Arquivo da Categoria ‘BRASILEIRO’

Mano: “Vamos valorizar o que fizemos”

terça-feira, 14 de agosto de 2018

PITACOS acerca do FLAMENGO 1-0 CRUZEIRO, Maracanã, Rio de Janeiro, 12ago18dom16h, 18ª rodada do Brasileiro 2018:

MANO MENEZES: O Cruzeiro jogou bem. Foi um jogo de risco calculado, foi o que achamos que deveríamos fazer. Tenho certeza de que os jogadores que jogaram na quarta teriam uma dificuldade de imprimir um ritmo que nós conseguimos neste segundo tempo. O time certamente iria crescer com a entrada de Neves, Arrascaeta e Robinho. Acho que não merecíamos perder, mas sabíamos que ganhar duas vezes do Flamengo não seria fácil pra time nenhum. Seria jogo de pressão. Mas vamos valorizar o que fizemos, pôr a cabeça no lugar e iniciar a preparação pro jogo contra o Santos.

THIAGO NEVES: Um jogo deste, pegado, parado, jogadores que seguram o jogo, o mínimo tinha que ser cinco. Aqui no Maracanã, a juízada sente a pressão e sempre puxam pro time da casa.

HENRIQUE: Os caras enrolam muito, sempre que tem substituição enrolam. E as duas equipes ainda fizeram as três substituições. Diego segurou o jogo e o cara só dá três minutos de acréscimos. Ele está de brincadeira.

JULIM SILVA: Robinho entrou e jogou muito. Ele vem calando a boca de corneteiros como eu hahaha…

BRUNO SETELAGOAS: Gostei das entradas do Arrasca e Robinho. Mudaram a cara do jogo que até ali estava bem do marromenos. Mas pelo conjunto da obra, mas o melhor do jogo foi o Raniel.

AGNALDO MORATO: Henrique foi o melhor do jogo. Mano abandonou o Brasileiro. O time fez um primeiro tempo muito ruim, melhorou com as mudanças, mas não o suficiente. Além disto, o Urubu levou sorte: a bola cabeceada pelo Arrasca entrou 90%.

TATO 2018 A escalação inicial dificultou as coisas. Depois das substituições, a situação melhorou, mas sem resultar em gols.

Henrique e Leo, muito acima da média

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

ATUAÇÕES dos protagonistas do  FLAMENGO 1-0 CRUZEIRO, Maracanã, Rio de Janeiro, 12ago18dom16h, 18ª rodada do Brasileiro 2018:

TORCIDA CELESTE não lotou seu setor, nem se entusiasmou muito com o que viu.

RAFAEL não teve culpado gol e nem cometeu falhas. Seguro, como sempre.

EZEQUIEL marcou bem, mas não atacou. Provavelmente, por cumprindo ordens do professor.

MANOEL jogou muito bem. Rebateu, cortou pelo alto e por baixo. Termocéfalos colocaram o gol na conta dele. Besteira! Se querem um culpado, xinguem o Everton Ribiro…

LEO, perfeito, de novo. E, desta vez, usando a imposição física diversas vezes, pois o Flamengo escalou um nove enjoado, que jogou enfiado.

HERMES não comprometeu. Pegou uma barra pesada, com Rodinei e Ribeiro e sem contar coma a ajuda de David. No ataque, só deu as caras na etapa final. Como já está no caderninho dos tolos, se não fizer três gols de bicicleta por jogo, será vilipendiado. Tem dessas taras no futebol.

HENRIQUE jogou o fino, como sempre, Domina sua posição como ninguém. Marca, ocupa espaços, faz a cobertura e apoia o ataque. Com a saída de Arthur, é o melhor volante do País. Pra desgosto profundo dos amantes do arranca-toco (que devem ter secado aquela cabeçada de camisa nove que ele deu nos estertores da etapa inicial).

CABRAL fez sua parte, cobrindo, ocupando espaços e tratando bem a bola, o que inclui passes precisos. Mas é outro que entrou no caderninho dos tolos e só escapa de críticas se acertar uns dez lançamentos de 90 metros por jogo.

RAFINHA não criou dificuldades pra defesa, mas encheu o são dos atacantes flamengos. Saiu mais cedo, estafado.

MANCUELLO não deu conta de executar a função e armador. Lutou, mas não ajudou muito o time a segurar a bola no ataque, Saiu mais cedo.

DAVID sentiu dificuldades no trato coma bola. Tentou compensar dando uma forcinha na marcação, mas nem isto conseguiu fazer direito. Ficou devendo.

RANIEL movimentou-se, buscou o jogo, quase fez um golaço espírita, finalizando sem ângulo. Pecou apenas por se ausentar demais de seu local de trabalho, a grande área.

ROBINHO entrou no segundo tempo e melhorou a armação de jogo do time, com bons passes e articulação de jogadas ofensivas.

NEVES entrou no segundo tempo e tentou criar jogadas, sem muito sucesso.

ARRASCAETA entrou no segundo tempo e deu trata;ao à defesa flamenga. Levou amarelo por reclamação, provavelmente, pra ser poupado na última rodada contra o Bahia. 

MANO escalou um time desentrosado, com nove reservas. Não deu certo, pois ao menos dois jogadores, Mancuello e David, foram inoperantes. Tentou consertar o estrago, com a entrada do trio Arrascaeta, Neves e Robinho. Deu certo, tecnicamente, mas não mudou o placar.

CRUZEIRO, dominado na etapa inicial, quando só ameaçou o adversários nos últimos cinco minutos, equilibrou o jogo na etapa final e só não empatou porque o goleiro flamengo salvou gol certo em cabeçada de Arrascaeta, 

FLAMENGO pressionou o primeiro tempo inteiro, com um centroavante de ofício fustigando a bequeira celeste, mas perdeu ímpeto e quase perde os três pontos na etapa final. Aves, Ribeiro, paquetá e Dourado foram seus jogadores mais destacados.

ÁRBITROS subtraíram uns quatro minutos do jogo, dando apenas três de acréscimos. Nas demais decisões, foram bem.

MelhorDoJogo => HENRIQUE [[[16]]] Klauss, Galvão, Penido, Chaves, França, Anchieta, Ivana, Zuloobas, Luizanton, Morato, Dourado, Viana, Marcoalex, Bastos, Celeste, Romarol —– LEO [[[7]]] Vasconcelos, Pinheiro, Wallace, Soalheiro, Barnabé, Síndico, Dudu —– RANIEL [[[2]]] Olivieri, Setelagoas —– ARRASCAETA [[[2]]] Fivestars, Jotapê —– MANOEL [[[1]]] Schrier —– ROBINHO [[[1]]] Julim —– RAFAEL [[[1]]] Emerre —– MANO [[[2]]] Telentim, Lauanda —– BARBIERI [[[1]]] Marcio. —– ALVES [[[1]]] Bitarães.

Flamengo 1×0 Cruzeiro: Criou, mas não marcou

domingo, 12 de agosto de 2018

CRUZEIRO contra Flamengo, neste 12ago18dom1645, no Maracanã (78 mil), Rio de Janeiro, 18ª rodada, Brasileiro 2018.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 1º, com 15.288; Flamengo, o 7º, com 12.796.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro é o 8º, com 25 pontos, Flamengo, 2º, com 34.

CRUZEIRO: Rafael — Edilson, Manoel, Leo, Hermes — Henrique, Cabral — Rafinha, Mancuello, David — Raniel. T: Mano.

BANCO: Fábio, Eudes, Edilson, Dedé, Egídio, Brey, Lucas, Robinho, Neves, Arrascaeta, Barcos.

AUSENTES: Fred, Sassá, Romero, Murilo, Sobis (lesionados), Bruno (suspenso).

PENDURADOS: Ezequiel, Hermes, Arrascaeta, Sobis.

ARBITRAGEM: Dewson Fernando Freitas da Silva, Helcio Araujo Neves e Heronildo Freitas da Silva (PA).

FLAMENGO: Diego Alves — Rodinei, Leo Duarte, Réver, Trauco – Piris, Diego Ribas, Paquetá — Everton Ribeiro, Dourado, Vitinho. T: Maurício Barbieri.

BANCO: César G, Thiago G, Pará L, Michael L, Rhodolfo B, Thuller B, Rômulo, V, Arão V, Jean Lucas M, Geuvânio A. Lincoln A.

AUSENTES: Berrío, Uribe (lesionados), Renê, Cuellar (suspensos).

PENDURADOS: Rodinei, Duarte, Diego, Geuvânio, Marlos, Dourado.

TEMPO nublado, temperatura 25º, vento 8 Km/h, umidade 55%.

TRANSMISSÃO: Globo para RJ, RS, SC, MG, ES, GO, TO, MS, MT, BA, AL, PE, PB, RN, CE, PI, MA, PA, AM, RO, AC, RR, AP e DF (com Luiz Carlos Jr., Bob Faria, Roger Flores e Renato Marsiglia) e Premiere, Premiere Internacional (narração de Jader Rocha, comentários de Paulo Cesar Vasconcellos, reportagens de André Pessoa e Elton Novais).

FLAMENGO 1×0 CRUZEIRO, 12ago18dom16h. TEMPO nublado, temperatura 25º, vento 8 Km/h, umidade 55%. LOCAL: Maracanã (78 mil), Rio de Janeiro. MOTIVO: 18ª rodada, Brasileiro 2018. TRANSMISSÃO Globo, Premiere. PÚBLICO: 50.402 pag, 55.276 pres, R$1.530.900, média R$30. ARBITRAGEM: Dewson Freitas, Helcio Neves, Heronildo Freitas (PA).AMARELOS: Dourado, Paquetá, Alves, Cabral, Raniel, Arrascaeta. GOL: Dourado, 22. FLAMENGO: Diego Alves; Rodinei, Réver, Leo Duarte, Trauco; Piris, Paquetá, Diego (Arão, 74); Vitinho (Marlos, 81), Everton Ribeiro, Dourado (Pará, 83). T: Maurício Barbieri. CRUZEIRO: Rafael; Ezequiel, Manoel, Leo, Hermes; Henrique, Cabral, Rafinha (Robinho, 71), Mancuello (Neves, 55); David (Arrascaeta, 55); Raniel. T: Mano Menezes.

HISTÓRICO: 93 jogos. Cruzeiro venceu 35, empatou 26, perdeu 32, marcou 117 gols, sofreu 120. Pelo Brasileiro, desde 1959, foram 59 jogos. O Cruzeiro venceu 24, empatou 14, perdeu 21, marcou 67 gols, sofreu 70. Os clubes decidiram 2 títulos entre si, as copas do Brasil de 2003 e 2017. O Cruzeiro venceu ambas.

DESEMPENHO do Cruzeiro na história do Brasileiro: 57 participações em 62 campeonatos, 1.385 jogos, 601 vitórias, 370 empates, 414 derrotas, 2.021 gols marcados, 1.564 sofridos. Aproveitamento de 52,3%

18ª BR: Cruzeiro em 8º

sábado, 11 de agosto de 2018

CEARÁ 0x0 PARANAENSE 11ago18sab16h Presidente Vargas Fortaleza

BAHIA 1×0 AMÉRICA 11ago18sab19h Fontenova Salvador

MINEIRO 3×1 SANTOS 12ago18dom11h Independência Beagá

PARANÁ 1×1 BOTAFOGO 12ago18dom11h Capanema Curitiba

CHAPECOENSE 2×1 CORINTHIANS 12ago18dom16h Condá Chapecó

SPORT 1×3 SÃO PAULO 12ago18dom16h Retiro Recife

FLAMENGO 1×0 CRUZEIRO 12ago18dom16h Maracanã Rio

PALMEIRAS 1×0 VASCO 12ago18dom19h Allianz Sampa

GRÊMIO 4×0 VITÓRIA 12ago18dom19h Humaitá PoA

FLUMINENSE 0x3 INTERNACIONAL, 13ago18seg20h Maracanã Rio

Fivestars: “Mal assessorado, o juiz errou”

terça-feira, 7 de agosto de 2018

PITACOS acerca do VITÓRIA 1-1 CRUZEIRO, no Barradas, Salvador, neste 05ago18dom16h, pela 17ª rodada do Brasileiro 2018:

MANO MENEZES: Fizemos bom jogo, pelas circunstâncias de termos um time bastante mexido, por opção minha. Jogamos com personalidade, mas a arbitragem tornou a vitória impossível. O Cruzeiro não jogou nenhuma partida até agora em que merecesse derrota pela produção. Mesmo contra Corinthians e São Paulo, produzimos pra vencer, como aconteceu hoje. Temos um grupo de qualidade, podemos jogar em qualquer lugar, com qualquer formação. E assim a gente vai dando ritmo aos jogadores que não jogam tanto e que lá na última parte do jogo tendem a ter uma queda física. Estamos fazendo o certo. Tem que fazer isso. Só tem que, quando a gente merecer, deixar a gente vencer.

MANOEL: Fico muito feliz pelo gol e por poder ajudar a equipe. No gol anulado, tentei sair do zagueiro estava me marcando e quando saltei, foi em cima do outro zagueiro. O juiz acabou dando falta. Esses lances acontecem toda hora, e eles não dão falta. Mas agora deu. É difícil, mas ele é um ser humano e todo mundo erra.

DOUGLAS VELLOSO:  O jogo foi equilibrado. As equipes revezaram-se no domínio, mas se tivesse que haver vencedor, seria o Cruzeiro, que foi mais efetivo ofensivamente. A transição foi o ponto fraco, com as laterais plantadas e os pontas forçando demais as jogadas (por falta de opção de aproximação). Faltou repertório, mas não eterminação. Mancuello e Bruno repetiram atuações pouco contundentes. David parecia não saber em que faixa de campo atuava e foi corretamente subistituido –pena que Raniel entrou pouco inspirado. Manoel, Romero e Sobis manteram um bom padrão.

RENATO NASCIMENTO: Mano precisa aprender que poupar significa tirar os mais desgastados, assim como fizeram Gremio e Flamengo ontem. Mas já que era pra entrar com time todo reserva, pelo menos que escolhesse entre os que querem correr. Brey, por exemplo, quando entrou mostrou vontade, mas é o tiriça do Bruno que continua recebendo chances, Volta pro Botafogo, oferenda!

THIAGO FIVESTARS: Chances para os dois lados. O Vitória contou com a baliza, o Cruzeiro com Rafael. Juiz ia acertando, foi mal assessorado e errou no pênalti, A chinela cantou. E foi e só. Guardei o coração pra quarta.

CLEMENCEAU CHIABI: Cabral, o melhor. Sobis jogou bem, mas deu azar. Arrascaeta é o cara. Rafael fez ótimas defesas. Bruno e David jogaram muito mal, não estão merecendo nem banco. Manoel, Murilo e Mancuello, bem abaixo do que podem render. O resto ficou na média.

Manoel e Rafael, os melhores no jogo contra o Juiz

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

ATUAÇÕES dos protagonistas do VITÓRIA 1-1 CRUZEIRO, no Barradas, Salvador, neste 05ago18dom16h, pela 17ª rodada do Brasileiro 2018:

TORCIDA CELESTE compareceu em bom número e se fez ouvir algumas vezes. Boa participação.

RAFAEL fez duas defesas e não cometeu erros nos demais lances.

EZEQUIEL marcou bem e não atacou. Não brilhou, nem comprometeu.

MANOEL foi o nome do jogo. Esperto na defesa, eficiente no ataque, com dois gols (um deles mal anulado) fez a diferença e foi o maior responsável pelo ponto durante conquistado.

MURILO estava numa vibe negativa. Na etapa inicial atrasou mal uma bola, obrigando Rafael se virar para evitar gol de Bou. Na etapa final, cometeu falta fora da área, que o Juiz transformou em pênalti. Nas demais intervenções, se houve bem.

HERMES esteve melhor na defesa do que no apoio. Na média, boa partida.

ROMERO deu passes de lado, para trás, para a frente, diagonais, tudo o que se espera de um volante, mas exatamente o contrário do que imaginam seu fã clube. No ataque, fez uma única, mas ótima jogada. Na defesa, cometeu um erro grave de passe, que os colegas contornaram. De resto, o entusiasmo juvenil de sempre. Provou, pela enésima vez, que é um bom jogador, mas não é o Beckenbauer que alguns aloprados imaginam ser. Um reserva confiável.

CABRAL jogou como sempre, posicionando-se adequadamente na defesa e dando bons passes na saída de bola.

BRUNO perdeu um gol na pequena área, o que irritou seus desafetos. Deu pancada desnecessária e levou amarelo, o que irritou seus apoiadores. Mas lutou, sendo bastante útil na contenção.

MANCUELLO jogou um pouco na meu esquerda, um pouco na pontesquerda, sem brilho, sem comprometer, sem se fazer notar.

DAVID deu entrada para cartão vermelho logo no começo, foi perdoado pelo Juiz e baixou o ritmo depois. Jogou um pouco na pontesquerda, outro pouco na meia central, sempre sem criatividade. O jeito foi dar lugar a outro.

SOBIS fez excelente partida, mandando duas bolas na baliza, correndo e facilitando as jogadas para os companheiros. Saiu mais cedo, com dores no tornozelo.

RANIEL entrou na etapa final, mas não alterou o panorama do jogo. Estava sem inspiração.

RANIEL entrou na etapa final, mas não alterou o panorama do jogo. Estava sem inspiração.

RAFINHA correu bastante e só.

ARRASCAETA cobrou a falta do gol de empate e tentou algumas jogadas que não deram certo.

MANO escalou o time reserva e quase consegue uma vitória para justificar as escolhas da Libertadores e da Copa do Brasil como prioridades. Seu time manteve um duelo equilibrado com os donos da casa e só não venceu por conta de dois erros de arbitragem. Taticamente, nada mudou. Jogou no 4-2-3-1, apenas trocando David e Mancuello de posição no decorrer da partida. As substituições foram acertadas e deram bons resultados.

CRUZEIRO alternou momentos de domínio, com outros de sufoco. Foi prejudicado duas vezes pela arbitragem, com um pênalti ml marcado e um gol mal anulado. Foi beneficiado, com o perdão a David, que merecia ser expulso logo aos seis. Mandou duas e levou uma bola na baliza. O pior, porém, foi a dificuldade de criação.

VITÓRIA foi um time esforçado, que criou boas oportunidades, mas só fez um gol com ajuda da arbitragem. Neilton foi o melhor. Yago, Jefferson, Meli e Bou lutaram muito.

ÁRBITROS mexeram no placar, marcando pênalti em falta fora da área e anulando gol legítimo. Duas decisões que prejudicaram o Cruzeiro. Geladeira para eles!

MelhorDoJogo => MANOEL [[[19]]] Gabriel, Nanasyoski, João, Velloso, Penido, Schrier, Morato, Klauss, Olivieri, Rosan, Bitencourt, Gil, Zuloobas, Milani, Walery, França, Romarol, Pedro, Síndico —– RAFAEL [[[15]] Gabriel, Bastos, Amaral, Seixas, Hiram, Vasconcelos, Chiabi, Walterson, Dinho, Tate, Sá, Soares, Viana, Rezende, Fivestars —– SOBIS [[[4]]] Gabriel, Gonçalves, Jotapê, Barnabé —– ARRASCAETA [[[3]]] Gabriel, Jottar, Vanda —– CABRAL [[[3]]] Gabriel, Clemenceau, Velame —– ROMERO [[[2]]] Gabriel, Barreto —– NEÍLTON [[[2]]] Gabriel, Uol —– MANO [[[2]]] Gabriel, Bufão.

Vitória 1×1 Cruzeiro: Juiz subtraiu dois pontos

domingo, 5 de agosto de 2018

CRUZEIRO contra Vitória, neste 05ago18dom16h, no Manuel Barradas, Salvador, pela 17ª rodada do Brasileiro 2018.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 1º, com 15.288 pontos; Vitória é o 18º, com 7.590.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro é o 8º, com 24 pontos; Vitória, o 14º, com 18.

CRUZEIRO: Rafael — Ezequiel, Manoel, Murilo, Hermes — Romero, Cabral — Bruno, Mancuello, David — Sobis. T: Mano Menezes.

BANCO:  Eudes, Cacá, Leo, Egídio, Henrique, Brey, Rafinha, Arrascaeta, Raniel.

AUSENTES: Fred, Sassá (lesionados), Edílson (suspenso), Fábio, Dedé, Barcos (poupados).

PENDURADOS. Bruno, Ezequiel, Sobis.

ARBITRAGEM: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO), Rodrigo Figueiredo Henrique Corrêa (Fifa/RJ), Leone Carvalho Rocha (GO).

VITÓRIA: Ronaldo — Jefferson, Aderllan, Ruan Renato, Bryan — Marcelo Meli, Felipe Souto, Arouca — Yago, Walter Bou, Neilton. T: João Burse.

BANCO: Elias G, Cedric L, Lucas L, Kanu B, Bruno Bispo B, Lucas Fernandes M,  Wallyson A, André Lima A, Erick A.

AUSENTES: Ramon (suspenso); Luan, Nickson, Rhayner, Juninho, Walisson Maia, Guilherme Costa, Rodrigo Andrade (lesionados).

PENDURADOS: Arouca, Wallyson.

TEMPO parcialmente nublado, temperatura 28º, vento 23 Km/h, umidade 63%.

TRANSMISSÃO: Premiere, com narração de Rainan Peralva, comentários de Jorge Allan Vivas, reportagens de Adílson Muritiba.

VITÓRIA 1×1 CRUZEIRO, 05ago18dom16h. TEMPO parcialmente nublado, temperatura 30º, vento 23 Km/h, umidade 63%. LOCAL: Manuel Barradas (35 mil), Salvador. MOTIVO: 17ª rodada, Brasileiro 2018. TRANSMISSÃO: Premiere. PÚBLICO: 7.193 pagantes, R$86.183, média R$12. ARBITRAGEM: Eduardo Tomaz Valadão (GO), Rodrigo Correa (GO), Leone Rocha (G0). AMARELOS: Meli, Arouca, Erick, David, Hermes, Arrascaeta. GOLS: Neilton, 71 (p), Manoel, 75. VITÓRIA: Ronaldo; Jefferson, Aderllan, Ruan Renato, Bryan; Meli (Erick, 57), Souto, Arouca; Yago (Lucas Fernandes, 83),Walter Bou, Neilton (Wallyson, 80). T: João Burse. CRUZEIRO: Rafael; Ezequiel, Manoel, Murilo, Hermes; Romero, Cabral; Bruno (Rafinha, 68), Mancuello, David (Raniel, 54); Sobis (Arrascaeta, 72). T: Mano Menezes.

HISTÓRICO: 51 jogos. Cruzeiro venceu 30, empatou 10, perdeu 11, marcou 98gols e sofreu 56. Pelo Brasileiro, 37 partidas. Cruzeiro venceu 21, empatou 9 e perdeu 7, marcou 73 gols, sofreu 40. Pela Copa do Brasil, 6 jogos, com 4 vitórias do Cruzeiro e 2 do Vitória. Os dois jamais decidiram um título entre si.

DESEMPENHO do Cruzeiro na história do Brasileiro: 57 participações em 62 campeonatos, 1.384 jogos, 601 vitórias, 370 empates, 413 derrotas, 2.021 gols marcados, 1.563 sofridos. Aproveitamento de 52,3%.

17ª BR18: Cruzeiro em 8º

sábado, 4 de agosto de 2018

Botafogo 0x0 Santos 04ago18sab16h Engenhão (40 mil) Rio

Grêmio 2×0 Flamengo 04ago18sab19h Humaitá (55 mil) PoA

Corinthians 0x0 Paranaense 05ago18sab21h Itaquera (46 mil) Sampa

América 0x0 Palmeiras 05ago18dom16h Independência (23 mil) Beagá

Vitória 1×1 Cruzeiro 05ago18dom16h Barradas (35 mil) Salvador

Paraná 0x1 Ceará 05ago18dom16h Capanema (17 mil) Curitiba

São Paulo 2×1 Vasco 05ago18dom16h Morumbi (63 mil) Sampa

Fluminense 1×1 Bahia 05ago18dom19h Maracanã (78 mil) Rio

Sport 1×0 Chapecoense 05ago18dom19h Retiro (35 mil) Recife

Mineiro 0x1 Internacional 06ago18seg20h Independência (23 mil) Beagá

Lugares: 412.000 Público: Média: Ocupação:

Jota Dias: “Foi um manobol raiz”

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

PITACOS acerca do SANTOS 0-1 CRUZEIRO, na Vila Belmiro, Santos, 01ago18qua19h30, ida das quartas da Copa do Brasil 2018:

MANO MENEZES: A equipe entendeu que tinha de jogar com mais comprometimento, mais entrega pra levar a vantagem pros últimos 90 minutos. Há muito tempo a gente não sofria gol num jogo. Hoje, a equipe suportou a pressão, se posicionou-se melhor defensivamente. Escolhi o Romero em ao invés do Edílson pra cuidar um pouco mais do lado esquerdo deles. Queria mais força de marcação nesse lado. As coisas funcionaram bem e fomos premiados com gol de Raniel. É uma pequena, mas significativa vantagem pro segundo jogo. Fábio é um dos grandes goleiros que já dirigi. Sempre que a gente precisa, ele está lá pra fazer uma defesa como a de hoje. Robertinho faz o trabalho com todos os outros goleiros e eles empurram o Fábio pra não deixar cair. e quando o nível é alto, a gente pode esperar isso.

ROBINHO: Feliz por mais uma assistência. Deixamos o Santos propor o jogo um pouco mais, defendemos mais. Mas, quando a gente toca a bola, vocês viram como a gente cria? A gente precisa ter um pouco mais de confiança e fazer o que fizemos no final da partida, porque toda vez que  conseguimos tocar a bola, a gente consegue chegar. Estamos melhorando, mas temos muita coisa a melhorar ainda. Foi uma vitória importante. Vencer fora de casa na Copa do Brasil é essencial.

TREM AZUL: Estou feliz pela vitória , mas com um pé atrás porque o time não fez por merecê-la e também porque uma zero  é um placar perigoso. Lucas e Dedé jogaram muito!

EGROJ ANATNAS: Dedé não errou uma bola sequer. Fábio fez três defesaças. Henrique foi incansável, defendeu e atacou. Leo jogou quase tanto quanto Dedé. Raniel fez um belo gol. E arrascaeta foi o atacante mais perigoso.

SOUZA: Cruzeiro jogou nitidamente pelo empate e achou um gol. Se tivesse uma jogada de contra-ataque, ganharia com mais facilidade. Falta velocidade neste time. Romero fez sua pior partida e Neves manteve o nível de jogador em inicio de temporada. Totalmente fora de forma. Fábio, Dedé e Raniel foram os destaques positivos.

ZULOOBAS: Henrique não jogou bem, Raher? 😫😫😫😫 No 1º tempo, deu assistência perfeita pra Arrascaeta, deixando o Uruguaio na cara do gol. Tomou amarelo matando contra-ataque e jogou todo o 2º tempo amarelado, sem maiores percalços. Egídiofoi muito bem. Rodrygo e Bruno Henrique são muito rápidos. Nossos laterais estão de parabéns.

JOTA DIAS: Cruzeiro jogou o suficiente pra fazer o resultado. Não foi muito diferente dos jogos que perdeu. Futebol limitado. Mano gosta é desse futebol chato mesmo. Foi um manobol raiz.

MATEUS CHAVES: Poucas coisas irritam mais que o Thiago Neves em campo.

Dedé e Fábio, os melhores

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

ATUAÇÕES dos protagonistas do SANTOS 0-1 CRUZEIRO, na Vila Belmiro, Santos, 01ago18qua19h30, ida das quartas da Copa do Brasil 2018?

TORCIDA CELESTE comparece na noite fria e chuvosa para dar força a um time que não vinha bem nas duas partidas mais recentes. Apoiou bastante, e mesmo estando em número 50 vezes menos se fez ouvir.

FÁBIO joga futebol como se fosse uma partida de paciência: relaxadamente. Mas, atento, quando precisa intervir, é preciso. Fez um milagre de mais duas defesaças.

o atacante e o lateral Dodô, mas teve em Dedé um gigante a protegê-lo. Contou também com a ajuda de Lucas e Robinho. Com o passar do tempo, foi se firmando e fez uma reta final muito boa.

DEDÉ estragou a noite dos adversários, que devem ter sonhado com carretas desgovernadas no encalço de seus atacantes. Ou com baterias antiaéreas pulverizando suas bolas altas. Vale pena ver o teipe do jogo para conferir uma noite mitológica de um beque.

LEO, tranquilo, bem posicionado, sabendo a hora de cercar e a de dar bote, complicou muito a vida de Gabigol e não fez feio quando o serelepe Radrygo apareceu em sua área de atuação.

EGÍDIO atacou pouco, mas defendeu bem. E não teve moleza, com Rodrigo e Ferraz.

HENRIQUE em sua 100ª partida como capitão, mais uma vez, teve atuação notável no combate, na saída de bola e na armação. De quebra, deu dois presentes aos fãs dos cabeças de área de outros tempos: um carrinho e uma rasteira no adversário, jogadas que não se sabia constar de seu portfólio. Errou um passe no final, o que reduziu sua nota de dez para nove. Mas foi só para não deixar seus perseguidores irritados pela falta de assunto.

LUCAS dedicou-se mais ao time, cumprindo missão defensiva, ajudando a marcação pela direita, na frente, deu um chute a gol.

ROBINHO serviu Raniel para o gol da vitória. Foi seu melhor momento. Até então, cumpria jornada apagada.

NEVES movimentou-se pouco. Muito perto do centroavante, em se movimentar muito, foi presa fácil para a marcação santista.

ARRASCAETA fez um bom primeiro tempo, partindo para cima da defesa santista. Na etapa final, esteve apagado.

BARCOS incomodou pouco a defesa do Peixe. Saiu mais cedo e seu substituto fez a diferença.

RAFINHA entrou no fim e ajudou a marcar e fechar espaços. Era o que a ocasião pedia. mas teve um plus: foi ele quem começou a jogada do gol e que carregou a marcação, facilitando a assistência de Robinho.

RANIEL entrou na etapa final e fez o gol, numa jogada em que mostrou categoria, força e esperteza. Está pronto para ser titular.

SOBIS entrou para guerrear em defesa da vantagem e fez isto muito bem, inclusive, ao custo de um cartão amarelo.

MANO escalou o melhor que tinha às mãos para o tipo de jogo que teria pela frente (e aqui se justifica a troca do habilidoso Edílson pelo lutador Romero, tendo em vista a necessidade de não dar espaços para o Bruno Henrique), substituiu bem e conseguiu uma vantagem razoável para a segunda partida.

CRUZEIRO fez aquele jogo de segurança que seu técnico prepara para essas ocasiões. Teve pouca posse, atacou pouco e sem contundência, mas criou três boas oportunidades, uma das quais rendeu o gol. Meio de campo e defesa brilharam contra um ataque que tem três jogadores de primeira linha no futebol brasileiro: Bruno Henrique, Gabigol e Rodrygo.

SANTOS jogou melhor de cabo a rabo, mas bateu de frente contra defensores e volantes em noite impecável. E, para complicar ainda mais, quando superou o bloqueio, parou nas grandes defesas de Fábio. Fosse boxe, teria vivido o dissabor de ter sido derrubado por um nocaute, quando a vitória estava garantida por por pontos. Renato, aos 39 anos de idade, foi o maestro. Rodrygo, Bruno e Gabigol deram muito trabalho e Ferraz foi o carregador de piano. É um excelente time, que vai crescer muito com as recentes contratações do volante Sánchez e do armador Ruiz.

ÁRBITROS atuaram bem e contaram coma sorte de o Var não esculhambar com as decisões deles.

MelhorDoJogo => DEDÉ [[[30]]] Toledo, Chiabi, Evans, Barreto, Dias, Bitencourt, Souza, Romarol, Nascimento, Arreguy, Rosan, Setelagoas, Soares, Soalheiro, Beth, Barros, Antunes, Penido, Klauss, Fivestars, Anchieta, Walterson, Schrier, Clemenceau, Diogo, Bastos, Palmeira, França, Vanda, Chaves —– FÁBIO [[[14]]] Uol, Lance, Vilela, Marcoalex, Amaral, Velloso, Wagner, Carvalho, Souza, Avelar, Morato, Nanayoski, Espigão, Celeste —– RANIEL [[[3]]] Rezende, Freitas, King —– LUCAS [[[2]]] Soeiro, Ianni —– EGÍDIO [[[2]]] Rocha, Dudu —– HENRIQUE [[[1]]] Barnabé —– LEO [[[1]]] Síndico —– EGÍDIO [[[1]]] Zuloobas —– RODRYGO [[[1]]] Ge —– MANO [[[2]]] Talentim, Saddi.