Barros: “Ribeiro mina a força do adversário”

Por Jorge Angrisano Santana | Em 9 de outubro de 2010

Pitacos de blogueiros e protagonistas sobre o Goiás 0×1 Cruzeiro, no Serra Dourada, Goiânia, pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2010, em 07out10:

  1. Naldo Morato, no PHD: O Cruzeiro jogou o suficiente pra vencer um Goiás que tem um dos piores times que já defenderam a camisa esmeraldina. E ainda contou com a infelicidade do Joníilson que fez o trabalho que o Robert e o Thiago Ribeiro teimavam em não fazer. Com um pouco mais qualidade no ataque teríamos feito pelo menos três gol. É impressionante como Thiago Ribeiro finaliza mal, apesar de ser habilidoso, ter velocidade e criar oportunidades. Robert, o pior da partida, não serve nem pra compor banco. O cara é extremamente grosso, sem noção. Nao sei como veio parar no Cruzeiro. Tá ocupando a vaga que poderia ser do Sebá ou do Eliandro. Valeram muito os três pontos. Estamos com sorte de campeões.
  2. Renato_SP, no PHD: Valeu muito pelo placar. Não achei que jogamos mal. Achei o ataque muito displicente. Muito descompromissado. Thiago Ribeiro, que sempre é muito voluntarioso e intestavelmente contribui para o time, pisou na bola ao tentar enfeitar um lance na cara do goleiro.
  3. Binho, no PHD: A sorte anda nos sorrindo. Jogamos com os 3 piores jogadores do elenco e apesar disso, vencemos. Pablo foi terrífico, as jogadas mais perigosas do Goiás foram pelo seu lado. Robert é dose. Nem no banco devia estar. Não vi nada que ele tivesse feito que Sebá não pudesse fazer. Já disse que só Chiabi e Cuca conseguem enxergar algum futuro nele. Fabinho jogou pouco, mas teve tempo de fazer algumas besteiras, como faltas desnecessárias perto da área. Agora corneto de vez. Cuca, não só mexe mal, mas relaciona mal o time. Já conheço os comentaristas. Um dirá que agora é moda criticar até o banco. Outro que nem vitória satisfaz determinados torcedores. Um terceiro vaticinará que “ainda vou ver”. Normal.
  4. Tyboo, no PHD: Foi uma vitória que me deixou bastante irritado e temeroso! Nosso ataque não consegue acertar o gol, é muito lento e falta mais tesão e vontade de marcar! Thiago Ribeiro parece estar em outro planeta, muito displicente… Já o Robert esteve abaixo da crítica. Falta ao Cruzeiro mais vibração, rapidez… O time está disputando um título, mas não é o que parece. Foram inúmeros os passes errados, os lances perdidos infantilmente no meio campo, joagadores com a perna mole errando fundamentos. Saudade do WP (quem diria). Vamos vibrar mais Cruzeirooooo! Valeram os 3 pts!
  5. Amácio Gattuno, no PHD: Gramado pesado, fervura de 30gº, umidade amazônica, adversário tinhoso. Soma-se a tudo isso a falta de pontaria dos únicos atacantes restantes do time. Vencer o Goiás, no Serra Dourada, com todos esses problemas e ainda com um gol contra, é dramático. Parabéns aos jogadores que, mesmo vacilando, conseguiram uma vitória importante e heróica.
  6. Rogério, no PHD: Vocês não preferem falar na boa partida de Fabrício, Henrique, Montillo que acabou resolvendo o jogo, Paraná, que voltou de contusão parecendo que nem tinha saído do time, Fábio, que estava firme como sempre ou até do Pablo, que melhorou um pouco em relação ao jogo contra o Atlético? Vamos falar da defesa, que mesmo sem repetir a dupla de zaga não leva gols há 3 jogos e é a melhor do campeonato.
  7. Bruno Barros, no PHD: Com o trio PaFaHen não tem pra ninguém! Com o perdão da rima tosca, o que vale é a imaginação! Leo fez uma partidaça, é impressionante como mesmo não sendo tão alto consegue ganhar várias bolas cruzadas na área, principalmente naquelas de faltas lancadas no bololô. Em outras partidas também foi assim, é uma qualidade importante demais. Ribeiro jogou com muita raça, errou, mas incomodou, e essa inquietação também mina a força do adversário. Tem que ficar é mais ligado na conclusão, mas sua entrega ontem foi de emocionar. Pra mim o gol foi do Montillo, que driblou até o Edcarlos no lance. Jogada de categoria do argentino que definiu a partida. Agora com a volta do Gilberto vamos ver o que está se passando na cuca do Cuca. Se no meio, como volante, se no meio, como armador, ou na lateral, não importa, pra mim é Gilberto, Montillo, Henrique, Fabrício, Paraná, eles são um, Fábio, Caçapa, Ribeiro, Jonathan e mais 2. Farias e Léo têm minha preferência, mas justiça seja feita o Edcarlos vem jogando partidas boas, geralmente com sustos é verdade, e o WP pode brigar por uma vaga na centroavância. Tem ainda o Gil, que estava muito bem, o Diego Renan, que tem todas as condições de ser titular, como o é no momento, e algumas outras boas opções, Everton, Rômulo, Roger, Wallyson. Como diria Raul “Dá, dá-lhe que dá!”
  8. Chaves, no PHD: Já que a maioria gosta de reclamar, xingar, tropeirar, vou remar contra a maré e destacar os pontos positivos. Perdemos chances fáceis no ataque, mas dominamos o jogo inteiro e criamos boas jogadas graças ao nosso meio de campo ideal que ontem esteve em campo novamente. O trio Paraná-Henrique-Fabrício + Montillo. Com esses 4 em campo, o Cruzeiro joga bola. Seja na marcação, na saída de bola e no apoio ao ataque. E, quando o Goiás tentou alguma coisa, a zaga estava firme. Estamos vivos na briga por esse título, amigos pessimistas. Chegamos!
  9. Jorginho, treinador do Goiás: A equipe esteve mal, não conseguiu se organizar e se desestabilizou com o gol do Cruzeiro. Agora é ter tranquilidade para acertar o que está errado. Nosa nossa equipe não conseguiu ser guerreira como é em todos os jogos. Precisamos fazê-los entender a capacidade que têm, e que têm condições de melhorar. A situação a cada jogo que passa, dificulta cada vez mais, mas ainda temos condições, ainda temos chances. É momento de reconhecermos nossos erros e com certeza ter uma atitude de melhora, pra sair dessa situação complicada. Se os dirigentes não estiverem satisfeitos com o que estiver sendo realizado eles têm toda a liberdade. A função de treinador é assim, a gente depende de resultado, não adianta iludir em relação a isso, nossa cabeça está sempre a prêmio e não vai ser diferente comigo. Agora, não vou jogar a toalha nunca. Estou muito tranquilo do trabalho feito, conseguimos fazer 12 pontos no 2º turno e ainda temos dez jogos para  realizar. Estamos defasados porque o 1º turno não foi bom, por isso estamos sob uma constante pressão. Mas tem momentos que a coisa não flui e eu assumo a responsabilidade. Sabemos que precisamos melhorar. Eu ainda acredito que temos condições pra sair desta situação, não jogarei a toalha nunca.
  10. Rafael Moura, centroavante do Goiás: Não conseguimos, mas temos que ter tranquilidade. Restam ainda alguns jogos para a gente conseguir, não tem nada perdido. Temos que levantar a cabeça e buscar alguma coisa nesse final.
  11. Harlei, goleiro do Goiás: A cada rodada fica mais complicado, a gente vai pagando pelo excesso de erros que cometemos durante de toda a temporada. Tem que tirar forças de Deus, continuar orando e buscar o impossível, enquanto houver chances matemáticas nós vamos tentar.
  12. André Kfouri, em seu blog: Senhoras e senhores, temos um novo vice-líder. (…) Ganhar com um gol contra não era exatamente o plano do Cruzeiro, que teve inúmeras chances para marcar com os próprios pés. O time de Cuca foi o que melhor lidou com este período do campeonato, em que se jogou demais em semanas seguidas. Entra nas últimas 10 rodadas em melhor momento.
  13. Fernando Sampaio, em seu blog: Na quarta-feira, o Fluminense jogou como mandante, mas não fez a lição de casa. Dançou. O Corinthians jogou fora e teve chances de matar o jogo no primeiro tempo. Não matou, morreu. O Inter perdeu do Ceará, em Fortaleza. O Colorado está oscilando muito. Bom, mas a obrigação maior de vencer era do Flu. O líder jogou em casa. Foi goleado, tropeçou e agora terá de recuperar os pontos na sequência de jogos mais difícil entre os favoritos. Ontem, o Cruzeiro venceu o Goiás fora de casa, quebrou um jejum de quatro anos e assumiu a vice-liderança. O time mineiro foi sem dúvida o grande vencedor da rodada. Domingo, poderá assumir a liderança. Vai receber o Flu, em Uberlândia. É o jogo mais importante da rodada. A partida define a liderança. Em Goiânia, Montillo mais uma vez foi decisivo. Como joga esse argentino. Venho falando isso desde o início da temporada. Lembrava dele no San Lorenzo, campeão da Sul-Americana. Este ano, carregou a limitada “LaU” até a semifinal. Foi sem dúvida o maior destaque individual da competição ao lado de D’Alessandro e outros colorados. Aliás, os melhores meias jogando aqui são gringos: Montillo, Conca, D’Alessandro e Deco, se contarmos o jogador como português. Tem o Valdívia, mas nos últimos anos jogou num nível bem abaixo dos citados. Está melhorando. Depois de um primeiro tempo amarrado, o Cruzeiro abriu o placar no início do segundo tempo. Aos 10″, Montillo fez a jogada pela direita, cruzou e Jonílson marcou contra. O Cruzeiro teve chances de ampliar depois do gol, não conseguiu e acabou levando pressão no final. Não foi um jogo bonito, mas isso não importa. Neste momento, o importante é vencer. Foi uma bela vitória. Isso é o que importa nesta reta final. (…)
  14. Marcelo Bechler, no blog do Lédio Carmona: Time que quer ser campeão precisa vencer o vice-lanterna. Foi pensando assim que o Cruzeiro entrou em campo contra o Goiás, no Serra Dourada. Mas o time de Cuca não pressionou e nem acelerou o jogo –únicas alternativas para vencer uma marcação de seis homens no meio, sendo quatro volantes, e mais três zagueiros. A esperança vinha dos pés de Montillo e Thiago Ribeiro. Desacostumado com o ritmo do futebol brasileiro, o argentino se mostrou exausto mais uma vez. O camisa 10 estreou contra o São Paulo e disputou 13 jogos em 52 dias. Mesmo extenuado, finalizou com perigo, deu passes e fez o cruzamento para o gol contra de Jonilson. Thiago Ribeiro foi mal. Perdeu dois gols cara-a-cara com Harlei. Acertou a trave no primeiro tempo e chutou na lua na etapa final. O Goiás tinha Rafael Moura perdido na frente e um batalhão que vinha de trás sem saber o que fazer. Finalizou quatro vezes no primeiro tempo e uma no segundo. O Goiás, que já foi candidato à série B em outros campeonatos, aparece como favorito ao rebaixamento a 10 rodadas do fim. A vitória levou o Cruzeiro à vice-liderança do Brasileirão. O time mineiro pode ser 1º colocado depois de 2 anos (foi líder na 4ª rodada em 2008). (…)
  15. Leandro Mattos, em seu blog: (…) Cuca soube levar a equipe ao triunfo no Serra Dourada e dar aos seus comandados a chance de começar a próxima semana na liderança do Brasileirão, em caso de triunfo sobre o Fluminense no estádio Parque do Sabiá, neste domingo. O meio-campo  soberano com Fabrício, Henrique, Marquinhos Paraná e Montillo foi o destaque da partida. Seguro na marcação e criativo na saída de bola, o setor é mesmo um diferencial entre os times do Brasil. Thiago Ribeiro voltou a desperdiçar chances importantes, como tem sido regra em compromissos recentes. O atacante precisa calibrar o pé, para voltar a ser decisivo para a equipe.
  16. Vitor Birner, em seu blog: (…) O time de Cuca sofreu para derrotar o Goiás no Serra Dourada, apesar da iniciativa de buscar o gol, criou pouco. Os esmeraldinos também não levaram grande perigo. Antes do intervalo, Thiago Ribeiro acertou o travessão do gol de Harlei. Jonilson deu um peixinho contra o próprio gol no décimo minuto da etapa complementar e garantiu a vitória do adversário. O erro do volante fez a diferença. O Goiás foi ao ataque e o Cruzeiro encontrou espaços para criar boas oportunidades. Teve chance de definir o jogo na frente, mas garantiu os 3 pontos graças ao bom trabalho do sistema defensivo. O Cruzeiro foi quem tomou menos gols na competição.
  17. Cuca, treinador do Cruzeiro: Temos bom elenco, mas esse calendário está judiando muito. Hoje você pode reclamar que não foi grande a qualidade técnica, mas está todo mundo no fio da navalha. É difícil. Aqui está uns 30 graus, um calorão, um campo pesado. Pesa, é jogo em cima de jogo. Quando a gente conseguiu imprimir velocidade, criamos as oportunidades. No 1º tempo, não foram muitas, no segundo melhorou, mas o Cruzeiro tem que matar o jogo. O 2º gol pode fazer falta no final. Nós tivemos inúmeras chances de definir o jogo e no final acabamos passando um sufoco. De qualquer forma, o importante foi o resultado, foi somamos três pontos fora de casa. Estamos a um ponto do líder, aproveitamos bem a rodada.
  18. Fábio, goleiro do Cruzeiro: Mesmo diante de tanta dificuldade, conseguimos a vitória. Tivemos outras chances e temos que rever essas chances perdidas, porque podem fazer falta. Em jogos decisivos, faz falta. Tomamos sufoco até o final e a gente já poderia ter definido a situação.
  19. Rômulo, lateral-direito do Cruzeiro: Saimos de Beagá com o objetivo de fazer 6 pontos nesses dois jogos. O Cuca até brincou que era Operação Centro-Oeste. O 1º objetivo foi conquistado e agora vamos em busca de vencer também o Fluminense.
  20. Leo Simões, beque do Cruzeiro: O time engrenou de vez, está todo mundo motivado, focado. Todo mundo dá seu máximo, faz sua parte e vem dando conta do recado. Agora é um jogo de seis pontos contra o Fluminense, jogo decisivo, pra arrancar para o título perto da torcida, que vai lotar o Parque do Sabiá. Infelizmente acabei saindo com o cartão amarelo, mas é do jogo, aconteceu. Importante são os 3 pontos. Todo mundo suou, se dedicou bastante, tivemos oportunidades de fazer o 2º e o 3º, mas valeu pelo espírito de luta e pela dedicação.
  21. Edcarlos, beque do Cruzeiro: Importantíssima essa vitória. A gente, que almeja o titulo, tinha que vencer. Agora é descansar pra fazer nosso dever de casa contra o Fluminense. Não podemos mais errar, não podemos mais pensar em empate. A gente chegou até aqui e faltam dez jogos. Temos condições e vamos em busca da liderança. Vamos continuar com a mesma humildade, mesma tranqüilidade. Descansar, ter organização e não ir muito afoito, com empolgação da torcida. Metade da Operação Centro-Oeste está feita e agora é tentar fechar isso com chave de ouro no próximo domingo.
  22. Henrique, volante do Cruzeiro: Ele se assustou com minha presença, me viu chegando e pôs a bola pra dentro. Que sufoco! A gente sofreu, batalhou em busca dessa vitória. Foi um gol meio chorado. Mais importante são a vitória e os três pontos. Não pedi o gol para o juiz, fui honesto. Comemorei muito porque o gol foi muito importante pra nós.
  23. Robert, atacante do Cruzeiro: Tivemos oportunidades, mas o campo é irregular, mesmo sendo um bom gramado. Tenho de ser cobrado e aceito isso, o importante é que o grupo quer vencer e as críticas servem para a gente melhorar.
  24. Evandro Oliveira, no PHD: Notas: Fábio (7), Rômulo (7), Leo Simões (6), Edcarlos (6), Pablo(5), Henrique (7), Fabrício (7), Fabinho (5), Marquinhos Paraná (7), Montillo (6), Thiago Ribeiro(7), Jonathan (4), Robert(2), Francisco Everton (4), Cuca (5). Entre os que receberam a nota mais alta, elejo dois como os melhores em campo: Rômulo e Ribeiro.
  25. Mariana, no PHD: Minha mãe que não sabe nada de futebol, me perguntou ontem: “Por que esse Robert joga no Cruzeiro? Ele é muito ruim!” Como a diretoria contratou esse bonde? Ninguém observou ele antes não? Esse empresário dele é bom demais.

Pesquisa: Romarol

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.