Arquivo da Categoria ‘Brasileiro 2015’

Mano: “Tivemos paciência, posse e empurramos o Vitória”

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

MANO MENEZES: Tivemos paciência, posse e empurramos o Vitória pra trás. Foi rondando o gol. Tinha um pouco de dificuldades no acabamento, na última bola, porque não havia jogadores com característica de cabeceio. Mas o futebol é realmente surpreendente e fomos fazer um gol de cabeça, colocando um pouco mais de justiça no placar. Fico feliz pela entrega dos jogadores faltando duas rodadas pra terminar o campeonato. Vamos terminar a temporada nas primeiras posições, valorizando o que fizemos até aqui e juntando com o título da Copa do Brasil. Foi uma boa temporada. Mas importante foi ter uma ideia de futebol e trabalhar em cima dela durante a temporada. Achamos essa ideia e os jogadores que entram, mesmo mudando um pouco as características, como hoje, quando fomos forçados a tirar o Jonata e colocar o Elber, sabem a que aquela posição necessita em termos de movimentação. Hoje encontramos espaços pra trabalhar a bola entre as linhas, soubemos usa-los e a bola chegou com qualidade pra se definir. Isso fortalece o grupo, é importante pra todos os jogadores e me deixa contente.

HENRIQUE: Tivemos oportunidades, fomos bem e buscamos sempre a vitória, mas não tivemos a felicidade de sair com os três pontos.

DOUGLAS VELLOSO: Jogo dentro das expectativas. Mas algumas peças foram abaixo, como Murilo, Elber, Messidoro. E, como sempre, faltou definição nas jogadas ofensivas. Galhardo e Bryan foram bem acionados e não comprometeram, mas também não nada fizeram de excepcional. No 2º tempo, o Cruzeiro precisava ser mais efetivo, mais intenso, mais individual, o que pouco aconteceu.

GABRIEL OLIVEIRA: Depois desse jogo, quem acha que escanteio não serve como assistência, deveria repensar essa opinião. Os petelecos do Alisson e do Arrascaeta, em que a bola custou a chegar ao primeiro poste, são das piores coisas deste time do Cruzeiro.

ROSAN AMARAL: Bryan não foi o melhor, mas foi o nome do jogo. Depois da partida, disse que a bola bateu em sua mão. Mentira! Ele levou a mão na bola, tal qual um armador de basquete puxando contrataque. Henrique foi o melhor. Leo e Galhardo jogaram bem, Romero e Arrascaeta, medianos. Elber e Judivan deram um “up” no time.

ROMAROL: Gostei das jogadas de Alisson e Bryan na esquerda. Do passe do Romero pro Henrique no lance do possível gol. Da bequeira, com Leo e Murilo. O Vitória jogou muito recuado e restou ao Cruzeiro partir pra cima. Depois, Mancini botou seu time no 5-0-5 e o jogo ficou até gostoso de se ver, com lances importantes a cada minuto

MATHEUS CHAVES: O Cruzeiro jogou muito bem e merecia um resultado melhor.

KING ARTHUR: Depois daquele pênalti ridículo, desliguei a TV e fui tocar violão. Juro. Paciência zero.

Henrique foi o maestro

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

ATUAÇÕES dos protagonistas de VITÓRIA 1×1 CRUZEIRO, neste 19nov17dom17h, no Barradas, Salvador, pela 36ª rodada do Brasileiro 2017:

TORCIDA CELESTE compareceu. Algumas centenas foram ao Manuel Barradas, vestidos a caráter, e comemoraram o empate, com bom futebol.

FÁBIO defendeu o que era possível. O pênalti, com paradinha, não deu pra ele. 

GALHARDO não repetiu a boa atuação da estreia. Motivo simples: Pelo seu lado estava jogando David, o melhor do Vitória. Ainda assim, arriscou uma ou outra subida corajosa ao ataque. E fez alguns cruzamentos de perna esquerda também. Um muito bom e outro péssimo. Mas vem ganhando condição física e técnica. Promete ser mesmo um bom reforço.

LEO, mais que perfeito. Inteligente, não se limita a rebater. Fez a cobertura da lateral direita e, nas bolas aéreas ofensivas, criou problemas pra defesa baiana.

MURILO jogou com a tranquilidade de sempre. Nem os pequenos erros o fazem ficar apavorado.

BRYAN cometeu pênalti, com um toque de mão involuntário, mas no se deixou abater. Marcou apoiou com eficiência, chutou bola na baliza e deu assistência pro gol de empate. Não tem a classe do Barbosa, mas tem fome de bola.

HENRIQUE fez uma partida perfeita. É um volante que compreende bem o conceito da posição. Dá boa saída, faz a bola girar e escolhe bem as jogadas de ataque. De quebra, fez um gol, que nem ele viu. Muito menos, juiz e adicional.

ROMERO deu um passe de craque, pra uma finalização de Henrique. Mas também deu uma patada, por trás, num baiano, que poderia ter resultado num cartão vermelho. Era só o rubro-negro valorizar, que a maionese desandava. De resto, a mesma boa vontade de sempre.

RAFINHA jogou com a dedicação de sempre, mas não produziu lances decisivos no ataque. Na recomposição, foi perfeito.

ARRASCAETA participou intensamente do jogo, mas não conseguiu desequilibrar, como costuma fazer em lances pessoais. Nos escanteios, foi mal, com cobranças chochas.

ALISSON esforçou-se como se o jogo valesse título. No lance do gol, fez de tudo: tabelou e arrematou, com um peixinho espetacular.

JONATA cumpria sua missão de segurar os beques e conferir as poucas bolas que chegavam à área. Machucou-se num choque com Patric e saiu antes do fim da etapa inicial.

ELBER foi o novo falso nove encontrado por Mano Menezes. E não decepcionou. Partiu pra cima da defesa baiana, bem ao seu estilo, deu trabalho, só faltou um gol pra se garantir no elenco de 2018.

MESSIDORO, mais desinibido do que em suas primeiras partidas, arriscou jogadas individuais e deu bons passes.

JUDIVAN jogou sem medo, sem evitar os choques. Só não teve bolas pra arrematar.

MANO escalou o que tinha de melhor, fez os testes prometidos e deixou a rapaziada se divertir jogando sem muitas amarras. Pra não perder o costume, deu trabalho pros árbitros com suas reclamações de sempre. Na coletiva, contudo, limpou a barra do juiz no lance do gol de Henrique.

CRUZEIRO jogou com disposição, desmentindo a tese dos torcedores absenteístas de que o time não quer nada com a competição. Os volantes e os beques foram os destaques, com atuações impecáveis. Os testados não decepcionaram e continuam na batalha por um lugar no elenco da Libertadores.

VITÓRIA foi um time bem armado, mas inseguro, até meio apavorado. Saiu na frente e não soube esfriar o jogo, levando pressão até ceder o empate. David é um ótimo atacante e Tréllez, inteligente e perigoso. Faltou, contudo, criatividade aos meio-campistas, bons pra desarmar, fracos pra fazer a bola chegar aos atacantes.

ÁRBITROS sofreram com lances duvidosos. Na dúvida, beneficiaram os baianos no lance do go de Henrique e do pênalti sobre Elber.

  • MelhorDoJogo=> HENRIQUE [[[12]]] Polaco, Klauss, França, Rosan, Seixas, Bastos, Vanda, Velloso, Celeste, Bastos, Mari, Síndico —– ROMERO [[[4]]] Barros, Andreluiz, Patrícia, Dudu —– ALISSON [[[4]]] Carneiro, Romarol, Domênico, Morato —– Bryan [[[2]]] Marcoalex, Vilela —– GALHARDO [[[1]]] João —– LEO [[[1]]] Barnabé —– ARRASCAETA [[[1]]] Ivana —– ELBER [[[1]]] Schrier.

36ª BR: Cruzeiro em 5º

sábado, 18 de novembro de 2017

SÃO PAULO 0x0 BOTAFOGO Pacaembu – Sao Paulo

FLAMENGO 3×0 CORINTHIANS Luso Brasileiro – Rio

VITÓRIA 1×1 CRUZEIRO Barradas – Salvador

SPORT 1×0 BAHIA Retiro – Recife

GOIANIENSE 1×1 CHAPECOENSE Ludovico – Goiania

MINEIRO 3×0 CORITIBA Independência – Beagá

SANTOS 1×0 GRÊMIO Vila Belmiro – Santos

PARANAENSE 3×1 VASCO Baixada – Curitiba

FLUMINENSE 2×0 PONTE Maracanã – Rio

AVAÍ 2×1 PALMEIRAS Ressacada – Floripa

35ª BR: Cruzeiro em 5º; gambás campeões

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

PONTE PRETA 2×1 PARANAENSE, 15nov17qua17h, 35ª BR17, Lucarelli (19 mil), Campinas, 5.997 pag, R$52.090. Árbitros: Wilton Sampaio, Bruno Pires, Leone Rocha (GO). Amarelos: Elton, Guilherme, Pavez. Gols: Barcelos, 35, Barcelos, 46, Sidcley, 76. PONTE: Aranha, Nino, Yago, Rodrigo (Marllon, 45+3), Jeferson, Elton, Naldo, Leo Artur (Cajá, 80), Danilo Barcelos (Sheik, 80), Lucca, Gamalho. T: Baptista. CAP: Weverton, Zé Ivaldo, Paulandré, Thiago Heleno, Fabrício, Rossetto (Sidcley, 70), Pavez, González, Guilherme, Pablo (Coutinho, 68), Ribamar (Edersson, 56). T: FabianoSoares.

GRÊMIO 1×0 SÃO PAULO, 15nov17qua19h30, 35ª BR17, Humaitá (55 mil), PoA, 20.542 pag, R$720.733, Árbitros: Rodolpho Toski, Bruno Boschilia, Victor Imazu (PR). Amarelos: Fernandinho, Jucilei, Arboleda, Hernanes. Gol: Kannemann, 33. GRÊMIO: Grohe; Edílson, Geromel, Kannemann, Cortez; Jailson, Arthur, Ramiro (Michel, 82), Luan, Fernandinho (Everton, 69); Barrios (Jael, 70). T: Poratluppi. SPFC: Sidão; Araruna (Gilberto, 78), Arboleda, Rodrigo Caio, Edimar; Jucilei, Petros (JrTavares, 71), Hernanes; Maicosuel (Lucas Fernandes, 46), Marcos Guilherme, Pratto. T: DorivalJr.

CRUZEIRO 2×2 AVAÍ, 15nov17qua19h30, 35ª BR17, Mineirão (62 mil), Beagá, 7.173 pag, R$107.928. Árbitros: Leandro Vuaden, Eduardo Calza, Maurício Penna (RS). Amarelos: Digão, Leo, Neves, Judson, Douglas. Gols: Dutra, 21 (p), Neves, 58, Judivan, 78 (p), Dutra, 92. CRUZEIRO: Fábio; Galhardo (Bryan, 64), Leo, Digão, Barbosa (Judivan, 74); Henrique, Romero; Robinho, Neves, Rafinha; Jonata (Elber, 55). T: Mano. AVAÍ: Douglas; Maicon, Alemão, Betão, João Paulo; Judson, Simião; Pedro Castro (Luanzinho, 76), Marquinhos (Caio, 67); JrDutra, Rômulo (Maurinho, 72). T: Claudinei.

VASCO 1×1 MINEIRO, 15nov17qua21h45, 35ª BR17, São Januário (24 mil), Rio, 11.486 pag, R$351.480. Árbitros: Flavio Souza, Daniel Ziolli, Daniel Marques (SP). Amarelo: Evander. Gols: Rios, 25, Fred, 52. VASCO: Félix; Madson (Gilberto), Breno, Paulão, Henrique; Wellington, Evander (Caio), Pikachu (Wagner), Nenê; Paulinho, Ríos. T: ZéRicardo. FRANGA: Victor; Rocha, Leonardo, Bremer, Santos; Adilson (Yago), Elias, Otero (Blanco), Valdívia (Roger Bernardo); Ronho, Fred. T: Oswaldo.

CORINTHIANS 3×1 FLUMINENSE, 15nov17qua21h45, 35ª BR17, Itaquera (46 mil), Sampa, 45.775 pag, R$2.882.688. Árbitros: Braulio Machado, Kleber Gil, Neuza Back (SC). Amarelos: Gabriel, Dourado, Reginaldo, Leo, Pedro, Henrique. Gols: Henrique, 1, Jô, 46 e 48, Jadson, 84. SCCP: Caíque; Fagner, Pedro Henrique, Pablo, Arana; Gabriel, Camacho (Jadson, 46); Rodriguinho, Clayson (Maycon, 84), Romero; Jô (Danilo, 93). T: Carille. FLU: Cavalieri; Lucas, Reginaldo, Henrique, Leo Pelé; Marlon Freitas (Pedro, 78), Wendel, Scarpa, Sornoza (Alessandro, 64), MarcosJr (Peu, 72); Dourado. T: Abel.

CHAPECOENSE 2×1 VITÓRIA, 16nov17qui20h, 35ª BR17, Condá (22 mil), Chapecó, 6.963 pag, R$139.780. Árbitros: Anderson Daronco, Rafael Alves, Elio Nepomuceno (RS). Amarelos: Wp, Uillian, Sá, Wallace. Gols: David, 19, Caike, 24, Túlio, 77.  CHAPE: Jandrei; Apodi (Luiz Otávio), Douglas, Fabricio Bruno, Reinaldo; Amaral, Moisés Ribeiro; Luizantonio, Canteros (João Pedro), Caike; Wellington Paulista (Túlio Melo). T: Kleina. VITÓRIA: Fernando Miguel; Patric, Ramon, Wallace, Geferson; Uillian (René), José Welison (Alan Costa); Yago, Sá (André Lima), David; Tréllez. T: Mancini.

BOTAFOGO 1×2 GOIANIENSE, 16nov17qua20h, 35ª BR17, Engenhão (40 mil), Rio, 8.460 pag, R$132.260. Árbitros: Claudio Francisco (SE), Cleriston Clay, (SE) e Fábio Pereira (TO). Amarelos: Luiz, Ronaldo, Andrigo, Guilherme, Gols: Jorginho, 40, João Paulo, 42, Luizfernando, 59. BOTA: Gatito; Arnaldo, Carli, Rabello, Gilson; Lindoso, Bruno Silva (Pimpão, 67) João Paulo, Marcos Vinicius (Valencia, 61); Guilherme, Brenner (Tanque, 61) T: Ventura. ACG: Klever; Jonathan (Marcão Silva, 79) William Alves, Gilvan, Breno Lopes; André Castro, Igor (Ronaldo, 68) Andrigo (Bauermann, 88), Jorginho, Luiz Fernando; Diego Rosa. T: JPSanches.

PALMEIRAS 5×1 SPORT, 16nov17qua20h, 35ª BR17, Allianz (43 mil), Sampa, 18.744 pag, R$935.055. Árbitros: Rafael Traci, Ivan Bohn, Luciano Roggenbaum (PR). Amarelos: Anselmo, Diego. Gols: Deyverson, 11, Luan, 63, Deyverson, 78, Diego, 82, Dudu, 89, Keno, 91. SEP: Prass; Jean, Dracena (Antonio Carlos, 65), Luan, Michel Bastos; Felipe Melo (Thiago Santos, 83), TchêTchê, Moisés (Willian, 76); Keno, Dudu, Deyverson. T: Valentim. SPORT: Magrão; Prata, Henríquez, Durval, Sander; Patrick, Anselmo, Diego Souza; Marquinhos (Rogério, 65), Mena (Índio, 80), André. T: DanielPaulista.

BAHIA 3×1 SANTOS, 16nov17qua21h45, 35ª BR17, FonteNova (50 mil), Salvador, 23.185 pag, R$. Árbitros: Meira Ricci, Emerson Carvalho, Marcelo VanGasse (SP). Amarelos: RenêJr, Tiago, Eder, Mota, Lucas. Gols: Brunenrique, 16, Mendoza, 22, Alison 54 (c), Edigar, 78. BAHIA: Jean; Eduardo (Eder), Tiago, Martins, Capixaba; RenêJr, Juninho (Edson), Zé Rafael, Allione (Régis); Edigar Junio, Mendoza. T: Carpegiani. SANTOS: Vanderlei; Ferraz, Veríssimo, Braz (Luiz Felipe), Jean Mota; Alison, Renato (Yuri), Lucas Lima; Bruno Henrique, Gomes (Hernández), Ricardoliveira. T: Elano.

LUGARES: 361.000. PÚBLICO: 148.322. MÉDIA: 14.832. OCUPAÇÃO: 41%.

Mano: “Jogo especial, pela volta do Judivan”

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

PITACOS acerca do CRUZEIRO 2×2 AVAÍ, neste 15nov17qua19h30, no Mineirão, Belo Horizonte, pela 35ª rodada do Brasileiro 2017:

MANO MENEZES, técnico do Cruzeiro: Saímos atrás, viramos num lance que não foi pênalti. Mas, como erraram contra a gente lá no primeiro turno, quando o goleiro quase arrancou a cabeça do Elber, hoje erraram a favor. O futebol é assim. Em função disso, àquela altura, não se deixa mais empatar. Acho que o Cruzeiro deixou de jogar durante cinco, oito minutos. Entregou muita bola no meio. Era momento de jogo de segurança. Momento de desgaste, estamos em novembro. Muitos se desgastaram muito, como Thiago, Rafinha e Robinho. Quando é assim, tem que cuidar pra não perder uma bola no meio de campo, como a que originou o segundo gol do Avaí. O sentimento é triste em função disso. O futebol tem que ser bem jogado, como jogamos. Triangulamos muitas vezes, entramos pelos dois lados. Foi uma boa atuação. O que nos deixa tristes é que escapou o resultado. Foi um jogo especial pela volta do Judivan, com um gol. Só de jogar alguns minutos já seria uma vitória. E hoje se abriu a possibilidade que eu disse que se abriria num jogo dentro de nossa casa.

JUDIVAN: Foi bem rápido, no meu primeiro lance, roubei a bola do zagueiro e acabou saindo o pênalti. Glorifico a Deus por eu voltar ao futebol. Muito feliz com o gol. Infelizmente levamos o empate, mas eu tenho motivos pra comemorar. Passei por muito sofrimento e nada melhor do que comemorar com os médicos. Meu filho está na arquibancada, é um dia especial.

CLÁUDIO ARREGUY, jornalista: Pela primeira vez na temporada, Cruzeiro explora mais o lado direito, com o estreante Galhardo, do que o esquerdo, com o de saída Diogo Barbosa, mas esbarra sobretudo no goleiro Douglas.

THIAGO CINCO ESTRELAS, comentarista satisfeito: Gostei da forma como o time jogou, jogadas pelos dois lados, time buscando a linha de fundo. Galhardo bem na estréia, garoto Jonata um pouco afoito mas não foge do jogo. Judivan emocionante.

MATHEUS PENIDO, comentarista esperançoso: O Avaí conseguiu mais do que fez por merecer. Já o Cruzeiro atuou razoavelmente, com o lateral Galhardo jogando bem e dando esperança pelo lado direito, especialmente, na parte ofensiva.

ERNESTO ARAÚJO, comentarista pioneiro: O time celeste esteve mais solto no ataque, trocando melhores passes, envolvendo mais o adversário, acertando mais que errando. Neves se destacou pelo gol e pela insistência. Gostei dos cruzamentos do Galhardo, da atuação mais participativa do Robinho, da boa entrada final do Elber (as novas chuteiras laranjas devem ter ajudado), do sempre esforçado Rafinha. De negativo, a falta de força para segurar o placar até o final.

Galhardo, grata surpresa

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

ATUAÇÕES dos protagonistas do CRUZEIRO 2×2 AVAÍ, neste 15nov17qua19h30, no Mineirão, Belo Horizonte, pela 35ª rodada do Brasileiro 2017:

TORCIDA CELESTE abandonou, definitivamente, o time. Comparecimento péssimo até pra jogos do Mineiro. O apoio também foi protocolar. Pouco mais do que comemorar os gols. (Síndico)

FÁBIO, sem culpa nos gols, teve pouco trabalho, mas quando foi chamado a atuar o fez com correção. (Síndico)

GALHARDO fez boa partida enquanto teve forças. Apareceu bem como opção ofensiva e fez bons cruzamentos que não foram devidamente aproveitados pelos atacantes. Na defesa quase não foi testado pois o Avaí apostou tudo na defesa. (Matheus Penido) —– GALHARDO foi muito acionado na primeira etapa e suportou bem a intensidade do jogo. Criou boas chances em cruzamentos pelo setor e também agiu bem na defesa. Como previsto pela comissão técnica, deixou o campo aos 70 e foi aplaudido. (Globo Esporte)

LEO voltou bem, depois de um mês parado. Inteligente, percebeu logo que a prioridade era a cobertura da lateral-direita e nem esperou pelas bolas nas costas de Galhardo. Na primeira subida do lateral, já estava a postos pra evitar problemas. (Síndico)

DIGÃO cortou o que foi possível, jogando com muita seriedade. No ataque, não acertou boas cabeçadas. (Síndico)

BARBOSA jogou por vontade própria e o fez com seriedade e dedicação. Suas jogadas são cristalinas, sempre práticas e objetivas. na melhor delas, serviu Neves pro gol de empate. (Síndico) —– BARBOSA, vendido ao Palmeiras, fez um 1ª tempo apagado. No 2º, voltou a ser o lateral que atraiu a atenção de todos, dando a assistência pro gol de Neves e chegando bem ao ataque. (Globo Esporte)

ROMERO jogou com a disposição de sempre e dessa vez mostrou mais sabedoria na hora de selecionar as ações. Mesmo tendo caído de produção quando foi pra LD merece elogios. (Matheus Penido) —– ROMERO fez outra boa partida, com mais entrega do que clareza nos lances, é bem verdade, mas sempre com boas intenções. Esquentadinho, andou caçando briga, mas sem chegar às vias de fato. Está aprendendo. (Síndico)

HENRIQUE cometeu um pênalti, mas não se abalou. Continuou jogando bem, exercendo as funções de volante com maestria. De seus pés nasceram as melhores jogadas de ataque. (Síndico)

ROBINHO

JONATA passou em branco, sem conseguir nenhuma boa finalização e foi corretamente substituído. Tabelas e jogadas trabalhadas não são a praia do garoto. (Matheus Penido)

NEVES foi o mais lúcido e buscou o ataque o tempo todo. Fez o goleiro avaiano trabalhar várias vezes e depois foi premiado.com um gol. (Claudinei Vilela)

RAFINHA não se escondeu, tentou várias jogadas buscando o pivô. E ajudou muito na recomposição.  (Cinco Estrelas)

ELBER jogou pouco mais de meia hora, dando muito trabalho à defesa havaiana, com suas arrancadas pela direita. Os cruzamentos poderiam ter sido melhores, mas não foram de todo ruins, registre-se. (Síndico)

BRYAN

JUDIVAN voltou a atuar após dois anos e meio. Entrou e tentou o gol da vitória, que conseguiu na cobrança de pênalti. (Globo Esporte)

MANO fez a coisa certa: escalou bem, testou alguns atletas sem descaracterizar o time e soltou a moçada pra jogar um futebol mais leve. Merecia a vitória. (Síndico)

CRUZEIRO esteve mais solto no ataque, trocando melhores passes, envolvendo mais o adversário, acertando mais que errando. Neves se destacou pelo gol e pela insistência. Gostei dos cruzamentos do Galhardo, da atuação mais participativa do Robinho, da boa entrada final do Elber (as novas chuteiras laranjas devem ter ajudado), do sempre esforçado Rafinha. De negativo, a falta de força para segurar o placar até o final. (Ernesto Araujo)

AVAÍ aproveitou duas das três chances que teve, sempre jogando com raça e contando com seu ótimo goleiro. Garimpou um ponto suado, que estava além de suas possibilidades técnicas e táticas, mas que acabou sendo justo. Maikon, Betão, Douglas, Alemão e Dutra foram seus destaques. (Síndico)

ÁRBITROS erraram em dois lances importantes. Vuaden deixou de marcar um pênalti de Maicon em Rafinha e marcou outro, inexistente, de Douglas em Robinho. (Síndico)

  • GALHARDO [[[16]]] Chaves, Ccc, Bitencourt, Furletti, Fernandão, Anchieta, Chiabi, Domênico, Rocha,  Morato, Velloso, Marcoalex, Azul, Vilela, Ianni, Bastos —– JUDIVAN [[[9]]] Ge, Damião, Brasil, Venâncio, Reis, Vanda, França, Burian, Patrícia —– NEVES [[[4]]] Ernesto, Schrier, Gil, Síndico —–  ROMERO [[[3]]] Penido, Wallace, Dudu —– HENRIQUE [[[2]]] Romarol, Barnabé —– RAFINHA [[[1]]] Fivestars —– DIGÃO [[[1]]] Walterson.

Cruzeiro 2×2 Avaí: Empate custou R$1,6 Mi

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

CRUZEIRO contra Avaí, neste 15nov171qua19h30, no Mineirão (62 mil), Belo Horizonte,  pela 35ª rodada do Brasileiro 2017.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 6º, com 14.202 pontos; Avaí, o 24º, com 5.894.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro é o 5º, com 54 pontos; Avai, o 19º, com 35.

CRUZEIRO: Fábio — Galhardo, Leo, Digão, Barbosa — Henrique, Romero — Robinho, Neves, Rafinha — Jonata. T: Mano Menezes.

BANCO: França, Rafael, Bryan, Manoel, Arthur, Lucas, Nonoca, Messidoro, Elber, Judivan, Alisson.

AUSENTES: Ezequiel, Dedé, Hudson, Cabral, Sassá, Raniel, Sobis (lesionados), Murilo (suspenso), Arrascaeta (Seleção Uruguaia).

PENDURADOS: Barbosa, Ezequiel, Hudson, Lennon, Sobis, Raniel, Sassá e Neves.

ARBITRAGEM: Leandro Pedro Vuaden (CBF-RS) apita, auxiliado por José Eduardo Calza (CBF-RS) e Maurício Coelho Silva Penna (CBF-RS).

AVAÍ: Douglas — Maicon, Alemão, Betão, João Paulo — Judson, Simião — Pedro Castro, Marquinhos, Rômulo — JrDutra. T: Claudinei Oliveira.

BANCO: Kozlinski G, Leandro L, Aírton B, Gustavo B, Capa L, Luanzinho V, Caio Cesar M, Juan M, Maurinho A.

AUSENTES: Joel, Luan e Willians (lesionados).

PENDURADOS: Douglas, Capa, Alemão, Rômulo e Juan.

TEMPO parcialmente nublado, temperatura 28º, vento 12 Km/h, umidade 38%.

TRANSMISSÃO: Premiere, com Jayme Júnior e Henrique Fernandes.

CRUZEIRO 2×2 AVAÍ, 15nov17qua19h30. TEMPO parcialmente nublado, temperatura 26º, vento 10 Km/h, umidade 40%. LOCAL: Mineirão (62 mil), Belo Horizonte. MOTIVO: 35ª rodada, Brasileiro 2017. TRANSMISSÃO: Premiere. PÚBLICO: 7.173 pag, 9.259 pres, R$ 107.928, média R$15. ARBITRAGEM: Leandro Vuaden, Eduardo Calza, Maurício Penna (RS). AMARELOS: Digão, Leo, Neves, Judson, Douglas. GOLS: Dutra, 21 (p), Neves, 58, Judivan, 78 (p), Dutra, 92. CRUZEIRO: Fábio; Galhardo (Bryan, 64), Leo, Digão, Barbosa (Judivan, 74); Henrique, Romero; Robinho, Neves, Rafinha; Jonata (Elber, 55). T: Mano Menezes. AVAÍ: Douglas; Maicon, Alemão, Betão, João Paulo; Judson, Simião; Pedro Castro (Luanzinho, 76), Marquinhos (Caio César, 67); JrDutra, Rômulo (Maurinho, 72). T: Claudinei Oliveira.

HISTÓRICO: 10 jogos, 3 vitórias do Cruzeiro (1×0, Mineirão, 5×0, Parque do Sabiá, 2×1, Ressacada), 6 empates (2×2, Mineirão, 2×2, Ressacada, 0x0, Ressacada, 1×1, Mineirão, 1×1, Ressecada, 2×2, Mineirão) e 1 vitória do Avaí (1×0, Ressacada) . O Cruzeiro fez 16 gols e sofreu 10.

DESEMPENHO do Cruzeiro na história do Brasileiro: 57 participações em 61 campeonatos, 1.364 jogos, 594 vitórias, 364 empates, 406 derrotas, 2.004 gols marcados, 1.545 sofridos. Aproveitamento de 52%.

Mano: “O time voltou a jogar bem”

terça-feira, 14 de novembro de 2017

PITACOS acerca do CRUZEIRO 3×1 FLUMINENSE, neste 12nov17dom19h, no Mineirão, Belo Horizonte, pela 34ª rodada do Brasileiro 2017:

MANO MENEZES, técnico do Cruzeiro: Fizemos bom jogo, depois do mau jogo no meio de semana. Havia preocupação pelo estilo do adversário. Sofremos um pouco no 1ª tempo, nos contrataques, porque não atacamos da forma correta. No 2º tempo tivemos mais equilíbrio. Saímos cedo na frente no marcador pra virar o jogo e isso deu tranquilidade. Virar um jogo é difícil e a dedicação dos jogadores elogiável. Voltamos a jogar bem.

ABEL BRAGA, técnico do Fluminense: Scarpa joga em qualquer posição e está sempre disposto. Mas o Marcos Jr começou a mexer muito e o Ezequiel passou subir fazendo dois contra um, então  achei melhor colocar um jogador da posição pra não termos problema. Não reclamo de ausência de jogadores. Fizemos um jogo muito bom no 11 contra 11.

TOMÁS PEDERSOLI, comentarista reclamão: Minha reclamação ainda é e continuará sendo esse futebolzinho reativo do Cruzeiro, que so chegou a igualar a posse de bola, mesmo jogando em casa contra um time fraco, porque o Fluminense teve um jogador expulso.

ROSAN AMARAL, comentarista atento: Não sei o que o pessoal viu na televisão, mas em campo eu vi que o Neves foi quem teve o pior desempenho técnico e tático. O que ele erra de passes armando contrataques é uma grandeza!

TREM AZUL, comentarista de arquibancada: Pouca gente no estádio. Com certeza, a torcida celeste ficou em casa secando as frangas na frente da televisão…

SETELAGOAS, comentarista lacustre: Jonata teve boa participação. Movimentou-se bem e incomodou a biqueira do Flu, facilitando pros demais atacantes.

RENATO, comentarista chato: O time celeste só se anima quando se desorganiza. Quando está “equilibrado”, é uma lástima. Leva o Mano, Inter!

RAHER, comentarista ultra-exigente: O Cruzeiro venceu, mas não me agradou. Continua um time capenga e sem vontade. Venceu porque o Fluminense desistiu…

CHEGADO DO WEBMASTER: Aqueles caras no PHD tão falando sério? Tão delirando? Tão senis? Ou tão treinado pra serem o Olé10 do Cruzeiro?

CELESTE CAMPOS, comentarista cirúrgica: Parabéns, Cruzeiro!

Neves: duas assistências, um gol

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

ATUAÇÕES dos protagonistas do CRUZEIRO 3×1 FLUMINENSE, neste 12nov17dom19h, no Mineirão, Belo Horizonte, pela 34ª rodada do Brasileiro 2017:

TORCIDA CELESTE desapareceu e desanimou-se. Restou a batucada.

FÁBIO, perfeito.

EZEQUIEL, seguro na marcação, atuante no apoio.

MANOEL rebateu tudo. Ou quase.

MURILO deu uma mancada entregando a bola pro goleador adversário, mas se recuperou e continuou o jogo com tranquilidade. 

BARBOSA marcou bem e foi criativo no ataque. de quebra, marcou um gol de centroavante. 

ROMERO jogou bem. Marcou e ocupou espaços (está aprendendo com técnicos e colegas de time), mas se deixou trair pelo instinto, deu carrinho e levou amarelo. O mais importante, contudo, foi ter feito o gol de empate, o 2.000º do Cruzeiro na história dos campeonatos brasileiros, desde 1959.

LUCAS  tratou bem a bola, passando-a com qualidade, ocupou espaços e fez boas escolhas nas ações de apoio ao ataque. Foi o maestro do time.

ROBINHO, depois de um discreto 1º tempo, fez uma boa etapa final, com bons passes e uma assistência.

NEVES forçou jogadas e errou passes. Mas, quando acertou, serviu pra dois gols. De quebra, ainda fez o seu. É preciso compreender meias e atacantes que ousam. Os burocráticos quase nunca resolvem. e neves tem resolvido.

RAFINHA teve a trabalheira de sempre: atacar e defender. Coisa que ninguém no time dá conta de fazer como ele.

SOBIS esforçou-se, mas não fez o que tinha obrigação de fazer: assistências e gol. E teve chance clara de marcar, mas uma finalização chapada, convencional, não bastou pra vencer cavaleiro. A torcida não gostou nem um pouco.

JONATA fez o trabalho do nove-nove. Apertou a marcação na saída do Flu, deu passe, cabeceou no primeiro poste. E gradou muito o técnico que o elogiou na coletiva.

ALISSON esteve pouco tempo em campo e não fez nada digno de registro.

MESSIDORO jogou poucos minutos e só apareceu ao cometer uma falta.

MANO escalou bem, mas mexeu duas vezes muito tarde. Deu uma afrouxada nas exigências táticas e estratégicas e o time aproveitou pra se divertir e divertir a torcida.

CRUZEIRO tomou gol logo de cara e partiu pra tirar a diferença. Conseguiu e não tirou mais o pé do acelerador, fazendo um jogo agradável, com toques, alguns luxuosos, e gol. Foi uma exibição de boa qualidade.

FLUMINENSE foi um time até expulsão de marola, outro depois. O primeiro, rápido e objetivo, o segundo, acuado e sem imaginação. Cavalieri fez grandes defesas, Scarpa foi criativo, Pedro, oportunista. Lucas, ex-cruzeiro também esteve bem, com boas subidas ao ataque.

ÁRBITROS acertaram tudo, de prima ou de segunda, mas acertaram.

  • MelhorDoJogo => NEVES [[[20]]] Ge, Lancenet, Jotapê, Klauss, Diogo, Ccc, Soares, Domênico, Marcoalex, Espigão, Chaves, Geraldo, Pimentel, Gil, Bastos, Penido, Ernesto, França, Vanda, Dudu —– LUCAS [[[10]]] Barros, King, Bitencourt, Vilela, Walterson, Saddi, Fernandão, Arreguy, Celeste, Síndico —– ROMERO [[[5]]] Lincoln, Evans, Setelagoas, Marcus, Patrícia —– RAFINHA [[[1]]] Barnabé —– JONATA [[[1]]] Fivestars —– MANO [[[1]]] Polaco.

Cruzeiro 3×1 Fluminense: Futebol bom de se ver

domingo, 12 de novembro de 2017

CRUZEIRO contra Fluminense, neste 12nov17dom19h, no Mineirão (62 mil), Belo Horizonte, pela 34ª rodada Brasileiro 2017.

RANKING da CBF: Cruzeiro é o 6º, com 14.202 pontos; Fluminense é o 10º, com 11.668.

CLASSIFICAÇÃO: Cruzeiro é o 6º, com 51 pontos; Fluminense, o 13º, com 43.

CRUZEIRO: Fábio — Ezequiel, Manoel, Murilo, Barbosa — Romero, Lucas — Robinho, Neves, Rafinha — Sobis. T: Mano Menezes.

BANCO: Rafael, França, Galhardo, Bryan, Digão, Leo, Arthur, Nonoca, Messidoro, Jonata, Judivan, Alisson.

AUSENTES: Henrique (suspenso), Arrascaeta (Seleção Uruguaia), Dedé, Cabral, Hudson, Sassá, Raniel, Elber, Marques (lesionados).

PENDURADOS: Barbosa, Ezequiel, Hudson, Lennon, Murilo, Raniel e Sassá.

FLUMINENSE: Cavalieri — Lucas, Renato Chaves, Henrique, Marlon — Marlon Feitas, Douglas, Wendel — Scarpa — Pedro, MarcosJr. T: Abel Braga.

BANCO: Júlio César G, Diogo L, Reginaldo B, Leo Pelé L, Pierre V, Orejuela V, Matheus Alessandro M, Wellington Silva A, Peu A.

AUSENTES: Dourado e Sornoza (suspensos); Mateus Norton, Gum, Richard, Robinho, Renato, Luiz Fernando e Calazans (lesionados).

PENDURADOS: Marlon Freitas, Marcos Junior, Orejuela, Renato Chaves e Marlon.

ARBITRAGEM: André Luiz de Freitas (CBF-GO), Bruno Raphael Pires (Fifa-GO) e Leone Carvalho Rocha (CBF-GO).

TRANSMISSÃO de Cruzeiro x Fluminense: SporTV (menos MG) e Premiere, com narração de Luiz Carlos Jr e comentários de Bob Faria.

CRUZEIRO 3×1 FLUMINENSE, 12nov17dom19h. TEMPO parcialmente nublado, temperatura 26º, vento 12 Km/h, umidade 50%. LOCAL: Mineirão (62 mil), Belo Horizonte. MOTIVO: 34ª rodada, Brasileiro 2017. TRANSMISSÃO: SporTV e Premiere. PÚBLICO: 6.530 pagantes, 8.644 presentes, R$R$102.844, média R$16. ARBITRAGEM: Andre Castro, Bruno Pires, Leone Rocha (GO). AMARELOS: Murilo, Romero, Robinho, Alisson, Marlon, Chaves. VERMELHO: Marlon, 55. GOLS: Pedro, 7, Romero, 16, Barbosa, 56, Neves, 72. CRUZEIRO: Fábio, Ezequiel, Manoel, Murilo, Barbosa; Romero, Lucas; Robinho (Alisson), Neves, Rafinha (Messidoro); Sobis (Jonata). T: Mano Menezes. FLUMINENSE: Cavalieri, Lucas, Renato Chaves, Henrique, Marlon; Marlon Freiras, Douglas, Wendel (Matheus Alessandro), Scarpa (Leo); MarcosJr (Wellington Silva), Pedro. T: Abel Braga.

HISTÓRICO: 77 jogos. Cruzeiro venceu 25, empatou 19, perdeu 33, marcou 108 gols, levou 119. Pelos campeonatos brasileiros, desde 1959, foram 62 partidas. Cruzeiro venceu 23, empatou 17 e perdeu 22, marcou 87, sofreu 84 gols. Os dois clubes jamais decidiram uma competição entre si, mas chegaram próximos no Brasileiro 2010, no qual o Flu campeonouu com 2 pontos a mais que o Cruzeiro.

DESEMPENHO do Cruzeiro na história do Brasileiro: 57 participações em 61 campeonatos, 1.363 jogos, 594 vitórias, 363 empates, 406 derrotas, 2.002 gols marcados, 1.543 sofridos. Aproveitamento de 52%.