1, 2, 3, 4, 5!

Por SÍNDICO | Em 28 de novembro de 2009

Olha o Morrinhão se superando!

Apenas 5 pessoas foram ver Duque de Caxias 4×1 Ponte Preta pela 38ª rodada da Série B, em Volta Redonda.

Chose de loque. Nem a 5ª Divisão do Amapá consegue superar uma façanha dessas.

Fontes fidedignas garantem que os 5 heróis foram Teixeirão, Juca, rdish, Sobrinho e Evandrão.

Por estas e outras, confio no Barão de Itararé FC. Quando ele chegar ao Morrinhão, finalmente, teremos público decente.

No mínimo, os 2 mil leitores do PHD vão prestigiar o  time.

Confiram os piores públicos do Morrinhão B versão 2009:

  1. 005 – Duque 4×1 Ponte, 27nov, 38ª
  2. 022 – Duque 0x0 Brasiliense, 03out, 28ª
  3. 022 – Duque 3×1 Ipatinga, 09out, 29ª
  4. 025 – Duque 4×3 Fortaleza, 15set, 24ª
  5. 120 – Campinense 3×1 ABC, 21nov, 37ª
  6. 125 – Duque 2×3 Figueira, 15ago, 18ª
  7. 125 – Duque 5×1 Atlético, 30out, 33ª
  8. 150 – Ponte 2×0 Brasiliense, 3nov, 34ª
  9. 170 – Lusa 2×0 Braga, 29set, 27ª
  10. 172 – Duque 1×2 Vila, 30mai, 4ª

34 comentários para “1, 2, 3, 4, 5!”

  1. Cruzeiro.Org disse:

    AVISOS ADMINISTRATIVOS:
    1) JS, responde os mails das suas caixas postais do UAI e GMAIL e esvazia sua caixa no UAI.
    2) Em função da elevada ocorrência de Off-Topics com os comentaristas colocando links imensos e que atrapalham enormemente a formatação de muitos leitores do blog, foi implementada a funcionalidade de REDUTOR DE URL. Agora podem colocar os links que desejarem que eles serão reduzidos mas passarão por uma página intermediária que faz este serviço em troca de publicidade.

  2. Rogério disse:

    Sabia, já ida dormir e esperei só para ler o post dos 5 pagantes.

  3. Olivieri disse:

    Não tem o que falar do “Morrinhao” Serie A, já que este esta eletrizante, aí passa-se a bater em um campeonato já todo decidido e acabado, em que os jogos faltantes são apenas para cumprir tabela. Sinceramente, acessei o PHD tão cedo esperando algo mais conveniente.

    • Jorge Santana disse:

      O PHD só tem matérias inconvenientes. Comentários tolos. Posts bestas. É perda de tempo acessá-lo a qq hora do dia ou da noite. E o Morrinhão A tb foi uma porcaria: 32 rodadas malemolentes para 4 ou 5 razoáveis, final pra lá de previsível e nenhuma rodada com 55% dos lugares vendidos. Um porre.

  4. Jorge Santana disse:

    Pra não dizerem que só falei dos 5 pagantes do jogo de Volta Redonda, cito também os jogos de casa cheia de ontem à noite: ABC 0x1 Braga, 460 pagantes; Sanca 2×1 Figueira, 612 pagantes; Paraná 1×1 Fortal, 685 pagantes.

  5. RAUL MIRANDA PENNA disse:

    Em qualquer sistema de disputa isso iria acontecer.

    • Jorge Santana disse:

      Na Champions, estes times já teriam caído fora há tempos. Não estariam fazendo hora-extra no campeonato. Nem jogando dinheiro fora com partidas amistosas sem o menor interesse.

  6. Dylan disse:

    Duque de Caxias e Ponte Preta. Série B do Campeonato Brasileiro. Volta Redonda. Sexta-feira à noite, ontem. Renda: R$55,00. Público: 5 pessoas pagantes. Sim, cinco pessoas. O futebol brasileiro conseguiu mais uma marca para envergonhar quem sabe pronunciar a palavra marketig. Ou carnê. A falta de organização só é pior do que a vontade de buscar a modernidade. Se o campeonato é de pontos corridos e nenhuma das equipes poderia cair ou subir, colocasse ingressos a R$2,00. Abrisse para escolares acompanharem o jogo. Pelo menos os pais iriam pagar alguma coisa. Não, o dirigente brasileiro gosta de passar vergonha. Ser ridicularizado. Foi o recorde negativo de público da Série B, em todos os tempos. As imagens vão passar pelo Brasil inteiro e todos vão rir. Rir e esquecer. (Cosme Rimoli)

  7. Marc3lo disse:

    Parece até que é combinado, não tem lógica,5 pessoas???É rir pra não chorar….

  8. Romarol disse:

    O paciente está morrendo e o médico dizendo que ele não tem nada. Como diz o Síndico, desce mais uma garçom!

  9. Mauro França disse:

    Impressiona é alguém achar que um público de 5 pagantes é normal.

  10. Na Série A, Numa semifinal de mata-mata, Juventude x Portuguessa não protagonizaram algo muito diferente. UM DIA, alguns críticas vão descobriri que não é situações localizadas e problemas específicos que determinam o problema ou as soluções GLOBAIS. Tanto no futebol como em outras disciplinas. Pegar casos especificos e generalizar tem nome… falácia… só não vê quem não quer ou quem insiste neste mecanismo como fundamento ou defesa de teorias.

  11. Jorge Santana disse:

    Tomando emprestada a idéia do Cosme Rímoli, citada pelo Dylan: se o público médio do Ipatinga é de 1.000 pagantes e o estádio comporta 25 mil, por que não conveniar com sindicatos e escolas oferecendo ingressos a preços módicos para operários e estudantes? Com um pouco de imaginação, o Tigre criaria um público para futuras temporadas. Estou me divertindo com esses públicos ridículos, que citei no post, mas quem pesquisar vai encontrar uma quantidade absurda de estádios vazios durante o torneio. Torneio que tem média de 6 mil, mesmo sendo disputado por clubes de massa, ao menos em suas cidades, como Vasco, Bahia, Fortaleza, Ceará, Ponte, Guarani, ABC, América, Paraná, Figueira, Vila, Campinense e Juventude. Tem coisa errada, ora se tem! E quem fica justificando essa tamanqueira tá laborando em erro. E dando motivo pra píada.

  12. Sobrinho disse:

    Serie B eh um fracasso.

    • Jorge Santana disse:

      Chicotinho queimado: – Tá quente… Já, já, Sobrinho descobre que a A tb é podre.

      • Sobrinho disse:

        Será? Se o campeonato seguir na linha do deste ano acho que não hein! Mas uma coisa é certa, você nunca vai dar o braço a torcer.

      • Jorge Santana disse:

        O sucesso do Morrinhão passa, necessariamente, pelo fim de vários clubes de massa, pela concentração, pela formaçõe de torcedores de longa distância, pelo afrouxamento de rivalidades etc. Para um sujeito do Maranhão, torcer pelo Fla ou pelo Barça, tanto faz. Isto enfraquece o futebol.

  13. Pura síndrome de Vira-latas… Bão mesmo são os gramados dos estádios dos vizinhos, bão mesmo são os públicos dos estádios dos vizinhos, bão mesmo são os árbitros dos vizinhos… tudo digno de ser paradigma para uma reforma, ao invés de avaliar NOSSOS problemas, de apontar soluções e resolvê-los. Dá-lhe síndrome!