Arquivo da Categoria ‘BRASILEIRO’

Corinthians 1×2 Cruzeiro: um pé fora da zona

sábado, 19 de outubro de 2019

CRUZEIRO contra Corinthians, neste 19out19sab19hh, em Itaquera, São Paulo, 27ª rodada, Brasileiro 2019

RANKING de clubes da CBF: Cruzeiro é o 2º, com 15.822; Corinthians é o 5º, com 14.508.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro está e, 18º lugar, com 25 pontos, Corinthians é o 4º, com 44.

TEMPO nublado, temperatura 24º, vento 18 Km/h, umidade 67%.

TRANSMISSÃO: Premiere, com narração de Milton Leite Corrêa, comentários de Bob Faria e Ricardinho.

ARBITRAGEM: Bruno Arleu de Araújo, Luiz Cláudio Regazone, Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ). VAR: Marcelo de Lima Henrique (RJ).

CRUZEIRO: Fábio — Orejuela, Dedé, Fabruno, Egídio — Henrique, Ederson — Robinho, Neves,  M Gabriel — Fred. T: Abel Braga.

BANCO: Rafael, Eudes, Edilson, Edu, Dodô, Jadson, Cabral, Maurício, Ezequiel, Sassá, Joel.

AUSENTES: Leo, Rodriguinho (lesionados), David (suspenso).

PENDURADOS: Rodriguinho, Cabral, Dedé, Ederson, Edilson, Fábio, Fabruno, Fred, Marquinhos Gabriel, Orejuela, Rocha.

CORINTHIANS: Walter – Fagner, Mendez, Marllon, Avelar – Ralf, Sornoza, Pedrinho, Vital — Gustagol, Janderson. T: Fábio Carille.

BANCO: Caíque França G, Manoel Calos B, Carlos Augusto L, João Vitor V, Matheus Jesus V, Gabriel V, Ramiro M, Jadson M, Régis M, Boselli A.

AUSENTES: Cássio e Gil (suspensos), Manoel (vetado por contrato), Everaldo, Léo Santos, Júnior Urso (lesionado).

PENDURADOS: Bruno Méndez, Fagner e Boselli.

ADVERSÁRIO: Fundado em 02set12, o alvinegro Sport Club Corinthians Paulista, dono da 2ª maior torcida do País, tem 2 mundiais, 1 Libertadores, 6 brasileiros, 3 copas do Brasil, 5 Rio-São Paulo, 29 paulistas e 1 Brasileiro Série B.

CORINTHIANS 1×2 CRUZEIRO, 19out19sab19h. TEMPO chuvosom tenperatura 22ª, vento 12 Km.h, umidade 80%: LOCAL: Itaquera (46 mil), São Paulo. MOTIVO: 27ª rodada, Brasileiro 2019. TRANSMISSÃO: Premiere. PÚBLICO: 31.631 pagantes, 31.882 presentes, R$1.529.296, média R$48.31.882. ARBITRAGEM: Bruno Arleu Araujo, Luiz Claudio Regazone, Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ). VAR: Marcelo de Lima Henrique (RJ). AMARELOS: Ederson, Méndez, Fagner, Love. VERMELHO: Carille, 72. GOLS: Fagner, 33, Fred 35 (p), Éderson, 70. CORINTHIANS: Walter; Fagner, Méndez, Marllon, Avelar; Ralf; Pedrinho (Clayson, 80), Sornoza (Jadsonm 56), Vital (Love, 73), Janderson; Gustagol. T: Fábio Carille. CRUZEIRO: Fábio; Orejuela, Dedé (Cacá, 18), Fabruno, Egídio; Henrique, Ederson; Robinho(Cabral, 74), Neves, M Gabriel; Fred (Joel, 76). T: Abel Braga.

HISTÓRICO: 90 jogos. Cruzeiro venceu 31, empatou 22, perdeu 37, marcou 102 gols, sofreu 117. Pelo Brasileiro, desde 1967, foram 68 jogos. O Cruzeiro venceu 23, empatou 18, perdeu 27, marcou 65 gols, levou 76. Os dois já decidiram dois títulos brasileiros. Em 1969, no Mineirão, Cruzeiro 2×1, mas o título ficou com o Palmeiras que fez um gol a mais, na mesma tarde, sobre o Botafogo. Em 1998, o Corinthians campeonou, com 2×2 no Mineirão, 1×1 e 2×0 no Morumbi. Em 2018, o cruzeiro venceu a Copa do Brasil com 1×0 no Mineirão e 2×1 em Itaquera. Foram disputados 5 pleiofes na história da Copa do Brasil. Corinthians levou a melhor nas oitavas de 1991 (3×1 e 1×0) e nas oitavas de 2002 (2×2 e 3×2). Cruzeiro, nas quartas de 1996 (4×0 e 2×3), nas oitavas de 1998 (3×1 e 1×1), nas quartas de 2016 (1×2 e 4×2) e na final de 2018 (1×0 e 2×1).

DESEMPENHO do Cruzeiro na história do Brasileiro: 58 participações em 63 campeonatos, 1.468 jogos, 635 vitórias, 397 empates, 437 derrotas, 2.125 gols marcados, 1.664 sofridos. Aproveitamento de 53%. Nos pontos corridos: 653 jogos, 292 vitórias, 146 empates, 215 derrotas, 972 gols marcados, 802 sofridos, aproveitamento de 53%.

Neves: “Tirou um pouco do peso”

sexta-feira, 18 de outubro de 2019

PITACOS acerco do CRUZEIRO 1×0 SÃO PAULO, no Mineirão, Belo Horizonte, 16out19qua21h, pela 26ª rodada do Brasileiro:

ABEL BRAGA:  Não sei se o próximo jogo será brilhante, mas os erros serão menores. O último passe, o momento em que você está querendo se atirar pra frente enquanto poderia circular a bola é cruccial. O que o São Paulo fez foi colocar o meio-campo em cima da defesa e ficar tocando, tocando, tocando, mas quando a gente perdia a bola e errava um passe, tinha uma saída rápida. Mas a gente tinha que correr o risco. Estou feliz! Não vim aqui por nada que não seja ser mais um a me perpetuar com essa camisa e essa torcida. Hoje, ouvi o estádio cantar o nome do Thiago Neves. Foi uma vitória. Ver o David fazer uma partida fantástica dentro do Mineirão. Foi uma vitória, porque a gente estava fazendo melhor fora de casa por causa da pressão muito grande. E hoje fomos à exaustão. Mas estou feliz. A perspectiva vai se tornar muito melhor, caiu um peso das minhas costas, imagine das costas dos jogadores. Eu acertei, porque fechei e ganhei. Eu sei se não ganho vou tomar porrada. Mas você viu o que o Diniz fez? Colocou o menino Igor, depois o Liziero, tirou o primeiro volante. O Arboleda ficou de atacante no fim de jogo. Coloquei o Ariel porque é um cara que cadencia o jogo, tem uma primeira bola muito boa, sabe se posicionar. E o David chegou em determinado momento que o São Paulo ficou com quatro, cinco jogadores do lado da bola. Então, a gente pediu pro jogador do lado oposto viesse pra dentro pra não perder o meio-campo. Com o amarelo do David, eu fiquei preocupado. E chamei o Thiago pra segurar a onda. Então, botei um cara mais rápido porque o Liziero deu velocidade muito grande, maior que o Hernanes. E o Jadson é jogador rápido. Então, falei: ‘vou rezar pra terminar assim e vou fechar’. E não sofremos. Eles tiveram a bola, mas qual chance de gol? A gente não conseguiu segurar a bola na frente, se não segura, não adianta colocar o atacante.

THIAGO NEVESTirou um pouco do peso. Tem muita coisa pra tirar. Importantíssima a vitória. Três pontos, pelo time que temos não podemos estar nessa situação. Temos ainda vitórias a conquistar.  Corremos e lutamos muito. Merecemos. Tem de ser dessa forma. Torcedores e jogadores juntos na mesma pegada pra tirar o Cruzeiro dessa situação.  O gol de cabeça foi merecido pelo que apresentamos. É bom ouvir a torcida gritar meu nome. Vai ser daqui pra melhor.

FABRÍCIOGlória à Deus!! Time como um todo cumpriu um bom papel. Inclusive David e Fred, tão criticados. Neves foi o melhor,  foi decisivo e dedicado. Robinho fez outra partida pífia. Abel muito bem. Vamos!

WAGNER CPM: Abelão colocou o que tinha de melhor em campo, sem invencionices como as do Pardal Ceni= fazia. Com o apoio da torcida e uma aplicação tática perfeita a vitória veio. Que venham mais.

M RIZZIAbel cometeu um único erro, que foi manter o Fred em campo. O time jogou a meia fora final sem um jogador, pois a bola batia nele e voltava.

MATHEUS CHAVESAlém do bom jogo do time, vai aqui um agradecimento especial ao Diniz que escondeu o Daniel Alves na LD no 2º tempo, pois estava dando uma dor de cabeça no 1° aquela movimentação pelo meio.

BRUNO SETELAGOAS: Enfim uma noite tranquila. Os ventos da esperança voltam a soprar.

ZULOOBASDavid jogou muito bem. Abel o puxou pra trás dos atacantes, participando da armação e o futebol dele se enquadrou melhor nessa função. Nesse faixa ele rende mais.

26bra19: Cruzeiro em 18º

quinta-feira, 17 de outubro de 2019

26ª RODADA do Brasileiro 2019:

  • Grêmio 0–1 Bahia 16out19qua19h15 Humaitá
  • Alagoano 2–2 Mineiro 16out191qua19h15 Reipelé
  • Fortaleza 1–2 Flamengo 16out19qua20h Castelão
  • Cruzeiro 1–0 São Paulo 16out19qua21h Mineirão
  • Palmeiras 1–0 Chapecoense 16out19q Ressacadaua21h Allianz
  • Vasco 2–1 Botafogo 16out19qua21h30 Saunjanuário
  • Goiás 2–2 Corinthians 16out19qua21h30 Serradourada
  • Santos 2–1 Ceará 17out19qua19h15 Vilabelmiro
  • Avaí 0–2 Internacional 17out19qui19h15 Ressacada
  • Fluminense 1–2 Paranaense 17out19qui21h Maracanã

Cruzeiro fez a [arte dele e ainda recebeu preciosas ajudas da Cocota e do Urubu. Se o Peixe também ajudar, o time celeste pode até escapar da zona na próxima rodada.

Neves e Ederson, os melhores no fim do jejum

quinta-feira, 17 de outubro de 2019

ATUAÇÕES dos protagonistas do CRUZEIRO 1×0 SÃO PAULO, no Mineirão, Belo Horizonte, 16out19qua21h, pela 26ª rodada do Brasileiro, por BRUNO SETELAGOAS:

FÁBIO: Diante da excelente marcação do time celeste, não foi muito exigido. Destaco algumas saídas do gol que o arqueiro preferiu encaixar a bola à socar, matando de vez o ataque. Bateu um roupinha em um chute no Pato, o que rendeu um cornetada do Zé M@né do Bob Faria. Nos chutes são paulinos, a maioria pra fora, mostrou sempre bem posicionado.

EDILSON: SPFW tem um lateral esquerdo muito bom, logo o nosso lateral direito optou por ser mais conservador e subir só na boa. Cumpriu muito bem seu papel, dando segurança na marcação e tranquilidade na saída de bola. Destaque para um corte preciso no 2º tempo, colocando a bola pra escanteio e recebendo um belo cumprimento do Dedé. Boa partida.

DEDÉ: Fez belos desarmes e teve boa partição nos duelos mano a mano com os atacantes rivais. Na bola aérea defensiva, soberano mais uma vez. No começo do jogo tentou dar sua tradicional entregadinha na saída de bola mas o capitão consertou a jogada. Fez pelos menos 3 bons passes, bem verticais, na saída de bola. Bela partida.

FBRUNO: Atuação firme, com um nível de concentração intenso do começo ao fim. Deu uma bobeadinha no 1º quando não fez boa leitura da movimentação do Pato e acabou caindo no chão. Menos mal que o lance não deu em nada. Assim como Dedé, esteve muito bem no mano a mano e na cobertura. Tem muita velocidade de recuperação.

EGÍDIO: Marcou muito bem o bom Anthony e ainda conseguiu fôlego para se apresentar na frente. Junto com David, incomodaram bastante o lado direito defensivo do SPFW. Está sobrando fisicamente. Não esteve tão feliz nos cruzamentos e arriscou uma finalização razoável no 1º tempo. No geral, esteve bem.

HENRIQUE: Considerando o conjunto da obra, foi o MDJ. Deu tranquilidade na saída de bola se apresentando o tempo todo. Desarmou, encurtou espaço marcando de pertinho, deu apoio ofensivo. Deu uma aula de volância, aparecendo pouco para a torcida mas sendo crucial para o time. Partidaça.

EDERSON: Está com tanta personalidade que as vezes beira a displicência ou imprudência. Mas o moleque é bão de bola, hein! Movimentou-se muito, pela direita, pela esquerda, apertou a saída de bola, encurtou a marcação na parte defensiva. Destaque para duas jogadas: No 1º canetou um e rolou boa bola no bico da área para o Robinho; no 2º desvencilhando-se de 2 marcadores e deu excelente passe para o TN. Se não tivesse pregado, seria o melhor do jogo.

ROBINHO: Esteve bem abaixo do que pode produzir. Lento na definição da maioria das jogadas na intermediária ofensiva, foi presa fácil para o marcadores bambinos. Recebeu algumas boas bolas mas a conclusão das jogadas não foi realizada com sua habitual categoria. Não esteve bem.

DAVID: Esteve mais ligado, recebeu bolas com mais oportunidades de conduzir em velocidade, sem ter que girar sobre os marcadores (alguem comentou que parecia estar jogando um pouco mais recuado). Tentou criar mais principalmente no 1º tempo, imprimindo velocidade às jogadas. O seu maior problema continua na jogada manjada de cortar sempre pra dentro. No 2º tempo deu excelente passe para o TN, deixando o nosso 10 livre em excelente condição de finalização. Durante todo o jogo, esteve muito bem na recomposição. A única justificativa para sua saída que eu vi foi que estava pilhadão, falando muito com o juiz e já estava amarelado. Boa partida.

NEVES: Movimentou-se bem, mesmo sendo aquele passo de urubu malandro. Pecou algumas vezes na lentidão para finalizar, parece que a perna está pesada, falta explosão. Quando conseguiu espaço e tempo para finalizar (após passe açucarado do David), obrigou o goleirão a fazer excelente defesa. Dessa vez a estrela brilhou. Como já é de costume, se posicionou muito bem na área e decidiu o jogo.

FRED: Enquanto teve pernas, conseguiu se impor no belo duelo com o Arboleda (que é um armário, diga-se de passagem). Não esteve tão presente na área, é verdade, mas procurou abrir bons espaços levando a marcação e se apresentando para a tabela. O gol resume bem o jogo dele. Quando o Abel optou por fechar o time, ficou muito isolado (e já estava mortinho da silva) e teve que usar a malandragem em alguns lances. Teve boa participação na bola área defensiva. Boa partida.

JADSON: Entrou no lugar do Ederson e cumpriu bem o seu papel, cobrindo o Edilson e saindo com tranquilidade.

CABRAL: Achei que entrou um pouco perdido mas aos poucos foi se encontrando. Gosto desse meio com trinca. O jeito cadenciado ajudou a diminuir o ímpeto do SP. Fez bem sua função.

M GABRIEL: Dessa entrou bem, deu equilíbrio ao time pois passamos a ter jogadas pelos dois lados. Foi dela a assistência para o gol após boa trama com o Fred. Na parte defensiva, recompos bem.

CRUZEIRO: Surpreendeu a marcação alta durante tanto tempo na partida. Provavelmente foi isso que desgastou tanto o time. Mas foi crucial para o plano de jogo pois não deixou a SP jogar. O nível de concentração foi altíssimo, o time esteve compactado o jogo todo, onde a bola estava tinham vários azuis. Não durou tanto mas os lances criados foram muito bem trabalhados. A bola não queimou no pé, não foi aquele time com o emocional à flor da pele. Partida segura que da muitas esperanças.

SÃO PAULO: Time foi amassado e não conseguiu criar. Diniz até tentou mudar algumas peças para dar outra dinâmica mas a marcação celeste estava muito bem encaixada. Destaco positivamente Tchê Tchê e Reinaldo, dois jogadores que gosto muito. E negativamente o Hernanes que parece que está jogando bichado.

MelhorDoJogo => NEVES [[[27]]] Chiabi, Espigão, Ramos, Albertim, Gesoco, André, Damião, Fabrício, Bitencourt, Reis, Palmeira, Dulce, Walfrido, Julim, Ulhôa, Rezende, Jotapê, Maury, Rocha, Penido, Nanayoski, Ianni, Angrisano, Romarol, Lauanda, Nem, Guidugli —– EDERSON [[[18]]] Abel, Fivestars, Beth, Sá, Wagner, Toninho, Gil, Rizzi, Samuel, Emerson, Schrier, Gaetani, Morato, Pena, França, Bastos, Amaral, Orozimbo —– HENRIQUE [[[8]]] Galvão, Zuloobas, Vanda, Olivieri, Setelagoas, Romeu, Lulu, Dudu —– DEDÉ [[[4]]] Hiram, Vilela, Milani, Anchieta —– EGÍDIO [[[2]]] Fernandão, Síndico —– DAVID [[[2]]] Chaves, Pedro —– ABEL [[[3]]] Polaco, Rafalima, Domênico —– TORCIDA [[[2]]] Pinheiro, Barnabé…

Cruzeiro 1×0 São Paulo: mais vivo do que nunca!

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

CRUZEIRO contra São Paulo, 16out19qua21h, Mineirão (62 mil), Belo Horizonte, 26ª rodada, Brasileiro 2019.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro é o 18ª, com 22 pontos, São Paulo, o 5º, com 43.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 2º, 15.822 pontos, São Paulo, o 12º, com 10.508.

TRANSMISSÃO: Premiere , com narração de Milton Leite e comentários de Bob Faria e Ricardinho.

TEMPO limpo, temperatura 25º, vento 14 Km/h, umidade 44%.

ARBITRAGEM: Wilton Pereira Sampaio, Fabricio Vilarinho, Bruno Raphael Pire (GO). VAR: Elmo Alves Resende Cunha (GO).

CRUZEIRO: Fábio — Edílson, Dedé, Fabruno, Egídio — Henrique, Ederson — Robinho, Neves, David — Fred. T: Abel Braga.

BANCO: Rafael G, Weverton L, Edu B, Cacá B, Dodô L, Jadson V, Cabral V, Maurício M, Marquinhos Gabriel M, Joel A, Ezequiel A, Sassá A.

AUSENTES: Orejuela (seleção colombiana), Leo, Rodriguinho (lesionados).

PENDURADOS: Rodriguinho, Cabral, David, Dedé, Ederson, Edilson, Fábio, Fabruno, M Gabriel, Orejuela, Rocha.

SÃO PAULO — Volpi; Juanfran, Arboleda, Bruno Alves, Reinaldo — Luan — Tchê Tchê, Daniel Alves, Hernanes, Antony — Pato. T Fernando Diniz.

BANCO: Jean G, Igor Vinícius L, Walce B, Léo L, Hudson V, Gabriel Sara M, Igor Gomes M, Liziero M, Victor Bueno M,  Helinho A, Marcos Calazans A, Raniel A.

AUSENTES: Pablo, Everton, Toró, Anderson Martins e Rojas (lesionados).

PENDURADOS: Reinaldo, Anderson Martins, Pablo, Luan, Igor Gomes, Liziero, Tchê Tchê e Raniel.

 CRUZEIRO 1×0 SÃO PAULO, 16out19qua21h.TEMPO limpo, temperatura 25º, vento 14 Km/h, umidade 44%. LOCAL: Mineirão (62 mil), Belo Horizonte. MOTIVO: 26ª rodada, Brasileiro 2019. TRANSMISSÃO: Premiere. PÚBLICO: 26.313 pagantes, 30.969 presentes, R$350.646, média R$13. ARBITRAGEM: Wilton Pereira Sampaio, Fabricio Vilarinho, Bruno Pires (GO). VAR: Elmo Resende Cunha (GO). AMARELOS: Fred, David, Reinaldo, Daniel, GOL: Neves, 57. CRUZEIRO: Fábio, Edilson, Dedé, Fabruno, Egídio; Henrique, Ederson (Jadson; 73), Robinho (M Gabriel, 46), Neves, David (Cabral, 76); Fred. T: Abel Braga. SÃO PAULO: Volpi; Juanfran, (Vitor Bueno; 46), Bruno Alves, Arboleda, Reinaldo; Luan (Liziero, 76), Tchê Tchê, Hernanes (Igor Gomes, 63), Daniel Alves, Antony, Pato. T: Fernando Diniz.

HISTÓRICO: 86 jogos. Cruzeiro venceu 22, empatou 22, perdeu 42; marcou 83 gols, levou 114. Pelo Brasileiro, 64 jogos, 13 vitórias do Cruzeiro, 16 empates, 35 vitórias do São Paulo. Pela Libertadores, 6 partidas, 3 vitórias do Cruzeiro e 3 do SPFC. O Cruzeiro marcou 5 gols e levou 6. Nas 3 vezes em que decidiram títulos, o Cruzeiro venceu 2 (Copa Ouro 1995 e Copa do Brasil 2000) e perdeu 1 (Recopa Sulamericana 1993).

DESEMPENHO do Cruzeiro na história do Brasileiro: 58 participações em 63 campeonatos, 1.467 jogos, 634 vitórias, 397 empates, 437 derrotas, 2.123 gols marcados, 1.663 sofridos. Aproveitamento de 53%. Nos pontos corridos: 652 jogos, 291 vitórias, 146 empates, 215 derrotas, 970 gols marcados, 801 sofridos, aproveitamento de 53%.

Abel: “Chances perdidas custaram caro”

terça-feira, 15 de outubro de 2019

PITACOS acerca do CHAPECOENSE 1-1 CRUZEIRO, na Condá, Chapecó, 13out19dom19h, 25ª rodada do Brasileiro 2019:

ABEL BRAGA: Pelo momento das duas equipes, era fundamental fazer o gol primeiro. Fizemos e estava muito claroque a Chape ia se atirar, e ia começar a proporcionar os contra-ataques. Foi o que ocorreu. Mas não tivemos a tranquilidade e a seriedade pra matar o jogo. Várias vezes nós tivemos perto do segundo gol. E a única defesa do meu goleiro foi no lance do gol. Tivemos problema contra o Goiás, um gol anulado, tivemos problema contra o Fluminense, outro gol anulado, e hoje o Arthur Gomes estava impedido. Da maneira que eles têm lá a possibilidade de fazer a linha, nós também temos. Temos o lance visto de cima, que ainda facilita mais. Não sei porque está acontecendo isso, é uma luta incessante. Hoje, foi uma atuação segura, mas com muitas chances perdidas, que custaram caro. E o peso tem sido muito grande, tem sido uma influência absurda. Na situação que a equipe se encontra, ninguém consegue ter uma atuação solta, entrar no campo leve. Entramos em campo com uma necessidade muito grande de vencer pra tirar esse peso.O Cruzeiro teve chances de fazer dois ou três gols. Já no primeiro tempo, tiveram duas muito claras. Há dedicação, um ambiente muito bom entre os atletas. Agora fica todo mundo sentido. Já são 25 jogos, com apenas 4 vitórias. É uma realidade pesada, muito pesada. 

FABRÍCIO BRUNO: A gente fica muito chateado pelo resultado, pela forma que foi. Estávamos bem postados o jogo inteiro e no último segundo acontece um lance desse. A informação que chega pra gente é que havia impedimento. No jogo contra o Fluminense já aconteceu outro erro e isso vai acumulando. Estamos numa situação complicada, mas temos confiança no nosso treinador. A diretoria também tem passado confiança e tranquilidade pra gente fazer o nosso melhor. Sem dúvida nenhuma sairemos desta situação o mais rápido possível.

UOL ESPORTES: Fábio e Dedé: foram os melhores em campo O goleiro teve um daqueles jogos que o torcedor cruzeirense espera dele: repleto de milagres. O goleiro terminou o jogo com cinco defesas. Isso quando a bola chegava nele, pois Dedé, que marcou o único gol do Cruzeiro, colecionou cortes e não permitiu à Chape finalizar até o último minuto.

GLOBO ESPORTE: Dedé, no melhor estilo centroavante, fez um gol aproveitando sobra de bola na área da Chape. Depois, comandou a defesa parando as jogadas ofensivas do adversário. Fábio esteve seguro como o torcedor cruzeirense está acostumado a ver. No último lance, no entanto, após finalização à queima-roupa de Arthur Gomes, deu rebote e Camilo empatou. Neves cobrou o escanteio que originou o gol, mas sua atuação foi muito além disso. Procurou o jogo e chutou contra o gol adversário. Voltou a jogar bem.

J R GALVÃO: O cruzeiro fez um jogo aceitável, mas a zica tá muito forte. O trabalho de Itair e sua turma tá rendendo seus frutos. Agora é garrar no terço e implorar um milagre para Dulce dos Pobres/ e E continuo achando que quem não pagou as dividas com os santos, deveria quitá-las, urgentemente. 

FABRICO: Não se pode perder uma oportunidade de vencer desse tipo. Com essa quantidade de gols perdidos e ainda tomando um aos 95 de uma bola lançada da lateral pra área. Triste demais isso aí. Com ou sem polêmica de var, não há justificativa pra um resultado ruim. contra o lanterna.

GUSTAVO MARTINS: O time celeste tentou fazer mais gols. Mesmo acossado em alguns momentos, criou oportunidades. Imperdoável foi perder várias chances de matar a partida. 

PAULO: Estamos há três jogos sem perder. Pode ser o início de uma fase melhor.

Dedé foi um gigante em Chapecó

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

ATUAÇÕES dos protagonistas do CHAPECOENSE 1-1 CRUZEIRO, na Condá, Chapecó, 13out19dom19h, 25ª rodada do Brasileiro 2019:

TORCIDA CELESTE compareceu, levou faixa e apoiou seu time p tempo todo.

FÁBIO, sem culpa no gol, fez pelo menos quatro defesas difíceis.

EDÍLSON marcou e apoiou bem, até o fôlego acabar antes da metade da etapa final. Pelo seu setor, jogaram Pacheco, Roberto e Régis, um trio muito rápido e com boa técnica. Mas ele conseguiu contornar as dificuldades, com categoria.

WEVERTON só marcou e não podia mesmo fazer outra coisa, pois a Chape concentrou esforços ofensivos pelo seu lado.

DEDÉ fez gol, cortou bolas aéreas em sua área e ajudou a marcar o corredor esquerdo, o mais forte da Chape.

FABRUNO cortou quase todas as bolas que chegaram à área celeste, menos a do gol de empate.

EGÍDIO marcou bem e apoiou bastante, com alguns cruzamentos de boa qualidade.

HENRIQUE cuidou muito da defesa e apoiou pouco. No sufoco final, virou um terceiro beque.

EDERSON foi o volante que atacou. Jogando verticalmente, esteve na cara do gol, mas foi impedido de marcar seu gol pelo goleiro João Ricardo.

CABRAL entrou na parte final do jogo, deu bons passes, fez lançamento preciso pra Rocha e marcou bem. Excelente retorno ao time.

M GABRIEL não conseguiu jogar pela direita, mais uma vez. Foi um a menos durante uma hora.

NEVES correu, mas só produziu uma jogada decisiva ao cobrar o corner que resultou no go celeste. teria saído mais cedo, não fosse David ter sofrido cãibras.

DAVID, esforçado, não se omite. Acerta ao menos metade das jogadas que faz, cruzando ou chutando. Mas não leva sorte. Desta vez, o poste impediu que ele decidisse a partida.

ROCHA entrou na parte final do jogo e não fez nada de relevante que pudesse decidir a partida.

FRED serviu Dedé no gol logo aos 3, tabelou, buscou a bola no meio, cortou alguns cruzamentos na área celeste e resistiu até o fim da partida. Por tudo isto, foi muito elogiado pelo treinador.

ABEL armou um time ofensivo e só tomou cuidados defensivos quando colocou Cabral para reforçar a volância, na reta final da partida. Seu time criou boas jogadas pelas pontas e pelo meio, mas perdeu gás nos vinte minutos finais deixou escapar a vitória.

CRUZEIRO fez boa partida, criando quatro boas chances de gols. Mas perdeu ímpeto na reta final, foi pressionado e tomou um gol suspeito no último segundo. A defesa jogou bem, apesar da distração no derradeiro lance. O ataque ainda continua com dificuldade de marcar gols.

CHAPECOENSE tomou um gol aos 3 correu atrás de empate, que só aconteceu aos 95. Nessa batalha, este perto de tomar ao menos 3 outros gols, que só não aconteceram pela imperícia dos cruzeirenses nas finalizações. Regis, Roberto e Pacheco foram os melhores, mas um dos mais apagados, Camilo, foi quem marcou o gol de empate.

ÁRBITROS mexeram no placar validando gol ilegal da Chape. A traquitana eletrônica justificou a decisão, mas quem auditou a coisa? Pela televisão, impedimento claro. O torcedor viu um lance, os picaretas da cabine outro.

MelhorDoJogo => DEDÉ [[[23]]] Ge, Freire, Beth, Soares, Ramos, Bitencourt, Hiram, Milani, Setelagoas, Wagner, Bastos, Anchieta, Rezende, Walery, Chiabi, Nem, André, Palmeira, Penido, Chaves, Lauanda, Patrícia, Dudu —– FRED [[[4]]] Abel, Filipe, Vanda, Síndico —– EDERSON [[[3]]] Schrier, Zuloobas, Galvão —– FÁBIO [[[3]]] Uol, Lulu, Barnabé —– HENRIQUE [[[2]]] Orozimbo, Romarol —– NEVES [[[1]]] Genaro —– DAVID [[[1]]] Pedro —– CABRAL [[[1]]] Rizzi —– ABEL [[[1]]] Polaco…

Chapecoense 1×1 Cruzeiro: castigo sem fim

domingo, 13 de outubro de 2019

CRUZEIRO contra Chapecoense, neste 13out19dom19h, Condá (22 mil),Chapecó, 25ª rodada do Brasileiro 2019.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 2º, com 15.822 pontos, Chapecoense a 10ª, com 10.706.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro é o 18º, com 21 pontos; Chapecoense, a 20ª, com 15.

TEMPO nublado, temperatura 23º, vento 20 Km/h, umidade 80%.

TRANSMISSÃO: Premiere, com narração de Daniel Pereira e comentários de Henrique Fernandes, reportagens de Eduardo Florão.

ARBITRAGEM: Caio Max Augusto Vieira (RN), Alessandro Alvaro Rocha de Matos (BA), Jean Márcio dos Santos (RN), VAR: Adriano Milczvski (PR).

CRUZEIRO: Fábio — Edílson, Dedé, Fabruno, Egídio — Henrique, Ederson — M Gabriel, Neves, David — Fred. T: Abel Braga.

BANCO: Rafael, Weverton, Cacá, Dodô, Jadson, Cabral, Maurício, Rocha, Sassá, Ezequiel, Joel.

AUSENTE: Orejuela (seleção colombiana), Leo, Rodriguinho (lesionados), Robinho (suspenso).

PENDURADOS: Cabral, David, Dedé, Ederson, Fábio, Fabruno, M Gabriel, Orejuela, Rodriguinho…

CHAPECOENSE: João Ricardo — Bryan, Douglas, Rafael Pereira, Roberto — Elicarlos, Bruno Pacheco, Camilo, Locatelli – Régis, Henrique Almeida. T: Marquinhos Santos.

BANCO: Tiepo G, Elias G, Hiago L, Gum B, Maurício Ramos B, Amaral V, Augusto V, Campanharo M, Tharlis M, Diego Torres M, Arthur Gomes A, Renato A.

AUSENTES: Yann Rolim, Vagner, Dalberto, Thiago Santos (lesionados), Márcio Araujo, Everaldo (suspensos), Kayzer (pertence ao Cruzeiro).

PENDURADO: Arthur Gomes, Bryan, Camilo, Douglas, Rafael Pereira.

CHAPECOENSE 1×1 CRUZEIRO, 13out19dim19h. TEMPO nublado, temperatura 23º, vento 20 Km/h, umidade 80%. LOCAL: Condá (22 mil), Chapecó. MOTIVO: 25ª rodada, Brasileiro 2019. TRANSMISSÃO: Premiere. PÚBLICO: 4.399 presentes, R$82.600, média de R$19. ARBITRAGEM: Caio Max Augusto Vieira (RN), Jean Marcio Santos (RN), Alessandro Rocha Matos (BA). VAR: Adriano Milczvski (RN). AMARELOS: Pereira, Rocha. M Santos. GOLS: Dedé, 3. Camilo, 95. CHAPECOENSE: João Ricardo; Bryan (Renato, 80), Douglas, Rafael Pereira, Pacheco; Elicarlos, Roberto, Camilo, Locatelli (Arthur Gomes, 53); Régis (Torres, 59), Henrique Almeida. T: Marquinhos Santos. CRUZEIRO: Fábio; Edilson (Weverton, 64), Dedé, Fabruno, Egídio; Henrique, Ederson; M Gabriel (Rocha, 67) Neves, David (Cabral, 82); Fred. T: Abel Braga.

HISTÓRICO: 17 jogos, 7 vitórias do Cruzeiro, 5 empates, 5 derrotas, 24 gols a favor, 17 contra.

DESEMPENHO do Cruzeiro na história do Brasileiro: 58 participações em 63 campeonatos, 1.466 jogos, 633 vitórias, 397 empates, 437 derrotas, 2.122 gols marcados, 1.663 sofridos. Aproveitamento de 53%. Nos pontos corridos: 651 jogos, 290 vitórias, 146 empates, 215 derrotas, 969 gols marcados, 801 sofridos, aproveitamento de 53%.

25bra19: Cruzeiro em 18º

sábado, 12 de outubro de 2019

25ª RODADA do Brasileiro 2019:

  1. Goiás 1–0 Alagoano 12out19sab17h Serradourada
  2. Fluminense 2–0 Bahia 12out19sab19h Maracanã
  3. Palmeiras 1–0 Botafogo 12out19sab21h Pacaenbu
  4. Internacional 0–0 Santos 13out19dom16h Beirarrio
  5. Ceará 1–0 Avaí 13out19dom16h Castelão
  6. Vasco 1–0 Fortaleza 13out19dom16h Saunjanuário
  7. Paranaense 0–2 Flamengo 13out19dom16h Baixada
  8. São Paulo 1-0 Corinthians 13out19dom18h Morumbi
  9. Mineiro 1–4 Grêmio 13out19dom19h Independência
  10. Chapecoense 1–1 Cruzeiro 13out19dom19h Condá

Bom para o Cruzeiro: vitórias do Goiás, Bahia, Palmeiras e Avaí. Empate entre Vasco e Fortaleza. E a sua própria sobre a Chape, é claro. O resto não interessa.

Souza: “não fosse o extracampo, teria vencido”

sexta-feira, 11 de outubro de 2019

PITACOS acerca do CRUZEIRO 0x0 FLUMINENSE, no Mineirão, Belo Horizonte, 09out19qua21h30, pela 24ª rodada do Brasileiro 2019:

ABEL BRAGA: Tem que vencer, por isso não quero falar muito. Não posso enganar vocês, se eu falar mentira para vocês, estou falando mentira para os torcedores. O peso está grande. Enquanto não acontecer essa vitória, a coisa vai se complicando. É menos um jogo. Tem de sair esse peso, que influencia muito. O emocional vem com o passar do tempo. A gente precisa fazer um gol na frente, porque aí os caras vão ter de se atirar. E nós estamos nos atirando todo jogo. O chato, o desagradável, é que não fizemos nossa parte, mas o CSA fez, não importa se o Inter estava desfalcado. Eles fizeram a parte deles. A preocupação é grande. O Cruzeiro teve 4 vitórias até agora. Vocês viram o que aconteceu, porque, se eu te empurro, o movimento das tuas pernas é subir. Ele para tocar na bola, toca para o Egídio. Isso aí, depois, a gente conversa. Não vou comentar a arbitragem. Seria covardia atirar a responsabilidade de não vencer no árbitro. Não vamos nos entregar. Não vim pra cá preocupado com a situação do Cruzeiro, vim sabendo. Estou passando por uma experiência única. Não pego nada no meio, peguei porque confio nos atletas. Confio no que me foi passado. Confio na torcida. Fiz pedido de comparecimento e me surpreendeu. Ninguém acredita, ninguém está acreditando, mas nós não vamos deixar de acreditar. Quando eu troquei o Sassá, ia colocar o Joel. Mas não fez ainda treino tático. 

FÁBIO: É um peso estar na situação delicada. Lutamos, lutamos, lutamos e não conseguimos. Infelizmente tivemos um gol anulado e não saímos com a vitória. Mas temos que lutar até o final pra tirar o Cruzeiro dessa situação.

JUCA KFOURI: Var + assoprador = Cruzeiro prejudicado. Fred fez seu primeiro gol no Fluminense desde que saiu das Laranjeiras, aos 11 minutos do segundo tempo, no Mineirão. Mas não valeu porque o VAR chamou o assoprador de apito para ver um lance acidental na origem do lance em que Robinho, de costas e caindo, atingiu o rosto de Gilberto. O assoprador que estava de frente para o lance (note na foto) e nada marcou acertadamente, foi à tela e, miserável e erradamente, anulou o gol. O jogo terminou 0 a 0 e o Cruzeiro está a quatro pontos do primeiro time fora da ZR, o CSA. O único mérito nisso tudo foi ver o Var não ser caseiro.

UOL: Dedé. no coração, “anula” ataque tricolor. Sem condições físicas e com dores no joelho, Dedé esteve longe de brilhar, mas mesmo assim foi um ponto de segurança em um Cruzeiro que viu a bola queimar no pé pela grande pressão sofrida na tabela. O jogador não deu chances para Yony González e João Pedro, vencendo a maioria das disputas.

SOUZA: Foi revoltante. Numa vi uma agressão (um coice) ser transformado de vermelho em amarelo. E pior, anular um gol em que o atacante sofre falta. O Cruzeiro foi deliberadamente roubado dentro do Mineirão. Antigamente, em situações similares, algum dirigente invadiria o campo e pressionava a arbitragem. Hoje, não houve nada disso. Temos um bando de b… que estão afundando o clube. Há muito não fico tão indignado com um resultado. O Cruzeiro, se não fosse o extracampo, teria vencido.

BRUNO BRAGA: Difícil não se abater neste momento. Só 4 vitórias em 24 partidas. O time parece ser treinado pra empatar.