol. T: Fábio Carille.

HISTÓRICO: 89 jogos. Cruzeiro venceu 30, empatou 22, perdeu 37, marcou 100 gols, sofreu 116. Pelo Brasileiro, desde 1967, foram 67 jogos. O Cruzeiro venceu 22, empatou 18, perdeu 27, marcou 63 gols, levou 75. Os dois já decidiram dois títulos brasileiros. Em 1969, no Mineirão, Cruzeiro 2×1, mas o título ficou com o Palmeiras que fez um gol a mais, na mesma tarde, sobre o Botafogo. Em 1998, o Corinthians campeonou, com 2×2 no Mineirão, 1×1 e 2×0 no Morumbi. Em 2018, o cruzeiro venceu a Copa do Brasil com 1×0 no Mineirão e 2×1 em Itaquera. Foram disputados 5 pleiofes na história da Copa do Brasil. Corinthians levou a melhor nas oitavas de 1991 (3×1 e 1×0) e nas oitavas de 2002 (2×2 e 3×2). Cruzeiro, nas quartas de 1996 (4×0 e 2×3), nas oitavas de 1998 (3×1 e 1×1), nas quartas de 2016 (1×2 e 4×2) e na final de 2018 (1×0 e 2×1).

DESEMPENHO do Cruzeiro na história do Brasileiro: 58 participações em 63 campeonatos, 1.451 jogos, 631 vitórias, 390 empates, 430 derrotas, 2.112 gols marcados, 1.645 sofridos. Aproveitamento de 53%. Nos pontos corridos: 636 jogos, 288 vitórias, 138 empates, 210 derrotas, 959 gols marcados, 785 sofridos, aproveitamento de 53%.

Penido: “O segundo tempo deu bom alento”

terça-feira, 4 de junho de 2019

PITACOS acerca do SÃO PAULO 1-1 CRUZEIRO, Pacaembu, São Paulo, 02jun19dom16h, pela 7ª rodada do Brasileiro 2019:

MANO MENEZES: O que me deixa satisfeito é o fato de o Cruzeiro ter voltado a ser Cruzeiro. Vínhamos de duas semanas cheias de trabalho e no fim da segunda semana, tínhamos que dar uma resposta pra nós e pro torcedor. Foi o que aconteceu. O time fez uma partida muito boa, merecia ter vencido, teve oportunidades pra isso. Doze oportunidades de novo. Fez um gol, poderia ter feito mais. E se tivessem marcado o pênalti que todo mundo viu, que é um lance muito semelhante. ao de Romero contra Ceará, marcado contra a gente, poderíamos ter vencido. Vamos sair daqui hoje com a indignação gostosa de que poderíamos ter vencido, que merecíamos ter vencido. 

THIAGO NEVES: Hoje a gente deixou de vencer, deixamos escapar dois pontos importantíssimos, mas o importante é que o time jogou bem. Fico feliz por ter ajudado com o gol, porém triste em não ter conseguido a vitória. Vários companheiros melhores colocados dentro da área pra fazer o gol e a gente preferiu fazer o mais difícil, então é ter um pouquinho mais de tranquilidade nesse momento, porque não dá pra decidir de qualquer jeito.

DOUGLAS VELLOSO: O Cruzeiro jogou bem, crescendo na segunda etapa, Como disse o Mano, a equipe estava focada e voltou a ser o Cruzeiro. O gol do São Paulo foi mérito do seu lateral esquerdo,  O time celeste não segurou o ímpeto nos primeiros minutos, mas depois do gol se arrumou e controlou o jogo. Merecia a vitória. Os laterais foram bem , assim como Neves, Henrique e Robinho. Basta agora acertar a ansiedade, soltar mais a bola e definir os espaços no ataque, O lado direito precisa ser também uma opção de segurança.

ROSAN AMARAL: Os volantes do Cruzeiro foram o ponto alto do time contra o São Paulo. Teve um contra-ataque mortal do time do Morumbi que um deles num sprint de juvenil acompanhou o atacante até o final e interceptou o cruzamento pondo a bola para o corner, algo que o Robinho deveria ter feito quando sofremos o gol embora eu saiba que isto é pedir o improvável).

CLAUDINEI VILELA: Três aspectos do jogo: o goleiro Volpi fez sua melhor partida com a camisa tricolor, isso reconhecido por ele mesmo; o apito caseiro prejudicou o Cruzeiro; a fominhagem de alguns jogadores que não tocam a bola nem por decreto.

BRUNO SETELAGOAS: Fred movimentou-se bem, tabelou, abriu espaços para os meias. Mas não está bem fisicamente. É nítida a diferença de força física quando o Sassá entra. Robinho não esteve tão bem como nos jogos anteriores, Neves voltando à boa forma, zaga muito bem, Henrique foi mais vertical, Romero muito bem, Egídio firme, David entrou muito bem mas foi um pouco displicente no lance crucial. Enfim, gostei. O time fez uma partida digna. O problema é o contexto, a sequência ruim.

THIAGO FIVESTARS: Uma pena o resultado. Fomos melhores, o São Paulo teve pouco tempo de domínio no primeiro tempo e no segundo ficou encaixotado pela marcação celeste. Mas a zica está difícil de sair. Ou será que empatar o tricolor paulista pelo Brasileiro já é bom  sinal?

MATHEUS PENIDO: O time celeste não está legal. A fase é ruim. Falta brilho, alguns erros bobos têm aparecido e a sorte não está colaborando. Apesar disso, o segundo tempo nos deu um bom alento e deve ter injetado mais confiança nos atletas. Vamos torcer pela classificação na quarta que pode representar uma virada de chave. Depois de uma semana de fossa, é hora de acordar pra vida e buscar uma retomada.

Volpi, Romero e Egídio, os melhores no Pacaembu

segunda-feira, 3 de junho de 2019

Quem foi o melhor de SÃO PAULO 1-1 CRUZEIRO, Pacaembu, São Paulo, 02jun19dom16h, pela 7ª rodada do Brasileiro 2019?

TORCIDA CELESTE compareceu e apoiou o time.

FÁBIO salvou um gol, defendendo uma bola aos pés de Pato, encaixou alguns chutes certeriso e não teve culpa no gol tricolor.

ROMERO dedicou-se mais à marcação, perdendo e vencendo duelos com os atacantes tricolores. Nas duas subidas ao ataque, pelo meio, acertou bons chutes, que foram desviados por Volpi e Martins. Importante: não deu carrinhos.

DEDÉ cometeu uma falta perigosa, sem necessidade, mas cortou pelo alto e por baixo diversas bolas  c ruzadas. Em seu melhor momento, desferiu cabeçada forte, obrigando Volpi a uma defesaça.

LEO quase não errou. Atuação segura.

EGÍDIO defendeu bem, tanto na sua posição, quanto na cobertura da bequeira,  e foi o principal atacante do time celeste, criando boas jogadas com Marquinhos e Neves.

HENRIQUE foi o primeiro volante inteligente de sempre, posicionando-se bem e saindo pro ataque na hora certa. Só não precisava entrar de carrinho numa dividida com Luan.

CABRAL jogou bem, apesar das críticas dos internautas malucos que exigem volante de velocidade e atitude de cabeça de área. Não é a dele, que sabe jogar futebol e trata a bola com respeito, esmerando-se nos passes.

LUCAS entrou no fim, com pouco tempo pra mudar os rumos do jogo.

ROBINHO esteve bem na etapa inicial e melhor ainda na final, armando o time pela direita e pelo maio. Sofreu a falta que resultou no gol de Neves após receber passe de Fred.

NEVES fazia uma partida discreta até meter o gol de falta que salvou o time de sofrer a quarta derrota seguida no campeonato. Saiu em seguida, com o dever cumprido. Registre-se que o belo gol foi o 200º de sua carreira e o 3º no Brasileiro, no qual é o artilheiro do time.

MARQUINHOS fez boa partida, tanto na ponta, quanto no meio, só não consegiu mar ar um gol, mesmo tentando uma finalização em boa posição. Nem serviu o centroavante, como em outras ocasiões.

DAVID entrou com disposição, teve chance de marcar, que Volpi impediu, puxou contra-ataque, que resultou na exulsão de um adversário e não economizou energia. Foi condenado nas redes, por não passar uma bola pra Fred marcar, mas a culpa não foi dele e sim do esperto goleiro tricolor, que fez uma defesa de Fábio no lance.

FRED jogou bem. Fez tabelas, deu passes de qualidade –o de calcanhar foi de cinema–, facilitou o jogo do colegas, colocando-se bem para os passes. Faltou o gol. Aliás, não faltou, fez, mas não valeu. E, certamente, teria feito o do pênalti não marcado. Como também teria feito o que David perdeu por não acioná-lo, livre, na frente do arco.

SASSÁ jogou menos de dez minutos, mas com entusiasmo e dando trabalho aos defensores do São Paulo.

MANO escalou os atletas com melhor condicionamento físico e conseguiu que o time fosse mais vibrante, seguro e intenso. E, não fosse por um erro crasso de arbitragem, poderia ter colhido os três pontos.

CRUZEIRO jogou melhor que o adversário em pelo menos 80% da partida, com mais posse, cruzamentos e finalizações. Criou doze chances de marcar, teve um pênalti sonegado, mas parou numa grande tarde do goleiro adversário.

SÃO PAULO fez um bom trabalho defensivo, com destaque para os beques e o goleiro. Do meio rpa frente, só conseguiu criar perigo em três jogadas de Pato, uma delas a do gol.

ÁRBITROS interferiram no placar. Mesmo consultando o monitor, o juiz deixou de marcar pênalti claro de Anderson Martins, que cortou uma bola, com o braço, dentro da área.

MelhorDoJogo => ROMERO [[[15]]] Itatiaia, Arreguy, Sá, Stelagoas, Bitencourt, Ramos, Souza, Chiabi, Rezende, Gonçalves, Velame, Rosan, Guilherme, Patrícia, Dudu —– EGÍDIO [[[14]]] Morato, Anchieta, Amaral, Borroló, Muri, Romarol, Vanda, Schrier, França, Fernandão, Olivieri, Bastos, Penido, Síndico —– NEVES [[[8]]] Gaúcha, Paulo, Wagner, Jotapê, Nem, Hiram, Nem, Ernesto —– HENRIQUE [[[3]]] Alex, Marcoalex, Barnabé —– ROBINHO [[[2]]] Diogo, Domênico —– FRED [[[2]]] Clemenceau, Marcoalex —– MARQUINHOS [[[1]]] Zuloobas —– DAVID [[[1]]] Tatu —– FÁBIO [[[1]]] Lulu —– MANO [[[1]]] Alyson —– VOLPI [[[15]] Ge, Lance, Globo, Goal, Seisaum, Sp24h, Ianni, Walery, Klauss, Galera, Casagrande, Walterson, Palmeira, Rocha, Velloso. 

São Paulo 1×1 Cruzeiro: vitória escapa no apito

domingo, 2 de junho de 2019

CRUZEIRO contra São Paulo, 02jun19dom16h, Pacaembu (38 mil), São Paulo, 7ª rodada, Brasileiro 2019.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro é o 16ª, com 5 pontos, São Paulo, o 4º, com 11.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 2º, 15.822 pontos, São Paulo, o 12º, com 10.508.

ARBITRAGEM: Braulio da Silva Machado, Kleber Lúcio Gil, Thiaggo Labes (SC). VAR: Héber Roberto Lopes (SC).

TRANSMISSÃO de São Paulo x Cruzeiro: Globo pra SP (menos Baixada Santista), MG, RS, PR, GO, TO, MS, MT, BA, SE, AL, PE, MA, PA e DF, com narração de Cleber Machado e comentários de Casagrande e Roger Flores. Premiere, com Odinei Ribeiro e Wagner Vilaron.

CRUZEIRO: Fábio — Romero, Dedé, Leo, Egídio — Henrique, Cabral — Robinho, Neves, M Gabriel — Fred. T: Mano Menezes.

BANCO: Rafael G, Eudes G, Weverton L, Fabruno B, Cacá B, Dodô L, Jadson V, Lucas V, Ederson V, David A, Sassá A.

AUSENTES: Orejuela, Edílson (lesionados), Rodriguinho, Raniel (poupados).

PENDURADOS: Romero e Rodriguinho.

SÃO PAULO: Volpi — Hudson, Anderson Martins, Bruno Alves, Reinaldo — Tchê Tchê, Luan — Victor Bueno, Hernanes, Toró — Pato. T Cuca.

BANCO: Jean G, Junior G, Igor Vinícius L, Walce B, Luan B, Leo L, Jucilei V, Willian Farias V, Igor Gomes M, Everton Felipe M, Nenê M, Calazans M, Helinho A.

AUSENTES: Everton, Pablo, Lizieiro, Rojas (lesionados), Antony (seleção olímpica), Arboleda (seleção equatoriana), Gonzalo Carneiro (suspenso).

PENDURADOS: Anderson Martins e Igor Vinícius.

SÃO PAULO 1×1 CRUZEIRO, 02jun19dom16h. TEMPO chuvoso, temperatura 19º, vento 6 Km/h, umidade 90%. LOCAL: Pacaembu (38 mil), São Paulo. MOTIVO: 7ª rodada, Brasileiro 2019. TRANSMISSÃO: Globo e Premiere. PÚBLICO: 7.835 pagantes, R$297.639, média R$38. ARBITRAGEM: Braulio Machado, Kleber Gil, Thiago Labes (SC). VAR: Heber Roberto Lopes (SC). AMARELOS: TchêTchê, Calazans, Robinho, Neves, Cabral, VERMELHO: Vinícius, 93. GOLS: Pato, 14, Neves, 67 (f). SÃO PAULO: Volpi, Hudson (Igor Vinícius, 78), Bruno Alves, Anderson Martins, Reinaldo; Luan, Tchê Tchê, Hernanes (Igor Gomes, 46); Vitor Bueno (Calazans 78), Toró, Pato. T: Cuca. CRUZEIRO: Fábio, Romero, Dedé, Leo, Egídio; Henrique, Cabral (Lucas, 72), Neves (David, 68); Robinho, M Gabriel, Fred (Sassá, 86). T: Mano Menezes.

HISTÓRICO: 85 jogos. Cruzeiro venceu 21, empatou 22, perdeu 42; marcou 82 gols, levou 114. Pelo Brasileiro, 63 jogos, 12 vitórias do Cruzeiro, 16 empates, 35 vitórias do São Paulo. Pela Libertadores, 6 partidas, 3 vitórias do Cruzeiro e 3 do SPFC. O Cruzeiro marcou 5 gols e levou 6. Nas 3 vezes em que decidiram títulos, o Cruzeiro venceu 2 (Copa Ouro 1995 e Copa do Brasil 2000) e perdeu 1 (Recopa Sulamericana 1993).

DESEMPENHO do Cruzeiro na história do Brasileiro: 58 participações em 63 campeonatos, 1.450 jogos, 631 vitórias, 389 empates, 430 derrotas, 2.112 gols marcados, 1.645 sofridos. Aproveitamento de 53%. Nos pontos corridos: 635 jogos, 288 vitórias, 137 empates, 210 derrotas, 959 gols marcados, 785 sofridos, aproveitamento de 53%.