Bruno Rodrigo, o melhor da defesa e do ataque

Por Jorge Angrisano Santana | Em 16 de maio de 2014

Atuações dos celestes e seus adversários no CRUZEIRO 1×1 SAN LORENZO, no Mineirão, Belo Horizonte, jogo de volta das quartas de final da Libertadores 2014, às 22h de 14mai14.

TORCIDA foi esetacular. (Ernesto Araujo) /// Compareceu em bom número e alternou bons e maios momentos, no compasso do que ocorria em campo. Muita festa até o gol do San Lorenzo, susto em seguida, depressão com as dificuldades que o time encontrava, vibração nos minutos finais do primeiro tempo. No segundo, cresceu com a imposição do time em campo e apoiou até o fim. Terminou aplaudindo os jogadores e cantando o hino do clube. (Síndico)

FABIO fez um milagre e foi pereiro em todas as intervenções. (Síndico)

CEARÁ não conseguiu impedir o gol do habilidoso Piatti. De resto, fez o arroz com feijão de seus últimos jogos, mesmo esforçando-se bastante (Ernesto Araujo)

DEDÉ tem estilo de jogo perigoso. É raçudo, vibrante, comprometido, goleador até e forte na bola alta mas… (Ernesto Araujo) /// Absurdo quererem crucificar o Dedé. Poderia estar melhor posicionado no primeiro gol, mas foi um lance sem grande falha, mérito do adversário. Afora isso, só o vi falhando numa das bolas atravessadas do Egídio. Jogador voluntarioso, beque de ponta entre os que jogam no futebol brasileiro. Temos uma defesa de alto nível. Vão cuidar de criticar o meiocampo e ataque, ali sim está o caos do time. (Hércules) /// Errou ao tentar cortar a bola do gol dos argentinos, Mas outros também erraram, menos Piatti. De resto, a mesma vibração e empenho de sempre. (Síndico)

BRUNO RODRIGO, discreto, sóbrio, eficiente, também goleador. O oposto de Dedé. É um pouco lento, devido ao porte físico, mas dá menos sustos na torcida. Fez o gol que parecia impossível de sair. (Ernesto Araujo) /// O melhor da partida. Na defesa, fez coberturas perfeitas e não deu mole pros argentinos, sempre limpando a área com objetividade. No ataque, fez o gol. Os comentaristas do PHD o escolheram MVP do jogo. (Síndico)

SAMUDIO não esteve bem e mais uma vez foi alvo preferencial das investidas do San Lorenzo. Saiu lesionado. (Ernesto Araujo)

HENRIQUE fez uma partida razoável, principalmente na marcação, que era sua principal função. (Ernesto Araujo) /// Fez uma partida heróica, defendendo e atacando com dedicação extrema. Com a saída de Nílton segurou sozinho o rojão da contenção na meiuca. (Síndico)

NILTON merecia jogar pelo que havia mostrando nas últimas partidas do Brasileiro, mas foi mal e acabou saindo no intervalo. (Ernesto Araujo)

EVERTON RIBEIRO, menos inspirado que nos últimos jogos, ou seja, praticamente nulo. Sobrou só a luta, o que é pouco pra quem precisa ajudar a resolver uma partida. (Ernesto Araujo) /// O único a se movimentar até a entrada de Dagoberto, dificultando um pouco a marcação. Mesmo sem o brilho de outras ocasiões, buscou o jogo incessantemente. (Síndico)

JÚLIO BAPTISTA, absolutamente sem inspiração, nada fez de positivo. (Ernesto Araujo) /// Não se movimenta, o que é complicado pra quem tem seu porte físico. Com isto, a linha de meias atacantes fica previsível e fácil de marcar para os times que adotam as duas linhas de quatro. Foi o pior do time e o único a ser vaiado. (Síndico)

WILLIAN parece que seu futebol acabou. Ano passado, fazia gols até sem querer. E batia escanteios venenosos. Atualmente, só corre, como aconteceu neste jogo. (Ernesto Araujo)

MARCELO MORENO não decepcionou. Lutou muito e merecia ter feito um gol. Mas os postes não permitiram. (Ernesto Araujo) /// Com pouca habilidade e muita vontade, foi quem mais incomodou a defesa azulgrana. O gol, sua obrigação, ficou na incrível bola que rolou sobre a risca e optou por voltar a campo, em vez de ir pra rede. Segundo melhor em campo, sendo os comentaristas do PHD. (Síndico)

MARCELO OLIVEIRA escalou um time ao gosto dos cornetas que vinham perseguindo Ricardo Goulart e a situação piorou em relação ao primeiro jogo, pois Júlio Baptista não se movimentou facilitando a marcação adversária. Consertou o fiem com Dagoberto e Goulart, mas aí o relógio jogava contra. Perdeu o duelo tático contra Edgardo Bauza, mas é bom lembrar que sua margem de manobra era inferior ao do argentino, de vez que torcedor brasileiro não entende e não aceita táticas muito diferentes do vamoquevamo. (Síndico)

CRUZEIRO, inseguro na defesa, inexistente no ataque. (Ernesto Araujo) /// Pela segunda vez, não conseguiu se desvencilhar da aplicada e taticamente organizada marcação do time de Edgardo banza. No segundo tempo, arriscou tudo, foi pro abafa, empatou, mas não teve inspiração pra fazer mais dois gols. Mereceu ser desclassificado pela intolerância nos três primeiros tempos dos dois jogos. (Síndico)

SAN LORENZO foi organizado, com jogadores habilidosos e que poderia, tantas foram as chances, até vencer a partida. (Ernesto Araujo)

ARBITRAGEM não marcou pelo menos um pênalti a favor do Cruzeiro. Expulsou Romagnolli corretamente. (Ernesto Araujo) /// Faltou marcar um pênalti sobre Júlio Baptista e acrescentar mais uns 4 minutos no finda ardida. Erros normais de jogo. (Síndico)

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.