Arreguy: “voto no Henrique”

Por Jorge Angrisano Santana | Em 17 de março de 2020

PITACOS acerca do CRUZEIRO 0-1 COIMBRA, 15mar20dom16h, Independência, Belo Horizonte, 9ª rodada do Mineiro 2020:

ADÍLSON BATISTA: Fui demitido pelo Carlos Ferreira, gestor do futebol. Estarei na torcida e deixo claro que estou chateado pelos resultados recentes, que também temos culpa. Mas a gente precisa entender o processo. Tive a coragem de pedir pra que determinados jogadores saíssem, enfrentei. Ajudei nesse processo, com o clube numa bagunça, uma desordem. Atletas tomaram conta do clube, derrubaram o Mano, meu amigo, Abel, Rogério Ceni, tomaram conta do clube. Então, você chega e tem que limpar. Dei treino, durante alguns dias, com jogadores que eu não teria, até resolver esta situação, porque não tínhamos comando. Rezo pra que o clube tenha logo um presidente. Tá precisando urgentemente. Hoje tem 8 gestores e todos querem tomar conta do futebol. Aí você tem 60 dias de trabalho, treina com 15 que não é para treinar. Chega 11 do juniores sem as devidas condições e que tem que participar. Aí era para estar aqui o Jean, chegou ontem, o Ariel era para já estar, Ramon treinou comigo e não estava (no início). Torcedor não gosta de A, B ou C. Demora para chegar outros. Hoje conto que pedi um meia, um extremo, um outro extremo. Um lateral. Mais um outro lateral. Para quem vai chegar, isso vai aparecer. Vai encorpar, vai melhorar. Estarei na torcida. Mas faz parte do futebol. Fico triste, mas peguei todas essas dificuldades que vocês viram no início da montagem. 80% do time foi remontado, com juniores.

FÁBIO: A gente vem formando uma equipe e este é o momento de acontecerem as coisas erradas e a gente ainda ter a possibilidade de corrigir. No Brasileiro, se a gente não começar com tudo, com a equipe focada nas dificuldades e no que vai encontrar na Série B, vamos encontrar mais dificuldades. Isso é nítido, como estamos encontrando, mas muito mais em uma competição nacional onde as equipes têm muito mais qualidade.

DOUGLAS VELLOSO: Time sem ritmo, não consegue tomar decisões. Passes errados de forma infantil. Laterais limitadíssimos, sem qualquer participação no jogo. Jean e Cabral jogaram no limite e foram bem. Agora o ataque foi lamentável, Everton não acertou uma jogada sequer, atrapalhou todos os lances ofensivos que precisavam de velocidade. Maurício perdido, sem saber qual espaço no campo deve ocupar. Thiago isolado, preso, sem alternativas. Os zagueiros começaram ansiosos, mas se acertaram. É muito, muito pouco. Hoje foi o reflexo do treinador: time ansioso, de pouca convicção.

EDUARDO ARREGUY: Não pude assistir ao jogo, então voto no Henrique, que, seguindo os parâmetros do PHD, deve ter tido uma atuação soberba no banco do Fluminense.

MÁRCIO CASTELÕES: O melhorzinho foi Evérton Felipe pelas tentativas de dar uma animação ao time que tá todo ruim, mal treinado, mal dirigido, mal administrado. Com certeza, alguém dirá que estamos em fase de reconstrução, mas já tá na hora de levantarmos os alicerces. Não gostei do trabalho do Adílson, ele não conseguiu dar padrão de jogo para uma molecada preguiçosa e sem garra. Precisamos urgentemente de um camisa 10 “cascudo”, um lateral esquerdo (Genílson era melhor que todos que estão lá no Cruzeiro), um volante que saiba distribuir a jogada a partir da defesa e um camisa 8 mais agressivo no ataque.

ROSAN AMARAL: A dupla de beques deu tranquilidade ao time. Ramon é um jogador que o técnico pediu lá na primeira quinzena de janeiro, lembram?

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.