Arquivo da Categoria ‘Interlândia’

Guarani, o primeiro adversário da temporada

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

DIVINÓPOLIS, no Centro Oeste de Minas, distante 110 Km de Belo Horizonte, 725 m de altitude e 220.000 habitantes é a cidade do Guarani FC.

O clube alvirrubro foi fundado em 20set30 por um grupo de amigos liderados por José de Oliveira. Seu primeiro rival foi o Ferroviário, que continua disputando os torneios da liga amadora de Divinópolis. Quando se profissionalizou, o time ganhou a simpatia de toda a cidade. Em 1961, foi vice-campeão mineiro. Em 1964, campeão do Torneio Início vencendo o AtléticoMG na final. Em 1984, terminou a Série C do Brasileiro em 4º lugar. Em 2002, 2010 e 2028, o Tamanduá (sua mascote) foi campeão da 2ª divisão do Mineiro.

TIME: Leandro — Denis, Reniê, Paulão — Vitão, Alemão, Renato Xavier, Leomir, Paulo Morais – Charles, Douglas. T: Gian Rodrigues.

RS\ESERVAS: Ewerton Maradona, meia de 36 anos, e Pedrinho, atacante de 24 anos, goleador do time em 2018, são as armas secretas.

Pequenos, mas com personalidade

domingo, 26 de fevereiro de 2017

É comum, no futebol brasileiro, clubes pequenos ou novatos adotarem nomes e uniformes dos grandes.

Temos pencas de flamengos, vascos, palmeiras, santos, américas, internacionais, grêmios e até Peñarol, Colo Colo, Boca Júnior e River Plate.

O escudo do Betinense é semelhante ao do Barcelona e o do Atlético do Espírito Santo, com a sigla CAI, idêntico ao do xará mineiro.

Mas também há clubes com personalidade, que adotaram nomes, uniformes, hinos e cantos de torcida bem peculiares.

Eis alguns deles:

  • LINENSE, com sua camisa de listras horizontais vermelhas e brancas.
  • XV PIRACICABA, com sua camisa de listras horizontais pretas e brancas e torcida que entoa músicas e gritos únicos, valorizando o forte sotaque citadino.
  • BANGU, o primeiro vermelho e branco e também o primeiro a ter jogadores negros e brancos em seu time.
  • UBERABA, com seu incomparável hino operístico, que não lembra o de nenhum outro clube brasileiro..
  • BOA, com seu nome esquisto, que homenageia a si mesmo, pois remete ao ancestral Boa Vontade, de Ituiutaba.
  • DEMOCRATA, o de Sete Lagoas, que inaugurou um nome.
  • MADUREIRA, que adotou o nome do bairro e se veste com camisas amarelas, azuis e vermelhas.
  • PRINCESA DO SOLIMÕES, que está se lixando pra brincadeiras homofóbicas.
  • GOYTACAZ, que só tem compromisso com a indiarada de sua região.
  • TUPYNAMBÁS, o tradicional Baeta, de Juiz de Fora, que está ressurgindo das cinzas, com seu inegociável Y.
  • CORITIBA, que não acompanhou a mudança do CO pra CU do nome de sua cidade.
  • GALÍCIA, de Salvador, fiel a suas origens galegas.

Tem mais, muitos mais, mas vou deixar a pesquisa por conta dos leitores.

Como colocar Itabira no mapa do futebol

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Com a conquista da Copa Fifa de Clubes, o Barcelona chegou a 22 troféus internacionais conquistados.

São 5 Copas da Europa, 5 Supercopas da Europa, 4 Recopas da Europa, 3 Copas de Cidades-feiras, 3 Copas Fifa de Clubes e 2 Copas Latinas.

Em seguida, aparecem Milan , Real Madrid e o egípicio Al-Ahly, com 20 canecos internacionais.

Nas Américas, o Boca tem 18, Independiente, 16, São Paulo, 12, River, 9, Peñarol, 8, Cruzeiro, 7, Vélez e Nacional, 6.

Em números, o Barça é o maior, mas em qualidade, o Real, com 10 títulos de campeão europeu, tem mais hierarquia.

Para os mesarredondistas brasileiros, o sucesso do Barça se deve às suas canteras, aos técnicos com diploma Uefa, ao sistema de jogo e cousa e lousa.

Eu acho que é tudo por conta da grana. E dasafio: dêem ao VALERIODOCE o orçamento do Barça e, em uma década, Itabira será maior do que a Catalunha.

É assim que se deve fazer

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Entreouvido na sala de embarque do Aeroporto de Confins, na quinta, 19nov15, por volta de meio dia:

— Sim, sim, pode comprar…

(…)

— Vinte e um mil reais… Só água mineral.

(…)

— Pra Valadares… Mariana, não… O problema maior é em Valadares…

(…)

— Liga pro escritório da Vale, ela busca e entrega nos postos de arrecadação.

(…)

— Pra hoje, ou melhor, pra agora… A situação tá muito ruim lá, compra logo…

(…)

— Tá certo. Me ligue quando a água tiver chegado. Acompanhe tudo…

O cara desligou o celular e eu  perguntei:

— Que empresa é essa que tá mandando água pro povo de Valadares? Quero contar essa história no meu blog…

— Araújo Fontes Consultoria.

— Não conheço, mas já agradeço, em nome dos amigos e familiares que moram lá.

Os clubes mais curtidos do país

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

GloboEsporte e Facebook se uniram pra contar as curtidas nos sites oficiais dos clubes brasileiros, em cada uma das cidades do Brasil.

Vejam em quantas cidades cada clube venceu:

  1. Flamengo 2.639
  2. Corinthians 1.489
  3. Grêmio 644
  4. Cruzeiro 561
  5. Bahia 81
  6. Sport 53
  7. Atlético-PR 27
  8. Internacional 16
  9. Outros 55

O mapa publicado pelo GloboEsporte permite a verificação do resultado em cada cidade.

Procurem Wally, ou melhor a cidade em que a Cocota lídera. É diversão pra dias e dias.

Cruzeiro, campeão da Taça Juiz de Fora 1985

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Em 1985, o Cruzeiro conquistou o VI Taça Juiz de Fora.

Jogos

  1. Tupi 2×2 Americano (pênaltis, Tupi 4×3), quinta-feira, 30mai85, Estádio Teixeira, do Sport Club Juiz de Fora, semifinal da VI Taça Juiz de Fora.
  2. (mais…)

Boa Esporte, bicampeão da Taça Minas Gerais

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Terminou, neste domingo, a 27ª edição da Taça Minas Gerais.

Depois de vencer o Villa Nova por 2×0, em Nova Lima, o Boa Esporte empatou, em Varginha, por 2×2, e sagrou-se bicampeão do torneio, garantindo uma vaga na Copa do Brasil 2013.

Decisão

  • Boa 2×2 Villa Nova, domingo, 09dez12, 17h, tempo bom, gramado bom, Estádio Dilzon Mello, Varginha, jogo de volta da final da Taça Minas Gerais 2012. Público: 5.000 (est.). Juiz: Renato Cardoso Conceição (MG). Bandeiras: Guilherme Dias Camilo (MG) e Frederico Soares Vilarinho (MG). Gols: Radamés, 42, Marcelão, 54, Robertinho, 65 (F), Marcelo Macedo, 75. Boa: Wilson Júnior; Neílson, Neylor, Toninho e Radar; Everton, Siloé (Fernando Karanga), Radamés (Petros) e Marcelinho Paraíba; Marcelo Macedo (Robert) e Olivio. Tec: Sidney Moraes / Villa Nova: Negueti; Rodrigo, Heitor, Thales e Pedro (Pacheco); Marcelão, Renan, João Paulo (Luis Felipe) e Willian; Robertinho e Rafael Gomes. Tec: Rubão.

Histórico

  • A Taça Minas Gerais é o segundo torneio de futebol mais importante do estado. As edições de 73, 75, 76, 77, 80, 81 foram competições à parte do campeonato estadual. As edições de 79 e de 82 até 87 foram o 1º turno do estadual. Desativada por mais de uma década, ela voltou em 99. Neste ano e no seguinte, foi a 1ª fase do campeonato, disputada pelos times do interior, com o objetivo de indicar um participante para a Copa do Brasil. A partir de 2004, voltou a ser competição independente, disputada pelos clubes dos módulos I e II do estadual, dando direito também a uma vaga na CB.

Campeões

  • 5 títulos => Cruzeiro (73, 82, 83, 84, 85), Atlético (75, 76, 79, 86, 87)
  • 3 títulos => Uberaba (80, 09, 10)
  • 2 títulos => Ipatinga (04, 11) Villa (77, 06) URT (99, 00), Boa (07, 12)
  • 1 título => América (05), DemocrataGV (81), Uberlândia (03), Tupi (08), Caldense (05), Araxá (03)

Dragão do Corcovado sob nova direção

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Flávio Salomão

Numa dessas recepções de final de ano, sentei-me à mesa com Nodjie Walter, presidente do América-TO. Conversamos, demoradamente, sobre as expectativas pra 2012, e, claro, sobre a participação do Mecão no Mineiro.

(mais…)

Os clubes mineiros no cenário brasileiro

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Veja a posição dos clubes mineiros no ranking da CBF (lembrem-se de que este não é ranking do futebol mineiro, pois não leva em conta competições estaduais):

  1. 7º   Cruzeiro                   2.114 pontos
  2. (mais…)

Um Constellation pousou na Mantiqueira

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Franklin Bronzo

Vila do Carmo x Olimpic sempre foi o maior clássico de Barbacena. Era jogado nos estádios São Sebastião, do Vila, e Santa Tereza, do Olimpic.

Os coadjuvantes – de respeito! – eram o América e o Andaraí.

Importante é que havia futebol de boa qualidade na Mantiqueira. Futebol que, vez ou outra, desafiava os grandes times de centros maiores.

(mais…)