Aplicações de longo prazo

Por SÍNDICO | Em 18 de setembro de 2010

Dr. Amácio Gattuno fez um comentário pertinente nestas Páginas Heróicas Digitais, que vale a pena ser discutido.

Em 2008, Henrique e Thiago Ribeiro eram justificadamente criticados. Dois anos depois, estão sendo aplaudidos. Fato incomum, pois vários jogadores de potencial são descartados injustamente quando a troca de comando técnico é feita com frequência.

A permanência do extreinador durante tanto tempo certamente permitiu o amadurecimento dos atletas.  Começamos, após tanto tempo, a identificar as reais vantagens em apostar num trabalho a longo prazo.

Em tempo: o Síndico concorda com o comentarista.

53 comentários para “Aplicações de longo prazo”

  1. Naldo disse:

    A torcida precisa se acostumar com o trabalho a longo prazo. Poucos times conseguem ser campeões todo ano e na maioria dos casos se dá com os endinheirados. Os demais precisam de trabalho com competência e persistência.

    • Naldo disse:

      Se o rival, por exemplo, quiser algo mais do que brigar para não cair, terá que continuar apoianho o trabalho do Luxa que não desaprendeu.

    • Naldo disse:

      O trabalho a longo prazo pode colher frutos e desfazer mitos. Alguns jogadores precisam de uma sequência de trabalho para adaptação e render o que podem, muitas vezes com grande potencial. Outros jogadores com o tempo mostram que são apenas foguetes molhados. Funcionam bem no curto prazo, mas depois simplesmente seu futebol desaparece. Poucos são os que chegam e ja mandam bem logo de cara e se mantem bem jogando bem.

  2. Gleyton disse:

    Bom comentário. Mas existe também o outro lado da moeda: o treinador apostar insistentemente em um jogador que nunca explode e acaba prejudicando o time.

  3. E o M.Paraná seria o próximo se não se tive-se machucado, uma pena, pessoal já até estava comentando que ele melhorou o futebol dele pois o Cuca “ensinou ele a jogar”…kkkk nem rebati.. podem jogar a culpa toda ao AB “pelo pessimo futebol do MP nos anos anteriores” deixando ele títular e não pegando no pé dele seria ótimo.
    Uma pena ele se machucou

    • O fato é que depois que o MP entrou naquele jogo do Corinthians o time melhorou muito o futebol essa é minha preocupação para o jogo de amanhã.
      Espero que Everton jogue bem, vamios precisar muito dele neste próximo mês, mais estou vendo que ele esta sem condição física nenhuma, o segundo tempo ele PREGA vamos aguardar

  4. Eduardo Arreguy Campos disse:

    “O Cruzeiro, com Cuca, é menos brilhante, porém mais seguro e regular que na época de Adilson Batista. Isso ocorre porque, hoje, os dois laterais marcam mais do que atacam. Além disso, há sempre um volante à frente dos dois zagueiros ou um terceiro zagueiro, o que não acontecia.”

    • Naldo disse:

      O elenco celeste tá mais forte atualmente. As opções do Cuca são melhores. Até o DR tem reserva hoje.

    • Amácio Gattuno disse:

      O time está, realmente, mais equilibrado. Mas, como este brilhante post elucida, foram dois anos encorpando o grupo. Os jogadores que chegaram, juntamente com os que sobreviveram, compõe um bom elenco. Melhor inclusive que o do ano passado.

    • Jorge Santana disse:

      E pensar que os teleguiados tiveram orgasmos múltiplos com os três atacantes, que imaginavam ser a preferência do Cuca, hem?

    • Chaves disse:

      E pensar que o Lelio Gustavo e o Junior Brasil chamavam o Adilson de retranqueiro. E muita gente mais…

    • Sobrinho disse:

      As análises do Tusta são sempre precisas. O Cruzeiro do Adilson jogava muito mais exposto, atacava com 8, a linha de zagueiros avançada fazendo linha de impedimento, por isso que o Adilson preferia escalar zagueiros rápidos. Xina e eu comentamos isso na quarta e rimos do fato do time do Cuca ser classificado por microfonistas e teleguiados como ofensivo e o Adilson ser considerado retranqueiro.

  5. Hugo 5erel0 disse:

    Concordo e discordo. Henrique de 2008 mereceu críticas. Em alguns jogos de 2009 e de 2010, também. Mas nunca vi Tiago Ribeiro merecer as duras críticas que recebeu em seu começo. Evoluiu muito e vive uma boa fase. Mas sempre o considerei bom jogador no Cruzeiro.

    • Walterson disse:

      O começo do TR não foi nada satisfatório; ao contrário, ele demorou a engrenar. Já o Henrique, começou muito mal e foi uma aposta do Adilson que deu certo. Mas o cidadão demorou uma eternidade pra se adaptar. Hoje é essencial ao time.

      • Sobrinho disse:

        Apesar do começo irregular, Walterson foi um dos que mais defenderam o Henrique e enxergou potencial nele.

  6. Amácio Gattuno disse:

    Quanta honra para um pobre marquês… O Cruzeiro tem um grande time, mas não é brilhante. Está taticamente mais equilibrado e apresenta algumas variações de jogadas. Mas sua maior virtude é o entrosamento. Pode até ser superado por um adversário inspirado, mas, por enquanto, se apresenta como um dos principais clubes na disputa do título.

    • Walterson disse:

      “Quanta honra para um pobre marquês”. Em matéria de citação tá em boa companhia. O mesmo foi dito pelo FHC pra desancar Noço Guia.

  7. silverio candido disse:

    O ambiente na TOCA está bom. Jogadores ficando “veteranos” no clube. Aprendem a gostar mais do clube, a reconhecer a cobrança de uma torcida (exigente) acostumada a títulos. É sempre bom investir a longo prazo, desde que se tenha uma luz no túnel. No caso do THELENO nem luz nem lanterna e nem vela. Foi tarde demais. É uma pena!

  8. Hugo 5erel0 disse:

    Amigos, meus colegas atleticanos estão me zoando demais… Estão repetindo aquele discurso: “Você vai ver no fim do ano, cruzeirense! Cair, nós não vamos! E campeão, o Cruzeiro também não vai ser, não!”. No último clássico eu disse que seria 3×0, e eles me zoaram muito porque foi só 1×0: “Cadê os 3×0 que você falou? Foi só 1×0!”. Não aguento mais sofrer tanta zoação…

  9. Diogo Lara disse:

    Acho que sim, é preciso ter paciência com alguns jogadores porém um futebol exige resultados no curto prazo…Parafraseando Keynes, no longo prazo todos estaremos na segunda divisão..Então, acho que é importante analisar caso a caso e enxergar os que tem potencial dos que não tem…Isso é dificil…..Podemos dar exemplos que jogadores que demoraram mas mostraram ter competência…Destaco o Jonhanthan, por exemplo..Puxa vida, foram alguns anos passando raiva e desde o ano passado realmente ele vem mostrando bom futebol…Como exemplo do contrário, lembro do Camilo, quantas chances teve…Teve um tal de Bruno tbm que o ex-treinador dava muitas chances…

    • Sobrinho disse:

      Jonathan realmente evoluiu muito, mas continua sendo um dos jogadores do Cruzeiro que são mais cobrados, qualquer partida ruim ele volta ser questionado, nos dois bons jogos que o Romulo fez a titularidade dele foi questionada por alguns. Não é atoa que ele doido para sair do Cruzeiro. Bruno não jogou nem 10 partidas, acho que nem 3 como titular e foi logo dispensado.

  10. Diogo Lara disse:

    No caso do Tiago e do Henrique, eles sem dúvida alguma evoluíram muito, mas todavia acho que os dois nunca se enquadraram na categoria de perseguidos pela torcida. Mesmo porque, até no início, nunca foram tão ruins….

    Estou indo pro Engenhão….E se Deus quiser, pra ver o Cruzeirão líder…

    • Sobrinho disse:

      Henrique foi perseguido implacavelmente, ridicularizado, falavam que ele não servia nem para jogar em time de várzea.

  11. Celeste disse:

    A bola da vez agora é o Fabinho. Muitos o culparam pelo sufoco que o Cruzeiro passou diante do Bugre. Acredito que ele é um bom jogador para compor o elenco. Tivemos também jogadores que não precisaram de um jogo para se adaptar. O Montillo é o exemplo. E, num passado recente, o Guilherme. São diferenciados.

    • Matheus Reis disse:

      Eu sou um dos que critica o Fabinho, Celeste. Muito pela postura que ele – feito bobo – tomou, quando entrou na onda do Arthur Moraes para forçar uma vaga no time. O Henrique quando ficava no banco, não chiava com ninguém. Trabalhava pra buscar seu espaço…

      O bocó do Fabinho foi na onda da rádia – assim como já haviam ido o Apodi, o Jadilson, o Domingues e que hoje estão onde estão. O considero um jogador útil, mas bastante limitado. Deve continuar no elenco, mas ciente das suas limitações, deve trabalhar calado pra render melhor.

      • Celeste disse:

        Matheus eu também não gostei da atitude dele quando deixou se levar pelo pessoal da imprensa. Mas também não acho que ele foi o responsável único pelo sufoco do jogo anterior. O elenco do Cruzeiro agora está bem recheado e espero que todos esperem calmamente pela sua vez de jogar. No time principal tem lugar para todo mundo haja visto o número de contusões e cartões.

      • Walterson disse:

        Eu achei que ele entrou no jogo com uma certa preguiça.

  12. Ismail disse:

    Discordo em parte. Não acho que Henrique e Tiago Ribeiro mereceram a perseguição que sofreram. Não foram críticas. O Cruzeiro não tem orçamento de 100 milhões/ano para se dar ao luxo de exigir qualidade técnica como tem o Barça. A bola que esses dois jogadores jogaram em 2008 foi muito razoável em face do investimento feito. Henrique sempre foi um Donizete Olveira, embora hoje seja um profissional muito melhor, como já sinalizara o Parreira. Tiago sempre foi um atacante que, a despeito de erros às vezes bizonhos, nunca se escondeu do jogo. É questão de expectativa: para mim, o copo sempre esteve meio cheio. O problema era a histeria fora do campo, principalmente depois daquele fatídico jogo contra o Ituiutaba.

    • Walterson disse:

      Desculpe discordar mas o Henrique no começo era bisonho demais. Tanto que a única defesa dele aqui é que era reserva.

      • Ismail disse:

        Será que repentinamente o Henrique ficou bom ou a engrenagem do trabalho nos permitiu enxergar melhor, ficar menos intolerantes. Hoje, por exemplo, o Montillo errou uns 3 ou 4 passes bobos. Ninguém, com razão, vai escrever uma linha sobre isso. Fico pensando: será que não dávamos ênfase demais aos erros no início?

  13. Ernesto Araujo disse:

    A Cornetagem é uma droga ! Pro corneta não tem jogador ou treinador que preste. Tolerância zero é pouco pra esse pessoal. Diz a lenda que uma das coisas que estavam desagradando os jogadores do Cruzeiro na Arena do Jacaré, além do gramado, era proximidade da torcida. Não duvido… Afinal, a torcida brasileira (não só a do Cruzeiro) deve ser a única no mundo que vai a campo pra xingar os jogadores DO PRÓPRIO TIME. Assim fica difícil que treinadores/jogadores consigam render no longo prazo. Em pouco tempo, se resultados expressivos não aparecem (e em alguns casos mesmo com eles), o desgaste é enorme e a contiuidade é interrompida. Assim fica difícl adaptar jogadores, principalmente juniores – estes tão solicitados em tempos de crise…

  14. Elias disse:

    Tenso!!!!

  15. Renato-SP disse:

    Força Cruzeirããooo!!!!!

  16. Walterson disse:

    Cadê o post do jogo?

  17. walfrido disse:

    Pronto. Ufa. Correria. De Dusseldorf até Essen na correria pra chegar a tempo. Mas gato já tá miando em alto e bom som. Força Cruzeeeeirooo